19 novembro 2017 CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

PEDRO MALTA – RIO DE JANEIRO-RJ

Berto

Banânia se supera até em cartaz para vender pizza ou indicando a voltagem de uma tomada.

Veja abaixo e confira.

R. Lindos, estes dois cartazes, meu caro colunista fubânico.

Uma coisa é certa:

Os pintores que redigiram estas obras de arte estão prontos e aptos pra redigir seus votos pra presidente da república nas próximas eleições.

Pra presidente, pra governador, pra senador, pra deputado, pra prefeito e pra vereador.

18 novembro 2017 CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

MAURINO JÚNIOR – PAULO AFONSO-BA

Berto!!! Minhas saudações!!!

Rapaz, aqui tá tão quente, que espiga de milho está virando pipoca no pé!!

Vôte!!

Vai vendo só: Banânia é um país tão feladaputa que, hoje em dia, qualquer coisa que você fale ou discorde, já te tacham de fascista, misógino, racista, nazista, homofóbico e outras putarias mais.

Uma conhecida disse que o Brasil está dividido da seguinte forma: brasileiros e (cruz credo!!) petistas. Por aí.

Mas é sério. Esse país está uma merda, uma chatice e isso é tudo herança maldita desta corja esquerdopata que ainda assombra Banânia.

Estou escrevendo isso, porque no último dia 10 fui com a minha esposa ao show de Zé Lezin. O evento aconteceu no ginásio de esportes. E daí??

Daí que a acústica do lugar não é boa. Primeira reclamação de alguns cretinos? Ajeitem o som seus pulhas!!

Começa o show, risadas e o pau comendo no centro em cima do governo, da lava jato e da safadeza da esquerda…

Aí um bêbado salafrário começa a esculhambar o evento. Gritava fascista, subversivo, vendido à mídia e outras bossas não tão novas.

Pois é!! A gente sai pra se divertir, para rir e o que se vê é essa raça desgraçada fazendo bostices pela aí.

Banânia é de lascar e mais ainda com essa súcia da esquerda e seus discursos de ódio.

Forte abraço, Berto!!

Obs: Na foto que estou enviando, eu todo besta com a mão no ombro de Zé Lezin e batendo um papo; minha esposa e essa jovem da frente é uma amiga nossa que tirou a foto!!!

R. Meu caro, nos anos 80/90 eu estava em João Pessoa, enchendo a cara na orla e apreciando aquela magnífica paisagem à beira do Atlântico.

Uma noite de luar bonita que só a porra!

Zé Lezim era ainda um ilustre desconhecido e ganhava a vida nas noites da capital paraibana, montado num jegue, parando de mesa e mesa, exercendo seu santo ofício de humorista e recolhendo as gorjetas que os turistas botavam no seu chapéu de couro.

Eu estava numa mesa na beira da calçada do bar quando ele chegou, puxou as rédeas do jumento e estacionou bem ao meu lado.

Olhou pra mim, apontou pra pica do jegue e me falou:

– Puxe aí do freio de mão dele, por favor.

Cabra desmantelado que só a gôta serena!

17 novembro 2017 CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

ANA PAULA VISETTI – SÃO PAULO-SP

Prezado editor Berto,

Estou sentada aqui na sala de espera do consultório e olhando essa árvore de natal dos dentistas.

E fico imaginando como será árvore dos ginecologistas!

Cordiais saudações,

R. Cara leitora, em se tratando de uma árvore ginecológica, ao invés de escrever “fico imaginando” você deveria ter escrito “fico “ivaginando”…

Agora, aqui entre nós:

Uma árvore de natal num consultório dum ginecologista, cheia de lindas priquitas encarnadas e cabeludinhas, deve ser bem mais bonita do que a árvore daqueles doutores que cuidam da bimba de nós outros, os machos.

Vôte!!!

14 novembro 2017 CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

MAURINO JÚNIOR – PAULO AFONSO-BA

Berto,

saudações dum lugar que está mais quente que o fogo do inferno e da própria danação.

Vôte!!! Tá quente!!!

Vai vendo só as notícias banânicas.

Essa foi de lascar.

Só falta este meliante Lula ser condenado em segunda instância.

Cuidado e avisa a Polodoro que num chegue nem perto de Sergipe.

R. Meu caro, já que você falou em Polodoro, vou botar o nosso querido jegue pra rinchar, logo após esta notícia autenticamente banânica que você nos mandou.

E Polodoro vai rinchar com a estrovenga de fora, cheirando um pé de rabo na beira do rio.

Não desapareça não, seu cabra.

Continue mandando mais notícia pra gente.

E vamos à história cavalar. A história da prisão de um equino.

Só mesmo em Banânia!!!

Um cavalo foi ‘preso’ pela Policia Militar na cidade de Nossa Senhora Aparecida (SE), após dar um coice em um veículo durante a realização de uma cavalgada no início na noite deste domingo (12). A informação foi confirmada pelo comandante do policiamento no município.

Segundo o engenheiro civil e proprietário do animal, Wiliam Francisco dos Santos, ele estava com o cavalo quando outras pessoas pediram para passear com o animal. “Como sou conhecido de muitas pessoas, não vi problema em emprestar. Um rapaz saiu para dar uma volta e o cavalo se assustou e deu um coice, que atingiu o veículo de uma mulher da cidade de Ribeirópolis. Em seguida, um policial pegou o cavalo e o levou para a delegacia”.

Wiliam diz que se ofereceu para levar o animal, mas o policial se recusou e informou que ele só seria liberado nesta segunda-feira (13). “Quando eu cheguei na delegacia o cavalo estava em uma cela, como se fosse um marginal. Ele estava sem comida, sem água e em um espaço onde não podia ser mexer. A noite eu levei comida, mas hoje de manhã não me deixaram alimentá-lo”, desabafou.

“Não existe nenhum procedimento contra mim, mas prenderam o meu cavalo. Estou registrando um Boletim de Ocorrência e vou entrar na Justiça. Precisei pedir ajuda para uma ONG de proteção aos animais para tentar soltá-lo. O que só aconteceu na tarde desta segunda-feira. Ele foi liberado, mas está mancando de tanto ficar sem se mexer”, denuncia.

A representante da ONG Educação Legislação Animal (Elan), Nazaré Morais, registrou um Boletim de Ocorrência referente aos maus tratos em virtude do cavalo ter ficado em um local inadequado.

Sobre os danos causados pelo coice do cavalo no veículo, William informou que nesta terça-feira (14) vai comparecer à delegacia no município de Ribeirópolis, onde a dona do carro reside para acertar o pagamento dos danos.

O capitão da Polícia Militar, Vagno Passos, comandante do policiamento no município, disse que o animal passou a noite na delegacia porque o dono se recusou a admitir a responsabilidade e culpou a motorista por ter estacionado na área da festa. “O cavalo deu um coice na porta de um veículo, sendo utilizado como meio para cometer o crime de dano. E foi conduzido à delegacia para que fosse realizado o procedimento”, disse.

O capitão negou que o animal sofreu maus tratos, mas admitiu que ele passou a noite na delegacia. “Ele ficou em uma área de serviço, recebeu água, alimento e não foi maltratado. Não ficou na área externa por questões de segurança, pois poderia ser roubado. Somente hoje o proprietário do animal assinou um termo de reponsabilidade sobre o dano e o cavalo, e o animal foi solto”, finalizou.

SUEVAN BRAGA – CAUCAIA-CE

Amigo Berto.

Muito bom dia pra você.

Nós, da bela cidade de Caucaia-ce, estamos lhe enviando um grande abraço e gratidões.

Essa é uma história baseada em fato real.

Publique na Besta Fubana.

Agradecemos.

* * *

Amanda era uma menina bonita que gostava de pintar, olhar as flores e sonhar sendo uma linda beija-flor para visitar cada rosa que existia na sua casa. Era muito vaidosa e gostava de ficar em frente ao espelho contemplando seus belos cabelos encaracolados. Na escola não faltavam elogios.

Sua escola por ser muito ativa, se escreveu numa competição e inventou um quadro para apresentar, no qual as crianças iriam se tranformar em personagens escolhidas pela professora. Por ser muito bonita e ter esses belos cabelos, Amanda foi escolhida para fazer a rainha da peça. Ela ficou radiante. Não via a hora de chegar em casa e contar para sua mãe. Na volta a escola, começaram os ensaios. J´estava no nono dia. A apresentação estava próxima. Não se continua de tanta ansiedade.

No caminho, vinha tão empolgada que não viu a sua frente um escada com um pintor que estava em cima pintando uma fachada. Amanda tropeçou na escada e para sua falta de sorte, uma lata de tinta caiu em sua cabeça e pregou todo seu cabelo. Saiu desesperada para casa para lavar os cabelos e tirar a tinta.

Mas que nada. A tinta já tinha secado e enlinhado tudo. Sua mãe teve que cortar to seus cabelos e por cima deixá-la careca. Quando a menina se viu no espelho, quase morreu de tanta tristeza. O que ia fazer? Afinal a apresentação seria no dia seguinte. Recolheu-se no quarto e só fazia chorar. Então sua mãe teve uma ideia: Comprar uma peruca para Amanda. Foi rápido ao quarto e contou para menina que aceitou a ideia, colocou um lenço na cabeça e sairam rapidamente em busca desse acessório. Procuraram em tudo que era loja e nada. Nenhuma peruca combinava com Amanda e o personagem.

A pobre menina ficava cada minuto mais triste, afinal seria uma competição com outras escolas e a melhor apresentação receberia um prêmio e a rainha mais bonita, teria um ano de reinado na rede escolar da cidade.

Depois de todas as opções serem esgotadas, a menina não se conteve e chorou muito na última loja, se lamentando pela situação.

Uma senhora que estava ao lado ouviu e tudo e se aproximou:

– Ouvi o que vocês estavam falando. Eu tiver uma doença que meu cabelo caiu. Tive que usar uma peruca. Ví o sofrimento da menina e gostaria de dizer a vocês que eu tenho uma do geito que vocês estão procurando. Só temos que fazer um pequeno aperto.

Foi como se o mundo se abrisse para Amanda que ficou radiante e foi na casa da senhora buscar a peruca. Quiseram pagar, mas a senhora não quis e só pediu que Amanda fosse muito feliz na apresentação. Foram direto para casa fazer os acertos . Ficou perfeita. Amanda estava linda.

No dia da apresentação, a menininha estava impecável. Bela. Uma verdadeira princesa. A apresentação de Amanda foi linda. Assim que terminou, muitos correram para abraçar a menina. Mas… o improvável aconteceu. Alguém ,quando foi abraçar Amanda , pegou no seus cabelos e a peruca caiu. Todos ficaram surpresos. Alguns pensaram em rir e outros não sabiam o que dizer. Ficaram por alí se olhando e foram sentar e esperar o resultado da competição. Amanda estava arrasada.

Quando foram anunciar a rainha, todos ficaram tensos. Antes seria certa a vitória de Amanda, mas agora, com essa situação, não haveria chance.

O diretor da escola foi anunciar o resultado e Amanda ficou em último lugar.

Todos olharam com muita tristeza para a menininha.

A vencedora caberia o direito de se expressar no microfone. Quem ganhou estava tão emocionada que nada falou.

Nisso, Amanda foi até o diretor e pediu o direito da palavra que lhe foi concedido, pela impulgação que estava em seus olhos.

– “Boa noite a todos. Hoje pela manhã, eu era uma derrotada. De repente me veio uma sobrevida. Tive a chance de lutar e fui a luta. Em nenhum momento desistí. Eu e minha mãe rodamos toda cidade em busca de uma peruca. Quando tudo estava perdido apareceu uma senhora que nos deu uma lição de vida e vontade de viver.

Hoje, nesse momento, em fiquei em último lugar na competição, mas para o meu coração, fiquei em primeiro no amor que recebí .

Aprendi que numa competição, aquele que nunca dessiste, será sempre um vencedor”.

A platéia que ouvia tudo atenta e derramando lágrimas, se levantou e aplaudiu Amanda que saia da competição com o título de “ Rainha da superação.”

ALAMIR LONGO – QUARAÍ-RS

Ilustríssimo Editor Luiz Berto,

Peço vênia à Vossa Majestança para denunciar a terrível injustiça perseguitória que fizeram, estão fazendo e ainda farão ao partido maiszonesto da nossa galáxia.

Veja se é ou não é pura perseguição:

– Os três últimos tesoureiros do PT nacional, Paulo Ferreira, Delúbio Soares e João Vaccari Neto foram presos;

– Os marqueteiros das campanhas eleitorais do PT à presidência da República, João Santana e Mônica Moura foram presos;

– Zé Dirceu – o Zé caroço – ex- ministro da Casa Civil de Lula, membro permanente da legião de espiões cubanos, cérebro da República de Ladrões que destruiu o país e que um dia jurou com todas as letras que o PT “não róba e não dexa robá” foi preso;

– Antônio Palocci, ex-ministro da Fazenda de Lula e da Casa Civil de Dilma foi preso;

– José Genuíno – O Zé cagão – deputado federal e ex-presidente nacional do PT foi preso;

– O petista Marcos Valério, publicitário e operador do Mensalão do PT foi preso;

– Silvio Pereira, ex-secretário-geral nacional do PT e fundador do partido foi preso preventivamente; hoje é réu da Lava Jato aguardando novamente a chegada do camburão;

– João Paulo Cunha, deputado federal pelo PT, condenado e preso no Mensalão;

– Delcídio do Amaral, senador petista escolhido por Dilma para ser líder do governo no Senado e no Congresso Nacional foi condenado e preso;

– André Vargas, deputado federal petista e ex-presidente do PT paranaense, condenado e preso;

– Luiz Inácio Lula da Silva – chefão maior do PT- atualmente condenado a nove dedos e meio de prisão, só aguardando majoração de pena e a chegada do camburão;

– Gleisi Hoffmann – a grande paladina da moral e dos bons costumes – atual presidente nacional do PT é ré da Lava Jato.

VANDERLEI ZANETTI – SÃO PAULO–SP

Prezado Berto,

No Brasil nós também temos as nossas “Viúvas Negras”.

As daqui, geralmente, não chegam a morrer na prisão.

No entanto, no Japão, uma viúva negra, com mais de 70, vai ser enforcada.

Ah se fosse no Brasil!

“Viúva negra” escolhia homens ricos e sem filhos

Aqui os velhinhos de mais de 70 anos passam a gozar de diversas regalias. Ainda mais se usarem “Embargos Infringentes”.

MaluF que o diga!

Se achar interessante e possível divulgue para os leitores fubânicos.

Para ler, basta clicar aqui.

Um abraço

ARAEL M. DA COSTA – JOÃO PESSOA-PB

Bom dia, caro Guru

Passo a suas mãos nota que acabo de ver no blog Migalhas, editado sob auspícios da OAB/SP.

No meu entender, espelha com muita propriedade o que considerável parcela de nossa sociedade vê nesse ‘ínclito’ magistrado.

Cordialmente

* * *

O ministro Gilmar Mendes foi satirizado durante o Encontro Nacional dos Procuradores da República, realizado em Porto de Galinhas/PE, durante o feriado. A programação do encontro da ANPR incluía um concurso de fantasias. Um dos destaques da noite foi uma mulher que, trajada com uma capa preta e vermelha e usando máscara com o rosto do magistrado, se apresentou como “Gilmau Mendes”.

CARLOS ROCHA – GOIÂNIA-GO

Olhos verdes

Este tão verde
destes teus verdes olhos,
são tão mais verdes
que o verdor dos prados.
Têm a virtude de serenar a vaga
que fere a alma,
como em mar de abrolhos!

Estes teus olhos,
que de tão lindos e verdes
têm tal fascínio,
tal magia e encanto,
de tão pecado é deseja-los verdes
que até se peca, sem querer,
no entanto…

Teu olhar lindo
que enfeita as flores,
qual verdes folhas
de verdor infindo,
tomou de encanto
meu coração afoito,
que por teus olhos
se danou de amores!

CARLOS AIRES – CARPINA-PE

Meu amigo Papa Berto,

segue aí um texto poético de apresentação de um livrinho que estou vendendo aos amigos.

Também segue a foto dos livros bem como o endereço de E-mail para contato.

Abraço

R. Meu caro, você é um poeta popular que eu muito admiro.

A sua coluna aqui no JBF, PROSEANDO NA SOMBRA DO JUAZEIRO, é um dos espaços marcantes desta gazeta escrota.

O leitor fubânico que quiser encomendar o seu volume do nosso estimado colaborador, anote aí o endereço para contato: poetacarlosaires@hotmail.com

Desejo que você faça o sucesso que merece.

Um grande abraço.

* * *

Meu amigo “Papa Berto”,
Que é um sujeito bacana,
Diretor dessa “gazeta”
“Jornal da Besta Fubana”
Publique aí os perfis
Desse trabalho que fiz
Com muita dedicação
E que já está a venda.
Pra que façam encomenda
Deixo aqui a instrução.

Acima tem o E-mail
Para quem se interessar,
Em adquirir um livro
Eu logo irei lhe enviar,
Entre em contato comigo,
Que seja amiga ou amigo,
Que o poeta capricha,
Pra lhe enviar sem mutreta,
Ao leitor dessa “gazeta”
Boa da “bixiga lixa”.

Apresento pra o leitor,
Com prazer e alegria,
O livro que intitulei
“Meu Sertão em Poesia”
E essa pequena obra
Contém estrofes de sobra
Pra sua apreciação,
E como o título bem diz,
No calhamaço que fiz
Só falo do meu sertão.

Logo no início um convite!
“Vem Ver Como a Vida é Bela”,
Depois cito “A Baraúna”,
Que já foi frondosa e bela,
Na recordação fagueira
Também cito “A Quixabeira”,
Nessa minha narração,
E prosseguindo com o tema
Logo depois o poema
“Sou a Imagem do Sertão”.

“Saudade… Muita Saudade”,
Também está no roteiro,
Depois faço uma homenagem
Ao “Meu Lindo Juazeiro”,
E ao longo da caminhada
“Terra Minha, Terra Amada”,
Vai tocando o barco em frente,
E na jornada prossigo
E em alto brado lhes digo
“Esse é o Nordeste da Gente”.

“Meu Pedacinho de Terra”
Versei sem que houvesse falha,
Depois dele fui chegando,
No “Meu Ranchinho de Palha”
Vivendo nessa palhoça,
“Na Calmaria da Roça”
Vou contando essa façanha,
Para seguir adiante,
Eu vou subir confiante
“Nas Encostas da Montanha”.

Desci daquelas alturas
Porque todo o meu desejo,
Agora era assistir,
“Um Arrebol Sertanejo”,
Onde o caboclo roceiro
Cedo levanta ligeiro,
Pra cuidar da sua luta,
E com muita capacidade
Demonstra a “Autenticidade
Original e Matuta”.

“Minúcias da Minha Terra”
Vou descrevendo na reta,
Depois disserto o poema,
“O Passarinho e o Poeta”
Lembrando meu Pé-de-Serra,
“Saudade da Minha Terra”
Numa canção doce e pura,
Logo após que terminei,
Muito contente eu fiquei,
“Observando a Natura”.

Eu citei da Natureza
A particularidade,
Falei da Vida na Roça,
Com sua tranquilidade,
Do anoitecer sertanejo,
Bem visto no lugarejo,
Pela beleza e elegância,
Num versejar primoroso,
Eu escrevo pesaroso,
“Saudades da Minha Infância”.

Estou só sintetizando
Um pouco do meu escrito,
Mas são cem páginas contendo,
Um versejado bonito,
Se você adquirir
Um livro, e se me aplaudir,
Vou ficar lisonjeado,
E como um simples poeta,
Por ter atingido a meta,
Digo-lhe “Muito Obrigado”.

PEDRO MALTA – RIO DE JANEIRO-RJ

Berto

Pouco conhecido da população brasileira o documentário “Triunfo da vontade” , legendado , com a duração de quase duas horas e considerado um dos marcos da propaganda nazista , é fundamental para compreender qual era o nível de grandeza que Hitler queria para o III Reich.

Imagens marcantes, plenas de um povo eufórico com a presença de seu líder ,crianças saudando a passagem do Führer e uma população inteira ovacionando Hitler evidenciam o fanatismo dos alemães pelo homem que viria a ser o mais odiado da Terra.

Publique no JBF e continue enriquecendo culturalmente os incontáveis leitores dessa gazeta da bixiga lixa.

Para ver o vídeo, basta clicar aqui

FRANCISCO CIASCA – SÃO PAULO-SP

Amigo Berto

aqui em São Paulo são 17,30 hs e até agora estou órfão.

Nenhuma atualização do melhor jornal.

Estou completamente desinformado.

Abraços amigão.

R. E aqui no Recife são 16:30, uma hora a menos.

Ficamos fora do ar neste sábado por conta da mudança de hospedagem.

Não foi pane ou desmantelo. Foi só um ajuste.

E, por conta deste ajuste, é possível que algumas postagens saiam meio desmanteladas, um pouco fora do padrão editorial normal deste jornal.

A mudança de hospedeiro é pra deixar esta gazeta escrota mais ágil.

Espero que isto se concretize e que o nosso esforço consiga vencer as pragas dos invejosos.

Abraços e um excelente final de semana pra todos os fubânicos daí da Terra da Garoa, a cidade brasileira com a maior quantidade de acessos e de viciados neste JBF.

JOAO ROBERTO MACIEL DE AQUINO – SANHARÓ-PE

O DEDO DO EXÉRCITO

Oh, brasileiro sacana,
pra gostar de arriar!
Até com o presidente,
cismaram de aprontar,
dizendo que ele já tava
há cinco dias sem mijar
e chamaram o SAMU ligeiro
antes dele desmaiar,
foram pro Hospital de Base,
pro doutor examinar,
surgiu Dr. Coronel
de tudo que foi lugar,
passaram quase dois dias
pra diagnosticar,
era próstata empanzinada,
danaram-se a cutucar,
rasparam, quebraram pregas,
e, pra desmoralizar,
tão chamando o cavucado
no furico do coitado,
de INTERVENÇÃO MILITAR.

FÁBIO – LOJA PASSADISCO – RECIFE-PE

Caro Berto.

Hoje, 04 de novembro, a partir das 16 horas, o escritor Bráulio Tavares estará lançando na Passa Disco o seu novo livro; o primeiro volume de uma trilogia sobre a cantoria: “Arte e Ciência da Cantoria de Viola” (Bagaço).

Bráulio é também cantor e compositor; suas músicas já foram gravadas por Elba Ramalho (“Nordeste independente“, “Caldeirão dos mitos“), Lenine (“O dia em que faremos contato“, “O último por do sol“, “Caribenha nação“), Zé Ramalho (“Trupizupe“), entre outros.

Conto (mais uma vez) com a divulgação fubânica da sua Besta.

Abraços

R. A comunidade fubânica estará presente neste evento, meu caro. Pode ter certeza

Bráulio Tavares é um cabra talentoso, um grande estudioso da cultura nordestina e merece o sucesso que faz.

Este livro dele, Cantoria de Viola, em dois volumes, certamente é uma obra-prima, um estudo profundo sobre o assunto.

Vamos aproveitar o pretexto pra ouvir um dos grandes sucessos de Bráulio, Caldeirão dos Mitos, na voz de Elba Ramalho:

ALEXANDRE BORJAILI (PRESIDENTE – SIRTGAS/MG) – BELO HORIZONTE-MG

Consumidores pagarão R$ 3 bilhões ao ano a Petrobras com aumento gás

O Sindicato do Comércio Varejista Transportador e Revendedor de GLP do Estado de Minas Gerais, SIRTGAS/MG com apoio da ASMIRG-BR, estará promovendo dia 07/11/2017, manifestação em Belo Horizonte contra os aumentos abusivos e sucessivos no preço do gás de cozinha praticado pela Petrobras.

De janeiro a outubro deste ano, a Petrobras elevou o preço do tradicional botijão de gás de cozinha em R$ 7. Se não houver novos aumentos este ano, a projeção de ganhos da Petrobrás somente com estes repasses está na ordem de R$ 3 bilhões ao ano.

Conforme dados da ANP, foram comercializados nos últimos 07 meses uma média de 35.650.330 botijões de até 13 Kg.

Dados do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário , apontam no mês de setembro de 2017, 25.598.020 famílias inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais, com renda mensal de até meio salário mínimo.

Os últimos aumentos da Petrobrás para o GLP residencial impactaram diretamente nas famílias de baixa renda, 72% dos consumidores de GLP possuem renda mensal de até ½ salário mínimo

O primeiro resultado sentido no setor foi, a queda nas vendas de um produto que nunca poderia faltar dentro de nossos lares, somente no mês de setembro conforme dados da ANP, a venda de botijões de até 13 Kg caiu em aproximadamente 3 milhões de botijões.

O setor revenda pretende através desta manifestação, apresentar seu repúdio aos sucessivos aumentos do GLP e questionar as nossas autoridades sobre a ausência de limites ou regulamentações que possam frear os abusos no comercio de um produto de utilidade pública, de interesse nacional.
O que a Petrobrás considerou para ter a necessidade dos últimos aumentos do GLP?

a) % do GLP produzido no Brasil?
b) % do GLP utilizado para fins residencial?
c) % do GLP importado para fins residencial?
d) os ganhos praticados no preço do GLP industrial, que estão acima dos limites internacionais?

O ato público ocorrerá dia 07/11/2017, com concentração as 14:00hrs na Rua Andrômeda, 1080 – Jardim Riacho das Pedras – Contagem/MG, em seguida faremos uma carreata até a ALMG – Praça Carlos Chaga, onde entregaremos ao Presidente da Comissão de Minas e Energia – Deputado João Vitor, manifesto contra os aumentos abusivos do GLP e propostas de medidas reparadoras para o setor.

Contamos com o apoio de V.Sas, colocamo-nos a disposição para mais esclarecimentos.

Atenciosamente,

JACOB FORTES – BRASÍLIA-DF

AS PALAVRAS E OS CAVALOS

Os escritores mais cautos não transigem com a pertinência das palavras; escolhê-las corresponde à roupa apropriada para cada ocasião. O critério vem de longe, remonta a Voltaire: “Uma palavra posta fora do lugar estraga o pensamento mais bonito”.

No ofício de vaqueirar o meu pai dispunha de uma cavalhada suficiente para os variados serviços do seu mister. Apedeuto, evidentemente desconhecia o vocábulo pertinência, mas sabia o significado de apropriado; cada cavalo apropriava-se a um papel. Assim, por exemplo, para transportar crianças e moçoilas à escola recorriam-se aos cavalos de doma (geralmente os avelhentados); para puxar a carroça seria um animal robusto, traquejado; para o trabalho de campo (monitoramento do gado vacum) a escolha recaia sobre um animal de resistência duradoura, além de rédea submissa para que pudesse, sem a interveniência da brida, ziguezaguear pelos ermos; para as missões de “pega” seriam os mais árdegos, cavalos de chegada, privativos dos peões seniores, e assim por diante.

Pois bem, as palavras são como os cavalos: não basta requisitá-los do fechado da capoeira; é preciso que se lhes defina o perfil, puxar pelo cabresto somente o que for mais consentâneo. Por mais paridade que exista num rol de vocábulos há sempre um que se impõe, pela pertinência, pela expressividade, pela sonoridade; são as sutilezas da sinonímia, que não se pode desprezar, embora a realidade consabida é a de que os tempos tecnológicos são assinalados por desapreço à língua nacional. Comum é ver-se “cavalos” apenas símiles, isto é, sem a devida pertinência, operando no seio de textos denominados eruditos, circunstância que, por vezes, compromete a efetividade da frase, até descompõe sua fisionomia.

CARLOS ZITELLI – ARARAQUARA-SP

Prezado Sr. Luiz Berto, bom dia!

Recebi e repasso para seu conhecimento.

Não tenho a menor dúvida que tudo é verdade.

Estou todos os dias ligado no seu site, me faz bem.

Um forte abraço.

R. Caro leitor, fico muito feliz de saber que o JBF lhe faz bem e que você acessa todos os dias.

Isto me dá muito ânimo pra continuar editando esta gazeta escrota.

Mando um grande abraço pra todos os fubânicos de Araraquara, esta simpática cidade onde estive por várias vezes.

Já tomei muitas lapadas de aguardante no bairro Quitandinha.

Um dia eu volto pra matar as saudades.

E vamos às belíssimas imagens que você nos mandou:

FERNANDO ANTONIO GONÇALVES – RECIFE-PE

Gente amada:

Por lei federal de 2003, no dia 31 de outubro foi instituído o DIA DO SACI.

O Saci-Pererê é uma das figuras mais populares do folclore brasileiro. O personagem resulta da mistura de várias entidades africanas, de lendas indígenas, portuguesas, além de duendes europeus.

Especialistas dizem que há diversas versões para o surgimento do Saci. Numa delas, o personagem seria um capetinha infantil que fugiu do inferno junto com outros capetinhas crianças. Furioso, o diabo mandou os capetas trazê-los de volta ao inferno. Apena um deles conseguiu escapar, fazendo diabruras no mundo até hoje. Outra versão conta que o Saci nasce de dentro dos gomos de taquaraçu, um tipo de bambu, durante as noites de tempestade. A terceira conta que o Saci é um curumim protetor da floresta e dos índios que nela se perdem.

Porém, uma das imagens mais conhecidas do Saci-Pererê foi difundida por Monteiro Lobato. O livro “Sacy-Pererê, resultado de um inquérito”, publicado em 1918, foi uma forma de resistência à cultura europeia e uma tentativa de resgatar o imaginário popular. Nessa obra, o Saci aparece como um ser maléfico. Mais tarde, em “O Sacy”, Lobato transforma o personagem, tornando-o uma figura traquinas, que se diverte fazendo travessuras. Sua imagem também sofre alterações, e ele agora é um menino negro de uma perna só, com um gorro vermelho e um cachimbo. Finalmente, a figura do Saci é uma convergência de elementos diversos: pele negra e o hábito de fumar, que revelam origens africanas; gorro vermelho, numa referência ao demônio em países da Europa; seu nome, com origem indígena. O Saci-Pererê também é conhecido por outros nomes, como Saci-Cererê, Saci-Taperê, Saperê, Siriri, Saci-Jerê, Matin-Taperê, entre outros.

Acabemos com o idiotice de imitar regiões diferenciadas culturalmente da nossa.

Halloween um CARALHO!!

Viva 31 de outubro, o DIA DO SACI!!

Valorizemos o folclore brasileiro!!

Viva Luiz da Câmara Cascudo e Mário Souto Maior, dois arretados de ótimos do nosso folclore!!

Sejamos brasileiros acima de tudo!!!

PEDRO MALTA – RIO DE JANEIRO-RJ

Berto,

William Golding, membro da Royal Society of Literature e vencedor do Prêmio Nobel de Literatura de 1983, sabia o que estava dizendo.

Divulgue no JBF tão logo seja possível.

Você não faz ideia da ajuda que dará aos homes que diariamente leem essa gazeta escrota e buscam compreender as mulheres.

PEDRO MALTA – RIO DE JANEIRO-RJ

Berto

Por favor divulgue a foto abaixo, para que os incontáveis e sempre fiéis leitores dessa gazeta da bixiga lixa tenham a certeza mais absoluta que o cão continua sendo o melhor amigo do homem.


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa