31 julho 2018 CHARGES

SPONHOLZ

HÉLIO BICUDO PASSARINHOU-SE

Hélio Bicudo não deixou o PT “por reconhecer que deu um passo errado”, como eventualmente e alhures se acredita e afirma.

Agora muitos julgam identificar-se com suas posições, mesmo sendo originariamente e profundamente distantes delas e até contrários a elas.

Em entrevistas ele lembrou que ficou e militou 25 anos no PT! E foi pelo PT que ele foi vice-prefeito de São Paulo e elegeu-se deputado federal por dois mandatos consecutivos.

Assim como o PT recusava-se a aceitar a Constituição de 1988 porque queria mais dela, Hélio Bicudo deixou o PT porque queria mais dele, o queria mais puro e mais socialista. Em suas palavras:

– Foi marcante aquela carta aos brasileiros que Lula escreveu antes da sua primeira eleição, demarcando uma posição muito mais para o neoliberalismo do que para o socialismo. (Não nos esqueçamos que ele foi ministro da fazenda interino por alguns dias no governo do Jango, poucos meses antes do golpe militar de 1964).

Sobre o neoliberalismo no governo de Fernando Henrique Cardoso, criticado pelo PT, ao ser perguntado se ele via diferença nas práticas de ambos os governos, ele respondeu:

– Não há nenhuma diferença, porque quem comanda as decisões políticas hoje, como ontem, é o próprio capital.

Sobre o “desejo do PT de ficar no poder” ele falou:

– No meu tempo pensava-se que o PT era um partido de massa, e iria trazer para os mais humildes uma estabilidade econômica.

E completou:

– Houve uma inclusão.

Mas…

– Ele trouxe em parte (uma estabilidade), porque a Bolsa-Família é mais um colaborador eleitoreiro. Apenas dá dinheiro, mas não dá nenhum estímulo para que a pessoa possa galgar outro patamar na estrutura da sociedade.

Um entrevistador também quis saber sobre sua saída do PT em 2005.

Resposta:

– Saí porque achei que o partido não estava trilhando a estrada que havia traçado no seu nascedouro. Ele deixou de representar o povo. Pode até ter o voto do povo, mas representa os interesses daqueles que o comandam.

Enfim, Hélio Bicudo não reconheceu que deu um passo errado ajudando a fundar o PT e nele militando por 25 anos: Ele saiu porque o PT, a seu ver, ingressou pelo liberalismo, abandonando a rota do socialismo.

Hélio Bicudo saiu do PT porque ele era mais petista do que o Partido dos Trabalhadores.

Tanto assim é que, desligando-se do PT em 2005, permaneceu sem partido até hoje, 31 de julho de 2018, dia de sua morte.

Por sua integridade, honestidade, combatividade, cultura e tantos outros predicados, trata-se de personalidade respeitável, merecedor de homenagens mesmo pelos que eventualmente discordam de algumas de suas posições políticas.

31 julho 2018 CHARGES

LUSCAR

CAATINGA ASSAAVANADA

31 julho 2018 CHARGES

JORGE BRAGA

31 julho 2018 A PALAVRA DO EDITOR

HÉLIO BICUDO ENCANTOU-SE

Hélio Bicudo encantou-se hoje, 31 julho, aos 96 anos de idade.

Um sujeito que eu admirava muita e tinha na minha lista de homens de bem desde os tempos em que ele corajosamente combateu o Esquadrão da Morte na época do governo militar.

Foi um dos fundadores do PT.

Todavia, em sendo um homem de bem e de caráter, anos depois tomou consciência do passo errado que dera e reconheceu publicamente o erro que cometera ao ter participado do nascimento do partido e ter militado ao lado do bandido Lula.

E combater bandidos foi sempre uma marca na vida de Bicudo. 

Tanto é fato que ele foi um dos autores do pedido de impeachment da bandida Dilma.

Ser petista e ser um homem de bem são duas coisas mutuamente excludentes.

Ou se é uma, ou se é outra.

E Bicudo tinha consciência disto.

Descanse em paz, cabra de vergonha.

31 julho 2018 CHARGES

THIAGO LUCAS

ANA PAULA CRUZ – PALMAS-TO

Por favor, meu nobre editor,

coloque no nosso jornal esta notícia que saiu hoje na imprensa.

É sobre a entrevista do meu candidato a presidente no programa Roda Viva:

Nesta segunda-feira, 30, o “Roda Viva” recebeu o presidenciável Jair Bolsonaro e rendeu à TV Cultura 2,4 pontos de audiência em São Paulo, segundo dados prévios do Ibope. Com o índice, a emissora venceu a RedeTV! e a Band na faixa das 22h15m às 23h45m. Essa é a segunda maior audiência do programa em 2018, perdendo apenas para a entrevista com o juiz Sergio Moro. Até o momento, o vídeo completo da atração no YouTube foi visualizado por mais de 280 mil pessoas.

Ele simplesmente arrasou!!!!!!!

Se possível, coloque também o vídeo que está em anexo.

Agradeço muito, muito, muito!

(Clique aqui para assistir ao vídeo completo)

R. Pronto, cara leitora: seu pedido foi atendido.

Eleitores dos demais candidatos podem usar e abusar desta gazeta escrota pra fazer suas campanhas.

Vale até mesmo campanha pra presidiário.

Publicamos tudo, tudinho.

Disponham.

31 julho 2018 CHARGES

SPONHOLZ

31 julho 2018 DEU NO JORNAL

INGRATIDÃO

Renan Calheiros e o filho, governador de Alagoas, foram recebidos sob vaias e chamados de “golpistas” pela militância petista na convenção do partido realizada ontem no estado.

As vaias e gritos aconteceram quando Renan pai e Renan filho subiram ao palco.

Para abafar os militantes que chamavam os emedebistas de golpistas, petistas gritavam “Lula livre” no microfone em cima do palco.

O “amor” do senador pelo PT, como se vê, nem sempre é correspondido.

* * *

Quanta ingratidão da militância petêlha alagoana.

Isto é falta de caridade.

Renan é um parceiro fiel de Lula e ambos tem o mesmo nível moral, político e ético.

Lula e Renan formam uma dupla que é um retrato cagado e cuspido da República Federativa de Banânia.

Os petêlhos alagoanos cometeram uma tremenda duma injustiça com Renan.

31 julho 2018 CHARGES

NANI

A FLECHA

Crédito: DreamTime

Dário acordou inquieto, naquele sábado, sentindo uma espécie de angústia, que lhe apertava o peito. Levantou-se da cama silenciosamente, para não acordar Marta, a esposa, e foi até a cozinha, onde tomou um copo de leite gelado com dois biscoitos de água e sal, a título de café da manhã.

Depois de verificar algumas mensagens no celular, tentou adiantar o trabalho da semana, no computador de casa, mas sem sucesso. Precisava fazer alguns cálculos complexos, para o projeto da construção de um prédio, mas lhe faltava concentração para realizar o serviço.

O raciocínio não fluía, o pensamento era disperso. Lembrava de cenas da sua adolescência, da casa onde morava com seus pais, durante a infância, de um gato que lá havia… Pensamentos em profusão que o afastavam daquilo que pretendia fazer.

Sem nada produzir de relevante, desistiu de continuar com o trabalho; já perto do meio-dia, foi almoçar, deixando o computador ligado e alguns papéis sobre a mesa. Talvez retomasse à tarde.

Mal falou com Marta, durante o almoço. Ela não estranhou, porque imaginou que ele estava apenas preocupado com o trabalho. Apesar de serem casados há apenas dois anos, já se acostumara a vê-lo assim, quando estava pressionado pelo prazo de entrega de um projeto.

Eram quase três da tarde quando ele se acomodou em uma poltrona, na varanda de sua casa, diante do amplo jardim, aproveitando a companhia daquele que considerava ser seu melhor amigo.

Parecia que, a partir daí, encontraria alguma paz interior, mas isso não aconteceu. Permanecia incomodado pela agitação que o afligia, desde as primeiras horas da manhã. Desta feita, passaram a povoar sua mente imagens de situações desconhecidas, mas tão nítidas que não pareciam pensamentos e, sim, registros de sua memória. Lembranças.

Atormentado com aquilo, Dário olhou para o amigo, e falou. Primeiro lentamente, como se se esforçasse para encontrar as palavras; depois, rapidamente, como se não precisasse pensar no que dizia:

“Houve um tempo em que avançávamos juntos no campo de batalha. Lado a lado, ombro a ombro. O meu escudo era o teu escudo, como o teu era também o meu. E o inimigo que surgisse pela frente seria destroçado pela ponta de nossas lanças, como se essas fossem as presas de um animal feroz.

Éramos um bloco, um todo, uma unidade.

Crédito: Pinterest.com

Mas, sabíamos que, se um de nós caísse ferido, era dever do outro seguir em frente, sem olhar para trás. Até o fim da batalha. Ou, até, também cair. Porque, assim como nós, a vida e a morte andavam lado a lado.

Lembro-me de que, certa vez, num desses dias de luta, algo me atingiu na cabeça. Caí atordoado. Meu capacete, amassado, rolava pelo chão. E tu, ao invés de continuares combatendo, vieste me ajudar.

Meu coração encheu-se de gratidão, porque, graças a ti, pude levantar e continuar vivo. Mas, te repreendi pelo gesto em meu favor. Com ele, puseste todo o pelotão em risco. Abriste uma brecha em nossa defesa, que poderia ter sido explorada pelo inimigo.

– Nunca mais faças isso! – disse eu, enquanto me erguia, amparado por ti. – E nem esperes que eu faça o mesmo por ti!

Foi nesse exato momento que uma flecha atingiu o teu peito.

E eu, fiel às minhas palavras, determinado no cumprimento do meu dever, simplesmente, continuei lutando, enquanto agonizavas no chão, em meio ao sangue e à lama.

Vencemos aquela batalha. Fui condecorado por bravura. Nunca tive dúvida de que fiz o que deveria ter feito. Ou, pelo menos, o que acreditava ser a atitude correta.

Mas, a lembrança de não te ter apoiado, nos teus últimos momentos, sempre me doeu na alma.

E dói, até hoje. Mesmo muitos séculos depois.”

Emocionou-se ao dizer essas palavras. Mas o amigo nada respondeu, pois era apenas um bebê, que havia adormecido, enquanto ouvia seu pai contar histórias de outros tempos, de outras vidas.

31 julho 2018 CHARGES

BRUNO AZIZ

ARMANDO BUFARAT – JUNDIAÍ-SP

Grande Berto,

Não tem novidade nenhuma Caetano Veloso, Chico Buarque e Gilberto Gil fazendo show pro Lula.

Este negócio de artista fazer show pra bandidos encarcerados é antiga.

Rita Cadilac também fazia apresentações pra presidiários desde a época do Carandiru

R. É mesmo, caro leitor.

Você tá certíssimo.

Artistas fazendo espetáculos em homenagem a bandidos presidiários não é novidade alguma.

Quem quiser ler uma matéria sobre este assunto, é só clicar na imagem abaixo.

A dançarina e ex-chacrete Rita Cadillac é assediada por presos durante.festa de fim de ano dos detentos e seus familiares, na Casa de Detenção de São Paulo, no Carandiru, em dezembro de 1999

31 julho 2018 CHARGES

DUKE

31 julho 2018 EVENTOS

PARA OS FUBÂNICOS DE RECIFE – TRATAMENTO DA OBESIDADE

Hospital Santa Joana Recife realiza evento sobre tratamento da obesidade

Ação terá entrada gratuita e contará com médicos de diversas especialidades

“A ação vai funcionar como uma reunião entre profissionais de saúde e pacientes que buscam tratamento para a obesidade. Ou para quem já está em tratamento e quer conhecer a experiência de outras pessoas que já passaram por situações parecidas”, esclarece Josemberg Campos, cirurgião bariátrico do Hospital Santa Joana Recife e organizador do evento. “A obesidade está associada a várias doenças. Então, por essa razão, vamos contar também com a presença de cardiologista, nutricionista, nutrólogo e cirurgião bariátrico.”

A manutenção da dieta, a importância da atividade física, a função do endocrinologista no pós-operatório e o acompanhamento médico regular depois da realização da cirurgia bariátrica estão entre os temas que serão abordados. Para criar um ambiente inclusivo de discussão, também foram convidados profissionais da saúde que passam por tratamento devido à obesidade ou sobrepeso. “A ideia é estabelecer uma proximidade maior entre médicos e pacientes, através de apoio e experiências em comum”, ressalta Josemberg.

Ação terá entrada gratuita e contará com médicos de diversas especialidades.

Serviço – Vida Saudável Após a Perda de Peso

Data: 31/7, terça-feira
Horário: das 18h30 às 22h
Local: Hospital Santa Joana Recife – Auditório Monsenhor Vieira (Rua Joaquim Nabuco, nº 200 – Graças)

31 julho 2018 CHARGES

VERONEZI

31 julho 2018 AUGUSTO NUNES

GENTE QUE MENTE

Haddad informa que o sonho de todo brasileiro é ser governado por um presidiário

“A palavra de ordem ‘Lula Livre’ tira o sono dos nossos adversários. Quem pensa no Lula às vezes pensa no filho na universidade, o outro pensa na energia elétrica na casa dele, um outro pensa nas águas do São Francisco”.

Fernando Haddad, ex-prefeito de São Paulo, garantindo que nenhum brasileiro, quando pensa em Lula, pensa em corrupção, ladroagem, triplex na praia, sítio e empreiteiro, fora o resto.

31 julho 2018 CHARGES

LUSCAR

POR ONDE ANDAM?

Por onde anda Flora Purim?

Para nós, que acompanhamos Flora Purim desde os anos 1970, ela é musa, música e beleza.

Flora nasceu no Rio, em 06 de março de 1942. Desde miúda, convivia com a música, já que seu pai tocava violino e sua mãe era uma pianista amadora.

Ainda jovem, gostava de cantar, tocar piano e violão. Suas influências foram Billie Holiday, Dinah Washington, Ella Fitzgerald e Sarah Vaughan.

Open your eyes you can flay (Neville Porter/ Chick Corea) – 1976

Em 1967, Flora Purim mudou-se para os Estados Unidos, para estudar música na Califórnia. Cinco anos mais tarde, casou-se com o percussionista Aírto Moreira.

Trabalhou ao lado de artistas como Stan Getz e Gil Evans e integrou o conjunto “Return to Forever”, que excursionou com êxito pelos Estados Unidos, no início dos anos 70.

Em 1973, partiu para carreira-solo com o disco “Butterfly Dreams”, seguido por outros pela gravadora Milestone. Entre seus discos, destacam-se “Light a Feather” e “Return do Forever”.

Em 1973, foi presa nos Estados Unidos sob a acusação de posse de drogas e, depois de recorrer da sentença, acabou detida em 1974, passando 18 meses na prisão e 12 anos em liberdade condicional, sem poder deixar o país.

Esquinas, de Djavan – 1986

O caso de Flora Purim suscitou protestos na classe artística, que a elegeu, por meio de um grupo de críticos, a melhor cantora de jazz dos EUA – de 1974 a 1977, em parte como instrumento de pressão para sua libertação, mas principalmente por seu talento.

Nos anos 70, Flora Purim gravou ainda com Carlos Santana, Hermeto Pachoal, Chick Corea e muitos outros, encantados com sua extensão vocal e capacidade de improvisação.

Nada será como antes 

Nos anos 1980, gravou poucos discos solo (a maioria com Aírto Moreira) e, em 1994, lançou “Speed of Light”.

Em 2002, Flora Purim recebeu, juntamente com Aírto, a “Ordem do Rio Branco”, das mãos de Fernando Henrique Cardoso.

Hoje, uma senhora de 76 anos, Flora divide seu tempo entre Curitiba-PR, onde mora, e apresentações pelo mundo.

31 julho 2018 CHARGES

SPONHOLZ

31 julho 2018 A PALAVRA DO EDITOR

EU VOU VOTAR EM BOULOS E NA SUA VICE

Dilma Roussef, que foi eleita (e reeleita!!!!!!) com o voto do fubânico Ceguinho Teimoso, disse esta verdade espantosa em cima de um palanque:

Os zíndios morriam por falta de assistência técnica!

O futuro presidente do Brasil, o pacífico, sensato e cordato candidato Guilherme Boulos, tem uma índia como vice de sua chapa.

De modo que, em breve futuro, os zíndios não mais irão morrer por falta de assistência técnica.

Não faltarão oficinas nas florestas pra consertar os nossos zíndios, que vivem entupindo o carburador, arranhando o câmbio, fundindo o motor ou empenando a jante.

Ainda bem que apareceu Boulos com sua índia para não vão deixar faltar assistência técnica para os povos das florestas!

Vou votar nos dois.

As zisquerdas são a salvação de lavoura.

Da lavoura, da economia, da moral, da ética, da retórica e dos zíndios.

31 julho 2018 CHARGES

NICOLIELO

TROCANDO IDEIAS COM O MESTRE

Prezado e admirado Prof. Adônis, permita-me mais uma vez pegar carona num comentário seu, discordar em alguns aspectos e dar meu ponto de vista sobre outros.

É uma honra poder dividir, novamente, com o Mestre, esse espaço cedido por Berto nesta respeitável gazeta.

Resposta do Prof. Adônis no texto “Cavaleiro Solitário” publicado no JBF em 29/Jul/2018

“Certamente que os militares cometeram erros. Quem não os comete? O principal foi não ter exterminado a turma hoje no PT (Zé Dirceu et caterva)” Professor, tenho certeza que estamos falando do extermínio político, não físico, desses marginais que nunca pensaram no Brasil. Sempre quiseram o poder a qualquer preço, colocando o povão como escudo e ponte para seus objetivos nada patrióticos. Não podemos defender qualquer ditadura e suas práticas desumanas. Não podemos defender a “nossa” ditadura contra a deles, como fizeram esses comunistas fantasiados de democratas. Os vampiros não morrem com facilidade, mas precisamos cravar a estaca no coração desses chupa-sangue da nação. Veja o caso do líder corrupto: condenado, preso e continua tentando sobreviver como parasita.
“As grandes diferenças são:

1- Eram eminentemente honestos” Os militares que estiveram no governo eram seres humanos e tinham suas falhas também. Acredito que os generais eram moralmente mais firmes, porém cederam espaço para os políticos que souberam mamar nas tetas da viúva. Temos inúmeros casos de acusações não suficientemente investigadas, obviamente por não termos naquela época uma imprensa livre, nem órgãos fiscalizadores a serviço da Nação, mas atuando em favor da Ditadura. Ficaram impunes, ou melhor, sem serem suficientemente investigados casos como Andreza, Shigeaki Ueki, Coroa Brastel, por exemplo. Vivíamos sob uma ditadura, investigar e tornar público esses e outros casos, não era coisa simples. Obras públicas gigantescas, sob comando dos generais, ou de qualquer outro governo sempre serão oportunidades para os corruPTos. Não existe vacina para essa deformação humana. As mesmas empreiteiras que foram pegas nos recentes escândalos Petrolão, Eletrolão e Quadrilhão, prestam serviço desde os velhos tempos dos militares. Será que só agora mudaram seus métodos?

2- “Tinham um profundo patriotismo e amor ao Brasil e ao seu povo” Patriotismo e nacionalismo são duas definições que confundem o cidadão. Ser patriota é querer o melhor para nosso país, é defender a soberania, respeitar seus símbolos, cultura e principalmente cumprir as leis. Já o conceito de nacionalismo é diferente, é desagregador, muitas vezes é desconexo do desenvolvimento. O caso da privatização do sistema de telecomunicações no Brasil é o exemplo mais visível do paradoxo entre patriotismo e nacionalismo. Os patriotas reconhecem que a privatização viabilizou nosso desenvolvimento, os nacionalistas continuam criticando a decisão apenas por ódio. O petróleo é nosso, a dívida da Petrobrás também. Atribuem a Charles de Gaulle a seguinte definição: “Patriotismo é quando o amor por seu próprio povo vem primeiro; nacionalismo, quando o ódio pelos demais povos vem primeiro”

3- “Tinham um projeto de desenvolvimento para o país, com objetivos bem claros e vontade de realizá-los. (Siderurgia, petroquímica, aviação, telecomunicações, agricultura, etc)” Na minha visão simples de um cidadão que admira o pensamento liberal, eu acho que nesse aspecto cometeram (conceitualmente) o mesmo erro dos petistas. Para ser justo, os petistas repetiram de forma mais imprudente e irresponsável o mesmo erro de 50 anos atrás. O engano dos Generais e seus pensadores, foi agredir o mercado. Os tecnocratas decidiam em seus gabinetes qual seria a vocação desse país, ao invés de apenas criar condições para a sociedade trabalhar e competir. Lembro muito bem e ainda tenho registros do inigualável Roberto Campos alertar para o erro dos generais em investir, por exemplo, na Petrossauro e outras estatais, enquanto os Tigres Asiáticos investiam pesado no capital humano (educação). Hoje conhecemos o resultado.

4- “Aplicavam adequadamente o dinheiro público em obras que estão aí até hoje: Itaipu, ponte Rio-Niterói, etc” Umas obras estão aí funcionando, outras nunca funcionaram e deixaram um passivo monstruoso. Ferrovia do Aço, Transamazônica, inúmeras siderúrgicas quebradas, complexos petroquímicos antieconômicos e usinas nucleares contratadas sem funcionar. Não podemos esquecer dos subsídios para industriais privados que assim como ocorreu recentemente com Joesley e Eike Batista, havia ocorrido, na época dos generais, com Villares, Bardella e outros.

Meu Professor, o caminho, na minha opinião, não é uma ditadura do bem. É aprofundar a democracia, privatizar, diminuir o orçamento público, reduzir a burocracia, EDUCAR, dar segurança para empreender, ser patriota sem nacionalismos.

O voto consciente é do Amoedo, o voto alternativo poderá ser em Bolsonaro.

Meu abraço fraterno.


© 2007 - 2018 Jornal da Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa