Cardeal Arcoverde (1850-1930)

Joaquim Arcoverde de Albuquerque Cavalcanti nasceu em Cimbres (atual Pesqueira), em 17/01/1850. Começou a ser preparado para o sacerdócio aos 13 anos, no Seminário Menor, em Cajazeiras (PB) e aos 16 foi enviado ao Pontifício Colégio Pio Latino-Americano, em Roma, onde cursou ciências e letras, filosofia e teologia; e direito canônico na Universidade Gregoriana. Foi ordenado padre, em 1874, na Arquibasílica de São João de Latrão, a catedral da Diocese de Roma. Em seguida passou dois anos estudando ciências naturais na Universidade de Sorbonne, em Paris. De volta ao Brasil, foi professor de francês e diretor do Ginásio Pernambucano do Recife, e professor de Filosofia e reitor do Seminário de Olinda. Foi também pároco em alguns bairros recifenses e em Pesqueira por dois anos. Em maio de 1884 recebeu o título de “Prelado Doméstico de Sua Santidade”.

Em 1888, foi indicado por Dom Pedro II como bispo auxiliar da Bahia, mas recusou o cargo. Em 1890 foi indicado bispo de Goiás, o que foi confirmado pelo Papa Leão XIII. Em outubro do mesmo ano foi sagrado bispo. Regressando ao Brasil, foi morar em Itu (SP), onde passou a lecionar no Colégio São Luis, dos Jesuitas. Em 1892 foi designado bispo auxiliar de Dom Lino Deodato Rodrigues, arcebispo de São Paulo. Nesta função, viajou à Europa contatar as congregações religiosas que deveriam vir ao Brasil para ações missionárias e de educação. Em agosto de 1894, em Paris, soube do falecimento de Dom Lino, sendo nomeado seu sucessor. Em setembro do mesmo ano toma posse como 10º bispo de São Paulo.

Na condição de bispo diocesano de São Paulo de 1894 a 1897 teve importante atuação para superar os atritos com o novo regime republicano, principalmente no que se referia à extinção do ensino religioso nas escolas públicas. Em seu bispado foi iniciada a construção de diversas igrejas em São Paulo, como a do Bom Jesus, no Brás; elevou a capela de Santa Cecília a tradicional Paróquia de Santa Cecília; fundou Paróquia Santuário Nossa Senhora da Assunção Aparecida, em Aparecida; a construção de um prédio para a congregação dos Missionários do Imaculado Coração de Maria e fundou a Federação das Associações Católicas. Seu preparo e disposição de trabalho atraem a simpatia do Papa Leão XIII, que o designa Arcebispo Metropolitano do Rio de Janeiro, em 1897, devido ao falecimento de Dom João Esberardo. No ano seguinte foi empossado como membro-titular do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro.

O Arcebispado de Dom Arcoverde no Rio durou até 1905 e, infelizmente as biografias não trazem muita coisa sobre esse período. Mas tendo em vista sua capacidade e obstinação em organizar e criar, sua gestão foi profícua. Foi isto que o capacitou para chegar ao cardinalato em dezembro de 1905. O Papa Pio X, durante a realização de um Consistório secreto, ordenou-o cardeal da Santa Igreja, com o título de presbítero da Igreja de São Bonifácio e Santo Aleixo, em Roma. Em março do ano seguinte, o Papa lhe impôs o barrete, tornando-o o primeiro cardeal do Brasil e da América Latina. De volta ao Brasil, em abril de 1906, foi recebido no Rio de Janeiro com grandes manifestações e homenagens. Durante algum tempo alimentou a imprensa de esperanças de que dentro dos próximos 50 anos, o Brasil, sendo a maior nação católica fora da Europa, fizesse um Papa.

O Cardeal passou alguns anos afastado de suas funções prelatícias, em razão da saúde, permanecendo no cargo até a sua morte, em 18/04/1930, uma Sexta-Feira Santa, quando era ainda o único cardeal da igreja latino-americana. Durante seu cardinalato foi o principal responsável pela consagração de nove bispos. Sua produção bibliográfica não grande, mas é expressiva. Além das inúmeras cartas pastorais, publicou Síntese de Filosofia (1886), Federação Católica (1896) e Sinopse de Lógica (1918). Seu nome é lembrado em diversas cidades do país. O município de Rio Branco, em Pernambuco teve o nome alterado, em 1943, para Arcoverde em sua homenagem, devido ao fato de ter sido batizado numa capela deste local; é também nome de uma importante rua da cidade de São Paulo e nome de uma estação do Metrô do Rio de Janeiro, além de inúmeros logradouros e escolas em todo o Brasil.

Cardeal Arcoverde, um ilustre pernambucano

1 Comentário

  1. Jonas disse:

    Muito interessante a história desse destacado Cardeal!

Deixe o seu comentário!


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa