13 novembro 2014 CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

MAURÍCIO SANTOS – RECIFE-PE

Santo Papa,

encantou-se hoje o Poeta Manoel de Barros.

Segue um documentário sobre sua trajetória poética.

Abraços.

R. Meu caro colunista fubânico, com o encantamento de Manoel Barros, aos 98 anos de idade, a Poesia Brasileira está de luto.

Ele foi um malassombrado que conhecia a fundo a arte de dominar as palavras e transformá-las em pura magia.

Quem quiser saber mais sobre a sua vida e a sua obra, veja no Jornal de Poesia clicando aqui

manoel de barros

13 novembro 2014 CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

FERNANDO PORTELA – SÃO PAULO-SP

Editor Mio,

Acho que esse artigo do Setti tem a sua cara.

Abraços.

R. O artigo a que se refere nosso ilustre colunista Fernando Portela saiu na Coluna do Ricardo Setti, que é publicada na revista Veja.

rs

De fato, o artigo deste ilustra jornalista, nome de destaque na imprensa brasileira, tem tudo a ver com muita coisa que eu penso.

Para ler o artigo de Setti na íntegra, basta clicar na foto que abre o texto, esta que está a seguir, cuja legenda resume tudo:

dilma-com-obama-planalto.gov_.br_

Dilma com Obama na Casa Branca: a verdade é que o presidente americano pode até se preocupar com os rumos do governo lulopetista, mas querer que se imiscua em assuntos internos do país é voltar a uma submissão que ficou para trás

12 novembro 2014 CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

JOSÉ NÊUMANNE PINTO – SÃO PAULO-SP

Editor:

Não conversei com Jassa nem com Rachel Sheherazade para conferir, mas não preciso.

Só pode ser verdade, pois aconteceu comigo em janeiro.

Depois, mais recentemente, Isabel e eu estivemos com Silvio Santos no Jassa. E ele comentou com minha mulher:

“Você sabia que calaram a Rachel?”

Agora Isabel me passou o relato abaixo e, apesar do erro cabeludo do “interviu” no texto, dá para perceber como as coisas funcionam em nosso Brasil varonil.

R. Como o gunverno não conseguiu ainda, apesar dos esforços desesperados, aprovar o tão sonhado “controle social da mídia“, fica valendo, por enquanto, o “controle silvio-santal da mídia“.

Aliás, a propósito de Raquel, veja só a notícia que vi hoje pela manhã:

Rachel Sheherazade é contratada pela rádio Jovem Pan

Para ler o relato a que se refere o colunista fubânico José Nêumanne Pinto, que tem o sugestivo título de “Silvio Santos proíbe Sheherazade de voltar a fazer comentários no SBT“, basta clicar na imagem que está o final desta postagem.

Mais sugestivo ainda que o título da matéria, é o subtítulo: “Apresentador disse que não quer problemas com a presidente reeleita, Dilma Rousseff“.

Vôte!

img

10 novembro 2014 CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

LOURDES MEIRA – CAMPINA GRANDE-PB

bom dia, senhor editor,

um vídeo que recebi hoje.

ofereço aos leitores deste jornal em crescente sucesso.

abraços.

R. Grato pelo envio, estimada leitora.

Explicante Incansável vai gostar muito: é matéria pra ele deitar e rolar.

Quer dizer, se ele escolher este vídeo pra comentar. Ultimamente ele tem dado uma de vivaldino e seleciona com rigor onde deve dar seus hilários pitacos.

10 novembro 2014 CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

TALMA VALENÇA RIVERA – RECIFE-PE

Sr. Editor :

Conectei a internet e me deu vontade de acessar o Google e verificar se o nome de meu pai constava lá.

Tive a surpresa de encontrar o nome dele na primeira linha, cliquei e encontrei o Jornal da Besta Fubana, onde havia uma entrevista com ele, publicada na ocasião de seu aniversário de 90 anos.

Já tinha conhecimento do fato, na ocasião, mas hoje, ao reler, me emocionei novamente, pois vocês conseguiram retratar exatamente papai.

Este ano ele completou 95 anos e tanto ele como todos da família, estávamos muito felizes de vê-lo lúcido e de bem com a vida. Mas ontem, de madrugada, ele se foi. A morte, que ele tanto temia, chegou de surpresa e não deu tempo dele se esconder.

Quero agradecer as pessoas que o conheciam, pela forma carinhosa que o tratavam e informar que ele ficava muito feliz com isto.

Nunca se vangloriou dos elogios que recebeu. Para ele, o que fez era mais que o seu dever, como educador, para a sociedade.

Grata.

R. Em nome de toda a comunidade fubânica, transmito as nossas condolências pelo encantamento do vosso querido pai. Que ele descanse em paz.

Nossa estimada leitora está se referindo a um texto que foi publicado em março de 2009, na coluna “Histórias de Beiradeiro“, cujo titular é Zelito Nunes (clique aqui para ler).

10 novembro 2014 CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

FÁBIO CABRAL – RECIFE-PE

Caro Berto.

Recebi denúncias de vossa senhoria durante a gestão na presidência da Academia Passa Disco da Música Nordestina.

Vários membros pediram seu afastamento. Vou abrir uma CPI para apurar os fatos.

Paulo Carvalho fez delação premiada e me solicitou o cargo de volta. Vou recolocá-lo na presidência.

A posse dele será no dia 29 de novembro, a partir das 15 horas na Passa Disco; na ocasião será comemorado os 11 anos da loja e o lançamento do CD “Pernambuco Frevando Para o Mundo 2”

Conto com sua presença.

Abraços.

R. Fábio Cabral, pra quem ainda não sabe, é o proprietário da loja de música mais badalada desta beira de praia, a Passa Disco.

Quanto a mensagem que ele me mendou, tenho a dizer o seguinte:

Este cabra safado deste Paulo Carvalho é um escroto sem tamanho.

Quando ele me passou a presidência da Academia Passa Disco, o rombo foi de tal monta que, até hoje, não consegui ainda tapar o buraco. E o prejuízo só fez aumentar.

Agora, ele volta novamente à presidência. Aí é que vai ter ladroagem mesmo!

No próximo dia 29 passarei o cargo pra ele com muito prazer. Prazer de fazer denúncias e mais denúncias durante a próxima gestão, pois eu sei que ele vai roubar. E muito!

E vamos celebrar os 11 anos de existência da loja que virou ponto de referência da música e da cultura desta Nação Nordestina.

Aproveito a oportunidade pra recomendar aos leitores do JBF, de todos os recantos destes brasis, que visitem a página da Passa Disco.

É só clicar na imagem abaixo:

passadisco

Asseguro que vocês irão gostar. Vale a pena conhecer os títulos disponíveis. Só tem discos de altíssima qualidade. Tem tudo de melhor que existe na música brasileira.

E mais: você pode comprar, com tranquilidade e segurança, via internet.

VANDERLEI ZANETTI – SÃO PAULO – SP

Editor Berto,

As comemorações dos 25 anos da “Queda do Muro de Berlim” serve para recordarmos tudo o que representou esse símbolo de tirania – “O Muro de Berlim”, sob a qual o homem era marcado pelo rótulo de “propriedade do estado”.

Ele era controlado em tudo que fazia e dizia, bem como tinha todos os seus movimentos comandados e restringidos.

A queda do “Muro de Berlim”, ícone do fim da Guerra Fria, completa 25 anos.

O Muro de Berlim começou a ser derrubado na noite de 9 de Novembro de 1989 depois de 28 anos de existência.

A música “Wind of Change – Ventos da Mudança”, do Scorpions, banda Alemã, inspirou-se nos “ventos de mudança” que atingiam a Europa, com a Guerra Fria terminando, o fim da União Soviética e a queda do Muro de Berlim.

R. Caro leitor, ainda pensei em fazer uma postagem especial, na minha coluna “A Palavra do Editor”, pra celebrar este grande feito que foi a derrubada do Muro de Berlim.

Derrubada promovida por alemães amantes da democracia e da liberdade, com as próprias mãos, usando suas próprias ferramentas.

Quebraram os grilhões, derrubaram a cortina de aço e cimento que tolhia os movimentos e o direito de ir-e-vir de toda uma população prisioneira e martirizada.

dmb1dmb2

dmb3dmb5

Passei a semana hesitando, se faria ou não a postagem. Por fim, desisti. Desisti na noite da última sexta-feira, depois de meditar bastante.

Desisti porque esperei, e continuo esperando, que alguns dos nossos colunistas escrevessem artigos pra falar sobre este importantíssimo assunto. Temos vários colunistas que são da esquerda, que são comunistas, que são petistas, que são socialistas, e outras ramificações mais.

Luciano Siqueira, por exemplo, é do PCdoB, linha Coréia do Norte. Bem que poderia se ocupar do assunto. Assunto que tem tudo a ver com sua sigla.

Paulo Carvalho é comunista da linha Cuba, da linha do antigo Pecebão, da linha da defunta União das Repúblicas Socialistas Soviéticas. Seria ótimo a gente ouvir a opinião dele sobre esta derrubada histórica.

Goiano Braga Horta já escreveu e assinou embaixo esta frase: “Em princípio, as cabeças pensantes são de esquerda”. E eu fiquei pensando que ele talvez pudesse pensar em um artigo na coluna dele sobre a queda deste muro, um fato que está diretamente ligado à esquerda pensante.

Jorge Filó, que segue a linha ZPL (Zisquerda Porra-Louca), seria outro fubânico que poderia nos presentear com uma crônica sobre a Queda do Muro de Berlim. Uma queda que é um dos mais importantes e destacados fatos da história do Século XX deste Planeta Terra. E temos mais alguns outros leitores e colunistas de esquerda, que poderiam externar seu pensamento sobre este tema palpitante.

Não chegou ainda nenhum texto de qualquer colunista ou leitor fubânico, comunista, bolivariano, socialista, petista ou de esquerda, sobre o assunto. Mas ainda está em tempo, estamos no decorrer do domingo, dia 9 de novembro de 2014, 25 anos após a Queda do Muro de Berlim, que começou a ser derrubado na noite de 9 de novembro de 1989.

Enquanto aguardamos os artigos dos colunistas fubânicos, comunistas e de esquerda, recomendo aos nossos leitores que não deixem de ver uma interessante matéria que saiu hoje no Estadão, sobre o Muro de Berlim, nascimento, vida e derrubada, contendo imagens, dados, fatos e estatísticas muito interessantes. Muito interessantes mesmo. Para ler, basta clicar aqui.

E, por fim, vamos ao vídeo que nosso leitor de São Paulo nos mandou.

Um vídeo do cacete! Cada imagem de arrepiar. Tudo embalado por uma música de letra comovente.

Confiram:

SONIA REGINA – SANTOS-SP

Bom dia estimado Sr. Luiz Berto

Acredito que alguns empresários leitores do jornal e querendo patrocina-lo, enviam o vídeo abaixo para suas considerações.

Percebe-se que fizeram alguma pesquisa e constataram os milhares de leitores “veinhos” desse jornal que já é apreciado internacionalmente.

Eu discordo da motivação e aconselho rejeitar a proposta.

Um abraço.

R. Pois eu concordo inteiramente com a motivação e aceitarei qualquer proposta do fabricante do Viagra pra botar reclame nesta gazeta escrota.

Como consumidor deste cachete milagroso, desde o dia em que ele foi lançado, eu teria uma alegria enorme se o fabricante quisesse anunciar no JBF pra incendiar o libido e a imaginação do grande número de leitores fubânicos que já passaram dos 60, dos 70, dos 80 e até dos 90!

Me lembrei do meu saudoso pai, atrás do balcão de sua bodega, quando chegava algum freguês dizendo que “tempo bom era o passado”. Papai reagia na mesma hora: “Tempo bom é o presente. O passado era o tempo do atraso“. Papai tava certíssimo.

Eu só lamento ele não ter vivido o suficiente pra chegar até o nosso tempo, tempo onde existe um cachete azulado que faz levantar a pajaraca. Papai ia ficar doidinho de alegria!

Por fim, parabéns aos três: aos fabricantes do Viagra, aos fabricantes do Fiat e aos publicitários que produziram um comercial tão criativo.

Confiram no vídeo que nossa estimada leitora nos enviou:

YOSEPH MAKABI – XAVANTINA-MT

Olá seu Berto.

Sou de Nova Xavantina-MT e meu nome é Yoseph Makabi (tenho sangue da nobreza palestina).

Por favor não classifique a minha cidade como “cu-do-mundo”, porque etimologicamente cu do mundo é CU Y ABÁ (o senhor não fez isso, ainda, é só precaução).

Queria dizer a Vossa Senhoria que ter um blog é melhor do que ter um jegue, pois no blog o senhor só publica o que quiser e daí leia quem quiser também. Já no jumento outros elementos podem subir no bichinho e se for fêmea, uma jega, no caso, vai ter mais gente subindo, não é mesmo???

É que teve coisas que lhe mandaram que o senhor não publicou. Claro o blog é seu. Parece até coisas de petralha que só aceita elogios…

Então vou ficando com meu jegue coletivo.

Um abraço, não, melhor um aperto de mão, ou um leve aceno, ou uma reverência.

De qualquer forma gostei do seu blog, até porque tem o POLODORO, um jegue simpático.

R. Caro leitor, dou meus parabéns porque você tem uma qualidade rara de se encontrar na praça: constatar o óbvio. Tem gente que não enxerga nunca o óbvio que está bem debaixo do seu nariz.

Você está certíssimo quando diz esta obviedade: que o blogue é meu e que nele eu só publico o que eu quero. E lê quem quiser.

Parabéns!

Até mesmo porque se eu fosse publicar as toneladas de textos que recebo todos os dias, o espaço do JBF seria insuficiente. Eu teria que criar mais outros 10 JBF.

Agora, só tem um lugar onde eu não posso botar o que eu quero: é nas colunas, cada uma assinada por um colaborador fubânico. E estes colaboradores são inteiramente livres pra publicar o que quiserem. Quer eu goste ou não do texto. Quer sejam os colunistas “petralhas” ou anti-petralhas, um termo que você usou na sua mensagem.

Outro espaço onde eu não bulo é a seção de cartas, esta aqui. Vai ao ar do jeito que o leitor me manda. Além, evidentemente, das charges, já que não sou eu que desenho as artes que são publicadas na seção Fuleiragem.

E tem mais: você me deixou curioso, curiosíssimo, quando disse que me mandaram coisas que eu não publiquei e que, por isso mesmo, parece “coisa de petralha” que só aceita elogios. Me diga, por favor, quais foram estas coisas que me mandaram, certamente me xingando, e que eu não publiquei porque tenho jeito de petralha.

Eu só não vou pesquisar por falta de tempo. Mas vai ser fácil encontrar aqui no JBF inúmeras esculhambações e xingamentos que me mandaram e que foram publicados na íntegra.

No vosso caso, caro leitor que tem o privilégio de morar numa cidade que começa pela letra “X”, quero dizer que constam aqui dos nossos registros 4 comentários que foram feitos por Vossa Senhoria, todas na íntegra sem qualquer corte. 

Aliás, comentários criativos, bem humorados e bem escritos. Estão todos relacionados a seguir.

Abraços, volte sempre, disponha totalmente deste espaço e tenha um excelente domingo!

1) O que nos humilha, cumpanhêro, é essa roubalheira no Brasil, é não poder possuir nada de seu, é ser chamado de “zelite branca”, é ser espoliado diariamente pelos impostos, etc e tal… A guerra existe desde a criação, ou evolução, do ser humano. Neste século, aqui no Brasil, só no trânsito já morreram mais pessoas do que na guerra que vossença tá condenando. Se liga cabeção. Na postagem: O CRIME DA GUERRA

2) Corruptos são iguais, independente do partido a que pertençam, abestado… Mas se for por essa linha o PT prometeu acabar com a corrupção e também disse que era o partido mais honesto da história desse país… Portanto os corruPTos do PT são piores do que os dos outros partidos…Portanto vossa senhoria está puxando o saco desses safados… Ou não? Na postagem: TEMOS QUE TRAZER PRA CÁ ESTA LEI DO CANADÁ

3) A tua ironia, abestado, soa mais como uma insinuação (ou afirmação?) maldosa, ou, quiçá, um puxa-saquismo descarado.”Nudês é mió du quê nunosso…” Na postagem: O PONTO DE IRONIA CONTINUA FAZENDO FALTA…

4) Transporte de massa seria, por acaso, coisa de entregador de pizza? Na postagem: CHEGA DE BLACK BLOCS

ROGÉRIO CORRÊA – BRASÍLIA-DF

O MILAGRE

Vander Alves Pereira, ouviu seu pai contar algumas vezes um causo ocorrido há mais de cem anos.

Era uma época em que ainda havia matas fechadas e muitos animais nelas, bichos medonhos e selvagens. Frequentemente notavam onças rondando as proximidades das casas.

Certo dia, a filha de um sitiante foi ao quintal pegar frutas e começou a demorar a voltar. A mãe dela, preocupada, foi verificar o porquê da demora. De longe ela viu sua filha sendo arrastada por uma onça, mas não pôde fazer nada, pois seu marido estava ausente, e ela precisava tomar conta dos outros filhos. Essa mãe, em seu momento de desespero, rogou a Nossa Senhora da Lapa que salvasse sua criança.

Quando o pai retornou a casa ficou desesperado e procurou a menina. Não a encontrou. Alguns dias depois, ele saiu para campear, de repente, deparou-se com sua pequena filha, viva, em uma roça de milho. Achando muito estranho, o pai perguntou à menina se ela havia recebido ajuda de alguém para sobreviver na mata, inclusive sem alimento.

A menina respondeu que sim, uma mulher de manto azul a ajudava sempre, trazendo mamão para ela comer, pois ali havia muitos mamoeiros.

Festas-de-Carros-de-Boi-capa

* Causo que consta no livro “Festas de Carros de Boi

HÉLIO FONTES – VIDEIRA-SC

Sr. Editor,

Veja porque Dilma foi reeleita.

E explicado por quem a reelegeu.

Saudações.

R. Isto é maldade de vocês retrógrados e anti-progressistas.

Tenho certeza que este vídeo é falsificado, uma montagem grosseira.

LEONIRES DI OLLIVEIRA – PEDRA-PE

SENSOR DE CASTIDADE

Preocupado com a Paróquia
De sua Jurisdição,
O padre José Inácio
Querendo saber a razão
Dos venenosos boatos
Comprometendo os beatos
Em coisas de fazer dó.
Só se via o comentário
Até no confissionário
Era uma conversa só:

Que a filha de fulano
De santa não tinha nada
E que as outras mulheres
Era um bando de safada
Que vivia comungando
Todo dia se confessando
Ao pé de seu ouvido.
Vivia só de enganos
Mas por debaixo dos panos
Traía os seus marido.

Pru mode não se alastrar
Inda mais o falatório,
O jovem Sacerdote
Diante do oratório
Pediu pro Senhor Jesus
Que lhe mostrasse uma luz
Pra puder solucionar
Aquela sem vergonhice
No meio da beatice,
Em baixo do seu altar.

O tempo foi-se passando
E o falatório aumentava
O padre se agastando
Pois toda noite chorava.
Não sabia o que dizer
Nem muito fazer
Pra acalmar a falação
Tava muito preocupado
Pois tinha esse pecado
Para a sua perdição.

Clique aqui e leia este artigo completo »

ZUILTON VELOSO – RIO DE JANEIRO-RJ

Berto,

recebi essa mensagem de um amigo.

E como, achei muito interessante, resolvi dividi-la, a seu critério, com os leitores fubânicos.

Mantive o nome da autora ao final da redação.

Um abraço.

R. Este “redacção” que abre o texto, mais um “óptimo” e um “directo” lá pelo meio, além de outras sutilezas, me fazem desconfiar que a redatora é cidadã de outro país de língua portuguesa que não o nosso…

Eu só sei é que tá óptima esta redacção.

Grato pelo envio, abraços e um excelente final de semana!

* * *

Redacção feita por uma aluna de Letras, que obteve a vitória num concurso interno promovido pelo professor da cadeira de Gramática Portuguesa.

Era a terceira vez que aquele substantivo e aquele artigo se encontravam no elevador.

Um substantivo masculino, com aspecto plural e alguns anos bem vividos pelas preposições da vida. O artigo, era bem definido, feminino, singular. Ela era ainda novinha, mas com um maravilhoso predicado nominal. Era ingénua, silábica, um pouco átona, um pouco ao contrário dele, que era um sujeito oculto, com todos os vícios de linguagem, fanático por leituras e filmes ortográficos.

O substantivo até gostou daquela situação; os dois, sozinhos, naquele lugar sem ninguém a ver nem ouvir. E sem perder a oportunidade, começou a insinuar-se, a perguntar, conversar. O artigo feminino deixou as reticências de lado e permitiu-lhe esse pequeno índice.

De repente, o elevador pára, só com os dois lá dentro.

Óptimo, pensou o substantivo; mais um bom motivo para provocar alguns sinónimos. Pouco tempo depois, já estavam bem entre parênteses, quando o elevador recomeçou a movimentar-se. Só que em vez de descer, sobe e pára exactamente no andar do substantivo.

Ele usou de toda a sua flexão verbal, e entrou com ela no seu aposento.

Ligou o fonema e ficaram alguns instantes em silêncio, ouvindo uma fonética clássica, suave e relaxante. Prepararam uma sintaxe dupla para ele e um hiato com gelo para ela.

Ficaram a conversar, sentados num vocativo, quando ele recomeçou a insinuar-se. Ela foi deixando, ele foi usando o seu forte adjunto adverbial, e rapidamente chegaram a um imperativo.

Todos os vocábulos diziam que iriam terminar num transitivo directo.

Começaram a aproximar-se, ela tremendo de vocabulário e ele sentindo o seu ditongo crescente. Abraçaram-se, numa pontuação tão minúscula, que nem um período simples, passaria entre os dois.

Estavam nessa ênclise quando ela confessou que ainda era vírgula.

Ele não perdeu o ritmo e sugeriu-lhe que ela lhe soletrasse no seu apóstrofo. É claro que ela se deixou levar por essas palavras, pois estava totalmente oxítona às vontades dele e foram para o comum de dois géneros.

Ela, totalmente voz passiva. Ele, completamente voz activa. Entre beijos, carícias, parónimos e substantivos, ele foi avançando cada vez mais.

Ficaram uns minutos nessa próclise e ele, com todo o seu predicativo do objecto, tomava a iniciativa. Estavam assim, na posição de primeira e segunda pessoas do singular.

Ela era um perfeito agente da passiva; ele todo paroxítono, sentindo o pronome do seu grande travessão forçando aquele hífen ainda singular.

Nisto a porta abriu-se repentinamente.

Era o verbo auxiliar do edifício. Ele tinha percebido tudo e entrou logo a dar conjunções e adjectivos aos dois, os quais se encolheram gramaticalmente, cheios de preposições, locuções e exclamativas.

Mas, ao ver aquele corpo jovem, numa acentuação tónica, ou melhor, subtónica, o verbo auxiliar logo diminuiu os seus advérbios e declarou a sua vontade de se tornar particípio na história. Os dois olharam-se; e viram que isso era preferível, a uma metáfora por todo o edifício.

Que loucura, meu Deus!

Aquilo não era nem comparativo. Era um superlativo absoluto. Foi-se aproximando dos dois, com aquela coisa maiúscula, com aquele predicativo do sujeito apontado aos seus objectos. Foi-se chegando cada vez mais perto, comparando o ditongo do substantivo ao seu tritongo e propondo claramente uma mesóclise-a-trois.

Só que, as condições eram estas:

Enquanto abusava de um ditongo nasal, penetraria no gerúndio do substantivo e culminaria com um complemento verbal no artigo feminino.

O substantivo, vendo que poderia transformar-se num artigo indefinido depois dessa situação e pensando no seu infinitivo, resolveu colocar um ponto final na história. Agarrou o verbo auxiliar pelo seu conectivo, atirou-o pela janela e voltou ao seu trema, cada vez mais fiel à língua portuguesa, com o artigo feminino colocado em conjunção coordenativa conclusiva.

Fernanda Braga da Cruz

FERNANDO ANTÔNIO GONÇALVES – RECIFE-PE

Um idoso rico, com cerca de 85 anos, casa com uma jovem de vinte e na grande festa do seu casamento pergunta a um amigo seu:

– Então, como você me vê aqui, ao lado desse mulherão?

– Quer mesmo saber? Parece uma orelha de vaca…

– Orelha de vaca???

– Sim, longe da buceta e perto do chifre!

velhinho e mulher

ANTONIA CRISTINA REDILING – SÃO ROQUE-SP

Sensacional!!

Não sei ao certo como cheguei ao seu blog.

Pode ter sido através da revista Veja.

Porém não importa, o que importa é que ele é excelente!!

Atenciosamente.

R. Depois que a grande mídia deu pra citar o JBF, inclusive a grande mídia estrangeira (vide cabeçalho do jornal) tem pipocado leitores novos de tudo quanto é canto destes brasis.

É gente que só a peste. A cada dia a audiência aumenta mais um tanto.

Vôte!

Veja só: nos últimos 30 dias, exatamente 23.415  leitores distintos acessaram esta gazeta escrota a partir daí do estado de São Paulo.

Deste total, sete (7) são fubânicos residentes em São Roque, um dos municípios de São Paulo considerados estâncias turísticas.

Brigadão mesmo, querida leitora, pelos elogios e por este estimulante contato.

Paz, saúde, felicidade, alegria e um excelente final de semana!

srq2srq

São Roque, 78.873 habitantes, a 63 quilômetros da capital

LEONIRES DI OLLIVEIRA – PEDRA-PE

Tudo isto é a natureza
E as coisas do meu sertão.

Fogo no mêi da serra
Do home fazeno broca.
Uma cabritinha que berra
Cum o pé preso na loca.
Um tatu dentro da toca,
Aranha caraguejêra,
Uma largata cortadêra
Dizimano a prantação.
Um golinha, um azulão
Pintano só de beleza
Tudo isto é a natureza
E as coisas do meu sertão.

Uma cerca de faxina,
De pedra, de sabiá.
Uma raposa malina
Debaxo do pé de juá.
Um gato maracajá,
Uma cigarra que canta.
Um moleque que s’espanta
Cum relampo e o truvão.
Um elegante pavão
Esbanjano delicadeza
Tudo isto é a natureza
E as coisas do meu sertão.

Carro de boi conservado
Que canta toda tardinha.
Saco de puba prensado
Numa casa de farinha.
Um calango, uma oncinha
Se escondeno no buraco.
Uma ticaca, um casaco
Fedeno que só o cão.
Um assubio do canção
Demonstrano realeza
Tudo isto é a natureza
E as coisas do meu sertão.

Clique aqui e leia este artigo completo »

MARCOS ANDRÉ M. CAVALCANTI – RECIFE-PE

Atenção corpo etílico jurídico do JBF

Trago a este editor, grave denuncia de plágio e/ou uso indevido e apropriação indébita de imagem!

Rodrigo Constantino usou em sua coluna na revista Veja online, ontem, sem autorização, imagem do editor do JBF, usada desde 2008.

manual_idiota_utileditor

Coluna de Constantino (esq.) e cabeçalho de A Palavra do Editor

Ele deveria pedir autorização.

Ou usar a imagem de POLODORO, rinchando ou não.

R. Fique tranquilo, meu caro. Na rede de computadores vale o mesmo axioma que Chacrinha lavrou pra televisão:

“Na internet nada se cria. Tudo se copia”.

Eu mesmo copio de tudo e de todos com o maior descaramento do mundo e, ao cabo, fico com os louros da glória, como se fosse eu o autor da obra. Se Lula não existisse, eu daria um Lula escritinho, cagado e cuspido! Bom, pelo menos, pra ter uma boa parecença com Lula, a imagem da minha coluna, A Palavra do Editor, é ilustrada por um asno.

De modo que Constatino, ao lançar mão da imagem do jegue, não cometeu qualquer irregularidade e apenas seguiu a norma usual.

O fato, a verdade verdadeira, é que na Banânia da atualidade, é muito mais proveitoso ser um jumento, como este da ilustração aí de cima, do que ser uma anta. Concordas?

E, já que estamos falando em jumento, e como o Carnaval tá se aproximando, vamos fechar esta postagem brindando os nossos leitores com um frevo-canção de autoria do talentoso fubânico Bráulio de Castro, compositor de inúmeros sucessos, cantado por Ivanildo Silva.

Um frevo que tem como personagem o querido jumento Polodoro, mascote do JBF.

Bráulio compôs este frevo pro Carnaval de 2013, mas a letra vale pra todo o sempre!

Rincha, Polodoro!

WASHINGTON ALVES – ESPERANÇA-PB

Caro Berto:

Meu nome é Washington Alves, sou de Esperança (PB) e numa dessas zapiadas pelo vasto mundo da internete deparei-me com o JBF.

E virei leitor assíduo.

Nada melhor para oxigenar o miolo e aguentar tanta lenga-lenga da politicagem bananica do que ler suas tiradas geniais.

E altamente abalizadas.

JB-9

R. Minino, fiquei ancho que só a porra com essa história de “tiradas geniais“. Fui promovido de abestado pra gênio!

Quanto ao “abalizadas“,  eu não dúvido nada que tem mesmo muito neguinho querendo mandar balas neste pobre Editor…

Brigadão pela generosidade de sua apreciação, caro leitor. E muito grato também pela força e pela audiência.

Um abraço pra todos dessa acolhedora Esperança, localizada no Agreste paraibano. Terra de moça bonita e de cabra presepeiro.

Muita saúde, muita paz e muita fubanice na vida!

esperança

Esperança, a 159 km de João Pessoa e com 31.095 habitantes

FERNANDO PORTELA – SÃO PAULO-SP

Papa Mio,

O blog Catarse está realizando uma exposição de Alexandre Severo, o grande fotógrafo que morreu ao lado de Eduardo Campos. (clique aqui para entrar na página)

Aqui em São Paulo ele é um ícone.

O pessoal do Catarse está trabalhando para levar a exposição ao Recife e expondo algumas de suas fotos, todas incríveis.

Bração.

R. Meu caro colunista fubânico, espero que o pessoal do Catarse tenha muito sucesso nesta iniciativa.

Pra que nós aqui do Recife possamos ter o privilégio de ver esta exposição.

JESSIER QUIRINO – ITABAIANA-PB

Meu cumpade e Papa Berto I

O Jornal da Besta Fubana tá mais conhecido do que folha de bananeira.

No mais, continua feito asma: melhora mas não fica bom.

Parabéns!

R. Na verdade, meu caro Poeta, os parabéns são pra todos vocês, colunistas e colaboradores, pelo fato do JBF estar sendo sido citado naquilo que os muderninhos chamam de “grande mídia“.

E também pelo fato de que muitas das expressões criadas por nós aqui estarem sendo empregadas por celebridades da imprensa lá no Sudeste. Ainda na semana passada li na página de uma conhecido blogueiro paulistano as expressões “zistados zunidos” e “zoios zazuis“, ambas paridas nesta gazeta escrota. Isto sem falar na “República Banânica”, que tá mais conhecido do que folha de bananeira!

Grato a todos os amigos que, assim como você, se manifestaram e participaram da minha alegria por este sucesso. Que é de todos nós.

Pegando bigu nesta sua mensagem, vou aproveitar pra publicar uma foto que foi feita por seu filho, Vitor Quirino, e que mostra você numa apresentação em julho passado, na cidade de São Gabriel, no interior da Bahia.

Achei esta imagem arretada, mostrando com tocante singeleza a integração do Poeta com o seu público, maravilhado e atento ao recital.

jessier

SEBASTIÃO CARVALHO – MARÍLIA-SP

Caro Berto,

A Paz e a Graça de Jesus,

Fiquei sabendo do JBF agorinha por meio da coluna do Setti.

Valeu a pena!

Só dei uma espiadinha, pois já são 0:30 h e tá na hora de idoso ir dormir! Volto quando o dia clarear.

Já pode contar com minha “intromissão” diária no JBF.

Sou de Marília-SP, Alta Paulista.

Bom dia, te cuida nego véio!

Um abraço.

R. Pois seja vem vindo a este antro escroto, caro leitor. Fique à vontade e engrosse o cordão daquele time que curte inutilidades, futilidades e falação da vida alheia.

Você é um dos 123 fubânicos que acessaram o JBF nos últimos 30 dias a partir dessa bela Marília.

Este jornal é lido tanto pelos humanos na Terra, quanto pelos ETs de Marte. Isto sem falar nos sem qualificação de Palmares.

Grato pela força e pela audiência!

JBF ET

LOURDES MEIRA – CAMPINA GRANDE-PB

bom dia, senhor editor,

ghost: o outro lado da vida, meu filme de amor predileto, estrelado pela dupla patrick swayze e demi moore, ganhou esta interessante versão bananeista.

ofereço aos leitores deste jornal em crescente sucesso.

abraços.

R. Francamente, vocês me arranjam cada uma que até parece duas.

Vôte!

Faltou citar o nome da grande Whoopi Goldberg, que ganhou um Oscar neste filme no papel da vidente picareta.

Vejam só que presepada da porra é esta montagem:

MARCOS MAIRTON – FORTALEZA-CE

Papa Berto,

As atenções estiveram tão voltadas para as eleições nas últimas semanas que pouco vi se falar sobre essa importante notícia para o Brasil: o lançamento do KC-390, avião de transporte militar fabricado pela Embraer.

Gostaria de ouvir comentários de fubânicos versados em aviação.

HUGO LEONARDO – BRASÍLIA-DF

Querido Tio,

Como é aquela frase do Lulla a respeito de ser jovem e ser comunista e ser velho e ser comunista?

Abraços

R. Meu querido sobrinho:

No ano de 2009, eu dei uma entrevista ao portal Interpoética, uma potência em literatura e poesia, na qual reproduzo a tal frase de Lula, motivo desta sua consulta.

Se quiser, você pode ler a entrevista completa clicando aqui.

Mas já adianto a pergunta que me fizeram e a resposta que eu dei.

A pergunta foi feita pelo meu querido amigo Paulo Carvalho, colunista do JBF e Cardeal da Igreja Sertaneja. Ainda ontem, domingo, ele me ligou e ficamos um bom tempo conversando miolo-de-fossa e marcando um encontro pra tomar umas e outras daqui uns dias.

A seguir, transcrevo a pergunta e a resposta que dei pra ele.

Espero ter satisfeito a sua curiosidade.

Um beijão deste seu tio coruja!

* * *

A pergunta que ele me fez foi esta:

“Você declarou, através do JBF, que quem permanece comunista depois dos 60 anos é louco. O que você sugere para pessoas como eu, Oscar, Niemeyer, Natanael Rodrigues, Luciano Siqueira, e tantos outros? Internar num hospício e colocar os referidos em camisa de força?”

E esta foi a resposta que eu dei:

Eu nunca declarei isto no JBF. Nem no JBF, nem em qualquer outro lugar. E quem fez a declaração não falou em “comunista”. Falou em “esquerdista”. Todavia, em 1920, Lênin escreveu um texto que tinha este título: “Esquerdismo: Doença Infantil do Comunismo”. Um texto que virou um clássico na história política do mundo. De modo que, posso concluir sem medo de errar, os comunistas, citados por você, são padecentes da doença infantil do esquerdismo.

Agora vamos aos fatos:

Em evento promovido pela revista IstoÉ, no dia 11 de dezembro de 2006, o Presidente Lula fez um discurso para uma plateia, formada quase na totalidade por grandes empresários. Neste discurso, de improviso, o Presidente pronunciou a seguinte frase:

“Se você conhecer uma pessoa muito idosa esquerdista, é porque ela tem problemas. Tem um parafuso frouxo”.

Repito: o autor da frase é o Presidente Lula. Eu apenas a repeti no Jornal da Besta Fubana. E, para seu conhecimento, ele complementou seu pensamento com esta afirmação:

“Se você conhecer uma pessoa muito nova de direita, é porque também tem problemas. Então, quando a gente está com 60 anos é a idade do ponto de equilíbrio. A gente se transforma no caminho do meio”.

A filósofa Marilena Chaui, que tinha 65 anos de idade quando o Presidente Lula pronunciou a frase, é uma esquerdista e petista histórica que, numa entrevista, fez a seguinte declaração: “Quando Lula fala, o mundo se ilumina“. Fiquei curioso pra saber a opinião dela sobre a afirmação do Presidente Lula e lhe mandei várias mensagens, querendo saber o que ela tinha a dizer. Mas não obtive qualquer resposta.

A opinião do comunista-esquerdista Oscar Niemeyer – citado por você -, sobre o que Lula falara a respeito dos esquerdistas, saiu publicada nos jornais da época. Vou transcrever pra você ficar sabendo:

“O arquiteto Oscar Niemeyer completa hoje 99 anos decepcionado com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), em quem votou e em quem recomendou o voto na eleição deste ano. A declaração de Lula de que ‘uma pessoa idosa de esquerda deve ter problemas’ surpreendeu o arquiteto, comunista desde a juventude. Embora, em entrevista por telefone à Folha, tenha dito que não gostaria de fazer comentários sobre a fala do presidente, Niemeyer deixou escapar o quanto ficou surpreso com o que leu nos jornais de terça-feira passada. ‘É, que remédio… Surpreendeu todo mundo’, afirmou ele. Aos amigos que estiveram com ele nos dois últimos dias, o arquiteto afirmou ter sentido decepção com a declaração do presidente. Disse que não esperava algo do tipo de uma pessoa de origem humilde, que militou no sindicalismo e na política com discurso e posicionamento esquerdistas.”

E, para sua avaliação, vou transcrever o que pensa sobre o assunto o renomado intelectual esquerdista Lúcio Flávio Rodrigues de Almeida, professor do Departamento de Política e Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Sociais da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Ele falou sobre o assunto numa entrevista que deu à também esquerdista (e bota esquerdista nisso…) Revista Sem Terra, a revista oficial do MST, edição 37, Jan/Fev-2007.

Veja só:

Pergunta: Recentemente Lula disse que nunca foi de esquerda e que quem o é depois dos 60 anos é ruim da cabeça. O que você pensa desta posição do presidente?

Resposta do Professor: O discurso do Lula não tem novidade alguma. É o discurso típico da direita, que reduz a esquerda a um arroubo juvenil. É bom prestar a atenção no que ele falou, porque trata-se é um político muito competente. Mas Lula realmente cometeu um equívoco muito grande. Isso foi uma “velhataria”. Ele ignorou Marx, Engels, Florestan Fernandes, João Amazonas, Apolônio de Carvalho, Paulo Freire, Paul Sartre, Pablo Neruda, Oscar Niemeyer, Carlos Mariguella, Antônio Cândido, Hebe Bonafini, Roberta Menchú, entre outros. Foi um atentado contra a história e contra o que boa parte destas pessoas produziu de melhor, que são sexagenários de esquerda, muito ativos e inteligentes, aos quais a política e a cultura mundiais e brasileira devem muito.

Imaginem quem freqüenta a Escola Nacional Florestan Fernandes (ENFF), do MST, ouvindo o Lula dizendo que se você tem 60 anos e é de esquerda está ruim da cabeça. É realmente uma complicação muito grande da parte do presidente da República.

Ele já falou várias vezes que não é de esquerda, mas é bom que os movimentos sociais e as esquerdas em geral anotem o recado. Brincando de uma maneira leve e ligeira, ele está dando um recado político. Se está dizendo que não é de esquerda e quem é de esquerda não está bem da cabeça, cuidado com algumas políticas que podem vir por aí. Depois não digam que ele não avisou. Isso é fundamental em uma análise política, quando se trata de uma declaração como essa. O campo da esquerda é mais amplo do que o campo da esquerda revolucionária, então existe uma série de pessoas que se consideram da esquerda, mas nem por isso são socialistas e marxistas. Isso torna mais grave ainda o que o Lula falou.

Eu fiquei aqui pensando numa das alternativas que você colocou na sua pergunta. Esta aqui:

“Internar num hospício, e colocar os referidos em camisa de força.”

E por que eu pensei nesta alternativa? Porque uma das figuras que você citou, que tem “mais de 60”, o festejado arquiteto Oscar Niemeyer, escreveu um artigo para o Jornal do Brasil em outubro de 2008, no qual ele disse o seguinte:

“A revolução soviética representa 70 anos de vitória. A ela devemos a destruição do nazismo. As histórias de Kruchev sobre Stalin nunca me convenceram.”

Após o mundo ter tomado conhecimento, através da insuspeita palavra de Kruchev, que Stalin exterminou 10 vezes mais pessoas do que Hitler, (um massacre que Niemeyer chama de “histórias“) eu pensei mesmo em levar a sério esta alternativa que você ofereceu de interná-lo num hospício. (Não esqueça que Hitler exterminou judeus, e Stalin exterminou compatriotas). Talvez, devido a ele já ser centenário, eu só não o obrigasse a vestir a camisa de força…

Pra terminar, quero registrar que, entre os “com mais de 60” que você citou, está o grande Luciano Siqueira que, como é do seu conhecimento, assina uma coluna no Jornal da Besta Fubana e é uma figura pública pela qual eu tenho o maior respeito e consideração. Um homem de reputação ilibada e cujo nome nunca foi envolvido em falcatruas com dinheiro público. Todavia, a admiração que lhe devoto, como homem público e como pessoa humana, exclui o seu posicionamento político, pois eu jamais poderia apoiar uma pessoa filiada a um partido cujo modelo de governo e regime era a putrefata Albânia, tiranizada durante anos pelo corrupto Enver Hoxha.

Na minha cabeça de “reacionário”, a convivência civilizada entre pessoas que pensam diferente é fundamental pra cidadania. Eu jamais seria partidário de um sistema político que eliminasse fisicamente ou prendesse num cárcere uma pessoa que pensasse diferente dos governantes no poder. Sangra meu coração de homem civilizado saber que ainda existem presos por crime de pensamento em alguns paises do mundo. Que nós dois sabemos quais são.

Finalmente, vou emitir agora a minha opinião pessoal sobre o fato de uma pessoa permanecer esquerdista depois dos 60 (ou direitista, ou ligada a qualquer outra ideologia):

Eu creio, firmemente, que são poucas as pessoas que a velhice premia com o bom senso.

Como acho, adiando a modéstia, que é o meu caso.

ARAEL M. DA COSTA – JOÃO PESSOA-PB

Sr. Editor:

Talvez esteja chovendo no molhado, pois algum redator dessa folha esculhambada já a pode ter levado a seu conhecimento.

Mas não posso me furtar de passar a suas mãos esta nota que acabo de ler que, de certa forma pode nos dar o perfil do eleitorado bananal que apoiou a tabacuda.

Abraços

* * *

A 176ª seção da 90ª Zona Eleitoral do Maranhão, em São Luís, teve, provavelmente, o maior índice de abstenção do país: 97,9%.
Instalada no temido complexo penitenciário de Pedrinhas, a seção deveria ter recebido 48 detentos, mas só um apareceu para votar no último domingo (26).

O motivo foi a concorrência com o dia de visitas no presídio: presos consideraram a operação para levá-los das celas até a sala de votação “muito demorada” e preferiram continuar com as visitas.

pprr

Detentos no complexo de Pedrinhas, em São Luís

“Eles não quiseram sair das celas. Disseram que passariam muito tempo longe e preferiram ficar com as famílias”, conta Ariston Apoliano, coordenador-executivo da Unidade de Monitoramento Carcerário do Tribunal de Justiça maranhense, que participou da organização do pleito.

Palco de rebeliões, fugas, guerra entre facções criminosas e 78 mortes desde o início de 2013, Pedrinhas exigiu uma logística complexa para a votação.

Por questão de segurança, presos do PCM (Primeiro Comando do Maranhão) e do Bonde dos 40, grupos rivais que atuam no presídio, não puderam votar juntos.

O plano era levar separadamente os integrantes de cada facção até a única urna, montada na CCPJ (Central de Custódia de Presos de Justiça), uma das oito unidades do complexo penitenciário.

O processo de triagem ainda iria dividi-los de acordo com o grau de periculosidade. O transporte de ida e volta entre a CCPJ e as outras prisões de Pedrinhas seria feito em carros com escolta. A rodovia BR-135 passa entre as unidades do complexo.

Segundo Apoliano, os detentos já haviam reclamado do processo no primeiro turno, quando também era dia de visita e apenas 12 dos 48 presos provisórios – como são chamados os que aguardam julgamento – foram votar.

Na segunda etapa, o boicote foi quase unânime. “A gente fez nossa parte e botou uma seção lá para garantir o direto deles. É uma pena que não teve o número que esperávamos”, diz o coordenador.

A urna eletrônica, no entanto, não ficou totalmente ociosa. Policiais da Força Nacional de Segurança que atuam em Pedrinhas e estavam fora de seus domicílios aproveitaram para fazer a justificativa eleitoral na seção da CCPJ.

O único detento que aceitou sair da cela para votar no domingo escolheu Dilma Rousseff (PT) para presidente.

A petista já havia vencido o primeiro turno em Pedrinhas, com seis votos no dia 5 de outubro. Na ocasião, três detentos escolheram Marina Silva (PSB) e nenhum votou em Aécio Neves (PSDB), que perdeu até para os brancos (dois) e nulos (um).

.

ITARARÉ LIMEIRA – NATAL-RN

Alguns setores do serviço público tupiniquim tem sido aquinhoados com suplementos salariais específicos, tais como auxílio-moradia e auxílio-paletó, que pretensamente objetivam propiciar aos seus felizes ganhadores, morar e se vestir dignamente. É curioso, já que estes estão entre os servidores públicos melhores remunerados, mas fico feliz por eles.

Levando-se em conta que todos são iguais perante a lei, que o dinheiro que paga estes suplementos é público e deve ser justamente distribuído e que as demais categorias de servidores, em sua maioria (professores, como eu, e médicos, apenas para exemplificar), ainda tem maior necessidade destes “agrados”, já que ganham em média bem menos, venho aqui manifestar meu estranhamento com este tratamento diferenciado.

A menos que me convençam que ao menos uma das condições abaixo é verdadeira:

(i) Somos menos necessários ao bom funcionamento do serviço público e da sociedade em geral;

(ii) Somos menos qualificados profissionalmente;

(iii) Não necessitamos nos vestir nem morar dignamente;

Afinal, como já disse alguém com sabedoria (Barão de Itararé, Sérgio Porto?, não estou certo):

“Ou restaure-se a moralidade ou nos locupletemos todos”.

Abraços

MARCOS ANDRÉ M. CAVALCANTI – RECIFE-PE

Mais ou menos 40 anos, executivo, bem apessoado, senta-se na poltrona do aviao com destino a New York e, maravilha, depara-se com uma morena escultural sentada na poltrona junto à janela.

Pernas cruzadas, perfeitas, saia curta deixando entrever um belíssimo par de coxas, seios no tamanho exato, empinados, lábios carnudos, mas sem volume demasiado, enfim, uma DEUSA…Decola a aeronave, céu de brigadeiro, uma vontade enorme de puxar conversa, mas a morena, impassível, lê um grosso volume com muita atençao.árabe

15 minutos de vôo e o cavalheiro nao se contem:

– É a primeira vez que vai a New York?

Ela, gentil, com uma voz muito sensual, mas de certa forma reservada:

– Nao, é uma viagem habitual…

Ele, agora animado:

– Trabalha com moda, por acaso…?

– Nao, viajo em funçao de minhas pesquisas…

– Desculpe-me a curiosidade é escritora…?

– Nao, sou sexóloga.

– Muito interessante e raro. Suas pesquisas dedicam-se, na sexologia, a quê, especificamente?

Ela, tranqüila e sempre com a mesma voz de veludo:

– No momento, dedico-me a pesquisar as características do membro masculino, o que julgo ser um trabalho de fôlego e muito difícil.

– Nas suas pesquisas, a que conclusoes já chegou?

– Bom, de todos os pesquisados, já concluí que os Indios, sem dúvida, são os portadores de membros com as dimensoes mais avantajadas e, em contrapartida, os Arabes sao os que permanecem mais tempo no coito, antes de entrarem em gozo; logo, sao os que proporcionam mais prazer às suas parceiras. Além disso… Oh! Me desculpe! Eu estou aqui falando sem parar e nem sei seu nome…

– Mohamed Pataxó, às suas ordens

LOURDES MEIRA – CAMPINA GRANDE-PB

bom dia, senhor editor,

mais uma que meu filho pescou no face.

mereceria eu a honra de tomar outra botada de caninana? rs.

saiba que minha dentista tb. é leitora do jbf.

abraços e bom fim de semana.

pst

R. Só assim mesmo pra eu tomar conhecimento do que aparece no feissibuqui, território que não frequento…

Cara leitora, conterrânea do saudoso mito Sivuca, vocês ficam bulindo com os petistas e, ao cabo, o Bolsa-Chibata só cai no lombo deste Editor.

Você e sua dentista estão entre os 913 leitores que acessaram o JBF a partir de Campina Grande, nos últimos 30 dias. Só perde pra João Pessoa, com 1.299 fubânicos.

No total, temos 2.972 curtidores de bestagens em todo o estado da Paraíba. Entre petistas e anti-petistas…

Abraços e um excelente domingo!

ALÉCIO CRUZ – BELO HORIZONTE

Senhor Editor do JBF:

Veja como estava linda a fila para abastecimento num posto aqui em Belo Horizonte.

Foi ontem à noite após notícia de que Dilma vai aumentar o preço da gasolina neste fim de semana.

Eu mesmo enchi o tanque da minha furrequinha!

fila gasolina

R. Caro leitor, eu acho que houve um equívoco na informação que você nos mandou.

Na verdade, esta fila de carros que aparece na foto é de um grupo de pessoas que iriam fazer uma festa, uma celebração.

Celebrar os quase 6 milhões de votos que Dilma teve em Minas Gerais, vencendo a eleição nesse estado com 52,41%.

Por favor, não use o espaço desta gazeta pra difundir notícias falsas.

E outra coisa: nunca diga que uma fila é “linda”. É a coisa mais feia deste mundo.

VANDERLEI ZANETTI – SÃO PAULO – SP

Papa Berto,

É ou não é uma boa notícia!

Homem que dorme com muitas mulheres reduz risco de câncer de próstata, diz estudo. A conclusão faz parte de um estudo realizado pela Universidade de Montreal, no Canadá.

pesquisa próstata

Atenção cabras-machos e “espadas” leitores do JBF.

Vejam a importância dessa pesquisa, COORDENADA POR MULHERES, desenvolvida pela Escola de Saúde Pública da Universidade de Montreal, publicadas por Marie-Elise Parent e Marie-Claude Rosseau, que após estudarem a desempenho de 3.208 homens, concluíram que aqueles que durante sua vida tiveram relações sexuais com 20 ou mais mulheres, apresentaram 28% menos de probabilidade de contrair câncer de próstata.

Confirmando: “Ter relação sexual com várias mulheres diminui risco de câncer de próstata, diz estudo. já os virgens correm o risco duas vezes maior”.

Por se tratar de assunto sério, indicação médica, temos que nos cuidar para prolongar as nossas vidas.

Portanto, quem ainda não atingiu a sua quota, e é casado, tem de se apressar em conseguir um “alvará liberatório”, com firma reconhecida, para fazer uso desse importante, relaxante e satisfatório tratamento.

Para mais informaçõe, clique aqui

Um abraço.

R. Caro leitor paulistano, submeti esta importante pesquisa científica à Comissão de Ciências do Sacro Colégio Cardinalício da Igreja Sertaneja. Pesquisa realizada pela respeitável e reputada Universidade de Montreal, no Canadá, centro acadêmico de excelência e que faz as pesquisas mais avançadas do planeta na área de Medicina.

Já recebi de volta o parecer dos eminentes Cardeais sobre o assunto, sugerindo que esta norma – comer tantas bacurinhas quantas sejam possíveis -, deve ser adotada por todos os fieis da ICAS. A finalidade é nobre: reduzir risco do câncer de próstata.

E tudo que é para o bem da vida, pra prolongar vida e pra trazer saúde, merece a sacra aprovação do meu Papado. Creio que tudo quanto é esposa deste mundo deseja que o seu marido viva muito e viva saudavelmente. Elas, inclusive, devem se engajar no esforço de arranjar muitos e muitos priquitos pro seu esposo comer.

Informo que acabei de aprovar o parecer do Sacro Colégio Cardinalício, acrescentando ao meu despacho uma frase de Otacílio, o filósofo palmarense:

“É impossível fuder todas as mulheres do mundo; mas deve-se tentar”

RAIMUNDO BARBOSA COSTA – BELÉM-PA

 Sr. Editor,

Seria muito, pedir-lhe que informasse a quantidade de leitores do Norte?

Incluindo o meu Pará?

R. Num é muito de maneira alguma, meu caro. É pouco.

Pouco trabalho e muito prazer. Informo o que você pediu com muita alegria. Os números estão logo a seguir.

Como eu sei que você faz esta solicitação por conta de uma postagem de ontem,  que dava conta do crescente aumento na quantidade de leitores do JBF, aproveito pra informar que, de ontem pra hoje, este número voltou a subir. Foi de 93.649 para 93.764. Continuamos em ascensão.

Aproveito para, também, agradecer a todos que se manifestaram, que participaram da nossa alegria tecendo comentários. Li com muito gosto todas as palavras que foram postadas por leitores e por colunistas. Afinal, o sucesso desta gazeta é o sucesso de cada um dos componentes da comunidade fubânica. Eu apenas coordeno e gerencio os trabalhos, porque a grande parte do nosso conteúdo é produzido por leitores e colunistas.

De modo que a festa é pra todos nós. Uma festa fubânica, acima de posições políticas, credos religiosos, regiões de origem ou colorações partidárias. Afinal, fubânicos de todas as tendências e recantos é que são os arquitetos deste sucesso.

Agora, vamos ao seu pedido, sobre os nossos números na Região Norte.

Os dados abaixo são do Google Analytics e informam a quantidade de leitores distintos que acessaram esta gazeta escrota nos últimos 30 dias:

Amazonas – 913
Rondônia – 555
Roraima – 170
Acre – 155
Amapá – 95

O seu rincão, nosso querido Pará, com 766 fubânicos, ocupa a 20ª posição entre os estados brasileiros na quantidade de leitores do JBF.

A seguir, a quantidade de fubânicos em algumas cidades paraenses:

pará

FLÁVIO CAVALCANTI JR. – PETRÓPOLIS-RJ

Prezado Berto

Por determinação do Zé Paulo, a quem conheço há tanto tempo que tenho vergonha de precisar a data, me apresento como um simples Coroinha desta sua igreja, a qual o velho Aurélio, faz a pior das referências.

E você Berto, é aquele apresentador de tele jornais que cansou de dar notícias pra gente?

Abraços

R. Se o colunista do JBF Zé Paulo, sacerdote da ICAS, converteu você pra ser membro da nossa Igreja, fique sabendo que já está nomeado Padre a partir deste momento!

O Cardeal Camerlengo Jorge Macedo irá providenciar o decreto pra publicação o mais rapidamente possível. Embora este jornal e a igreja sejam entidades distintas, o Papa sempre pede espaço ao Editor pra botar no ar as sacras resoluções da Igreja Católica Apostólica Sertaneja. De modo que,  quando você diz que “o velho Aurélio fez a pior referência” à nossa igreja, você cometeu um engano. Que irei explicar algumas linhas abaixo.

Agora, vamos ao outro item da sua mensagem:

O Berto Filho dos telejornais não sou eu. Eu só apareço mesmo é aqui neste escrotíssimo blogue que criei pra abestalhar o mundo, difamar as pessoas de bem e espalhar futilidades nos ares. O trato das coisas inúteis ganhou um espaço privilegiado nesta gazeta.

O Berto Filho dos telejornais, este que aparece na foto abaixo, trabalhou ao lado de Cid Moreira e William Bonner como apresentador do Jornal Nacional, da Globo, em tempos passados.

berto filho

Minha mãe, que faleceu em fevereiro deste ano de 2014, com 85 anos de idade, cultivava duas paixões televisivas. Uma era Berto Filho, porque tinha o mesmo sobrenome da nossa família, e a outra era Flávio Cavalcanti, um ídolo na vida dela, o jornalista que entrevistou o Presidente Kennedy na Casa Branca, o apresentador de televisão que tanto sucesso fez nos anos 60/80, o homem do “Um Instante Maestro“, o criador do bordão “Nossos comerciais, por favor“.

Onde quer que mamãe esteja, ela deve estar muito feliz neste momento por saber que o filho do seu ídolo, também batizado de Flávio Cavalcanti, está em contato com o filho dela.

Aliás, você, o Flávio Cavalcanti filho, é parecidíssimo com Flávio Cavalcanti pai.

fc

Os Bertos, embora oriundos do Nordeste, podem ser encontrados em todos os recantos destes Brasis. Como é comum nesta raça andarilha que sai aqui da terrinha e vai ganhar a vida no meio deste mundão.

E minha mãe achava que Berto Filho, o apresentador, além da parecença e da morenice reveladoras, tinha um parentesco próximo conosco. Ela fuçou, pesquisou, enviou cartas (num tempo em que não havia ainda internet) mas nunca conseguiu confirmar suas suspeitas. Os cunhados dela, meus tios, irmãos do meu pai, eram muito mulherengos e cheios de ninhadas mundo a fora. Eu tinha 6 anos de idade quando um tio meu, Manuel Berto, irmão do meu pai, foi assassinado com 17 facadas e dois tiros de espingarda, porque “desonrou” uma moça na cidade de Angelim, aqui em Pernambuco. (Decorei estes números porque passei a minha infância ouvindo esta história). Foi assassinado pelo pai e por um irmão da moça, que lavaram a honra da família.

Quanto à “comunidade fubânica”, permita-me resumir a história.

Quando você diz que “o velho Aurélio faz a pior das referências“, está se referindo ao verbete “Meretriz“, a nossa tão conhecida “Puta“. Que no Dicionário do Aurélio tem sinônimos que só a porra. E um deles é exatamente este… “Fubana“. Ou seja, no Aurélio, Fubana é o mesmo que puta, prostituta, meretriz, piranha…. etc.  etc.. etc…

Me dei ao trabalho de contar, um por um, e cheguei a um total de 90 sinônimos. Eu, que sou rato de dicionários, encontrei no Aurélio duas outras palavras que, na quantidade de sinônimos, concorrem com Meretriz. São elas Cachaça e Diabo. Vá lá e confira.

Veja alguns, apenas alguns, dos sinônimos de Meretriz que estão no Aurélio:

amásia, bagaxa, bandarra, beira d’água, biraia, cachopa, dama, decaída, donzela, égua, fubana, horizontal, mandrião, marafona, moçoila, mulher-dama, mulher-da-vida, mulher-de-má-nota, mulher-do-fandango, mulher-perdida, perdida, perua, piranha, prima, prostituída, prostituta, puta, quenga, rameira, rapariga, rascoa, safada, senhorinha, vadia, vagabunda

De modo que permita-me discordar de sua opinião: Aurélio fez a melhor referência possível! Puta é uma nação de gente que eu respeito muito e que ganha o pão de cada noite trabalhando duro, quer dizer, trabalha levando uma pajaraca dura e, ao contrário dos políticos, fazendo jus ao que recebe.

Escrevi um romance e botei nele o título de “O Romance da Besta Fubana“. Escutei muito a minha avó, mãe da minha mãe, a velha Menininha, gritar “Este menino tá com a Besta Fubana no couro“, quando eu fazia alguma travessura. E a Besta Fubana, na minha cabeça, se tornou um ser mágico, poderoso, encantado, tanto quanto a Besta Fera, que é muito citada pelo sertanejo nordestino. Por isso batizei meu livro com este nome: Besta Fubana. Uma homenagem à minha saudosa avó, Menininha, uma velha braba que só o Cão!

E, a partir de então, a Besta Fubana virou uma espécie de grife, de marca registrada. Criamos um bloco de carnaval aqui no Recife, Bloco da Besta Fubana, e, quando inventei de criar um blogue na internet, batizei de imediato de “Jornal da Besta Fubana“. É isto. Agora, só falta mesmo uma time de futebol: Besta Fubana Futebol Clube. Não tem time, mas já tem uma torcida organizada, do Santa Cruz. Os torcedores do tricolor que moram em Brasília inventaram esta presepada, me pediram permissão pra usar o nome e, claro, eu dei. Tem até página na internet.

De modo que, repito, a Igreja Católica Apostólica Sertaneja – ICAS, da qual eu sou Papa, é outra história. É outro departamento. Embora todo mundo misture as coisas e pense que as duas entidades, Igreja e JBF, são a mesma coisa. Não são. Não são mesmo.

Até porque na Igreja não se discute política, e nela existem clérigos, desde padres até cardeais, de todas as tendências, da extrema esquerda até a extrema direita. Existem padres que votaram em Dilma e padres que votaram em Aécio. Brigam que só a porra. Na rua e nos botecos. Mas na nossa igreja convivem pacificamente uns com os outros.

No Jornal da Besta Fubana, aberto, democrático e que publica de tudo e de todos, muita gente, que não pensa igual a mim, costumar xingar assim: “Papa, filho da puta!“, quando o xingamento correto deveria ser “Editor, filho da puta“.

Pra entrar pra Igreja basta fazer como você fez: pedir pra entrar. Só isto. E este aviso serve pra qualquer leitor do JBF que esteja interessado. Agora, pra subir na hierarquia eclesiástica, pra galgar postos e promoções, aí é outra conversa… Precisa bajular e puxar muito o saco do Papa…

Oportunamente eu vou esclarecer tudo pessoalmente pra você, na sua vinda próxima ao Recife, acompanhado do Padre Zé Paulo, conforme ele já me informou. Vamos jogar conversa fora e falar mal da vida alheia aqui no terraço do Palácio Pontifício, como sempre acontece no nosso ritual eclesiástico.

Seja bem vindo a este antro escroto, um grande abraço e muito obrigado pelo contato!

IVON DO SACRAMENTO QUEIROZ – MANAUS-AM

Caro Berto,

Dá só uma olhada neste vídeo que circula na web!

Trata-se de vídeo feito com trecho de uma reportagem da TV Amapá, afiliada da Rede Amazônica de Televisão, em que flagra o nosso “honrado” senador José Sarney votando no candidato Aécio Neves.

Nessas alturas, a petralhada deve estar achando que o seu aliado predileto não é mesmo uma pessoa comum.

Forte abraço.

R. Meu caro, este vídeo tá fazendo um sucesso da porra na internet. Já recebi inúmeras mensagens contendo estas imagens. Como se isso fosse coisa de causar espanto, perplexidade ou indignação.

As pessoas esquecem que Sarnay é da base aliada do PT e que Lula, como você lembrou na sua mensagem, já decretou que Sarney “não pode ser julgado como uma pessoa comum“.

De uma figura que convive com outras figuras semelhantes dentro daquele esgoto apelidado de “base aliada”, não se pode pode exigir coisas como lealdade, coerência, dignidade ou princípios. Votar em Aécio sendo Dilma a candidata apoiada por seu partido, é um ato de Sarney perfeitamente coerente com o fato de ser ele aliado de Lula.

Não esqueça disto: Sarney está no mesmo time onde jogam Rui Falcão e Gilberto Carvalho. E dito isto, tudo está dito.

AUTO_jarbas

Eu só gostaria de fazer uma observação.

Duas coisas são bem perceptíveis no vídeo:

– Sarney pula a primeira fileira de três teclas (onde estão localizados os números 1, 2 e 3), vai pra segunda fileira (onde estão os números 4, 5 e 6), e ali digita o seu voto; quem estiver em dúvida, volte lá e reveja o vídeo;

– A foto que aparece na tela, após ele votar, pode até parecer com um Dragão, mas num é Dilma de jeito nenhum!

voto sarney

Como o Sarney é aliado do PT, já deve ter incorporado aos seus costumes a mania do partido vermêio-istrelado de desmentir o óbvio: com toda certeza o maranhense vai soltar uma nota dizendo que as imagens deste vídeo são mentirosas.

Se lembra que Barba decretou, há tempos, que “imagens não querem dizer nada“? Pois é. É isto.

A culpa é de quem filmou, que deve ser processado.

Assim como a culpa não é dos corruptos que roubaram a Petrobras. A culpa é da revista que publicou o fato, que deve ser processada.

Agora, veja o mesmo vídeo depois de editado, transformado em reportagem no Amapá, estado pelo qual Sarney é senador. A parte em que aparece Sarney votando em Aécio-45 foi cortada.

Preste atenção, também, no nome da rede de televisão que fez a matéria: Rede Globo.

E o colunista fubânico Luciano Siqueira, eleitor de Dilma e nome de destaque do PCdoB, ainda vive dizendo, redizendo, escrevendo e reescrevendo que a “grande mídia” só faz prejudicar e ser parcial com o PT e seus aliados. Aliados assim feito Sarney…

Ele(s) tem razão: regulação da “grande mídia” já, para fortalecimento da democracia, da liberdade de expressão e da livre imprensa!

LOURDES MEIRA – CAMPINA GRANDE-PB

bom dia, senhor editor,

veja que definição perfeita recebi do meu filho:

“petista é igual corno apaixonado: você fala, mostra prova, mostra fotos, mostra fatos reais, explica, desenha… mas não adianta!

e no fim ele continua cego de amor e você sai como o errado, o destruidor de lar.”

ele me disse que copiou do face.

abraços e muito sucesso

R. Caríssima leitora, confesso a você que fazia tempo que eu não via uma definição, uma comparação tão perfeita quanto esta.

Ela cabe certinho, cabe como uma luva, pra certos comentaristas que conheço aqui no JBF. Eles agem igualzinho àqueles cornos que mandam tirar o sofá da sala quando dão o flagrante e pegam a esposa trepando em cima do dito sofá. A culpa é do sofá.

Teve corrupção na Petrobras? Então processa a revista que denunciou.

É o comportamento petralho-cornífero.

Esta comparação que você nos mandou, cara leitora, tá simplesmente no ponto, na medida!

E, já que o tema é corno, vou aproveitar sua cartinha como pretexto pra falar de um assunto que esteve em destaque na semana passada.

É sobre aquela história do petralha que é prisidente do Banco do Brasil e que concedeu empréstimo pra um pé-de-rabo com juros tão baixos que só mesmo sendo coisa de Urso pra Galheira.

o-presidente-e-val

Pé-de-Lã e Chifronilda: uma dupla deslumbrantemente banânica

O assunto foi tema em tudo quanto é jornal e revista, e dele se ocupou Carlos Brickamann aqui no JBF (clique aqui para ler)

Agora, veja só esta notícia que saiu há poucos dias:

Aldemir Bendine, presidente do Banco do Brasil e Val Marchiori foram vistos juntos em missões oficiais do banco, em Buenos Aires e no Rio, hospedados no mesmo hotel. Ele alega coincidência, enquanto seu ex-motorista garante que ia buscar Val em diversos lugares, a pedido de Bendine, agora acusado de ter facilitado empréstimo de R$ 2,7 milhões para uma empresa dela. Bendine, casado, é um grande amigo de Val: quando ela participava de um programa de TV fazendo entrevistas, o Banco do Brasil patrocinava a compra do horário. Evaldo Ulinski, com quem Val tem dois filhos, nunca se importou com a amizade deles: tem total confiança em sua mulher que, a propósito, estava tentado junto ao BB um empréstimo para sua empresa Big Frango.

Depois que li esta notícia, falando sobre o conformado marido da galheira, eu acho que, ao invés de Big Frango, o nome mais apropriado para a empresa dele seria Big Alce.

Ou, bananicamente, Big Boi.

E no logotipo apareceria um touro com chifres enormes, como este da ilustração abaixo:

chifrudo

O Urso Pé-de-Lã, Aldemir Bendine, o generoso prisidente da empresa estatal Banco do Brasil, pode contratar os serviços do Departamento de Ilustração do JBF que faremos o logotipo por módico preço. Precinho bem camarada mesmo.

Pra fechar esta postagem, só mais uma informação:

O prisidente petralha do Banco do Brasil, o Urso cumedor Aldemir Bendine, não perde nenhuma oportunidade em rodas de conversas pra dizer que se orgulha de ser amigo pessoal de Gilberto Carvalho, secretário-geral da Presidência, xeleléu-mor e maior cheira-peido de Lula.

Ou seja: Bendine é tolôte do mesmo pinico da gangue palaciana.

ITARARÉ LIMEIRA – NATAL-RN

Prezado Editor,

Sou Nordestino da gema, do Sertão Potiguar,  já morei no Sudeste e penso que esta discussão sobre a divisão eleitoral/ideológica entre regiões é causada por uma parcela da população, ignorante, preconceituosa, disseminada por todo o país, mas felizmente minoritária, apesar do barulho que faz.

Devemos tomar cuidado com o uso político dela, que é empregado em época eleitoral para induzir o voto baseado em sentimentos raivosos e não em reflexão serena. Só beneficia os demagogos.

O que pode ser facilmente constatado é que populações que apresentam maior fragilidade econômica/social, são mais susceptíveis às ações governamentais e mais facilmente induzidas ao “voto de gratidão”, quer seja aqui no Nordeste, no Vale do Jequitinhonha mineiro, no Vale da Ribeira paulista e nas áreas periféricas de todas as capitais, ou seja, não tem o DNA de uma região específica.

Foi assim na época dos governos da Arena, do PFL, do PMDB, do PSDB e agora do PT. É compreensível e só será remediado pelo desenvolvimento econômico, aprimoramento educacional e pela eliminação da tradição sebastianista dos salvadores da pátria, em suma, pelo fortalecimento da sociedade civil não tutelada.

O resto é exploração política da justíssima indignação dos atingidos e de todas as pessoas de bem, com as opiniões preconceituosas de uma minoria idiota.

O Brasil é um só, devemos lutar para que assim permaneça, admiravelmente enriquecido pela nossa diversidade regional, cultural, linguística, racial, etc.

A única diversidade que deve ser eliminada é a da desigualdade sócio/econômica que tanto nos envergonha como nação.

Abraços

PS: Quem sabe não possamos aproveitar a oportunidade e exportar para o rico São Paulo a nossa tecnologia das procissões pedindo chuva.

thomate

Pode nos trazer divisas e gerar “emprego e renda” por aqui, como dizem nossos políticos.

Calma, internautas sensíveis, estou brincando…

MARCOS TONIZZA – SÃO PAULO-SP

Caro Editor

Talvez a Chupicleide esteja atrapalhada com muitas correspondências por causa das eleições.

Se a caixa estiver lotada pode descartar.

Caso tenha espaço e ache conveniente, segue um desabafo.

Bom, para tentar encerrar minha decepção com as eleições e com o povo brasileiro vou dizer que:

Semana passada eu falei que não tinha visto ninguém falando mal de nordestinos e pobres no meu facebook. Hoje vejo alguns posts criticando os nordestinos. Na qualidade de meio paulista e meio nordestino posso dar minha opinião.

1 – O PT conseguiu dividir o país jogando pobre contra rico, empresário contra trabalhador e sulista contra nordestino.

2 – O problema não é ser nordestino ou não. O problema está no nível de educação, informação e nível social. Mesmo no nordeste, as pessoas que conheço e que tem melhor nível sócio econômico e cultural votaram contra o PT.

O ser humano tem a capacidade de fazer o julgamento de uma pessoa em apenas 2 minutos. Se você pegar um caipira, pobre e sem estudo lá dos rincões do Rio Grande do Sul e deixar o Lula conversar 10 minutos com ele, certamente o Lula terá esse eleitor nas mãos. Já um cidadão que tem estudo, que é capaz de ler e analisar uma notícia ou uma opinião de um jurista ou economista respeitável, que consegue fazer uma leitura realista do contexto macro da situação do país ou que já viajou o mundo e conhece outras realidades, que ganha sua vida independentemente sem precisar ficar esperando ajuda e benesses de outros, jamais se deixará enganar por uma conversa mole, por uma promessa ou pela ilusão de que “agora é a vez de nóis pobres”.

Se você pegar, o tiozinho ali da esquina, semi analfabeto, coitadinho de tudo, vindo lá do pé de serra, seja da região norte ou sul e perguntar para ele o que ele acha, certamente ele terá a opinião dele. Uma opinião limitada, travada e absolutamente desconectada dos fatos, da história, da visão de futuro e da visão do mundo, mas terá sua opinião. Dependendo da personalidade dele, poderá ser defendida com unhas e dentes, com os argumentos mais mentecaptos possíveis, assim como vimos esses dias. Até gente dizendo que o Lula pagou a dívida externa ou vi, o que é uma prova de que a pessoa simplesmente estava desconectada do mundo real.

Dizer que agora pobre anda de avião, que empregada usa mesmo perfume da patroa ou que filho de pobre pode estudar no exterior são frases de efeito que o tiozinho mencionado acima certamente achará uma maravilha e acreditará no espertalhão que a proferir, até porque isso é uma coisa que ele gostaria que fosse verdade (e qualquer ser humano sadio também gostaria de ver em nosso país). Tiozinhos e assemelhados (entendam bem a parábola que fiz com o “tiozinho”) existem em grande número em todo o país.

É praticamente a maioria da nação e o PT sabe muito bem como jogar com eles. A culpa não é dos nordestinos. A culpa é dos Tiozinhos de norte a sul, se é que você me entende. Tem exceções, é claro. Chico Buarque não é igual ao tiozinho, mama nas tetas do governo. Algumas pessoas são crédulas, acreditam num ideal de justiça e igualdade (sinceros parabéns), mas não conseguem fazer a leitura de que não é com essa gente do PT que conseguiremos isso. Simples assim, mas não estou a fim de desenhar.

MARCOS MAIRTON – FORTALEZA-CE

MINHA IMPRESSÃO DA ELEIÇÃO

Para mim, essa eleição para presidente, acirrada como foi, teve pelo menos um lado positivo: clarear minha visão a respeito da percepção que pessoas próximas a mim têm da realidade em que vivemos, e dos critérios que utilizam na escolha de quem deve ocupar a presidência da República.

Por todo o primeiro semestre deste ano, eu encontrava cotidianamente com pessoas indignadas com a gastança descontrolada dos estádios para a Copa das Copas, além de outras obras intermináveis e de custos sempre crescentes, como a transposição do São Francisco e da Ferrovia Transnordestina.

Passada a Copa, entrou na pauta o repúdio das pessoas aos desvios de recursos na Petrobrás, em um esquema parecido com o do mensalão, só que muito maior.

Até um mês atrás – ou menos que isso – eu estava habituado a ver as pessoas de meu convívio se queixarem do fato de sairem de casa para o trabalho e ficarem boa parte do percurso presas no trânsito caótico; do medo que sentem quando estão no trânsito, porque frequentemente pessoas nessa condição são assaltadas; do fato de não poderem optar por fazer o percurso por meio do transporte público, porque este inexiste ou é de baixa qualidade; do preço das mensalidades escolares, porque, além de a escola pública ser muito ruim, as particulares têm se tornado cada vez mais caras; de inúmeros problemas que assolam o país, como estradas inseguras, presídios lotados, explosões frequentes de caixas eletrônicos e paro por aqui para o parágrafo não ficar longa demais.

Diante de tal quadro, inquietava-me ver as pesquisas de opinião apontando a candidata à reeleição sempre à frente, com possibilidade até de vitória no primeiro turno. Como isso poderia ser possível? E sempre havia alguém por perto, para dizer que a liderança era dada por pessoas desinformadas, que dependiam de programas sociais do governo.

Que nada. À medida que o segundo turno da eleição presidencial se aproximava, e a opção por quem deveria ser o próximo presidente ganhava espaço nas conversas, aqueles colegas de trabalho, parentes e amigos que pareciam mais alheios às discussões, e que antes assistiam calados às manifestações de insatisfação dos outros, começaram a revelar seus sentimentos:

– Deus me livre de voltar aos tempos de FHC – dizia um.

– Essa questão da corrupção é relativa – ponderava outro. – Vai dizer que não tinha corrupção no governo do PSDB?

– De qualquer maneira, a vida do pobre melhorou… – argumentava um terceiro.

E logo vinha à tona a história dos pobres nos aeroportos, dos negros na universidade, da perseguição da mídia contra aqueles que não se curvam ao capitalismo. Nenhuma dessas pessoas a quem me refiro estava interessada em falar sobre corrupção ou superfaturamento de obras. “Isso é coisa que sempre existiu”, diziam, “só está sendo remexida agora por que interessa aos donos do poder econômico e da mídia”.

O resultado vindo das urnas já sabemos. Apesar da vitória apertada, a presidência continuará sob o comando do mesmo partido.

Não tenho maiores problemas quanto a isso. Sou apenas um cidadão desejoso de ter um país melhor, sem ligação com partido algum. Se a maioria decidiu manter as coisas como estão, que assim seja.

Mas, fica para mim uma lição: equivoca-se quem pensa que a presidente foi reeleita apenas pelos que recebem bolsa família, por pessoas de pouca formação ou sem acesso à informação. Nesta eleição, encontrei gente bem remunerada, formada e informada que realmente aposta na forma como a nação vem sendo conduzida, ou, pelo menos, que ainda não surgiu em nosso país alternativa melhor.

Chamar essa pessoas de petralhas não as convencerá a mudar de ideia. Apesar de decepcionadas com os casos de corrupção, constrangidas até, consideram o discurso da inclusão social mais importante. Nesse ponto, é forçoso reconhecer que os partidos que hoje representam a oposição não convencem quando combatem esse discurso, nem tampouco quando o adotam.

Concluo, daí, que a bandeira da moralização da política dificilmente conduzirá à alternância do poder, que tantos desejaram nessa eleição. O combate à corrupção pode até levar alguns políticos à perda de seus cargos ou a condenações penais, mas uma quantidade considerável de eleitores não será sensibilizada para grandes mudanças. Em parte, porque não acredita na superioridade ética daqueles que têm se apresentado como alternativa aos governantes atuais, em parte porque o povo brasileiro já demonstrou ser muito tolerante com a corrupção. Levar vantagem indevidamente, no Brasil, não é algo muito reprovável, ainda mais se quem sofre a lesão é a coisa pública.

Adepto da máxima segundo a qual são as idéias que movem o mundo, fiquei com a impressão de que só o surgimento de novas ideias e novos ideais gerará uma verdadeira transformação política no país.

INÁCIO STRIEDER – RECIFE-PE

Luiz Berto:

Como se explica que no 1º turno Dilma tenha perdido em Pernambuco, e no 2º turno tenha recebido 70% dos votos?

Como se explica que em Minas Gerais Aécio tenha tido 92% de aprovação ao final de seu Governo e agora tenha perdido?

Isto se deve a vírus mentais, ou a vírus eletrônicos?

Fica-se perplexo!

Por que o Japão, os Estados Unidos e a Europa ainda não compraram o sistema eletrônico de votar do Brasil?

Com estima e consideração.

R. Conheço gente que acredita, sinceramente, que estas eleições para prisidente da República Federativa de Banânia ocorreram dentro da maior lisura, de modo honesto, de maneira transparente e que não houve,  de maneira algum!, violação ou fraude nas urnas eletrônicas.

O fubânico Crente Sincero, eleitor de Dilma, por exemplo, é um deles. Mesmo com todas as gritantes evidências que você citou, meu caro colunista. Fora outras, várias outras evidências.

Eu quero chamar a atenção apenas para um detalhe. É o seguinte:

As urnas eletrônicas são cuidadas, calibradas, preparadas, gerenciadas, programadas, distribuídas, azeitadas e, após a votação, apuradas, uma a uma, de maneira centralizada, por um órgão chamado Tribunal Superior Eleitoral.

Neste presente momento, a direção suprema desse órgão, o TSE, está nas mãos de um paulista chamado José Antonio Dias Toffoli, que vai fazer 47 anos de idade no próximo mês de novembro,

Do currículo de Dias Toffoli constam, entre outros, os seguintes itens:

– Consultor Jurídico da CUT

– Assessor Parlamentar de deputado do PT na Assembleia de São Paulo

– Assessor da Liderança do PT na Câmara dos Deputados

– Advogado do PT nas campanhas do ex-prisidente Lula nos anos de 1998, 2002 e 2006

– Subchefe de Assuntos Jurídicos da Casa Civil tendo José Dirceu como chefe

– Advogado Geral da União nomeado por Lula em 2007

– Ministro do STF nomeado por Lula em 2009.

Para este último cargo, Ministro do STF, o Art. 101 da Constituição Federal estabelece que o indicado deve preencher três condições: ter mais de 35 anos de idade (e menos de 65), ter notável saber jurídico e ter reputação ilibada.

Quando foi nomeado por Lula, Toffoli preenchia apenas a condição da idade mínima. Não tinha (e continua não tendo) notável saber jurídico porque foi reprovado duas vezes em concursos pra juiz de 1ª instância. E também não tinha reputação ilibada porque foi condenado a devolver ao governo do Amapá dinheiro ganho ilicitamente dos cofres públicos.

Se quiser saber de mais coisas sobre esta figura típica de República Federativa de Banânia no Socialismo Muderno, inclusive sobre a festa de posse dele no STF, que custou 40 mil reais e foi patrocinada pela Caixa Econômica, clique aqui

toffoli-lula

A família Barba da Silva no dia da posse de Dias Toffolli no STF, em outubro de 2009; aos fundos, de papagaio-de-pirata, o notório, o inesquecível Marcio Thomaz Bastos, milionário grã causídico do PT

Caro colunista, repasso pros nossos argutos leitores a pergunta que você fez na sua mensagem, a propósito das inexplicáveis e surpreendentes mudanças nos índices de Aécio Neves, acontecidos em Pernambuco e em Minas Gerais. Vou repetir as palavras que usei: mudanças inexplicáveis e surpreendentes.

As mudanças teriam sido causadas por vírus mentais ou por vírus eletrônicos?

E acrescento uma terceira alternativa: teriam sido causadas por vírus sabotístico-petralhal?

Eu sempre lembro, digo, redigo e ressalto: não esqueçam nunca que vivemos numa república banânica desde o dia 1º de janeiro de 2003.

Quanto ao fato de Japão, Estados Unidos e Europa não terem ainda comprado o sistema eletrônico de votação de Banânia, é porque nesses três recantos de mundo a fraude petralhística de resultados eleitorais é crime sério, passível de processo e os sabotadores, que são invariavelmente condenados, pegam penas altíssimas.

Sem direito a “progressão” ou a cumprimento da pena no conforto das mansões dos condenados.

LUIZ LEAL – CASIMIRO DE ABREU-RJ

Frase atualíssima:

“Se os porcos pudessem votar, o homem com o balde seria eleito sempre, não importa quantos porcos ele já tenha abatido no recinto ao lado.

Orson Scott Card

porcos

R. Por acaso, será que tu tá querendo insinuar que são porcos os que votaram ontem em Dilma???

É isso mesmo??

Porque se for isso mesmo, eu acho que tu errou.

Já me disseram que eleitor do PT não é porco. É apenas jumento. Uma afirmação com a qual eu não concordo, de modo algum. Não custa nada dizer isto.

Veja isso aí, por favor.

ADAIL AUGUSTO AGOSTINI – ALEGRETE-RS

Sr. Editor:

Enquanto isso, no Rio Grande do Sul, o derrotado Atraso Genro declarou – antes de sumir!!! – que vai se inscrever no Pronatec.

Ou seja, vai obedecer o conselho que a Anta Gorda deu àquela indecisa do debate da Globo, que é economista e está desempregada porque tem 55 anos.

Mas na verdade o quê aconteceu está registrado na foto abaixo.

Abraços.

Tarso-RS


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa