10 agosto 2018A MINHA REVOLTA!



Te desconjuro Brasil
Ô terra escrota e sem lei
É terra de povo frouxo
Que não defende sua grei
Somos um povo ofendido
Vivendo em mãos de bandido
É isso tudo que eu sei.

Pagamos altos impostos
Mas não temos garantia
Educação não se tem
Vivemos em anarquia
Se vamos buscar saúde
Encontramos ataúde
É balela a moradia.

Criança e mulher morrendo
Pelas mãos de assassinos
As leis não nos favorecem
Por isso batem os sinos
Os filhos matam os pais
Ninguém aguenta mais
Assistir os desatinos.

Aqui no Rio de Janeiro
Jogaram pedra na cruz
Pra você ser atendida
Tem que amar outro Jesus
Foi mancada a esparrela
De votar para Crivella,
É bem pior que eu supus.

Transporte é uma vergonha
Emprego está faltando
O povo esta desarmado
E a bandidagem mandando
Desarmar população
Sem lhe ofertar condição
É a lei, do povo mangando.

Ateiam fogo em ônibus,
Toda hora é tiroteio
Quem não tem corpo fechado
Acho bom sair do meio
Com toda sinceridade
A governabilidade
Pra essa terra não veio.

Onde é que já se viu
A todos vou perguntar
A cambada de políticos
Hoje a se candidatar
Tentando ser presidente
Com passado deprimente
Querendo nos governar.

E quantos “presos políticos”
Temos nessa nação?
Temos Eduardo Cunha,
Sergio Cabral na prisão
Embora o povo não engula
Temos também o Lula
Envergonhando a nação.

Como vamos nomear
Ao falar em candidato,
De rato, de Homofóbico,
De réu, de investigado,
Presidiário ou ladrão,
Que saqueando a nação
Nos deixa esse legado.

Herança de Lula e Dilma
Projeto de presidente
Fosse à chapa já cassada
Pra coisa ser diferente
Sem pulso pra governar
Acabou de afundar
A pátria de Nossa gente.

A polícia é perseguida
Nesse caso, a federal,
Sem crédito infelizmente
O supremo tribunal
A pátria está perdida
E não vejo uma saída
O túnel não tem final…

Não venham me pedir voto
Nem também opinião
Que eu mando ir pro caralho
Sem ter vergonha da ação
Pois chega de putaria
Se o povo se cumplicia
Eu não faço o mesmo não!

3 Comentários

  1. “É terra de povo frouxo
    Que não defende sua grei”

    Perfeito, Dalinha. Não suporto mais ouvir aquela ladainha do brasileiro bonzinho, honesto, trabalhador, que sofre nas mãos dos políticos… E esses políticos vieram de onde, de Marte? E quem os colocou lá?

    Quando era jovem, li um belo texto do humorista Bussunda, já falecido, e que infelizmente não pude guardar. Mas guardo em minha memória o título, retumbante em seu carioquês castiço: “Ê povinho bunda!” Ao lado, o desenho de uma mão fazendo o mesmo gesto que você faz na foto deste post.

  2. como disse um colega meu ao entregar asua declaraçao de renda ,de saida definitiva do pais PARA OS BRASILEIROS HONESTOS E TRABALHADORES , NO BRASIL SO EXISTE UMA SAIDA ……. O AEROPORTO…

  3. Dalinha, a dama dos versos coerentes, que faz dela uma mulher arretada. Corajosa e determinada, não tem medo de falar, a seu modo, as verdade que o brasileiro, temendo represálias dos graúdos, prefere calar. Parabéns, Dalinha. A foto, tá maravilhosa. Expressiva.

Deixe o seu comentário!


© 2007 - 2018 Jornal da Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa