JOSÉ DE OLIVEIRA RAMOS – SÃO LUÍS-MA

Cabras sem futuro, né não?

Voltamos à nossa série de “cabras sem futuro”, apresentando hoje apenas três situações inusitadas.

Na foto 1: No interior, um casal de amigos caminhava pelo pasto de uma fazenda, até que viram um cavalo transando com uma égua, e a amiga perguntou…

- Carzarbertoo…, o que é aquilo?

- Eles tão casalano, sô!

A égua tá no cio, o cavalo percebeu isso e tá mandano brasa!!!

- Mais cumé cô cavalo sabe que ela tá no cio, Carzarbertoo?

- Aaara!!, é cô cavalo sente o cheiro da égua no cio, sô!

Passaram mais adiante, e tinha um bode transando com uma cabra, e a amiga perguntou de novo, e o amigo deu a mesma resposta.
Mais na frente, lá estava um touro pegando uma vaca, e ela tornou a perguntar, e ele deu a mesma resposta: que o boi também sentia o cheiro da vaca no cio.

Foi aí que a amiga perguntou:

- Ô Carzarbertoo, se eu perguntá uma coisa pr’ocê, ocê jura que num vai ficá chatiado?

- Craro que não, miga! Ocê pode perguntá!

- OCÊ TÁ COM O NARIZTUPIDO?

kkk

Cabra sem futuro e de nariztupido!

Na foto 2 – Lembrando daquela velhinha que pretendia separar o casal de cães transando na rua por não terem encontrado um motel, apresentamos hoje o resultado daquilo: o cachorro sem futuro, enquanto mais a velhinha tentava separá-lo da transa c´a cadela, mais ele jogava sêmen “dento” da bichinha. Caba sem futuro, né não? Vejam o resultado!

çççç

Cabra sem futuro o “marido” dessa cadela. Né não?

Na foto 3 – Nunca foi visto um ursinho tão sem futuro, né não? Espiem a posição do feladaputa e ele, sem futuro ninhum, num faiz é nada! Ô caba sem futuro semvergonha! Vai sê mole assim nim Palmares!!!

ee

Cabra sem futuro nenhum é esse ursinho. Né não?

CARDEAL PEDRO MALTA – RIO DE JANEIRO-RJ

Santidade

Com o calor que  faz  no  nordeste, alguém  discorda que   esta fotografia, tirada em uma via de acesso a um loteamento na periferia da cidade de Sobral-CE,  é merecedora de um prêmio?

R. Olhando estes pássaros em fila, se protegendo do sol e aproveitando a sombra do poste, me lembrei do saudoso Sérgio Porto.

Quando a temperatura subia, ele dizia que o calor estava tão forte que “urubu estava voando com somente uma asa”, porque a outra ele usava pra se abanar…

passarinho

CARDEAL BERNARDO – MACEIÓ-AL

Mestre Papa,

há muito tempo  venho imerso em orações para que seja criada pelas “famosas” a profissão de aliviador  do incômodo furical provocado pela areia da praia.

Como, até o verão chegante, minhas preces não foram atendidas, rogo a Vossa Santidade que dê uma ajudinha, “preceando” na qualidade de Papa.

Além de tudo, seria mais uma “mãozinha” no tão propalado criação de emprego e renda do gunvêrno vermêio.

Com os respeitos do Cardeal

R. Profissão da porra: “aliviador de incômodo furical”.

Vôte!

É cada uma que me aparece por aqui….

PTXC

MADRE GLÓRIA BRAGA HORTA – RIO DE JANEIRO-RJ

DIA NACIONAL DA POESIA  – 14 DE MARÇO
(Data instituída pelo nascimento de Castro Alves)

CASTRO ALVES

Castro Alves nasceu na fazenda Cabaceiras, hoje cidade Castro Alves, no Estado da Bahia, em 14 de março de 1847.  Morreu em  6/7/1871, com apenas 24 anos, vitimado pela tuberculose. Filho do médico Antônio José Alves e de Clélia Brasília da Silva Castro.

Expressou em suas poesias a indignação aos graves problemas sociais de seu tempo. Denunciou a crueldade da escravidão e clamou pela liberdade, dando ao romantismo um sentido social e revolucionário que o aproxima do realismo. Foi também o poeta do amor, sua poesia amorosa descreve a beleza e a sedução do corpo da mulher. É patrono da cadeira nº7 da Academia Brasileira de Letras.

Em 1863, escreve seu primeiro poema contra a escravidão “A Primavera”, Nesse mesmo ano conhece a atriz portuguesa Eugênia Câmara que se apresentava no Teatro Santa Isabel no Recife. Em 1864 ingressa na Faculdade de Direito do Recife, onde participou ativamente da vida estudantil e literária, mas volta para a Bahia no mesmo ano e só retorna ao Recife em 1865, na companhia de Fagundes Varela, seu grande amigo.

De férias, numa caçada nos bosques da Lapa fere o pé esquerdo, com um tiro de espingarda, resultando na amputação do pé. Em 1870, um ano antes de sua morte, volta para Salvador onde publica “Espumas Flutuantes” título do livro, composto de 53 poemas, que  representa uma das obras essenciais do romantisco brasileiro.

AS DUAS FLORES

São duas flores unidas
São duas rosas nascidas
Talvez do mesmo arrebol,
Vivendo,no mesmo galho,
Da mesma gota de orvalho,
Do mesmo raio de sol.

Unidas, bem como as penas
das duas asas pequenas
De um passarinho do céu…
Como um casal de rolinhas,
Como a tribo de andorinhas
Da tarde no frouxo véu.

Unidas, bem como os prantos,
Que em parelha descem tantos
Das profundezas do olhar…
Como o suspiro e o desgosto,
Como as covinhas do rosto,
Como as estrelas do mar.

Unidas… Ai quem pudera
Numa eterna primavera
Viver, qual vive esta flor.
Juntar as rosas da vida
Na rama verde e florida,
Na verde rama do amor!

(Castro Alves)

BISPO WALTER JORGE – PESQUEIRA-PE

 Caríssimo Papa Berto:
 
Conforme prometi, estou enviando duas músicas a fim de prestar homenagem a Dalinha e Glorinha.
 
Conto com a sua boa vontade cumprir a promessa.

A Flor e o Espinho – De Nelson Cavaquinho e Guilherme de Brito – C/Guilherme de Brito-

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Prece ao Sol – De Wilson Batista e Jorge de Castro – C/Nelson Gonçalves.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

FERNANDO ANTÔNIO GONÇALVES – RECIFE-PE

VIVA O PAPA CHICO!!

Que o papa Francisco saiba bem dignificar o nome escolhido, pondo em prática as notáveis lições deixadas pelo inesquecível Francisco de Assis!!

Que os rapapés sejam postos de lado, as sapatilhas de grife definitivamente jogadas no incinerador, cedendo vez a uma espiritualidade cada vez mais solidária para com os menos favorecidos do Reino.

Reverencio o papa Francisco I, quiçá um predestinado para efetivar as alterações estruturais do Vaticano, desejadas pelo mundo inteiro.

R. O Professor Fernando Antônio Gonçalves é um dos mais respeitados intelectuais de Pernambuco, com um currícula da bixiga lixa.

Um malassombrado fubânico, enfim, eis que é colunista do JBF.

O Professor Fernando é Diácono da Igreja Anglicana aqui no Recife. De modo que Religião é um assunto que ele domina com maestria e sobre o qual já escreveu diversos textos em sua coluna “Sempre a Matutar”.

CARDEAL HARDY GUEDES – CURITIBA-PR

O NOVO PAPA DA ICAR
 
Caro Papa Berto,
 
Acho que o carmelengo enganou-se no anúncio. Ele, na verdade, ao anunciar o Papa argentino queria dizer Papa da Igreja Maradoniana e não da ICAR. É  que na Argentina, o único DEUS é MARADONA!

Mas fica a pergunta?

Se o novo Papa vier ao Brasil será vaiado?

Será que por conta da rivalidade, os católicos brasileiros vão deixar de ser católicos? Por conta de uma possível debandada geral, os donos de igrejas evangélicas brasileiras devem estar rindo de orelha a orelha.

Afinal de contas, vem de longa data a rivalidade entre nós e nuestros hermanos.
 
Um abraço

Chiquinho I já devidamente paramentado de São Pedro

JOSÉ DE OLIVEIRA RAMOS – SÃO LUÍS-MA

Papa Berto:

O blog do Jorge Vieira é lincado no Jornal Pequeno, único no Maranhão contrário à política praticada pelos Sarneys.

“Aderson Lago protocola no Senado pedido de impeachment contra “engavetador” do processo de cassação de Roseana. Não fosse o engavetamento do processo, Roseana Sarney já teria sido cassada” (clique aqui para ler a matéria) 

FÁBIO GONDIM – RECIFE-PE

Estive em Caruaru, no Alto do Moura, Casa de Lúcio, no projeto “Cantoria em Casa”, no dia 1º de março.

Uma noitada magnifica: Show com Zé Manoel, Nando Cordel e lançamento do livro de Fátima Marcolino, o destaque da noite.

Tive a honra de ficar na mesa da poetisa, tambem com a presença do Xico Bizerra, uma figura ímpar, que estará lançando o seu Forroboxote nº 10 no dia 21 de março, na Loja Passa Disco em Recife.

Aos promotores do evento meus agradecimento pela acolhida.

R. Meu caro, Xico e Fátima são dois malassombrados que muito honram e dignificam a comunidade fubânica. Xico Bizerra é cardeal da Igreja Sertaneja e colunista desta gazeta. A grande poeta e compositora Fátima Marcolino, filha do saudoso Zé Marcolino, é uma amiga muito querida e leitora pioneira do JBF.

De modo que é com muita alegria que faço o registro do evento do próximo dia 21, quinta-feira, quando esta dupla talentosa vai estar na Passa Disco lançando disco e livro.

Semana passada Xico Bizerra estave aqui no Palácio Pontifício e me presenteou com o disco que será lançado. Uma obra belíssima, tanto na apresentação gráfica quanto no conteúdo. Projeto gráfico assinado pela competentíssima Ana Rios, uma artista fubânica da gôta serena. Detalhe: os leitores de outras plagas que entrarem na página de Passa Disco, aí do lado na coluna “Comparsas”, poderão adquir via computador e receber em casa.

Em primeira mão, transcrevo a apresentação que o próprio Xico Bizerra escreveu no disco, com o título de “Obrigado, Seu Domingos“.

E, logo a seguir, de brinde pra comunidade fubânica, duas músicas dos parceiros Xico Bizerra-Dominguinhos.

“Num final de tarde de Fevereiro de 2011 recebo um telefonema que, não estivesse identificado no visor do Celular, iria me parecer como alguém por Dominguinhos se passando.  Era o Mestre. Solicitava-me que colocasse letra em um forró que ele estava preparando para o disco novo de uma grande cantora de nossa Música Popular Brasileira. Marcamos um encontro e passamos o dia quase que todo conversando e ouvindo ele tocar e compor, tudo de improviso, coisa que só os gênios são capazes. Como se não bastasse tamanha alegria, ao encontro também se fizeram presentes Xangai e Paulo Vanderley, este, amigo comum e profundo conhecedor da obra do Mestre. Ao invés de um forró, o Mestre me presenteou com 11 melodias com a proposta de que eu as ‘letrasse’.

Fiquei a ouvir aquelas músicas, todas tão lindas e profundas, feitas de improviso, de uma só tacada. E eu me sentindo incapaz de compor à altura, temendo decepcionar quem me confiara aquela preciosidade, como antes fizera com Chico Buarque, com Djavan, com Fausto Nilo, com Gil e com tantos outros Poetas de estirpe enorme. Guardava-as, olhava-as e tornava a guardá-las.

Às vezes penso que era um gesto inconsciente de egoísmo, de querer guardar aquilo só pra mim, de não torná-las conhecidas ao mundo. O que seria um pecado, dos mais mortais. Outras vezes eu imaginava tratar-se de um brinquedo e eu, menino abobalhado com o presente recebido, sem querer estragá-lo, preservava-o egoisticamente das outras pessoas. Aquelas músicas eram jóias preciosas que não podiam ser usadas no dia-a-dia, ou um vinho temperado pelo tempo, que não devia ser bebido de um gole só.  Depois que fiz as letras e da decisão de fazer o disco, veio a última e final indecisão: e agora, o que vou fazer? Depois dessa parceria exauriu-se o Poeta que havia em mim. Onde vou encontrar melodias tão bonitas, harmonias tão ricas para motivar-me a escrever letras? Acho que cheguei ao estágio mais elevado que um letrista pode chegar.

Eis o disco. É uma homenagem óbvia a seu Domingos mas que estendo também ao Mestre maior de todos nós, seu Luiz Gonzaga, no ano do seu centenário. Até porque foi ele, Seu Luiz, que enxergou num distante menino chamado Nenen, integrante dos Pinguins de Garanhuns, o talento que o mundo depois veio a conhecer.

 Obrigado, seu Domingos.” (Xico Bizerra)

* * *

Elba Ramalho cantando “Estrelas que se encantam”

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Adelson Viana cantando “Sem talvez ou porém”

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

* * *

convite-eletronico

TIMBAÚBA ALBUQUERQUE – FEIRA DE SANTANA-BA

Caro Berto,

Meu nome é Ubirandi Tavares de Albuquerque, pernambucano, nascido em Timbaúba, radicado em Feira de Santana(BA) desde 1972. Aposentado do Banco do Brasil, sou compositor e cantor de músicas nordestinas.

Fui colega  de ginásio e de banco do Capeta Marco di Aurélio. Também conheço Maciel Melo e Maviael. Já tomamos pingas e tocamos juntos aqui em Feira de Santana. 

Carrego comigo o nome artistico de TIMBAÚBA e tenho 8 CDs gravados, apesar de morar na Bahia sufocado pelo Axé, Arrocha e pagode.

Leio quase que diariamente essa gazeta da bixiga lixa. Estou mandando para sua audição uma música “Terreiro de Olinda“,  de  minha autoria,  homenageando a aniversariante. Grande abraço.

Parabéns pelo JBF.   

R. Num tô dizendo???!!!

Já num cabe mais tanto malassombrado nesta gazeta, e cada dia chegando mais um!

Timbaúba Albuquerque é um artista talentosíssimo sobre cuja obra já me deram muitas e excelentes notícias.

Olinda, a grande aniversariente de hoje, é que vai ficar feliz com esta homenagem.

Disponha sempre deste espaço, meu caro. Mande as ordens mesmo.

Um grande abraço e muito sucesso!

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Timbaúba Albuquerque, um malassombrado pernambucano brilhando na Bahia

CARDEAL HARDY GUEDES – CURIRIBA-PR

PARA ONDE VAI O DINHEIRO PÚBLICO
 
Caro Papa,
 
A prefeitura de Palhoça, perto de Florianópolis, vai ser investigada por conta da contratação de um “gogo boy” para a festa em homenagem às funcionárias, no Dia Internacional da Mulher.
 
Num país que falta verbas para educação e saúde, pelo jeito pra “putaria” não falta.
 
Quem quiser ler a matéria, clique aqui.
 
Um abraço

R. Eu desconfio que o prefeito desta cidade catarinense é daquele tempo do atraso, em que os politicamente incorretos achavam que mulher só gostava de macho da pajaraca grande.

Isto porque, segundo os folhetos de divulgação do cabra contratado, o “modelo” Rodrigo Mendonça, há uma clara insinuação de que o sujeito é do tipo bimba-de-garrote.

Veja só tamanho da listra no calção dele:

Em termos de putaria, seja carnal ou seja administrativa – ou, mais ainda, sejam as duas ao mesmo tempo -, o fato é que num país onde acontece um escandâlo rapariguístico feito aquele da Marquesa de Garanhuns, envolvendo o caudilho com os mais altos índices de popularidade e que exerce o cargo de Presidente Adjunto de Banânia, este incidente na cidade de Palhoça é coisa menor.

É café pequeno, como costumava dizer meu falecido pai.

Palhoça é um município com orçamento modesto e o cachê pago ao artista foi uma minxaria. Já no caso da Marquesa de Garanhuns, a putaria envolvia a Presidência da República, o avião do Primeiro Mandatário fazendo contrabando de dinheiro vivo na casa dos milhões, nomeações pro primeiro, segundo e terceiro escalão, propinas, sacanagem explícita nas agências gunvernamentais reguladoras, negociatas de pareceres, nepotismo, tráfico de influência e guabirutagem procelosa. Sem contar a decoração das paredes do escritório da presidência em São Paulo… Afe!!!!!!

fecho

Aliás, a propósito do escândalo da Marquesa, hoje se completam 109 dias sem que o Presidente Adjunto se manifeste sobre o assunto

Ele continua fugindo das perguntas sobre esta putaria feito eu tô fugindo dos meus credores.

CARDEAL BERNARDO – MACEIÓ-AL

Mestre Papa,

pelo que se vê nos protestos de hoje em dia, quem vive de vender roupas está com o ganha pão numa peinha de nada.

Com os respeitos do Cardeal

R. E ainda tem uns sujeitinhos conservadores e retrógrados que maldizem o tempo muderno. Um tempo em que botar o priquito ao vento na via pública é a coisa mais normal deste mundo.

Este é o tipo de putaria mudernosa e puliticamente correta que merece meu aplauso e meu apoio incondicional.

Priquito ao vento nunca é demais.

Mesmo sendo em priquito assim feito esse da foto que você mandou, todo afolosado pelo selim da bicicleta.

priquito ao vento

SENADOR ARMANDO MONTEIRO – BRASÍLIA-DF

Dois anos no Senado
 
Acompanhe Armando na internet clicando aqui.

R. Bateu na porta certa, Excelência.

Aqui no JBF a gente divulga tudo e mais alguma coisa.

Aliás, políticos de todos os partidos, de todas as tendências e de todos os estados, saibam que este espaço escroto está inteiramente às ordens. Desde os mensaleiros petistas e tucanos até os políticos honestos e éticos, todos têm vez e voz nesta gazeta da bixiga lixa.

Fique certo do seguinte, Senhor Senador: se o senhor conseguir uma ajudinha federal pro Complexo de Comunicações Besta Fubana, aí é que vou divulgar com muito mais gosto ainda. Qualquer verbinha serve. Pode ser só a metade do que a Caixa e a Petrobras dão pra Paulo Henrique Amorim.

O leitor fubânico que quiser ver o vídeo, belo, bem feito, patriótico, bem editado e muitíssimo interessante, basta clicar na ilustração abaixo.

Vejam as lindas imagens do senador ao lado de Lula, de Dilma e do governador Eduardo Campos:

Armando Monteiro

CARDEAL HARDY GUEDES – CURITIBA-PR

VENEZUELANDO…!
 
Caro Papa Berto,
 
Estive dando asas ao pensamento a respeito da morte de Hugo Chávez e da sucessão na Venezuela. Segundo li e ouvi, o vice-presidente não poderia assumir, de acordo com a Constituição daquele país. Quem teria de assumir era o presidente da assembleia que convocaria novas eleições para 30 dias.

Isso porque Hugo Chávez não chegou a ser empossado para um novo mandato, uma vez que estava em Cuba, convalescendo de tratamento contra o câncer.
 
A primeira questão que me vem à cabeça é que, já em Cuba, Hugo Chávez estava desenganado e isso foi ocultada da opinião pública venezuelana e mundial. É mesmo possível que já estivesse morto, quando retornou, já que ninguém o viu.
 
Chego a essa conclusão porque para o chavismo era muito mais prático empossá-lo para um novo mandato, assim que chegasse de volta à Venezuela. Mas, certamente, ou ele estava morto ou em péssimas condições, inconsciente, incapaz ou coisa parecida, devido às sequelas que não teria condições de prestar juramento ou algo assim.
 
Nesse caso, a posse de Maduro é, de certa forma, um golpe de Estado e uma violação à Constituição venezuelana. Temo pelo futuro da democracia naquele país.
 
Como o tratamento dado ao Paraguai, que cumpriu a sua Constituição, foi a de suspensão do MERCOSUL, a Venezuela, que violou a sua própria Constituição, não deveria, no mínimo, ser igual, ou seja, não deveria a Venezuela ser suspensa do MERCOSUL?
 
Um abraço

CARDEAL FÁBIO CABRAL – RECIFE-PE

Olá amigos.

O box Pernambuco Forrozando Para o Mundo, do selo Passa Disco, está concorrendo como melhor coletânea no PRÊMIO DA MÚSICA DE PERNAMBUCO…

Conto com seu voto.

Clique aqui para votar:

Abraços

R. A propósito, vale a pena rever a postagem, feita em junho do ano passado, falando sobre o lançamento desta coletânea da bixiga lixa. Basta clicar aqui.

Já fui lá e já dei meu voto. Pode aguardar que a comunidade fubânica vai participar em peso.

Sucesso, seu cabra! 

 

IVAN PATRIOTA DE SIQUEIRA – RECIFE-PE

Aniversário de Recife e Olinda

O Senhor Recife e a Senhora Olinda
Como são lindas as histórias dos dois
Após quase meio século depois
Ele soberano e ela inda mais linda
Nessa caminhada que se fez infinda
Comemoram natalícios nesse mês
Ela sempre com o seu jeito cortês
Ele no seu desenvolvimento afoito
Ela quatrocentos e setenta e oito
Ele quatrocentos e setenta e seis.

MARCOS JEFFERSON – SANTA TEREZINHA-PE

Boa tarde Papa Berto

Neste último sábado dia 09 a cidade de Itaporanga-PB foi palco da premiação do 2º Concurso de Poesia da Fundação José Francisco de Sousa. O mesmo foi dividido em duas categorias.

“Poesia Popular” ou “cordel” vencida pelo repentista João Zito com a poesia ‘Revendo a casa dos pais';

“Poesia Clássica” vencida pelo poeta Valterivam Freire com a poesia ‘Fragmentos’.

E com muito muito orgulho o cabra que vos fala teve o cordel “A Obra de Arte Sertão” qualificado em 4º lugar.

R. Já não basta os malassombrados que dão expediente aqui, e chegando mais…

Parabéns, seu cabra.

Agora, antes de publicar a lista dos premiados que você nos mandou, me mate uma curiosidade: que danado é que faz, e de que se ocupa, um Engenheiro de Minas?

Tô perguntando porque sei que você tá se formando e vai ser doutor nessa área. Agradeço antecipadamente o seu esclarecimento.

Os dez primeiros colocados – Categoria Popular:

1º – João Zito – Revendo a casa dos pais. Itaporanga, PB.
2º – J. Sousa – A vida no sertão. Itaporanga, PB.
3º – Edson Carlos Ferreira de Araújo – Homenagem ao poeta Ronaldo da Cunha Lima. Santana dos Garrotes, PB.
4º – Jefferson de Sousa – A obra de arte sertão. Santa Terezinha, Pernambuco.
5º – Jucemar Severino de Sousa – Rafael e Camila ou A saga do vaqueiro. Olho D’água, PB.
6º – Demir Cabral – Um poema para Dona Branca. Itaporanga, PB.
7º – Nicário Palmeira Honorato (Poeta do Oiti) – A lua e eu. Itaporanga, PB.
8º – Roberto Leal Fabrício Sanção – A Criatura e o Evoluído. São Paulo, capital, bairro de Americanópoles.
9º – Fabiano José Clementino (Fabinho do Acordeon) – A tentação de uma mulher. Itaporanga, PB.
10º – Zé do Agreste – Devastação. Itaporanga, PB.

Os dez primeiros colocados – Categoria Clássico:

1º – Valterivan Freire – Fragmentos. Itaporanga, PB.
2º – Jucemar Severino de Sousa – Tão louco, tão lúcido. Olho D’água, PB.
3º – José Ventura Filho – Folha Seca. Piancó, residindo em João Pessoa, PB.
4º – Arlicleiton Ailton da Silva – A liberdade. Itaporanga, PB.
5º – Hosmá Passo da Silva Filho – Poesia reflexiva. Piancó, PB.
6º – Demir Cabral – Amor proibido – Itaporanga, PB.
7º -Roberto Leal Fabrício Sanção – Procurando Eu dentro de Mim. São Paulo, capital, bairro de Americanópoles.
8º – Nicário Palmeira Honorato (Poeta do Oiti) – Incertezas. Itaporanga, PB.
9º – Maria do Livramento Leite Bezerra – Mãe é vida. Conceição, mas residindo em João Pessoa.
10º – Juliana Francisco da Silva – O amor que vem do íntimo da alma. Nova Olinda, PB.

FÁBIO VASCONCELOS – JABOATÃO DOS GUARARAPES-PE

Sr. Editor:
 
Essa é a ponte que liga o centro comercial de Cavaleiro com o terminal do ônibus Totó/Boa Viagem.

O descaso já dura mais de um ano.

Peço ao Governador Eduardo Campos que tome providências e cobre de quem de fato era pra resolver.

Obrigado!

totó

R. Aqui no JBF tem de tudo e de tudo se cuida. Desde mordida de rato até picadura de maribondo.

Informo ao nosso indignado leitor que escolheu o lugar certo pra fazer seu protesto. Saiba que o Governador Eduardo Campos é leitor diário desta gazeta da bixiga lixa. Fui informado que sua esposa, Dona Renata, dá boas gargalhadas com as chargas aqui publicadas.

De modo que eu tenho sérias desconfianças de que esta miserável desta ponte será consertada em breve.

Aguarde, pois.

CARDEAL JESSIER QUIRINO – ITABAIANA-PB

Meu cumpade e Papa Berto I

E por falar em Vaticano, vou logo contar duas histórias de padre:

É o seguinte:

Conta-se que, nos anos mofados de 1930, logo após a vitória de Getúlio Vargas pra presidente, o governador de Pernambuco Estácio Coimbra e o do Rio Grande do Norte Juvenal Lamartine fugiam de suas bases, por terem feito oposição ferrenha a Getúlio Vargas.

O Estácio Coimbra fugia vestido de padre e Lamartine disfarçado de madre superiora que era ver uma santa de altar.
Coincidentemente os dois entram no mesmo trem e sentam-se juntos no mesmo banco. Lá pras tantas a freira é amolestada pelo padre enxerido e grita de boca toda:

– SOSSEGA Estácio!!! Eu sou o Lamartine.

* * *

RASPANDO A IMORALIDADE

Monsenhor Luiz Ferreira da Cunha Mota (Mossoró 1897/1966), popularmente chamado de Padre Mota, foi prefeito de Mossoró por mais de 8 anos.

Conta-se que em 1937, uma pessoa foi enredar ao Padre Mota que alguém teria escrito um palavrão no muro da barragem. Padre Mota logo cedo vai a barragem e lê bem devagarzinho: “A tabaca de fulaninha é boa…”

– Que horror, que miséria!

Chegando a prefeitura dá uma baforada em seu charuto, chama o secretário Bodoca e diz ligeiro feito aumento de imposto:

– Bodoca, vá a barragem e raspe a tabaca de fulana.

R. Meu Poeta, já que você contou histórias de padres e abriu sua mensagem lá em cima falando do Vaticano, vou aproveitar a oportunidade pra botar no ar o vídeo a seguir. Porque tem o Papa no meio do enredo.

Trata-se de um recital seu que está sendo muito badalado na internet e que me foi enviado por vários leitores.

MARIA DILMAR – BOA VISTA-RR

Gostei desse jornal e garanto que foi a melhor coisa que encontrei ultimamente que valha a pena ler e participar.

Tenho observado que a imprensa do nosso país parece estar toda comprometida e na mão de políticos sem respaldo de qualquer tipo.

Pelo que tenho lido na Besta Fubana, entendo que todos aí são independentes. Portanto, espero ter encontrado minha praia.

Cansei de ver filhos da puta, falar o que não quero ouvir e pousar de santo de pau oco nos progamas do partido.

Pelo menos essa bixiga lixa honra as calças e as saias que vestem. Tô nessa.

R. Pronto: ganhei meu domingo e fiquei ancho que só a gôta serena. Dizer que o JBF foi a melhor coisa que encontrou ultimamente “que vale a pena ler” me fez reforçar a crença de que tem gosto pra tudo neste mundo, conforme dizia meu saudoso pai.

E o bando fubânico aumenta a cada dia, se espalhando por tudo quanto é canto desta terrinha amada e pelo resto do planeta.

Seja bem vinda, querida leitora, fique à vontade e desfrute o tanto que puder deste ambiente escroto e sem classe.

jbf-leitoras

CARDEAL BERNARDO – MACEIÓ-AL

Mestre Papa,

veja a apetitosa taiada de melancia que encontrei lá no Carlito.

Com os respeitos do Cardeal

R. Essa melancia, encarnada desse jeito, eu chupava até a casca.

Vôte!

Num custa nada informar pros fubânicos que, quando ele diz “lá no Carlito”, está se referindo à página do nosso querido Cardeal Carlito Lima, colunista deste JBF.

Quem quiser passear por lá, é só clicar aqui.

Carol Narizinho

PADRE BRÁULIO DE CASTRO – OLINDA-PE

EXPEDITO BARACHO: PROFISSÃO? CANTOR.

Papa Berto,

sexta feira passada estive com Expedito Baracho e ele comentou comigo que tinha gravado um programa na Rede Globo Nordeste, marcado para passar no sábado ao meio dia. Eu não poderia perder a sua apresentação de jeito nenhum, portanto, só para assistir esse grande intérprete, não fui a barraca jogar conversa fora e beber a minha cachacinha.

Realmente o nosso amigo cantou duas músicas do Mestre Capiba e uma de Luiz Bandeira, em homenagem ao aniversário de Olinda e Recife, parecendo que estava com vinte anos de idade, deu o seu recado maravilhosamente bem, mas, até aí, como dizia mestre Viana: morreu “Zefa”.

O danado é que a apresentadora passou o tempo todo chamando-o de Violonista, ignorando que ele é considerado um dos melhores cantores do Brasil, dito inclusive por Silvio Caldas e Luiz Gonzaga e endossado por todos nós que apreciamos a boa música. 

É lamentável que a Rede Globo Nordeste desconheça a profissão desse grande cantor. Eu não estou aqui querendo diminuir quem é violonista, muito pelo contrário, o que eu fico imaginando é Rafael Rabelo, Yamandu Costa, Baden Powell, Canhoto da Paraíba e tantos outros virtuoses do violão, se apresentando num programa de televisão ou num show sendo chamados de cantores. 

R. Eu vi este programa do começo até o final e, de imediato, notei essa cagada da apresentadora.

Ainda bem que na edição da imagem, não atribuiram a Expedito a profissão de “Tapioqueiro”, mas colocaram “Músico”. Menos mal, pois isto também passa na verdade.

Veja:

expedito baracho

O programa foi em homenagem aos aniversários de Recife e Olinda, que acontecerão na próxima semana.

Na página da Rede Globo existe uma matéria que contém dois vídeos. No segundo vídeo, além de depoimentos de dois colunistas fubânico, Leonardo Dantas e Joca Souza Leão, podemos também ouvir Expedito Baracho cantando a belíssima “Recife Cidade Lendária“, de Capiba. Quem quiser ler a matéria e ver os vídeos, basta clicar aqui.

Veja só, meu caro Padre: sexta-feira passada eu conversava com o Cardeal Xico Bizerra e ele me dizia que, ao ser entrevistado numa rádio aqui do Recife, o apresentador do programa insistia em dizer que ele deveria ser Bizerro, no masculino, e não Bizerra, no feminino.

É mole ou quer mais?

Hoje em dia, tudo que não vale a pena ver ou ouvir, é mostrado e falado nas televiões e nas rádios.

Ainda bem que a Rede Globo não cometeu (ainda) este tipo de gafe com o pessoal do forró pé-de-serra, cujos programas têm sido, até agora, de excelente qualidade.

CLARIMUNDO – CURITIBA-PR

Caro Luiz Berto :
 
Há algum tempo sou aficcionado leitor do Besta Fubana e, como disse certa vez, lamento o tempo que perdi sem conhecê-lo !.
 
Hoje em dia visito-o diariamente, duas ou três vezes ao dia, cada vez mais conquistado por seu conteúdo,  com uma mistura de seriedade e leveza que melhoram o meu dia e me mantém curioso de ver o dia seguinte. Um alento à lida diária, sem exagêro !
 
Depois deste intróito puxasaquístico,  um tanto mixuruca pela sua pequenez, mas sincero, venho trazer à sua apreciação um trabalho meu, pedindo encarecidamente que o divulgue em sua democrática Besta Fubana, o que me deixaria eternamente grato e orgulhoso pela deferência. Já o consultei a respeito e vc. falou que era só mandar, sem problemas.
 
Trata-se de um conto e um lamento das agruras do estudante pobre de antigamente (e talvez dos tempos atuais), diante dos luxos e caprichos de uma comissão de formatura feita pelos mais abastados, que mandam, mas cujo acompanhamento pelos mais humildes é sempre tormentoso, face às dificuldades pelas quais passam, já que muitos estão na capital sustentados pelos pais no interior, que tiram do sustento  a manutenção dos estudos do filho na cidade grande.
 
Desculpe se me estendi nas explicações mas, em síntese. é disto que trata o singelo trabalho que estou enviando..
 
Um Abraço

R. Meu caro, você bateu na porta certa. Aqui quem manda é o leitor e este espaço está sempre aberto pra divulgar a produção dos membros da comunidade fubânica.

Muito grato pela generosidade de suas palavras sobre o JBF. E grato também pelo contato e pela audiência.

A seguir esta o seu texto transcrito na íntegra, do jeito que você nos enviou.

Disponha sempre. Muito sucesso e um excelente final de semana!

* * *

OUVIDO NA ASSEMBLÉIA

Esta é uma bisbilhotice, uma narração de fatos reais misturados com uns exageros de comportamento e de linguagem por mim colocados, a título de critica a certos acontecimentos típicos da fase de pré-formatura e à maneira de falar, que observei em certa assembléia estudantil. Na verdade uma simples reunião em sala de aula mesmo, depois de saído o professor da última aula noturna. Uma reunião, após muitas que a antecederam, para tratar de assuntos tidos como cruciais e urgentes, ou seja, decidir os detalhes do grande dia da formatura, em uma sala cheia de alunos em final de curso e talvez por isto impacientes e rebeldes, querendo acabar logo com aquilo tudo e dar as costas à faculdade, já cansados demais para suportar a ladainha chorosa do encarregado da comissão de formatura, aflito com os custos assumidos e a indolência daqueles que estavam atrasados com o depósito dos valores mensais que deveriam ter feito.
 
Não é fácil fazer com que uma turma de estudantes, alguns já com as notas para a aprovação garantidas, outros nem tanto, mas cansados da rotina de estudar a noite e trabalhar de dia, alguns por mais de cinco anos, fiquem quietos para escutar um colega que só traz queixumes, não sabe falar com calma e não tem o dom oratório.

Esta narração foi feita de lembranças do dia em que aconteceu uma das últimas reuniões da comissão de formatura da minha turma da faculdade de direito, mais ou menos em Junho de 1982.

Na ocasião, como acredito ainda se faz hoje, por cerca de um ano passamos pela fase de se juntar dinheiro para as despesas de formatura, quando foi formada uma comissão, a qual, depois da decisão dos detalhes relativos à escolha do nome da turma,  do patrono, do paraninfo,  oradores, etc.;  passou a ultimar os detalhes de custos do aluguel do local, do jantar, dos convites, do álbum de formatura, etc. para depois dividir tudo isto entre os formandos, estabelecendo a participação de cada um, a ser paga de forma parcelada mês a mês, formando-se um fundo, administrado pela comissão.

Clique aqui e leia este artigo completo »

CARDEAL JESSIER QUIRINO – ITABAIANA-PB

Meus cumpades e amigos

Com poder de verbalização da moça, conclui-se que tudo se resolve pelas vias diplomáticas.

R. Meu Poeta, se você tiver o endereço desssa moça, me mande, por favor.

Ela tem lugar garantido aqui no JBF pra ser colunista e fazer comentários.

Esta já nasceu fubânica!

CARDEAL HARDY GUEDES – CURITIBA-PR

Caro Papa Berto,
 
Dizem que na cidade de Pelotas-RS, a torcida “masculina” é grande para que o brasileiro Dom Odilo Scherer seja eleito Papa.

Não que ele tenha nascido por lá. Mas ele é da cidade de Cerro Largo, também no RS.

Assim, se for escolhido, será um PAPA GAÚCHO!
 
Grande abraço.

R. Tu tás procurando sarna pra se coçar… Ainda mais morando aí pertinho dos Pampas…

Lembre-se que o Rio Grande do Sul está em oitavo lugar entre os 10 primeiros estados na quantidade de leitores do JBF. E, dentro do estado, Pelotas é a quinta cidade em número de fubânicos. Neste ano em curso, 305 pelotenses acessaram esta gazeta da bixiga lixa.

Abra o olho e num se esqueça de proteger o pé-do-ouvido.

MONSENHOR ANTONIO FERREIRA – PALMAS-TO

Gentilíssimo Papa Berto,
 
Dizem que o homem até pra ser corno, depende de uma mulher.
 
E, para homenagear todas as mulheres do mundo, inclusive uma que pega muito no meu pé aqui no JBF, minha querida Ludymilla, peço-lhe que publique esse belo poema de Carlos Drumond de Andrade:

MULHER

Para entender uma mulher
é preciso mais que deitar-se com ela…
Há de se ter mais sonhos e cartas na mesa
que se possa prever nossa vã pretensão…

Para possuir uma mulher
é preciso mais do que fazê-la sentir-se em êxtase
numa cama, em uma seda, com toda viril possibilidade… Há de se conseguir
fazê-la sorrir antes do próximo encontro

Para conhecer uma mulher, mais que em seu orgasmo, tem de ser mais que
amante perfeito…
Há de se ter o jeito certo ao sair, e
fazer da saudade e das lembranças, todo sorriso…

O potente, o amante, o homem viril, são homens bons… bons homens de
abraços e passos firmes…
bons homens pra se contar histórias… Há, porém, o homem certo, de todo
instante: O de depois!

Para conquistar uma mulher,
mais que ser este amante, há de se querer o amanhã,
e depois do amor um silêncio de cumplicidade…
e mostrar que o que se quis é menor do que o que não se deve perder.

É esperar amanhecer, e nem lembrar do relógio ou café… Há que ser mulher,
por um triz e, então, ser feliz!

Para amar uma mulher, mais que entendê-la,
mais que conhecê-la, mais que possuí-la,
é preciso honrar a obra de Deus, e merecer um sorriso escondido, e também
ser possuído e, ainda assim, também ser viril…

Para amar uma mulher, mais que tentar conquistá-la,
há de ser conquistado… todo tomado e, com um pouco de sorte, também ser
amado!”

BISPO BIRA DELGADO – JOÃO PESSOA-PB

Meu magnífico Papa,

estaremos neste evento, voltando para casa. E como dizia o escritor Zé Américo de Almeida: “Na volta ninguém se perde”.

O meu forte e carinhoso abraço, do seu humilde servo,

R. Mostre raça, brilhe e faça muito sucesso, seu cabra doido!

* * *

CIRCUITO PERNAMBUCANO MULTICULTURAL – 8 e 9 DE MARÇO EM IBIMIRIM-PE

O Circuito Pernambuco Multicultural desembarca na cidade de Ibimirim no mês de março, prometendo agitar a população com manifestações culturais e show com grandes nomes da nossa música, como o forrozeiro Santana e o “Maluco Beleza“ Alceu Valença. O evento, que é uma realização do Ministério da Cultura (Governo Federal) e da Fundação Itaú Cultural, com o apoio da Prefeitura Municipal, está programado para acontecer nos dias 8 e 9.

Na sexta-feira (8), quem abre oficialmente o Festival é o Balé Popular de Pernambuco. Depois, quem sobe ao palco é Sérgio Boi e Cangaço. O forrozeiro Santana será a terceira atração a subir no palco e certamente fará um grande show.Logo em seguida, Bira Delgado, fará o seu espetáculo musical, com o lançamento do seu CD, intitulado Forró tem que ser assim. Quem encerra a primeira noite do festival é cantor Flávio Leandro.

A segunda noite de shows começa com o som de Mine Rock. Depois, quem assume o palco é o Grupo Pegada Pernambucana.O Festival se encerra com os shows de dois monstros sagrados da música legitimamente pernambucana: o grupo Quinteto Violado e o cantor Alceu Valença.

bira delgado

NÉLIO SANTANA – SANTA MARIA-RS

Luiz Berto:

Estou satisfeitíssimo em poder frequentar o teu blog.

O fato de ele ser catalizador de diversas manifestações culturais nordestinas (das quais só tinha conhecimento de orelhada), sua atenção em apresentá-las ao distinto público, somado à sua incontrastável vocação democrática e ao inenarrável prazer de deixar sem argumentos comentaristas que agem como bucaneiros vocacionados, tornam este um dos mais prazeirosos espaços da internet.

Mais uma vez obrigado por nos deixar entrar e ficar à vontade nesta que é a sala virtual da tua casa.

R. Eu fico ancho que só a gôta serena com tamanha generosidade. Inda mais de um leitor lá dos Pampas, extremo sul desta nação, bem distante daqui da nossa terrinha nordestina.

Meu caro, tenha certeza de uma coisa. Você não é a única pessoa de qualidade e de nível que gosta de frequentar o JBF. Assim como também temos leitores sem qualidade alguma e de baixíssimo nível. Aliás, desconfio até que estes últimos sejam a maioria…

Fique certo que até mesmo em Brasília, em gabinetes graduados do Palácio do Planalto, existem inúmeros leitores que são do time FF (Fubânicos Fanáticos). 

Dilma e o J

HOMERO FONSECA – RECIFE-PE

Camarada

A peça Roliúde (texto do locutor que vos fala e performance, sensacional, do ator carioca João Ricardo Oliveira) entrará em circuito pelo interior da Paraíba e do Rio Grande do Norte.

Se puderes dar uma conferida, garanto que vale a pena. Se ajudares na divulgação, ótimo.

O cartaz com o roteiro de cidades e datas:

R. Sucesso, Camarada!

Um cabra talentoso feito você merece. E a Nação Nordestina agradece

hf

MARCOS JEFFERSON – SANTA TEREZINHA-PE

Bom dia Papa Berto,

Para os fubânicos que, como eu, são chegado numa caninha, cachaça, bicada, manguaça, marvada, branquinha, coscorobina etc… vai ai a glosa feita em parceria com meu conterrâneo, artista plástico e grande amigo Geilson Araújo.

Clique aqui para entrar na página dele. 

Agrava a Deus todo dia,
Quem disser que bêbo é gente

Dizer que Deus fez Adão
Com toda certeza cabe
Mas o bêbo ninguém sabe
Qual foi sua geração
Só pode ter sido o Cão
Que plantou essa semente
Pois o bêbo é diferente
De tudo aquilo que Deus cria
Agrava a Deus todo dia,
Quem disser que bêbo é gente

Se tem festa num lugar
O bêbo primeiro chega
Muié morena ou galega
Tenta logo conquistar
Diz ter real pra gastar
Enche a cara de aguardente
Todo metido a valente
Chega a falar putaria
Agrava a Deus todo dia,
Quem disser que bêbo é gente

Clique aqui e leia este artigo completo »

CARDEAL PEDRO MALTA – RIO DE JANEIRO-RJ

Santidade

Para  conhecimento da comunidade fubânica, envio significativa  foto  da recente visita de uma  espanhola a Brasília.

Também na  Espanha, se pensa como no Brasil.

R. Isto é maldade, meu caro…

Renan Calheiros, Lula, Zé Sarney, Ruy Falcão, Fernando Collor, João Paulo Cunha, Henrique Eduardo Alves e Zé Genoino, fraternos irmãos político-ideológicos, vão ficar profundamente ofendidos.

image001

DEPUTADO FEDERAL HUGO LEAL – BRASÍLIA-DF

PLENÁRIO CÂMARA DOS DEPUTADOS

Logo mais, às 15h, vou realizar um pronunciamento na Câmara dos Deputados sobre os royalties.

R. Vossa Excelência mandou a comunicação pro lugar certo, senhor deputado.

Os leitores desta gazeta da bixiga lixa adoram curtir inutilidades e coisas que não valem a pena.

Tenha certeza que os milhares de componentes da comunidade fubânica irão acompanhar com emoção e interesse o vosso pronunciamento sobre assunto tão palpitante.

E disponha sempre deste espaço pra divulgar vossas fantásticas atividades parlamentares.

Deputado Hugo Leal (PSC-RJ), o homem da Lei Seca, em plena atividade na Câmara dos Deputados, é mais um ilustre político que usa o JBF pra divulgar seu estafante trabalho legislativo

ATAHUALPA YUPANKI – BOA VISTA-RR

Meu Caro, saudações!

Custumo visitar a página do JBF, sou da “Terra das Alagoas”, e sou um matuto pai-d’égua, da Lagoa Manguaba!

Surgiu-me um curiosidade: As flô de Puxinanã, de Zé da Luz, é uma paródia de As Flô de Gerematáia de autoria do poeta cearense Napoleão de Menezes.

Pois bem, fala-se de Zé da Luz e das Flô de Puxinanã em todos os endereços da Internet, não fala-se nada sobre as Flô de Gerematáia.

E ainda  as Flô de Pilão Caído, de Hermes Vieira, que é uma paródia de As Flô de Gerematáia.

E aí pergunto-lhe: Porque ninguém faz referencia a Napoleao de Menezes!

Onde le As Flô de Geremataia!

Ajude-me a saber isso.

R. Meu caro, você é um dos 66 fubânicos que acessaram o JBF nos últimos 30 dias a partir de Roraima, todos eles residentes na bela cidade da Boa Vista, capital do estado.

Esta gazeta da bixiga lixa tem leitores nos quatro cantos deste país, provando, sem qualquer sobra de dúvidas, que tem espaço pra tudo que não vale a pena ser lido na internet.

Boa Vista, capital e município mais populosa de Roraima, onde se concentra dois terços da população do estado

Quanto à sua consulta, esta é uma excelente pergunta e você bateu na porta certa pra gente resolver este mistério, meu caro. O que não falta por aqui é poeta e gente entendida em poesia.

De fato, no Jornal de Poesia, quando a gente procura As Flô de Puxinanã, um dos mais conhecidos poemas de Zé da Luz, nascido em Itabaiana, onde mora Jessier Quirino, está lá escrito que se trata de “paródia de As ‘Flô de Gerematáia’ de Napoleão Menezes”.

Aguardemos o pronunciamento dos fubânicos. Também fiquei curioso que só a bixiga lixa quanto a este assunto.

Agora eu quero conhecer também as Flô de Gerematáia!

BEETHOVEM JOSÉ DE MEDEIROS – NATAL-RN

Estimados amigos

Boa Noite.
 
Descobri  por acaso o Blog Besta Fubana, e como tenho apreciado bastante  as materias ali publicadas em especial as que tratam da cultura popular,  recomendo uma visita ao Blog
 
Um abraço.

R. Isto mesmo, caro leitor. Espalhe, divulge e boate.

Seu esforço já está trazendo resultados.

Veja só a leitora que ganhamos na cidade Jericoacoara, no litoral do Ceará, uma galega italiana veraneando na Nação Nordestina:

jbf02

VERA MOREIRA – PORTO ALEGRE-RS

Convidamos você a ler no blog de Fernando Portela a série de matérias que o jornalista redigiu a bordo do navio Funchal, publicadas no Jornal da Tarde, de 18 a 22 de abril de 1972, quando os ossos de D. Pedro I foram trazidos ao Brasil (a reportagem foi destacada em crônica de Humberto Werneck, no Estadão, por ocasião de noticiário recente, em toda a mídia, da exumação dos restos mortais do Imperador).

As reportagens de Fernando Portela são exemplares, um modelo de jornalismo literário (tema de oficina que o escritor ministrará a partir de 6 de abril no Instituto Cultural MundoMundano), publicadas também no livro “Violência e Repressão“, pela editora Símbolo (edições esgotadas).

Nos recortes abaixo, trecho da apresentação da série no livro e foto do JT.

(Vera Moreira é agente literária do escritor e colunista fubânico Fernando Portela)

TXTFUNCHAL

MARA FREITAS – NATAL-RN

Boa noite!

Sou irmã de Huytamar. Infelizmente, ele está internado na UTI do Hospital do Coração aqui de Natal/RN, em estado gravíssimo, devido a uma pneumonia. Estou atendendo o celular dele: (84) 8865-XXXX, operadora Oi.

Ele gostava muito de escrever para o Besta Fubana, por isso resolvi lhe comunicar. Há grande risco de óbito.

Obrigada!

R. Bem que eu tava desconfiado… Uma ausência e um silêncio tão prolongados não poderia ser coisa boa, em se tratando de um fubânico que dava expediente aqui diariamente. Notícia ruim danada.

Os amigos e leitores que desejarem ligar pro celular dele, me peçam o número completo no espaço dos comentários que eu mandarei via correio eletrônico.

As fotos abaixo foram feitas em agosto de 2010, por ocasião da visita do Cardeal Huytamar ao Palácio Pontifício:

gp1

Com o Papa e o Papinha

gp2

Com o Cardeal Ismael Gaião

gp3

Com os Cardeais Paulo Dunga e Ismael Gaião

JOÃO BOSCO – PETROLINA-PE

Meu papa,

aproveitando o momento e o ambiente muito propício a efemérides, eu gostaria de enviá-lo (a conta-gotas), citações daquele que como alguém muito isento já disse, “é o maior estadista do hemisfério sul”. São frases, trechos de discursos com o devido registro da fonte e a data.

Papa, coisas como por exemplo: “Se não dá para fazer dez coisas de uma vez, vamos fazer uma. Porque, se a cada ano a gente fizer uma, no final de quatro anos você terá quatro coisas feitas” (em discuso inmprovisado (2004). Num é genial?

Em tempo, o JBF já homenageou Luiz Gonzaga, em breve homenageará Vinícius de Moraes e acho que não poderíamos esquecer os 11 anos dessa verdadeira revolução petista no poder que tem transformado nosso país num gigante da ética e do desenvolvimento.
 
Seguem mais duas.
 
Eu estou com uma dor no pé, mas não posso nem mancar, pra imprensa não dizer que eu estou mancando porque estou num encontro com os companheiros portadores de deficiência.” Para os candidatos a vaga na Paraolimpíadas de Atenas (Unifolha – Camp Grande- MS de 02/12/2003). Luiz Inácio Lula da Silva
 
Queria dizer ao presidente Wade e ao povo do Senegal e da África que não tenho nenhuma responsabilidade com o que aconteceu no século 18, nos séculos 16 e 17. Mas penso que é uma boa política dizer ao povo do Senegal e ao povo da África: perdão pelo que fizemos aos negros.” Em 2005, durante discurso na Casa dos Escravos, em Dacar, capital do Senegal.
 
Meu Papa, um forte abraço

CARDEAL JESSIER QUIRINO – ITABAIANA-PB

Meu cumpade e Papa Berto I

Assisti a um filme da década de noventa, com o Luiz Berto de então contando o causo “Canindé e o agiota”, do mestre Orlando Tejo. O negócio é bom feito achar dinheiro em calçada alta. O curioso é que, na película, o cumpade tá estranho que só um desconhecido visto de costas.

Assistindo assim, quadro a quadro, lembrou-me vários personagens, com as seguintes parecenças:

- Náufrago do Mar da Cachaça
- Pulador do muro da vergonha
- Morcegueiro de caminhão
- Raizeiro
- Trocador de cavalo
- Primo segundo de D. Pedro I ou primo primeiro de D. Pedro II
- Enchedor de cu de Judas
- Modelo da Dijon de cabaré
- Personal trainer de Moreira da Silva
- AGP de barba
- Vendedor de cigarro fumado
- Desertor de navio-pirata
- Puxador de palma de palanque de ladrão
- Tirador de enxu com bafo de sovaqueira
- Locutor de oferta
- Crente-novo da igreja sertaneja…

Tudo isso e mais um pouco, sempre mantendo o tom cachacista e semvergonhista da atualidade.

Não é à toa que sois Papa.

R. Meu Poeta, fiquei ancho que só a porra com essa lista de comparações saídas da vossa privilegiada imaginação.

Mas confesso que fiquei feliz que só a gôta serena foi de ter sido comparado a “Enchedor de cu de Judas“, uma ocupação que exerci com muito prazer e alegria na minha infância, cumprindo a liturgia interiorana da Semana Santa, na malhação daquele cabra safado que traiu Jesus. Eu enchia o boneco de palha pelo furico mesmo!

Esclareço aos leitores fubânicos que esta escangalhativa mensagem do Cardeal Jessier é por conta de um vídeo contido numa postagem feita há alguns dias. Jessier me disse que no vídeo eu estou “magro que só rato de sucata“. Afinal, as imagens são de 15 anos passados, na beira da praia do litoral sul de Pernambuco. E num tempo em que fumar era bonito e dar o rabo era feio. Hoje tá tudo trocado! E eu usava uma barba mais densa do que a pentelheira de Maria Cu-de-Apito.

Bom, o fato é que vou aproveitar a oportunidade pra repetir o vídeo, atendendo a inúmeros pedidos. Foi tanta gente replicando, repassando e distribuindo na internet e no tal do feicibuk que virou uma febre.

E olhe que são pouco mais de 11 minutos de uma gravação que durou mais de 37.

Vôte!

SERGIO BUENO – GOIÂNIA-GO

Caro Papão,

estava eu lá na Austrália e senti saudade de ler o JBF.

Mesmo longe não consegui ficar sem pensar nesse viciante jornal.
 
Abração

R. O efeito viciante do JBF é um fenômeno mundial. A dependência provocada por esta gazeta da bixiga lixa se alastra mais rápido que a dependência do crack, nos quatro cantos do mundo.

Veja só este flagrante que foi feito no final de janeiro, lá onde você esteve, na Austrália.

São dois fubânicos lendo a versão impressa em inglês do JBF, numa rua de Brisbane, importante cidade da costa leste da Austrália.

jbf0302

JOSÉ DE OLIVEIRA RAMOS – SÃO LUÍS-MA

Cabras sem futuro, né não?

Damos continuidade hoje ao nosso desfile de “cabras sem futuro” e hoje damos uma passadinha no mundo feminino. Literalmente, “cabras sem futuro”!

Na foto 1 – Uma “cabra” literalmente sem futuro, vivendo na cidade nas faculidades e shoppis da vida, arresolve passar um desses feriadões na fazenda dos amigos. Tabaiadeira, se alevantou bem de manhãzinha, com o cantá do galo e, pegano num balde foi pro currá prumode tirar leite da vaca. Ela gosta de leite puro, leite mugido cuma a gente chama lá nos interiores. No premêro bicho de quatro pé que incontrô, passou a mão no bicho, sentou no banquim e “tome puxá” no qui tava pindurado.  A posição da moça no bamquim facilitô a ordenha e o bichim do animá cresceu, cresceu e cresceu. De tanto ela alisá, o bichim jorrou leite. Foi tanto leite que incheu foi o balde. Tem futuro, essa cabra?

tl

 “Moça da cidade” tirando leite de touro

Na foto 2 – Outra cabra dessas tomém sem nenhum futuro arresolveu merendá naquele lanche das 3 da tarde. Café torrado nim casa e leite puro. Leite bom, leite moreno. Arregaçô o califon e tome puxá! E tome puxá. Num demorô muito e o leite chiringô. Incheu a xírcara e daria prumode inche uma lata maior. Café puro e com leite naturá! Tem futuro essa cabra?!

vvv

Café com leite “in natura”

Na foto 3 – Vosmicê devem se alembrá daquela moça que, no ano passado fez um comentário aqui, dizeno qui tava bebendo café numa conhecida padaria lá de Palmares, com os fones de ouvido, iscutano músicas. De repente, teve vontade de peidar. Peidou! Peidou de novo, e peidou alto! Prumode disfaçá, cumeçô a se arrebolá no ritmo qui tava iscutano na música do celular. Só intão, adispois de mais um peido, se deu conta de que só quem estava iscutano a música era ela. Os outro freguês só escutaro os peidos dela. No último peido, o resultado foi esse daí. Num vô amostrá a cara dela, pois ela é muito conhecida nim Palmares. Tem futuro essa “cabra” peidona (e agora, cagona)?

eryt

A cagona de Palmares. Lembram? (clique aqui)


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa