DESNUDANDO SUPREMAMENTE O SUPREMO

Recebi ontem um telefonema do Poeta Jessier Quirino, colunista desta gazeta escrota.

E tomei um susto logo no começo da conversa:

– Rapaz, pensei tanto em tu esta madrugada que eu tava mais parecendo um viado palmarense.

Vôte!

E me explicou rapidamente: ele tinha visto um programa no canal Globo Play na noite da última quarta-feira que se estendeu pela madrugada da quinta.

E Jessier, madrugador inveterado, é mesmo que um bacurau pra passar a noite acordado.

– Só num te liguei porque sabia que tavas dormindo, me disse entusiasmado. Um programa arretado!

E o motivo do entusiasmo era o tema do programa: o desnudamento do STF, esta casa desmoralizada e enlameada pelos incelentíssimos tabacudos que a compõem atualmente.

Um sodalício que tem um Gilmar, um Toffoli e um Lewandowski na sua composição, está umas 13 polegadas abaixo do nível merdífero.

No programa que me foi recomendado por Jessier, o apresentador Pedro Bial recebeu o professor de Direito Constitucional da USP, Conrado Hübner Mendes, e o fundador da Escola de Direito da FGV do Rio, Joaquim Falcão, para um debate sobre sobre o órgão máximo do poder judiciário desta nossa avacalhada Banânia.

A entrevista foi motivada por um excelente artigo-cacetada escrito no começo deste ano pelo Professor Conrado Hübner, e que foi publicado na Folha de S.Paulo.

Jessier tem toda razão: a entrevista feita por Pedro Bial está excelente.

Vale a pena ver o programa na íntegra.

Basta clicar aqui.

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.