Categoria: MARCOS ANDRÉ – DADO & TRAÇADO

A FARSA DO MAPA DA FOME

Uma verdadeira bandeira de propaganda enganosa

Dentre as muitas e grandes mentiras difundidas e glamourizadas pelos esquerdistas/petistas, e repetidas ad nausean em discursos, “crônicas” e redes sociais, vamos encontrar, talvez, aquela que pode ser considerada a maior mentira já implantada pelas esquerdas sob as bênçãos da máquina de propaganda, ungidas, por João Santana, é o embuste alardeando de ter tirado o pais do mapa da fome.

Contudo, para aqueles vacinados contra a dissonância cognitiva, percebe que tudo não passou de um pervertido esquema indecoroso, arquitetado para se manterem no poder, e não uma proposta de empreendimento, ou um propósito visando a indulgencia ou gesto de benignidade com os mais carentes.

ARQUITETANDO A FARSA – O inicio

A construção de um projeto de poder

1º trampolim – Era imperioso se criar um cenário que viesse a causar impacto de grande magnitude e amplo alcance. Sacado da incubadora governamental, onde foi gerado o já propalado “programa” do FOME ZERO. O Instituto Lula, e Blogues sujos, desses regiamente pagos, caracterizados por logomarcas de propaganda de estatais (capiche?), empanturraram as redes sociais com o mote: O Fome Zero apresenta uma proposta para combater a fome, a miséria e suas causas estruturais, que geram a exclusão social, etc. etc…

2º trampolim – Elaborado o roteiro e escolhido o ator principal do evento, Lula, de imediato, criou o pomposo Ministério Extraordinário de Segurança Alimentar e Combate à Fome…

3º tramplim – Para este importante cargo foi nomeado o petista José Francisco Graziano da Silva, primeiro — e único — comandante, este ministério foi extinto (durou apenas um ano) foi só para dar nome e prestígio a Graziano, para fazê-lo chegar a diretor da FAO. A FAO, como sabemos, é um órgão da ONU para a agricultura e alimentação.

4º trampolim – A manobras para fazer Graziano chegar a diretor da FAO, já estava em andamento, bem como a metodologia de se “fazer cortesia com o chapéu alheio”.

O EMBRIÂO DO MENSALÃO

a) Brasil anula dívidas de US$ 900 milhões de 12 países africanos;

b) Dos 12 países que terão suas dívidas perdoadas, os principais beneficiados serão a República do Congo, com uma dívida de US$ 352 milhões cancelada, e a Tanzânia, com US$ 237 milhões;

c) O Brasil participou como convidado do Jubileu de Ouro do grupo que reúne 54 países africanos. (Essas republiquetas são ditaduras onde, sequer existe, um arremedo de Tribunal de Contas). A verba vai direto para o bolso do ditador.

d) Doou uma refinaria a Evo Morales;

e) Usou e abusou do BNDES, alinhado a Odebrecht, fazendo “graça” por toda África e América Latina, promovendo projetos de infraestruturas com construções de Portos, aeroportos, estradas, adutoras, hidrelétricas, estradas, metrôs, Terminais, etc. etc.(enquanto aqui, os nativos morriam as pencas nos nauseabundos hospitais, sem um centavo de investimento, a segurança zero e o desemprego galopante) Lembram?;

f) Além de perdoar dívidas, ainda emprestava dinheiro !!!??? ( a fundos perdidos, lógico)
Com toda essa cortesia (manipulação/compra de votos), o governo brasileiro catapultou Graziane à presidir a FAO. O golpe de mestre custou caro aos contribuintes tupiniquins.

Adivinhem se países agraciados pelo BNDES/ODEBRESCHT – América Latina e Africa – votaram a favor do Brasil? Entenderam?

Mas, não é só isso, a cereja do bolo ainda estava por vir: Eleito na FAO, Graziano então, implementou, pasmem, “nova metodologia” de planilha para aferição de dados. (semelhante ao IPEA na época de Dilma)

Daí, para tirar o Brasil do mapa da fome, foi um piscar de olhos. Em 2013, pela nova “planilha” de Graziano, a FAO concluiu que 7% dos brasileiros passavam fome. foi quando passou-se a considerar as refeições servidas fora de casa, como restaurantes populares e merenda escolar, e pasmem! Os 7% viraram 1,7%. Quem sabe se com outra planilha, se alcançaria o propalado, fome zero.

Em “relatórios” repletos de “imparcialidade” o Sr. Graziano se desmancha em elogios a si próprio e a de que Lula, tirou o pais do mapa da fome. Pois quem anunciava não era Lula nem o PT, e sim a FAO.

O próprio Frei Betto, já se queixava em entrevista publicada no jornal Zero Hora, 24-11-2013. Ele especifica; “Nem a (reforma) agrária, nem a tributária, nem a política, nem a previdenciária, nem a de educação, nem a da saúde” e, apesar dos avanços, não houve a redução da desigualdade social. “Segundo o IPEA, dado de outubro de 2013, a desigualdade no Brasil entre os mais ricos e os mais pobres é de 175 vezes, e isso é escandaloso”, constata.

Segundo ele, “o PT trocou um projeto de Brasil por um projeto de poder. Permanecer no poder passou a ser mais importante do que criar uma alternativa civilizatória para a nação Brasil”.

Isto é, as ambições pessoais e partidárias, estão acima do interesse da nação.