Irradiada pela primeira vez, na voz do locutor Sebastião Stanislau, em 8 de setembro de 1939, sendo o seu texto atribuído ao jornalista Carlos Rios, por alguns, e ao radialista Mário Libânio, por outros.

Ave Maria!

Rainha pura e ditosa dos homens pecadores.

Santa radiosa do céu!

Hora doce e emocionante, entre o dia que morre e a noite que surge.

As criaturas perdidas, na inquietação que enche a terra, olham o firmamento, ansiosas pela luz das estrelas que começam a inundar a imensidade.

Ave Maria!

Paz e recolhimento para os espíritos, conforto e esperança para as almas!

O homem dobra os joelhos e abranda a sua ira, esquece os seus sofrimentos e abre o seu coração, nesta hora terna de piedade e de recolhimento.

O seu pensamento voa para o céu, qual gigantesco pássaro audacioso que soltasse, na amplidão, as suas asas doiradas.

Ave Maria!

As catedrais e as capelas humildes entoam, ao mesmo tempo, a sua oração que o bronze secular cobre de sons divinos, enchendo o espaço de harmonias inefáveis.

Ave Maria!

Hora da prece e do perdão.

Hora dos fidalgos e dos plebeus.

Hora dos cristãos de todas as idades e dos filhos de Deus de ambos os hemisférios.

Ave Maria!

Hora grandiosa de Deus!

Traço de união divina entre a criatura e o Criador.

Hora mágica da humanidade que abre um doirado caminho de luz, entre a terra angustiada e o céu bendito.

Ave Maria!

9 Comentários

  1. Maravilhosa postagem, meu caro Leonardo !

    Ainda hoje, morando fora de Recife desde o final de 1965, consigo relembrar cada palavra desse momento mágico, quando ouvia essa Oração nos meus tempos de criança e adolescente.

    Mágica !

    Forte abraço e muito obrigado pelo resgate !

  2. Cada dia eu gosto mais do JBF. Forum liberal e democrático para o debate civilizado e repositório inigualável de farto e valioso material para todo tipo de filosofia !

    Parabéns Luiz Berto e Aline. Por essa plêiade insuperável e crescente de brilhantes colaboradores nas mais diversas vertentes !

    Fraterno abraço.

    Philippe

  3. Nós a ouvíamos todos os dias no mesmo horário, pelas ondas da querida e inesquecível PRA-8 a Rádio Clube de Pernambuco, um marco na história do rádio brasileiro.

    Belíssimo texto, belíssima locução, irradiando atmosfera de muita inspiração e paz interior.

    Hoje, aqui dos meus 68 anos, consigo me lembrar de cada palavra e da entonação das mesmas pelo locutor, como se eu a estivesse ouvindo agorinha mesmo,

    Maravilhosas e doces lembranças !

  4. Linda oração, meu avô Carlos Rios teve de fato inspiração divina no momento que a escreveu. Contudo, devido à perseguições políticas na qual teve seu mandato de deputado estadual cassado, culminou na proibição de citar seu nome na rádio e consequentemente sua autoria ao término da locução da Ave Maria, como antes desses nebulosos tempos era feito. Apesar de grandes personalidades como Paulo Cavalcanti e Carlos Brasil dentre outros, afirmarem que é de Carlos Rios e até que o viram retirar do bolso do paletó o rascunho da oração após o resultado do concurso que a elegeu como vencedora, sua autoria é abstraída.

  5. Entristece o fato de ver a autoria da Ave Maria feita pelo meu avô, Carlos Rios, por questões políticas na época, ter sido subtraída e assim permanecer até os dias atuais. Apesar dos depoimentos de personalidades éticas e morais que vivenciaram o feito na época, atestarem que foi Carlos Rios quem escreveu a belíssima Ave Maria!
    Minha mãe, única filha viva, não visa interesses pecuniários, apenas justiça da autoria.
    Na época após a leitura na rádio, dizia que era dele a autoria, porém devido às perseguições políticas que sofreu, proibiram citar seu nome.
    Fraseando meu avô: “Que a rainha pura e ditosa”, tenha misericórdia dos pobres de alma!

Deixe o seu comentário!


© 2007 - 2018 Jornal da Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa