Ministro do STF Gilmar Mendes – o “soltador” oficial e especial

Já escrevi mais de uma vez, desde que fui convidado a formar no time (na verdade, na seleção da Hungria de 1954) de colunistas do Jornal da Besta Fubana, sob a edição, comando, e “administração financeira” do palmarense Luiz Berto – único que consegue ganhar alguma coisa jogando na Roleta do Cu-Trancado no tradicional município pernambucano de Palmares – que entendo tanto de Direito quanto entendo do buraco negro no mundo escuro das galáxias.

Não entendo mesmo porra nenhuma – e, neste momento, parece que quase todos “entendem”, mas poucos usam o que aprenderam para praticar a chamada “justiça dos homens”.

E, há ainda a “Justiça de Deus”, aquela que ninguém entende, mas todos sabem que ela acontece. E sem falhas. Demora, mas chega.

Ou, será que a “Justiça” que se pratica no Brasil é que é diferente da “Justiça” que se pratica noutros países?

Vamos direto ao assunto. Por que quase todo “problema judicial” tem ido para o STF (o que pode significar para alguns analfabetos como eu, que a coisa já não vai terminar como me ensinaram meus avós) – ou será apenas nos populares e chulos casos dos “chamados picas-grossas”?

Por que raios, os casos do “Zé Povinho” não chegam às instâncias superiores (STF, STJ, STE)?

Conjunto de tramelas, correntes e cadeados inexiste para as ordens de Gilmar Mendes

Melhor, por que só o Senhor Ministro Gilmar Mendes tem “mandado soltar” esse e aquele?

Na Penitenciária de Pedrinhas, no Maranhão, com certeza tem gente que já cumpriu a pena, sem ter sido julgado. É sério! E por que o Senhor Ministro Gilmar Mendes não “manda soltar” esse pobre miserável?

Repito: nada conheço de Direito (e não me interessa conhecer, ora!), mas alguém “condenado” por um “colegiado” pode ser “solto” por uma decisão monocrática?

E o “colegiado” tem mesmo que ficar com cara de “nhô zé”?

E o que parece mais lamentável: sem que o “colegiado” que julgou e “condenou” seja sequer consultado.

Esse privilégio é algo pessoal que só cabe ao Senhor Ministro Gilmar Mendes, ou só ele é suficientemente “macho” e o único conhecedor das nossas leis?

Ei, psiu, me “exprique” isso daí, vosmecê que “opera o Direito”.

21 Comentários

  1. Grande Zé Ramos:

    É porque para esse sujeito não existem ética, moral, justiça, caráter, etc. e tal, sem contar que vive no país onde a impunidade política é absoluta para quem tem posses, poder, influência e mau-caratismo!

    Zé Maria, comentarista da Joven Pan com Augusto Nunes e Felipe, certa vez comentou que foi fazer uma entrevista com a senadora Ana Amélia sobre um PL aberrante já aprovado pela CCJ e ele disse que quando entrou no recinto do Senado, o Cabaré de Brasília, e viu todos os senadores conversando debochadamente como se o Brasil não estivesse nessa crise de TUDO, ele saiu de lá tão deprimido que teve a sensação de que aqueles senhores não eram humanos.

    Ótimo artigo! Ótima reflexão, grande colunista!

  2. Cícero: repito: não entendo bulhufas de “Direito”. Por isso perguntei. Ele, o Senhor Ministro Gilmar Mendes, desempenha alguma função diferentes dos demais ministros e isso lhe dá o direito de soltar quem ele bem entender? Foi esse o meu objetivo. E, quando ele “solta”, como se soltasse um peido, ninguém pode ou tem o direito de dizer nada?

    • Caríssimo José Ramos:

      Quem pode explicar melhor essa sua indagação pertinente são os mestres dos mestres do Direito daqui do JBF: Dr. José Paulo Cavalcanti, Goiano Braga Horta, Alamir Longo, Adônis Oliveira e outras feras do Direito Constitucional e do Direito Penal!

      No meu intender, a “Corte Constitucional”, ou o Supremo Tribunal de Favores (STF), o Cabaré de Brasília, funciona como instância máxima e, como acima deles nem Deus, cada um faz o que quer e não tem Senado que puna e morreu maria preá!

      Como Gilmar Cara de Buceta Mendes está acima de Deus, mancomunado com o que há de mais abjeto na 2.ª Turma, que são Dias Tofolli, Ricardo Lewandwski Ratoeira, tudo é possível porque lá é onde se forma a maioria dos canalhas!

  3. Oliveira Ramos, não sou vidente, mas estou vislumbrando um cenário catastrófico para o Brasil.
    Pelo que vem acontecendo no STF, tudo indica que o Lula será solto em 26/06/2018. Passo seguinte, a liberação para ele concorrer as eleições deste ano. Não acredito nessas pesquisas em que ele aparece em primeira lugar, porém… sempre há um porém no império da política e dos poderosos. Ele já afirmou que o terceiro jogo do Brasil, assistirá em casa. Será?

    • Salvador: pois eu tenho certeza que isso não acontecerá. Converso, sempre, com quem me orienta na área jurídica, haja vista que entendo tanto disso quanto de “esfriar mingau”. A formiga, amiga, sabe a folha que rói. Se isso, desastrosamente acontecer, com certeza voltaremos aos tempos de Liceu e o 31 de março de 1964 se repetirá.

        • A. Luís: não devemos pensar, nem de leve, que os “hômi” da farda estão dormindo em berços esplêndidos. Não é todo mundo, como alguns pensam ou querem que pensem, que tem “sangue de barata”.

  4. E não é que eles ainda dizem cinicamente que a justiça é igual para todos? Há nas penitenciárias cerca de 300 mil presos sem julgamento (nem em 1ª instancia.) Seria então o caso de soltá-los também? (Se a Justiça é igual…) Talvez a Justiça para os muito ricos seja igual, só que diferente…

    • Flavio: agradecido amigo, pela sua participação. Mas, amigo, infelizmente, esse é o país que estamos construindo. E, também não se iluda: não será diferente nem melhor que isso, quando os nossos filhos estiverem comandando. Veja um exemplo tão idiota quanto quem o está praticando: criticar o jogador de futebol Neymar por conta do corte de cabelo e não pelo parco futebol que apresentou? Mas não vejo críticas aos penduricalhos que cantores, atores e atrizes usam; aos peitos de fora mostrados nas televisões que entram nas nossas casas e mais uma porrada de coisas, todas visíveis e “risíveis”.

  5. ora, ora,
    vamos e venhamos… e voltemos …
    a sapiente Sabedoria Popular insiste em que
    “a justiça (a tupiniquim ???) é cega, mas ouve o tilintar das moedas”.
    .
    pois, pois,
    e ‘cês já leram
    no Dicionário Houaiss, verbete próprio, acepção 4,
    e/ou
    no Dicionário Michaelis, verbete próprio, acepção 2,
    o significado de P.R.O.S.T.I.T.U.T.O ???
    sim, de PROSTITUTO !

  6. Aviso ao nobre colega Cícero, assim como a todos os demais.
    Eu também não entendo porra nenhuma desse direito escroto que hoje prevalece aqui neste cabaré de quinta categoria chamado Brasil.
    O que eu entendo, dentro de toda a minha ignorância jurídica, é que seu Gilmar é um grandissíssimo filho da puta.
    Essa conversa nojenta de “garantismo” é só papo furado de um cabra safado comprometido até os ovos com os canalhas que ele manda soltar. À multidão indignada só cabe ficar bufando de raiva.
    Eu entendo que esse bando de crápulas, mantidos e remunerados tal qual nababos indianos, estão sendo pagos para garantir OS INTERESSES DA SOCIEDADE, que é quem lhes paga. E não os dos bandidos. BANDIDO NÃO TEM DIREITO!
    Guilhotina já!

    • Caríssimo professor Adônis Oliveira:

      Porque quem eu tenho uma admiração de tietê pelos textos que escreve e pela personalidade indignada contra esses quatro CANALHAS: (Marcos Aurélio de Mello, Dias Tofolli, Ricardo Lewandwoski e Gilmar Boca de Buceta Mendes), que compõem o Supremo Tribunal de Favores, assino em baixo a Guilhotina contra a cabeça dos quatro e em plena Praça Pública para o povo assistir em tamborete de madeira comendo salgadinho de cocô catolé!

    • Maurício: eita querido professor Maurício Assuero, assim Palmares não aguenta, siô. Confirme com o próprio, se algum dia Berto já “perdeu” algum dinheiro naquela roleta. É lá, às vezes, que ele ganha a merreca para não atrasar tanto o salário de Chupicleide.

    • Adônis: meu Mestre, minha avó, se viva fosse, diria que vosmecê “acertou ca-caneca na boca do pote” e a trouxe cheínha d´água. Beba, hômi de Deus! Agora, professor, o que me alarma, é que os pares dele ficam caladinhos. O tão criticado Joaquim Barbosa (criticado apenas por ser negro, diga-se de passagem), em discussão mostrada pelas imagens de uma televisão, certa vez disse que o Senhor Ministro Gilmar Mendes “envergonhava o STF” e a Justiça brasileira. Ei, me digam: ele num vai se aposentar nunca?

  7. Fiquem tranquilos, a segunda turma do STF, não tem poderes PARA MUDAR uma decisão do PLENO e o colegiado, NEGOU por seis a cinco a soltura do “verme” em abril/2018, portanto, “eles” não possuem este poder e devemos considerar, que o TRF 4, não julgou o último “apelo” do apenado, que na verdade não existe na jurisprudência tupiniquin! A cadeia continua no horizonte escuro do vagabundo de Garanhúns.

    • Marcos: meu “conterrâne” querido, brigadão siô pela sua “presencia” e mais ainda pelos esclarecimentos. Eu acho (e tenho certeza) que se “eles” (não aquele “eles” tão falado pela personagem e Fernanda Montenegro na recém-finda novela da Globo) fizerem essa besteira, estarão fazendo, também, uma provocação direta aos comandantes das Forças Armadas.

Deixe o seu comentário!


© 2007 - 2018 Jornal da Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa