A EXCELÊNCIA DO BRASIL REAL

CONTRASTE – Padre Antônio Tomás

Quando partimos, no verdor dos anos,
Da vida pela estrada florescente,
As esperanças vão conosco à frente
E vão ficando atrás os desenganos.

Rindo e cantando, céleres e ufanos,
Vamos marchando descuidosamente…
Eis que chega a velhice, de repente,
Desfazendo ilusões, matando enganos.

Então nós enxergamos claramente
Como a existência é rápida e falaz
E vemos que sucede, exatamente,

O contrário dos tempos de rapaz:
– Os desenganos vão conosco à frente
E as esperanças vão ficando atrás.

3 dezembro 2018 DEU NO JORNAL

NO AGUARDO

A Segunda Turma do STF dificilmente acatará as razões apresentadas pela defesa de Lula no novo habeas corpus que será analisado amanhã pelo colegiado.

No recurso, os advogados alegam que a ida de Sergio Moro para o Ministério da Justiça de Jair Bolsonaro “prova” sua parcialidade no julgamento das ações penais contra o petista.

Aceitar essa tese maluca de Cristiano Zanin e esposa significaria anular, na prática, tudo o que foi feito pelo ex-juiz da Lava Jato – nenhum tribunal anterior concordou com isso até agora.

* * *

Sei não…

Com os canalhas togados que nós conhecemos, eu tenho minhas dúvidas sobre o “dificilmente” que está nesta notícia aí de cima.

Aguardemos.

Faltam menos de 24 horas.

E, em falando de canalhas togados, enquanto aguardamos a decisão de amanhã, boto no ar esta montagem que recebi do leitor Mário Sérgio, de Cuiabá:

3 dezembro 2018 AUGUSTO NUNES

SANATÓRIO GERAL

AINDA NO PALANQUE

Alguém precisa ter coragem de contar a Lula que a próxima eleição presidencial só ocorrerá em 2022

“Esta não foi uma eleição normal. O povo brasileiro foi proibido de votar em quem desejava, de acordo com todas as pesquisas. Fui condenado e preso, numa farsa judicial que escandalizou juristas do mundo inteiro, para me afastar do processo eleitoral. O Tribunal Superior Eleitoral rasgou a lei e desobedeceu uma determinação da ONU, reconhecida soberanamente em tratado internacional, para impedir minha candidatura às vésperas da eleição”.

Lula, em carta endereçada ao Diretório Nacional do PT, escrita por alguém e assinada pelo analfabeto funcional, confirmando que nenhum devoto da seita teve coragem de contar-lhe que a próxima eleição presidencial só ocorrerá em 2022.

* * *

NÁUFRAGO EUFÓRICO

Haddad está cada vez mais animado com o nocaute que sofreu na disputa com Jair Bolsonaro

“Agradeço ao PT e ao presidente Lula pela confiança em mim depositada neste duro momento de perseguição política e jurídica ao nosso partido, materializada na prisão política e no impedimento da candidatura de Lula à Presidência, desrespeitando até mesmo nossos tratados internacionais e uma recomendação da ONU”.

Fernando Haddad, candidato derrotado à Presidência pelo PT, em carta endereçada à direção do partido que acaba de conceder-lhe o status de “nova liderança”, ainda eufórico com o segundo naufrágio consecutivo nas urnas.

* * *

GUERREIRO MALANDRO

Cineasta americano ordena à seita de Lula que declare guerra ao país onde nasceu e sempre morou

“Peço que vocês continuem resistindo. Não digam “sim” a esse governo. Lutem contra essa gente. Os ataques aos movimentos sociais vão acontecer. Vocês devem ser firmes e resistir. Lula não pode continuar preso, precisamos tirá-lo da cadeia. Todo o sistema brasileiro está controlado pelos EUA”.

Oliver Stone, cineasta norte-americano, em entrevista ao site Brasil de Fato, sem explicar por que não interrompe a vida mansa no país onde nasceu e sempre morou para juntar-se como oficial graduado às tropas lideradas pelos comandantes Stedile, Boulos e Zé Dirceu.

3 dezembro 2018 CHARGES

SPONHOLZ

3 dezembro 2018 DEU NO JORNAL

EM DESMANCHE

J.R. Guzzo

Circulou no noticiário um pensamento muito interessante que o novo presidente, Jair Bolsonaro, expressou durante uma conversa com a também nova deputada Janaína Paschoal. “O importante não é o que vamos fazer”, disse ele, “mas o que vamos desfazer”. O Brasil será um país a caminho da felicidade se Bolsonaro estiver mesmo pensando assim – e, principalmente, se conseguir até o fim do seu mandato desmanchar metade do que imagina que precisa ser desmanchado. O país, caso essa visão se transforme em realidade, fará mais progresso em seu governo do que fez nos últimos cinquenta anos. Já aconteceu com o Mais Médicos, que sumiu antes mesmo de o novo governo começar. Continuará a acontecer? É claro que muita gente pode perguntar: como assim, se há tanta coisa que precisa ser feita, e com tanta urgência? Simples: isso tudo deverá vir naturalmente, no espaço deixado pela monstruosa montanha de entulho que foi jogada em cima da sociedade brasileira nos últimos quinze anos. Pense um minuto, por exemplo, no “trem-bala” dos presidentes Lula e Dilma. Não existe trem-bala nenhum. Nunca existiu. Nunca vai existir. A única coisa que existiu, aí, foi a transferência de dinheiro do seu bolso para o bolso dos empresários do “campo progressista”. Mas até hoje continua existindo a empresa estatal legalmente constituída para cuidar do “projeto”. Chama-se EPL, tem diretoria, 140 funcionários, orçamento de 70 milhões de reais e por aí afora. Nenhum país no sistema solar pode dar certo desse jeito.

A escolha é clara: ou o Brasil progride, cria riquezas, cria empregos, gera e distribui renda com o desenvolvimento da atividade econômica produtiva, ou tem o trem-bala de Lula e Dilma. É uma coisa ou a outra: não dá para ter as duas ao mesmo tempo. Também não dá para melhorar a vida de um único pobre, um só que seja, doando 1,3 milhão de reais de dinheiro público à cantora Maria Bethânia, para que ela declame poemas num blog pessoal, em clipes produzidos pelo diretor Andrucha Waddington. Não será possível ir a nenhum lugar enquanto continuar existindo a TV Brasil, invenção de Lula que custa 1 bilhão de reais por ano, emprega mais de 2 000 amigos do PT e tem zero de audiência. Que mais? Mais de mil coisas, ou seja lá quantas forem, que a segunda parte do governo Dilma – este que está aí, com o nome de “governo golpista” de Michel Temer – deixou intactas para você pagar. Tirem esse lixo todo daí e o Brasil dará um salto.

A verdade, para simplificar a história, é que o país se prejudica muito mais com as coisas que o governo faz do que com as coisas que não faz. Eis aí: o ideal, mesmo, seria um governo que não fizesse nada do que não precisa ser feito. O Brasil não precisa de Plano Quinquenal. Não precisa de “obras estruturantes” nem de “políticas públicas”. Não precisa da Refinaria Abreu e Lima, pela qual você está pagando 20 bilhões de dólares desde o início do governo Lula – dez vezes mais do que estava orçado – e que até agora não ficou pronta. (Essa era a tal em que fizeram a Petrobras ficar sócia da Venezuela de Hugo Chávez, que nunca colocou um único tostão na obra.) Não precisa de PAC – um monumento mundial à roubalheira, à incompetência e à mentira. Não precisa de pirâmides como a Copa do Mundo, ou a Olimpíada, com estádios e uma Vila Olímpica inteira hoje afundando no chão, porque roubaram no material, no projeto e em tudo o que foi humanamente possível roubar – sem que nenhuma alma em todo o majestoso Estado brasileiro ficasse sabendo de nada. O teste mesmo é o seguinte: o Brasil estaria melhor ou pior se não tivesse feito nada disso?

Num país em que uma empresa pode gastar 2 000 horas por ano só lidando com as exigências que o governo inventa para arrecadar impostos – e quando se vê que essas 2 000 horas significam 83 dias de 24 horas, inteiramente perdidos, sem que se produza um único alfinete -, dá para se ter uma ideia da ruína em que colocaram o Brasil. Se o governo desfizer isso, simplesmente desfizer, será melhor ou pior? Fala-se aqui, singelamente, das aberrações mais estúpidas. Espere até chegarem os problemas realmente classe AAA, gold-platinum-­plus – como a constatação de que 50% de todos os gastos federais vão unicamente para a Previdência Social, e que o grosso disso é engolido com o pagamento das aposentadorias dos funcionários públicos – sobretudo da elite de gatos gordos. (Esses são os “direitos” que não podem ser tocados.) Será inútil, simplesmente, querer montar alguma coisa de útil no Brasil enquanto não se desmontar esse ambiente de demência.

3 dezembro 2018 DEU NO JORNAL

AS GRAVATAS COM MEDO DAS ESTRELAS

Se o presidente eleito Jair Bolsonaro pretendia assustar a classe política enchendo o primeiro escalão do seu governo de generais, conseguiu.

Habituados aos métodos do passado, os políticos estão em pânico.

* * *

Fiquei sem intendê porque os políticos estão assustados com os generais que irão compor o primeiro escalão do próximo governo.

Consultei meu amigo palmarense Zeca Galo, especialista em análises militares, e ele me disse que político, sinônimo de ladroagem e putaria, não combina com general, sinônimo de seriedade e honradez.

Daí o pavor dos felas-da-puta.

Desconfio que isto seja um bom sinal e que seja ótimo pro país.

Desconfio não: eu acho que é isto mesmo.

General Carlos Alberto dos Santos Cruz, futuro Ministro Chefe da Secretaria de Governo: sem paletó, sem gravata e sem cara de negociador de cargos com políticos em troca de favores

3 dezembro 2018 PERCIVAL PUGGINA

STF E GLOBO, VILÕES NACIONAIS

Não hesito em afirmar que STF e Globo disputam o primeiro lugar, tanto num concurso de presunção e arrogância quanto num de antipatia, sendo igualmente rejeitados pela direita e pela esquerda.

O Grupo Globo, aqui denominado simplesmente “a Globo”, é rejeitado pela esquerda porque esse segmento político nutre inimizade por qualquer poder que não esteja totalmente subordinado a seus interesses. Vem daí a insistência do discurso petista em favor da “regulação da mídia”. O conhecido blog esquerdista Brasil 247 em matéria do dia 8 de janeiro deste ano publicou extenso artigo deixando bem clara, desde o título, a importância do tema: “Sem regulação da mídia, não tem saída para a esquerda”. Blogs de igual orientação, aliás, atacam comumente a Globo acusando-a de golpista em virtude da divulgação que fez dos achados da Lava Jato, da miserável ditadura venezuelana, das relações escusas do governo petista com ditaduras de esquerda na Ibero América e na África Subsaariana. Como para o PT tudo que pesa contra ele é falso, os petistas desajariam que tais matérias não fossem divulgadas ou, sendo, que o sejam apenas aos insones das altas madrugadas. Daí o ódio … oops – ódio não porque os petistas não odeiam – dedicado à Globo. Para eles, escandalosa não é a corrupção, mas a notícia sobre a corrupção.

Por outro lado, do centro para a direita do leque de abano ideológico, espaço onde estão os conservadores, a Globo é rejeitada tanto em virtude do combate frontal e deletério que dela recebem os valores morais sedimentados na nossa tradição, quanto pelo seu apoio às pautas e causas da esquerda. A essas duas tarefas, inequivocamente, se dedica imensa maioria de seus programas, novelas e atores, jornalistas e comentaristas sistematicamente recrutados para manifestações de apoio político ao partido da estrela e seus cognatos ideológicos. A posição esquerdista da Globo ficou evidenciada no editorial em que o direção do grupo de empresas se desculpou pelo apoio dado à contrarrevolução de 1964.

Com o STF ocorre algo muito parecido. Nosso Supremo é rejeitado pela esquerda e pela direita. Aquela o detesta pela legitimação constitucional que deu ao processo de impeachment de Dilma Rousseff (malgrado a “mãozinha” final proporcionada por Lewandowski) e, principalmente, pelas “traições” de alguns ministros indicados pelo partido no julgamento de ações penais contra petistas, desde o caso mensalão. Há algumas semanas li, alhures, entrevista em que José Dirceu, referindo-se a isso, afirmou que as indicações para o STF durante os governos petistas foram extremamente rigorosas sob o ponto de vista da afinidade ideológica. No entanto, digo eu, em juízo criminal colegiado é muito difícil para um magistrado votar contra abundantes provas contidas nos autos que todos leram. Daí a diferença de conduta: o PT tem ampla base de apoio dentro do STF, aprova as pautas petistas que lá chegam e isso lhe causa o repúdio de quem não é de esquerda, mas na hora da ação penal, onde não há alternativa de prescrição ou nulidade viável, não havendo alternativa, condena. Como a defesa intransigente dos próprios criminosos é uma particularidade esquerdista, as demais condenações pluripartidárias só causam desconforto aos sentenciados.

Logo ali adiante, porém, o STF costuma resolver boa parte desses débitos soltando presos provisórios e condenados com uma liberalidade que restabelece a necessária impunidade sem a qual se corre o risco de acabar com a cadeia produtiva do crime. E aí, claro, a direita estrila.

Como se vê, STF e Globo são dois grandes vilões nacionais pelos motivos certos e, também, pelos errados, o que não deixa de ser um feito.

3 dezembro 2018 DEU NO JORNAL

A ASCENSÃO DE MORO AO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA

RUI POSNIAK – LONDRINA-PR

Caro Berto

Lembra da blogueira cubana que ao visitar o Brasil foi perseguida pelos petistas?

Ela fundou o jornal 14medio.

Segue um artigo sobre a falta de qualidade do arroz oferecido aos cubanos.

Note que eles preferem arroz brasileiro.

Clique aqui para ler.

ISLAMISMO POLITICAMENTE INCORRETO

Está havendo uma rápida islamização do mundo. A Europa já está praticamente tomada, é fato.

Essa retórica politicamente correta, inventada pela mídia vermelha, de que a maioria dos muçulmanos só quer a paz e que o Corão não prega violência, está totalmente errada. O islã não aceita a convivência com outras religiões. Quem não é muçulmano é incrédulo, e o Corão prega sim, a morte dos infiéis que não se converterem. Manda matar, diz que não peca aquele que mata incrédulo. E é direto, sem metáfora.

“2ª surata: 191 – Matai-os onde quer que os encontreis e expulsai-os de onde vos expulsaram, porque a intriga é mais grave do que o homicídio. Não os combateis nas cercanias da Sagrada Mesquita, a menos que vos ataquem. Mas, se ali vos combaterem, matai-os. Tal será o castigo aos incrédulos.”

Pergunte a um muçulmano se ele defenderia o seu país ou o islã em caso de guerra? A resposta é única, defenderia o islã. O muçulmano não aceita o estado laico, muito menos a democracia. Islã e democracia são antagônicos.

Mas nos países democráticos, usam a democracia para criarem verdadeiros guetos onde apenas a sharia é aplicada, não aceitam as leis dos países que os acolhem. Pobres refugiados! Por que não se refugiam nos países muçulmanos ricos? Simples, eles não aceitam. Por quê? Porque querem islamizar o ocidente e, para isso, contam com os refugiados e com a idiotia do politicamente correto e seus seguidores. Também contam com a “tolerância” do ocidente.

É a Hégira, ignorantes! É um método.

Não aceitam a cultura dos países ocidentais, mas querem que os ocidentais, quando em países muçulmanos, aceitem a sua. A mídia diz que é um absurdo não permitirem que as muçulmanas usem seus trajes, é um desrespeito aos seus valores, mas não diz que é um absurdo que as cristãs não o usem quando estão lá, são obrigadas. Cadê as feministas?

Alguém já viu algum líder muçulmano (não um simples mulá de mesquita) condenando os atentados e fazendo campanha contra o terrorismo? Dizendo que não existe “mártir”? Que quem comete um atentado não vai para o paraíso e que não existem 72 virgens esperando? Dizendo que quem se mata pelo islã é apenas um inocente útil nas mãos de um bando de psicopatas? Que Deus não quer que ninguém mate em Seu nome? Não, né. No máximo, meia dúzia de bagrinhos dizem que o islã é paz blá blá blá, sem nem tocar no assunto.

Quando eu ouvir algum condenando o terrorismo, condenando a jihad, mudo de ideia.

Essa religião tornou-se uma epidemia que precisa ser freada. Que fique dentro das fronteiras dos países que a adotam, antes que o mundo tenha que reviver as cruzadas, já que eles reviveram a jihad e a fatwa. Aliás, não fossem as cruzadas, tão criticadas pelo politicamente correto, a Europa estaria seguindo a sharia há séculos, ou seja, a Europa já passou por isso, mas parece que não aprendeu nada.

Muitos muçulmanos estão combatendo o ISIS, é verdade. Mas é pelos seus territórios, pelas suas próprias vidas, não porque querem acabar com o terrorismo no ocidente. Se eles não se entendem nem mesmo entre eles, como vão viver bem com outras religiões?

E os cristãos assassinados diariamente nos países muçulmanos simplesmente por serem cristãos? Mulheres, crianças. A imprensa não mostra, o assunto não é tocado por nenhum líder mundial, nem pelo nosso Papa comunista, parece tabu. Ih! o Trump falou… mas ele não é doido?

Os EUA estavam indo pelo mesmo caminho, mas o povo americano acordou.

Sei que um monte de descolados acham o Trump maluco e outros adjetivos negativos, mas sem ele, tenham a certeza, a coisa ia ficar cada vez mais preta.
E não pensem os brasileiros que aqui não chegará se nada for feito, e desde já. Há poucos anos o islamismo ainda era inexpressivo na Europa como é no Brasil. E agora, temos a nova Lei de Emigração, do comunista Aloysio Nunes, escancarando as nossas fronteiras.

Nós precisamos abominar o politicamente correto da esquerda. Jogar no lixo.

Não se combate intolerância com tolerância. As flores, infelizmente, não vencem os canhões. E eles sabem disso.

FRASES ANÔNIMAS INTELIGENTES

“A vida não pede que você seja perfeito, e sim que aprenda todos os dias a ser uma melhor versão de si mesmo.”

“Maturidade não significa o quanto você viveu, significa o quanto você aprendeu.”

“Não podemos impedir que os pássaros da tristeza voem sobre nós, mas podemos impedir que façam ninho em nossas cabeças.”

“Não tenha medo de cometer erros, tenha medo de não aprender com eles.”

“A vida é um caminho longo, onde você é mestre e aluno; algumas vezes você ensina, e todos os dias você aprende.”

“O melhor jeito de convencer alguém que está errado é deixá-lo seguir seu caminho.”

“Nunca deixe que uma crítica derrube aquilo que você construiu. Quem te define é o teu caráter, e não a opinião dos outros.”

“Ser saudável não é apenas sobre o que se come. É também sobre o que se pensa, diz e faz!”

“O bom da vida, é que mesmo que não possamos modificar o que ficou para trás, ela nos dá oportunidade de escrever uma nova história…”

“Assuma seus erros, entenda suas falhas e perdoe-se por elas. A vida fica mais leve sem o fardo da culpa.”

“A felicidade não chega quando conseguimos o que queremos, mas sim quando aprendemos a desfrutar aquilo que já temos.”

“Não posso impedir que falem mal de mim, mas posso impedir que isso me afete.”

“Quando alimentamos mais a nossa coragem do que os nossos medos… Passamos a derrubar muros e construir pontes.”

“É desnecessário ficar tentando provar algo a alguém. As pessoas tomam como verdade apenas aquilo que lhes convém.”

“Você não pode controlar o vento, mas pode ajustar a vela para chegar onde quer.”

“Às vezes, precisamos morrer um pouco por dentro para que então possamos renascer… e crescer mais fortes e sábios numa nova versão de nós mesmos.”

“Nada supera a satisfação de olhar para trás e ver que nos tornamos pessoas melhores.”

“A paz não é determinada pelo que está acontecendo em torno de você, mas sim o que está acontecendo dentro de você.”

“Momentos bons e ruins fazem parte da vida. A diferença é que um marca e outro ensina.”

“Quando as coisas não fizerem mais sentido e nada mais prender você, não tenha medo de trocar o roteiro. Você só descobre novos caminhos quando muda a direção.”

ARAEL COSTA – JOÃO PESSOA-PB

Caro Papa

Vejo nos jornais informação de que o ilustre deputado Jean Wyllys está sob risco de vida (Folha de São Paulo – coluna de Mõnica Bergamo).

EM RISCO - O deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) recebeu comunicado da Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) afirmando que concedeu a ele medidas cautelares exigindo que o Estado brasileiro zele por sua vida.

EM RISCO 2 - O pedido foi feito por ele em outubro, com relatos de ameaças de morte. A CIDH considerou que o parlamentar se encontra em uma situação de gravidade e urgência, “posto que seus direitos à vida e à integridade pessoal estão em grave risco”.

É POUCO - No documento, a CIDH diz que “valora” providências tomadas pelo Estado, mas que elas não seriam suficientes. Cita, por exemplo, que a Câmara dos Deputados cedeu carro blindado ao parlamentar, mas que a medida só teria continuidade se o próprio Wyllys pagasse por ele.

Esta notícia me fez imaginar que esse risco poderia ser de uma gravidez mal cuidada, mas me refiz do susto logo dando-me conta de que o serviço médico do congresso tem condições, das melhores, para cuidar disto, daí a desnecessidade de interferência da Comissão de Direitos Humanos da OEA.

O grande problema futuro será estabelecer a paternidade…

3 dezembro 2018 CHARGES

SPONHOLZ

3 dezembro 2018 A PALAVRA DO EDITOR

NOMES DE DUPLAS SERTANEJAS

O leitor fubânico Luiz Leal, residente em Casimiro de Abreu-RJ, mandou aqui pra gente uma página muito curiosa.

Uma página que tem este título:

Conheça as 13 Duplas Sertanejas com nomes estranhos e muito engraçados

De fato, são nomes engraçados e curiosos.

Vale a pena dar uma entrada por lá.

Tem fotos e vídeos.

Para acessar, clique na imagem abaixo:

MEU ROMANCE – QUEM VIVER, VERÁ

No campo das escritas, gosto do pouco: escrever pouco. Por isso escrevo crônicas, pequenas. De vez em quando, faço versos, também pequenos que, de quando em vez, se transformam em canções. Assim, restrinjo a possibilidade do erro. Gosto, também, de fazer histórias infantis que, por assim serem, dispensam maior extensão, são sempre curtas. Em se tratando de textos mais longos, prefiro lê-los. Calma e preguiçosamente. Mas, ainda assim, estou começando a escrever um romance, um pequeno romance, não mais que 160 páginas, para não fugir à regra, contando a história de Bastião do Jesus Bom, um deficiente mental, um louco, apaixonado por Tieta, uma quase irmã de caridade (era assim que chamávamos as freiras na minha cidadezinha do interior). Por conta dessa remotíssima possibilidade de a impossibilidade tornar-se possível, Bastião vai-se tornando, inversamente à lógica, cada vez mais lúcido, menos louco, ao contrário de sua Tieta, que se aliena aos poucos até tornar-se tão louca quanto louco era seu pretendente. O livro está escrito até o Capítulo 5, os personagens com seus perfis delineados e até o seu desfecho também está escrito. Falta, apenas, coragem, para retomar o lápis e dar andamento ao projeto. A expectativa é que eu conclua o trabalho em meados de 2040, dentro, portanto, de vinte e dois anos. Tivesse eu a disposição, o talento e a genialidade de Dr. José Paulo, que gastou apenas 10 anos para pensar, escrever e concluir sua obra prima sobre Fernando Pessoa, eu não levaria tanto tempo para conclusão de meu romance. Mas se a preguiça deixar e a saúde permitir, o acesso às bestagens e bobagices de meu romance se dará neste ano 40 que está por vir, daqui a 5 copas do mundo.

3 dezembro 2018 DEU NO JORNAL

CHIQUINHO CONDENA A BAITOLAGEM CLERICAL

Papa diz em livro que padres gays devem largar o sacerdócio “em vez de viver vida dupla”

Homens com tendências homossexuais não deveriam ser admitidos no clero católico, e seria melhor para os padres ativamente gays abandonar o sacerdócio em vez de levar uma vida dupla, afirmou o Papa Francisco em um livro que será lançado nesta semana.

Embora o Papa já tenha falado antes sobre a necessidade de uma melhor triagem de candidatos para a vida religiosa, o comentário sugerindo que padres que não podem manter seus votos de celibato devem deixar o sacerdócio é um dos mais enfáticos sobre o assunto até o momento.

Francisco deu a declaração em entrevista para um livro do padre espanhol Fernando Prado, que aborda os desafios de ser padre ou freira nos dias atuais.

título da obra é “O poder da vocação“.

* * *

Chiquinho, meu colega de papado, está certo.

Certíssimo.

Padre xibungo é uma tremenda duma escrotidão clerical.

E, o mais importante, contraria a Bíblia, a fonte de fé do catolicismo romano.

Tá escrito na Lei de Deus: macho se passando por fêmea é pecado, é errado, não está certo.

Apenas dois trechos do livro sagrado dos cristãos:

Levítico 18:22: “Não se deite com um homem como quem se deita com uma mulher; é repugnante.”

1 Coríntios 6:9, 10: “Não sabeis que os injustos não hão de herdar o reino de Deus? Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus.”

E isto dito, tá dito tudo.

Chiquinho está corretíssimo: padre baitola contraria a Bíblia.

As três maiores religiões monoteístas do mundo, o judaísmo, o cristianismo e o islamismo, são bem claras e enfáticas em condenar a viadagem.

Me lembrei agora que eu citei este fato num vídeo que gravei há 5 anos.

Aproveito a deixa pra repeti-lo.

Tô contigo e não abro, colega Chiquinho!

O DURÃO RICHARD BOONE, AMEDRONTADOR E VILÃO CRUEL

Para os amantes do faroeste, o truculento Richard Boone foi um dos grandes bandidos do cinema(aos moldes de Lee Marvin e Lee Van Cleff). Possuidor de uma cara de poucos amigos e modos nada educados, deixou uma marca bastante forte nos filmes em que atuou, grande parte deles westerns. Conforme nos conta o estudioso e pesquisador de filmes de bang bang, o paulista Darci Fonseca, Richard Boone que morreu com apenas 63 anos de idade era descendente do pioneiro Daniel Boone, àquele que fez grande sucesso nas famosas séries de televisão, na antiga TV TUPI. A bem da verdade, mesmo sendo mau, Richard Boone tem um lugar cativo na memória de quem curtiu e ainda gosta dos filmes de cowboys.

Mesmo com o tipo durão com feição ameaçadora e incapaz de sorrir, Richard Boone também fez sucesso nas famosas series de televisão. Nos anos de 1957 a 1963 dedicou-se quase que inteiramente à televisão como o inesquecível Paladin da série O Paladino do Oeste (Have a Gun, Will Travel). Durante praticamente todo esse tempo O Paladino do Oeste esteve entre as dez séries de maior audiência, com enorme popularidade também no Brasil. A principal razão desse sucesso era devida à magnífica elaboração da personagem que Boone criou, ou seja, um pistoleiro elegante, charmoso e erudito(apesar de sua feiura), que alugava seus serviços apenas para as causas que considerava justas.

No Cinema participou também em diversos filmes, atuando ao lado de astros como John Wayne, Charlton Heston, Marlon Brando e Richard Widmark. No tocante ao Papa do faroeste norte-americano, Boone trabalhou três vezes com John Wayne nos filmes: O Último Pistoleiro, Jake Grandão e O Álamo. Por ser um bandido feio, sujo e malvado, quase repulsivo, Richard Boone foi o escolhido para contracenar com o Papa John Wayne no filme Jake Grandão(Big Jake-1971). Big Jack é sim um bom filme. Considero um dos bons bang bang da fase final da vida do Wayne que morreu 8 anos depois. Nas filmagens de Jake Grandão, o já doente e cansado John Wayne, com seus 65 anos de idade fora acompanhado por um batalhão de dublês, inclusive, o dublê, hoje, de Clint Eastwood.

Neste faroeste cheio de ação, John Wayne interpreta o Grande Jake McCandles, um marido que não vê sua esposa há mais de 10 anos, mas que resolve voltar para casa quando seu neto é raptado por um sórdido bando de fora-da-lei. Na captura do bandido sequestrador, Enquanto a lei roda em velhos automóveis (baratinhas) & motocicletas (bicicletas malucas), Jake cavalga com um ajudante índio e uma caixa de dinheiro – ainda que pagar o resgate não seja o que Jake planeja para executar a velha e boa justiça do Oeste. Temperado com humor e tiroteios de primeira, esta é uma vibrante versão dos últimos dias do Oeste bravo. Para John Wayne, este foi um filme em família. Seu filho mais velho produziu e dois outros, Patrick e John Ethan, trabalharam nele. O filme também marcou a terceira vez que Richard Boone e John Wayne atuaram juntos e a quinta vez que Wayne contracenou com a extraordinária atriz Maureen O’Hara(irlandesa, era muito amiga de John Wayne, morreu em 2015 aos 95 anos).

Como curiosidades na película cinematográfica de Jake Grandão, estrelada por Wayne, Boone e a deslumbrante Maureen O’Hara, este foi o derradeiro filme dirigido por George Sherman. Amigo de Wayne desde os anos 30, ele já não ia bem de saúde e por conta disso o ator assumiu a direção em algumas sequências. Outras curiosidades, além do reencontro dos amigos Boone e Wayne foram as misturas do velho com o novo, a tentativa da troca no Velho Oeste, como sinal de modernidade, do cavalo pelas três baratinhas e a bicicleta maluca que se perderam nas veredas dos grandes e perigosos desfiladeiros montanhosos do território texano. Outra novidade foi a junção da grande família Wayne trabalhar junta, principalmente o garotinho de 10 anos, Ethan Wayne, que interpreta o neto de Jake, quando na verdade é o filho legítimo de John Wayne.

Outra brilhante atuação de Richard Boone foi no filme HOMBRE, tendo Paul Newman como protagonista. Nesse filme, Paul Newman, praticamente sozinho, enfrenta em “Hombre” a quadrilha chefiada por Richard Boone. Um dos mais cruéis homens maus dos faroestes, Boone liderou nesse filme David Canary, Skip Ward, Frank Silvera e Cameron Mitchell, atores que dispensam apresentações. O Hombre é um Filme tenso e arrebatador com atuações impecáveis do bonito Paul Newman e do feioso Richard Boone. Não é à toa que, Hombre, foi, merecidamente, um grande sucesso de bilheteria e disparado o melhor faroeste de 1967.

E ainda tem O Último Pistoleiro, que é um filme profundo e onde o mais famoso cowboy feio do cinema, Boone, tem a chance de trabalhar pela última vez com seu amigo Duke(John Wayne). Aliás, O Último Pistoleiro, filme que eu recomendo por uma simples peculiaridade: “O Wayne se despediu da vida com uma pistola na mão”, duelando com Richard Boone. O Último Pistoleiro é de 1976 e o Duke nos abandonou para sempre em 1979. A obra, além do teor dramático de sua narrativa, ganha um caráter ainda mais melancólico e, é claro, histórico – este foi o último trabalho de Wayne, que morreria apenas três anos depois, em 1979, aos 72 anos, graças ao câncer em seu estômago, condição que o seu personagem deste filme compartilha. Richard Boone faleceu da mesma doença de John Wayne, câncer, em 10 de janeiro de 1981, com apenas 63 anos de idade. Seu corpo foi cremado e suas cinzas espalhadas em terras do Havaí.

ROQUE SPONHOLZ – PONTA GROSSA-PR

Vem Natal, vai Natal e essa charge/cartoon pinta na tela.

Há uns 17 anos era colaborador de um portal de humor gráfico (o primeiro em língua espanhola) de Barcelona e essa charge acabou ilustrando calendário do portal vendido em toda a Europa.

O nome do portal era “El Can”

Ela também é uma das mais plagiadas que já fiz.

Um excelente mês de dezembro para todos e 1grandabraço……

R. Meu caro, é um privilégio editar uma página que tem um colaborador do seu quilate.

Fico ancho que só a peste de ter um dos maiores chargistas do Brasil e do mundo publicando seus trabalhos nesta gazeta escrota.

Este seu Papai Noel consumista, com os dentes em forme de código de barras, está simplesmente genial!

Você merece o sucesso que faz.

Abraços e tenha também um excelente mês de dezembro.

Recomendo aos nossos leitores um passeio pela página de Sponholz.

Garanto a vocês que vale a pena. Não deixem de entrar no item “Bio”.

É só clicar aqui.

3 dezembro 2018 CHARGES

SINOVALDO

UM LIVRO ENCANTADOR

Há certas leituras que efetivamos por obrigação, diante de orientações recebidas de mestres estudiosos. Entretanto, outras são efetivadas com uma vontade final de quero-mais da gota serena, dessas que nos incentivam compulsoriamente para aprimoramentos doutrinários, aperfeiçoando nossa enxergância e favorecendo orientações para jovens que buscam principiar-se na Doutrina Espírita, tencionando ser cristão seguidor de Allan Kardec, aquele lionês que revolucionou as relações matéria-espírito com seus livros e orientações profundamente racionalistas. Umas dessas leituras me foi sugerida, tempos atrás, por uma psicanalista, a Valéria Pessoa, militante de escol que muito estimo da Associação Espírita Casa dos Humildes, sediada à rua Henrique Machado, 110, bairro de Santana, no Recife, capital pernambucana.

O livro chama-se Espiritismo para jovens: a história de Jesus e o Livro dos Espíritos para iniciantes da doutrina espírita, Eliseu Rigonatti, São Paulo, Pensamento, 2018, 454 p.

Para quem ainda desconhece o autor, segundo a contra-capa, “Rigonatti (1913-1988) foi um renomado escritor espírita, divulgador da Doutrina de Allan Kardec e um importante líder do movimento espírita brasileiro. Um dos fundadores da Sociedade Paulista de Estudos Espíritas, em 1946 criou o jornal A Infância Espírita, uma das primeiras publicações do gênero voltada para crianças e jovens. Autor best-seller de livros clássicos sobre catecismo espírita e obras de divulgação da Doutrina, o conjunto de sua obra, lançado pela Editora Pensamento, já vendeu mais de 500.00 exemplares”.

O livro do Rigonatti acima citado é composto de duas partes. Na primeira, os Evangelhos são apresentados numa versão integral própria do autor, retiradas as repetições dos fatos, a narrativa sendo feita numa linguagem apropriada para jovens. Na segunda parte são explicitadas em 44 lições a obra máxima de Allan Kardec, também numa linguagem descomplicada, própria para os leitores iniciantes jovens, revelando importantes passagens sobre ética e moral dentro da Doutrina, nunca desprezando a parte evangélica do livro, posto que, segundo o autor, “o ensinamento evangélico está disseminado por todos os capítulos, porque um dos pilares fundamentais do Espiritismo é o Evangelho de Jesus”.

No livro do Rigonatti, vamos encontrar valiosas lições sobre os mais esclarecedores assuntos, tais como: As diferenças entre Espiritismo e Espiritualidade; A alma, o princípio vital e o fluido vital; O conhecimento do princípio das coisas relacionadas à criação do Universo; Espírito e matéria e propriedades da matéria; Formação do mundo; Evolução dos seres vivos; O povoamento da Terra e as origens de Adão; A diversidade das raças humanas; A pluralidade dos mundos habitados no Universo (muitas moradas); Considerações e concordâncias bíblicas relativas à Criação; Origem e natureza dos espíritos; A finalidade da encarnação e da reencarnação; Mundos transitórios; Anjos da guarda, espíritos protetores, familiares e simpáticos; Desgosto pela vida, depressão e suicídio; Provas, arrependimento e expiação; Paraíso, Inferno, Purgatório e Paraíso Perdido.

Dedicando seu texto ao inesquecível escritor Monteiro Lobato, Eliseu Rigonatti revive Lina, uma contadora de histórias dos seus tempos de criança, em Itambé, hoje Ibitu, quando ele frequentava a escola primária do professor Amador. Segundo ele, “Itambé era um povoado tranquilo, rodeado de matas quase virgens, de fazendas de criação e de sítios; distava de Barretos quatro léguas, ao norte do Estado de São Paulo.” E vai mais além: “Dentre os estudantes que nas férias apareciam por lá (Itambém), guardo suave lembrança de uma mocinha morena, de olhos pretos, grandes e rasgados, que lhe iluminavam o rosto, chamava-se Lina, e era minha vizinha. Lina gostava de contar histórias. E quantas ela sabia! À tardinha, depois do jantar que era servido cedo, ela reunia um grupo de crianças em sua casa, e os personagens de um mundo maravilhoso ganhavam vida ante nossos olhos, evocados por sua voz doce e mansa, até que o relógio da parede batesse oito horas, quando ela nos mandava para casa, dormir.”

Na parte II – O Livro dos Espíritos para Jovens e Iniciantes na Doutrina Espírita encontram-se expostas 43 aulas, entre as quais destacamos a 1ª. (Notícias sobre o Livro e Allan Kardec), a 3ª. (A Doutrina Espírita e os seus Contraditórios), a 7ª. (Criação), a 12ª. (Encarnação dos Espíritos), a 19ª. (Dona Corina), a 21ª. (Emancipação da Alma), a 24ª. (Influência dos Espíritos sobre os acontecimentos da vida), e a 41ª. (Esperanças e Consolações). No final do livro, Rigonatti nos apresenta um Pai-Nosso lindamente poético, onde a última estrofe está repleta de muita Esperança: “Até chegarmos à suprema luz, / A cidade eterna do Grande Rei, / Não nos deixeis violar as vossas leis, / Mas livrai-nos do mal, Senhor Jesus.”

E a despedida das aulas, fim das férias, era por demais tocante. Falava o extraordinário instrutor dos jovens: “Não se entristeçam. Aproveitem bem o ano que vem estudando com afinco, com ardor. E nas férias vindouras estaremos juntos de novo, guiados por Allan Kardec, a quem devemos gratidão, respeito, admiração e amor!”

PS. Para o público infanto-juvenil, que hoje desconhece o pensar de Thomas Jefferson – “As doutrinas que fluem dos lábios de Jesus estão ao alcance da compreensão de qualquer criança” – um outro livro do Rigonatti é um precioso presente de Natal: O Evangelho da Meninada, editora Pensamento, 2017 (21ª. reimpressão), 146 p. Leitura evangelizadora para os pequeninos, sem fricotismos nem outras cavilosidades, onde Lina, a contadora de história de Itambé, encantava os pequeninos com a vida do Homão da Galileia, nosso Irmão Libertador. Confesso que a criança que ainda vive em meu interior de cristão militante kardecista vez por outra relê partes do livro, tomando-as como temas reflexológicas para limpeza da caminhada em direção à Luz Infinita.

3 dezembro 2018 CHARGES

PATER

LA BELLA MUSICA ITALIANA

 

***

Gigliola Cinquetti, nascida em 1947, completa 71 anos no dia 20 de dezembro. Em 1973 fazia sucesso com a canção “Alle Porte Del Sole”.


© 2007 - 2018 Jornal da Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa