3 dezembro 2018NO AGUARDO



A Segunda Turma do STF dificilmente acatará as razões apresentadas pela defesa de Lula no novo habeas corpus que será analisado amanhã pelo colegiado.

No recurso, os advogados alegam que a ida de Sergio Moro para o Ministério da Justiça de Jair Bolsonaro “prova” sua parcialidade no julgamento das ações penais contra o petista.

Aceitar essa tese maluca de Cristiano Zanin e esposa significaria anular, na prática, tudo o que foi feito pelo ex-juiz da Lava Jato – nenhum tribunal anterior concordou com isso até agora.

* * *

Sei não…

Com os canalhas togados que nós conhecemos, eu tenho minhas dúvidas sobre o “dificilmente” que está nesta notícia aí de cima.

Aguardemos.

Faltam menos de 24 horas.

E, em falando de canalhas togados, enquanto aguardamos a decisão de amanhã, boto no ar esta montagem que recebi do leitor Mário Sérgio, de Cuiabá:

2 Comentários

  1. A verdade é que, esse H C nada tem a ver com a condenação do Lulla: os capas pretas vão julgar a honradez caráter e honestidade do Juiz.Vai ser interessante ver alguns desses idiotas mijar fora do penico: e as consequências

  2. Pois é, só falta esses ministros acreditarem que o Moro previu em 2017 que o Bolsonaro seria eleito presidente e o convidaria para um superministério se ele aplicasse uma condenação ao Lula. Só falta eles acreditarem que a Dilma foi condenada na década de 60 como subversiva pelo próprio Moro.

Deixe o seu comentário!


© 2007 - 2018 Jornal da Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa