AI QUE SAUDADE D’OCÊ!

Datafolha e ibope nos apontam
Que o rumo da pátria está errado
Que após esse golpe de estado
Os golpistas tiranos só aprontam
As mentiras que as revistas contam
Só constrangem e mogoam nossa gente
Pois quem fere, acusa, inventa e mente
Só demonstra total leviandade
As pesquisas confirmam a saudade
Que o Brasil tem do seu ex-presidente

Todo dia um escândalo com ministro
Toda hora é um erro de comando
Um ministro vive se desculpando
Por ter outro envolvido num sinistro
Só se Temer chamasse Jesus Cristo
Para ter um ministro competente
Pra curar um governo tão doente
E implantar um comando de verdade
As pesquisas confirmam a saudade
Que o Brasil tem do seu ex-presidente

Refletindo eu vos digo com certeza
Que o governo de hoje é ilegal
Que as notícias do jornal nacional
São repletas de signos de ardileza
Que o mundo de sonho e de beleza
Que viria depois de Dilma ausente
Transformou-se num estado demente
Corrompido sem dó nem piedade
As pesquisas confirmam a saudade
Que o Brasil tem do seu ex-presidente

O congresso se encontra ajoelhado
A mercê dos desmandos do planalto
Todo dia é feito um grande assalto
Toda vez que um direito é retirado
É o povo que está sendo lesado
Com reformas que visam tão somente
Proteger os maiores delinquentes
Que sonegam e lucram com a maldade
As pesquisas confirmam a saudade
Que o Brasil tem do seu ex-presidente

É por isso que em todos os cenários
Das pesquisas pras próximas eleições
As enquetes nos mostram as razões
Porque Lula não tem adversários
Os sem terra, sem casa e sem salários
Quando opinam colocam sempre a frente
O operário que foi um combatente
Que lutou por um sonho de igualdade
As pesquisas confirmam a saudade
Que o Brasil tem do seu ex-presidente.

Mote e glosas do colunista

SAUDADE

Eu escuto o lado B
Do LP da saudade

Mote e glosas do colunista

Eu ouço “naquela mesa”
Na voz de Nelson Gonçalves
Do Grande Ataúfo Alves
“Um tango para Tereza”
“Pra não morrer de tristeza”
Busco a felicidade
No saudosismo que invade
Meu peito de A a Z
Eu escuto o lado B
Do LP da saudade

Na linda voz de Altemar
Eu me fascino com as “brigas”
E nas músicas mais antigas
Sinto o peito palpitar
Eu aprendi a sambar
Com Portela e Mocidade
E com o samba sem maldade
De Martinho e Agepê
Eu escuto o lado B
Do LP da saudade

Em cordiais “Saudações”
Noel dos dá uma aula
Como Benito de Paula
Eu tenho palpitações
Quando eu escuto “emoções”
Eu Calculo a intensidade
Das emoções de verdade
Que Tim botou em “você”
Eu escuto o lado B
Do LP da saudade.

Dos cantores da Bahia
De Caetano eu ouço as “queixas”
E do Grande Raul Seixas
“Como vovó já dizia”
Gilberto Gil é meu guia
Em “aroma” e “a novidade”
Com Gal perco uma metade
E a outra fica à mercê
Eu escuto o lado B
Do LP da saudade.

É magnífico o trabalho
De Waldick Soriano
Do solo paraibano
Veio Elba e Zé Ramalho
A voz de Tacyo Carvalho
Me lembra a sonoridade
Que vem da simplicidade
Do vinil do LP
Eu escuto o lado B
Do LP da saudade.

QUERES ENTENDER O MUNDO? ESTUDE GEOGRAFIA!

É capaz de explicar
Como se forma um vulcão
A lava sob pressão
Quando começa a jorrar
Compostos que vão formar
As rochas e minerais
E os possíveis locais
Onde ocorre a turmalina
A geografia ensina
Tudo isso e muito mais.

A história da política
Econômica e social
A situação global
E a luta da geopolítica
Tem uma postura crítica
Dos conflitos mundiais
E das disputas locais
Onde o ódio predomina
A geografia ensina
Tudo isso e muito mais.

Explica porque a Terra
Tem constante movimento
Porque é que existe o vento
Que sopra do vale à serra
Onde começa e encerra
As calotas glaciais
E os espaços naturais
Onde o cerrado domina
A geografia ensina
Tudo isso e muito mais.

Na geografia humana
Estudamos as cidades
E como as sociedades
Produziram a zona urbana
A força que tem a grana
Nas demandas sociais
Sempre constam nos anais
Dessa nossa disciplina
A geografia ensina
Tudo isso e muito mais.

Numa base cartográfica
Se representa o espaço
Desenhando cada traço
Com o uso da informática
Cibernética, telemática
São recursos usuais
Programa, chip e canais
São usados com rotina
A geografia ensina
Tudo isso e muito mais.

MEU NORDESTE

Mote do colunista:

Tenho orgulho de ser um nordestino
Que enxerga as belezas do Sertão.

Tenho o sangue latente do roceiro
Percorrendo as veias do meu ser
Tenho a sorte é o prazer de conviver
Com coquista e poeta violeiro
Tenho o sonho de todo brasileiro
De erguer com firmeza esta nação
Pois em mim bate um forte coração
Firme e bravo como o de Virgulino
Tenho orgulho de ser um nordestino
Que enxerga as belezas do Sertão.

Um inverno chuvoso e “relampado”
Que transforma a roupa do vergel
Que inspira o saudoso menestrel
Que na seca ficava encabulado.
O caboclo partindo pro roçado
Escutando o canto do carão
Se esquece de fome e precisão
E acha graça do jeito dum menino
Tenho orgulho de ser um nordestino
Que enxerga as belezas do sertão

Se assunto é a criatividade
Não esqueço quem é poeta nato
Os repentes de Raimundo Nonato
E Ivanildo cantando a liberdade
Para mim a maior felicidade
É ouvir o grande Sebastião
Zé Viola cantando uma canção
E um causo de Jessier Quirino
Tenho orgulho de ser um nordestino
Que enxerga as belezas do Sertão

E se o tema for a literatura
Tem Raquel, Xico Sá e Jorge Amado
Castro Alves poeta consagrado
Patativa outro gênio da cultura
J. Borges e a xilogravura
Ariano, Luiz Berto e o mestre João
O Cabral que descreve a migração
De um forte e bravo Severino
Tenho orgulho de ser um nordestino
Que enxerga as belezas do sertão

O Nordeste encanta o mundo inteiro
Com o nosso fantástico artesanato
Tem a renda que é feita aqui no Crato
E a escultura que é feita em Juazeiro
Alpercatas de Espedito seleiro
Sua arte estampada no gibão
E os bonecos nos dava a impressão
Que eram vivos nas mãos de Vitalino
Tenho orgulho de ser um nordestino
Que enxerga as belezas do sertão .

A MORTE DE TEORI

Mote:

Delação, lava jato e roubalheira
Derrubaram o avião de Teori.

Glosas:

O avião teve pane no motor
E exalou o cheiro de combustível
E nos fez questionar: será possível?
Que só houve uma falha no rotor
Ou será que o ministro relator
Foi o alvo de alguém da CPI
Que escolheu a belíssima Paraty
Pra dar fim ao Ministro de carreira
Delação, lava jato e roubalheira
Derrubaram o avião de Teori.

Será uma ironia do destino
Ou só uma infeliz coincidência
Dois senhores de vida de decência
De firmeza, rigor coragem e tino
Foi Ulisses um grande peregrino
Personagem que não há mais aqui
E agora assustado descobri
Que o Juiz do supremo deu bandeira
Delação, lava jato e roubalheira
Derrubaram o avião de Teori.

Vem agora uma investigação
Pra saber o que tem na caixa preta
Decifrar a conversa sem mutreta
Pra depois se chegar a conclusão
Que de fato o que houve com o avião
Foi um erro humano que houve ali
Só parece com um filme que eu já vi
Na TV da política brasileira
Delação, lava jato e roubalheira
Derrubaram o avião de Teori

Já mais tarde no jornal nacional
Nós teremos a capa da manchete
Nos portais e nos blogs da internet
E na página primeira do jornal
O enredo da trama é sempre igual
Vou dizer o roteiro todo aqui
São três dias de foco e quiquiqui
Pra depois esquecer a vida inteira
Delação, lava jato e roubalheira
Derrubaram o avião de Teori

Nossa classe política “inteligente”
Vai agora buscar outro ministro
Com certeza será o mais sinistro
Dentre todos que se faz pretendente
Vai dizer foi um “terrível acidente”
Mas coloco meu pingo neste i
Vou dizer pra o juiz o que eu vi
E avisar que não sou de brincadeira
Delação, lava jato e roubalheira
Derrubaram o avião de Teori.


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa