LUIZ ANTÔNIO BERTO – BRASÍLIA-DF

Ei Pai,

olha aí o primeiro vídeo da série dos assuntos dos Aspectos Sociais da Cura.

Vamos em frente!

SONIA REGINA – SANTOS-SP

Ligar o computador e fuçar na internet, muitas vezes é tal-qual sentar perto de um enxame de pernilongos. Eles vão te picando e fogem. Você fica se coçando e não consegue pega-los. Tempos depois, começamos a ligar as pontas soltas.

O vídeo abaixo, é do ano de 2016, com uma conversa entre dois personagens que não se apresentam com aquelas bermudas masculinas caídas na parte traseira, nem tem uma arma na mão pra atacar.

Numa conversa até educada, expõem a não menos perigosa: “Facção do Paletó”.

Essa “Facção”, já comanda nossa politica desde o século passado. Atentem para os nomes que parecem ser decisivos para resolver os problemas das “excelências”: Renan e Sarney.

LUIZ LEAL – CASIMIRO DE ABREU-RJ

Em Paris.

Feira de Mangaio.

ALBERTO COZZOLINO – RIO DE JANEIRO-RJ

Berto, meu querido editor,

veja só que sugestão excelente eu vi hoje pela manhã no WhatsApp:

Michel Temer tem a chance única de dar credibilidade ao seu governo, subir na aceitação popular e deixar os políticos e ladrões sem alternativa: NOMEANDO SERGIO MORO PARA A VAGA DE TEORI

Sugestão que eu apoio com muito entusiasmo.

E que deveria ser apoiada por todo homem honesto do Brasil

Abraços

R. Do caralho!!!

Que ideia arretada que só a porra.

Só quem não vai gostar desta sugestão é o fubânico petista Ceguinho Teimoso.

De minha parte só tenha a dizer que apoio, louvo e aplaudo.

FERNANDO GONÇALVES – RECIFE-PE

Gente amada:

Desejamos a todos um 2017 cada vez mais solidário! E muitas ações concretas!

A nossa fé necessita de constantemente de orações e ações concretas em prol dos mais desassistidos, aprimorando nossa solidariedade fraterna, sejam quais forem as crenças religiosas de cada um.

Neste 2017, estejamos ainda mais alertas contra as indiferenças, as passividades, os silêncios e as omissões dos que se escondem por detrás de interesses puramente egolátricos.

Saibamos pedir sem constrangimento auxílio para nossa gente sofrida, travando sempre o bom combate, tornando-se cartas vivas das lições de São Paulo, servo que jamais se omitiu diante das responsabilidades assumidas.

PARA QUEM DESEJAR AJUDAR NESTE INÍCIO DE ANO NOVO
CENTRO ESPÍRITA IRMÃ GERTRUDES

Banco do Brasil – Ag. 2811-8 -Conta Corrente 2015-X
O CNPJ do CEIG é 24 416 042 0001-76

O endereço do CEIG é

Rua Franco Gondim 51-A , Santana, 52.060-502 – Recife – Pernambuco

Roupas e sapatos usados em bom estado já desnecessários serão de muita utilidade, bem como alimentos de primeira necessidade.

Que o Menino Jesus, nosso Irmão Libertador, os cubram sempre de múltiplas bênçãos!

Obrigado em nome das 300 idosas cadastradas do CEIG.

Perdoe-nos pela insistência. É a carência das irmãs idosas que nos faz persistentes !!

OBS: Não precisa responder nada. O Senhor os(as) continuará amando como sempre, cada vez mais!!

REGIOPIDIO GONÇALVES DE LACERDA – JUAZEIRO DO NORTE-CE

Mestre Berto,

Escrevi essas estrofes para a primeira reunião pedagógica do Colégio Objetivo de Juazeiro do Norte.

Caso seja do seu agrado peço que divulgue para os leitores Fubânicos!

* * *

Sou capaz de fazer a diferença
Cultivando no solo da magia
A semente a forte sabedoria
De quem ama, produz, insiste e pensa
Irrigando com vigor e com crença
Como fosse um fiel agricultor
Que cultiva a terra com pudor
Na certeza da planta prosperar
Sou capaz desse mundo transformar
Porque sei o que é ser professor!

Pra saber qual o X dessa questão
E encontrar as perguntas e respostas
Basta nunca virar as suas costas
Pra Aristóteles, pra Sócrates e Platão
Aprender com a fé e com a razão
Da verdade ser um cultivador
Encarar com firmeza e sem pavor
Os percalços do nosso caminhar
Sou capaz deste mundo transformar
Porque sei o que é ser professor

É saber que a matemática pura
É um meio para atingir um fim
Pois o mestre que é sábio pensa assim
Educar é bem mais que uma aventura
Que exige de nós uma estrutura
E postura real de educador
E não ser um mero repassador
De matéria pro aluno decorar
Sou capaz desse mundo transformar
Porque sei o que o que é ser professor!

Propagando as ciências sociais
De uma forma fiel e analítica
Aguçando em todos visão crítica
Discutindo os problemas atuais
Debatendo a TV e os jornais
E a política cruel do opressor
Que coloca em nosso televisor
Um olhar enfeitado à falsear
Sou capaz desse mundo transformar
Porque sei o que é ser professor!

Sou feliz porque sou um responsável
Por centenas de jovens formidáveis
Criaturas de dotes incontáveis
Com olhar de esperança, incansável
Profissão até hoje incomparável
Pois não dá pra medir o seu valor
Por ser símbolo de luta e de amor
E estes termos não tem como pesar
Sou capaz desse mundo transformar
Porque sei o que é ser professor!

Paulo Freire, Karnal e Milton Santos
Florestan, Marilena e Caio Prado
Mário Jorge, Edivan, Celso Furtado
Ana Paula, Ylliara e outros tantos
Professores de múltiplos encantos
Ao louvá-los eu sou um sabedor
Que aprendo por ser um seguidor
Dos exemplos dos mestres do ensinar
Sou capaz desse mundo transformar
Porque sei o que é ser professor.

Que Subamos então cada degrau
Da escada que leva ao sucesso
Portadores da chave do progresso
Aumentemos a luz de grau em grau
Que o bom vença a luta contra o mau
Para o bem, o caminho vencedor
Que o aluno carregue aonde for
A essência e o dom do seu pensar
Sou capaz desse mundo transformar
Porque sei o que é ser professor.

DEPUTADO PAUDERNEY AVELINO – BRASÍLIA-DF

O líder do Democratas na Câmara, deputado Pauderney Avelino (AM) apresentará nesta quarta-feira, 18, durante reunião com o presidente Michel Temer (PMDB), uma proposta para criação de um Fundo Nacional de Segurança Pública, no intuito de viabilizar a melhoria das condições da segurança pública nos estados brasileiros, mediante aporte de recursos da União, pelo prazo de 15 anos.

“A saúde e educação tem seus fundos próprios, mas a segurança tem um fundo no qual os recursos são pequenos e não atendem a demanda ou necessidade para formular políticas para segurança pública em nosso país”, afirma Pauderney.

Apresentada pelo deputado Pauderney em 2014, enquanto presidia a Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado da Câmara dos Deputados, a PEC 440/2014 cria o Fundo Nacional de Investimento, Manutenção e Desenvolvimento da Segurança Pública (FUNDESP), a partir da arrecadação de 3% do produto dos impostos sobre renda e proventos de qualquer natureza, sobre produtos industrializados e outros tributos que venham a ser criados.

O FUNDESP será administrado por um Comitê Gestor, sob a supervisão de um Conselho Consultivo, e com a participação de representantes da sociedade civil e dos secretários de segurança pública dos Estados e do Distrito Federal, tendo a fiscalização do Tribunal de Contas da União (TCU).

A distribuição dos recursos provenientes do fundo nacional deverá ser feita obedecendo à proporcionalidade da população dos Estados, sendo que estes e os municípios não poderão deixar de aplicar ou reduzir sua dotação orçamentária própria destinada à segurança pública em razão do recebimento de recursos provenientes do referido fundo.

“Para se ter uma ideia do que significaria o repasse da União aos estados e ao Distrito Federal de 3% do produto da arrecadação dos impostos, apenas contando com o IPI e o IR referentes ao exercício de 2017, na ordem de R$ 405 bilhões, teríamos para destinação à segurança pública aproximadamente R$ 12,2 bilhões, dinheiro que certamente faria enorme diferença para uma reestruturação da área, com melhor remuneração aos servidores, equipamentos e treinamento das forças de segurança nas diferentes regiões do País”, concluí Avelino.

R. Use e abuse, Sinhô Diputado Pau Derney.

Disponha inteiramente deste espaço repleto de escrotidões e inutilidades.

O JBB está totalmente à disposição de Vossa Insolência.

E dê os parabéns pra vossa assessoria: esta foto que veio junto com a mensagem está linda!

É tanto do microfone que, se eu fosse o sinhô, mandava os repórteres enfiá-los todos no olho do cu!

.

JOSÉ ANTONIO PESSOA NETO – RECIFE-PE

Oi Berto, boa tarde!!! Tudo bem?

Faço parte da organização do bloco Segure o Avião, do Aeroporto dos Guararapes. Gostaria se possível, uma divulgação no Blog da Besta Fubana.

Este ano será o 14º desfile pelas Ruas do Recife Antigo.

A decolagem será no dia 23 de fevereiro, a partir das 19:00h, esquentando a semana pré carnavalesca de Recife.

O Patusco de Olinda que estará animando o desfile do nosso Bloco.

A nossa Camisa foi assinada pelo Artista Pernambucano Beto Kelner e será confeccionada em tecido 100% de garrafas PET. ( ver abaixo).

Qualquer dúvida estamos a disposição.

Abraços.

R. A criatividade dos nomes dos blocos desta carnavalesca cidade do Recife é um assunto que sempre me causou admiração.

É cada nome arretado!

Um bloco formado por servidores da Infraero não poderia ter uma denominação melhor que esta: “Segure o Avião“.

Esta gazeta escrota já botou no ar uma postagem com vários nomes de blocos aqui da cidade.

Blocos como o “Assim é Foda, Meretíssimo“, formado por servidores da Procuradoria Municipal de Olinda.

Ou, então, o bloco “Me Segura Senão eu Caio“, formado por deficientes físicos e cadeirantes

Para reler a curiosa lista, basta clicar aqui .

Oportunamente, no mês de fevereiro, a seção de eventos do JBF divulgará a saída do bloco “Segure o Avião“.

Disponham sempre deste espaço.

Boa folia pra todos vocês aí da Infraero!

JOSÉ ALBERTO BATALHONE – UBERABA-MG

Berto,

Achei esta criativa poesia de um conterrâneo seu.

Abraço.

R. Meu caro, este material que você enviou nós chamamos de glosas na poesia popular nordestina. Glosas que são criadas a partir de um mote.

O mote é o tema, é o assunto, a partir do qual o poeta desenvolve as glosas.

Neste exemplo que você nos mandou, o mote é este:

Na porta do cu do dono.

Esta história que você nos mandou foi copiada fielmente de uma postagem feita aqui no JBF, em novembro de 2013.

Recomendo a leitura para toda a comunidade fubânica.

Clique aqui e confira.

AMAURY QUEIROZ – NATAL-RN

Berto:

Pernambuco perdeu recentemente um renomado maestro, cujos frevos fizeram e ainda fazem a alegria dos foliões de todas as idades, quando na data de 14 de setembro de 2016 faleceu José Nunes de Souza, popularmente conhecido como Maestro Nunes.

Como fã de sua obra musical, sempre gostei de ouvir seus frevos de rua, dentre os quais destaco MOSQUETÃO, BALA DOIDA, É DE PERDER OS SAPATOS, SEGURANDO A PETECA e CABELO DE FOGO.

CABELO DE FOGO, por sinal, é um dos mais executados por todas as orquestras de frevo no trabalho sonoro de animar e arrastar os brincantes pelas ruas.

Minha admiração por sua obra fez com que, em sua homenagem, tomasse a liberdade de escrever uma letra para CABELO DE FOGO. Letra pronta, tratei de providenciar o áudio na voz do cantor potiguar Marcos Rodrigues. A voz foi colocada tendo como guia a execução instrumental do frevo feita pela Banda 1º de Novembro da cidade de Timbaúba-PE.

Para registro de minha homenagem ao Maestro Nunes, como amante do frevo e pernambucano que sou, natural de Recife e residente em Natal-RN, já que o carnaval se aproxima, peço ao amigo, na medida do possível, que seja feita a publicação da letra, da partitura para voz e do respectivo áudio no Jornal da Besta Fubana.

Desde já agradeço.

R. Isto não é pedido, meu caro.

Isto é uma ordem imperiosa.

Ordem que cumpro com um prazer enorme.

Ter um leitor fubânico que é parceiro do saudoso Maestro Nunes é um privilégio que me deixo ancho que só a porra.

Cabelo de Fogo é um frevo de rua que é uma das marcas salientes do carnaval recifense. Um dos mais executados na nossa folia.

A seguir está todo o material que você nos mandou.

Abraços e muito sucesso!

* * *

CABELO DE FOGO – Frevo do Maestro Nunes – Letra de Amaury Queiroz, interpretação de Marcos Rodrigues

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

O seu cabelo
Vermelho vivo
Serviu de motivo
E o apelido pegou
Quando um gaiato
Gritou num jogo
Cabelo de fogo
E ele então se zangou

Não devia se zangar
Com quem assim chamou
Nem também querer brigar
Porque cabelo de fogo pegou
Pegou, pegou,
Pegou, pegou,
E agora o sossego
Do coitado se acabou…
Pegou, pegou,
Pegou, pegou,
Porque o apelido
Boca a boca se espalhou!

JOE BASS – BRUXELAS – BÉLGICA

Bom dia, querido Editor,

Você se lembra quando o Carlinhos Brown tentou faturar em cima da Copa de 2014 inventando aquela merda de instrumento que batizou de Caxirola?

Aquela extrovenga hibrida de granada com soco-inglês foi até apresentada ao públicou em cerimônia oficial, tendo a Anta de Terninho e a Marta Suplício como garotas de propaganda.

A FIFA, sacando o “passa moleque” que estava levando do Carlinhos Brown, tratou de proibir a entrada daquela aberração nos estádios durante os jogos alegando problemas de segurança e os planos de faturar horrores às custas dos otários que comprariam milhões de Caxirolas foras por água abaixo.

Pois dia desses eu fui num supermercado e tive a surpresa de encontrar Caxirolas do Brasil num cestão de promoções, sendo vendia a 1 Euro.

Não comprei, obvio, mas quase senti saudades daquela era da estupidez sem fim.

Quase …

Abração

R. Uma coincidência que salta à vista é a parecença que tem as duas figuras da primeira foto.

Ambas tem cara de buceta.

Buceta banânica.

Conseguiram destronar Temer.

Vôte!

CARLOS IVAN – OLINDA-PE

Editor Berto

Taí uma boa lição extraída da internet para o brasileiro.

Abraços

* * *

DECÊNCIA. BARACK OBAMA. Oito anos no comando do país mais poderoso do mundo. No entanto, nenhum escândalo. Filhas cresceram na Casa Branca, rodeadas de farturas, mas mantiveram a humildade. A esposa do homem mais poderoso do mundo, advogada, usava vestidos de cem dólares. No entanto, a família não sai do governo milionária. Nenhum deles sai usando joias caras e raras. Não se beneficiaram de propinas. Não têm contas na Suíça. Não legislaram em causa própria e, muito menos, ousaram destruir a economia do país. Que permanece rica e poderosa.

R. Uma história exemplar que é igualzinha a outra história que eu conheço.

A história de Lula.

De Lula e de seus filhos.

Barack Obama não passa de um reles imitador.

Copiou a história de Lula ao pé da letra.

Que neguinho inxirido que só a porra!

ARAEL M. DA COSTA – JOÃO PESSOA-PB

Caro Berto

Com as reverências devidas, tomo a liberdade de lhe encaminhar – embora desconfie estar chovendo no molhado, artigo do Carlos Chagas, que acabo de ler no blog do Cláudio Humberto.

Lamentável, sob certos aspectos, retrata a situação em que vivemos, com extrema valorização de bandidos, em detrimento dos cidadãos de bem.

E, mais lamentável ainda, é a celeridade com que a própria Presidente (será que ela não está querendo se tornar uma presidenta?) do STF corre a se fazer partícipe dessa patuscada, como se nada mais houvesse a corrigir ou superar no âmbito da administração banânica.

A sociedade vive a perguntar, sem resposta, se a Presidente ou presidenta do STF já começou a olhar para os muitos rabos que enfeitam corredores e salas climatizadas dessa instituição, dente as quais podemos destacar a prática do engavetamento processual sob o disfarce de pedido de vistas, que fazem dormir o sono dos injustos uma miríade de processos, que por esse processo de hibernação prejudicam milhares de cidadãos de bem, muitos dos quais atingidos por atos vís da própria administração pública.

Quem sabe, seria bom enviar a Sua Excelência (esperando-se que continue a fazer jús ao tratamento) o excelente artigo de Adonis de Oliveira (O final da novela), publicado hoje nessa gazeta escrachada.

Um abraço, com votos de um final de domingo de paz e tranquilidade.

DOMINGOS SALVIO FIOROT – COLATINA-ES

Senhor Editor,

Achei esta na internet:

A PESCARIA DO REI

Era uma vez um rei que queria ir pescar. Ele chamou o seu ministro da Meteorologia e pediu-lhe a previsão do estado do tempo para as próximas horas. Este assegurou-lhe que não iria chover.

No caminho, o rei encontrou um camponês montando seu burro e que, ao vê-lo, disse:

– Majestade, é melhor regressar ao palácio porque vai chover muito.

É claro que o rei ficou pensativo:”Eu tenho um ministro da Meteorologia muito bem pago que me disse o contrário. Vou seguir em frente.

E assim fez … E, claro, choveu torrencialmente, a pescaria ficou estragada e o rei encharcado e resfriado.

Furioso, voltou para o palácio e despediu o ministro.Em seguida, convocou o camponês e ofereceu-lhe o cargo, mas este, sincero (não era político), disse-lhe:

– Senhor, eu não entendo nada disso, mas se as orelhas do meu burro estão caídas, significa que vai chover. O rei, então, usou a lógica e nomeou o burro para o alto cargo.

Assim começou o costume de nomear burros, que desde então têm as posições mais bem pagas nos governos…

SONIA REGINA – SANTOS-SP

Mosquito e Mosquita

Vez por outra, recebemos a visita do pessoal da Dengue. Numa dessas visitas, um jovem muito simpático, elogiou o fato de que todos os vasos que tinham pratos estavam com areia e alertou que nem sempre resolvia. Fiquei intrigada e ele explicou que ao formar um buraquinho na areia, poderia acomodar os filhotes dos bandidinhos. Não deu outra. O jovem achou e me apresentou um recém-nascido.

Já muito amiga do agente da Dengue, apontei um xaxim muito antigo, com renda portuguesa que também tinha areia no prato e mesmo com buraquinhos não tinha vestígios de água. A conclusão foi rápida. O xaxim absorve toda a água e até alguns vasos de barro de boa qualidade também. Com a proibição de xaxins e vasos de barro muito caros, passamos a utilizar os tais vasos de “plástico”.

O assunto é meio bobinho? Não sei. O motivo para a proibição dos tais xaxins era a preservação das matas brasileiras.

Dever ter alguma explicação sobre essas “miudezas” que afetam o nosso dia-a-dia. Sempre tem. Mas não sei se vai convencer. Enfim, vá lá. Talvez eu deva desfazer-me das plantas para a preservação das matas brasileiras.

Lembro que nos anos 80 morei numa cidade em outro estado que de tão pequena, praticamente convivíamos com o pessoal da roça. Num passeio que fiz, daqueles que acalmam nosso espírito num contato direto com a natureza e moradores na sua maioria pequenos agricultores, paramos para tomar água fresca numa casa simples e observei uma panela de ferro que exalava um cheirinho típico de carne de porco. Fiz um elogio tentando até cavar uma lasquinha da tentadora iguaria. A proprietária, uma senhorinha, logo colocou num prato de ágata um belo pedaço acompanhado de mandioca cozida e também ofereceu-me outra panela de ferro quase igual. Eu perguntei o preço e ela simplesmente disse que era um presente de coração. Fiquei amiga da família e nas minhas visitas aprendi muita coisa com aquela gente simples que esbanjava sabedoria.

Infelizmente, a vida nas grandes cidades nos afastam de seres humanos que mesmo sem a tão almejada cultura tem sabedoria de sobra e gostam de repartir com o semelhante.

Seria bom relatar o caso de meus vasos de plantas com aqueles cidadãos que vivem no meio da natureza e quem sabe teriam uma explicação honesta.

Mesmo com todo avanço da ciência, vivemos tempos complicados. No Brasil, nem se fala. Tivemos um ministro da Pesca que não sabia lidar com minhocas. Tem um líder do MTST que tem teto (nem sabemos quantos tetos) e não sabemos ao certo onde trabalha. Tivemos uma governante dizendo que atrás de uma criança sempre tinha uma figura oculta de cachorro e pior, um governante que se diz líder dos trabalhadores sem ao menos ter completado uma dezena de anos dentro de uma fabrica.

Tenho o direito de desconfiar das informações que recebo pela mídia e tentar puxar pela memória em que momento foi proibido utilizar os xaxins e a partir de quando a Dengue ficou mais acirrada no Brasil por culpa exclusiva do:

Mosquito e Mosquita

LAVÍNIA MINGONI – BELÉM-PA

Berto,

tu já falou que o JBF é lugar pra tudo quanto é putaria.

pois bote no ar esta sacanage diretamente daqui de Belém.

sucesso muito e mais, sujeito

R. Vocês estão de testemunhas…

Não adianta nada eu fazer um esforço enorme pra alevantar o nível desta gazeta escrota.

Tem uma turminha que não deixa mesmo.

Vejam só que vídeo da porra a distinta leitora fubânica paraense nos mandou:

ARAEL M. DA COSTA – JOÃO PESSOA-PB

Caríssimo Editor

Diziam os antigos com os quais convivi, ao tomarem conhecimento de fatos inusitados, que “ia chover enxofre”, frase que nos conduzia à expectativa do Armagedon, o fim dos tempos.

Infelizmente os fatos que àquela época nos punham em polvorosa, fazendo-nos até mais fervorosos durante as orações a que éramos obrigados na rotina diária do Colégio Marista, onde estudávamos a completávamos a educação recebida em casa, hoje já não nos causam o mesmo temor, permitindo-nos, até, trata-los como coisa corriqueira dos tempos modernos, como essa pletora de homenagens e manifestações quase laudatórias a esse magote de bandidos que se autoexterminaram, lá pelos cafundós do País.

É inacreditável que autoridades que deveriam estar assegurando à sociedade paz e tranquilidade, estejam dedicando considerável parcela de seu tempo, que deveria ser útil aos homens e mulheres de bem que vivem encarcerados pelo terror da bandidagem que age à solta, à discussão e à realização de procedimentos que afrontam a todos nós, como essa pressa do governo do Amazonas em atribuir indenizações às famílias desses famigerados e promover seus sepultamentos com procedimentos que violentam as nossas convicções de respeito à lei e à ordem, como a coroas de flores e as faixas apostas nos caixões em que eles foram enterrados, como mostram fotos que circulam nas redes sociais e em alguns órgãos da mídia.

Só faltou velório (na assembleia legislativa, onde têm assento muitos êmulos dessa corja), missa solene (talvez ecumênica) e honras militares…

Disto tudo, só podemos, então, esperar, com maior certeza, que a chuva de enxofre a que se referiam nossos antigos está próxima.

Rezemos, pois…

JOSÉ NÊUMANNE PINTO – SÃO PAULO-SP

Atendendo a pedido de um leitor, segue o poema Na casa avoenga

* * *

NA CASA AVOENGA

A nuca cansada apoiada
na palma aberta da mão,
os olhos míopes
do velho Chico Ferreira
escutavam o choro do sertão
no céu sem estrelas
da mais escura vastidão.

um sapo
um grilo
um rês
uma rã

Assim era o serão
na Fazenda Rio do Peixe,
de onde fui vindo.

Todo som que me vier
do bojo da rabeca de Bié,
como chuva na telha
e sabor de leite coalhado
com rapadura rapada
– eta emoção!

JESSIER QUIRINO – ITABAIANA-PB

Meu cumpade

um “mimo” de reportagem.

Jeep e Rural foram os carros de papai até o final da década de 60.

Quando passou para Aero Willys.

ALAMIR LONGO – QUARAÍ-RS

Mestre Luiz Berto:

Que país é esse?

A família de RAIJEAN ENCARNAÇÃO MEDEIROS será indenizada pelo estado do Amazonas. As famílias dos menores que ele aliciou, e das mulheres que ele estuprou, não foram e nem serão;

A família de ERRAILSON RAMOS MIRANDA será indenizada pelo estado do Amazonas. A família da garotinha de 4 ANOS, que ele ESTUPROU e DEGOLOU, não foi;

A família de FRANCISCO PEREIRA PESSOA FILHO será indenizada pelo estado do Amazonas. A família da menina de 14 ANOS, que ele estuprou e matou com 15 FACADAS, não foi;

A família de ARTUR GOMES PERES JUNIOR será indenizada pelo estado do Amazonas. As famílias das 15 vítimas a quem ele estuprou e contaminou com HIV, não foram e nem serão;

A família de RAFAEL MOREIRA DA SILVA, morto na chacina, será indenizada pelo estado do Amazonas. A família do senhor que ele matou quando este voltava da igreja não foi, nem será.

(A informação acima circula na internet, mas chequei sua veracidade).

Diante do acima exposto, pergunto à imprensa brasileira, à cachorrada dos direitos humanos, aos comunas da ONU que já andam por aí enchendo o saco, à Pastoral Carcerária que nunca adotou nenhum anjinho desses, às autoridades constituídas e outras porcarias do gênero:

– Por acaso, não está escrito na Constituição brasileira que todos são iguais perante a lei?

Se as famílias dos 60 presos assassinados por comparsas e que estavam sob custódia do Estado serão indenizadas, por que as famílias das 65.000 vítimas executadas por ano no Brasil e que também são de responsabilidade do Estado, não o são?

Por que vocês são tão zelosos, solidários, e correm feito bestas enlouquecidas quando morrem facínoras, latrocidas, estupradores e frios assassinos, mas permanecem de braços cruzados, caladinhos da silva, quando pessoas de bem são diariamente trucidadas e cruelmente arrancadas de seus lares?

JOSÉ NÊUMANNE PINTO – SÃO PAULO-SP

Cadê tu, sujeito?

R. Esta mensagem do grande José Nêumanne, paraibano bem informado, cabra destemido, um dos mais brilhantes e respeitados jornalistas deste Brasil, chegou aqui hoje pela manhã.

Respondi-lhe assim:

Eu permaneço por aqui.

Aguardando que você continue me mandando seus vídeos e textos.

Nunca mais chegou nenhum… fazem uma falta danada…

Fiquei morrendo de pena.

Os leitores do Jornal da Besta Fubana (que não são poucos…) também sentem uma falta da porra de você, seu paraibano talentoso.

E eu mais ainda…

Um abraço bem arrochado, cabra malassombrado da gôta serena!!!

Imediatamente tive retorno do Nêumanne.

Vejam o que ele escreveu:

Fiz uma mudança de rotina no envio dos textos, mas só agora percebo que o deixei de fora.

Desculpe.

Por que você não reclamou, seu moço?

Isto será corrigido agora mesmo.

Enfim, José Nêumanne Pinto volta a ser colaborador desta gazeta escrota!

Uma notícia arretada para alegrar a nossa quinta-feira.

A coluna DIRETO AO ASSUNTO vai ao ar daqui a pouco.

DON PABLITO – SÃO BERNARDO DO CAMPO-SP

Caro Berto

Será um cachorro viciado?

R. Vocês me arranjam cada uma de lascar.

Um cão cheirador de priquitos e furicos.

Que cachorrada da porra.

Vôte!

CARLOS ROCHA – GOIÂNIA-GO

Berto. Seu cabra desassombrado!

Diz que a gente vai ficando velho e também vai ficando meio abestado. Acho que eu estou passando por esta fase da vida…

Você não veja que eu, influenciado pelos colegas de trabalho, entrei num bolão da mega sena da virada, na ilusão de ficar rico? Taquei lá vinte paus.

Cheguei em casa todo pimpão e mostrei meu comprovante pra Mariquita…

Levei um baita esporro!…

Seu cabra besta ! Dinheiro de trouxa é mesmo matula de malandro. Cê tá cansado de saber que tem um conluio entre certa instituição bancária que administra jogos de loteria, políticos e governo, pra passar a mão na grana do povo… cê nunca viu ninguém aqui perto de casa ganhar. Cê já viu?

Deu no que deu. Num fizemos nem um ponto no bolão. Diz que quem ganhou foi uns cabras de bem longe daqui, e nos estamos lambendo os dedos…

Fiquei matutando com meus botões… cheguei à conclusão que tou mesmo meio gagá.

PEDRO MALTA – RIO DE JANEIRO-RJ

Berto

O endereço eletrônico abaixo conduz a um e-book totalmente gratuito.

Útil para o aprendizado da língua inglesa e, com certeza, vai interessar aos incontáveis leitores do JBF.

COMO APRENDER INGLÊS

CICERO TAVARES DE MELO – RECIFE-PE

Caro editor Luiz Berto:

O pastor picareta Valdemiro Santiago, líder da Igreja Mundial do Poder de Deus, retornou ao seu templo no Brás dois dias após ter sido chupado por um morcego no pescoço para pedir aos seus milhões de fiéis atabacados a importância minxuruca de R$.8 milhões de reais para ajudar sua igreja a pagar o canal de televisão. É dinheiro pra caralho!!!

Alegando ter contrariado ordens médicas e apelo da família para não retornar, e com aquela cara de buceta de vaca velha ao lado da Muda, vaticinou:

“Deus me deu vocês, não como propriedade, mas como filhinhos, irmãos. Quero ser pai de vocês. Ajudem essa obra. Deus vai lhes dar muito para ajudar”.

Isso é uma picaretagem da porra ou não é?

SONIA REGINA – SANTOS-SP

O “Bumbum” dos Brasileiros

Já faz alguns dias que gostaria de falar sobre os ônibus da cidade de Santos.

Os bancos dos coletivos para dois passageiros são cada vez mais estreitos.

Ao comentar sobre esse estratagema utilizado para que os corredores fiquem maiores e mais passageiros fiquem em pé, a senhorinha que estava ao meu lado deu sua explicação para o assunto:

– Essas maravilhas são idealizadas por engenheiros que em sua maioria só utilizam automóvel.

Ora, podemos até entender que empresas de ônibus e também as referidas prefeituras tiveram o cuidado de consultar usuários quando fizeram as modificações, colocaram pessoas nos bancos para testar o conforto e não escolheram modelos fotográficos. Esse caso acionou minha memória num assunto ainda do século passado.

Tínhamos um problema na empresa em que trabalhava e todos os encarregados de setor foram convocados para uma reunião urgente.

O diretor-presidente falou pouco e ouviu todos que quiseram manifestar-se. Nada foi resolvido e o caso ficou para a semana seguinte.

Desci para minha sala, falei com alguns funcionários que estavam diretamente ligados ao tal problema e após ouvir algumas sugestões preparei no final de semana um mapa para apresentar ao diretor.

Logo no inicio da semana, entreguei o tal mapa explicando que os próprios funcionários ajudaram na elaboração. Após uma rápida análise, dobrou o papel, colocou no canto da mesa encerrando o assunto.

Passado alguns dias, foi convocada nova reunião para tratar do mesmo assunto e o próprio diretor alegou que já tinha um esquema pronto para resolver tudo. Apresentou um mapa, idêntico ao que eu tinha feito com ajuda do meu pessoal. Foi trocado somente o papel.

Não importa quem ou quantos participaram para resolver o problema. Ele foi resolvido.

Porque os casos são parecidos? A resposta é simples. Nos dois casos havia necessidade de consultar pessoas e tomar a melhor decisão.

A diferença é que, na empresa privada o dirigente precisa trabalhar em conjunto com aqueles que estão diretamente ligados ao problema e ao melhorar as condições do trabalhado, consequentemente aprimora também a produção. É o trabalhador quem produz e gera lucros. Na empresa pública, não sabemos qual o motivo e o critério adotado para tomar atitudes que afetam o nosso dia-a-dia e pior, quem vai ter mais lucro.

Encerro meu escrito sem colocar musica, teria que pesquisar toda a era da ditadura implantada no Brasil e hoje estou sem tempo disponível. Talvez colocar uma musica do Chico Buarque seria o ideal para não haver melindres, mas, escolher um cantor que sempre considerei um ótimo compositor e depois que atingiu a idade do lobo tornou-se um bobalhão, é jogar pra plateia. Essa não é minha praia.

Nunca imaginei que o tamanho do “Bumbum” do brasileiro, seria determinante no conforto ou falta dele, dentro de um ônibus municipal.

LUIZ ANTÔNIO BERTO – BRASÍLIA-DF

Ei Pai,

nesse link aí pode ser acessado e pedido o livro novo:

Aspectos Sociais da Cura

Descendo um pouquinho na página você poderá ver um dos adesivos que fiz usados no capítulo onde falo de Democracia Direta e Imposto Destinado pelo Próprio Cidadão.

Nessa página aí já dá para pedir o PDF e dar uma olhada geral no conteúdo.

Como eu disse por telefone, já dá para pedir a versão impressa, tem o link aí na página também.

Entretanto, uma alternativa é esperar umas duas semanas antes de pedir essa versão impressa, pois acho que ainda vou fazer alguns ajustes nos próximos dias.

Assim que possível, irei fazer um vídeo falando diretamente para sua audiência no JBF sobre o livro.

Abraço,

No Amor, na Paz, na Força e na Luz

R. Filho amado, obrigado do fundo do coração pela dedicatória que você me fez do seu livro:

Tenho certeza que a obra fará sucesso e será apreciada pelos leitores que curtem este tipo de assunto que você aborda.

Fique certo que a comunidade fubânica em peso vai acessar o endereço que você nos mandou.

Um beijo desse seu paizão coruja!!!

RONALD TITO VIEIRA DO CANTO – CAPIVARI-SP

Prezado Berto,

envio um vídeo do excelente Felipe Moura Brasil colocando o dedo na ferida sobre as prisões no Brasil.

Grande abraço,

CICERO TAVARES DE MELO – RECIFE-PE

Caro editor Luiz Berto:

Essa é a maior e mais sofisticada organização e facção criminosa que assaltou os cofres públicos do Brasil de todos os tempos, tendo à frente o seu chefe-mor, LUIZ INÁCIO LULA LARÁRIO DA SILVA, mentor de toda essa trama maquiavélica que provocou no povo e no país a maior e mais cruel catástrofe de desemprego, miséria, recessão e descrença no futuro.

Nem na época Imperial e da Dita-Dura o Brasil viveu tamanha carnificina criminosa roubalheira provocada por um sindicalista, com o povo vivendo seu maior pesadelo, que é o desemprego e a falta de esperança no seu porvir!

O mais incrível em toda essa história macabra é que os responsáveis por toda essa hecatombe criminosa, à frente Lapa de Ladrão, depois de todas as desgraças e misérias feitas ao povo brasileiro, querem voltar reorganizados criminalmente como os salvadores da Pátria, o Exercito de Brancaleone, os únicos capazes de terminarem o que deixaram pela metade: acabar com a esperança do povo e do país definitivamente!

Vamos deixar?

MARCOS MAIRTON – BRASÍLIA-DF

Berto,

Ontem, em minha coluna, trocando comentários com o leitor Tito, mencionei o fato de ter visto um grupo de crianças, em frente à casa de meus pais, todas com a característica comum de terem os cabelos pintados da mesma maneira.

Na verdade, elas me chamaram tanto a atenção que as filmei com o celular. É que, em plena luz do dia, faziam um arremedo de reisado, tradição muito forte de Fortaleza.

Não tinham instrumentos musicais, e sequer sabiam cantar as canções. Mas queriam levantar algum dinheiro na vizinhança, então, partiram para a improvisação.
Enquanto as filmava, percebi que todas tinham os cabelos pintados de uma maneira muito peculiar.

Se esses meninos já têm alguma ligação com o crime, não sei. Mas o fato de pintarem o cabelo dessa maneira indica que talvez imitem alguns rapazes, que frequentemente aparecem nos noticiários policiais do meio-dia.

Mas, será que o destino desses meninos já está selado? E, se não está, será que depende apenas da índole de cada um? Ou é possível fazer alguma coisa para melhorar suas chances de se manter longe das drogas e do crime?

Não precisa responder. Queria apenas compartilhar essas reflexões com os leitores fubânicos.

Em tempo: apesar de na foto aparecerem apenas quatro, eram seis crianças.

SILVANO LYRA – RECIFE-PE

Luiz Berto,

Paz,

Segue algumas glosas de minha autoria

* * *

Mote:

“Mostre agora no seu conhecimento
que você é sabido até demais!

Na metáfora temos comparação
Metonímia uma coisa a outra liga
Já prosódia pronuncie e assim diga
Pleonasmo o sentido mesmo são
Fechamento se diz peroração
Numa síntese há resumo aliás
O exagero em hipérbole se faz
E dilema, se embaraça no argumento!
Mostre agora no seu conhecimento
Que você é sabido até demais!

Mote:

“Tenho a bênção de Deus presente em mim
amanhã ontem hoje e eternamente”

Quando a vida se torna admirável
É porque Deus está em toda ação
A leitura por fé, põe gratidão!
Dando ao servo um vigor inigualável
Que a Palavra de Deus é imutável
Pois, mantém-se fiel sempre entre a gente!
Mude a forma de vê-lo em sua mente
Para ser, como sou tão grato assim!
Tenho a bênção de Deus presente em mim
Amanhã, ontem hoje e eternamente!

Mote:

“Um abraço um sorriso um obrigado
dão valor alma e vida a gratidão”

Trava o ser que se opõe aos bons costumes
Preferindo ofuscar os seus anseios
Pondo amor a mercê sempre dos freios
Assim finda apagando certos lumes
Separando o que é bom nesses tapumes!
Sobressai vez e voz da ingratidão
Se os valores de Deus entra em ação
Paz e amor graça e fé muda esse estado
Um abraço um sorriso um obrigado
Dão valor alma e vida a gratidão!

Mote:

“As palavras os gestos e a postura
põe no topo a boa apresentação”

Organize o falar dando às ideias
Mais clareza na fala e pensamento
Priorize o que dá vida e talento
E mantém feedback com as plateias
Conteúdo que excede as epopeias
Tem luz própria em qualquer ocasião
Postura e gestual na interação
Liga a fala e também assinatura
As palavras os gestos e a postura
Põe no topo a boa apresentação!

Mote:

“Quem pegou um atalho ou outra estrada
volte a Cristo o caminho verdadeiro!”

Todo aquele que anda desgarrado
Abra os olhos, que as cenas não são belas!
Deixe os becos, atalhos e vielas!
Que Jesus sempre esteve do seu lado
Confessando hoje mesmo o teu pecado
Vê mudando a paisagem no roteiro
Se amar Deus e seu reino por inteiro
Tem janela do mal quase fechada
Quem pegou um atalho ou outra estrada
Volte a Cristo o caminho verdadeiro!

CICERO TAVARES DE MELO – RECIFE-PE

Caro editor Luiz Berto:

Em represália ao estapafúrdio projeto de lei apresentado pelo deputado fuderal da cara de buceta lambida, evangélico Marcelo Aguir (DEM-SP), propondo a proibição da punheta e da siririca em doto Brasil pelo bicho macho e pela bicha fêmea sob pena de 1 (um) a 4 (quatro) anos de prisão em regime inicialmente fechado, se a punheta ou a siririca for tocada no mictório de casa na hora do banho ou em qualquer ambiente solitário, apresento essa linda página musical ONDE HOUVER FÉ, QUE EU LEVE A DÚVIDA, composição do bardo FALCÃO com o mais que escroto parceiro poeteiro TARCISIO MATOS, ambos cearenses da porra:

ALDO – FLORIANÓPOLIS-SC

Prezado Berto

Leitor fubânico inveterado, fã de seu estilo corajoso, me pergunto porque nenhum colunista aborda o tema “porque entram armas, etc, nos presídios?”.

Tenho certeza de que você dará a devida atenção.

A causa é simples: os presos, através de ameaças (sei onde mora sua família e se não fechar os olhos mato todos eles) imobilizam carcereiros, agentes, diretores.

Dai as portas são escancaradas.

Porque, em vez de sair gastando dinheiro atoa, os governos estadual e federal, não procuram ver como é feito nos países em que não há rebeliões, como os EUA?

Basicamente são dois fatos: superpopulação e anonimato.

A superpopulação é cruel. Não se deve dar muitas regalias a presos, mas deve-se dar um mínimo de dignidade.

E o anonimato de todos os que tratam com os presos é outro requisito. Devemos blindar os agentes a ameaças.

Mas como?

Não sei a resposta, mas o caminho é usar verbas com sabedoria e não falar bobagens.

R. Caro leitor, a vossa pergunta “por que entram armas nos presídios brasileiros?” deve ser confrontada com outra pergunta:

Por que não entram armas nos presídios dos Zistados Zunidos, aquele país cruel e capitalista?

Hein?

Leitores e colunistas fubânicos estão convidados pra debater o tema.

Enquanto quebramos a cabeça buscando uma resposta, quero aproveitar a oportunidade para enviar um grande abraço aos 1.810 viciados fubânicos que moram em Santa Catarina.

Deste total, segundo dados do Google Analytics, 625 residem nesta bela Florianópolis.

* * * 

VANDERLEI ZANETTI – SÃO PAULO–SP

Caro Luiz Berto,

Cara arretado esse pernambucano “Alceu Valença”.

Não é que ele encontrou com um grupo de músicos, cantando e tocando em troca de algum dinheiro, numa esquina do Rio de Janeiro, e ele então, despojadamente e generosamente passou a cantar um dos seus clássicos “Morena Tropicana”, com os jovens e no final ainda enfiou a mão no bolso e deixou uma grana pra turma.

Não deu outra. Na esquina se formou uma platéia entusiasmada e emocionada com o gesto dele.

Um abraço,

C. F. DAMIÃO – JABOTICABAL-SP

Prezado Berto, boa tarde.

Perdoe-me a intimidade com o seu pré nome sem lhe anteceder o “Vossa Santidade”, mas o considero um grande amigo, de tanto contato diário com a sua escrita no Besta.

E, saiba, já tomei – virtualmente – muitos goles da boa cachaça aí do nordeste, na sua companhia.

Meu avô paterno era grande cachaceiro em Tupã, SP, produzindo por muitos anos a caninha “Coqueirão”, hoje copiada muito mal pela cachaçaria “Água Doce”, cuja sede fica também em Tupã.

Mas o assunto que lhe trago à baila é um pequeno vídeo com um cãozinho com opinião política muito forte, veja só…

Se houver por bem aproveitá-lo, gostaria muito.

R. Caro leitor, sendo você cachacista e neto de cachacista, saiba que é muito bem vindo por aqui!

A grande inveja que sinto dos tomadores de aguardente – nestes infindáveis momentos em que me encontro em abstinência compulsória -, não é capaz de diminuir a gratidão por todos vocês, viciados no JBF, que são a grande força desta gazeta escrota.

Quero registrar que aí em Jaboticabal, conhecida como “A Cidade das Rosas”, temos um total de 32 viciados fubânicos.

São Paulo é o estado com o maior número de leitores do JBF.

Temos viciados paulistas de norte a sul, e de leste a oeste, em toda esta majestosa unidade da federação.

* * *

* * *

A bela Jaboticabal, localizada na área de Ribeirão Preto, tem 71.662 habitantes

* * *

Agora, veja só: este vídeo que você nos mandou já foi ao ar aqui no JBF.

Ele foi publicado ontem, quinta-feira.

Mas o sucesso está tão estrondoso, em toda a rede internética, que vale a pena repetir.

Este cachorro virou celebridade nacional!

CICERO TAVARES DE MELO – RECIFE-PE

Caro editor Luiz Berto:

Segue outro vídeo do PASTOR ADÉLIO para avacalhar no Jornal da Besta Fubana, do humorista pastor que bota pra fuder!

ARAEL M. DA COSTA – JOÃO PESSOA-PB

Corretagem:

REGIOPIDIO GONÇALVES DE LACERDA – JUAZEIRO DO NORTE-CE

Que o ano que agora se inicia
Traga a paz, a alegria e o amor
Que afaste de ti invenja e dor
E que seja regado de alegria.
Que a família se encontre em harmonia
E que a glória do pai sempre presente
Ilumine o seu corpo e a sua mente
E que pulse mais forte o coração
Traduzindo em cada pulsação
O carinho e amor que você sente.

.

MARCONI MACHADO – ARAGUARI-MG

Bom dia.

Uma contribuição para o JBF.

Publique por favor este vídeo no melhor blog do Brasil.

Um cachorro reacionário da extrema direita.

Abraços e feliz 2017.

ARTHUR TAVARES – SÃO PAULO-SP

Prezado Mestre….

Tenho algumas dúvidas e talvez possa me ajudar ….

Perdi uma chance de ganhar seu famoso O Romance da Besta Fubana, autografado, em uma promoção que você fez faz algum tempo, e agora, tentando achá-lo, não encontrei nem na Cultura nem na Saraiva, grandes livrarias em São Paulo (onde compro com cartão de crédito …rsrsrsrs).

Pergunta : Em qual editora posso encontrá-lo e comprá-lo?

Na realidade esta curiosidade veio de uma coincidência:

Em Maceió, agora no fim do ano, ouvi em uma roda de amigos de meu irmão, inclusive alguns primos pernambucanos, em reunião na casa da minha mãe (96 anos), um comentário/prefacio sobre um dos livros de poesia do Luiz Alberto Machado, que você escreveu, falando dos poetas de Palmares, e algo como “amigo não tem defeito“….(obviamente nenhum poeta também, o que concordo plenamente, desde que o poeta seja amigo …. rsrsrsrs)

Esse cara comentava sobre a inspiração que foi o seu Romance (aos poetas e artistas de Palmares), e o premio que você ganhou capaz de financiar uma viagem sua aos “istates”

Pergunta: Quanto tem de verdade esta história ?

Se tem, você bem que poderia contá-la melhor em nosso FANTÁSTICA gazeta da bixiga lixa, como a história da Ava e Gina ….. kkkkkkk

Parabéns por manter esta gazeta à disposição de gente do povo como eu, para um aprendizado constante e muitos risos ….. muitos, muitos risos

Um grande abraço a você, à dona Aline e também a Chupicleide (coitadinha)

Um paulistano de nascimento e nordestino de coração, filho de pai pernambucano e mãe alagoana.

R. Meu caro, O Romance da Besta Fubana, bem como todos os meus outros livros, podem ser adquiridos com segurança e tranquilidade aqui pela internet.

Basta acessar a página das Edições Bagaço e seguir as instruções.  

É só digitar o nome do autor ou do livro lá no cabeçalho da página e ir em frente.

Clique aqui e dê uma olhada.

Os preços são baratinhos de dar gosto. Efetuando a compra, você vai ajudar um pobre autor brasileiro a fazer a sua feirinha semanal…

Ressalto que a revisão d’O Romance da Besta Fubana, ortográfica e sintática, foi feita pelo meu amigo Raimundo Floriano, ex-colunista do JBF e hoje gerenciando sua própria página, o Almanaque.

Quanto à história que você ouviu em Maceió, sobre o meu querido amigo e conterrâneo Luiz Alberto Machado, o Nito, um cabra safado da mais alta competência e que mora na minha estima, tudo passa na verdade.

Eu sempre digo que amigo meu não tem defeito. E inimigo meu, se não tiver defeito, eu boto um na hora. Deste modo: eu sou um cidadão honrado e um homem de bem; se o cabra é meu inimigo, então, consequentemente, ele é um cabra safado, um canalha sem valor.

Simples assim.

Quanto à história da viagem pros Zistados Zunidos também é verdadeira. A Besta fez um sucesso tão da porra, teve uma badalação tão grande, que entrou na listas dos livros mais vendidos em várias capitais brasileiras em meados dos anos 80.

E ganhou dois grandes prêmios literários nacionais. Um da União Brasileira de Escritores (Prêmio Guararapes) e outro do antigo Instituto Nacional do Livro (Prêmio Literário Nacional).

Virou até Tese de Doutorado da Professora Ilane Ferreira Cavalcante, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Tese que foi publicada em livro com o título de “Festa, Utopia e Revolução no Interior do Nordeste“.

Professora Ilane e seu livro sobre o Romance da Besta Fubana

E aí eu virei gigolô da Besta: fui convidado pela Embaixada Americana pra participar do International Writing Program, um programa que reunia autores de todos os continentes.

Uma mordomia arretada. Passei quatro meses falando besteiras em palestras e debates. E também comendo, bebendo e fudendo de graça naquele país tirânico e imperialista. Aproveitei pra internacionalizar a pica com as galêgas.

Foi ótimo!

Se você entrar na página da Biblioteca do Congresso, a maior instituição do mundo no gênero, vai encontrar este inxirimento abaixo transcrito:


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa