11 agosto 2018MEU DESEJO



Uma amiga que acompanhava a estudante Paula de Freitas Silva, de 18 anos, morta ao entregar o celular a um criminoso em Santo André, na Grande São Paulo, disse à polícia que o ladrão atirou na garota porque achou que ela estava “debochando” da cara dele.

A ação ocorreu por volta das 19h de quinta-feira (9).

No depoimento, a jovem que presenciou o assassinato disse que a vítima e mais duas amigas estavam a caminho da escola quando dois homens em uma moto as abordaram, anunciando o assalto e exigindo os celulares.

Os amigos contam que ela não reagiu, mas que, ao entregar o celular, o ladrão afirmou que ela estava com cara de “deboche” e perguntou “está me tirando?”.

O criminoso atirou contra o peito da vítima e não levou os pertences dela, atirando o celular que Paula havia lhe entregue e a bolsa da garota no chão, próximo ao corpo.

* * *

Eu queria ficar apenas uma hora trancado numa cela com este cabra que matou a jovem estudante de 18 anos.

Ele amarrado e eu com um cipó de goiabeira e um cacete nas mãos.

E mais uma dose de veneno pra matar a sede deste pobre excluído depois de alguns carinhos meus.

Garanto que ele ficaria totalmente ressocializado e pronto pra gozar das delícias do reino de Satanás.

Já com os felas-da-puta dos defensores dos direitos dos manos, os babacas zisquerdóides do tipo das marias-do-rosário banânicas, com estes eu queria passar não apenas uma hora, mas uma noite inteira.

2 Comentários

  1. Não diga isso! Se a Maria do Terço ler esse post vai te processar por incentivar a perseguição aos pobres “manos” excluídos pelo sistema.

Deixe o seu comentário!


© 2007 - 2018 Jornal da Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa