1 novembro 2018 DEU NO JORNAL

MATANDO DE RAIVA O CHEFE DA QUADRILHA

A confirmação de Sergio Moro como ministro da Justiça empurrou o índice Ibovespa para além de 89 mil pontos, máxima histórica.

E segue operando acima dos 88,5 mil.

O combate à corrupção melhora a economia e não o contrário, como diziam Lula e os petistas.

* * *

De fato, Lula costumava dizer que a Lava Jato estava destruindo a economia do país.

O chefe da quadrilha já estava desmoralizado.

Agora, com o símbolo do combate à corrupção ocupando um ministério de suma importância na caça aos ladrões, vai ficar mais avacalhado do que já está.

Vendo o sol nascer quadrado, completamente emputiferado e com ânsias de enfiar o dedo no furico pra rasgar até o umbigo.

Que coisa boa!

1 novembro 2018 DEU NO JORNAL

DESPETIZAR O ESTADO

1 novembro 2018 DEU NO JORNAL

OS CANALHAS FAZENDO TERRORISMO

Fracassado em sua tentativa de se eleger deputado por São Paulo, Marcio Pochmann, ex-coordenador econômico da campanha de Fernando Haddad, foi ao Twitter fazer terrorismo.

O economista da Unicamp escreveu que a “sombra do governo Collor” começava a pairar sobre o futuro governo de Jair Bolsonaro e citou a “proposição” de
“aprisionamento de parcela dos recursos depositados no sistema financeiro”.

É mentira descarada, fake news grosseira. Não há nada que passe perto de sugerir um “aprisionamento” – como o confisco da poupança na gestão Collor – nas propostas de Bolsonaro e Paulo Guedes.

Muito menos existe hoje, com inflação baixa, justificativa econômica para adotar medida tão impopular.

* * *

Os devotos da seita lulaica jamais deixarão de ser canalhas.

Nunca, nunca, nunca.

Nem com o PT morto e enterrado eles deixam de contar mentiras.

Faz parte da genética vermêio-istrelada.

Acusam os adversário de espalhar mentiras, ao mesmo tempo que espalham mentiras que só a porra pelos ares.

Bando de cabras safados!!!

Vamos dedicar uma musiquinha pra este tabacudo deste petêlho Pochmann, um idiota que exerceu a magnífica função de assessor de um poste representante de um presidiário.

É coisa pra caralho!!!

VALERIA BOSSI SIMÃO – BELO HORIZONTE-MG

Olá chefe editor fubanico,

Aqui é Valéria, a médica de Belo Horizonte. Tudo bem?

Você sumiu, me senti abandonada…

Ainda bem que tenho o JBF para ir me distraindo.

Berto, é o seguinte: vi que foi aniversário do Peninha e gostaria de mandar um presente para ele e para você também.

A coluna dele me dá grandes alegrias, impressionante a vastidão da cultura musical dele.

A de musicas italianas me deixaram “bebinha”.

Então, meu pai publicou um livro, organizado pelo meu primo, filho do ministro pão de queijo do governo Itamar Franco, Aluísio Pimenta, lembra?

Desculpe, mineiro tem que citar parentes em tudo, se não tiver um parente no meio não é de Minas, kkk.

Este livro é uma preciosa coletânea das famosas serestas mineiras, de toda Minas mas em especial de Diamantina.

Mineiro tem mania de seresta e as músicas são lindas, têm Peixe Vivo, É a ti flor do céu, Serenô da madrugada, etc.

JK amava.

Entre outras musicas se tocam as serestas nas sacadas dos casarões, na Vesperata, grande evento cultural da tradição mineira, em Diamantina.

Pois é, se você me mandar o endereço mando dois livros, um para você e outro para o Peninha .

Abração,

R. Minha cara leitora, que exerce a nobre profissão de médica na capital das Gerais, você me enviou esta mensagem no mês de outubro passado.

Deixei pra publicar agora, só depois de receber pelos correios o seu magnifico presente, o livro Saudade Seresteira, publicado pela Editora Lemi, daí de Belo Horizonte.

Que veio acompanhado de um cartão com este recado:

Caro Berto, agradecemos a você pela diversão diária que é seu jornal. Este livro consta principalmente de músicas da tradição seresteira mineira. Um grande abraço, Valéria. 

Das 364 músicas relacionadas no livro que você me mandou, nacionais e internacionais, escolhi a canção Elvira Escuta, uma composição pela qual tenha uma predileção muito especial e que, desafinado como sou, cantei destemidamente em inúmeras farras, quando já estava com o rabo cheio de cachaça.

Está no final desta postagem, em um vídeo que pesquei no Youtube.

Uma preciosidade interpretada pelo saudoso JK, que você citou em sua carta, acompanhado pelo Grupo de Seresta de Diamantina.

Espero que o nosso amigo Peninha, o colunista fubânico que nos encanta diariamente com sua seleção musical, também já tenha recebido o exemplar que você mandou pra ele.

Brigado mesmo, minha querida, por este mimo valioso.

Uma grande abraço daqui do Nordeste direto pras Alterosas!

1 novembro 2018 CHARGES

ADNAEL

1 novembro 2018 DEU NO JORNAL

SINFONIA EM MI-MI-MI

Políticos e líderes petistas usaram as redes sociais para atacar o juiz Sérgio Moro após ele ter aceitado compor o corpo ministerial do presidente Jair Bolsonaro (PSL).

O deputado federal Lindbergh Farias escreveu, no Twitter, que Moro “atuou com afinco” pra impedir a participação de Lula nas eleições deste ano.

“Poucas coisas podem ser mais descaradas do que isto. Sempre alertamos que Moro atuava como militante, e não como magistrado”, acrescentou.

* * *

Que quinta-feira maravilhosa!!!

Saber que a canalha petêlha está puta de raiva é motivo de regozijo.

O corrupto Lindinho – se cagando de medo porque daqui uns dias estará sem foro privilegiado -, já pressente o tamanho da pajaraca de grosso calibre que será enfiada no olho de seu furico.

É ótimo, é encantador, é fantástico, é reconfortante, é maravilhoso ouvir o relincho destes felas-das-putas!

De minha parte, e com toda minha caridade, desejo que vão todos se fuder!!!


* * *

E, pra complementar esta postagem, vamos transcrever uma notícia fresquinha:

Relatório da Arko Advice divulgado há pouco a seus clientes diz que não há dúvida de que a escolha de Sergio Moro para o Ministério da Justiça “tem excepcional e positiva repercussão junto ao eleitorado de Jair Bolsonaro e para o seu governo de modo geral”.

Os analistas elencam os motivos para a euforia:

— Cria expectativas de duro combate à corrupção sistêmica no país;

— Dá a esperança de que a mesma eficiência de Moro na Lava Jato possa ser expandida para a segurança pública;

— Neutraliza parte das críticas da imprensa – que apoiou a Lava-Jato – a Jair Bolsonaro;

— Serve como endosso à comunidade internacional – que sempre aplaudiu Sergio Moro – acerca das intenções do governo Bolsonaro;

— É um recado do presidente eleito para o mundo político de que não irá tolerar corrupção nem negociatas.

O MATUTO NO CINEMA

1 novembro 2018 CHARGES

SPONHOLZ

1 novembro 2018 DEU NO JORNAL

A DECÊNCIA VAI VOLTAR AO BRASIL

1 novembro 2018 A PALAVRA DO EDITOR

CABABOM!!!!

Aqui em Pernambuco o tabacudo do governador reeleito Paulo Câmara, amigo e visitador de Lula na cadeia, conseguiu aprovar com seus cupinchas na assembleia legislativa do estado, esta semana, uma lei extinguindo as delegacias que combatiam a corrupção.

Só isto. Apenas isto. Nada mais que isto.

Fechou as delegacias que combatiam a ladroagem e a corrupção.

Protetor dos bandidos de colarinho branco.

Já os bandidos sem colarinho do Rio de Janeiro, vão enfrentar um novo governador, Wilson Witzel, que vai botar pra arrombar.

Um governador que fala em “abate de bandidos” com uma calma que trás muito alento a uma população encurralada pelos marginais.

Confiram no vídeo abaixo.

Lascou até o furico dos babacas dos seus entrevistadores.

Enfiou a pajaraca sem cuspe e sem vaselina.

Depois de ter aguentado um Sérgio Lula Cabral, os fluminenses fizeram a escolha certa.

Parabéns pros eleitores do Rio de Janeiro!

E bote pra fuder na bandidagem, Senhor Governador

1 novembro 2018 DEU NO JORNAL

SURTO DE BABAQUICE PSICOPÁTICA DOS DERROTADOS

“O processo eleitoral foi marcado, desde o início, pela violência e pelo ódio político, a começar pela cassação da candidatura do ex-presidente Lula. A cúpula do Judiciário ignorou uma determinação da ONU sobre o direito de Lula ser candidato. E foi incapaz de conter a indústria de mentiras nas redes sociais financiadas pelo caixa 2 de Jair Bolsonaro (…).

Vamos resistir à reforma da Previdência que Michel Temer e Jair Bolsonaro querem fazer, contra os aposentados e os trabalhadores. Resistir à entrega do patrimônio nacional, das empresas estratégicas, das riquezas naturais do Brasil aos interesses estrangeiros. Vamos resistir à submissão do país aos Estados Unidos. Nossa bandeira é a do Brasil. Nunca beijaremos a bandeira dos Estados Unidos como fez Bolsonaro (…).

Vamos reforçar a campanha Lula Livre no Brasil e no exterior, não só para fazer justiça a quem foi condenado e preso arbitrariamente, mas porque esta campanha simboliza a defesa da liberdade, da democracia e dos direitos humanos (…).

A eleição de um aventureiro fascista é fruto de uma campanha de ódio e de mentiras, que nos últimos anos manipulou o desespero e a insegurança da população.”

* * *

As sandices acima transcritas são apenas um trecho de documento excretado pelo PT.

Este papel higiênico, todo cheio de merda, foi assinado pela Comissão Executiva do bando criminoso que se esconde atrás de uma sigla partidária.

O desespero destes marginais pelo pica de 17 polegadas que levaram no olho do cu no último domingo é um fato estimulante para nós outros, os cidadãos de bem deste país.

Um alívio para o Brasil.

O enterro do PT no último domingo foi motivo de manifestação até de Kim Jong-Um, o bonequinho da Coréia do Norte tão louvado pelo petistas.

Vejam só o pronunciamento que ele fez:

JACOB FORTES – BRASÍLIA-DF

NÃO É ESTE O BRASIL QUE EU QUERO

O agricultor Januário, possuidor de uma modesta gleba, ”Engenho da Madalena”, nos sertões de Guimarães Rosa, tinha por costume, no exato repontar da alvorada, revistar as instalações dos seus animais domésticos.

Certa feita percebeu que sua Cocada desaparecera da baia. Dentre os maus pensamentos que lhe vieram à imaginação o furto era hipótese cardeal. Januário abateu-se. Os confins de sua alma se encheram de dores. Justo ela, companheira das lidas a quem entregava cuidados e por quem tinha demarcado apego. Era de grande estima! Mais valia pelo que significava do que pela carroça que puxava.

Assim que o sol se franqueou ao mundo Januário montou em seu pangaré e partiu intrépido, de alento aceso, em busca de Cocada. Encalçou-a o quanto pôde, conhecia-a pelo rastro, mas as patas socalcadas ao chão já não eram tão frescas; iam-se dissipando pela ação do vento e das horas decorridas.

Porém, não desertou do ideal de encontrá-la. Ora um fulano, ora um sicrano, ora um beltrano até que um caminheiro salvador ofereceu notícia alvissareira. De ânimo recauchutado Januário estugou o passo do pangaré e não tardou para distinguir, ao longe, sua burra castanha. Apressou-se em recostar-se a ela para lhe deitar a mão, afagar-lhe o dorso e acamar-lhe o pelo como fazia costumeiramente. Ela agradeceu e o cumprimentou com um relincho sussurrado, quase inaudível, como se quisesse proferir palavras.

Após calorosa altercação com o gatuno, que se recusava a devolver o animal, Januário, que não era homem de arriar, apesar de orçado em 60 anos, entrou em luta virulenta com o malfeitor chegando a dominá-lo. Sequentemente, num gesto façanhudo, próprio de quem tem braço tão ignorante quanto forte, levou o larápio à delegacia.

Epílogo: concluídos os protocolos policiais fora o ladrão liberado (para furtar noutra freguesia) por míngua de prova e Januário, de clavícula quebrada, recolhido à detenção por crime de lesão corporal. Fez-se, evidentemente, acompanhar dos seus amigos diletos: Cocada e Mutum, o cavalo pangaré.

O Brasil que queremos é o que se pauta pelo império da realização do justo.

1 novembro 2018 A PALAVRA DO EDITOR

SANTANNA, O CANTADOR

Santanna, o Cantador, é um dos maiores intérpretes da música nordestina da atualidade.

Um artista consagrado que já gravou inúmeros sucessos.

Junto com sua companheira Laelma, minha conterrânea de Palmares, formam um casal que mora na minha estima.

Semana passado, pelo zap-zap, Santanna me mandou a sua mais recente gravação.

Trata-se da inspirada composição Pras Bandas do Angico, da autoria de Ilmar Cavalcante, que Santanna gravou junto com Flávio José.

Brigadão pelo mimo, meu caro.

Que vai ser compartilhado agora com os leitores fubânicos.

 

 

1 novembro 2018 A PALAVRA DO EDITOR

UM TRIO PERFEITO DE BABACAS

Uma contribuição do leitor fubânico Luis Antonio Mezetti. 

Para animar esta bela manhã de quinta-feira.

1 novembro 2018 PERCIVAL PUGGINA

SECTARISMO E INTOLERÂNCIA NA UNIVERSIDADE PÚBLICA

Qual é o problema de vocês? Quem lhes disse que a nação está interessada em custear uma universidade para ser transformada em feudo esquerdista, de onde a divergência é expulsa a gritos e atos de selvageria intolerante? De onde lhes vem essa pretensa superioridade moral quando os frutos mais amargos da história são colhidos nas suas bibliografias? Querem uma universidade para a esquerda, criem uma. Querem duas, criem duas, criem três, criem quantas quiserem. Mas não usurpem o que pertence a todos! A universidade tem autonomia para que o pluralismo seja possível; não para que seja impedido!

Desculpem-me os demais leitores, mas eu precisava mandar a mensagem acima às universidades públicas. Há muitos anos, notadamente na área de Humanas, elas foram tomadas de assalto pelo pensamento esquerdista. Tornaram-se, no Brasil, versão acabada do que Antonio Gramsci denominava “intelectuais coletivos” – grandes centros de formação e difusão do pensamento do partido.

É patrimônio nacional, custeado pela sociedade, escandalosamente usado para serviço político e ideológico tão explícito quanto desonesto, onde se ocultam autores liberais e conservadores, relegados ao mais empoeirado ostracismo.

Os males se consolidam ao longo dos anos porque protegidos com o inexpugnável escudo da autonomia universitária. Toda divergência é castigada sob o manto sagrado dessa autonomia! Ela é invocada para encobrir abusos e para que, atrás de seus muros, a verdade seja torturada. Dirão que a verdade merece porque ela mesma é coisa de fascista, que a história dos crimes praticados em nome das ideias que defendem também é fascista, que o combate à corrupção é fascista, que o enfrentamento à criminalidade é fascista, que os ideais de liberdade econômica e empreendedorismo são fascistas. Só a esquerda não é fascista, nesse vocabulário bronco de militante chapado.

A água do batismo da universidade é a cristalina abertura ao universo do conhecimento. Nobilíssimo atributo! Ela tem autonomia para que isso seja possível. Não para que seja impedido!

Vê-la convertida em mera caixa de ressonância desses chavões vulgares que a esquerda produz e embala não os faz sofrer? Não os sensibiliza pensar em tudo que ela deixa de promover enquanto mentes jovens vão sendo zelosamente calafetadas e lacradas, inibidas de buscar a verdade? Dezenas de campi universitários, nos estertores da campanha de Fernando Haddad, dito o Poste, registraram consequências disso.

No sprint final da disputa pelo voto, de modo simultâneo e coordenado, universidades públicas de nove estados sediaram agitados eventos “antifascistas”, artimanha com que, combatendo Bolsonaro, ajudavam Haddad. Os juízes entenderam os atos pelo que de fato eram: propaganda eleitoral em órgãos públicos. E trataram de sustá-los, mas a ministra Cármen Lúcia determinou a suspensão das medidas.

Disse ela: que as ações dos TREs e da Polícia Federal “impediam a manifestação livre de ideias e divulgação do pensamento nos ambientes universitários”. Foi secundada por Dias Toffoli, presidente do STF, para quem o Supremo “sempre defendeu a autonomia e a independência das universidades brasileiras, bem como o livre exercício do pensar, da expressão e da manifestação pacífica”.

Assim, as palavras são usadas para consagrar como nobre o uso vicioso do espaço universitário e dar por são, legítimo e plural, o que é rasgadamente enfermo, ilegítimo e sectário. Pelas mãos do STF, converte-se o ambiente acadêmico em casamata portadora de uma dignidade negada pela prática. Quem duvida, assista aqui cenas dessa “plural liberdade de manifestação e expressão”. São sempre os mesmos, contra os mesmos, fazendo o mesmo, em toda parte.

Será que os ministros do STF, vendo estas cenas tão comuns, dirão que elas correspondem a um bem merecedor das palavras que lhe dedicam?

JOSÉ CRENTE – SÃO PAULO-SP

Caro Berto,

quanto a este caso de resistência eu recebi a mensagem em anexo no meu whatsapp.

Reflete muito bem este novo movimento das esquerdas brasileiras.

Um grande abraço, e conte comigo nesta nova empreitada oposicionista ao nosso Capitão.

De São Paulo – Capital (SAMPA, cantada pelo Caretano Vaidoso)

R. O cabra botou sem pena na bunda do petista Cassio, fundador do movimento “resistência”.

Botou sem cuspe, sem vaselina e com uma ironia da porra!

De fato, esse negócio de resistência só sendo mesmo de chuveiro elétrico.

É pra gente se mijar-se de tanto se rir-se com esta monumental irracionalidade.

Meu caro leitor, esta babaquice de “resistência”, criada pelos descerebrados petistas e zisquerdistas, é de uma idiotice sem tamanho e sem nome.

Não dá nem pra qualificar.

O colunista fubânico José Nêumanne Pinto, grande jornalista brasileiro, tocou neste assunto em sua coluna de hoje aqui no JBF, dizendo que os zisquerdistas, depois da vitória de Bolsonaro, falam em “resistência” como se estivessem lutando contra uma ditadura.

“Ditadura” na qual eles concorreram em eleições livres e abertas, apresentando um poste como candidato.

É pra arrombar a tabaca de Xolinha!!!

Veja só: existe na praça uma assombração de grelo-duro, um fantasma que já foi do PT e atualmente relincha no PSOL, que falou esta mesma babaquice.

Domingo passado, logo após confirmada a vitória do capitão, a descerebrada escreveu isto no Twitter:

Tá vendo aí, né?

Organizar a “resistência” contra o resultado das urnas.

Organizar “resistência” contra os quase 58 milhões de eleitores que elegeram o capitão e não votaram no candidato dela.

Antes desta postagem, a bovina escreveu uma outra afirmando que “Bolsonaro é ridículo“.

Veja:

Ou seja, acusou o capitão daquilo que ela é: uma criatura ridícula.

Totalmente descontrolada a postura desta psicopata de bacurinha frouxa.

Mas, pra compensar, ela escreveu uma outra frase com uma constatação que é a mais pura verdade.

Olha só:

De fato, um desastro horrível. Uma capotada que botou pra avuar pinicos cheios de merda para tudo quando é lado.

Um desastre que enterrou definitivamente o PT, as zisquerdas e todos os idiotas que militam ou exercem mandatos nestes antros.

Um desastre que só trouxe alegria e felicidade para os homens e mulheres decentes do Brasil.

Vá te lascar, Luciana!!!!!! 

1 novembro 2018 A PALAVRA DO EDITOR

DÚVIDA CRUEL

Vi na chamada grande mídia banânica algumas notícias que não sei se são verdadeiras.

Li que o valor do dólar vem caindo desde o resultado do primeiro turno, com a vitória do capitão

E continuou a queda com a vitoria definitiva no segundo turno.

Repito: não sei se são notícias verdadeiras ou falsas.

Sou analfabeto nestes assuntos de economia e apelo pros doutores fubânicos.

Isto é ruim ou é bom?

É ruim ou é bom pro nosso dia-a-dia, pro comércio, pra indústria e pro cidadão que faz sua feira todo final de semana?

Isto aumenta ou diminui os preços?

Isto faz bem ou faz mal pro nosso país?

Me ajudem, por favor.

Espero que o fubânico Catador de Links me dê uma luz neste assunto.

Fico no aguardo.

1 novembro 2018 CHARGES

SPONHOLZ

COMPARAÇÕES

Foto: Alamy

Quando saí de casa, o dia ainda não havia clareado totalmente. Como se o sol já estivesse acordado, mas resistisse à ideia de sair da cama.

Logo que cheguei à praça onde costumo fazer minhas caminhadas, vi passar uma jovem.

Andava rápido, como um praticante de marcha atlética, mas, com tanta suavidade, que os pés pareciam não tocar o chão.

Tinha as feições delicadas, como uma fada de livros infantis. E usava um vestidinho tão curto, que parecia uma blusa, deixando à mostra as pernas brancas, como se fossem de mármore.

De repente, ela parou perto de um carro estranho. Parecia saído de um filme de ficção científica. Entrou nele rapidamente, olhando para os lados, como se o furtasse.

No instante seguinte, o veículo flutuou no ar, como uma pluma erguida pelo vento, e partiu em direção ao espaço. Rápido e silencioso, como uma flecha.

Permaneci ainda alguns minutos olhando para o céu. Movimentando-me tanto quanto a estátua que há no meio daquela praça.

ARAEL COSTA – JOÃO PESSOA-PB

Boa tarde, caríssimo

Estou passando cópia do comprovante de transferência feita há pouco, esperando que seja boa parte do chambaril/Pitu da Chupicleide no domingo passado, após a votação, dando até uma sobra para algum andrade que esteja a chorar por perto.

Abraços,

R. A sua generosa doação já está no sempre magrelo caixa desta gazeta escrota, meu caro.

Espero que seu exemplo toque os corações duns cabras unhas-de-fome que tem por aí.

Chupicleide chega rinchou de tanta alegria!

Neste mês de outubro que ontem se findou, tivemos um total de R$ 1.185,00 em doações, feitas por leitores e colunistas.

Deu pra pagar todas as nossas obrigações com hospedagem e manutenção. E ainda sobrou um pequeno troco pra comprar umas cervejas pro Natal.

Só não deu mesmo foi pra pagar os altíssimos salários da equipe da redação, composta pelos mais gabaritados encrenqueiros e levantadores de falsos da baixa mídia banânica.

Muito obrigado mesmo, meu caro.

Vocês leitores são a força que move este jornaleco.

PACIÊNCIA DE VÓ

CENA 1

– Vovó, o que os homens fazem na academia de ginástica? Eles jogam futebol?

– Não, querido. Alguns passam horas se olhando no espelho.

CENA 2

– Vovó, vovó, o que faz um justiceiro?

– Injustiça com as próprias mãos.

CENA 3

– Vovó, um homem chamou o outro de ladrão. E o outro falou que o ladrão era ele.

– Onde você viu isso?

– Na tevê da Câmara. Quem tem razão, vovó?

– Os dois.

CENA 4

– O homem está falando e ninguém presta atenção, vovó. Olha lá. Que lugar é esse?

– O Congresso Nacional.

– Os outros estão rindo dele?

– Não, meu querido. Estão rindo de nós.

DEJANIRA MARIA – BARREIRAS-BA

Caro Editor,

Desconheço o autor deste texto.

Mas acho que merece ser publicado na nossa querida gazeta escrota.

Atenciosamente,

* * *

A GRANDE HIPOCRISIA

O mundo está indignado com o Brasil. O NYT não compreende a insanidade dos brasucas. O The Economist condena a escolha brasileira por uma aventura autoritária. A CNN está com medo do rumo que estamos tomando.

O jornal El País, da Espanha, aponta o Brasil como um dos países do mundo a caminhar para um regime fascista. Quem mais? Deixe-me ver. Le Monde, The Guardian, Washington Post. Putz! Até o El Clarín!! Nuestros hermanos numa draga de fazer dó e preocupados conosco. Bonitinhos.

Estou aqui pensando: onde estava o mundo durante estes últimos 15 anos? Onde estavam todos, no Mensalão e no Petrolão? Onde estava o “escritório adjunto do comitê dos direitos humanos da ONU” enquanto Lula financiava clandestinamente o regime de Hugo Chávez e Nicolás Maduro?

Onde estava o poderoso Barcelona, durante os escândalos de superfaturamento dos estádios da Copa? A CNN, durante a compra das Olimpíadas? E o HuffPost, enquanto Lula, aboletado em um hotel em Brasília, comprava deputados durante o processo de impeachment de Dilma Rousseff?

Pois bem. Onde estavam vocês, líderes mundiais, tão preocupados conosco agora? Me engano ou estavam festejando o líder sindical que havia chegado ao poder naquele país simpático, meio exótico da América do Sul, cuja capital é (qual é mesmo?) ah, Buenos Aires? Ops!! Brasília.

Me engano ou Bono Vox recebia “o cara” do Obama, em uma turnê pela Europa? O mesmo “cara” que hoje está preso, condenado a mais de 12 anos de prisão e é réu em mais seis processos criminais. E o Roger Waters? A Madonna?

O The Intercept, meu Deus! Será que estava hibernando e não soube da Lava Jato, da Odebrecht e da JBS?

Sabe, mundo, enquanto você festejava o metalúrgico analfabeto, nós brasileiros estávamos afundados em nossos piores pesadelos, sendo massacrados por uma máquina corrupta que organizou o maior assalto aos cofres de um país na história democrática ocidental.

Enquanto você, mundo, se divertia com aquela “presidenta” que cantava “happy bordei tu iu“, nós ficávamos sem emprego e sem renda. Sem esperança, tristes, conformados com um destino cada vez mais próximo da Venezuela e cada vez mais distante de vocês.

Mundo, meu caro. The New York Times e companhia. Líderes mundiais e celebridades globais, por favor aceitem nossa maior gratidão por sua preocupação com nossas eleições. Mas temos de ser bem sinceros com vocês: sabem o que é? We don’t give a damn!

Traduzindo para o Português: nós não nos importamos; não queremos saber. Traduzindo para o Ricardêz: estamos cagando e andando para o que vocês pensam.

VAMOS DE POESIA?

Concluída a Eleição,
Cessemos nossos tambores.
Das mentes entrincheiradas
Sejam varridos rancores.
Que a paz nunca se extinga
E a Mãe-Pátria não distinga
Vencidos de vencedores.

1 novembro 2018 CHARGES

PATER


© 2007 - 2018 Jornal da Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa