19 novembro 2013 CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

PEDRO MALTA – RIO DE JANEIRO-RJ

Santidade

Divulgue.

Pode ser que algum leitor dessa gazeta da bixiga lixa esteja  necessitando  de tão valioso  cartão.

R. A safadeza vermêia do Socialismo Muderno está tão vulgarizada e rotineira que chegamos a esse ponto de deboche.

Vôte!

Bolsa-Puta só em Banânia mesmo!

19 novembro 2013 CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

GIBSON AZEVEDO – NATAL-RN

Aí vai a minha colaboração para festejar o sucesso deste nosso confrade Zé Bento de Raimundo Pomba Mansa, homem da região do Seridó, que conseguiu tal êxito depois de uma desdita que o nosso clima fez com o mesmo.

No entanto, com a ajuda de parentes e amigos, o cidadão descobriu a fartura de outras terras, como podemos ver neste instantâneo, e dela nunca mais se afastou.

Como se vê, o aperreio lhe deu alguma esperteza…

R. Informo aos leitores que o poeta Gibson, dentista de profissão lá na terra potiguar, está fazendo referências a uma postagem contendo glosa do colunista Jesus de Rita de Miúdo (clique aqui para conferir).

Seja bem vindo a este antro escroto, meu caro.

Use e abuse deste espaço.

Glosa 11

Eu quero mamar cem anos
Pendurado nesses peitos.

Pra curar meus desenganos
Apojo de boca cheia…
Se meu libido incendeia,
Eu quero mamar cem anos.
Já sofri dias tiranos,
Já vivi sonhos desfeitos,
Já cavuquei muitos eitos
Sem conseguir resultado,
Hoje eu vivo amparado,
Pendurado nesses peitos!

19 novembro 2013 CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

JOSÉ PAULO CAVALCANTI FILHO – RECIFE-PE

Berto, queridíssimo.

Estou indo quinta a Portugal. De novo? De novo, amigo. Segunda seguinte tenho debate sobre o Padre António Vieira na Universidade de Coimbra. Terça, na Universidade de Aveiro. Quarta volto a Lisboa.

Quinta, abro em Lisboa, no Teatro Aberto, a III Conferência Internacional Fernando Pessoa.

Depois é ver amigos, encontrar gente, ir a leilões. Vale a pena. Aproveito e recebo algumas compras especiais que fiz, neste entretempo, como um Baleus e uma primeira edição dos Lusiadas (com o bico do pelicano para o lado certo).

Em resumo, Papa, a gente se diverte.

Volto na semana seguinte. Se quiser algo de lá, é só dizer. É só mandar. Será um prazer. Acredite que será um prazer.

E continuamos esperando a tertúlia prometida. Abraços do devoto.

R. Meu caro Padre, a tertúlia prometida será realizada no próximo mês de dezembro, aqui no Palácio Pontifício, antes do Natal. Avise pra Dona Lectícia, a mais nova imortal da Academia Pernambucana de Letras, que dou minha palavra. Pra marcar a data só estou dependendo da agenda de Jessier Quirino que, felizmente, voltou aos palcos após a cirurgia. É que ele quer reencontrar o ilustre casal.

Estou mesmo com saudades e precisando de rever pessoalmente sua pessoa, da qual só tenho notícias através daquilo que os tabacudos muderninhos chamam de “grande mídia”. Quando não é despachando no Planalto com a Presidenta Dilma, é sendo especulado pra ir pro STF…

Grato pelo generoso oferecimento. Mas, durante vossa estadia em terras d’além mar, só peço uma coisa: nos mande textos pra sua coluna, contando o sucesso que, com toda certeza, irá fazer nos eventos dos quais participará. Malassombrado fubânico brilha tanto aqui quanto lá fora.

Aliás, a propósito da viagem do ilustre casal José Paulo e Lectícia pra Lisboa, onde mantém um apartamento, eu vou aproveitar a oportunidade pra reproduzir alguns flagrantes feito pelo publicitário Giovanni Scandura, e que vieram parar nas minhas mãos. Por oportuno, informo que Scandura é citado num texto de outro colunista do JBF, Marcos Mairton, publicado em sua coluna no mês de abril de 2011.

Vejam só o prestígio mundial de um casal de fubânicos:

JPL1

JPL2

JPL3

18 novembro 2013 CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

GETULIO BRILHANTE DA SILVA – RIO DE JANEIRO-RJ

Caro Luiz Berto:

Acabei de ler sua coluna, no seu periódico virtual, encantado com a mesma.

Seu Jornal me lembra muito o falecido “O PASQUIM”, do qual fui leitor quase assíduo até o seu final, passando, ainda, a ler os sucedâneos, como o PASQUIM 21.

Ele é bastante interessante, só gostaria de saber como ele é publicado. Se semanalmente ou diariamente, pois pretendo me tornar um leitor bissexto.

R. Caro leitor, é uma pena que sua intenção seja tornar-se um frequentador “bissexto”, pois vai acabar perdendo muita coisa, já que esta gazeta é atualizada todos os dias.

Assunto é o que não falta: o gunverno é uma fonte perene de matérias pras nossas postagens. Como somos um blogue escroto, nossa especialidade é escrotidão. Sobretudo escrotidão administrativo-gunvernamental.

Muito grato mesmo pela generosidade de sua apreciação e pelo contato. Disponha sempre deste espaço.

E, já que você fez referências ao Pasquim, vou aproveitar a oportunidade pra transcrever trecho do que escrevi numa postagem do mês de setembro passado, em resposta a um outro leitor, residente em Cuiabá, que disse ser o JBF “o Pasquim dos tempos atuais”.

Veja o que respondi pra ele:

Declaro que fiquei ancho que só a porra por você comparar o JBF com o Pasquim. Mas é bom ressaltar que estamos falando do Pasquim dos velhos tempos, da oposição, do esculacho ao puder estabelecido. Depois que o semanário se aliou a Brizola, recebeu patrocínio do estado do Rio e passou a fazer o impossível, ou seja, “humor a favor”, a decadência veio numa velocidade espantosa.

Tenho aqui na minha estante uma antologia com todos os números do Pasquim entre 1969 e 1971, no auge da ditadura militar. Que o jornal fustigava com muita inteligência e sutileza, pra burlar a censura que então imperava. Nos dias de hoje, o bolivarianismo pretende trocar o nome da censura pra “controle social da mídia”. Os tempos e os gunvernos mudam, mas as cabeças dos tiranetes continuam intactas.

pasquim

Existem vários fubânicos que também foram leitores do Pasquim. Só que, enquanto nós continuamos na oposição e esculachando os puderosos, estes fubânicos são gunvernistas e xaleiradores que só a porra da elite gunvernista dominante, traindo tudo que o Pasquim representava em sua fase áurea.

O saudoso Millôr Fernandes, um intelectual honesto e que sempre estava do lado contrário dos poderosos, pulou fora daquele jornaleco que marcou época e revolucionou o jornalismo brasileiro assim que ele virou gunvernista.

Já os intelequituais de hoje em dia, tão tudo mamando num biquinho de peito gunvernamental ou recebendo uma Bolsa Ditadura, sem nem nunca ter passado sequer na calçada de um prisão. E, por conta disso, Millôr decretou: ““Quer dizer que eles pegam em armas contra o governo, perdem, e depois ganham dinheiro por que perderam? Isso não foi Revolução, foi Investimento!”. 

Como costuma dizer o fubânico gunvernista Todo Leso, “Tá bom pra tu???!!!”

17 novembro 2013 CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

HARDY GUEDES – CURITIBA-PR

Caro Papa Berto,

Conforme já prevíamos, Henrique Pizzolato, condenado pelo mensalão, conseguiu cidadania italiana e fugiu para lá. Disse que vai recorrer na Itália, já que aqui não vê possibilidade de um novo julgamento.

Será que conseguiremos trocá-lo pelo Cesare Battisti?

Isso era uma pedra cantada desde que ele conseguiu a cidadania italiana. Segundo as informações, há 45 dias se mandou via Paraguai.

Só a Polícia brasileira não sabia que isso iria acontecer.

Um abraço

R. Nada tenho a declarar sobre mais esta bananice.

Limito-me a transcrever um texto de Ricardo Setti que li na manhã deste domingo cheio de sol:

COISA DE PAÍS MEQUETREFE

É nisso que dá a legislação frouxa e as autoridades “compreensivas” que temos “neztepaiz”: o ladravaz condenado Henrique Pizzolato, ex-diretor de marketing do Banco do Brasil durante o lulalato e personagem de proa do processo do mensalão, se manda para a Itália, lançando mão da dupla nacionalidade de que dispõe, para escapar da merecida cadeia a que foi condenado no Brasil.AUTO_ota-

Pergunto: adianta condenar, oito anos depois de denunciada a bandalheira, após ingente trabalho do Supremo Tribunal Federal consubstanciado em 50 mil páginas de processo, se não há a menor preocupação de manter vigilância sobre os condenados depois que se tornou claríssimo que haveria condenação?

Pergunto de novo: adianta confiar na palavra de réu condenado, que prometia se apresentar?

Pergunto ainda uma vez: se ele escapuliu de Ponta Porã (MS) para Pedro Juan Caballero, no Paraguai, de onde seguiu para a Europa, como fica a vigilância de nossas fronteiras?

Neste caso, como em tantos outros, agimos como o que somos: um país mequetrefe, de terceira categoria, que não leva nada a sério, que não se dá o respeito, cujas autoridades, por negligência, debocham do povo brasileiro – um país que agora é humilhado internacionalmente por um criminoso de colarinho branco se dizendo perseguido político em plena vigência de um regime democrático.

E – ironia das ironias – o condenado foragido alega buscar uma suposta “justiça” na Itália, a mesma Itália onde o lulalato alegava que o terrorista e assassino Cesare Battisti seria “perseguido” caso fosse, como deveria, extraditado do Brasil para lá pagar por seus crimes.

Agora, toca “eztepaiz” a lançar mão de toda uma série de providências jurídicas e diplomáticas intermináveis, de resultado incerto – uma vez que, sendo formalmente cidadão italiano, mesmo que ele desconheça por completo o idioma, é bem possível que a Itália não extradite Pizzolato para o Brasil -, para que o criminoso cumpra, aqui, sua pena.

Para ver a trabalheira que dará tentar trazer o ladrão de volta, e constatar o cinismo de quem, ainda por cima, critica a Justiça – e, naturalmente, a imprensa – do país, leiam a reportagem do site de Veja intitulada Pizzolato foge para a Itália e debocha das autoridades brasileiras. (Clique aqui para ler)

16 novembro 2013 CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

WALTER JORGE – PESQUEIRA-PE

Embora não acreditasse que o mensalão desse no que deu, fiz a letra e Nelson Valença colocou a melodia, no ano em que estourou o problema.

Agora é só festejar.

pop

Frevo-Canção: Bloco Do Mensalão – Autores: Walter Freitas e Nelson Valença – Cantor: Beto.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

16 novembro 2013 CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

RAIMUNDO FLORIANO – BRASÍLIA-DF

Senhor Redator,

No intuito de resgatar a imagem do homem probo, sério, honesto e magistrado exemplar que é o Dr. Ademar Vasconcelos, deveras enxovalhada pela matéria aqui estampada ontem, na coluna Deu no Jornal, intitulada Corte Inócua, de autoria de Josias de Souza, solicito-lhe a publicação da entrevista abaixo, escaneada da revista Veja datada de 20.11.13, Página 68.

Atenciosamente

sst

R. Quando editei e coloquei no ar o texto escrito por Josias de Souza, no dia de ontem, senti uma tristeza imensa, por conta das informações ali contidas. Nós, que somos da banda decente – que ao invés de ficar explicando e justificando os malfeitos, denunciamos a podridão -, sempre ficamos decepcionados com este tipo de comportamento, como o que Josias disse que havia se comportado o juiz.

Todavia, a mesma tristeza de ontem foi substituída pela alegria de hoje, por conta deste cabal desmentido de Raimundo Floriano, colunista do JBF.

Por oportuno, não posso deixar de ressaltar o caráter democrático e plural deste blogue, aberto a todas opiniões, tendências e manifestações do livre pensamento.

E, por medida de justiça, é importante ressaltar que Josias de Souza, quando escreveu seu texto, se baseou em matéria escrita pela repórter Mariana Haubert para a Folha de S.Paulo, publicada ontem, dia 15 de novembro, e que já conta com quase 60 comentários. Para ler, basta clicar aqui.

Entre o que o juiz declarou para a jornalista da Folha e o que declarou para a revista Veja, prefiro ficar com a última alternativa.

15 novembro 2013 CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

VICENTE ALENCAR RIBEIRO – BONITO DE SANTA FÉ-PB

PRESENÇA DE ESPÍRITO

Chico Brito era um grande conhecido de sua comuna. Substancialmente pelo fato de não gostar de cumprir com os seus negócios e compromissos. O fato de não gostar de pagar a ninguém, lhe gerou o singelo pseudônimo de “esquecido”.

Certa feita, lá ia Chico Brito em sua surrada cinquentinha, quando vislumbrou um homem salgando, pendurado em uma corda, um lindo quanto de bode. O velho Chico esquecido parou a sua lambreta e de súbito perguntou:

– A como é que tá o quilo?

O esperto comerciante, olhando de soslaio, respondeu:

– Estou salgando pra não perder!

E como nada tivesse acontecido lá se foi Chico Brito, ou Chico esquecido, como queiram.

Na ânsia interminável de aplicar uma das suas, Chico Brito ou Chico esquecido, não sei como devo conceituar, dirigiu-se ao centro da sua pequena cidade. Parou a sua cinquentinha, desligou a chave e saiu andando. Chutando latas.

Chegou defronte a uma agência bancária e deparou-se com o seu compadre Mané dos doces, com uma banquinha na calçada do banco vendendo as suas gostosas e famosas cocadas. Por coincidência, no exato momento em que Mané passava o troco a um cliente. Chico, ao perceber a grande quantidade de cédulas nas mãos do humilde comerciante, de pronto, abordou:

– Compadre, me quebre um grande galho!

O velho Mané dos doces, já sabendo que naquele mato tinha coelho, respondeu serenamente:

– Pois não compadre. Em que posso servi-lo?

– O seu interlocutor, foi direto, curto e certeiro:

– Me empreste vinte Reais!

Mané dos doces, que também era conhecido pela notável presença de espírito que lhe era peculiar, retrucou com desdém:

– Compadre, como você está vendo, dinheiro eu tenho bastante e poderia lhe emprestar até mais. Porém não posso atender o seu importante pleito!

Chico Brito sem nada entender, interrogou:

– Mas por que compadre que você não pode me emprestar?

Mané dos doces, saiu com essa pérola:

– Compadre, e que eu tenho um pacto com o gerente desse banco: nem ele pode vender cocadas lá dentro, nem eu posso empestar dinheiro aqui fora!

E de novo, lá se foi Chico Brito, como nada tivesse acontecido.

15 novembro 2013 CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

PATRICIA PAMPLONA – RIO DE JANEIRO-RJ

Olá, Luiz Berto.

Estou fazendo o licenciamento de obras para uma exposição em Recife e procuro o contato de familiares e parentes de autores como:

– Pinto do Monteiro
– Manoel Xudu
– Lourival Batista Patriota
– Zé Bernardino

Saberia me ajudar?

Obrigada e abraços.

R. Patrícia é jornalista e pesquisadora da Ficheiro, uma empresa do Rio de Janeiro que oferece conteúdo para a produção de projetos institucionais, cinema, TV, ví­deo, exposições, programação gráfica e editorial.

Todos os citados por ela são grandes nomes da cantoria de repente e da poesia popular nordestina.

E, como não falta admiradores e estudiosos do gênero aqui no meio fubânico, tenho certeza que vai aparecer ajuda pra nossa distinta leitora.

Quem puder ajudar, por favor, faça contato.

15 novembro 2013 CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

ROSEMBERG FAÇANHA REIS – MARACANAÚ-CE

Mundo Complexo Parte II

Poesias lúdicas submissas a minha arte
Meu universo paralelo habitados por metáforas
Quimeras particulares em evolução abstrata
Flertando com o caos singular,métrica versus insanidade

Sede de conhecimento,suavizando harmonia
Inquietação da alma,meus versos,meus traumas
Tudo ao meu redor me inspira,complexa saga
Jardim das letras,pétalas de sabedoria

Eloquência de aroma afável,doce bonança
O poeta decifra códigos,enigmas,mistérios
Tornando um só com as palavras,intenso elo

Formatando sonhos,belas criações
Segue a jornada,por esse mundo ardil
Mendigando aplausos e impuros elogios…

14 novembro 2013 CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

PEDRO MALTA – RIO DE JANEIRO-RJ

Santidade,

A modelo britânica Abigail Clancy foi para um evento utilizando o vestido que talvez seja o mais decotado dos últimos tempos, e não é exagero.

Veja as fotos e  diga se não é o mais ousado decote que  alguém pode exibir.

R. Os estrangeiros, como de costume, estão sempre atrasados em relação ao meu Brasil brasileiro, meu mulato inzoneiro.

Pois fique sabendo, prezado Cardeal, que as moças lá de Palmares já estão usando este tipo de roupa há muito tempo.

Elas costumam se vestir assim pra passear no jardim em frente à prefeitura, pra ir aos botecos e restaurantes, e pra assistir as aulas na faculdade local.

nua2nua1nua4nua3

12 novembro 2013 CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

BERNARDO – MACEIÓ-AL

Mestre Papa,

seguindo à risca os 1.000.000.000.000…manuais de preservação da natureza, importei uma japonesinha do outro lado do mundo para cuidar da flora que rodeia a sede do DS.

Já estou pensando em treinar algumas noviças para prestar o serviço nas diversas paróquias da ICAS. Contamos com a vossa santa aprovação.

Com os respeitos do Cardeal

JSP

12 novembro 2013 CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

JESUS DE RITA DE MIÚDO – ACARY DO SERIDÓ-RN

Meu Papa! Sua bênção.

Deus é grande, Santidade!

Essa seca da moléstia está acabando com o rebanho do sertão nordestino.

Até Zé de Bento do finado Raimundo Pomba Mansa, cabra lá do Sítio Castanha do Boi, município de Cruzeta, terras vizinhas ao meu Acary, tudo no nosso querido Seridó Potiguar, depois de perder todo o seu gado deu de inventar de passar a corda no pescoço. Queria morrer de desgosto pelas perdas, de fome e de agonia. E de corda.

Sua felicidade foi Tequinha de Mané Cisterna, prima de Geraldo dos Candeeiros que também morreu de aperreio depois que a luz elétrica chegou pelos sertões. Pois bem, Tequinha viu quando o cunhado passou falando sozinho com uma corda na mão e, já imaginando o pior, chamou Chico Rôla Cega para seguirem o abilolado.

Foram lhe encontrar debaixo de um Juazeiro, meio tonto, meio choroso, sentado num toco velho e carcomido, já escrevendo com um picado de carvão num pedaço de papel de saco de cimento o último bilhete de desculpas pela covardia, destinado à mãe e ao irmão Dondon, marido de Tequinha.

Salvaram-lhe a vida com argumentos benditos!

Pela sorte de ficar vivo, Zé de Bento – ou de Bentin, como muitos o chamam – solteirão convicto, foi levado para a capital a fim de esquecer o gado perdido e a vida de comer, ele próprio, xiquexique queimado.

Na capital, Pedro de Galão e Érriçon Forde (escrito assim mesmo), seus dois primos, se ocuparam de lhe mostrar as coisas da cidade grande com o intuito de espairecer as intenções suicidas de Zé de Bento.

Por sorte o desatinado conheceu pelas areias brancas da praia de Ponta Negra essa estrangeira amistosa da foto, holandesa das adjacências rurais de Utrecht:

Glosa 11

Foi paixão dupla, reciprocidade de tesão logo no primeiro olhar.

Zé de Bento, bruto, acavalado, quase um burro xucro, acostumado a lida de dificuldades, viu na branquela uma oportunidade de não mais passar fome. Jumento de tudo ele não é.

A estrangeira, por sua vez, dada à frieza da carne branca dos moços das suas plagas, viu na pele curtida pelo sol, um quase couro, de Zé de Bento a oportunidade de sentir o calor que faz lá no sertão dele, e nunca nas terras baixas dela. Coisa do acaso.

E o poeta filho de Dona Ritinha de Miúdo, que deveras nada tem a ver com essa paixão avassaladora que domou o seridoense retirando-o de sua convicção de solteiro, sabendo dessa quase prosopopeia real pensou em Zé de Bento cantando os seus aboios lá pelas estradas vicinais de Utrecht, tangendo vaca malhada entre os concelhos holandeses, cheirando bosta de gado estrangeiro enquanto é observado por sua mulher tricotando num alpendre e, quem sabe, olhando de soslaio para esse amor platônico vá rimando só para si o velho e bom Zé de Bento:

Eu quero mamar cem anos
Pendurado nesses peitos

Eu já tracei os meus planos
Não quero passar mais fome
E antes que ela me dome
Eu quero mamar cem anos
Nos dois seios soberanos
Quebrarei os meus preceitos
Nesses mamilos perfeitos
Virarei um bezerrinho
Mamando bem de mansinho
Pendurado nesses peitos.

Pedro de Galão me disse que Zé de Bento anda feliz e endinheirado.

Mais folgado que a bexiga taboca, empolado feito pinto em merda.

Pense!

12 novembro 2013 CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

VALMIR SIQUEIRA VASCONCELOS – JATI-CE

Papa Berto,

Saudações papais.

Veja que história mandaram para esse seu fã.

Um abraço.

O MINEIRIN E O CORONÉ

Dois mineiros reconhecidamente considerados “adversários”, um da cidade – o “Coroné”, e outro caipira do interior – o “Mineirim”, se encontraram na única barbearia da cidade.

Lá sentados, lado a lado, não trocaram uma só palavra.

Os barbeiros temiam iniciar qualquer conversa, pois poderia descambar para discussão, e o Coroné tinha fama de brabo e sempre andava armado.

Terminaram a barba de seus clientes, mais ou menos ao mesmo tempo.

O barbeiro que atendeu o Coroné estendeu o braço para pegar a loção pós-barba e oferecer, no que foi interrompido rapidamente por seu cliente, que disse:

– Não, obrigado. A minha esposa vai sentir o cheiro e pensar que eu estive num puteiro.

O outro barbeiro virou-se para o Mineirim:

– E o senhor? – indagou.

– Uai, popassá, sô! Mia muié num sabe memo como é cheiro de puteiro. Nunca trabaiô pur lá…   (A barbearia está fechada até hoje, para reforma)

12 novembro 2013 CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

MARCOS MAIRTON – FORTALEZA-CE

Papa Berto,

na Internet circulam vários cartazes e letreiros que a gente não sabe se é de verdade ou foi criado só para tentar ser engraçado.

Essa frase de para-choques aí eu garanto que é verdadeira, porque eu mesmo fotografei. Foi semana passada, no bairro do Pirambu, em Fortaleza.

Aliás, é uma prova de que a fé não tem nada a ver com a condição econômica das pessoas.

puchado

12 novembro 2013 CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

ADAIL AUGUSTO AGOSTINI – ALEGRETE-RS

Sr. Luiz Berto:

O sujeito neste vídeo estuprou, matou e depois estuprou o cadáver. A guria tinha 14 anos.

Vejam o carinho com que os membros da Comissão de Direitos Humanos da OAB de São Paulo, representantes e portavozes dos advogados, tratam o estuprador e assassino.

Quando o monstro chora(?) e funga desconsolado – solícitos com sua “dor” – correm a lhe acalmar (com palavras doces) e lhe dar um copinho de água e até uma balinha de iogurte. Notem o sobrenome do advogado que (prontamente!!!) se oferece para defender o dito-cujo, pois é mais um “pobrezinho de um injustiçado social, fruto inocente e vítima indefesa das desigualdades geradas pelo capitalismo selvagem”.

Assistam as precisas e insistentes orientações finais que a OAB paulista – muito preocupada com o futuro do “anjinho” – lhe dá.

E quanto aos familiares da verdadeira vítima? Como sempre, NÃOESTÃO NEM AÍ!!!Este é um retrato fiel do que transformou-se – e pode ficar cada vez pior, se é que ainda é possivel!!! – a justiça no Bananil.

São eles e elas que ditam, ou melhor, impõe as normas e comportamentos de qualquer OAB, seja municipal, estadual e nacional!!! E não só das OABs. De todos os pontos chaves do mecanismo nacional, não importa em que área.

E duvido que algum dia saiam delas, pois as escolas, as faculdades e as universidades – infestadas pelo gramscismo e totalmente ideologizadas – vomitam todos os anos, mais e mais desses cérebros baldios (de todas as profissões) que já são a maioria dos formandos e formados !!!

Abraços.

R. A propósito desta mensagem e do vídeo que você nos mandou, caro leitor, lembrei-me de um fato interessante.

Um certo “procurador regional dos Direitos do Cidadão” está batalhando para libertar um dos mais perigosos e desequilibrados homicidas já aparecidos na história do crime neztepaiz. Um facínora que atende pelo nome de Champinha.

Pois o jornalista Augusto Nunes fez uma proposta arretado pro tal procurador. Uma proposta do cacete!

Quem quiser saber o que foi, clique aqui pra ler.

11 novembro 2013 CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

PALITOT VILLAR – NATAL-RN

Para o Jornal mais apreciado do Brasil “Besta Fubana

R. Por enquanto, por enquanto…

Afirmo, com toda modéstia, que a idéia é torna-lo o jornal mais apreciado do universo.

E vamos ao vídeo que você nos mandou, provando que safadeza e galhofa não são privilégio nosso: tem em tudo quanto é país do mundo.

Inclusive no Canadá, onde esta pegadinha foi montada:

11 novembro 2013 CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

ALAN ROMERO – CURITIBA-PE

Sou leitor do teu blog, que conheci pesquisando sobre o meu amigo Nonato Luiz.

Temos em comum a admiração pelo Orlando Tejo e, por isso, lembrei-me de te dar a dica de nossa modesta homenagem.

Sou produtor do programa de rádio Poemoda, transmitido pela Educativa FM, de Curitiba (eParaná).

Nesta semana, com grande satisfação, vamos apresentar o especial Zé Limeira! Será na próxima quarta, 23h, com reprise no sábado, 18h. Dá para ouvir online.

Durante a semana vamos postar poemas do Zé Limeira e músicas que selecionamos para o programa.

Clique aqui e veja o primeiro.

Abraços.

R. Excelente projeto, meu caro.

Saiba que é com muita alegria que recebo mensagens assim como a sua.

Só lamento que meu querido Orlando Tejo, atualmente morando no Recife e devastado pelo Mal de Alzheimer, não tenha qualquer condição de tomar conhecimento desta excelente iniciativa. pp

Os leitores fubânicos poderão ouvir a Educativa FM de Curitiba, em tempo real, clicando aqui. Segundo nos informa Alan Romero, os programas ficam disponíveis pra ser ouvidos ou baixados no 4Shared, cujos links são publicados a seguir ao término da reprise.

Ele convida os fubânicos para a curtir as postagens sobre Zé Limeira, informando que envia um alerta, via Facebook, meia hora antes do programa começar.

Disponha sempre deste espaço, meu caro.

Grato pelo contato e muito sucesso pro Poemoda!

11 novembro 2013 CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

ARIEVALDO VIANNA – FORTALEZA-CE

Papa Berto,

essa é uma RARIDADE!!!

Oiça e publique

A BRONCA DE LUDUGERO

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

11 novembro 2013 CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

PLEBEU DA ZELITE – PAU GRANDE-RJ

Santidade

A notícia abaixo, apenas divulga acontecimento normal no noticiário da mídia e no dia-a-dia da população destepaiz, que realmente é um país que vai pra frente e trata de duas causas banais: viadagem e racismo.

“Dois homens foram flagrados fazendo sexo nesta sexta-feira (8) dentro de uma sala de aula da Universidade Estácio de Sá, campus Norte Shopping, na Zona Norte do Rio. Outro aluno, que testemunhou a cena, chamou o segurança da instituição. De acordo com o 3º BPM (Méier), os rapazes teriam reagido à abordagem do segurança, que era negro, com xingamentos e palavras de racismo.

O caso foi registrado na 25ª DP (Engenho Novo). Os jovens vão responder por crime de atentado violento ao pudor, já que tentaram deixar a universidade sem roupas, e também por racismo.

Em nota, a Universidade Estácio de Sá afirmou que só um dos jovens é estudante da universidade. Disse também que acompanha o desenrolar do episódio junto às autoridades policiais e reafirma seu compromisso com a segurança e o bem-estar dos alunos dentro de suas dependências.”

Meu Santo Papa, ao ler esta notícia, uma questão me deixou muito preocupado. Meu pensamento foi direto na direção da virtuosa Maria do Rosário, secretária nacional dos direitos dos manos, defensora dos fracos e dos oprimidos, pois eu fiquei na dúvida sobre quem ela vai defender no caso presente.

Como não entendo muito sobre esses assuntos de justiça, peço a ajuda de Vossa Santidade, que és todo sabedoria e bom senso.

O senhor acha que ela vai tomar partido das duas bichonas que estavam distraidamente se enrabando-se em sala de aula ou vai defender o correto funcionário, ofendido por ser negro apenas por tentar desengatar o lúbrico casal de baitolas?

Sinta-se à vontade para responder a esta relevante questão.

R. Quando o Socialismo Muderno aprovar a lei que permite fuder em público, sejam trepadas de macho com macho, ou de fêmea com fêmea, não haverá este tipo de ocorrência repressora por parte de seguranças de educandários superiores. Será livre e democrático o exercício da sexualidade em qualquer espaço e a qualquer hora do dia, conforme pregam os manuais da mudernidade e do puliticamente correto.

Enquanto a lei num chega, vale a pena meditar sobre esta sua mensagem, caro leitor. Uma pendência entre baitola e negro… Putz… Você colocou a ministra numa sinuca da porra.

Estão faltando outras minorias excluídas neste enredo, minorias adoradas e canonizadas pelos defensores dos direitos zumanos, como estrupador, cheirador de coca, aleijado, fumador de maconha, cego duzoios, mouco duzouvidos e assaltante a mão armada, pra aumentar mais ainda o dilema de Maria da Novena.

A questão é séria e eu não queria estar na pele da galêga petista pra decidir tão angustiante dúvida: Quem eu devo defender: os xibungos brancos ou o segurança preto?

10 novembro 2013 CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

HARDY GUEDES – CURITIBA-PR

Caro Papa e leitores do JBF,

Vejam esse caso ocorrido na Coréia do Sul.

Um marido entrou com uma ação contra a esposa, porque ela lhe deu filhos feios demais.

Ele achou que ela o havia traído.

Segundo o marido, a filha do casal era tão feia que lhe causava horror.

Feitos os testes de DNA, ficou provado que os filhos eram dele, realmente.

Mas a esposa acabou confessando que havia gasto mais de 100.000 dólares em cirurgias plásticas, antes de conhecer o marido.

Resultado: o juiz mandou a mulher indenizar o marido em 120.000 dólares.

É mole ou quer mais?

Segue foto do casal e respectivos filhos.

coreanos

Caso alguém duvide da história, clique aqui.

Um abraço.

10 novembro 2013 CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

VICENTE ALENCAR RIBEIRO – BONITO DE SANTA FÉ-PB

Minha autoridade máxima,

Aproxima-se o Natal, época em que os sentimentos afloram com mais intensidade. Jesus Cristo, mais uma vez renascerá nos nossos corações dos justos.

antecipando tão substancial e signficativa efeméride, envio esta simples poesia, usando deste azo, para, de forma especial desejar um FELIZ NATAL e um VENTUROSO 2014 para vossa santidade e todos os fubânicos, meus pares e irmãos deste jornal da bixiga lixa.

Minha Árvore de Natal

Este ano com calma e paciência,
Vou armar minha Árvore de Natal.
A Jesus a Razão da minha festa,
Já orei pra que desse o sinal.

Como base sólida vou usar,
O amor de Deus que é infinito,
Os enfeites serão muito diferentes,
Pra tornar meu projeto mais bonito.

Clique aqui e leia este artigo completo »

10 novembro 2013 CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

PEDRO MALTA – RIO DE JANEIRO-RJ

Santidade

Por favor, divulgue nessa gazeta da bixiga lixa  o nome do Merisvaldo.

O preço é bom o atendimento também.

R. Hoje, domingo, é o dia ideal pra cortar o cabelo com ele…

MERISVALDO

EDNARDO CARVALHO – MOSSORO-RN

Quando o Coronel Ludugero sofreu o acidente em 1970, lembro de uma musica que na época não sabia, mas hoje sei que era em relação a esse acidente e para o artista Luiz Jacinto (Coronel Ludugero).

Na minha lembrança é o Trio Nordestino que gravou a musica, sei apenas o refrão dela:

É triste seu moço é triste,
é triste mais eu vou contar
a lamentável tragédia
na baia de Guajará…

Com seu maior conhecimento, talvez possa me ajudar a encontrar essa música com esse refrão.

Já procurei em várias páginas e não encontrei.

Desde já meus agradecimentos e um forte abraço.

R.. Caro leitor, esta música que você procura é de autoria da dupla J. Cavalcante e Osvaldo Oliveira e intitula-se “Norte e nordeste chorou“.

Foi gravada pelo Trio Nordestino em 1970, na coletânea “As melhores do Nordeste, Volume 2″.

É esta aqui:

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

De fato, a música se refere ao trágico acidente aéreo, acontecido no Pará, que tirou de nós o grande artista pernambucano Luiz Jacinto, nascido em Caruaru e criador do personagem Coroné Ludugero, juntamente com seu parceiro Irandir Costa, que fazia o personagem Otrope, secretário do Coroné.

Os dois viajavam muito, fazendo espetáculos e apresentações por todo o Norte e Nordeste. O acidente aconteceu em março de 1970, na Baia de Guajará, em Belém.

ludugero e otrope

Irandir Costa e Luiz Jacinto, nos papéis de Otrope e Coroné Ludugero

A morte dos dois foi uma perda irreparável pra cultura aqui da terrinha e pro astral brasileiro. Confesso a você que até hoje sinto falta deles e daquele humor ingênuo, daquela pureza matuta, agrestino-sertaneja, autenticamente nordestina, que os dois faziam.

Se vivo fosse, Luiz Jacinto estaria hoje com 84 anos de idade.

Vamos matar as saudades ouvindo algumas faixas:

A Carta de Filomena

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Amanhecer na Fazenda

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Coroné Ludugero na Escola

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

O Rabo do Jumento

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Coroné Ludugero Casa uma Filha

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

BERNARDO – MACEIÓ-AL

Mestre Papa,

batendo pernas pela internet, topei com essa figura pra lá de estranha.

BC

Como sei que o BF é um celeiro de especialistas em tudo no mundo, estou enviando na esperança de obter uma explicação científica.

Com os respeitos do Cardeal.

ORLANDO SILVEIRA – SÃO PAULO

Papa Berto:

Se eu estiver enganado, me corrija: o que temos é um Senado de merda.

Os números a seguir estão publicados no Estadão, em reportagem de Ricardo Brito e Fábio Fabrini. Eles falam por si. E nos dão conta do bordel em que o Senado foi transformado.

Aquela casa de viração conta com 81 senadores, alguns poucos, raros, da mais alta qualidade. Nada menos que 3.241 funcionários comissionados (não concursados) e 2.991 efetivos (concursados) estão à disposição dos achacadores do dinheiro público, eleitos por nós. O que, na média, significa dizer que cada senador dispõe de 77 funcionários. Nessa conta não entram os cerca de 2.000 trabalhadores terceirizados.

Sem contar os terceirizados, o Senado – a mais perdulária das casas de viração do país – gasta anualmente R$ 3 bilhões com a folha de pagamentos. Há dez anos, o gasto era de pouco mais de R$ 1 bilhão. Em valores corrigidos monetariamente, a despesa atual seria de R$ 1,83 bilhão.

Nos últimos dez anos, o Senado foi presidido por José Sarney (três vezes), Renan Calheiros (duas vezes), Tião Viana e Garibaldi Alves. Dois deles, ao menos, são o que se pode chamar de cidadãos abaixo de qualquer suspeita: Sarney e Renan. Não pode ser obra do acaso que se tenham transformado em aliados preferenciais de Lula, PT e Dilma. Ou seja: o que há dez anos já não era grande coisa ficou infinitamente pior.

Como os exemplos vêm de cima e os piores fazem escola, o que ali se faz é reproduzido, em menor ou maior escala, sem qualquer cerimônia, em praticamente todas as casas legislativas deste Brasil indolente.

Que bosta!

HARDY GUEDES – CURITIBA-PR

Caro Papa Berto,

Às vezes, sou meio lento de raciocínio e não entendo bem o que leio.

O Ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, disse que o monitoramento de diplomatas estrangeiros não foi espionagem, mas contraespionagem. (clique aqui para ler)

No meu dicionário, a palavra contraespionagem, por definição, é um substantivo feminino com o seguinte significado:

“1 ato ou efeito de combater as atividades de espiões inimigos.”

Assim, estou com as seguintes dúvidas atrozes:

1) Se foi contraespionagem, é por que estávamos sendo espionados por esses diplomatas? No caso, do Iraque, do Irã e da Rússia…?

2) Ou só desconfiamos e passamos para a ofensiva?

3) Esse Irã não é um país que era governado por um tal de Ahmadinejad, do qual Lula se aproximou? E se aproximou para que ele mandasse seus embaixadores nos espionarem?

4) Se estávamos sendo espionados por esses diplomatas, pegamos a espionagem americana como “bode espiatório” por puro marketing? Para podermos culpar os “imperialistas iankes”? Afinal de contas, estamos em ano eleitoral e os “zisqueristas festivos” adoram falar mal dos imperialistas iankes.

Na realidade, estou confuso com toda essa situação e não sei se estou raciocinando certo ou se devo apenas dizer sobre esse episódio:

“Não Sejam Ridículos!”

Um abraço

DON PABLITO – FORTALEZA-CE

Papa Berto

Eu estava fazendo alguns exercícios na academia, visando diminuir um pouco o bucho, quando eu vi uma jovem  andando por ali .. 

JJVV

Perguntei ao treinador ao meu lado:

“Qual máquina devo usar para impressionar aquela mocinha ali?”

O treinador olhou para mim e disse:

“Eu recomendaria o caixa eletrônico lá na frente.”

Ficar véi é uma merda mesmo.

R. Você usou a mesma expressão que foi usada pelo falecido Oscar Niemeyer, quando se tornou centenário e foi entrevistado por uma jovem repórter: “Como é fazer 100 anos?”.

E Niemeyer, bem sereno e de cabeça baixa:

“É uma merda, minha filha…”

HAROLDO CARNEIRO LEÃO – RECIFE-PE

Santo Pastor

Alguns porcos chauvinistas vão dizer que se a Presidenta tivesse um namorado todas os problemas do Brasil estariam resolvidos.

O PIB seria grande.

As Reservas grandes.

O Superávit Primário grande.

Jorraria petróleo das entranhas de Libra em abundância.

Trens correriam para todos os lados.

Água do São Francisco não faltaria nas torneiras nordestinas.

Enfim, a Mãe do PAC teria um consolo para os seus problemas.

Mas tudo não passa de especulação/esculhambação da mídia reacionária golpista. (clique aqui para ler)

dlmm

Não existe um Rosemary de calças e moto pelas bandas da capital federal como deixou bem claro a nossa Presidenta.

Se bem que ela queria…

Sua bênção.

R. Meu caro, o único cabra macho que teve coragem de cravar a pajaraca na Tabaca de Aço foi um senador de Brasília que atende pelo nome de Gim Argello.

Gim foi bem mais corajoso que Eike Batista, que não topou a parada e teve medo de encarar o Dragão, conforme foi registrado no flagrante abaixo:

mmhh

Gim Argello é um guabiru de altíssimo calibre, um corrupto que atua sem qualquer constrangimento e que fez fortuna e carreira política no Distrito Federal.

E, em sendo corrupto e saqueador de cofres públicos, é um homem de destaque e de grande importância na base aliada do gunverno do PT, presidido por Lula e gerenciado por Dilma.

Quanto à coragem que ele teve pra encarar a Dama do Priquito de Titânio, este assunto já foi tema de postagem aqui no JBF.

Sugiro ao nobre Padre Haroldo que dê uma olhada numa matéria publicada em março de 2012, clicando aqui, na qual existem dois links interessantes.

VALMIR SIQUEIRA VASCONCELOS – JATI-CE

Papa Berto,

Saudações eclesiásticas

Abaixo uma glosa feita por um dos maiores poetas de São José do Egito, que você deve conhecer com certeza, mas nunca é tarde para se relembrar uma grande poesia.

Um grande abraço do quase diácono.

R. Como não existe o posto de “quase diácono” na Igreja Sertaneja, informo que acabei de nomear você para o cargo de Padre.

Solicito ao Cardeal Jorge Macedo, encarregado do Cadastro Geral dos Clérigos, que faça o devido registro.

E vamos ao material que você nos mandou:

Job Patriota recebeu um mote de Raimundo Asfora, advogado de renome de Campina Grande (PB):

Eu quero teus seios puros
Na concha das minhas mãos.

Ele imediatamente disse:

Esses teus seios pulados
Nossos olhos insultando
São dois carvões faiscando
No fogão dos meus pecados
São dois punhais aguçados
Ameaçando os cristãos
Mas, pra meus lábios pagãos
São dois sapotis maduros
Eu quero teus seios puros
Na concha das minhas mãos.

HUGO LEONARDO – BRASÍLIA-DF

Querido Tio Berto,

Mais uma vez faço uso deste espaço altamente democrático, cultural e de utilidade pública (?) para divulgar outra composição minha, gravada por minha banda de Rock, Os Novos Candangos (para os que queiram conhecer, clicar aqui). Na verdade, não é bem uma composição minha pois a letra é uma adaptação da carta-testamento deixada por Getúlio Vargas, momentos antes de dar o tiro fatal em seu próprio peito. Eu fiz os devidos ajustes e algumas melodias conjuntamente com o exímio guitarrista Valmick D’Paula.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Antes que o senhor pergunte assustado, eu já respondo: Não, não sou fã, seguidor, partidário ou coisa parecida do ex-presidente suicida! Na verdade não tenho admiração, muito menos idolatria, por nenhum político, mesmo acreditando e até votando em alguns deles. O que acontece é que, desde a época da escola, sempre fiquei impressionado pela citada carta-testamento aqui mencionada. A situação em que ela foi escrita, a colocação das palavras, sempre me impressionaram. Eu sempre imaginei o quanto deve ser tétrico você planejar a própria morte, saber que alguns instantes mais tarde vai deixar de existir e mesmo assim conseguir colocar todas as impressões em uma folha de papel.

O mais difícil para quem trabalha com arte, principalmente para quem escreve textos, como é o seu caso, é conseguir colocar no papel tudo aquilo que está sentido, e conseguir passar ao público toda a sua agonia ou angústia. Eu sempre achei esse texto du caralho neste sentido, pois com certeza ele não visava apenas o lucro de sua “obra autoral”, como acontece atualmente com a arte no nosso país. Por mais que ele quisesse tirar vantagem política daquele ato, podemos abstrair os minutos finais de agonia, dada a sinuca política em que ele estava naquele momento.

Dizem alguns rumores que a tal carta que entrou para a história não foi a verdadeira escrita por ele. Mas independente disto, só o fato de alguém conseguir redigir um texto tão poético, mesmo sendo um discurso, em meio a uma situação bem inusitada e um tanto quanto surpreendente, em tão pouco tempo, já teria o devido mérito. Mas eu não acredito nesta versão…

Enfim, gostaria que o senhor divulgasse em primeira mão essa nova música que, apesar do senhor não curtir Rock du bom, ficou muito legal. Espero que o senhor escute até o fim, pelo menos 1 vez. Se o finado ex-presidente soubesse que sua carta terminaria em Rock, teria dado um tiro na cabeça e não no peito!!!!

Um grande abraço e aprecie sem moderação!!!!

R. Aquele ponto de interrogação no primeiro parágrafo de sua carta, logo após a expressão “utilidade pública”, tem todo cabimento. Eu também tenho minhas dúvidas se esta merda deste jornal tem alguma utilidade. Ainda mais utilidade pública… 

Pois fique sabendo, meu querido sobrinho, que a Carta Testamento escrita por Getúlio Vargas é um dos textos que eu mais admiro desde que aprendi a ler. As palavras com que ele fecha o documento que escreveu de próprio punho são pungentes:

“Eu vos dei a minha vida. Agora vos ofereço a minha morte. Nada receio. Serenamente dou o primeiro passo no caminho da eternidade e saio da vida para entrar na História.”

Era um tempo esquisito aquele tempo passado, em que Presidente da República, além de saber ler e escrever, escrevia um texto de tamanha magnitude…

Getúlio é personagem do meu livro “Memorial do Mundo Novo“,  um romance no qual me ocupei do ex-presidente por um capítulo inteiro. Cuida-se aqui de um caudilho populista, cognominado “O Pai dos Pobres”, que ocupou a presidência em dois períodos distintos da nossa história. Uma vez como ditador, e outra vez eleito democraticamente pelo voto direto, conforme a então jovem Constituição de 1946.

Ele foi o homem que mudou, pro bem ou pro mal, a face do Brasil na primeira metade do Século XX. Considero sua carta-testamento não apenas um documento histórico, mas um depoimento pessoal tocante, comovente e que merece ser lido pra reflexão. Uma coisa é certa: o suicídio de Getúlio, em agosto de 1954, adiou em 10 anos o golpe militar que viria a ser dado em março de 1964, que já naquela época, anos 50, estava sendo tramado, com Carlos Larcerda à frente do buruçu.

Já que você nos mandou uma música sobre este documento, eu vou tomar a liberdade de colocar aqui outra música, intitulada “Ele Disse“, da autoria de Edgar Ferreira. Tanto quanto esta composição sua e do seu grupo, Os Novos Candangos, a composição de Edgar é uma espécie de versão musicada da Carta Testamento de Getúlio Vargas, e que fez muito sucesso na voz de Jackson do Pandeiro. Em outro estilo e em outro ritmo. Veja como ficou:

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Agora, aqui entre nós, querido sobrinho, eu só lamento é que o gesto de Getúlio Vargas, de dar um tiro no peito, não tenha sido imitado por outros presidentes que vieram após ele…

gvm.

Ainda na semana passada, na Câmara dos Deputados, um outro ex-presidente citou Getúlio mas, desconfio, nunca pensou em imitá-lo neste ponto, enfiar um bala nos peitos. Uma lástima…

Pra encerrar, quero fazer apenas um registro, com a modéstia que me é peculiar e que é, certamente, minha mais marcante característica. Este seu talento de artista, de músico e compositor, esta sua bela voz, meu querido sobrinho, filho da minha querida irmã, não foi roubado: foi herdado deste seu modesto tio…

De brinde pros leitores fubânicos, transcrevo, a seguir, a íntegra da carta manuscrita por Getúlio.

carta testamento2

Mais uma vez, as forças e os interesses contra o povo coordenaram-se e novamente se desencadeiam sobre mim. Não me acusam, insultam; não me combatem, caluniam, e não me dão o direito de defesa. Precisam sufocar a minha voz e impedir a minha ação, para que eu não continue a defender, como sempre defendi, o povo e principalmente os humildes. Sigo o destino que me é imposto. Depois de decênios de domínio e espoliação dos grupos econômicos e financeiros internacionais, fiz-me chefe de uma revolução e venci. Iniciei o trabalho de libertação e instaurei o regime de liberdade social. Tive de renunciar. Voltei ao governo nos braços do povo. A campanha subterrânea dos grupos internacionais aliou-se à dos grupos nacionais revoltados contra o regime de garantia do trabalho. A lei de lucros extraordinários foi detida no Congresso. Contra a justiça da revisão do salário mínimo se desencadearam os ódios. Quis criar liberdade nacional na potencialização das nossas riquezas através da Petrobrás e, mal começa esta a funcionar, a onda de agitação se avoluma. A Eletrobrás foi obstaculada até o desespero. Não querem que o trabalhador seja livre.

Não querem que o povo seja independente. Assumi o Governo dentro da espiral inflacionária que destruía os valores do trabalho. Os lucros das empresas estrangeiras alcançavam até 500% ao ano. Nas declarações de valores do que importávamos existiam fraudes constatadas de mais de 100 milhões de dólares por ano. Veio a crise do café, valorizou-se o nosso principal produto. Tentamos defender seu preço e a resposta foi uma violenta pressão sobre a nossa economia, a ponto de sermos obrigados a ceder.

Tenho lutado mês a mês, dia a dia, hora a hora, resistindo a uma pressão constante, incessante, tudo suportando em silêncio, tudo esquecendo, renunciando a mim mesmo, para defender o povo, que agora se queda desamparado. Nada mais vos posso dar, a não ser meu sangue. Se as aves de rapina querem o sangue de alguém, querem continuar sugando o povo brasileiro, eu ofereço em holocausto a minha vida.

Escolho este meio de estar sempre convosco. Quando vos humilharem, sentireis minha alma sofrendo ao vosso lado. Quando a fome bater à vossa porta, sentireis em vosso peito a energia para a luta por vós e vossos filhos. Quando vos vilipendiarem, sentireis no pensamento a força para a reação. Meu sacrifício vos manterá unidos e meu nome será a vossa bandeira de luta. Cada gota de meu sangue será uma chama imortal na vossa consciência e manterá a vibração sagrada para a resistência. Ao ódio respondo com o perdão.

E aos que pensam que me derrotaram respondo com a minha vitória. Era escravo do povo e hoje me liberto para a vida eterna. Mas esse povo de quem fui escravo não mais será escravo de ninguém. Meu sacrifício ficará para sempre em sua alma e meu sangue será o preço do seu resgate. Lutei contra a espoliação do Brasil. Lutei contra a espoliação do povo. Tenho lutado de peito aberto. O ódio, as infâmias, a calúnia não abateram meu ânimo. Eu vos dei a minha vida. Agora vos ofereço a minha morte. Nada receio. Serenamente dou o primeiro passo no caminho da eternidade e saio da vida para entrar na História.

24 de agosto de 1954

PALITOT VILLAR – NATAL-RN

Papa Berto

mando outro versinho também feito por meu pai Juvêncio Alves Ribeiro, contando que o Rey de Portugal gostava de testar Camões, entretanto este sempre tinha uma resposta certa para responder ás indagações do Rey…

Uma vez passando por perto do Palácio, Camões ouviu do Monarca: Meu rapaz me diga o que é melhor da galinha ao que respondeu: o ovo… foi aplaudido….

Um ano depois passando no mesmo local o Imperador perguntou: Com que? Camões respondeu: sal e farinha…

Pois bem…outra feita no mesmo local porém mais próximo ao jardim, ia Camões caminhando quando o Imperador apontando três mocinhas pediu que ele fizesse um versinho em homenagem ás mesmas.

Ele perguntou o nome delas e o Rey falou: Dondom; Bebem e Sinhazinha.

Diz Camões:

Dos bigodes de Sansão,
Mandei fazer dois pincéis.
Que vendi por cem mil réis
Ao Almirante Balão,
Do arco do rabecão
Carrapato n’uma pinha
Falou a negra da cozinha
Cantando tutururu,
Todas me beijem no cú,
Dondom; Bebem; Sinhazinha.

HARDY GUEDES – CURITIBA-PR

Olá, Papa Berto,

Segue o ranking das 50 cidades mais violentas do mundo.

Como das 50 mais violentas, 14 são brasileiras (28%), eu queria perguntar:

Esses “excelentes” resultados têm um relação direta com a política social do DIREITO DOS MANOS e com a ação social do governo que diz ter tirado milhões de brasileiros da miséria?

FALA SÉRIO!

R. Meu caro, eu num vou falar nada.

Quero apenas dizer que fiquei espantado com esta lista que você nos mandou e que está reproduzida a seguir.

Aliás, falando a mais pura verdade, eu estou pra lá de espantado: tô completamente zonzo!!! De onde foi que você tirou estes dados horripilantes?

* * *

RANKING DE LAS 50 CIUDADES MÁS VIOLENTAS DEL MUNDO EN 2011

Posición – Ciudad – País – Homicidios – Habitantes – Tasa

1 San Pedro Sula Honduras 1,143 719,447 158.87
2 Juárez México 1,974 1,335,890 147.77
3 Maceió Brasil 1,564 1,156,278 135.26
4 Acapulco México 1,029 804,412 127.92
5 Distrito Central Honduras 1,123 1,126,534 99.69
6 Caracas Venezuela 3,164 3,205,463 98.71
7 Torreón (metropolitana) México 990 1,128,152 87.75
8 Chihuahua México 690 831,693 82.96
9 Durango México 474 593,389 79.88
10 Belém Brasil 1,639 2,100,319 78.04
11 Cali Colombia 1,720 2,207,994 77.90
12 Guatemala Guatemala 2,248 3,014,060 74.58
13 Culiacán México 649 871,620 74.46
14 Medellín Colombia 1,624 2,309,446 70.32
15 Mazatlán México 307 445,343 68.94
16 Tepic (área metropolitana) México 299 439,362 68.05
17 Vitoria Brasil 1,143 1,685,384 67.82
18 Veracruz México 418 697,414 59.94
19 Ciudad Guayana Venezuela 554 940,477 58.91
20 San Salvador El Salvador 1,343 2,290,790 58.63
21 New Orleans Estados Unidos 199 343,829 57.88
22 Salvador (y RMS) Brasil 2,037 3,574,804 56.98
23 Cúcuta Colombia 335 597,385 56.08
24 Barquisimeto Venezuela 621 1,120,718 55.41
25 San Juan Puerto Rico 225 427,789 52.60
26 Manaus Brasil 1,079 2,106,866 51.21
27 São Luís Brasil 516 1,014,837 50.85
28 Nuevo Laredo México 191 389,674 49.02
29 João Pessoa Brasil 583 1,198,675 48.64
30 Detroit Estados Unidos 346 713,777 48.47
31 Cuiabá Brasil 403 834,060 48.32
32 Recife Brasil 1,793 3,717,640 48.23
33 Kingston (metropolitana) Jamaica 550 1,169,808 47.02
34 Cape Town Sudáfrica 1,614 3,497,097 46.15
35 Pereira Colombia 177 383,623 46.14
36 Macapá Brasil 225 499,116 45.08
37 Fortaleza Brasil 1,514 3,529,138 42.90
38 Monterrey (área metropolitana) México 1,680 4,160,339 40.38
39 Curitiba Brasil 720 1,890,272 38.09
40 Goiânia Brasil 484 1,302,001 37.17
41 Nelson Mandela Bay Metropolitan Municipality (Port Elizabeth) Sudáfrica 381 1,050,930 36.25
42 Barranquilla Colombia 424 1,182,493 35.86
43 ST. Louis Estados Unidos 113 319,294 35.39
44 Mosul Iraq 636 1,800,000 35.33
45 Belo Horizonte Brasil 1,680 4,883,721 34.40
46 Panamá Panamá 543 1,713,070 31.70
47 Cuernavaca (zona metropolitana) México 198 630,174 31.42
48 Baltimore Estados Unidos 195 620,961 31.40
49 Durban Sudáfrica 1,059 3,468,087 30.54
50 City of Johannesburg Sudáfrica 1,186 3,888,180 30.50

BRÁULIO DE CASTRO – OLINDA-PE

Papa Berto:

Segue em anexo um vídeo com o samba que fiz em homenagem a Caça Rato.

A composição é minha e a interpretação é do Véio Mangada.

R. Veja só: agora há pouco, no noticiário esportivo da hora do almoço, eu vi uma matéria onde você aparece, ao lado do Véio Mangaba, falando sobre este samba.

Tá fazendo um sucesso danado!

Flávio Caça Rato, jogador do Santa Cruz aqui do Recife, virou herói da torcida tricolor depois de fazer o gol que garantiu o acesso do time à série B no próximo ano.

Quem quiser ver a reportagem completa, exibida pelo Globo Esporte, basta clicar na ilustração abaixo:

brsb

Agora, antes de botar no ar a sua música, eu só quero contar a notícia que ouvi hoje pela manhã, no noticiário radiofônico local, no programa do irreverente Geraldo Freire.

Um torcedor fanático do Santa Cruz levou a esposa à sede do clube e disse que queria ser corno, que queria levar um chifre de Caça Rato. Pediu que o jogador comesse a mulher dele.

Segundo Geraldo Freire, Caça Rato teria respondido que a mulher ele não comeria. Mas que cravaria a pajaraca no furico do torcedor tricolor. Segundo Geraldo, a conversa foi gravada e filmada, e eu estou atrás desse material pra botar aqui no JBF.

Você sabe se isto é verdadeiro? Ou seria mais uma presepada de Geraldo Freire?:

E aqui vai o vídeo que você nos mandou:

CAÇA RATO NA SELEÇÃO

Samba de Bráulio de Castro – Canta Walmir Chagas (O Véio Mangaba)

JOSÉ WILTON – MACEIÓ-AL

Papa Berto,

Escrevi esta baboseira em 1999, Ronaldo Lessa era o governador das alagoas, Augusto Farias (irmão do pranteado PC Farias) deputado federal e o Imortal sociólogo presidente da Banânia. Mudaram as coleiras, a cachorrada continua a mesma.

Nénão?

Abraços

* * *

BURLANDO OS INOCENTES

Os nossos burlescos e soezes políticos

Embair o cidadão comum, no contexto atual da administração pública, tornou-se condição sine qua non para a consolidação da carreira política. A burla, o engodo, o estelionato, a prevaricação, estão confortavelmente instalados nos poderes da República. Catatônico, derrotado, o povo assiste, a apropriação do butim pelos feitores dos poderes constituídos.

A catilinária assestada contra a ignota população prospera a passos de jaguar (sem querer afrontar o lépido animal) e a origem por demais conhecida, parece fonte inesgotável. Safar-se do estrugido caudaloso é tarefa ciclópica que impende a todos nós ao menos começá-la. Por onde, haveremos de saber.

Os iconoclastas da política omitem-se em conchas bivalves quais primatas que no afã da transfiguração esquecem-se das próprias similitudes. A voz tonitruante da mídia está direcionada aos caudilhos das oligarquias gangrenadas em putrefatos conluios. A imprensa que se auto proclama livre, liliputiana em valores éticos, fenece pela sanha cada vez mais explícita dos insaciáveis plutocratas da República.

Clique aqui e leia este artigo completo »

BARTOLOMEU AUGUSTO – MARACANAÚ-CE

O POETA CONTRA SI MESMO

A rua estava escura. Não! Não estava escura, estava triste. As luzes amarelentas apenas alcançavam o asfalto mormacento, mais triste ainda. O poeta caminha, soturno, admirando a funérea aparência das casas adormecidas. Aqueles que nelas dormitam não se importam com a imprescinsão da sua poesia, ele sabe disso. Noctívago que é (se perguntava, sempre, se por natureza), abandona-se à tristeza da sua poesia, por ser-lhe a única luz possível. Assim ele vai, palmilhando a rua triste, em busca da luz canora da manhã, vitorioso em suas certezas. Mas pesa-lhe nos ombros as tristezas do mundo que o elegeu poeta. Olha para o céu, parco de estrelas, e lembra dos amores poucos mas, intensos, que lhe sobraram no peito. O poeta sorri, mesmo triste. Seus amores, suas dores, seus horrores, lhe acompanham na sua procura cega pela manhã perdida – a mulher rosada, vestida de estrelas, que traz no sexo o mel da vida, por quem tantos morrem.

– Poeta! Ele ouve uma voz, enquanto absorto em seus pensamentos. Gira em torno de si, buscando quem o chama. Não há ninguém na rua triste, nunca há. E isso é bom, porque dá ao poeta as benesses do silêncio. E não há poeta que não ame a solidão. E não há quem se realize poeta, senão no silêncio.

– Poeta! Ouve, novamente. Olha em torno (para as casas, para as luzes, para o asfalto, para o céu), tudo continua como deve estar. Quem o chama, então, a ele, a quem foi negado a nulidade? A quem foi permitido apenas sonhar, amar e sofrer? Ele para, observa a estática das coisas. Fecha os olhos por um instante: por que não consegue organizar as ideias? Por que não consegue fixar-se numa única lembrança? Um calafrio lhe percorre o corpo, como se lhe cobrisse o véu arrefecido do medo.

Clique aqui e leia este artigo completo »

ADAIL AUGUSTO AGOSTINI – ALEGRETE-RS

Sr. Luiz Berto:

Sugiro-lhe ver o vídeo abaixo.

Embora solte muita fumaça e pule como cabrito, o sedan produzido pelos Dodge Brothers em 1920 faz os carros modernos parecerem de papel. Numa frase: ele é duro na queda.

Acredito ser o carro ideal para a maioria absoluta das “estradas” e”ruas” brasileiras.

Quem sabe se a Dilmula venha a aceitar a idéia, e, então, compre a patente do dito, e instale uma fábrica do mesmo, aqui no Bananil?

Abraços

R. Este carro seria muito útil aqui no Recife, considerada a cidade mais escuracada do Hemisfério Ocidental (depois de Olinda, claro…)

NEIDE SANTOS – RECIFE-PE

Quem tiver concluido o 2º grau e estiver interessado em fazer um curso técnico totalmente pago pelo governo, clique aqui para obter todas as informas e também pra fazer a inscrição.

Quem tiver dúvida, pode fazer contato comigo: cleneidesantos@hotmail.com

As inscrições recomeçam hoje. São curso com duração de 1 ano e meio. O único custo que o aluno interessado vai ter é com as passagens e, se precisar de uma roupa especifica tipo: bata, jaleco… Tem direito a carteira de estudante.

É a terceira vez que as inscrições para esses cursos são abertas e as turmas não se completam.

R. Caríssima Madre Superiora, com este festival de concessão de Bolsa Vadiagem, vai ser difícil, muito difícil mesmo, aparecer candidatos dispostos a fazer cursos, estudar e batalhar por emprego, pra trabalhar e ganhar a vida honestemente.

Num quero ser pessimista, mas tô desconfiado que, mais uma vez, as turmas não ficarão completas por falta de candidatos. .. Quem é besta de dar duro e cumprir expediente, se pode deitar na rede e esperar o depósito da Bolsa Voto na Caixa Econômica? Me diga mesmo: quem é, heim?

Em compensação, Dilma vai ser reeleita e, depois dela, Lula vai voltar pra mais oito anos de distribuição de mais Bolsa Vagabundagem.

A parte de nós outros, os pagadores de impostos, a gente cumpre compulsoriamente pois o imposto de renda é descontado na fonte: não tem como sonegar de modo algum.

É a Lei Xexéu funcionando pra valer no Socialismo Muderno. (Xexéu é aquele passarinho que gosta de comer mole…).

Mas, como eu sei que você é uma mulher que, além de batalhadora, é muito musical, alegre e está sempre de bom humor, vou botar uma música pra gente começar bem esta quarta-feira de sol. É o ABC do Preguiçoso, de Xangai.

Claro que esta composição num tem nada a ver com a presente postagem. É só pra levantar o astral:

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Bolsa-vadiagem

ANILTON MOCCIO – SÃO PAULO-SP

Caro JBF,

rodando pela internet encontrei a coluna do Raimundo Floriano, pessoa impar nesse universo que dispensa quaisquer comentários, tive o prazer de conhecê-lo em uma festa de aniversário que ele comemorou em um clube gaúcho, nessa época eu morava em Brasilia e pertencia ao clube, e o que me leva a contatar vocês é, em primeiro lugar parabenizá-los pela página da internet, ótima, e em segundo lugar solicitar o envio do CD de partituras de carnaval.

Aposentei e passei a dedicar ao meu maior hobby, tocar trombone, se possível gostaria de receber para trombone e trompete, que praticamente engloba todos os instrumentos, moro em São Paulo mas meus amigos músicos moram em Laranjal Paulista, minha terra natal, as partituras disponíveis eu já as baixei.

Não sei qual a forma que vocês podem me enviar, se for possível, é claro, por e-mail ou correspondência, acredito que por e-mail é muito “pesado”. aso haja alguma despesa é só me avisar por e-mail.

Agradeço a atenção.

R. Gostei do “caro JBF“.

Esta gazeta da bixiga lixa tá tão metida a besta que já tá sendo tratada feito gente. É um luxo!

Caro leitor, já encaminhei sua solicitação e o seu endereço para o nosso colunista Raimundo Floriano. Este departamento de partituras pra instrumentos musicais é chefiado por ele.

Grato pelo contato e disponha sempre.

BERNARDO – MACEIÓ-AL

Mestre Papa,

direto dos arquivos do DS para a fubanada de bom gosto, uma linda escultura em carne e osso.

Com os respeitos do Cardeal

SCT


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa