19 julho 2018 CHARGES

DUKE

NOTAS

O europeu morre de amores pelo Ceará, especialmente Fortaleza, a capital do estado. As razões da paixão, são várias, o clima tropical, as atraentes praias, com águas claras e mornas, a autêntica gastronomia e os fantásticos cenários, enfeitados por dunas, coqueirais, lagoas, fontes naturais e falésias que se espalham pelos 500 quilômetros do litoral.

Na temporada de verão que se aproxima, os cearenses estão preparados para receber, por via aérea ou marítima, mais de 75 mil turistas que vivenciaram inesquecíveis momentos no verão passado e passaram as boas impressões para os portugueses, alemães, suíços, franceses e italianos. Até os argentinos, incentivados pelos papos dos turistas estrangeiros, também querem sentir na pele as sensações de paz e diversão na contemplação da natureza cearense. Quase original.

Os roteiros estão devidamente preparados. Na praia de Cumbuco, distante 20 km de Fortaleza, a beleza é natural. Em Jericoacoara, eleita a praia mais bonita do estado, o visitante se comove com a imponência. Em Morro Branco, no município de Beberibe, o encanto está nas areias coloridas e nas fontes de água doce. Em Aracati, além das falésias, a sedução se estende pelos passeios de buggy e de jangadas, completadas pelas caminhadas ecológicas. Até o Beach Park, localizado na praia de Aquiraz, reabriu, após o acidente com o radialista.


O brasileiro anda resgatando as antigas e saudáveis manias dos avós. Munidos de enxadas, sementes, adubos e, principalmente, paciência, as famílias se dedicam a valorizar as hortas urbanas, em especial, as caseiras. Plantam hortaliças, ervas medicinais, plantas ornamentais e, se possível alguns tipos de frutas. A intenção, é aproveitar o tempo livre e os espaços ociosos para driblar as crises, manter a família junta, firmar a socialização na comunidade, proteger o bolso contra a carestia da feira livre e dos supermercados, favorecer a saúde com alimentação saldável, livre de agrotóxicos, comumente usados no campo.

Quem viveu no passado, conhece as qualidades da horta caseira, mantida pelos avós, para ajudar na economia familiar, oferecer comida de alta qualidade, cozinhada na trempe. Espécie de fogão de lenha, construído de uma chapa de ferro com buracos arredondados para sustentar as panelas.

Existem situações em algumas cidades do interior, onde a população, com a devida permissão, claro, aproveita até os espaços públicos desocupados para iniciar a exploração das hortas. O intuito é impactar áreas verdes no entorno da casa para melhorar o estresse, ter hortaliças orgânicas e novinhas, colhidas na hora de preparar a comida. A agricultura, embora explorada de forma amadora no país, exerce uma tendência econômica sustentável. Gera trabalho, mais contamina o ambiente com agrotóxicos que, embora classificados como defensivos contra pragas, são responsáveis pela morte de 200 mil mortes anuais no mundo.

*
Já que o cidadão não tem vez e voz no cenário nacional, por ser considerado um zé ninguém na sociedade, a ministra Cármem Lúcia, do Supremo Tribunal Federal falou pelo povo. Com autoridade, mas, sem arrogância, determinação e elegância no falar, sem elevar o tom, a presidente do STF deu o recado que a sociedade, faz tempo queria mandar para os homens de toga que às vezes gostam de ultrapassar os limites judiciais.

Na opinião da ministra Lúcia, que se mostrou irritada com as decisões conflitantes dos últimos dias no Judiciário, relacionadas ao solta, não solta Lula, o juiz tem de agir com isenção, seriedade, distante das disputas político-partidárias, não demonstrar preferência por ideologias, tendo de seguir apenas na segurança jurídica que é indispensável para manter a sociedade quieta e tranquila nas suas aspirações.

Para não causar insegurança jurídica, que é injusta, Cármem Lúcia foi direto ao ponto. Disse “ser obrigatório ao juiz agir com impessoalidade, imparcialidade e equilíbrio nas decisões para solucionar conflitos e divergências judiciais, sem, no entanto, agredir as partes”. Defensora intransigente do respeito à hierarquia do Judiciário, a ministra Cármem enfatizou: “ o cidadão jamais pode se sentir desprotegido, senão o Poder Judiciário fica deslegitimado, pondo em dúvida o valor do direito”. Dando a entender que o julgamento fica desvinculado da Lei e da Constituição. Para o bom entendedor, meias palavras, bastam. Não?

*

Não tem jeito. Nem que a vaca tussa, os deputados só estão preocupados com a reeleição. Não se mostram interessados no tamanho do rombo nos cofres públicos e o descontrole das contas do governo que estouram. Nos debates para a aprovação da lei do LDO-Lei de Diretrizes Orçamentárias para 2019, os parlamentares aprovaram uma série de medidas que vão arrebentar a boca do balão. Vão aumentar os gastos, diminuir receitas com a distribuição de benefícios em setores especiais que importarão em mais de R$ 100 bilhões nos próximos anos. Mas, eles não estão nem aí.

Enquanto o governo corta a possibilidade de reajustes aos servidores, elimina a criação de cargos na gestão pública o pau quebra no parlamento. Embora os parlamentares tenham aprovado a redução de renúncias fiscais, obrigam o governo a fechar a porteira dos incentivos fiscais por 10 anos para promover o PIB.

Como entrou de recesso até as eleições de outubro, o Congresso vai funcionar apenas no estado de esforço concentrado, restringindo as matérias urgentes para ficar livres a fim de aprimorar as campanhas. O povo quer renovar o quadro do Congresso, colocar cara nova no Parlamento, todavia, viciados nas regalias da vida pública, deputados e senadores vão lutar com unhas e dentes para continuar no poder. O negócio é tão bom que alguns velhos deputados indicam herdeiros para pegar um mandato e permanecer na mamata. O troço é tão absurdo que alguns investigados do Lava Jato fazem tudo para não perder a reeleição. Pelo menos, segundo as regras atuais, tudo foi montado para garantir a permanência dos tradicionais deputados no mandato para mais uma legislatura. Decepcionando o cidadão com interesses próprios.

*

A Lei da Transparência parece mais uma norma criada para tapear o povo. Esconder da sociedade as reais receitas obtidas e as despesas efetuadas no ano por qualquer entidade pública. Contudo, embora obrigatória a publicação no Portal da Transparência, tem prefeitura que desobedece a regra. Segue a cultura do segredo que todo gestor público conhece de cor e salteado. A maioria prefere correr o risco de ter os repasses federais bloqueados, a revelar a situação das contas públicas geralmente maquiadas. Afinal, a astúcia, faz parte do jogo político.

Ora, se as instituições descumprem as ordens, imagine os parlamentares. Esses, então, fazem mil peripécias para omitir os gastos com o dinheiro público. Todo parlamentar tem direito a receber mensalmente a Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar, a CEAP, antiga verba indenizatória. Na CEAP, estão incluídas as despesas com passagens aéreas, telefonia, serviços postais, gastos com gabinete, assinaturas de jornais, alimentação, hospedagem, locomoção, fretamento de aeronaves, veículos e embarcações, táxis, pedágios, estacionamentos, combustíveis, segurança, consultorias, divulgação do mandato e auxílio-moradia. Além do salário, ultrajante ao salário mínimo.

Mas, para defender o seu, o parlamentar adora fazer farra com o dinheiro público. Esbanja, engana, usa de desonestidade. Com apenas uma nota fiscal, o parlamentar usa a cota mensal de combustíveis. Tem deputado que, preocupado com a imagem, torra o dinheiro do cidadão na divulgação do mandato, aluga jatinhos a pretexto de usar em atividade parlamentar, mentindo, se hospeda em flats de luxo, esnoba na excessiva “contratação” de assessores com supersalários. Tem senador que, impudente, pede até reembolso da segurança privada. Mas, desconhece que faltam hospitais, boas escolas e regular transporte público nos municípios. Ignora, sobretudo, dois fatos importantes. A renda é distribuída de forma desigual e mais de 13 milhões de pessoas estão desempregadas no Brasil.

19 julho 2018 CHARGES

LUSCAR

TERRORISTA URBANO

Comentário sobre a postagem TIROU O PIJAMA PARA FANTASIAR-SE DE DEMOCRATA

Alvaro:

“A esquerdopatia em estágio terminal de Genro comeu seus neurônios assim como a cachaça derreteu o cérebro de Lula.

Apoiar para a Presidência da República um terrorista urbano, cínico, mentiroso, um irresponsável que nunca trabalhou na vida e vive de fomentar invasões criminosas (sabe-se que a quadrilha que ele chefia cobra aluguel dos prédios que invade) é de uma indignidade repugnante.”

* * *

19 julho 2018 CHARGES

RICARDO MANHÃES

CAMINHÃO DE MUDANÇA

19 julho 2018 CHARGES

SINOVALDO

DANIEL SANTUCCI – CAMPINAS-SP

Caro Editor,

Um contribuição para a nossa gazeta.

São frases de várias personalidades.

Todas elas já morreram.

Mas deixaram frases que são verdadeiras profecias.

19 julho 2018 CHARGES

NICOLIELO

19 julho 2018 CHARGES

SPONHOLZ

O FÍGADO É PÉSSIMO CONSELHEIRO

Foi uma bonita história de amor. Claro, houve momentos ruins – momentos de tensão, tédio, agressões verbais e de tudo mais que, cedo ou tarde, passam a fazer parte de qualquer relacionamento longevo. Lua de mel não dura para sempre. Quem diz o contrário mente. Ou nunca conviveu com um (a) companheiro (a) por muito tempo. O desgaste é inevitável.

Após duas décadas de relacionamento, Joana estava para lá de farta dos defeitos e vícios de Alceu, que, a bem da verdade, não eram poucos. Alceu, por sua vez, já não tolerava mais as manias de Joana (vícios ela nunca teve) nem aquela sua presunção de estar sempre com razão, independentemente do tema em discussão. As rusgas viraram bola de neve. Tudo era motivo para alterações.

Um dia, após meia dúzia de discussões pesadas, Joana recolheu suas coisas, fez as malas e se mandou para a casa de um dos filhos. Deixou Alceu a ver restos de navios – navios que ela queimara para não cair na tentação de voltar atrás. Sim, porque antes de picar a mula, movida sabe-se lá por quais sentimentos, Joana fez questão de espalhar para a família, amigos e vizinhos os vícios e defeitos de Alceu. Ora, quem conta um conto sabe-se… Os vícios e defeitos de Alceu, que já não eram parcos, tornaram-se enormes.

Alceu não deixou por menos. Queimou todas as pontes que estavam ao seu alcance. Falou mal de Joana para fulano, beltrano, sicrano e para todos os que se dispusessem a ouvi-lo. Segundo ele, era a única forma de se defender das calúnias, difamações e da ira da ex-mulher.

Ambos, no fundo, sabiam que haviam exagerado nas críticas, que tinham raciocinado com o fígado. Afinal, se os dois fossem tão ruins assim, o casamento não teria durado tanto. Lesos eles não eram. Como negar que, ao longo do tempo, desfrutaram de muitos e bons momentos? Familiares, amigos e vizinhos poderiam atestar isso –, muito embora os vizinhos, amigos e familiares prefiram, ainda que inconscientemente, reter na memória e na língua os piores momentos da vida alheia.

Com o passar do tempo, Joana e Alceu, cada qual no seu canto, passaram a se corresponder diariamente, via WhatsApp. Falavam de amenidades, dos filhos, dos netos, do cachorrinho traquinas que uma das noras tratava como se fosse criança de colo. Às vezes, Joana e Alceu ensaiavam falar do que, de fato, importava. Não iam além de insinuações. O fato é que Joana ainda gosta de Alceu. A recíproca é verdadeira. Mas como voltar, se cada um a seu modo – ela queimando navios, ele destruindo pontes – fez estrago medonho na imagem do outro? O que dirão os familiares, amigos e vizinhos? No mínimo, que os dois não têm vergonha na cara. Joana e Alceu seguem infelizes. Cada qual no seu quadrado. Mas com vergonha na cara.

19 julho 2018 CHARGES

NICOLIELO

ENTRE OS PAÍSES MAIS DESENVOLVIDOS DO MUNDO ! ! !

Comentário sobre a postagem PRISÃO 5 ESTRELAS

Ceguinho Teimoso:

“Para manter Lula prisioneiro estamos pagando muito mais do que dez mil reais por dia.

Estamos pagando com indignidade e injustiça.

Estamos pagando com golpe e perseguição.

Estamos pagando com desonra e com o prejuízo que o afastamento de Lula causará ao Brasil, por deixar de ter um presidente capaz de colocá-lo novamente entre os países mais desenvolvidos do mundo, livre da miséria e com baixos índices de mortalidade infantil.”

* * *

19 julho 2018 CHARGES

THIAGO LUCAS

ALTAMIR PINHEIRO – GARANHUNS-PE

Prezado Luiz Berto,

Nesta quinta-feira, na cidade de Garanhuns-PE, começa o maior festival de artes do Brasil, como também o maior Festival Multicultural da América Latina.

A programação do 28º Festival de Inverno de Garanhuns será um Viva à Liberdade, donde, reúne mais de 500 atrações, em 21 polos de todas as linguagens artísticas, durante dez dias.

No Agreste Meridional de Pernambuco, o frio de Garanhuns, como é de praxe, se junta ao melhor da música brasileira no tradicional Festival de Inverno de Garanhuns (FIG).

Para este ano, a realização da 28ª edição do FIG está marcada para o período de 19 a 28 de julho.

O festival é dedicado a várias linguagens culturais e, além da música, abrange as artes visuais, design, moda e fotografia, cinema, literatura, artesanato e circo.

Atenciosamente,

19 julho 2018 CHARGES

BRUNO AZIZ

MULHER, DIFUSÃO E CORDEL

Antigamente a mulher
Apenas lia cordel.
Depois passou a ser musa
Nos versos do menestrel.
Querendo contar história
Tirou versos da memória,
E passou para o papel.

Fim de tarde na calçada
Nos mais diversos rincões,
As tias, avós e mães,
Difundiam tradições .
Naquele entretenimento,
Passavam conhecimento,
Para as novas gerações.

E foi assim que aprendi
A gostar de versejar
Minha mãe é poetisa
Tia Isa, de contar
As histórias de princesa
Eu achava uma beleza
Hoje vivo a recontar.

Ser musa era muito pouco
A mulher queria mais.
Contar apenas histórias
Feria seus ideais.
Queria escrever também,
Poderia ir além,
Em tudo via sinais.

Disposta pegou a pena,
Sem ter pena de escrever,
Resgatou lá da gaveta,
O que chegou a esconder.
No presente está escrito,
Que a mulher deu o seu grito
E o que faz é com prazer.

19 julho 2018 CHARGES

NANI

19 julho 2018 DEU NO JORNAL

OFENSA GRAVÍSSIMA

O presidente do MDB, Romero Jucá, acusa Renan Calheiros de tentar transformar o partido num “satélite do PT”.

— O Renan quer ser assecla do PT. O maior partido do Brasil não pode sentar no colo do PT — disse Jucá.

* * *

Jucá atacar Renan é uma briga entre dois tolôtes do mesmo pinico.

Esta acusação que o rato Jucá atirou no guabiru Renan, ofendeu profundamente o já sujíssimo corrupto alagoano.

Alguém afirmar que uma pessoa “quer ser assecla do PT“, é jogar esta pessoa no mais fundo que possa existir no esgoto da bandidagem.

Jucá ofendeu Renan de modo irreperável, bem no meio o olho do furico ladroatífero.

“Jucá, tu feriu profundamente a minha honra. Eu sou mesmo assecla do PT e de Lula, mas não precisava tornar isto público. Tu me lascasse, seu cabra safado.”

19 julho 2018 CHARGES

GENILDO

CEBOLA CRUA COM SAL E BROA

Trata-se da merenda servida, todos os dias, na Quinta do Carvalhal. Cenário bucólico onde o maior romancista português de hoje, Miguel Souza Tavares (de Equador), passava os verões de sua infância. Não costumo recomendar livros. “Cada qual para o que nasce/ Cada qual com sua classe/ Seus estilos de agradar” – ensinava o embolador Rouxinol, de Gravatá. Mas essa autobiografia precoce é diferente. Para melhor. Muito melhor. Por conta da qualidade do texto. Porque permite compreender as transformações de Portugal, depois do 25 de Abril. E, sobretudo, pelas comparações com nosso fraturado Brasil. Como amostra, seguem umas poucas lições:

Vida: “O ser humano foi feito para resistir e se adaptar”. “A vida é breve e eu era novo demais”. “Era novo e não se é novo duas vezes”.

Liberdade: “Se me perguntarem qual o valor mais importante, o bem mais precioso, que eu aprendi a respeitar ao longo da minha vida, no meu trabalho, com as pessoas que conheci, não tenho a mais pequena hesitação em responder: a liberdade”. “A liberdade foi, de facto, a minha grande escola de vida. Aprendi seu valor e o valor da desobediência cívica contra o arbítrio e o abuso”.

Política: “Para mim, foi sempre uma coisa complicada de gerir as fronteiras entre as relações pessoais e profissionais com os políticos”. “Não sei se o país tem emenda. A minha aposta é que, assim, não tem: nem emenda nem futuro”. Com sua opinião sobre nossas elites, lembrando Felipe Gonzales que disse: “Vítor (Constâncio), és demasiado inteligente para político!”.

Reforma Agrária: “A miséria no campo era absoluta, visível, feia como uma noite de tempestade, dia a dia sofrida e impossível de ser escondida”. Com críticas. “A chamada Reforma Agrária, em nome da produção e da terra a quem a trabalha, tratou de ocupar (em Portugal), primeiro que tudo, não as terras abandonadas ou maltratadas, mas, as que estavam bem aproveitadas, que tinham máquinas e investimentos, que tinham gado ou cortiça a colher. E, uma vez aproveitadas as riquezas e não havendo quem nelas quisesse investir ou semear, passava-se a outras. E assim, sucessivamente, até não haver mais herdades a produzir e a produção cair a pique”. “Não é por acaso que o Estado ficou falido e que todos ficamos falidos por arrasto”.

Brasil: “Um ciclo da desilusão com os vários escândalos a que o mesmo sistema político, por assim dizer, convidou o PT de Lula da Silva a também ele sujar as mãos na lama. Compreendi que mais uma esperança tinha morrido para o Brasil”. “D. Helder Câmara, arcebispo de Olinda, foi talvez o homem que conheci mais próximo de um possível Deus”.

Os pais: Miguel era filho do advogado Francisco Sousa Tavares e de uma deusa da poesia, Sophia de Mello Breyner Andresen. O livro é todo perpassado por lembranças que o autor tem dos dois. “Nunca minha mãe deixou de ser uma memória constante e uma saudade diária – como hoje ainda é”. “Tinha um dom que sempre me esforcei por conseguir aprender com ela, o de saber estar sozinha”. E traz uma informação preciosa. A de que o poema Porque foi escrito, por sua mãe, em homenagem ao pai – na sua permanente luta contra a ditadura de Salazar. Até conta como eram os encontros entre os dois, com o pai preso na PIDE: “Eles espalmavam as mãos contra o vidro grosso, cada um do seu lado, tentando absurdamente sentir os dedos um do outro”.

Porque: E já que falamos nos versos antológicos de Sophia, aqui seguem:

“Porque os outros se mascaram mas tu não
Porque os outros usam a virtude
Para comprar o que não tem perdão
Porque os outros têm medo mas tu não

Porque os outros são os túmulos caiados
Onde germina calada a podridão.
Porque os outros se calam mas tu não.

Porque os outros se compram e se vendem
E os seus gestos dão sempre dividendo.
Porque os outros são hábeis mas tu não.

Porque os outros vão à sombra dos abrigos
E tu vais de mãos dadas com os perigos.
Porque os outros calculam mas tu não”.

19 julho 2018 CHARGES

LEONARDO

CARLOS GONZAGA

No programa Raul Gil, Carlos Gonzaga canta um pout-pourri de seus grandes sucessos dos anos 50 e 60. Carlos Gonzaga nasceu em Paraisópolis-MG, aos 10 de fevereiro de 1924. Vive em atualmente em Santo André-Sp. Está com 94 anos.

19 julho 2018 CHARGES

JORGE BRAGA


© 2007 - 2018 Jornal da Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa