O INDULTO DO VAMPIRÃO

CANALHA DA VEZ

Ao longo do tempo a gente tem testemunhado a aparição de grandes canalhas no cenário brasileiro. No STF, Gilmar Mendes e Lewandowski são exemplos vivos, com todo respeito aos demais: Marco Aurélio e Toffoli. No STF-4, tivemos o canalha Rogério Fraveto que em conluio com os canalhas Paulo Pimenta, Paulo Teixeira e Wadih Damous orquestraram aquela peça mal acabada na tentativa de soltar Lula.

Agora o Oscar da canalhice deve ser entregue a Michel Temer, mesmo que tenhamos os coadjuvantes do STF, ele merece. Sua grande obra foi o indulto de Natal de 2017, suspenso pelo Ministro Barroso. Como sabemos, Temer derrubou, legalmente, as grades da prisão para libertar, no mínimo, 22 canalhas presos na Lava Jato, dentre eles o ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha.

Desde a gravação de Joesley Batista que o mundo passou a ter certeza dos desvios comandados por Temer. No diálogo gravado por Joesley, Temer fala abertamente de estar sendo fustigado por Cunha e depois veio o tal de “tem que manter isso aí, viu?” ao que Joesley completa “todo mês”. Para um bom entender meia palavra basta. O silêncio de Cunha estava sendo pago, religiosamente, todo mês.

O debate de ontem no STF recaiu sobre a prerrogativa do presidente conceder indulto. O artigo 84 da CF trata destas prerrogativas e no XII, do citado artigo, diz “conceder indulto e comutar penas, com audiência, se necessário, dos órgãos instituídos em lei”. Do “se necessário” surge o direito de o presidente soltar o bandido que quiser, sem qualquer satisfação, por menor que seja, a sociedade. Temer fez isso. Fez uso do poder para humilhar o trabalho de pessoas sérias lotadas na Polícia Federal, no Ministério Público, nas instâncias julgadoras. O custo que o país teve para constituir estes processos foi, simplesmente, jogado no lixo.

O quanto se gastou com deslocamento de policiais para prender os canalhas, o quanto se gastou com transportes e custódia para audiências, o custo de papel, energia (física e elétrica) é estupendo e agora, basta uma canetada para que tudo isso vire pó.

Temos uma esperança. O presidente eleito disse que “se houver indulto, será o último”. Ótimo. Mas, o melhor é que Temer, a partir de janeiro, vai perder o manto que lhe protege, ou seja, saiu do cargo e vai cair no bloco dos “sem foro privilegiado” e seu encontro marcado com juízes de primeira instância é certeiro. As provas coletadas pela Polícia Federal sobre suas falcatruas são fartas e isso vai leva-lo, fatalmente, para a cadeia. Acho que será um momento de êxtase para esse país. Vamos avisar de agora: TEMER…. NÃO VAI TER INDULTO. SEU PUTO!!!!!

A nota desafinada é a posição do STF. Os caras acabaram de ser agraciados com um aumento de 16% nos seus salários. Temer se sensibilizou com a necessidade premente desse pessoal e concedeu o reajuste. Conheço pessoas que tiveram direito a progressão funcional concedida em fevereiro, com efeitos financeiros no contracheque a partir de fevereiro e atrasados para receber desde janeiro de 2015 e para estas pessoas foi dito, simplesmente, que não tem orçamento. São servidores sérios, dedicados ao que fazem, no atendimento da sociedade, mas não possuem o poder de botar canalhas presos na rua. Então, não são contemplados.

Temer foi salvo pelo Congresso negociando emendas que totalizaram R$ 15 bilhões. Manteve-se no poder apesar da rejeição ter chegado aos 90%. Seu nome vai figurar como um presidente medíocre e só isso. Da presidência para a prisão. Seu esforço de indultar bandidos, não será extensivo a ele. Da mesma forma que o Rio de Janeiro está viu Garotinho, Rosinha, Sérgio Cabral e Luiz Fernando Pezão, abraçados às grades, o Brasil espera ver uma trinca ex-presidentes corruptos na mesma situação. Lula, já foi (na próxima terça tem um habeas corpus para ser julgado); Dilma virou ré e Temer… bem, é questão de dias.

Que não seja Marcela a abrir a porta para a federal, viu Temer? Marcela é bela, recatada e do lar e Temer é feito, corrupto e da cadeia.

CANTADORES E POETAS POPULARES (10)

Uma histórica e magnífica obra da cultura popular nordestina, da autoria de Francisco das Chagas Batista

Respeitada a ortografia da época

Célebre peleja de Manoel Cabeceira com Manoel Caetano

Manoel Caetano

– Deus vos guarde, meus senhores,
Que estou cantando bem ;
Quem é o Manoel Cabeceira,
Dos cavalleiros que vêm ?
Pode ser cantor de fama, –
Mas, p’ra mim não é ninguém .

Manoel Cabeceira

– Negro Manoel Caetano,
Focinho de Papavento,
Tanto eu tenho de vermelho
Como tú tens de cinzento :
Porque entraste em Moreno
Sem o meu consentimento ?

Manoel Caetano

– Não preciso de licença,
Para cantar no Moreno :
Eu para dar em cantor
Occupo qualquer terreno;
Homem que rouba cavallo
Passa a noite no sereno.

Manoel Cabeceira

– Negro, trate com respeito,
Não seja tão atrevido ;
Passo a noite no sereno
Atraz de negro fugido;
Você pode ser captive
E andar aqui escondido.

Manoel Caetano

Senhor Manoel Cabeceira,
Pode inchar o seu «gogó».
Quanto mais estremecer
Mais eu lhe dou de cipó ;
Hoje eu lhe trago apertado
Como rato no quixó.

Manoel Cabeceira

– De onde veio esse negro
Do cabello pixaim ?
Que está parecendo ser
Da familia de Caim ?
Nunca gostei de mulato
Porque é gente ruim !

Clique aqui e leia este artigo completo »

30 novembro 2018 CHARGES

SINOVALDO

30 novembro 2018 JOSIAS DE SOUZA

PALOCCI FECHOU UM SEGUNDO ACORDO DE DELAÇÃO

Palocci deixa o prédio da Justiça Federal, em Curitiba, após instalar uma tornozeleira eletrônica

Além do acordo judicial que lhe rendeu redução da pena e a transferência da cadeia de Curitiba para a prisão domiciliar, Antonio Palocci fechou uma segunda delação premiada com a Polícia Federal. Nela, relatou crimes envolvendo políticos com mandato. Entregou ilícitos praticados no âmbito do sistema financeiro. E destrinchou ações criminosas em fundos de pensão de estatais, atribuindo responsabilidades a Lula e Dilma Rousseff.

A novidade foi revelada na noite desta quinta-feira (29), no Jornal Nacional. Como Palocci mencionou políticos que desfrutam de foro privilegiado, a nova delação teve de ser homologada no Supremo Tribunal Federal pelo ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato. Ele validou os termos do acordo de colaboração de Palocci no final do mês passado.

Preso desde setembro de 2016, Palocci deixou a cadeia nesta quinta. Antes de ganhar o meio-fio, teve de passar no prédio da Justiça Federal, para instalar uma tornozeleira eletrônica.

Ouvidos, Lula e Dilma afirmaram que Palocci mente. O PT sustenta que a mentira foi inventada para que o ex-ministro dos governos Lula e Dilma pudesse deixar a cadeia e “desfrutar” dos milhões que amealhou.

Ora, se enriqueceu ilicitamente foi porque os governos do PT lhe ofereceram as oportunidades.

30 novembro 2018 CHARGES

CLAYTON

30 novembro 2018 DEU NO JORNAL

FUX ESCANCAROU PRESSA DE MINISTROS

* * *
MENDES NÃO MERECE SER MINISTRO

* * *

LULA SERÁ LIBERTADO ANTES DO NATAL?

30 novembro 2018 CHARGES

NANI

30 novembro 2018 DEU NO JORNAL

GOVERNADORES DO RIO DE JANEIRO

* * *

UM ALMIRANTE DE ESQUADRA PARA O MINISTÉRIO DAS MINAS

30 novembro 2018 DEU NO JORNAL

BRASILEIROS VÃO ÀS COMPRAS E IGNORAM LULA

Jorge Oliveira

A descoberta de outros casos de corrupção e lavagem de dinheiro deixa sombrios os dias de Lula. Para quem achava que passaria poucos dias na cela, que renasceria das cinzas como a fênix para um novo voo político como candidato a presidente da república, o tempo passou e só Carolina não viu, como diria Chico Buarque, seu mais ardoroso defensor. Da euforia da pré-campanha, quando se apresentava como candidato, mesmo com a certeza de que a Justiça iria impugnar seu registro, Lula agora se prepara para uma prolongada permanência atrás das grades, agora com o tempo desfavorável a um desfecho feliz.

Já não se vê por aqui os movimentos de “Lula Livre” e a campanha do “Fora Temer”, patrocinada pelos petistas. Parecem clichês do passado que vão se desmilinguido enquanto o país caminha para outro momento político. A brasileirada está mais preocupada em encher os carrinhos de compras nas lojas de departamento no frisson do Black Friday do que sair pelas ruas friorentas da Big Apple acenando a bandeira de PT injustiçado.

No meio dos brasileiros – até entre os petistas radicais – já não se ouve tanto a defesa doentia de Lula. Parece que os protestos foram engolidos pelos novos tempos, depois do último depoimento do ex-presidente à juíza Gabriela Hardt que o enquadrou de forma severa ao perceber a intenção dele em tumultuar o interrogatório quando insinuou que o juiz Sérgio Moro tinha relações próximas com o doleiro Youssef. Se Lula imaginava que iria impor suas bravatas, o que se viu foi um cara abatido e acuado diante da juíza determinada a não deixá-lo fazer proselitismo político.

A sensação que tenho por onde passo – Miami e Nova Iorque – é de que existe um conformismo entre os seguidores de Lula de que ele ficará mais tempo na cadeia do que se imaginava. E que depois da campanha feita no exterior com dinheiro público por embaixadores simpatizantes do PT e cineastas com dinheiro da Ancine, é fria, hoje, a reação dos brasileiros em relação a causa petista.

A imprensa, então, quase não fala de política brasileira. O próprio Bolsonaro já está frio, gelado, no noticiário. Trump, com os seus arroubos, não deixa espaço pra ninguém na mídia. Quem vem ocupando as manchetes por aqui é outro brasileiro, o ex-presidente da Nissan, o Carlos Ghosn, preso no Japão sob acusação de sonegação fiscal.

O executivo é figura presente nas primeiras páginas dos principais jornais como Financial Times, NYT e Washington Post. Há controvérsias quanto a sua prisão. Fala-se, inclusive, que os japoneses teriam armado uma arapuca contra Ghosn, também naturalizado libanês, para retirá-lo da presidência do conselho com inveja do sucesso dele à frente da própria empresa deles. É o que pensa pelo menos os dirigentes da Renault, empresa francesa, parceira da Nissan, que condena a prisão de Ghosn.

Assim como a imprensa, os organismos internacionais também baixaram a bola na campanha do “Lula Livre”. Alguns dirigentes tentaram, em vão, tumultuar o processo eleitoral, mas recuaram diante da decisão soberana do TSE de manter a inelegibilidade de Lula nas eleições desse ano. Há um certo temor entre os minguados petistas sobreviventes no exterior de que o ex-presidente será novamente condenado. E se isso de fato ocorrer, dizem eles, Lula dificilmente sairá da cadeia, já que seu partido, derrotado nas urnas, está no ostracismo.

Outros militantes acreditam que Lula, caso condenado novamente, deverá ser transferido para um presídio comum para cumprir as penas. Mantê-lo sob custódia na Polícia Federal requer uma logística que a própria PF não está acostumada, pois o local não é para abrigar preso já condenado. Além disso, Lula custa muito caro ao estado pelo aparato à sua disposição por ser um preso que exige atenção especial.

Enfim, o velho ditado do “rei posto, rei morto” é o que se ouve dos brasileiros, que nesse momento se acotovelam com os japoneses nos corredores lotados das lojas de grife, quando falam sobre a situação atual de Lula.

O ostracismo do Lula assemelha-se a cena de um político apagado como se alguém tivesse puxado a tomada, deixando-o na escuridão.

30 novembro 2018 CHARGES

RONALDO

30 novembro 2018 AUGUSTO NUNES

DILMÊS POÉTICO

Tarso Genro acredita que o Ministério da Educação deveria voltar a ser comandado por um poeta onanista

“Emplacados, o místico Ernesto Araujo como Ministro de Relações Exteriores e o colombiano Ricardo Velez Rodriguez como Ministro de Educação, o bolsonarismo completa a simbiose entre o fascismo mitificado ─ através do controle mental de uma grande parte do ‘público’ pela magia da magna mídia e das redes compradas ─ e o ultraliberalismo que, para ser aplicado, precisa destruir a confiança mínima na política e na democracia, que são sempre demoradas e pacientes“.

Tarso Genro, num artigo escrito em dilmês erudito, insinuando que o Ministério da Educação estava muito melhor quando era comandado pelo próprio declarante, considerado o príncipe dos poetas onanistas.

* * *

FILHOTE DE PRESIDIÁRIO

Haddad lamenta que o Brasil não continue de joelhos diante de Maduro, Evo Morales e Raúl Castro, fora o resto

“Esse movimento do Brasil em direção aos Estados Unidos, de um acoplamento quase que sem mediação, cego ─ esse movimento ‘vamos fazer tudo o que os EUA quiserem, os Estados Unidos de Trump’ ─, vai moldando uma nova ordem, vai comprometer conquistas que são caras do que a gente chama de Ocidente”.

Fernando Haddad, candidato derrotado à Presidência pelo PT, ao lamentar a mudança de rota da política externa, avisando que, se dependesse do presidiário Lula, o Brasil continuaria ajoelhado diante de Nicolás Maduro, Evo Morales e Raúl Castro, fora o resto.

SONETO DO AMOR-DE-SEMPRE – Jehová de Carvalho

Amo-te mais que a noite em que concebes –
enquanto sonho – o fruto que sonhei;
Mais que meus pés os passos que eu já dei
e ama o teu ventre o fruto que recebes.

Mais que o semeador a sua messe;
mais do que a valva a seiva pura e certa;
mais que o amor vegetal a terra aberta
do grão que em cada semeadura cresce.

Amo-te sobre o tempo e sobre a vida,
sobre o que for minha hora indefinida
de amar-te mais do que a razão me importe.

Não basta a aurora e sua mensagem rubra
para que este amor marcado se descubra
e seja mais amor dentro da morte.

30 novembro 2018 CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

SONIA REGINA – SANTOS-SP

SANSÃO AS AVESSAS

O filme é antigo, conta a história que Dalila corta os cabelos de Sansão, tirando sua famosa força física. O Sansão brasileiro, também depara com uma mulher que tenta lhe cortar os cabelos, mas, não consegue, o distinto estava com uma calvície acentuada. No filme, Sansão mesmo preso e cego, recupera suas forças quando cresce seus cabelos e consegue derrubar os alicerces da cidadela, destruindo o antro de perdição.

O anti-herói de nossa história, ao contrário, vai aumentando suas madeixas e adquirindo força no senado, ajudando a destruir reputações de todos que não rezam em sua cartilha funesta.

É fato que não estamos contando uma história com personagens “Angelicais” aboletados em nosso Legislativo, a dúvida é:

Será que podemos sonhar com dias melhores, ou é uma utopia?

Acompanhem nos vídeos a evolução de Sansão nos debates com “Excelências” que, teriam por obrigação zelar pelo bem-estar dos brasileiros, mas, alguns não conseguem manter um comportamento adequado e fornecem lenha para quem sabe muito bem acender uma fogueira.

30 novembro 2018 DEU NO JORNAL

INDULTO IMORAL

* * *

QUERO VER O QUE PALOCCI FALARÁ SOBRE DILMA

30 novembro 2018 CHARGES

SPONHOLZ

30 novembro 2018 DEU NO JORNAL

OS RÉUS E A RÉA

A Lava Jato e seus desdobramentos colocaram três dos cinco ex-presidentes vivos do Brasil na condição de réus perante à Justiça:

Dilma Rousseff, Luiz Inácio Lula da Silva e Fernando Collor.

* * *

Dilma virou ré (ou réa, como ela quer ser chamada) e está no mesmo caminho do seu antecessor e criador.

A caminho da cadeia.

Ela foi acusada de integrar o “Quadrilhão do PT“, mais uma expressão pra engordar o rico currículo da organização criminosa com sigla partidária.

Na foto abaixo, Lula e Dilma estão em excelente companhia.

Este time de corruptos forma um trio perfeito.

30 novembro 2018 CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

GIANCARLO DE GÓIS – ARACAJU-SE

Grande Berto!!!

Publique aí nesta nossa gazeta poliglota este vídeo.

O General Mourão falando inglês fode com Dilma e Ciro de uma vez só.

Mudou tudo mesmo neste país!!!!!

Um grande abraço, sujeito.

O LEÃO E O MAJOR

Morreu, semana passada, o Major Ferreira. Conto uma história com ele que se deu no começo de 1986. Roberto Magalhães ainda era governador de Pernambuco. Mas já preparava sua candidatura de Senador. Roberto era impetuoso como seu tio Agamenon. Deu bananas para adversários, numa carreata. Entrou no JC, procurando um jornalista, com revolver na cintura. Fazer o quê? E tudo corria bem, no Campo das Princesas. Até quando, num belo dia, fugiu da prisão o Major Ferreira – responsável pela morte do Procurador da República Pedro Jorge. Indignação coletiva. Todos consideravam o Governo culpado pela fuga. E Roberto preocupado com a eleição. Pensando que nada pior poderia lhe acontecer. Estava enganado.

Fim da manhã, chega Bandeirinha – grande escritor e grande figura humana –, com a notícia terrível: fugiu, do zoológico, um leão perigosíssimo. As informações eram de que o animal iria destroçar o primeiro ser humano com que cruzasse. Roberto convocou seu Secretário de Transportes, José Múcio Monteiro (hoje, Presidente do TCU) – que, no Palácio, era quase Primeiro-Ministro. E pediu fosse prender o dito leão. Urgente. Foi quando José Múcio, com toda tranquilidade, lhe disse: “Governador, estão na minha sala Augusto Coelho (então Prefeito), Osvaldo Coelho (Dep. Federal), Geraldo Coelho (Dep. Estadual), Fernando Bezerra Coelho (Dep. Estadual), Adalberto Coelho, José Coelho e Paulo Coelho”. Todos, bem conhecidos pela intransigência na defesa dos interesses de Petrolina. Pensando bem, intransigência é até pouco. E José Múcio completou: “É brabo por brabo, Governador. Eu cuido do leão e o senhor fica com os Coelhos”. Roberto então pensou, pensou, coçou a cabeça, pensou mais um pouco e encerrou a conversa: “Prefiro o leão”.

P.S. Tudo acabou bem. O leão não comeu ninguém e hoje vive dormindo, com preguiça e tédio, no zoológico. Os Coelhos brigaram feio entre si, logo depois. Roberto acabou perdendo aquela eleição de Senador para um padre (logo ex, por muito gostar das saias) que era de… Petrolina. Voltou depois, ao Congresso. E acaba de lançar um grande livro, “Brasil: Lições do passado e desafios do século XXI”. Enquanto o major Ferreira foi novamente preso. Cumpriu pena, em Itamaracá. E viveu seu resto de vida junto à família. Que descanse em paz.

30 novembro 2018 DEU NO JORNAL

O ITALIANO TINHA FÉ DEMAIS

A defesa de Lula pediu à Justiça Federal em Brasília o cancelamento do depoimento de Antonio Palocci sobre o esquema de pagamento de propina no contrato dos caças suecos.

A testemunha é parcial e indigna de fé”, alegam.

* * *

Indigno de fé é quem nomeou Palocci pra dois dos mais importantes cargos da república.

Cargos que só ficavam abaixo de presidente.

Ministro da Fazenda e Ministro Chefe da Casa Civil.

Amigo e Vaca Peidona: os dois achavam o Italiano digno de fé

 

30 novembro 2018 SHEILA LIZ - FLOR DE LIS

AFFAIR

Ela pediu 15 minutos a mais a ele. Após um longo e caloroso abraço; após sentir que ele estava prestes a fazer qualquer loucura ali mesmo, em meio a todos os convidados, ela pediu 15 minutos até que ele fosse encontrá-la no quarto. Era um simples pedido, apenas impedia que a decisão que haviam tomado ali, num momento tão inapropriado, fosse compartilhado com pessoas tão próximas e proprietárias de um julgamento assertivo e cruel.

Olhando-a subindo as escadas, o som estava alto, quase não ouvia seus próprios pensamentos, observou seu caminhar lento e só imaginou o que estava por vir. Ficou ali esperando realmente os minutos pedidos. Olhou o relógio, ansioso, ao redor sentia apenas a luxúria que o levou a abandonar tudo o que já tinha conquistado arduamente. Se deixou levar por um instante e ele permaneceu como uma onda, invadindo o ser de uma maneira inevitável.

Os olhos se marejados pela lembrança do que um dia teve, o fez limpar o rosto com as lágrimas… mais de desespero do que arrependimento em si. Gostava de estar ali, apreciava o momento que estava vivendo, mas, e o que poderia ter conquistado ainda mais? Até onde teria ido se tivesse permanecido no caminho que estava a trilhar? Este deslize o levou a um torpor sem igual, mas ele sabia que tinha data de validade.

Os 15 minutos estavam longe de terminar, e ele mal notou que não se passara nem um minuto ainda. Tentava entender como tudo se encaixava. Na verdade, nada mais tinha lugar, nem sentido, nem emoção, a não ser a saia por subir nas pernas dela… aí sim via o motivo pelo qual abandonara os almoços familiares dominicais. Chatos, sem grandes emoções a não ser a cobrança sobre o lançamento de seu próximo artigo. Mal sabiam que sua inspiração estava longe dali e tinha um cheiro doce no cabelo.

A curva que a boca dela fazia ao sorrir não tinha a mínima lógica. Se perdia nas covinhas que ela apresentava ao dar um sorriso largo e proposital, afinal, sabia deste encanto, e o usou justamente para deixá-lo por perto. Não era uma má pessoa, mas carregava um ‘ar sombrio’, e isso, inexplicavelmente também foi um dos motivos pelo qual ele enlouqueceu por ela. Era como se ela estivesse ‘quebrada’ e ele estava ali para consertá-la. O tédio que ele reconhecia nela fazia parte da realidade dele, resolveu simplesmente dividi-lo.

A intensão dela era outra. A cama lhe servia melhor que um café da manhã bem preparado. Os lençóis molhados de suor lhe davam um prazer objetivo que ela jamais trocaria pela companhia monótona de um almoço no meio da semana. Mas ele não percebia nada disso. Os olhos verdes cheios de carência o iludiam.

E assim os 15 minutos estavam chegando ao fim. Ele parado ao pé da escada, disposto a subir sem olhar pra trás, sem ter consciência pesada, sem pudor e nem culpa. Ainda assim algumas poucas lágrimas teimavam em lhe molhar o rosto e isso o fez parar por um instante. Olhou ao relógio novamente. O tempo é relativo, neste momento foi relativo. O que faria ele com este vício que o consumia a cada passar de segundo? As marcas que ela deixava a cada noite eram maiores do que as que se via em seu corpo e ele não lidava bem com abstinência, de nada, e nem queria deixar de possuí-la mesmo que fosse a vontade dela de não deixar mais o toque contínuo.

Escutou ao fundo, além da música alta, a voz dela. Reconhecia o tom e sabia o que estava acontecendo. Ele perdeu a hora, passaram-se os minutos e ele só subiu o primeiro degrau. Ela o esperou no topo, ele sem coragem por ali ficou. O som que ele escutava era ela encontrando carinhos alheios. Insuficiente. Ele perdeu o atalho que havia escolhido e já não tinha mais o caminho de volta. Olhou novamente no relógio e os ponteiros não marcavam mais nada. O cheiro doce que uma vez o seduziu, despertou um enjoo imediato. Já não fazia sentido mais. Outra pessoa a tocara! A impureza e a imoralidade do que eles escolheram para viver tinham que ser somente deles. Ela o traiu em sua própria decisão. Sem aguentar o peso do que tinha escolhido para a vida dos seus, saiu daquele caos sem rumo. Abriu a porta, sem fechá-la, e não olhou pra trás. Só caminhou pela noite, deixou o relógio ao pé da escada. Apenas dois minutos contavam no tempo passado…

30 novembro 2018 CHARGES

S. SALVADOR

30 novembro 2018 DEU NO JORNAL

LÉSBICAS PROTESTAM CONTRA PRISÃO DE PEZÃO: “SÓ FOI PRESO PORQUE É SAPATÃO”

Joselito Müller

A prisão do governador Luiz Fernando Pezão, do Rio de Janeiro, gerou protestos na manhã de hoje na capital.

Isso porque lésbicas e sapatões membras (sic) de movimentos organizados interpretaram que a prisão de Pezão foi motivada por lesbofobia.

“Só prenderam porque ele é sapatão”, declarou uma manifestante.

Ela também ressaltou que a lesbofobia está enraizada no imaginário do povo brasileiro “desde ‘Maria Sapatão’”.

As manifestantes pararam seus caminhões na via pública e promoveram um beijaço na frente da carceragem para onde foi conduzido Pezão.

Questionadas se acampariam no local até a libertação de Pezão, elas declararam que não, pois “não tinham saco para isso.”

30 novembro 2018 CHARGES

MILTON CÉSAR


© 2007 - 2018 Jornal da Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa