10 junho 2018 CHARGES

DUKE

10 junho 2018 DEU NO JORNAL

UM INSTITUTO DE PESQUISA TIPICAMENTE BANÂNICO

* * *

Diz esta mesma pesquisa do Datafolha que, sem a presença de Lula (como vai ser conforme a Lei), quem lidera é Bolsonaro com 19%.

Em seguida vem Marina com 15% e Ciro com 10%.

E, pra coroar, vem Haddad, o Papa-Figo do PT, que aparece com fantástico 1%.

(Aviso importante: este Editor não tem candidato. E vai continuar na oposição, onde sempre esteve, qualquer que venha a ser eleito dentre estes que estão na praça)

A propósito das “isentas pesquisas” do Datafolha e do candidato Bolsonaro, vale a pena ver este vídeo que foi enviado para o JBF pelo leitor fubânico Rafael Brod, de Londrina-PR, eleitor declarado do capitão.

Vejam:

10 junho 2018 CHARGES

PAIXÃO

MARACUJÁ DE ESTALO (2)

10 junho 2018 CHARGES

RICARDO MANHÃES

O BRASIL QUE EU QUERIA!

Atendendo ao chamado da Globo, vou descrever em poucas linhas como seria o Brasil que eu queria.

Estou usando o condicional, queria, porque a esta altura do campeonato, eu não quero absolutamente mais nada dessa piada de mau gosto em que se transformou esta espelunca chamada Brasil.

Aliás, quero sim! Quero tão somente que liberem finalmente a minha tão achincalhada aposentadoria, que é para que eu possa ir viver em outro país que seja menos canalha com seus habitantes.

Ao dar um profundo e sofrido balanço na minha vida, vejo que apesar de ter sido imensamente abençoado nos aspectos pessoal e profissional, especialmente graças aos meus filhos e netos maravilhosos, faço parte de uma geração completamente fracassada. Todos os planos e sonhos que imaginávamos realizar para este país ao longo da década de 70 do século passado, época em que esta nação caminhava celeremente para se tornar uma das grandes potências do mundo e um país maravilhoso para se viver, tudo foi por água abaixo em uma enxurrada de mediocridades, canalhices, roubalheiras, incompetência, estelionatos e safadezas dos mais diversos tipos e calibres.

Os principais agentes desta debacle foram sempre as figuras dominantes do nosso destrambelhado aparato de (des)governo, em todas as suas manifestações: Legislativo, Executivo e Judiciário. Uniram-se os três, independentes e harmônicos, sempre a fim de estuprar cada vez mais as combalidas finanças nacionais em proveito próprio. Foi assim que evoluímos de uma carga tributária pouco maior que 20% do PIB, para algo próximo aos 40% atuais, sem contar com as infinitas formas de espoliar os otários que são implantadas diuturnamente pelos amaldiçoados que se aboletaram nas mais diversas posições governamentais. As figuras são sempre exatamente as mesmas há já uns 40 ou 50 anos. Figuras decrépitas de bandidos cuja deformação moral é facilmente identificável em seus rostos lombrosianos. Preparam-se agora para encaminhar a sucessão ao pleitear que a população imbecil venha a lhes sufragar os descendentes herdeiros, para que usufruam do butim estatal por mais uma geração.

Vamos aos meus sonhos:

1. Que toda a imensa multidão de sacanas e picaretas aboletados em mamatas estatais sejam alijados de qualquer posição de governo por cinco gerações.

Pequena amostra das gangues brasilienses a serem exterminadas!

2. Que a obesa estrutura governamental seja totalmente extinta e que sejam anulados todos os privilégios adquiridos pelos atuais parasitas e que estes todos sejam sumariamente demitidos, restando apenas algumas poucas funções de coordenação em áreas críticas para a nação tais como: Infraestrutura, Segurança, Saúde, Educação e Justiça. Venda sumária de todas as empresas estatais e com o lucro abater da Dívida Pública.

3. Que a carga tributária seja reduzida ao máximo de 20% do PIB e cobrada majoritariamente sobre a renda. Todo o excedente atualmente cobrado deveria ser dirigido à eliminação total da Dívida Pública, devendo esta ser banida ad aeternum de nosso país. Governantes só seriam autorizados a emitirem Títulos de Dívida em caso de guerras e calamidades extremas. Hoje, a calamidade extrema é o próprio governo.

4. Que toda criança deste país, das mais pobres às mais ricas, mesmo aquelas que foram procriadas irresponsavelmente por pais degenerados e irresponsáveis, fossem educadas em escolas de primeiríssimo nível, e que a evolução para novas etapas, níveis, cursos e profissões se desse sempre pelo mérito, e nunca por características antropológico, origem social, ou mesmo por alguma característica especial que a diferencie das demais. Que as escolas mantidas pelo governo sejam melhores que as da iniciativa privada, e que os professores venham a ser a categoria mais prestigiada da nossa sociedade.

5. Que sejam eliminadas em nosso país todas as formas de aposentadoria que não sejam originadas em uma conta de poupança alimentada pelo próprio cidadão. Em contrapartida, os 36% que são desviados mensalmente do salário de cada trabalhador para sustentar as mais diversas formas de bandalheiras e mamatas governamentais passariam a ser depositados integralmente nesta conta individual. Os Fundos de Investimentos seriam gestores destes recursos e os aplicariam em projetos produtivos.

6. Que seja instaurada a Lei da Sharia: Matou? Morre! Roubou? Corta a mão! Delitos menores, a pena seria graduada em chibatadas com uma chibata de bambu bem fininha, que é para tirar um bife em cada chibatada. Pena de morte para governantes, políticos e juízes corruptos.

Com isso, e aplicando esses princípios ao longo de umas 5 gerações, pode ser que esta terra malsinada um dia vire uma nação;

10 junho 2018 CHARGES

CLÁUDIO

STAND-UP COM POESIA

PRESSA

Meus olhos azuis
Atirei sobre ti
Nada mais vi
Deixaste comigo
O melhor de nós
Na pressa de partir
Pelo sim, pelo não
As lembranças deixadas
Só entregarei em mãos.

POEMA INACABADO

Pode ser que minha pena
Seque a tinta, que horror
Eu use a tela de um pintor
E com algumas pinceladas
Eu termine o meu poema
Usando um lápis de cor
E nessa linda aquarela
Tendo a vida como tela
Vou pintando o meu amor!

COMO TE VEJO

“Vejo o mundo com bons olhos”
Com os olhos que eu te vejo
Imagine se eu o beijasse
Com os lábios que te beijo
Talvez, me condenassem
E até me crucificassem
Por isso reprimo meu desejo.

MEUS PECADOS

Minha matéria é pura
Meu espírito é promíscuo
Enquanto eu durmo
Meu espirito vaga
Em busca de vicio.

MEU MAIOR BEM

Meu maior bem
Está na essência
A minha aparência
É apenas o casulo
Guardião do meu bem
Guardado comigo
Não serve a ninguem

10 junho 2018 CHARGES

YKENGA

10 junho 2018 CHARGES

AMARILDO

DIZ A LENDA

Tudo começou com um conto postado aqui no JBF.

Nesta coluna.

10 junho 2018 CHARGES

VERONEZI

10 junho 2018 DEU NO JORNAL

ENFIADA DE PINTO NO FURICO PRESIDENCIAL

O empresário Antônio Carlos Pinto Junior, que forneceu portas e janelas para a reforma da casa da filha do presidente Michel Temer, Maristela Temer, apresentou à Polícia Federal documentos que comprovam que parte do material usado na obra foi pago com dinheiro vivo.

Ele é dono da empresa que forneceu esquadrias para a reforma da casa de Maristela Temer. Foram 32 itens – entre portas e janelas de PVC.

Valor total da compra: quase R$ 121 mil, divididos em 5 parcelas.

O contrato mostra que a primeira parcela, de R$ 56 mil, foi depositada em dinheiro vivo, na conta da empresa.

O documento é assinado por Maristela Temer.

Em depoimento à Polícia Federal, o dono da empresa disse que foi procurado pela arquiteta Maria Rita Fratezi, mulher do coronel João Batista Lima Filho, no primeiro semestre de 2014.

O coronel Lima foi preso em março na operação Skala, que apura se o presidente Michel Temer recebeu vantagens indevidas para beneficiar empresas do setor de portos com a edição de um decreto.

Os delatores da J&F afirmam que entregaram R$ 1 milhão ao coronel Lima.

E que o dinheiro era propina para o presidente Temer.

O empresário disse que só ficou sabendo para quem era obra quando a arquiteta Maria Rita disse que as notas fiscais deveriam sair em nome de Maristela Temer.

Ele disse ainda que a mulher do coronel Lima insistiu que queria pagar a primeira parcela em dinheiro vivo.

E que ele recusou porque não aceita pagamento em espécie.

No final do depoimento, Antônio Carlos Pinto Junior disse à polícia que não é normal em seu ramo a insistência por pagamentos de altos valores em dinheiro.

* * *

Carlos Pinto enfiou o pinto nos furico de Temer e de sua herdeira.

Uma enfiada que chegou até os ovos.

Como Temer era vice de Dilma (indicado por Lula), e foi eleito com ela na chapa do PT, vamos esperar que Ceguinho Teimoso desminta esta nova deslavada mentira, mais uma, publicada na grande mídia golpista. 

Do mesmo jeito que Ceguinho costuma fazer em relação ao sítio e ao triplex que NÃO são de propriedade do Lula.

Papai Temer e a filhinha Maristela: uma linda parelha familiar banânica

10 junho 2018 CHARGES

BENETT

AS BRASILEIRAS III – MARIA FIRMINA

Maria Firmina

Maria Firmina dos Reis nasceu em 11/3/1825, em São Luís, Maranhão. Professora e escritora é considerada a primeira romancista brasileira; a primeira mulher a passar num concurso público como professora e, também, a primeira a fundar uma escola mista. Negra e bastarda, filha de mãe branca e pai negro, foi prima do escritor Francisco Sotero dos Reis, que incentivou-a a estudar e escrever. Aos cinco anos foi viver na casa de uma tia, mais bem situada economicamente, na Vila de São José dos Guimarães, onde realizou os primeiros estudos e tomou gosto pela literatura.

Em 1847 foi aprovada num concurso à cadeira de Instrução Primária na atual cidade de Guimarães, onde foi professora de primeiras letras até 1880. Ao vencer o concurso, se recusou a desfilar pela cidade de São Luís, montada nas costas de um escravo. Afirmou que “escravos não eram bichos para levar pessoas montadas neles”. Ao se aposentar, em 1880, fundou uma escola gratuita e mista, para meninos e meninas, causando escândalo no povoado. Ao final, a escola teve que ser fechada em menos de três anos.

Tinha uma postura antiescravista bem definida e articulada: era conhecida e respeitada como professora e cronista; publicava artigos no jornal local e publicou seu primeiro livro em 1859, o romance Úrsula. Vale lembrar que nesta época a literatura brasileira dava os primeiros passos na prosa de ficção. Seu livro foi o primeiro a se posicionar contra a escravidão, antecipando a literatura abolicionista de Castro Alves, com Navio Negreiro (1869) e Bernardo Guimarães, com A escrava Isaura (1875). Além de primeiro romance abolicionista da literatura brasileira, é também o primeiro romance da literatura afro-brasileira, entendida esta como produção de autoria de uma afrodescendente, que tematiza o negro a partir de uma perspectiva interna e comprometida com a causa libertária.

No prólogo da obra, demonstra uma aguda consciência de sua condição naquela sociedade patriarcal e escravocrata e sua determinação em publicá-la, afirmando: “Pouco vale este romance, porque escrito por uma mulher, e mulher brasileira, de educação acanhada e sem o trato e conversação dos homens ilustrados… ainda assim o dou a lume”. Seu estilo e verve literária:

“Senhor Deus! quando calará no peito do homem
a tua sublime máxima – ama a teu próximo como
a ti mesmo – e deixará de oprimir com tão
repreensível injustiça ao seu semelhante!”

lembra muito bem a poesia de Castro Alves 10 anos depois, com O Navio Negreiro:

“Senhor Deus dos desgraçados!
Dizei-me vós, Senhor Deus!
Se é loucura… se é verdade
Tanto horror perante os céus?!”

Poderia se dizer que sua prosa exerceu alguma influência sobre o maior poema condoreiro? Pelo visto, parece que sim. Mas ninguém do métier literário até agora afirmou isto. Um dado que contribui para essa afirmação é ela foi também poeta, com a publicação da coletânea Cantos à beira-mar, em 1871.

Foi também compositora do Hino à libertação dos escravos e autora da letra e música de outros cantos: Auto de bumba-meu-boi, Hino à mocidade, Valsa (com letra de Gonçalves Dias), Rosinha, Pastor estrela do oriente, Canto de recordação etc. Em 1887, no auge da campanha abolicionista, publicou o conto A Escrava, reforçando sua postura de combate à escravidão. Em outro romance, Gupeva (1870) chegou a abordar a temática indianista: um chefe indígena se apaixona por uma moça vinda da Europa, sem saber que se trata de sua meia-irmã. São histórias bem novelescas, com um pano de fundo que retrata a sociedade de maneira ferrenha imbuída de sentimentos antiescravistas e republicanos.

Foi mãe adotiva de 10 crianças na condição de solteira toda a vida. Morreu pobre e cega em 11/11/1917. Esquecida por décadas, sua obra só foi recuperada em 1962 pelo historiador paraibano Horácio de Almeida em um sebo do Rio de Janeiro. Até hoje seu rosto é desconhecido e o que consta nos registros da Câmara de Vereadores de Guimarães é uma gravura com a face de uma mulher branca, inspirada na imagem de uma escritora gaúcha, com quem ela foi confundida. Seu busto exposto no Museu Histórico do Maranhão também retrata uma mulher “embranquecida” de nariz fino e cabelos lisos. Assim, Pode se dizer que ficamos sem o seu retrato.

Em 1975 foi lançada sua primeira biografia – Maria Firmina: fragmentos de um vida, de José Nascimento Morais Filho, publicada pela Imprensa do Governo do Maranhão. Ano passado, no centenário de seu falecimento, a editora da PUC de Minas Gerais lançou a 7ª edição de Úrsula (2017). Uma edição revista e ampliada com anexos de documentos históricos e reedição do conto “A escrava”, que tem ajudado a difundir sua obra. No entanto, pouco se sabe sobre outros possíveis textos, sobre os detalhes de sua vida ou sobre como uma mulher negra de origem pobre alcançou tanto sucesso em pleno regime escravocrata. É de se estranhar que até mesmo o “movimento negro”, tão atuante hoje em dia, dê pouca importância à esta importante personalidade da história brasileira.

10 junho 2018 CHARGES

SINOVALDO

JOSÉ MARTINS GONÇALO – VITÓRIA-ES

Grande Berto!!!

Salve, salve!!!

Saudações para o melhor jornal escroto deste Brasil.

Me diga, grande editor, tem jeito deste país dar certo???

Que achas tu?

Um grande abraço!!!

R. Caro leitor, brigadão pela força e pelas carinhosas palavras.

Quanto a sua pergunta, se este país pode ou não dar certo, eu tenho a dizer o seguinte:

Um país onde Carlos Marum e Moreira Franco são ministros de um cabra feito Temer, onde Collor, Lula e Dilma já foram presidentes, e onde Gilmar Mendes tem uma cadeira no órgão máximo do poder judiciário, não tem possibilidade alguma de dar certo.

Nenhuma mesmo!!!!

É este o meu parecer.

Abraços e um excelente final de semana.

Só mesmo em Banânia seria possível esta trinca ter envergado a faixa presidencial

10 junho 2018 CHARGES

GUABIRAS

BEE GEES & CELINE DEON

Astros que ao juntar-se em sua arte, conseguem a química perfeita. Felizmente, temos na tecnologia atual, a chance de assistir sempre um excelente show que não vai se repetir ao vivo.

Immortality

* * *

Ofélia e Fernandinho

Os artistas Lúcio Mauro e Sônia Mamede eram os protagonistas no programa de TV de 1975, Balança Mas Não Cai. Foi uma época de grandes artistas mulheres que desempenhavam com maestria a difícil arte do humor.

* * *

Dica:

A série de TV Zorro foi produzida por Walt Disney de 1957 a 1959. Um herói que aparece para defender os injustiçados é até hoje aguardado por muitos sonhadores.

A Passagem Secreta

10 junho 2018 CHARGES

NANI

TEMER DÁ A RÉ

O presidente Michel Temer é coerente: está onde sempre esteve (talvez isso só mude no fim do mandato, quando perder o foro privilegiado). Temer, ao assumir, lembra-se? extinguiu o Ministério da Cultura, apenas para em seguida voltar atrás, diante da reação dos prejudicados. Agora, em quatro horas, anunciou a tabela de preços mínimos para o frete e, diante da reação de líderes dos caminhoneiros, que ameaçaram parar de novo, recuou, revogou a tabela e prometeu outra, exatinho como eles exigiam. Os reclamantes nem pediram licença: invadiram o Ministério dos Transportes. E, mais uma vez, viram o presidente obedecer a quem gritasse mais.

Enquanto isso, como se comporta o mercado? Uma carga de 300 kg de São Paulo a Roraima sairia por pouco menos de R$ 1.200. Mas apareceram transportadores se propondo a levá-la por R$ 1.000, ou menos. A questão nem é tanto de preço: é que o caminhoneiro autônomo não pode parar, se quiser pagar as contas. E quem está ganhando com isso? Caro leitor, é ele mesmo: Joesley. Ou eles, os de sempre: os frigoríficos. O criador não pode segurar os bois no pasto, sob pena de ter prejuízo. Frigoríficos aproveitam a paralisação: oferecem preço menor pelo bois, e os criadores, pressionados, aceitam. Os frigoríficos ganham também na outra ponta, exportando com o dólar alto. Quem pensa nos caminhoneiros de verdade, ou nos criadores?

E Temer, não pensa? Talvez até pense, mas não hesita em dar a ré.

O dinheiro que falta

O Governo diz que o orçamento não comporta novos gastos. Deve ser verdade: o déficit deste ano está por volta de R$ 160 bilhões. Mas será que não dá para mexer nisso? O empresário Zizinho Papa, presidente emérito da Federação do Comércio, que será candidato a deputado federal pelo PSDC paulista, dá números: temos 54 governadores e vices, 81 senadores, 11,136 prefeitos e vices, 1.024 deputados estaduais, 513 deputados federais. Vices e governadores, deputados federais, senadores, prefeitos, todos têm carro oficial. Deputados estaduais, não todos, mas muitos, têm carro oficial. Sem luxo: bons carros, como Toyota Corolla, Honda Civic, Chevrolet Cruze e outros do mesmo nível, custam no mínimo R$ 80 mil. É preciso tudo isso? Não são só os carros: se reduzirmos à metade o número de 69.620 políticos com mandato, qual o problema? E qual a economia?

Os números

A política nos custa (tudo, incluindo o que é mesmo indispensável) R$ 150 mil por minuto, R$ 9 milhões por hora. São quase R$ 78 bilhões por ano. Isso, claro, não inclui as boas aposentadorias, nem o seguro-saúde ilimitado e vitalício. Reduzir esse gasto pela metade e poupar R$ 39 bilhões será mesmo impossível? E deve ser bom fazer política: há 35 partidos com registro no TSE, todos recebendo parcelas do Fundo Partidário, todos com direito a financiamento público de campanha. Há 73 partidos em formação. Qual a diferença entre um e outro? A semelhança, essa nós sabemos.

A grande festa

A despesa é alta mas a festa continua – afinal, quem paga somos nós. A Câmara Municipal de São Paulo acaba de aprovar um bom reajuste (77%) numa gratificação aos funcionários. Coisa pouca, para quem legisla: apenas R$ 5,7 milhões por ano. Mas analisemos as despesas da Câmara: nela, há 254 funcionários recebendo mais do que o teto municipal, de R$ 24,1 mil. Há quem ganhe R$ 59 mil, quase o dobro do teto federal, que é o salário dos ministros do Supremo. E isso antes do aumento da tal gratificação.

Detalhe: dos 254 que ganham acima do teto, 133 estão aposentados. Ali não vigora o INSS: é outra lei, mais boazinha. É proibido regular micharia.

Buscando dinheiro

Uma decisão da Justiça Federal, na terça-feira, mostrou, a quem ainda não sabia, onde é que o Governo busca dinheiro para a farra de gastos: foi suspensa a portaria 75 do Ministério do Planejamento que tirava R$ 203 milhões do orçamento do SUS, da segurança alimentar, da assistência técnica à agricultura familiar, de repressão à violência contra a mulher e do setor de transportes, e transferia tudo para a publicidade – aquelas coisas de “Ordem é Progresso”, que tanto contribuem para a popularidade de Temer. A decisão foi do juiz Renato Borelli, da 20ª Vara da Justiça Federal.

E chega!

Agora é hora de descansar um pouco da triste realidade brasileira. Este colunista acaba de ler (e recomenda) uma delícia de livro: “A História da Literatura Erótica e Meus Contos Malditos”, de Antônio Paixão.

O livro, lançado no dia 5, foi-me recomendado por um apreciador de boa literatura: o advogado Orlando Maluf Haddad – aliás, que tal fazer sua biografia, que inclui o resgate de presos pela ditadura uruguaia, rompendo o cerco da Operação Condor, que unia os ditadores do Cone Sul da América? Uma nova tarefa para o bom escritor Paixão.

10 junho 2018 CHARGES

LUTE

10 junho 2018 DEU NO JORNAL

UM AMIGO TALENTOSO

Em carta para o cantor Maciel Melo, Lula diz que está em uma solitária na PF de Curitiba, publica a colunista social da Folha de S.Paulo.

O presidiário disse também na carta que acabou de ler um livro do artista pernambucano.

Em pouco mais de 60 dias em que está na Superintendência da PF, há quem acredite que Lula tenha lido mais de 21 livros.

* * *

Esta nota aí de cima saiu ontem, sábado, na página O Antagonista.

Dois grandes amigos, dois grandes artistas nordestinos da atualidade frequentam a minha casa.

Ambos são lulistas e petistas roxos.

Só que um deles, mais precavido e pensando nos seus admiradores, nunca declarou de público esta condição. Só externa sua opinião em reservadas rodas de amigos.

Já Maciel Melo, que Lula, quando exercia a presidência, levou pra cantar no Alvorada, em junho de 2008, numa celebração do aniversário de casamento com Dona Marina, nunca escondeu ser eleitor e admirador do ex-presidente, coisa que ele me declarou mais de uma vez em nossas conversas.

Opção dele que eu respeito e acato sem qualquer problema.

Maciel Melo e este Editor

Tive o privilégio de fazer, a convite de Maciel, a apresentação de um DVD de sua lavra, intitulado Isso Vale um Abraço. Um trabalho extraordinário, como são todas as suas produções.

Aproveito a oportunidade para alegrar o nosso domingo com a música Pelos Cantos da Casa, uma composição que Maciel fez em parceria com o colunista fubânico Xico Bizerra, outro grande amigo meu.

Aliás, esta semana Xico fez um comentário aqui no JBF, na coluna do fubânico Cícero Tavares, onde torna pública sua opinião sobre Lula.

Quem quiser saber, basta clicar aqui.

Xico Bizerra e Maciel Melo, uma parelha de malassombrados que mora na minha estima e para os quais mando um grande abraço.

Sucesso, seus dois talentosos da bixiga lixa!!!

10 junho 2018 CHARGES

AROEIRA


© 2007 - 2018 Jornal da Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa