16 outubro 2018 DEU NO JORNAL

BANDIDAGEM VERMÊIO-ISTRELADA

Em entrevista à Jovem Pan, a recém eleita Senadora pelo estado de São Paulo, com 6.513.138 votos, Mara Gabrilli relembra cenas da bandidagem vermêio-istrelada.

16 outubro 2018 DEU NO JORNAL

É GAIA!

Profissionais que atuam na campanha presidencial do PT já desistiram de reclamar.

Mas continua o climão provocado pela atitude da mulher do candidato do PT, Ana Estela Haddad.

Ela sempre dá um jeito, quando não pode ficar no meio, de aparecer ao lado do maridão e da vice Manuela, nos atos de campanha.

O motivo é um mistério.

* * *

Hum…

Eu acho que isto é chifre.

Dona Ana Haddad deve estar sentido conceira na teste.

Ou, como se diz aqui no Nordeste, é gaia, é gaia, é gaia!!!

16 outubro 2018 DEU NO JORNAL

CACHORRADA ENTRE FACÇÕES

O senador eleito Cid Gomes (PDT), irmão de Ciro Gomes, o presidenciável derrotado no primeiro da eleições presidencial desse ano, fez duras críticas ao PT durante evento da campanha de Fernando Haddad, candidato do PT.

Cid chamou petistas de “babacas”, atacou o ex-presidente Lula e afirmou que o partido vai “perder feio” porque não fez um “mea culpa” sobre erros cometidos nos últimos governos petistas que comandaram o país.

* * *

Este fato assucedeu-se ontem, segunda-feira, 15, em Fortaleza-CE.

A briga interna entre quadrilhas e facções rivais faz um bem enorme pra banda decente do Brasil.

Vejam só a cachorrada:

15 outubro 2018 DEU NO JORNAL

BUCHO NA REALEZA

O Palácio de Kensington anunciou na manhã desta segunda-feira (15) que a duquesa de Sussex Meghan Markle, mulher do príncipe Harry, está grávida do primeiro filho, que deve nascer na primavera de 2019 no Reino Unido (outono no Brasil).

* * *

O galegão enfiou mesmo a pajaraca no priquito da neguinha.

A duquesa tá buchuda.

Uma bimbada real!!!

A editoria do JBF deseja que o moreninho tenha vida longa, saudável e feliz!

14 outubro 2018 DEU NO JORNAL

PT SEM LULA E SEM O VERMELHO

Pedro Luiz Rodrigues

Tenho recebido pela mídia social material – enviado por simpatizantes ou prestadores de serviços do Partido dos Trabalhadores, no qual se busca associar a imagem do falecido presidente venezuelano Hugo Chávez ao candidato Jair Bolsonaro, como se o fato de ambos terem pertencido às Forças Armadas os tornassem parte de alguma malévola irmandade.

Depois que deixaram de contar com a colaboração do João Santana – e sem ter a Odebrecht para dar uma ajudazinha financeira-, a comunicação do PT parece desorientada. Seus novos marqueteiros talvez não se tenham dado cona de que estão fazendo um dano enorme ao partido com as modificações que fizeram na campanha do candidato Haddad, para o segundo turno. Estão simplesmente desconstruindo a marca consolidada do PT, desprezando suas imagens e símbolos históricos.

O exemplo mais cabal dessa desconstrução foi o banimento do vermelho, a cor de nascença do PT, nas peças de propaganda eleitoral de segundo turno. Foi substituído pelo verde-e-amarelo, as cores nacionais que o eleitorado há já muito associou à candidatura de Bolsonaro que, a meu ver, é quem se beneficia com a mudança.

O vermelho é cor da paixão, e sempre foi sempre a cor do aguerridos. Nas guerras navais da Idade Média, a fita rubra presa ao mastro (o “beaucan”) significava a guerra até o final, até a morte do último inimigo. No século 19 foi a cor preferida dos anarquistas, que a abandonaram depois que partidos comunistas dela se apropriaram, depois da revolução russa de Outubro de 1917. O PT a abandona agora, pela razão muito mais modesta de ter tirado o segundo lugar no primeiro turno das eleições de 2018.

Outra mudança que provocou impacto foi a supressão pura e simples de Lula das fotos de campanha de segundo turno de Haddad e de sua companheira de chapa Manuela d’Ávila (Partido Comunista do Brasil). Não posso acreditar que o PT esteja assim tão envergonhado de seu líder máximo, do grande angariador de votos para o partido, a ponto de tratá-lo como se fosse uma mera Dilma Rousseff, uma reconhecida perdedora de votos e junto a quem nenhum petista gosta de tirar fotos.

Sair do vermelho e suprimir Lula das fotos são iniciativas que em nada vão ajudar Haddad, pois simplesmente a imagem de que trata-se o candidato de ente subordinado ao ex-presidente já se consolidou, como resultado de decisao explícita do próprio partido. Simplesmente não há tempo para se construir a imagem de um Haddad, o Autômo ou um Super-Haddad. Lula já está preso, cumprindo sua pena, e não precisava ter recebido esse tabefe de seus próprios parceiros.

Igualmente, ao considerarem negativa a imagem do pai de neobolivarianismo – razão pela qual buscaram compará-lo de alguma maneira ao adversário Bolsonaro -, os marqueteiros petistas solapam os princípios e a história do próprio partido e, mais uma vez, agridem Lula. Afinal ele e Chávez não só eram grande amigos, como foram líderes conjuntos do grande movimento reformador, de natureza populista, que por um tempo chegou a sonhar em transformar a América do Sul numa grande Cuba

Ao demonizar a imagem de Chávez, o PT dá ao adversário um argumento válido de crítica para usar nos debates: foi então o líder boliviariano, cujo regime Lula entupiu de dinheiro e prestígio, uma figura abominável, negativa e ditatorial (Chávez, no anúncio em questão, é apresentado de uniforme militar)? Se assim o reconhece o PT, por que tanto cuidou de paparicar o venezuelano?

Todas essas mudanças não têm passado despercebidas ao eleitorado, que muitas vezes duvida de se tratar de propaganda do partido, acreditando tratar-se de “fake news”. Infelizmente para o PT, isso tudo é verdadeiro, tais trapalhadas mais parecem resultado de afobação, alguma incompetência e pitadas de desespero.

14 outubro 2018 DEU NO JORNAL

MILAGRE: ENXERGOU A REALIDADE E FALOU A VERDADE ! ! !

O candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad, admitiu neste sábado (13) que, durante os governos do PT, faltou controle interno nas estatais e que diretores ficaram soltos para promover a corrupção.

Fernando Haddad fez uma autocrítica sobre casos de corrupção em governos do PT.

“Faltou controle interno nas estatais. Isso é claro. Diretores ficaram soltos para promover a corrupção e se enriquecer pessoalmente”, afirmou.

Indagado sobre os dirigentes do partido, respondeu:

“Aí é pior. Se algum dirigente cometeu erro, garantido amplo direito de defesa, mas, se concluir que alguém enriqueceu, tem que ir para cadeia, com provas”.

* * *

Esta espantosa, inesperada e anti-lulaica confissão aconteceu ontem, dia de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil.

Santa poderosa.

Poderosíssima!

Milagre, milagre, milagre!!!!!

14 outubro 2018 DEU NO JORNAL

AGORA SIM

J.R. Guzzo

Está finalmente explicado o motivo pelo qual o deputado Jair Bolsonaro venceu o primeiro turno das eleições presidenciais de 2018. Não é nada do que você pensa. A população nativa, na sua ignorância de sempre, estava achando que Bolsonaro ganhou porque teve 18 milhões de votos a mais que o segundo colocado. Imagine. Acreditar numa bobagem como essa só acontece mesmo com brasileiro, esse infeliz que vive longe dos bons centros do pensamento civilizado, progressista e moderno da humanidade, na Europa e nos Estados Unidos. Obviamente, não temos o nível mental necessário para entender o que entendem os jornalistas, cientistas políticos, sociólogos, filósofos e outros cérebros que habitam o bioma superior de Nova York, ou Paris, e dão a si próprios a incumbência de explicar o mundo às mentes menos desenvolvidas. Tome-se, por exemplo, a televisão francesa. Ali eles sabem exatamente o que aconteceu no dia 7 de outubro no Brasil: Bolsonaro ficou em primeiro lugar na eleição por causa do racismo brasileiro.

Racismo? Como assim ─ que diabo uma coisa tem a ver com a outra? Os peritos da TV francesa explicam. A esquerda e o PT, nos governos do ex-presidente Lula e de Dilma Rousseff, favoreceram a “inclusão dos negros” no Brasil, e isso provocou a ascensão do ódio racial. Revoltados contra os “progressos” que o PT deu para os negros, os racistas brasileiros foram para o lado de Bolsonaro ─ e com isso aumentaram tanto os seus votos que ele acabou ficando em primeiro. Além disso, o “oficial do Exército” (coisa que o candidato deixou de ser há 30 anos), recebeu o apoio da elite rica. Aí fechou o esquema, resumem os comunicadores franceses: somando brancos, racistas e milionários, Bolsonaro acabou com aquela votação toda.

Nada disso faz o menor sentido, mas nenhum mesmo ─ a começar pelo fato de que nem uma investigação do FBI seria capaz de descobrir o que, na prática, Lula e Dilma teriam feito de bom, algum dia, para algum negro de carne e osso. Como seria possível, num país onde apenas 40% da população se declara branca, a matemática eleitoral favorecer quem não gosta de preto? Seria a maioria de pardos e negros, então, que estaria promovendo a ascensão do ódio racional contra si própria? Também é um mistério de onde saíram 50 milhões de racistas para votar em Bolsonaro ─ ou porque o candidato Hélio Lopes, conhecido como “Hélio Negão” e deputado federal mais votado do Rio de Janeiro com 350 mil votos, foi um dos seus maiores aliados na campanha eleitoral. Para piorar, além de negro retinto “Helio Negão” é sub-tenente do Exército, pobre e da Baixada fluminense. Elite branca?

O Brasil seria um fenômeno mundial se houvesse por aqui uma quantidade de ricos e milionários tão grande que conseguisse definir o resultado de uma eleição presidencial. Não dá para entender, igualmente, porque raios o candidato das elites faria a sua campanha de carro e a pé, enquanto o candidato das massas populares, Fernando Haddad, anda de cima para baixo num jatinho Citation Sovereign ─ um dos mais luxuosos do mundo, pertencente ao dono bilionário das Casas Bahia através de sua empresa de taxi-aéreo. (Se Haddad paga pelo aluguel já é ruim ─ de onde está saindo a fortuna necessária para isso? Se não paga é pior ainda.)

Não dá para entender por que Bolsonaro não teve um tostão para a sua campanha e o “reformador social” Haddad, homem dos pobres, das massas miseráveis, dos sem-terra e sem-teto, das “comunidades” e das minorias, da resistência ao capitalismo, passou a eleição inteira nadando em dinheiro. Não dá para entender como seria possível existir no Brasil dezenas de milhões de “fascistas”, e “nazistas”, e exploradores do “trabalho escravo”, sem que ninguém tivesse conseguido perceber isso até hoje. Não, não dá para entender nada. Mas não esquente a sua cabeça; não é mesmo para você pensar em coisa complicada. A imprensa internacional, que tudo vê e tudo sabe, está aí justamente para explicar.

13 outubro 2018 DEU NO JORNAL

CINCO A MENOS

 

Cinco homens armados invadiram uma casa lotérica na Avenida Grande Circular, na Zona Leste de Manaus, por volta das 14h deste sábado (13).

Pelo menos 25 pessoas foram feitas de reféns no local.

Às 15h40, os assaltantes saíram da loteria usando um grupo de reféns como “escudo” humano.

Após troca de tiro com a polícia, quatro assaltantes morreram e outro foi preso.

Populares informaram à reportagem que os homens que invadiram o local estavam com armas de fogo, maçaricos e gasolina.

* * *

Nem só de coisas de ruins está repleto o noticiário do dia.

Este é uma excelente notícia.

Os reféns escaparam ilesos.

Parabéns à polícia do Amazonas.

A esta altura, os quatro pobre excluídos, vítimas da sociedade reacionária e capitalista, já estão sendo ressocializados nas labaredas de Satanás, lá nas profundas dos quintos dos infernos, umas 13 léguas depois da Casa do Caralho, pertinho do Ôco do Pau, vizinho do Espinhaço da Gata, quase ao lado do Buraco da Jia e mais ou menos nas imediações do Cu da Cobra.

O mundo ficou um pouco menos sujo e o PT perdeu mais 5 eleitores

13 outubro 2018 DEU NO JORNAL

BRIGA DE CACHORROS GRANDES: UNIVERSAL BOTA NO FURICO DO POSTE

13 outubro 2018 DEU NO JORNAL

INACREDITÁVEL ! ! !

Provocou grande irritação na campanha de Jair Bolsonaro (PSL) um suposto pedido de “apoio financeiro” ao insinuante empresário Rubens Ometto, que ficou bilionário com um dos cartórios mais rentáveis do País: a distribuição de combustíveis.

O cartório foi criado por resolução suspeita da Agência Nacional do Petróleo (ANP), no governo Dilma, obrigando refinarias e usinas de etanol a entregar seus produtos às distribuidoras, que têm sido acusadas de atuar como atravessadoras.

Bolsonaro recusou todas as ofertas de “ajuda”, até devolveu doações, inclusive modestas, por não seguirem os trâmites legais.

O candidato do PSL determinou que doações devem ser feitas no site oficial, o que impõe diversas restrições.

Dono da distribuidora Cosan, Rubens Ometto distribuiu dinheiro para 50 candidatos de 13 partidos, no total R$ 6,98 milhões.

* * *

Um político em campanha rejeitar doações é coisa em que não acredito.

Não acredito mesmo!!!

Já vi de tudo neste mundo, menos isto.

Esta notícia aí de cima, publicada na coluna do bem informado jornalista Cláudio Humberto, deve ser um tremendo dum furo.

Vou pedir ajuda ao atento fubânico Checador de Dados pra saber se isto é mesmo verdade.

Vamos aguardar uma resposta dele.

13 outubro 2018 DEU NO JORNAL

DE ONDE SURGIU O BOLSONARO?

Gustavo Bertoche

Desculpem os amigos, mas não é de um “machismo”, de uma “homofobia” ou de um “racismo” do brasileiro. A imensa maioria dos eleitores do candidato do PSL não é machista, racista, homofóbica nem defende a tortura. A maioria deles nem mesmo é bolsonarista.

O Bolsonaro surgiu daqui mesmo, do campo das esquerdas. Surgiu da nossa incapacidade de fazer a necessária autocrítica. Surgiu da recusa em conversar com o outro lado. Surgiu da insistência na ação estratégica em detrimento da ação comunicativa, o que nos levou a demonizar, sem tentar compreender, os que pensam e sentem de modo diferente.

É, inclusive, o que estamos fazendo agora. O meu Facebook e o meu WhatsApp estão cheios de ataques aos “fascistas”, àqueles que têm “mãos cheias de sangue”, que são “machistas”, “homofóbicos”, “racistas”. Só que o eleitor médio do Bolsonaro não é nada disso nem se identifica com essas pechas. As mulheres votaram mais no Bolsonaro do que no Haddad. Os negros votaram mais no Bolsonaro do que no Haddad. Uma quantidade enorme de gays votou no Bolsonaro.

Amigos, estamos errando o alvo. O problema não é o eleitor do Bolsonaro. Somos nós, do grande campo das esquerdas.

O eleitor não votou no Bolsonaro PORQUE ele disse coisas detestáveis. Ele votou no Bolsonaro APESAR disso.

O voto no Bolsonaro, não nos iludamos, não foi o voto na direita: foi o voto anti-esquerda, foi o voto anti-sistema, foi o voto anti-corrupção. Na cabeça de muita gente (aqui e nos EUA, nas últimas eleições), o sistema, a corrupção e a esquerda estão ligados. O voto deles aqui foi o mesmo voto que elegeu o Trump lá. E os pecados da esquerda de lá são os pecados da esquerda daqui.

O Bolsonaro teve os votos que teve porque nós evitamos, a todo custo, olhar para os nossos erros e mudar a forma de fazer política. Ficamos presos a nomes intocáveis, mesmo quando demonstraram sua falibilidade. Adotamos o método mais podre de conquistar maioria no congresso e nas assembleias legislativas, por termos preferido o poder à virtude. Corrompemos a mídia com anúncios de empresas estatais até o ponto em que elas passaram a depender do Estado. E expulsamos, ou levamos ao ostracismo, todas as vozes críticas dentro da esquerda.

O que fizemos com o Cristóvão Buarque?

O que fizemos com o Gabeira?

O que fizemos com a Marina?

O que fizemos com o Hélio Bicudo?

O que fizemos com tantos outros menores do que eles?

Os que não concordavam com a nossa vaca sagrada, os que criticavam os métodos das cúpulas partidárias, foram calados ou tiveram que abandonar a esquerda para continuar tendo voz.

Enquanto isso, enganavamo-nos com os sucessos eleitorais, e nos tornamos um movimento da elite política. Perdemos a capacidade de nos comunicar com o povo, com as classes médias, com o cidadão que trabalha 10 horas por dia, e passamos a nos iludir com a crença na ideia de que toda mobilização popular deve ser estruturada de cima para baixo.

A própria decisão de lançar o Lula e o Haddad como candidatos mostra que não aprendemos nada com nossos erros – ou, o que é pior, que nem percebemos que estamos errando, e colocamos a culpa nos outros. Onde estão as convenções partidárias lindas dos anos 80? Onde estão as correntes e tendências lançando contra-pré-candidatos? Onde estão os debates internos? Quando foi que o partido passou a ter um dono?

Em suma: as esquerdas envelheceram, enriqueceram e se esqueceram de suas origens.

O que nos restou foi a criação de slogans que repetimos e repetimos até que passamos a acreditar neles. Só que esses slogans não pegam no povo, porque não correspondem ao que o povo vivencia. Não adianta chamar o eleitor do Bolsonaro de racista, quando esse eleitor é negro e decidiu que não vota nunca mais no PT. Não adianta falar que mulher não vota no Bolsonaro para a mulher que decidiu não votar no PT de jeito nenhum.

Não, amigos, o Brasil não tem 47% de machistas, homofóbicos e racistas. Nós chamarmos os eleitores do Bolsonaro disso tudo não vai resolver nada, porque o xingamento não vai pegar. O eleitor médio do cara não é nada disso. Ele só não quer mais que o país seja governado por um partido que tem um dono.

E não, não está havendo uma disputa entre barbárie e civilização. O bárbaro não disputa eleições. (Ah, o Hitler disputou etc. Você já leu o Mein Kampf? Eu já. Está tudo lá, já em 1925. Desculpe, amigo, mas piadas e frases imbecis NÃO SÃO o Mein Kampf. Onde está a sua capacidade hermenêutica?).

Está havendo uma onda Bolsonaro, mas poderia ser uma onda de qualquer outro candidato anti-PT. Eu suspeito que o Bolsonaro só surfa nessa onda sozinho porque é o mais antipetista de todos.

E a culpa dessa onda ter surgido é nossa, exclusivamente nossa. Não somente é nossa, como continuará sendo até que consigamos fazer uma verdadeira autocrítica e trazer de volta para nosso campo (e para os nossos partidos) uma prática verdadeiramente democrática, que é algo que perdemos há mais de vinte anos. Falamos tanto na defesa da democracia, mas não praticamos a democracia em nossa própria casa. Será que nós esquecemos o seu significado e transformamos também a democracia em um mero slogan político, em que o que é nosso é automaticamente democrático e o que é do outro é automaticamente fascista?

É hora de utilizar menos as vísceras e mais o cérebro, amigos. E slogans falam à bile, não à razão.

12 outubro 2018 DEU NO JORNAL

COM PROVAS E SEM VASELINA

Palocci entregou 18 tipos de provas para corroborar delação

Rastreador de veículos, agendas, computador, testemunhas, notas fiscais e contratos estão entre os documentos anexados à delação do ex-ministro.

* * *

Eu acho que não precisava isto tudo.

Bastariam 13 provas pra botar no furico de Lula e explodir o PT.

Aliás, explodir literalmente, cassar o registro, pois tem prova de que o bando recebeu dinheiro ilicitamente do exterior.

O codinome Italiano lascou o codinome Amigo.

12 outubro 2018 DEU NO JORNAL

FOME FOICE-MARTELADA

Fome na Coreia do Norte atinge 40% da população

Dez milhões de norte-coreanos sofrem com problemas relacionados à desnutrição e, segundo um relatório do Programa Alimentar Mundial (PAM) divulgado nesta terça-feira (9), 40% da população precisa de ajuda humanitária.

“A necessidade de ajuda humanitária na Coreia do Norte é ainda muito expressiva, principalmente por causa da insegurança alimentar crônica e uma alta taxa de desnutrição”, declarou o porta-voz do PAM, Hervé Verhoosel, durante uma coletiva de imprensa em Genebra, na Suíça.

No país, governado por Kim Jong-un, uma a cada cinco crianças sofre de raquitismo, uma doença que compromete o crescimento por causa de uma carência de vitamina D e cálcio.

* * *

Tem um partido político aqui em Banânia denominado Partido Comunista do Brasil.

Aquele que tem a sigla de PC do B.

Este partido defende com unhas, patas e dentes a ditadura norte-coreana.

Um fato público, aberto e notório.

Dirigentes e militantes do PC do B vivem exaltando o lindinho Kim Jonh-un e o seu sistema de governo naquele país faminto.

Pois o PC do B é o partido de uma descerebradazinha que atende pelo nome de Manuela d’Ávila.

Manuela, vocês já sabem, é candidata a vice na chapa do PT.

Chapa encabeçada por um poste, uma figura apagada e desprezível, que faz as vezes de um presidiário, o real candidato do partido.

A Editoria do JBF, neste Dia da Criança, acabou de enviar uma mensagem para a candidata Manuela querendo saber qual a opinião dela sobre esta fome que atinge adultos e crianças no país que ele acha um modelo para o Brasil e para o mundo.

Enquanto aguardo a resposta de Sua Insolência, quero informar aos militantes cumunistas que as páginas desta gazeta escrota estão democraticamente abertas pra que expressem também suas opiniões sobre o assunto.

É só mandar pra cá que será publicado de imediato.

11 outubro 2018 DEU NO JORNAL

VOTO AJUMENTADO

* * *

Não me interessa o primeiro colocado.

O que me importa é o candidato vermêio-istrelado estar atrás.

Meus parabéns pra todos vocês das outras regiões do Brasil que rejeitam o PT.

Já pros meus ajumentados conterrâneos nordestinos que votaram em Lula no primeiro turno, através do seu poste Haddad – e que pretendem votar nele também no segundo turno -, aqui vai uma música cantada por Genival Lacerda.

Genival é um paraibano de Campina Grande, a cidade onde Haddad tomou no furico de modo avassalador.

O poste teve rasgadas todas as pregas do seu furico na brava, esclarecida e politizada Rainha da Borborema!

11 outubro 2018 DEU NO JORNAL

O PARTIDO ANTI-LULA

J.R. Guzzo

Durante as próximas três semanas você vai ler, ver e ouvir um oceano de explicações perfeitas sobre o que aconteceu nas eleições deste domingo – e em todas elas, naturalmente, os cérebros da análise política nacional dirão ao público o quanto acertaram nos seus pronunciamentos durante a campanha eleitoral, embora tenha acontecido em geral o contrário de quase tudo que disseram. A mesma cantoria, com alguns retoques, deve ser feita daqui para frente para lhe instruir em relação ao desfecho do segundo turno, no próximo dia 28 de outubro. Em favor da economia de tempo, assim, pode ser útil anotar algumas realidades básicas que o primeiro turno deixou demonstradas.

1 – A grande força política que existe no Brasil de hoje se chama antipetismo. É isso que deu ao primeiro colocado, Jair Bolsonaro, 18 milhões de votos a mais que o total obtido pelo “poste” do ex-presidente Lula. Esqueça a “onda conservadora”, o avanço do “fascismo”, as ameaças de “retrocesso” – bem como toda essa discussão sobre homofobia, racismo, machismo, defesa da ditadura e mais do mesmo. Esqueça, obviamente, a força do PSL, que é nenhuma, ou o esquema político do candidato, que não existe. O que há na vida real é uma rejeição tamanho gigante contra Lula e tudo o que cheira a Lula. Quem melhor soube representar essa repulsa foi Bolsonaro. Por isso, e só por isso, ficou com o primeiro lugar.

2 – O PT, como já havia acontecido nas eleições municipais de 2016, foi triturado pela massa dos eleitores brasileiros. Seu candidato a presidente não conseguiu mais que um quarto dos votos. Os candidatos do partido a governador nos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Rio Grande do Sul tiveram votações ridículas. Todos os seus candidatos “ícone” ao Senado, como Dilma Rousseff em Minas Gerais, Eduardo Suplicy em São Paulo e Lindbergh Farias no Rio de Janeiro foram transformados em paçoca, deixando o PT sem um único senador nos três maiores colégios eleitorais do Brasil. Mais uma vez, o partido só tem a festejar a votação no Nordeste – e mais uma vez, ali, aparece aliado com tudo que existe de mais atrasado na política brasileira.

3 – A força política de Lula, que continua sendo descrito como um gênio incomparável no “jogo do poder”, é do exato tamanho dos resultados obtidos nas urnas pelo seu “poste”. As mais extraordinárias profecias vêm sendo repetidas, há meses, sobre a sua capacidade de “transferir votos” e a sua inteligência praticamente sobre-humana em tudo o que se refere à política. Encerrada a apuração, Lula continua exatamente onde estava – trancado num xadrez em Curitiba e com muito cartaz do “New York Times”, mas sem força para mandar em nada.

4 – Os institutos de “pesquisa de intenção de voto”, mais uma vez, fizeram previsões calamitosamente erradas. Dilma, segundo garantiam, ia ser a “senadora mais votada do Brasil”. Ficou num quarto lugar humilhante. Suplicy, uma espécie de Tiririca-2 de São Paulo, também era dado como “eleito”. Foi varrido do mapa. Os primeiros colocados para governador de Minas e Rio de Janeiro foram ignorados pelas pesquisas praticamente até a véspera da eleição. Tinham 1% dos votos, ou coisa que o valha. Deu no que deu.

5 – O tempo de televisão e rádio no horário eleitoral obrigatório, sempre tido como uma vantagem monumental — e sempre vendido a peso de ouro pelas gangues partidárias — está valendo zero em termos nacionais. Geraldo Alckmin tinha o maior espaço nos meios eletrônicos. Acabou com menos de 5% dos votos. Bolsonaro não tinha nem 1 minuto. Foi o primeiro colocado. Parece não valer mais nada, igualmente, a propaganda fabricada por gênios do “marketing eleitoral” da modalidade Duda Mendonça-João Santana – caríssima, paga com dinheiro roubado e criada numa usina central de produção. A votação de Bolsonaro foi construída nas redes sociais, sem comando único e sem verbas milionárias.

Daqui até 28 de outubro o público será apresentado a outras previsões, teoremas e choques de sabedoria. É bom não perder de vista o que acaba de acontecer antes de acreditar no que lhe anunciam para o futuro.

10 outubro 2018 DEU NO JORNAL

58 POLEGADAS DE PICA NO FURICO DE LULA

* * *

Pesquisa fresquinha.

Foi divulgada agora há pouco, na boca-da-noite.

Pesquisa do manjado Data-Foice.

A dor vai ser grande.

A dor de Lula de tomar 58 polegadas no olho do fopa.

E também a dor dos jumentos que votam nele.

Vão chorar a noite toda.

Chorar pedindo a volta do prisioneiro corrupto, definitivamente mandado para a casa-do-caralho.

10 outubro 2018 DEU NO JORNAL

NÚMEROS FRESQUINHOS

Na primeira pesquisa eleitoral do segundo turno, o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) lidera a corrida pelo Palácio do Planalto com 54% das intenções de votos válidos.

O petista Fernando Haddad tem 46%.

O levantamento foi feito pela consultoria de pesquisa Ideia Big Data.

* * *

Nunca ouvi falar neste tal de Ideia Big Data.

Segundo o Data Besta, o mais confiável dos institutos de pesquisa existentes na praça, estes números aí de cima estão furados.

Uma pesquisa falsa como todas aquelas que foram feitas para o primeiro turno.

O melhor exemplo é o de Minas, onde previam Dilma em segundo e ele dobrou a meta ficando em quarto.

Ficou em quarto e também ficou de quatro pra levar bimba no furico.

O Poste do Prisioneiro ter alcançado o inacreditável índice de 46% nesta pesquisa que acabou de ser divulgada é pura ilusão.

Segundo o Data Besta, ele não passa de 13%, um índice compatível com o número do partido-quadrilha ao qual é filiado.

Na verdade, no próximo dia 28, Haddad vai levar uma votação enorme.

Vai levar uma votação bem grande.

O jumento Polodoro, pastando e passeando com a enorme “votação” que será levada por Haddad no 2º turno

10 outubro 2018 DEU NO JORNAL

SEM VASELINA

O candidato à Presidência da República pelo PSL, Jair Bolsonaro, criticou o seu vice, general Hamilton Mourão, em relação às declarações sobre uma nova Constituição e sobre a hipótese de um “autogolpe” do presidente.

Em entrevista ao Jornal Nacional ele descartou as duas possibilidades.

Bolsonaro disse que “desautorizou” Mourão nos dois momentos e reconheceu que ainda falta ao seu vice “um pouco de tato com a política”.

“Nesses dois momentos, ele foi infeliz, deu uma canelada”, criticou o candidato.

“Jamais posso admitir uma nova constituinte”, afirmou. “Algumas propostas pontuais podemos admitir sim, como a redução da maioridade penal”, exemplificou.

Quanto à hipótese de ‘autogolpe’ do presidente com apoio das Forças Armadas, citada por Mourão em entrevista à GloboNews, Bolsonaro disse que não entendeu direito o que ele quis dizer naquele momento.

“Ele é general e eu sou capitão, mas o presidente sou eu”, ressaltou.

* * *

Bolsonaro botou bem no meio do olho do furico de Mourão!!!!

Não parece coisa de político, que sempre inventa um arrodeio pra disfarçar as coisas.

O capitão não gastou vaselina e disse o que tinha que dizer. Direto, na bucha.

Foi peibufo!

“Ele é general e eu sou capitão, mas o presidente sou eu”.

Vôte!!!

Se o general boquirroto e linguarudo tiver um mínimo de juízo, vai fechar a boca e travar a língua até o dia 28.

Quem quiser ver a entrevista do candidato Bolsonaro, é só clicar aqui .

9 outubro 2018 DEU NO JORNAL

QUE ELE NÃO ENFIE A PAJARACA NO FEDEGOSO DOS CONTRIBUINTES

* * *

São Paulo só não elegeu foi um jumento com a pica bem grossa pra enfiar no cu dos redatores de manchetes deste jornaleco babaca.

Enquanto Alexandre Frota, o ator pornô, estiver fudendo apenas atrizes de rabo apertado e de priquita vaselinada, é ótimo pra saúde.

O danado é se ele passar a fuder o povo, como os políticos do PT.

Eleito pelo PSL, Frota foi um dos mais votados daquele estado.

9 outubro 2018 DEU NO JORNAL

COMEÇOU NO LUGAR CERTO

* * *

Ou seja: o primeiro dia da campanha deste canalha pro segundo turno foi em Curitiba, na sede da Polícia Federal.

Campanha de poste que representa uma quadrilha, tem que ser comandada de dentro da cadeia.

Faz todo sentido.

7 outubro 2018 DEU NO JORNAL

TÁ SOBRANDO EMPREGO

Trump derruba desemprego em índice mais baixo em 48 anos

A taxa de desemprego nos Estados Unidos atingiu a marca mais baixa desde dezembro de 1969.

O índice é um revés para todos os analistas, tanto americanos quanto brasileiros, que apostaram num mandato desastroso.

Trump surpreende deixando a América grande novamente.

A taxa que era de 3,9% no mês passado, e já era a mais baixa em 10 anos, atingiu agora 3,7%.

A um mês das eleições legislativas de meio de mandato, Trump carrega o sucesso do crescimento sozinho nas costas.

* * *

Esta é uma excelente notícia pras zisquerdalhadas daqui de Banânia.

Para aquela turminha que vai ter de largar os biquinhos dos peitos públicos depois dos resultados das eleições de hoje.

Tem emprego sobrando nos Zistados Zunidos.

Só mesmo Venezuela e Cuba é que tem mais vagas que na terra dos ianques.

Trump tá esperando vocês, minha gente!!!

Tem vaga pra tudo quando é especialidade.

Só não tem pra especialidade de Guilherme Boulos, de coçador de saco.

Trump está tendo sucesso porque lê o JBF diariamente. Já o vice de Dilma, eleito pelo PT…

6 outubro 2018 DEU NO JORNAL

UMA DITADURA

J.R. Guzzo

As eleições para eleger o novo presidente colocam o eleitor brasileiro numa situação que nunca aconteceu antes. Eleições, normalmente, são uma das ferramentas mais importantes da democracia ─ mas na eleição deste fim de semana um dos lados tem como objetivo, caso ganhe a eleição, acabar com o regime democrático no Brasil. É uma droga de democracia, como todo mundo está cansado de saber, mas por pior que seja ainda é menos ruim que uma droga de ditadura ─ e é justamente isso que o consórcio formado pelo ex-presidente Lula, o PT e sua vizinhança quer fazer no país. Não falam assim, é claro. Mas os atos concretos que prometem praticar depois de assumir o governo vão deformar de tal maneira o poder público, os direitos individuais e a máquina do Estado que o resultado prático vai ser a construção de um regime de força no Brasil. Não se trata apenas, como já aconteceu tantas outras vezes, de eleger um presidente ruim. O problema, agora, é que um dos possíveis finalistas, pelo que dizem há meses as “pesquisas de opinião”, tem um projeto público de ditadura para o país.

Acabar com o Poder Judiciário, por exemplo, anulando o seu tribunal mais elevado e interferindo nas decisões dos juízes e desembargadores ─ isso é ou não é uma providência básica que toda ditadura, sem exceção, julga indispensável tomar? Sim, é. Então: o candidato a presidente do PT promete que se for eleito vai criar um negócio chamado “controle social na administração da Justiça”. Isso quer dizer que as sentenças dos magistrados estarão sujeitas, no mundo real, a comitês externos ao Poder Judiciário, com membros nomeados pelo governo. Promete-se, também, “repensar” os conselhos nacionais da Justiça e do Ministério Público. Todo mundo sabe muito bem o que significa “repensar” alguma coisa neste país ─ é virar a mesa. No caso, querem criar “ouvidorias”, compostas por pessoas que representem a “sociedade”, para vigiar juízes e MP. Querem, também, criar algum sistema de cotas para a escolha de juízes, de forma a “favorecer o ingresso e ascensão” de “todos os segmentos da população” nas carreiras do Judiciário, sobretudo as “vítimas históricas de desigualdades”. A coisa vai por aí afora, de mal a pior, mas o ex-deputado José Dirceu achou uma boa ideia acrescentar um plus a mais: segundo disse, deveriam ser tirados “todos os poderes do Supremo Tribunal Federal”. Segundo o pensador-chefe do PT, o “Judiciário não é um poder da República”. Quem manda, diz ele, é o povo, através do voto. Além do mais, afirmou, o que interessa é “tomar o poder”. Eleição é outra coisa.

O futuro governo Lula também promete criar oficialmente a censura à imprensa no Brasil. (Isso mesmo, governo Lula: o ex-presidente está na cadeia, condenado como ladrão em primeira e segunda instâncias, mas toda a estratégia do PT é provar que quem vai mandar de verdade no país é ele, e não seu preposto nas eleições.) Como acontece em relação à democracia, não se utiliza a palavra “censura”, assim abertamente; o que anunciam é o “controle social dos meios de comunicação”. É exatamente a mesma coisa. Esse “controle” não vai ser exercido pelo Espírito Santo. Quem vai “controlar” são pessoas de carne e osso nomeadas pelo governo, e “controlar” significa decidir o que a mídia pode ou não pode publicar. Isso é censura ─ e o resto é conversa, sobretudo os desmentidos de que haverá censura. A partir daí, só fica pior. Falam em “fortalecer” a prodigiosa TV Brasil, que eles mesmos inventaram, consegue gastar 1 bilhão de reais por ano de dinheiro publico e até hoje tem audiência próxima ao zero. Falam em dar concessões de tevês e de rádios para sindicatos, “coletivos” e “movimentos sociais” ─ e mais do mesmo.

O projeto do PT inclui também uma “Assembleia Constituinte” paralela ao Congresso, como se fez na Venezuela, para criar um novo regime político e social no país. O que será isso? Nada fica dito em português claro, mas nem é preciso ─ basta ouvir o que dizem todos os dias as lideranças do partido. Propõe-se orientação “política” para o ensino básico, a parceria com governos criminosos, como os da Venezuela e Nicarágua, e com ditaduras africanas, e um governo dos “povos do campo, das águas e das florestas”, seja lá isso o que for. Mais que tudo, a candidatura do PT quer a volta dos governos Lula-Dilma ─ que acabam de ser acusados pelo ex-ministro Antonio Palocci de gastarem 800 milhões de reais em dinheiro basicamente sujo para se manter no poder na última campanha presidencial. Francamente, não é preciso mais nada.

6 outubro 2018 DEU NO JORNAL

UMA CANDIDATA QUE FALA A VERDADE

* * *

Com nosso amor e com a nossa hipocri…”.

A língua da idiotinha vermêia foi mais ligeira do que o cérebro.

E, até que enfim, a vice-poste de Lula valou a verdade:

“Vamos pra rua com a nossa hipocrisia!”

6 outubro 2018 DEU NO JORNAL

UM EXCELENTE PRESENTE

MPF cobra R$ 75,4 milhões de Lula em processo de instituto

O Ministério Público Federal reiterou em alegações finais o pedido pela condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na ação penal sobre propinas da empreiteira Odebrecht, que incluiriam um terreno de 12 milhões de reais que abrigaria o Instituto Lula e uma cobertura vizinha à residência do petista, de 504 mil reais, em São Bernardo do Campo.

A Operação Lava Jato pede que o petista seja condenado por nove atos de corrupção passiva e por sete atos de lavagem de dinheiro.

Lula está preso desde abril em Curitiba. O petista foi condenado a 12 anos e um mês de prisão no caso tríplex do Guarujá.

* * *

Esta notícia é um excelente presente de aniversário para o prisioneiro Lula.

6 de outubro é o dia do aniversário dele.

Hoje de manhã ele usou o seu celular lá na cela de Curitiba e telefonou aqui pro JBF,

Pediu que fosse publicada esta sua comovente cartinha:

Hoje é o aniversário”oficial” do prisioneiro; tem mais outra data. Como tudo que se refere a ele, embrulhadas, trapalhadas e rolos são rotina…

Pronto, Luiz Inácio Odebrecht da Silva, seu pedido foi atendido.

E amanhã, conforme você pede na carta aí em cima, vai ganhar um presente melhor ainda.

Tudo indica que o presente será uma pajaraca de grosso calibre, que tem mais ou menos umas 17 polegadas de extensão, conforme medidas que estão sendo tiradas por todas as pesquisas disponíveis na praça.

Parabéns pra você, Lapa de Corrupto!!!


© 2007 - 2018 Jornal da Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa