Uma imensa multidão de pessoas, no mundo inteiro, vem tentando se manter informada a respeito das notícias sobre a corrupção no Brasil. Ficam todos impressionados com os volumes de dinheiro que foram surrupiados pelos políticos ladrões que nos assaltaram nas últimas décadas. São montantes verdadeiramente astronômicos de dinheiro! É difícil para as pessoas normais ter uma ideia clara da imensidão dos recursos que foram roubados, já que a maioria existe apenas de forma escritural nos computadores. Quando aparece uma minúscula parte do roubo em forma de papel moeda, dá para encher um apartamento de classe média com malas recheadas de cédulas. Vamos pagar esta conta por décadas.

Julga a maioria, adequadamente a meu ver, que essa apoteose de roubalheiras seja apenas a culminação de um longo processo histórico de espoliação da nossa nação pela oligarquia canalha que a tem dominado ao longo de séculos, e cujo único compromisso é com o enriquecimento próprio e com a manutenção do poder e da impunidade. A tônica tem sido sempre desejar que a população se exploda.

Por outro lado, a grande maioria considera erradamente que a grande mácula deixada pelas desastrosas administrações de esquerda foi apenas o imenso rombo financeiro decorrente, fruto espúrio da incúria e da desonestidade adotadas quando da realização de seus projetos mirabolantes, todos sempre apresentando as mesmas características fatídicas: tamanhos faraônicos, custos na casa dos Bilhões de dólares e sempre crescentes, através de sucessivas aplicações do argumento canalha dos aditivos contratuais, o que eleva o custo final às nuvens. Nunca se sabe o valor final: O céu é o limite! Todos projetos intermináveis e, pior ainda, caso algum dia venham a ser concluídos, absolutamente inviáveis.
Pois eu afirmo que o desastre maior ainda não foi este.

Considero, sem nenhum receio de estar cometendo erro de julgamento, que diante da imensa pletora de pragas devastadoras que nos foram impingidas pelos nossos desastrados governantes esquerdistas, esta talvez seja exatamente a de menor impacto ao longo do tempo.

A verdade é que o fundo do buraco em que estamos afundando ainda está bem longe. É bem mais embaixo! Temos muito ainda para afundar, graças a outras iniciativas muito mais venenosas desta gangue e que, por sua natureza insidiosa, tem sido negligenciada mesmo pela minoria ainda pensante desta terra. Os seus efeitos estão entranhados em nosso tecido social e terão repercussão maléfica por décadas, se não por séculos vindouros. Para mim, a origem de todas as nossas mazelas maiores está exatamente nas ideias desastrosas que foram impiedosamente marteladas na mente de todos os cidadãos deste nosso país. Os seus principais aspectos são os seguintes:

– O Estado é o provedor de tudo e a fonte da riqueza. Quem vai gerar esta riqueza e sustentar o aparato estatal não interessa. O empresário é sempre retratado como explorador inescrupuloso da mais valia produzida pelos operários e sonegador dos impostos com que o estado “bonzinho” vai ajudar aos pobres.

Consequência: É governo demais para pouco país. Com a estrutura governamental que temos, daria para administrar toda a América Latina. Os carrapatos cresceram e se multiplicaram tanto que estão matando a vaca. Ninguém quer mais produzir nada. Nosso destino é o caos bolivariano, em que todo mundo tem que comer 3 vezes ao dia e ninguém produz nada. Uma visão do inferno! Se o desemprego está em 12% (o que já é uma grande mentira – é muito mais), sua tendência será sempre de aumentar.

– Para que eu vou me esfolar para produzir algo se, depois, vou ficar sendo tratado como bandido pela justiça do trabalho, pelos sindicatos mantidos pelo governo, ficar sendo esfolado pela carga tributária, pelos juros, e sendo assacado todo dia por tudo que é fiscal canalha? Vou fazer um Concurso Público e me aboletar. O resto que se dane!

Consequência: Diante do quadro desastroso da imensa burocracia alucinada e corrupta, da carga tributária escorchante, das nuvens de fiscais inescrupulosos e vorazes, tal qual uma nuvem de gafanhotos, dos sindicalistas demagogos e manipuladores, dos juros de agiotas cobrados pelos bancos, do ordenamento jurídico que torna impossível cobrar qualquer dívida e da vida de nababos indianos levada pelos nossos juízes, procuradores, auditores, ouvidores, delegados, escrivães, investigadores, e uma miríade de outras funções menos votadas, mas não menos aquinhoadas com tratamento de altos executivos de multinacionais, mesmo sem produzir porra nenhuma, nossa juventude decidiu em massa que vai fazer um concurso público. Nosso futuro, como nação, é sermos uma imensa repartição pública.

– Para que vou me matar de estudar se um analfabeto e uma retardada viraram presidente da República? O negócio é descolar um diploma, de qualquer maneira, numa dessas universidades do governo que só fazem discutir “Políticas Públicas” e greves de apoio a alguma imbecilidade comandada pelas esquerdas desvairadas. Se não der, descola um FIES e vai para uma dessas novas “fábricas de diplomas” com ações na Bolsa e comandadas por multinacionais.

Consequência: O aluno entra burro e sai promovido a jumento, só que diplomado. O importante é ter um diploma, mesmo sendo analfabeto funcional, que é para poder conseguir alguma sinecura no aparato estatal. O nível rasteiro de formação serve de solo fértil para a adoção de qualquer doutrina imbecil que apele mais competentemente para as frustrações e os anseios medíocres dessa malta.

– Educar virou sinônimo de doutrinar. Copiaram a centenária estratégia de doutrinação jesuítica: Aparelharam as escolas com companheiros altamente ideologizados, entusiastas defensores do “Admirável Mundo Novo” bolivariano. Só são admitidos como professores, nessas Madraças socialistas, aqueles comprometidos até à alma com “a causa”. Tudo abundantemente regado com recursos do erário.

Consequência: O mestre deixou de ser um simples professor. Foi promovido à condição de “Educador”! Assim, coisas que antigamente eram ensinadas juntamente com o leite materno, agora, com a virtual destruição da família patriarcal, passam a ser gravados a ferro e fogo na alma dos jovens pelos comissários do partidão infiltrados nas escolas.

– O corpo é meu e eu decido o que é melhor para mim. Sexualidade é uma questão de escolha. Com essa visão instrumental do corpo humano, que deixou de ser um templo divino, passou a valer tudo:

Consequência: Desde o assassinato de crianças, ainda no ventre materno, pela própria mãe, até as mais criativas aberrações comportamentais em termos sexuais, tudo passou a ser uma mera questão de escolha! Eu quero, eu posso! Comportamentos que anteriormente envergonhavam toda a família, hoje continuam envergonhado toda a família, só que o aberrante passou a sentir orgulho das suas aberrações. Adolescentes de sexualidade indefinida, atormentados pela sua inadequação social, cada vez mais optam pelo suicídio. Uma em cada três crianças que nascem no Brasil são filhas de mães adolescentes com menos de 15 anos de idade. Duas em cada três crianças nascidas no Brasil são criadas por apenas um dos pais, normalmente as mães que, por terem de trabalhar para ganhar o sustento, delegam o encargo às avós, quando as possuem e estas se prestam a tal serviço. Transformamos o Brasil em um país de bastardos, criados de solta que nem o boi “Pé Duro” nas caatingas do Nordeste. É de estranhar que a violência, a criminalidade e o consumo de drogas tenham explodido em nosso país?

Eu poderia me estender por páginas e páginas, sempre detalhando as misérias que nós mesmos introjetamos em nossa população. Não vou fazer isso! Primeiro, por falta de espaço. Depois, porque sei que a paciência dos meus leitores já deve ter se esgotado. Eu poderia falar de ideias malucas como:

– Temos uma “Dívida Social” a ser “resgatada”. O Estado paga e, depois, socializa o prejuízo.

– Não existe culpa individual. É sempre da sociedade. Não do coitado do bandido estuprador e assassino.

– A Guerra entre as classes que opõe todos que tiveram sucesso na vida aos fracassados e preguiçosos.

– A Missão social da propriedade, em que nada lhe pertence realmente, pois tem sempre uma missão social a cumprir, a depender do arbítrio de algum agente do partido.

– Uma sociedade mais igual, em que os que possuem alguma coisa mais que os outros é sempre culpado.

– Os nababos governamentais e o inchaço da máquina estatal devido ao aparelhamento das suas estruturas a fim de alojar os companheiros.

A conclusão é que o tecido social de nosso país está podre. Gangrenou! Não há mais possibilidade de regeneração. Daqui para a frente, com as hordas de anencéfalos, criadas e nutridas ao longo do período bolivariano, a bradarem em assembleias “democráticas” todas as estultices que lhes vier às mentes, não haverá redenção. Passamos do ponto em que haveria possibilidade de retorno.

7 Comentários

  1. Bom dia…
    Sou morador de Joinville/SC…
    Conversando com meu filho de 21 anos sobre que faculdade cursar, estou tentando convencê-lo a “investigar” o que países como Nova Zelândia, Austrália, Canadá e outros mais estão buscando em termos de formação acadêmica e seguir por este caminho. Formar-se, cursar um curso do idioma do país em questão e “vazar” daqui de pindorama…
    Não consigo visualizar futuro nestas paragens…
    Perdemos o bonde da história com nossas ideologias esquerdistas, formando cáfilas de imbecis moral e civicamente desonestos que têm como sonho de consumo um carguinho público…
    Criamos um carrapato gigante que nos consome 5 meses de trabalho em impostos e que como retribuição só pensa em mais tributos…
    Hoje mães não vacinam seus filhos porque um vídeo no “YouTube” disse que isso faz mal…
    Médicos não sabem a diferença entre um simples resfriado e coqueluche (ou tosse comprida), tudo é virose…
    Funcionários públicos mal educados e preparados que não nos servem, mas se servem do que é público e não podem ser questionados, pode ser crime tira-lo da zona de conforto…
    Jovem com cabelos coloridos e piercing’s por todo o corpo (meu corpo, minhas regras) mas que não sabem conjugar um verbo corretamente e falam “seje menas”…
    Casos de infecção por HIV a níveis africanos da década de 1990, tudo por conta da promiscuidade permissiva da sociedade, esta imposta pela abjeção do politicamente correto… E por aí vai.
    Nunca antes na história desse país o termo “gigante bobalhão” foi tão bem aplicado a este país com agora…nunca!!

  2. Adonis parabens pela sua exposiçao nua e crua , exposiçao esta que deeria ficar gravada na historia do pais , , como HISTORIA ,mesmo a desmentir as estorias que nos learam a este estagio onde nos encontramos , concordo plenamente com voce principalmente quando afirma que levaremos decadas e ate seculos para que possamos fazer com que este enorme e desgovernado navio que na mao de bucaneiros sem nenhuma capacidade, colocou em aguas revoltas , e apos terem conseguido destruir seu leme , hoje este imenso navio chanado brasil , navega ,, sem rumo e sem direçao traçada ao sabor das mares externas , e um navio , sem propulssao , sem comandante e com trpulaçao oncapas , teremos sorte se conseguirmos atracar em algum porto seguro ,,,,,, e acredito que a melhor frase , embora dita a seculos atras mais se identifique com o brasil de hoje , e de um pensador australiano e dito sobre o socialismo , …DISSE ROGER ADANS , O SOCIALISMO SO PROSPERA EMAUANTO HOUVER UMA METADE QUE TRABALHA , SUSTENTANDO A OUTRA METADE VAGABUNDA , POREM QUANDO ESTA METADE QUE TRABALHA CHEGAR A CONCLUSAO , QUE NAO COMPENSA SUSTENTAR A OUTRA METADE VAGABUNDA , E PARAR DE PRODUZIR , AI COM TODA A CETEZA SERA O FIM DESTE PAIS ,,, JA ESTAMOS ENTRANDO NESTE ESTAGIO…..,,…

  3. Caro professor Adônis Oliveira:

    THE POINT OF NO RETURN!

    É tão demolidor à realidade (principalmente) de Banânia e de todos os países da América Latrina que assusta! Magnífica aula de fatos nus e crus desse continente “administrado” só por ladrões e sanguessugas do poder.

    Realmente não há salvação para o Brasil! Enquanto existirem “empresas públicas, autarquias, fundações e outras mazelas patrimonialistas” onde os “funcionários” são donos e mandatários improdutivos, a solução é o caos!

    A propósito do caos – população X alimentação – sugiro ao mestre que escreva um artigo sobre a Teoria populacional malthusiana, formulada no século XVII pelo matemático britânico Thomas Robert Malthus (1766-1834).

    Forte abraço e obrigado pela magnífica aula pessimista, mas real, cruel e alertiva ao Brasil, onde todo mundo quer ser “funcionário público” para mamar nas tetas da vaca sem leite!

  4. Lendo outro blog esta semana, deparei-me com um comentário que dizia “temos empresários demais! chega destes exploradores gananciosos que só prejudicam o povo!”

    Permito-me repetir aqui a resposta que escrevi no tal blog:

    “Não seja por isso, caro amigo. Eu já fiz minha parte. Como mostra meu pseudônimo, eu fechei minha empresa, demiti meus vinte e poucos funcionários, vendi o imóvel e virei rentista do Tesouro Direto.

    Embora ganhe menos que antes, não preciso aturar fiscais corruptos ou mendigar licenças e alvarás pelas incontáveis secretarias, delegacias, inspetorias e outras ias.

    Meus funcionários devem ter ficado satisfeitos, também, já que deixaram de ter sua mais-valia espoliada por um patrão ganancioso, e passaram para a legião do seguro-desemprego e do bolsa-família.”

    • Valeu, caro Ex-microempresário espoliado por um guverno ladrão e uma máquina pública apodrecida de funcionários fantasmas e concursados escrotos!

      Essa resposta foi direta nos cus dos tabacudinhos parasitários do serviço público que pensam assim!

      • Cícero, sei de pelo menos dois dos meus ex-concorrentes que estão doidos para fazer a mesma coisa. É só uma construtora ou qualquer outro chegar com um dinheiro na mão, e lá se vão mais duas empresas para o ralo.

        Aonde vamos parar assim, eu não sei. Provavelmente viraremos uma fazenda fornecedora de soja e proteina animal para a China.

Deixe o seu comentário!


© 2007 - 2018 Jornal da Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa