27 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

PROPINA COM RECIBO SÓ MESMO NO ISTRELISMO BANÂNICO

O ex-tesoureiro do PT Paulo Ferreira, que em 2010 disputava mandato de deputado federal no Rio Grande do Sul, não apenas recebeu R$ 200 mil de propina como até deu recibo da “doação”, segundo informou em delação premiada o engenheiro José Antonio Marsilio Schwarz, ligado à empreiteira Schahin, que entregou à Lava Jato os comprovantes.

Schwarz afirmou que Paulo Ferreira pediu que o pagamento fosse feito ao escritório Oliveira Romano Sociedade de Advogados, do ex-vereador Alexandre Romano, o Chambinho, do PT.

Preso em 2016 na Operação Abismo, 31ª fase da Lava Jato que investiga propinas em obras do Centro de Pesquisas e Desenvolvimento da Petrobrás (Cenpes), Ferreira foi solto em 2 de fevereiro após pagar fiança de R$ 200 mil. 

* * *

Estes tesoureiros do PT são inigualáveis.

Os delinquentes que cuidam do dinheiro da organização bandida que usa a sigla partidária de PT tem, cada um, um prontuário mais vistoso que o outro.

Sugestão pra todos eles: contratem como defensar o bacharel doutor advogado Ceguinho Teimoso, leitor e esforçado comentarista desta gazeta escrota.

Tenho certeza que Ceguinnho terá um prazer enorme em defender todos vocês, tesoureiros petêlhos.

Os antigos, os de agora e os do futuro.

Se é que o PT tem futuro…

Paulo Ferreira, Delúbio e Vaccari: um trio vermêio-istrelado da pesada; um excelente time de cuidadores do tesouro petralha; cada um com um prontuário mais lindo que o outro

27 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

MAIS UMA MEDALHA

Três das 20 pessoas que ficaram feridas ao serem atingidas por um carro alegórico no desfile da Paraíso Tuiuti, na noite deste domingo (26), na Marquês de Sapucaí, no Rio, permaneciam internadas na manhã desta segunda-feira (27).

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, elas “passaram por cirurgias e inspiram cuidados”.

* * *

Sobre este lamentável acidente, vejam a explicação que foi dada por um diretor da Escola de Samba Paraíso Tuiuti, cujo carro avançou no rumo do alambrado que protegia os apreciadores do desfile.

“Na verdade, a parte da frente do carro, as rodas malucas que estavam usando, com a chuva, o carro começou a tender para o lado esquerdo. Quanto foi para o lado de cá, se desgovernou um pouquinho e começou a encostrar nas pessoas. Tinha pessoas que estavam foram da calçada, estavam dentro da pista. Pedimos sempre que as pessoas fiquem na calçada no seus lugares, mas as pessoas querendo fotografar a escola, querendo dar a informação da escola, se dá o acidente.“

No dia de ontem, segunda-feira, foi concedida aqui no JBF uma medalha ao ex-prisioneiro Bruno, o goleiro sorridente.

Esta frase do diretor da Escola de Samba também merece a Medalha Goiânica de Ouro na modalidade Contorcionismo Explicatório.

É um dever de justiça conceder a mesma honraria ao cartola carnavalesco.

26 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

NÃO CUSTA NADA LEMBRAR

O Brasil não é mesmo para principiantes.

Um diretor de um grande fundo americano desembarcou em São Paulo duas semanas atrás em busca de bons negócios. Não vinha há sete anos.

E comentou com o presidente de uma empresa com quem se reuniu:

– O Brasil é muito dinâmico. Em 2010, quando vim prospectar investimentos, me disseram que era obrigatório conhecer três empresários brasileiros. Eike Batista, Marcelo Odebrecht e André Esteves.

* * *

Em 2010 quem gunvernava Banânia era aquele bando que tem sigla partidária de PT.

E o prisidente era Lapa de Corrupto.

Não custa nada lembrar.

Eike, Esteves, Odebrecht e Lula, o Quarteto em Cy-fra$: só falta um ir obrar de coca no boi da cadeia

26 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

A PINGUELA ESTÁ BALANÇANDO

Ruy Fabiano

Às vésperas do carnaval, o governo se vê diante de mais um terremoto ministerial. As denúncias do advogado José Yunes, ex-assessor especial de Michel Temer e seu amigo há mais de 50 anos, de que serviu de “mula” (receptor) ao chefe da Casa Civil, Elizeu Padilha, em pagamento de propina da Odebrecht, afastam de vez do governo o principal ministro e conselheiro do presidente.

E não apenas: respingam no próprio Temer, íntimo de ambos, que os teve e manteve no assim chamado núcleo duro palaciano. Fica, no mínimo, a suspeita de que não ignorava os fatos, que, por sinal, também o incluem nas delações de Marcelo Odebrecht.

O presidente é acusado de ter pedido e recebido R$ 10 milhões para a campanha de seu partido, o PMDB, que então presidia. O dinheiro teria sido pago em caixa dois, e parte dele teria sido destinado a Padilha, nos termos da narrativa de Yunes.

Temer nega o caixa dois e garante estar tudo registrado na Justiça Eleitoral. As denúncias, óbvio, carecem de comprovação, embora Marcelo Odebrecht as sustente com convicção, não ocultando a origem ilícita do dinheiro. Podem não gerar – e não vão – providências imediatas, de ordem jurídica, mas politicamente configuram mais um abalo para o presidente e seu governo.

Se fosse apenas isso, já seria muito. Mas há mais, muito mais. A essas denúncias, somam-se as de outras empreiteiras, igualmente implicadas na Lava Jato – Queiroz Galvão, Andrade Gutierrez, OAS, Delta, UTC -, prenunciando uma quaresma mais barulhenta e predadora que o próprio carnaval. A pinguela está balançando.

Aguarda-se, na sequência imediata do feriado, a divulgação, pelo Ministério Público, dos demais nomes mencionados pelos 77 executivos da Odebrecht, já homologados pelo STF.

Não se sabe quantos são; sabe-se apenas que são muitos, quase duas centenas, a maioria gente do governo anterior e do atual, indo em cheio ao coração do Congresso.

Não por acaso, um dos temas mais ruidosos na Câmara e no Senado, no curso da semana, foi, mais uma vez, o foro privilegiado. O país quer o fim do foro; os políticos, não. O líder do governo no Senado, Romero Jucá, tentou estender o princípio de intocabilidade do presidente da República, que não responde por atos praticados fora de seu mandato, aos presidentes da Câmara e do Senado.

Perdeu. E acabou por se referir ao foro como “uma suruba”, em que ou todos dela participam ou então ninguém, deixando claro que quer a generalização, nada de “suruba selecionada”. Um momento de rara elevação verbal no Parlamento.

Em meio a tamanha algaravia, Temer viu a nomeação do novo ministro da Justiça, Osmar Serraglio (PMDB-RS), gerar atritos em sua própria base parlamentar. O deputado Fábio Ramalho (PMDB-MG), coordenador da bancada mineira, que queria no cargo alguém de seu estado, anunciou ter rompido com o governo.

Ramalho não é nenhuma sumidade – é, antes, um ente do baixo clero -, mas ocupa a 1ª vice-presidência da Câmara; é o sucessor imediato de Rodrigo Maia que, citado na delação da Odebrecht e agora também por Fernando Cavendish, da Delta, como beneficiário de propina, corre risco potencial de deixar o cargo.

Nessa hipótese, ainda vaga (mas nada é tão vago na atual conjuntura quanto o próprio governo), Temer teria um inimigo à frente da Câmara; Ramalho seria o seu Eduardo Cunha, embora sem o mesmo talento predatório deste. Mas, quando se cruza uma pinguela, o peso de uma piaba pode fazer toda a diferença.

De quebra, o governo perdeu, subitamente, um de seus quadros mais expressivos, o ministro das Relações Exteriores, José Serra, que, alegando questões de saúde, demitiu-se. Serra havia imprimido à política externa grandes transformações, a começar pelo rompimento com o bolivarismo e a abertura de novos mercados. Seu sucessor deverá ser também um tucano.

Em resumo, ao fim dos tambores de Momo, voltam a rufar os da Lava Jato, dando continuidade ao calvário da classe política.

26 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

O CARNAVAL DAS PALAVRAS

Nelson Motta

Se a polêmica é com a palavra “mulata”, até dá para discutir. Alguns amigos negros e mestiços a consideram racista e pejorativa. Tim Maia a detestava, se orgulhava de ser negro e dizia que mulato era cor de mula quando foge.

Nos Estados Unidos não existe: ou é branco ou é negro. Mas se o caso for a marchinha imortal que há 85 anos é cantada e dançada com alegria por brancos, pretos e mulatos, o papo é outro.

“O teu cabelo não nega” é, antes de tudo, uma exaltação às mulheres mestiças, começando pelo título brincando com o cabelo crespo e o liso, gozando as que o alisavam a ferro quente para disfarçar a negritude. O autor gostava do cabelo crespo, é como se dissesse “não negue a raça, fique com seu cabelo como é, é dele que eu gosto”.

Na época, eram os racistas que diziam que a cor da pele era “contagiosa”, mas o autor da marchinha nega, e mais, quer o amor da mulata! Quem quer o amor de quem despreza?

É um alegre tributo à negritude e à mestiçagem de que é feita a nacionalidade. Em um contexto histórico.

“Pancadão”, nos anos 30, era gíria para mulher bonita e gostosa, e os que a inventaram, dessa cor, com esse cabelo e esse suingue, foram os portugueses e os africanos, que no final da música a disputam em “concorrência colossal”, os lusos do Vasco da Gama e os marinheiros pretos do Batalhão Naval.

“Tens um sabor bem do Brasil/Tens a alma cor de anil/Mulata, mulatinha, meu amor/Fui nomeado teu tenente interventor.”

É um deboche com a ditadura de Getúlio Vargas, que foi levado ao poder pelo golpe militar de 1930 e se tornou ditador, nomeando tenentes golpistas como interventores estaduais em substituição a quase todos os governadores.

Finalmente, a marchinha foi criada pelos compositores pernambucanos João e Raul Valença, em 1929, e Lamartine Babo a ouviu no Recife e gostou tanto que fez algumas modificações e a lançou com espetacular sucesso no carnaval de 1932, como se fosse sua. Os Irmãos Valença chiaram e partiram para a briga, e Lamartine teve que incluí-los na parceria. Para não deixar dúvidas quanto às suas intenções, os irmãos Valença eram, com todo o respeito, mulatos.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

26 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

JUCÁ ESTÁ CERTO: O BRASIL É UMA GRANDE SURUBA

Eu não sei, leitor, se você tem a mesma impressão, mas me parece que o Brasil entortou de vez. Os três poderes – tripé da sustentação de uma democracia – o Executivo, o Parlamento e o Judiciário se dissolveram na imoralidade e na bagunça geral. A sociedade, atônita, não espera mais nada dos seus representantes no Congresso Nacional e menos ainda do presidente da república e do judiciário, amordaçado por apadrinhamentos e interesses de grupos. A última instância, o STF, o que seria o guardião da Constituição, banalizou-se de tal forma que levou para o brejo a última esperança dos brasileiros enxergarem um país ético no futuro.

A indignação é fruto dos acontecimentos que ocorrem diariamente no país. Vejamos alguns exemplos: o Moreira Franco, citado inúmeras vezes na Lava Jato, passa a ter fórum privilegiado com o aval do STF. Portanto, está fora do alcance do juiz Sérgio Moro. O ex-presidente Sarney só pode responder por seus crimes ao Supremo Tribunal Federal, decisão dos ministros da Segunda Turma, mesmo não gozando de fórum privilegiado.

O senador Romero Jucá, envolvido na Lava Jato, antecipou-se ao que pensam os brasileiros e, sem arrodeios, foi direto na ferida: “É tudo uma suruba”. O Lula transformou a morte da mulher em espetáculo de marketing. E a Dilma, depois do chute no traseiro, decide que será candidata a senadora ou deputada.

Para desenvolver o resto desse artigo, vou me ater apenas ao ambiente de orgias do nobre senador. Vejamos: o Cabral, que chegou a liderar a lista dos presidenciáveis, vive hoje atrás das grades no presídio de Bangu. Eike Batista, até então a sétimo homem mais rico do mundo, divide uma cela minúscula com estupradores e assassinos no Rio. Eduardo Cunha, o ex-deputado e presidente da Câmara, passa os dias dentro da cadeia mandando recados desaforados para o Temer.

Mais: no STJ, o ministro Marcelo Navarro Ribeiro Dantas, nomeado pela Dilma para soltar Marcelo Odebrecht continua despachando normalmente, mesmo depois da Polícia Federal comprovar, e o Delcídio do Amaral confirmar, que ele seria o benfeitor de Marcelo e de outros comparsas dentro do tribunal. O Senado aprova o nome de Alexandre Moraes para substituir Teori Zavascki, um auxiliar de Temer, que defendia a tese de que ministros do STF não poderiam ser indicados no exercício de cargo no executivo. José Yunes, amigo do peito de Temer, detona Eliseu Padilha, a quem acusa de receber 1 milhão de suborno via seu escritório em São Paulo.

Mais: o Lula declara que só o PT pode salvar o país. Numa defesa veemente do seu partido, o ex-presidente diz que quer voltar a presidência, pois considera que tem os instrumentos para acabar com a corrupção e a fórmula para o país voltar a crescer.

Mais: Os procuradores da Lava Jato começam a desconfiar do Janot. Acham que ele está segurando os processos além da conta. Aliás, nos últimos dias, o Procurador-Geral da República só pediu arquivamento de indiciados em processos por corrupção, como é o caso do senador petista Lindbergh Farias, o mais notório da lista.

Mais: Ministros do STF como Marcos Aurélio e Gilmar Mendes vão aos microfones para denunciar que as prisões preventivas estão se alongando. Ou seja: enviam recados para os procuradores e para o juiz Sérgio Moro de que chegou a hora de acabar com a brincadeira de prender políticos e empresários por muito tempo.

Mais: Pezão, que ajudou a falir o Rio de Janeiro, se declara inocente no escândalo da corrupção. Não quer nem ouvir falar no nome de Cabral para não se contaminar; Michel Temer nega de pés juntos que tenha feito parte da chapa da Dilma quando tenta separar a captação de recursos da eleição dos dois; Eliseu Padilha responde a processos, mas permanece ao lado do presidente como seu principal auxiliar; o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles continua a espalhar que a inflação caiu, mas não é o que se constata nas prateleiras dos supermercados. E para desmentir os dados oficiais de crescimento, o país carrega a cruz dos quase 13 milhões de desempregados.

Este aperitivo que você leu aí em cima só mostra que o senador Romero Jucá está certo quando diz que vivemos uma grande suruba. Não a do português que se espantou ao participar de uma no Brasil: “Não estás a perceber? Acende a luz porque até agora só eu levei…”

26 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

A DEMOCRACIA MORRE NA ESCURIDÃO

The Washington Post, um dos mais influentes jornais dos Estados Unidos e do mundo, com 140 anos de história, introduziu em seu site, na quarta-feira passada, a mensagem “Democracy Dies in Darkness”, que também estará estampada na versão impressa, abaixo de sua marca. Antecipou-se na compreensão do breu anunciado.

O novo slogan do Post – jornal responsável por revelar o Watergate que culminou com a renúncia, em 1974, do presidente Richard Nixon – foi apresentado dois dias antes de a Casa Branca sob o comando do também republicano Donald Trump lançar os EUA em trevas ainda mais profundas, fechando as portas na cara da liberdade de expressão.

Jornalistas do The New York Times e do Los Angeles Times, das redes de TV CNN e BBC, e dos sites Político, The Hill e BuzzFeed foram barrados, impedidos de participar do tradicional briefing de sexta-feira do porta-voz da Casa Branca. Uma atitude criticada até pela Fox News, cuja fidelidade canina a Trump ninguém discute.

Nada antes visto na América – país que se orgulha de ser o farol da democracia. Um comportamento que só encontra similitude com regimes autoritários, autocráticos, ditatoriais.

O episódio explode o alerta vermelho aceso com a eleição de Trump.

Desde que estava em campanha, e com mais vigor depois de ser empossado presidente, Trump bombardeia a imprensa. Vocifera contra veículos de comunicação e jornalistas, aumentando a agressividade dos ataques sempre que é desmascarado em suas mentiras, cada vez que sofre qualquer crítica.

Tem horror do que chama de “fonte anônima”, usual nas investigações jornalísticas para preservar quem fornece informações, sem as quais escândalos como o Watergate, revelado pelo anônimo “Garganta Profunda”, e tantos outros, incluindo os do Brasil, como o do Mensalão e da Lava-Jato, não teriam vindo à tona.

Trump trata a imprensa livre como “inimiga do povo”, algo batido para vários países da América Latina, incluindo o Brasil, mas desencaixado na lógica de uma nação que respira liberdade e dela faz símbolo.

Ao ouvir os disparates trumpistas, suas acusações a jornalistas e suas construções de “verdades”, é difícil não fazer paralelo com o comportamento e as falas do ex Lula – um líder sindical e presidente da República incensado pela mídia, que transformou a imprensa em inimigo número 1 desde que ouviu as primeiras críticas. Que montou um círculo de jornalistas amigos para produzir versões alternativas e traduzir os fatos a seu bel prazer. Mas, sobre Lula, há de se dizer: embora tenha dirigido palavras ofensivas, injuriado um ou outro jornalista, e até ter tentado expulsar um correspondente estrangeiro, nunca impôs censura à imprensa.

Trump, que se regozija com a sua própria figura, vai além de todos os limites.

Expõe a maior nação democrática do mundo aos caprichos de um presidente que desrespeita não só a imprensa ou jornalistas, mas a Constituição de seu país, cuja primeira emenda impede qualquer limite ao livre exercício da religião, da liberdade de expressão e de imprensa.

Assim como o atentado às Torres Gêmeas traçou a linha de risco com o fundamentalismo islâmico em todo o planeta, as ações de enfrentamento de Trump extrapolam os Estados Unidos. Suas consequências para o mundo livre não aguardam o futuro. Já são nefastas.

No mais, deixemos que o Carnaval nos anime. Ainda que por apenas mais três fugazes dias.

25 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

MANCHETE DO SÁBADO – NO STF BANÂNICO, O CRIME COMPENSA

Em 8 de março de 2013, Bruno foi condenado a 22 anos e 3 meses pelo assassinato e ocultação de cadáver de Eliza Samudio e também pelo sequestro e cárcere privado do filho.

Bruno foi condenado a 17 anos e 6 meses em regime fechado por homicídio triplamente qualificado (por motivo torpe, asfixia e uso de recurso que dificultou a defesa da vítima), a outros 3 anos e 3 meses em regime aberto por sequestro e cárcere privado e ainda a mais 1 ano e 6 meses por ocultação de cadáver.

Eliza tinha 25 anos e era mãe do filho recém-nascido do goleiro Bruno.

* * *

Sequestre, mate, esquarteje e fique tranquilo: pode confiar no STF banânico.

Você é solto em pouco tempo e ainda tem o direito de sair da cadeia rindo, como Bruno saiu ontem, dia 24, gozando com a cara de nós outros, os idiotas que elegemos os prisidentes que indicam os ministros do STF.

Quem deve ter comemorado a soltura deste assassino covarde foi a deputada petralha Maria do Rosário, ardente defensora de bandidos e incansável batalhadora pelos Direitos dos Manos.

Enquanto isto, nos Zistados Zunidos, Mark David Chapman, assassino de John Lennon, cumpre pena de prisão perpétua há 36 anos, na prisão de Attica, no estado de Nova York.

E já teve diversos pedidos de liberdade condicional negados através dos anos.

Lá naquele país atrasado, este negócio de lei penal é um pouquinho diferente daqui…

25 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

MANCHETE DO SÁBADO – PT ABRIU ALAS E PORTAS PARA O PMDB (A PULSO E IMPICHADAMENTE…)

O advogado José Yunes, amigo do presidente Michel Temer, disse em depoimento ao Ministério Público que recebeu um envelope em 2014 a pedido de Eliseu Padilha, hoje ministro da Casa Civil.

Ele disse que o “envelope” foi deixado em seu escritório por Lúcio Funaro, doleiro que hoje está preso pela Lava Jato e que ele diz que não conhecia.

Yunes disse que avisou a Temer sobre o depoimento ao Ministério Público. Ele pediu demissão do governo após ser citado no depoimento de Cláudio Melo Filho, ex-diretor de Relações Institucionais da Odebrecht.

O escritório de advocacia de Yunes, em São Paulo, foi, segundo o delator, o endereço da entrega de parte do dinheiro da empreiteira para a cúpula do PMDB.

Melo disse que Temer, em um jantar no Jaburu, solicitou a Marcelo Odebrecht pagamento ao PMDB. Parte desses pagamentos, no valor de R$ 4 milhões, foram realizados via Eliseu Padilha, sendo que um dos endereços de entrega foi o escritório de José Yunes.

* * *

 

Que rolo da porra! Que fuxico arretado!

O fato é que Temer não quer ficar atrás de Lula e Dilma de modo algum.

As cachorradas dele e dos seus ministros estão deixando a petralhada com inveja.

A notícia fala em “pacote” e em “envelope”.

Na verdade, segundo o chargista Lucena, o bufunfa foi entregue numa pasta tipo 007.

E, em falando de charge, a de Amarildo, aí em cima desta postagem, também trata deste assunto.

Como a guabirutagem petralha abriu alas para a guabirutagem pmdbalha – e como estamos em tempo de carnaval -, vamos comemorar esta noticia com a marchinha Ô abre alas!, composta por Chiquinha Gonzaga e interpretada pelas irmãs Linda e Dircinha Batista

24 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

MANCHETE DA SEXTA-FEIRA – TENEBROSA HERANÇA

Desemprego fica em 12,6% no trimestre encerrado em janeiro.

Taxa é a maior da série histórica do IBGE, iniciada em 2012.

População desocupada cresceu 34,3% e chegou a 12,9 milhões de pessoas.

* * *

Hoje pela manhã, bem cedinho, liguei pro Ceguinho Teimoso pedindo que ele comentasse este número impressionante, 13 milhões de desempregados em Banânia.

Uma situação triste e de cortar o coração.

Ceguinho me garantiu que esta tragédia nada tem a ver com as administrações de Lula e de Dilma.

Ou com os mais de 13 (êpa!) anos de gunverno do PT.

Segundo me informou Ceguinho, isto é culpa do mandarinato tucano.

A herança maldita que FHC deixou pra Lula e pra Dilma está causando estragos até os dias de hoje.

“Eu chega se mijo-me de tanto se rir-se-me, Fernandinho: tua herança fudeu os gunvernos de Lula e de Dilma”

24 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

ARENA ITAQUELADRÃO

A delação premiada dos ex-executivos da Odebrecht revelou esquema de propina envolvendo a construção do Itaquerão, palco da abertura da Copa do Mundo 2014.

De acordo com os relatos, o então presidente do Corinthians Andrés Sanchez (PT) recebeu R$ 2,5 milhões para o Caixa 2 da campanha eleitoral daquele ano, quando Andrés foi eleito deputado federal pelo PT de São Paulo.

A revelação foi feita nos depoimentos de Luiz Bueno, ex-diretor da Odebrecht, e Benedito Júnior, ex-presidente de Infraestrutura da empreiteira, e o repasse foi comprovado por meio de documentos.

* * *

Só duas pessoas sabiam disto: Lula e a torcida do Corinthians.

Eu e Ceguinho Teimoso não sabíamos de nada.

Andrés Sanchez e Lapa de Safado: uma parelha vermêio-istralada bem representativa dos pulícos petralhas

24 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

FASTA PRA LÁ, LAPA DE CARA-DE-PAU!

 

Quase 46% dos eleitores não votariam em Lula em 2018, diz pesquisa.

Levantamento o instituto Paraná Pesquisas divulgado nesta quinta-feira, 23, revela que o ex-presidente Lula (PT) tem rejeição de 45,7% dos entrevistados entre os possíveis candidatos para Presidente do Brasil em 2018.

O senador Aécio Neves (PSDB) aparece em seguida, com 25% e, logo atrás está o atual presidente da República, Michel Temer (PMDB), com 24,4% de rejeição.

Confira a lista completa:

Não sabe: 4,4%;

Nenhum: 6,5%;

Lula (PT): 45,7%;
Aécio Neves (PSDB-MG): 25%;
Michel Temer (PMDB): 24,4%;
Jair Bolsonaro (PSC-RJ): 17,9%;
Marina Silva (Rede): 12,3%;
Roberto Justus: 9,9%;
Governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP): 9,9%;
Ciro Gomes (PDT-CE): 9%; e
Ex-ministro do STF Joaquim Barbosa: 7,3%.

* * *

Com toda certeza, sem qualquer sombra de dúvida, isto é coisa de coxinhas golpistas.

A popularidade de Lula pode ser atestada pelo fato de que ele só viaja em avião de carreira e é recebido com palmas e vivas em todos os aeroportos do país.

Lula anda livremente pelas ruas de qualquer cidade de Banânia e sempre participa de encontros e palestras em espaços abertos, em auditórios que não são controlados pela CUT, pelo PT ou pela UNE.

Lula continua tomando sua cervejinha no boteco da esquina em São Bernardo do Campo e é recebido com gritos de “Volta, Lula”, em qualquer lugar por onde passa.

Ceguinho Teimoso vai desmentir este número estupidamente alto de rejeição ao nome do maior prisidente que este país já teve, o bravo administrador que extinguiu a pobreza, eliminou o desemprego, acabou com a inflação, derrotou a carestia e implantou o maior programa social de Banânia desde que por aqui chegou Cabral. (Não o Sérgio, mas o Pedro Álvares…)

Dizer que Lula e Aécio são 1º e 2º lugar como os mais rejeitados pelo eleitorado, é coisa de pesquisador golpista, reacionário, direitista e fela-da-puta.

Lula e Aécio estão lado a lado no patamar dos grandes estadistas, cobertos com os louros da capacidade administrativa, da honestidade, da probidade e da bem querença no coração do povo brasileiro.

Perguntem pra Ceguinho Teimoso que ele confirmará.

“Cumpanhero Aécio, esta pesquisa é farsa: oia lá a artura nim qui tá nossa aprovação”

23 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

MANCHETE DA QUINTA-FEIRA – HERANÇA MALDITA

* * *

Atenção, leitores: esta absurda quantidade de desocupados nada tem a ver com as administrações de Lula e de Dilma.

Ou com os mais de 13 (êpa!) anos de gunvernno do PT.

Podem perguntar pra Ceguinho Teimoso que ele vai confirmar isto com números, dados, estatísticas, jurisprudência do STF e, sobretudo, com argumentação lógica e convincente.

Isto é culpa da herança maldita deixada por FHC.

Este tucano é que aumentou enormemente o número de desempregados em Banânia.

“Companheiro  Lula, fica com esta merda, conserta as cagadas que eu fiz, e transforma Banânia num paraíso para quando Dilma e Temer chegarem”

23 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

ESCLARECIMENTO

Novo desdobramento da Lava Jato mira JBS e corretor ligado a Cunha

A Polícia Federal realiza mais uma operação derivada da Operação Lava Jato, a Operação Sépsis, e mira corretor ligado ao presidente afastado da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, e a empresa JBS, proprietária da marca Friboi.

* * *

Esta notícia, publicada há algum tempo, infelizmente nada tem a ver com o JBF.

JBS e JBF são marcas distintas.

A primeira, a JBS, é uma empresa bilionária, dona das marcas Friboi, Swift, Seara e Massa Leve.

A segunda, o JBF, esta gazeta escrota, é uma organização tão fudida que, ao contrário de Eduardo Cunhão, sequer desperta a tentação de ser corrompida com alguns pixulecos por algum poderoso banânico.

Infelizmente…

Quem dera pelo menos um anúnciozinho de qualquer das marcas da JBS sendo publicado aqui, a troco de módico pagamento, pra tirarmos da miséria as finanças das Organizações Midiáticas Besta Fubana…

Bom, de qualquer modo, com pixuleco ou sem pixuleco, aqui vai um reclame gratuito, pra ver se a JBS se comove e dá uma minxaria qualquer pro JBF,

23 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

PERSEGUIÇÃO INJUSTA

Tribunal de Justiça de Minas Gerais aceitou um recurso do Ministério Público (MP) estadual e determinou o bloqueio dos bens do governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, do PT, e de outras cinco pessoas.

Os promotores querem que o grupo devolva R$ 9.998.573,32 aos cofres públicos, gastos em pagamento à Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Belo Horizonte, pela instalação de um sistema de segurança por monitoramento com câmeras nas ruas da capital mineira.

Na ação, a Promotoria de Defesa do Patrimônio Público alegou que, em 2004, o então prefeito Fernando Pimentel e secretários deles contrataram o serviço de monitoramento por câmeras, sem licitação pública; que a compra dos equipamentos foi feita por meio de um convênio com a Câmara de Dirigentes Lojistas, que subcontratou empresas para implantar o programa; e que a CDL ainda teria deixado de pagar uma dívida tributária com o município.

* * *

Isto é uma perseguição injusta ao PT.

Coisa de coxinhas golpistas.

Ainda mais por conta de uma quantia irrisória, apenas 10 milhõezinhos. Uma minxaria.

Enquanto isto, como bem diz a fubânica petista Caninana de Resguardo, o MM (Mensalão Mineiro) não foi julgado e a roubalheira de Aécio, quando guvernou as Minas Gerais, continua impune.

O TTT (Trio Transparência Total) em pose especial para o JBF, o único jornal de Banânia que defende o PT e ataca Aécio

23 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

NA MÃO DO “GOLPISTA”

Michel Temer vai indicar dois ministros para o TSE.

Eles assumem a vaga dos petistas Henrique Neves, cujo mandato vence em 16 de abril, e Luciana Lóssio, que se despede do TSE em 5 de maio.

Depois que os depoimentos da Odebrecht forem anexados ao processo contra a campanha de Dilma Rousseff, o PT vai ficar na mão de Michel Temer.

Dependendo de quem for escolhido para o TSE, o partido que se elegeu com dinheiro roubado da Petrobras poderá ter seu registro cassado.

O mais provável, porém, é que Michel Temer use esse fato para domesticar o PT.

* * *

Domesticar o PT“.

Hum…

Que danado será isto?

Vocês sabem?

Eu num faço a menor ideia.

“Esse picolé do PT tá é gostoso!”

22 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

MANCHETE DA QUARTA-FEIRA – E TOME CHOQUE ELÉTRICO NO TOBA DE TODOS NÓS

As contas de luz vão ficar mais caras em todo o Brasil. Todo mundo vai ser obrigado a pagar uma indenização bilionária que o governo deve às transmissoras de energia.

Os cálculos são da Agência Nacional de Energia Elétrica. A conta é comprida (R$ 62,2 bilhões) e a história também. Começa em 2012, quase cinco anos atrás.

Na época, o governo exigiu das distribuidoras mudanças nos contratos. Elas tiveram que aceitar renovar antecipadamente as concessões, mas seriam indenizadas para cobrir os gastos que tiveram com obras de modernização das redes que fizeram até o ano de 2000.

Uma medida provisória, assinada pela então presidente Dilma Rousseff, alterou o marco regulatório do setor elétrico, retirou encargos da tarifa de energia. Isso permitiu, em 2013, a redução de cerca de 20% na conta de energia elétrica para os domicílios e para a indústria.

Mas, em 2015, o governo percebeu que não tinha dinheiro para manter os subsídios à tarifa. Então veio o tarifaço, com um aumento de mais de 50% na conta de luz.

A indenização para as distribuidoras, na verdade, deveria ter começado a ser paga em 2013, mas houve demora, até que o governo chegasse a um acordo com as empresas sobre o quanto elas tinham direito a receber. Como o governo não tem dinheiro em caixa, mais uma vez vai repassar a despesa para o consumidor.

De acordo com a decisão da Aneel desta terça-feira (21), nós teremos oito anos para pagar essa indenização. A primeira parcela deve ser de R$ 10,8 bilhões.

Na prática, isso quer dizer que, num primeiro momento, somente em 2017, as contas de luz vão chegar às casas e às empresas com um aumento médio de 7,17%.

Como o cálculo do reajuste depende de outros componentes, o efeito nas tarifas pode variar, para mais ou para menos. E vai ser assim até 2024: todos teremos reajustes nas tarifas de energia só por causa dessas indenizações.

* * *

Confesso que num intendi nada.

Sou completamente tapado nestes assuntos energéticos-financeiros.

Cifras que envolvem mais de 62 BILHÕES de reais me dão tonturas.

Deixo a análise desta matéria para os leitores fubânicos doutorados no assunto.

Eu só sei é que, quando li que a minha conta de luz iria ficar mais cara, me lembrei imediatamente de um incisivo pronunciamento feito há algum tempo por Janete, vulgo Dilma Vaca-Peidona.

Este aqui:

22 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

FREIRE SILENCIA OS INTELECTUAIS DE BOTEQUIM DE SP

Para entendermos o entrevero entre o escritor Raduan e o Roberto Freire é preciso primeiro entrar na biografia de cada um. A de Freire o Brasil conhece e deve a ele e aos seus combatentes militantes heroicos a luta contra o regime de opressão que se instalou no país durante mais de vinte anos. O mesmo não se pode dizer de Raduan, o escritor que fez a festa da esquerda de botequim paulista ao receber o prêmio de 100 mil euros e acusar o ministro de estar a serviço de um governo golpista. Recebeu de Freire a resposta à altura, que não se intimidou mesmo diante de alguns intelectuais de armazéns de secos e molhados como a senhora Chaui e o escritor e Augusto Massi, professor de literatura e poeta de um verso só.

Os inflamados senhores que formavam a plateia histérica do escritor Raduan Nassar não esperavam pela reação dura de Roberto Freire ao defender o governo do qual faz parte como ministro da Cultura. Achavam que seus gritos delirantes em defesa do PT iriam calar a voz de Freire, coisa que a ditadura não conseguiu. Certamente não conheciam Freire, portanto, são, na verdade, analfabetos políticos por desconhecer uma das vozes mais contundentes contra o regime de opressão que se instalou no país e que teve nele seu principal opositor, enquanto esses pseudointelectuais paulistas, seguidores do PT, viviam como almofadinhas dentro das universidades com medo de enfrentar a repressão.

Ao dizer que Freire não estava altura do evento, Augusto Massi exasperou-se na crítica e na incivilidade. Recebeu, como era de se esperar, o troco a altura ao ser chamado de “idiota” por Freire, que não se intimidou com a adversidade do show promovido pelas viúvas da Dilma e do Lula que, como sempre, promovem espetáculos circenses sem a magnitude dos bons palhaços.

Raduan, o escritor de 81 anos, que o Brasil começou a conhecer depois dessa polêmica, é o autor, entre outros, do livro Lavoura Arcaica, que virou filme. É ignorado pelos brasileiros, mas cultuado por um restrito grupo que o tem como um feroz defensor do governo petista, o mais corrupto da história do país. Para chegar a conclusão de que o país vive um golpe e “não há como ficar calado”, palavras que usou no discurso, foi certamente sabatinado antes pela claque petista que o acompanhou na solenidade de entrega do prêmio. Não acredito numa atitude isolada dele para transformar o ambiente num palanque em defesa da organização criminosa petista.

Ora, se pensavam que o Roberto Freire iria ficar calado diante da manifestação infantiloide, inconsequente e degradante de uns marmanjos que pregam a revolução petista dentro das universidades quebraram a cara. Contra toda aquela plateia que vociferava o “golpe”, Freire, sozinho, os combateu, como sempre fez contra os fascistas quando teve que defender o Brasil das amarras do arbítrio. Chaui, a mais exaltada defensora petista, liderou uma vaia contra o ministro, demonstração cabal de que os seus argumentos tinham se esvaído diante do discurso veemente de Freire, que indicou o caminho mais fácil para Raduan se ver livre do problema: devolver o prêmio Camões e os 100 mil euros que o acompanha. Quem sabe assim o escritor não ficaria mais à vontade para desenvolver o seu discurso oposicionista.

A esquerda de botequim caiu de pau no Freire por esse gesto corajoso. Quem o conhece elogiou. O Freire inflamado que fazia aquela histérica plateia engolir cada palavra ofensiva, é o mesmo que esteve à frente das forças de oposição contra o regime militar. Que bradou no Congresso Nacional, nos sindicatos, nas entidades dos direitos humanos e nas ruas contra a intolerância e o ódio dos radicais. É esse Freire que hoje comanda o Ministério da Cultura para felicidade daqueles que estão envolvidos com a arte e a literatura no país. É esse Freire que vai moralizar o setor, corroído pela corrupção que destroçou o ministério na era petista, decretando o fim do apadrinhamento, da cultura aparelhada e do assalto ao dinheiro público.

O Brasil estaria em boas mãos se tivéssemos mais Freires para defender os nossos valores.

22 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

JUCÁ, O FORO ESPECIAL E A SURUBA!

Ricardo Noblat

O que disse o senador Romero Jucá (PMDB-RR), líder do governo no Congresso, ao comentar a proposta de restringir o foro especial de políticos somente para crimes cometidos no exercício do mandato eletivo:

– Se acabar o foro, é para todo mundo. Suruba é suruba. Aí é todo mundo na suruba, não uma suruba selecionada.

Suruba, segundo o Dicionário Aurélio, quer dizer orgia sexual, com a participação de mais de duas pessoas. Ou uma grande confusão.

O comentário de Jucá não dá margem a confusão: ele comparou o foro especial, que garante a políticos e magistrados o direito de só serem julgados pelas mais altas instâncias da Justiça, a uma orgia sexual.

E não somente a uma modesta orgia sexual com três ou quatro ou meia dúzia de pessoas: a uma orgia sexual de grandes proporções. Mais de 20 mil pessoas no Brasil desfrutam do privilégio do foro especial.

Numa suruba não se distingue entre parlamentares e juízes, por exemplo. Por que o direito ao foro especial deveria distinguir? Esse é o cerne da questão levantada por Jucá. E ela faz todo o sentido, sim.

A proposta de restringir o foro de políticos nasceu no Supremo Tribunal Federal, ali atraiu adeptos, mas dali transbordou para os jornais e começou a incomodar principalmente deputados e senadores alvos da Lava Jato.

Como justo neste momento quando eles mais se sentem ameaçados e imploram por proteção, fala-se em deixá-los ao desamparo, salvo nos casos de crimes cometidos no exercício do mandato?

E os crimes passados? E os crimes que possam cometer e que nada tenham a ver com o exercício do mandato? Assim não é possível. Ou nos locupletamos todos ou restaure-se a moralidade.

Como a tarefa de restaurar a moralidade levará muito, muito tempo; como ninguém tem a garantia de que ela será restaurada um dia, então que todos, por ora, se locupletem.

Não posso dizer que Jucá pensa assim. Quero acreditar que ele é um dos arautos da moralidade dentro do Congresso. Ou pelo menos da moralidade dentro do atual Congresso.

Mas quando Jucá compara foro especial com suruba, dá margem a todo tipo de confusão.

22 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

MANCHETE DA QUARTA-FEIRA – RECORDE PLANETÁRIO

* * *

Puta que pariu!!!

Mais de 300 guabirutagens só por conta da lavagem de dinheiro.

Fora as outras.

E o cara-de-pau ainda se declara inocente…

Chega me deu vontade de chorar, de tanta pena do coitadinho.

Xiuf, xiuf, snif, snif…

Agora tá explicado porque Sergio Cabral foi tão elogiado e tão bem recomendado pro eleitorado carioca.

O avalizador de sua candidatura é um mestre na arte da bandidagem pulítica.

21 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

DOIS PROBOS E IMPOLUTOS HOMENS PÚBLICOS QUE SÃO PERSEGUIDOS PELA GRANDE MÍDIA GOLPISTA

Romero Jucá fez um longo discurso no Senado, reclamando da “perseguição” que vem sofrendo por parte da imprensa.

Leia o ápice do discurso do pobre injustiçado:

“Está parecendo que estamos vivendo o período da inquisição, ou a Revolução Francesa. Estão querendo pregar em todos nós a cruz de Israel no peito, como os nazistas pregaram nos judeus que viviam na Alemanha. No passado, a turba fazia linchamentos, hoje quem tenta fazer é a imprensa e setores da sociedade.”

* * *

Hum…

Num sei não… Jucá se dizendo crucificado pela imprensa, a chamada “grande mídia golpista“, e também sendo perseguido por “setores da sociedade“, certamente os “coxinhas reacionários“…

Hum…

Igualzinho ao discursos de um outro pulítico que eu conheço, o Lapa de Demagogo, que vive sempre a repetir que é perseguido pela mesma “grande mídia golpista” que persegue Romero Ratão Jucá.

Aliás, Lapa de Demagogo não diz apenas que é perseguido.

Ele se diz “o mais perseguido“, mesmo sendo ele tão honesto quanto Jesus Cristo.

Como bem diz Ceguinho Teimoso, que imprensazinha safada é esta nossa.

“A imprensa vive nos perseguindo, companheiro Lula: até aquela gazeta escrota, o JBF, está pegando no pé da gente; somos dois grandes perseguidos e injustiçados”

21 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

LEITURA ERRADA

“Não roubamos direitos”, diz Temer sobre reforma da Previdência.

* * *

Quando li esta frase, pensei que a palavra chave estivesse no singular e que Temer comparava seu gunvero com o do PT:

“Não roubamos direito”.

Relendo com calma é que vi que a palavra estava no plural: “direitos”

Ufa!

21 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

MANCHETE DA TERÇA-FEIRA – POLÍCIA FEDERAL SEGUE ORIENTAÇÃO DO EX-PRISIDENTE

A Polícia Federal atribui aos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff e ao ex-ministro Aloizio Mercadante o crime de obstrução de Justiça – o último também enquadrado em tráfico de influência.

O documento de 47 páginas, assinado pelo delegado Marlon Oliveira Cajado dos Santos, do Grupo de Inquéritos da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, defende que Lula, Dilma e Mercadante sejam denunciados criminalmente, mas em primeiro grau, no âmbito da Justiça Federal do Distrito Federal, porque nenhum dos três detém foro privilegiado.

Formalmente, a PF não indiciou os ex-presidentes e o ex-ministro, mas o relatório afirma que “o conjunto probatório é suficiente”.

* * *

Bem que Lula afirmou (e Ceguinho Teimoso confirmou) que foi no seu gunverno que ele deu ordens severas para a Polícia Federal apurar tudo.

Roubo, guabirutagem, corrupção, obstrução da Justiça e tráfico de influência.

E a PF tá apurando mesmo.

Ladrão nenhuma escapa das malhas dos competentes investigadores da nossa briosa Polícia Federal, que foi incentivada a fazer isto por Lula.

Uma salva de palmas pra Lula e pra Polícia Federal!

20 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

MANCHETE DA SEGUNDA-FEIRA – LEGISLAÇÃO BANÂNICA

Um professor aposentado de 74 anos morreu em Mogi Mirim (SP), na madrugada deste sábado (18), após ser espancado por dois ladrões que invadiram a casa dele na Chácara dos Ipês.

Segundo informou a Polícia Civil, a vítima estava com um amigo e as agressões ocorreram após uma tentativa de roubo.

Os suspeitos fugiram sem levar nada após perceberem que as lesões provocadas na vítima eram graves, e não foram localizados.

José Flávio Juliani Citelli foi enterrado nesta tarde, no Cemitério da Saudade.

* * *

Pela “legislação” do STF, estes felas-da-puta, se um dia chegaram a ser presos e condenados, podem muito bem vir a requerer indenização pelas péssimas condições do cárcere.

E nós, os contribuintes, é que iremos pagar a conta. Vale a pena ler um editorial d’O Globo sobre este assunto. Basta clicar aqui.

E vamos tirar o dinheiro do bolso sob os aplausos da deputada petralha Maria do Rosário e da cambada de tabacudos que militam pelos direitos dos manos.

Isto é que é um país de rapariga da porra.

É phoda!!!!

Fecho a postagem reproduzindo uma nota do jornalista Cláudio Humberto:

Vai sair do bolso do contribuinte, vítima da criminalidade, a indenização ordenada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) para os presos que reclamam das condições carcerárias. Na prática, o bandido que balear ou estuprar receberá compensação pelo presídio “degradante”, ao contrário de sua vítima, levada a hospital público de fato degradante. A vítima não terá do STF ou do Estado nem mesmo pedido de desculpas.

Entre os contribuintes que vão pagar a indenização ordenada pelo STF estão aqueles que agonizam nos hospitais, vitimados pelo bandidos.

A ocupação de um leito hospitalar pela vítima de crime priva o acesso ao leito de uma pessoa que necessita, pelas vias ordinárias.

A ação que encantou o STF é de um bandido condenado por latrocínio, um dos crimes mais covardes e repugnantes. Ele matou para roubar.

20 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

MANCHETE DA SEGUNDA-FEIRA – TOLÔTES AO AR LIVRE

* * *

Porra!!!

Cem milhões é a metade da República Federativa de Bostônia.

É gente pra caralho.

Francamente, eu não acredito neste número avassalador.

Eu confio mais na palavra do fubânico petista Ceguinho Teimoso.

Ele garante e assegura que Lula não apenas extinguiu a pobreza neztepaiz como, mais ainda, erradicou a bosta ao ar livre.

Esta manchete aí de cima é mais uma mentira da grande mídia golpista.

Aquele mesma mídia que derrubou Dilma (não foram o Senado e o STF: foram Temer e a mídia que derrubaram).

A nossa querida Dilma que contribuía tanto para aumentar o volume do esgoto saneado.

Dilma e Lula passam boiando pelo esgoto a céu aberto às costas da criança

20 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

MESTRES DO LUDIBRIO

Animados pela pesquisa CNT/MDA, que coloca Lula na dianteira isolada na preferência popular para a eleição presidencial de 2018, o PT e o próprio Lula decidiram sair da encolha. Vão ampliar a participação do ex nas ruas, nas mídias sociais e, consequentemente, na imprensa. E não param de aumentar o tamanho da borracha que usam para apagar os fatos tenebrosos que escreveram na história, na tentativa de imprimi-los com as tintas que a eles convêm.

Com participações de 20s em cada uma das quatro inserções de 30s que o PT enviou sexta-feira para os diretórios estaduais, Lula fabula como derrotou a inflação e gerou mais de 22 milhões de empregos. Reclama que o atual governo está cortando dinheiro da educação, que falta democracia no país. E que crise se combate com investimento público.

Fala como se o Brasil tivesse algum respiro para investir. Como se o caos econômico, crescimento negativo e desemprego galopante não fossem resultados de seu último mandato e dos de sua pupila. Como se a economia fosse regida por voluntarismo, como se o país não tivesse perdido um único centavo para a corrupção.

Em outro vídeo, de 2min41s, divulgado na página de Lula no Facebook e replicado no site oficial do PT, o ex expõe com absoluta maestria sua habilidade de interpretar os acontecimentos, de inverter os polos, criar verdades. Usa as mesmas roupas dos filmetes, mas outra face.

A título de conclamar partidários para o 6º Congresso da sigla, com primeira etapa prevista para o dia 9 de abril, Lula diz que o PT vem sendo destruído desde 2005 – quando estourou o mensalão – pela ação de seus adversários que “continuou até o impeachment da presidenta Dilma”. Afirma que 2017 é o ano de recuperar a imagem do PT e de “defender o legado do partido que mais fez política social neste país”. 

Ora em tom emotivo, ora com fala vigorosa, a convocação de Lula imita a de um general que tem de animar a tropa esfarrapada que será baleada no front. Figurativo que o ex substituiu pela subida de uma escada – há os que desistem no primeiro degrau, no quarto degrau, e os “bons”, que sobem 10 degraus e estão prontos para outros 10.

Só não falou no tamanho da queda.

Mesmo que lidere pesquisas, Lula sabe que queimou patrimônio demais. Tem pouco tempo para se livrar do que já pesa sobre os seus ombros – companheiros condenados no mensalão, outros na cadeia pela Lava-Jato e cinco processos diretos contra ele. Do que ainda pode vir com a revelação completa da delação da Odebrecht e de outros cadáveres que ele e o PT já supunham enterrados.

Sabe ainda que será difícil negar a responsabilidade pela crise econômica que deixou mais de 12 milhões no desemprego e outros 3 milhões na miséria. Que uma campanha eleitoral faz ressuscitar fantasmas de seu time de elite – Dirceu, Palocci e cia. -, empresários amigos – Léo Pinheiro, Marcelo Odebrecht, etc. -, políticos do coração, como Sérgio Cabral. Todos atrás das grades.

A sorte de Lula – e político tem de ter estrela, sorte – é que o governo Michel Temer tem pernas bambas. Erra mais do que acerta e só se mantem em pé ancorado na muleta que sustenta a economia.

Aos erros de Temer se somam os de integrantes de seu partido, o PMDB, e de aliados, que, em nome de autoproteção, denigrem a política, colocando tudo e todos na mesma cesta podre.

Mercado de ocasião para Lula, que não perde uma única chance.

No vídeo dedicado à militância, o líder do “nós”, os virtuosos, contra o “eles”, os canalhas, chega a admitir igualdade para nivelar todo mundo por baixo e se dizer superior: “pode ter até igual, mas nesse país não tem ninguém melhor do que nós”.

Mas são elementos de fundo que dão personalidade à peça publicitária. Recuperam-se o vermelho e a estrela, tão escondidos na campanha do ano passado. E no encerramento saca-se um novo símbolo: os quatro dedos da mão de Lula sobre a bandeira do partido.

É apelativo? E daí? Bota-se um pouco de verdade irrefutável – Lula realmente perdeu o dedo mínimo – para mexer com as emoções e fazer parecer que tudo o que foi dito anteriormente no vídeo carrega dose idêntica de verdade.

São craques na arte do ludibrio. E isso, sem dúvida, tem peso nas urnas.

20 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

O HOMEM DESTEMIDO QUE ABRIU A CAIXA DE PANDORA DA CORRUPÇÃO

Em artigo publicado nos jornais El País e O Estado de S.Paulo, o escritor peruano Mario Vargas Llosa, prêmio Nobel de literatura, afirmou que a empreiteira Odebrecht, no futuro, deverá ter um monumento em sua homenagem.

No mesmo texto, ele afirma ser “milagre” que “um juiz fora do comum”, como Sérgio Moro, continue vivo.

Llosa abre o texto dizendo que a empreiteira fomentou a corrupção, mas ao mesmo tempo fez um trabalho como poucos para revelar os esquemas de corrupção que corroem os países da América Latina. “Algum dia teremos de erigir um monumento em homenagem à empresa brasileira Odebrecht, porque nenhum governo, empresa ou partido político fez tanto quanto ela desvelando a corrupção que corrói os países da América Latina, nem trabalhou com tanto ânimo para fomentá-la”, diz.

Ele lembra que a Odebrecht gastou cerca de 800 milhões de dólares em propinas pagas a chefes de Estado, ministros e funcionários de governo para ganhar licitações e obter contratos superfaturados. Nesse contexto, ele diz que é um “milagre” que o juiz Sérgio Moro, que abriu a “Caixa de Pandora”, continue vivo.

Em seu texto Mario Vargas Llosa advertiu que somente a democracia será capaz de combater a corrupção dos governos latinos, revelada pela Odebrecht e pela Lava Jato. Disse ele: “É uma tragédia que, no momento em que a maioria dos latino-americanos começa a se convencer de que a democracia liberal é o único sistema de governo que garante um desenvolvimento civilizado, na convivência e na legalidade, o roubo frenético cometido por governantes corruptos conspire contra essa tendência positiva. Aproveitemos as delações premiadas da Odebrecht para puni-los e demonstrar que a democracia é o único sistema capaz de regenerar-se a si mesmo“.

* * *

Este cabra, o escritor Prêmio Nobel Vargas Llosa, um intelectual de primeiro time, além de cidadão íntegro e honesto, conhece muito bem os meandros e os subterrâneos desta sofrida e explorada América Latrina.

Não é por acaso que ele escreveu o romance “A Guerra do Fim do Mundo“, um dos meus livros prediletos e que li nos anos 80 do século passado

O livro cuida, nada mais, nada menos, do que da Guerra de Canudos, acontecida nos sertões da Bahia no final do Século XIX, retratada de forma romanceada mas baseado em fato reais. Um texto arretado e que me deixou maravilhado.

Agora, Vargas Llosa dá um mergulho na Guerra da Corrupção e discorre sobre a Odebrecht, os guabirus e o Dr. Sérgio Moro.

Fique tranquilo, Mario: nosso querido Magistrado, o verdadeiro Herói do Povo Brasileiro, conta com a proteção da banda decente do Brasil e dos cidadãos que ainda tem vergonha na cara neste nosso sofrido país.

Num vai morrer nem tão cedo!!!

Para ler a íntegra do artigo de Vargas Llosa, clique aqui.

Llosa e Moro, dois dos maiores nomes da América Latina, cada um no seu campo de atuação

20 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

MIJOU FORA DO PINICO

Muito lixo espalhado pelas ruas, confusão em acessos ao metrô, falta de orientação para motoristas que ficaram presos no trânsito e mudança de última hora sobre locais de dispersão dos blocos foram alguns dos problemas do fim de semana de pré-Carnaval na capital paulista, principalmente na zona oeste.

Na manhã deste domingo(19), o prefeito João Doria admitiu que houve falhas na organização dos eventos de sábado (18).

Corrigir o que falhamos ontem para fazer melhor hoje“, afirmou ele, que recebeu gritos de apoio de quem passava pelo local.

* * *

Este cabra mijou fora do pinico e obrou bem longe do vaso.

Adminitrador público nesta nossa querida Banânia não pode, de modo algum, assumir que houve qualquer falha em sua administração.

Tem que garantir que está tudo bem, tudo ótimo e tudo certo.

Em último caso – quando não tiver saída pra negar o mal feito -, tem que botar a culpa em outra pessoa.

Essa de afirmar que vai “corrigir o que falhamos” num tá certo de modo algum!!!

É por conta disto que as empresas dele estão falidas e são um verdadeiro lixo.

O prefeito empresário-lixeiro

19 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

LULA, O FAVORITO

Ruy Fabiano

Há um intrigante paradoxo em torno da figura de Lula: não viaja em avião de carreira, evita locais públicos e só fala em ambientes restritos à sua militância para evitar a hostilidade pública, de que tem sido alvo desde que exposto pela Lava Jato.

Não obstante, pesquisas eleitorais, como a mais recente, da CNT, o apontam como favorito à presidência da República. Venceria todos os presidenciáveis até aqui conhecidos, de Aécio Neves a Bolsonaro, passando por Marina Silva, Serra, Ciro Gomes e Alckmin.

Ora, alguém que ostenta tal favoritismo deveria, bem ao contrário, enfrentar de peito aberto ruas, aeroportos, restaurantes, estádios de futebol (aos quais Lula, ardoroso torcedor, não comparece desde antes da Copa do Mundo), pois, no mínimo, teria a seu favor a maioria dos circunstantes.

O que se depreende disso? Ou essa maioria mora em outro país (ou planeta) ou simplesmente é fictícia. Mesmo no Nordeste, onde se concentrou, nos idos tempos, o grosso do seu eleitorado, o quadro mudou. Há um vídeo no Youtube que registra uma chegada de Lula ao aeroporto de Fortaleza, pontuada por vaias e palavrões.

Ele próprio havia prometido viajar por todo o país denunciando o “golpe” do impeachment e, ao que parece, mudou de ideia. As poucas viagens que fez foram nos termos acima mencionados: em jatinho particular, com aparições restritas a uma plateia amestrada.

Estranho favoritismo. Há quatro meses, seu partido foi fragorosamente derrotado nas eleições municipais em todo o país. Venceu apenas numa capital, Rio Branco, cujo estado é governado há duas décadas por uma mesma dinastia, a dos irmãos Viana.

Perdeu em toda parte, inclusive no berço petista do ABC paulista. Em São Bernardo, cidade onde mora há décadas – e onde iniciou sua carreira de líder sindical -, não conseguiu emplacar nem sequer um enteado para o modesto cargo de vereador.

O PT definha e vê na ressurreição do mito Lula sua última cartada. Perdido por um, perdido por mil. Prestes a prestar contas à Justiça, réu em cinco processos e sem o guarda-chuva do foro privilegiado, Lula pôs em cena a figura do perseguido político.

Prepara emocionalmente a militância – reduzida, mas ruidosa e violenta – para tornar sua iminente prisão um fator de turbulência pública. Tem a seu favor a simpatia (ou o receio) do próprio presidente Temer, a quem chama de golpista, mas não hesita em estender a mão e a apoiar nos embates dentro do Parlamento.

Em todos os seus pronunciamentos, faz-se de vítima, papel que não dispensava mesmo quando dava as cartas. Nenhuma chance é desperdiçada, nem mesmo, como se viu, o velório de sua esposa, transformado em palanque político. Para contrabalançar essa imagem de fragilidade, cuidadosamente construída, nada como ostentar pesquisas que o mostrem como amado pela população e perseguido pelas elites de sempre. A melhor defesa é o ataque.

A recente pesquisa da CNT – cujo presidente, Clésio Andrade, seu amigo, é investigado também pela Lava Jato – tem a vantagem, como as anteriores, de não precisar comprovar nada.

Não há eleições à vista, nem candidatos lançados, nem o tema está na pauta. O indicador mais recente são as eleições municipais de quatro meses atrás, cujo resultado não chancela o das pesquisas.

Mesmo assim, obtém repercussão na mídia, que a militância reverbera, nas redes sociais, na tentativa de mostrar que as denúncias – e a condição de réu em cinco processos – são inconsistentes, parte de um complô obscurantista para tirar de cena “o melhor presidente que o Brasil já teve”, nas modestas palavras do próprio Lula.

Enquanto isso, o escândalo Odebrecht, que tem o ex-presidente no centro da trama, começa a pipocar em diversos outros países da América Latina. Inclusive na sua Venezuela.

19 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

MANCHETE DO DOMINGO – SAÚDE NA UTI

Segundo a Agência Nacional de Saúde “A contratação de plano de saúde está diretamente relacionada à empregabilidade formal e ao poder de compra do cidadão. Em um cenário econômico adverso, é natural que haja redução no número de beneficiários”.

* * *

Ao falarmos em “cenário econômico adverso” – como está escrito nesta notícia aí de cima -, podemos deduzir de imediato que isto é culpa do golpista Michel Temer.

Uma culpa que o atual prisidente de Banânia divide com o neo-liberal FHC.

Esta crise horrível em que estamos metidos é por conta da herança maldita que o tucano deixou pro pmdebista. E que o pmdebista herdou como se fosse uma grande obra.

Lula, Dilma e o PT nada tem a ver com isto, conforme assegura o fubânico petita Ceguinho Teimoso.

Uma crise que faz muita gente morrer por não conseguir mais pagar um plano de saúde, é uma coisa tenebrosa.

A dupla que lascou a saúde pública, causou a crise em que vivemos hoje e destruiu aquilo que o fubânico petista Ceguinho Teimoso denomina de “grandes conquistas sociais de Lula”

19 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

MANCHETE DO DOMINGO – UFA!!! ATÉ QUE ENFIM!!! GLÓRIA, GLÓRIA, ALELUIA!!!

O senador Humberto Costa (PT-­PE) foi ministro da Saúde do governo Lula, esteve no olho do furacão durante a prisão de Delcídio do Amaral, o ex-petista preso tentando obstruir a Lava-Jato, e durante o traumático processo de impeachment da correligionária Dilma Rousseff.

Atuou na linha de frente para amparar o que restou do PT e era o líder do partido no Senado até duas semanas atrás.

É, portanto, um petista do núcleo duro da legenda – e, também, a primeira voz autorizada a dizer publicamente, como fez em entrevista a revista Veja, que chegou a hora de o PT admitir que se envolveu em corrupção, pedir desculpas à sociedade pelos erros que cometeu, abandonar o discurso de “denúncia do golpe” e apresentar propostas econômicas para tirar o país do atoleiro.

* * *

Ufa!

Até que enfim!!!

Vejam só o que Humberto Pato Rouco falou: “É hora do PT assumir a corrupção e abandonar o discurso de “denúncia de golpe“.

Repitamos, repitamos, repitamos:

É HORA DO PT ASSUMIR A CORRUPÇÃO E ABANDONAR O DISCURSO DE “DENÚNCIA DE GOLPE”.

Uma coisa que até os calangos do agreste pernambucano já estavam cansados de saber, bem como as pessoas que não sofrem das vistas, as que usam a razão e as que praticam o saudável esporte de raciocinar.

Agora, só falta mesmo este ilustre petralha convencer os fubânicos Regiopídio Lacerda, Cobra Choca e Ceguinho Teimoso, bem como convencer o que ainda resta da militância petêlha depois das últimas eleições municipais.

Este é um desafio que, desconfio, ele não vai conseguir vencer nunca.

Como estas declarações da Pato Rouco foram dadas à revista Veja – publicaçãozinha reacionária e fascista -, certamente Lula vai dar ordens pro curral de antas e jumentos da militância pra chamarem o senador Pato-Rouco de reacionário, golpista e direitista.

Saudemos! Cantemos! Exaltemos! Bendigamos! Glorifiquemos! Louvemos!

18 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

COMO SE CAIXA DOIS NÃO FOSSE CRIME

Ricardo Noblat

O Tarso Genro que depôs, ontem à tarde, à 13ª Vara Federal de Curitiba como testemunha de defesa do ex-presidente Lula não esteve à altura do ex-ministro da Justiça Tarso Genro que desde o escândalo do mensalão defende a necessidade de refundar o PT, livrando-o dos vícios adquiridos nos últimos 13 anos e das personalidades nefastas que o levaram a cometer tantos graves erros.

Para explicar o mensalão, Lula disse, em meados de 2005, que tudo não passara de caixa dois – a doação por empresas de dinheiro não declarado à Justiça Eleitoral. E que todos os partidos sempre se valeram de caixa dois para financiar suas campanhas. O que Tarso disse ontem para livrar Lula das acusações que o tornaram réu em cinco processos da Lava Jato? Ora… Simplesmente repetiu o discurso de Lula sobre o caixa dois.

Foi além. Segundo ele, a prática de esconder da Justiça doações de campanha não ocorria por intenção de partidos ou candidatos, mas sim por exigência das empresas doadoras que não queriam ter seus nomes vinculados às campanhas. (Coitadinhos dos partidos… Forçados a competir para continuar existindo, foram constrangidos pelas empresas a infringir a lei. Sem dinheiro não se disputa nem se ganha.)

Caixa dois sempre foi crime. Partidos e políticos fizeram de conta que se tratava de um crime menor, uma simples infração eleitoral, tolerável porque cometido universalmente. Em 2012, durante o julgamento do mensalão, a ministra Cármen Lúcia, atual presidente do Supremo Tribunal Federal, decretou: “Caixa dois é crime e agressão à sociedade. No estado de direito, o ilícito há de ser processado e, se comprovado, punido”.

É crime porque previsto em lei. É agressão porque caixa dois corrompe e subverte a livre manifestação da sociedade. Um candidato montado em muita grana leva vantagem sobre outro com menos grana. Dá-se o mesmo com os partidos. Os mais bem aquinhoados de dinheiro conquistam mais tempo de propaganda eleitoral no rádio e na televisão via compra de apoios de outras siglas, por exemplo.

Advogados de Lula perguntaram a Tarso se tinha conhecimento de algum ato do ex-presidente que justificasse a acusação do Ministério Público Federal de que ele construiu colchão de recursos ilícitos para abastecer campanhas. Tarso respondeu que nenhum candidato participa das articulações para o financiamento da campanha “até para não criar uma relação de compromisso com a empresa doadora”.

Menos, Tarso, menos. Em 2002, Lula testemunhou a compra pelo PT do apoio do então Partido Liberal (PL) à sua candidatura a presidente. Ele e o empresário mineiro José Alencar, que seria seu vice, se reuniram em um apartamento de Brasília com Valdemar Costa Neto, então presidente do PL. A certa altura do encontro, esperaram na varanda que José Dirceu fechasse o negócio trancado em um quarto com Costa Neto.

O negócio custou ao PT R$ 6 milhões – uma titica se comparado, hoje, com os negócios milionários e em dólares que desfalcaram os cofres das Petrobras. Lula insiste em dizer que desconhecia a corrupção na Petrobras. Bem, ele ainda teima em negar que o mensalão existiu.

Pelo jeito, Tarso nem reconhece o Mensalão nem acredita no Petrolão.

Tudo deve ter sido inventado para derrubar Lula e destruir o PT.

18 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

TUDO JUNTO E MISTURADO BANANICAMENTE

A campanha do senador Aécio Neves (PSDB-MG) pagou mais de R$ 360 mil ao escritório de advocacia de Alexandre de Moraes (recém-desfiliado do PSDB) durante a disputa pela Presidência da República de 2014.

Membro titular da Comissão de Constituição e Justiça do Senado, o tucano participará na terça-feira (21) da sessão de sabatina de Moraes, indicado para ser ministro do Supremo Tribunal Federal.

A Coligação Muda Brasil fez a transferência do valor de R$ 364.652, 98 para a empresa Alexandre de Moraes Sociedade de Advogados por serviços jurídicos, como mostram dados da prestação de contas disponíveis no Tribunal Superior Eleitoral.

* * *

Sem dúvida alguma, Temer indicou o homem certo para o lugar certo.

A careca de Cabeça-de-Pica vai brilhar com muita intensidade no órgão supremo da nossa justiça (?).

Com Alexandre de Moraes botando a bunda numa das 11 poltronas do plenário do STF, os guabirus assim feito Aécio poderão continuar respirando com alivio.

“Deixa cumigo que eu ajeito tudo, Mineirim”

Enquanto isto, a pobreza que Lula eliminou (segundo Ceguinho Teimoso) e que Temer trouxe de volta (segundo Adolfo Dido), continua ao léu, pegando chuva, sol e sereno

Como estamos em tempos de carnaval, vamos fechar esta postagem com uma marchinha de autoria da dupla Peterpan/Afonso Teixeira, intitulada Marcha do Caracol.

A interpretação é do grupo Quatro Ases e um Coringa.

17 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

MANCHETE DA SEXTA-FEIRA – IMPUNES

* * *

Como disse o colunista fubânico José Nêumanne Pinto – na postagem que está imediatamente abaixo desta -, ser julgado pelo STF é garantia de impunidade.

Lindbergh e Collor: dois guabirus amigos, dois tolôtes do mesmo pinico

17 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

CHEGOU AO ORIENTE

O herdeiro da Samsung, uma das maiores empresas de eletrônicos do mundo, foi preso na Coreia do Sul.

Ele foi detido por causa da participação em um grande escândalo de corrupção nacional, que levou até ao impeachment da presidente sul-coreana, Park Ún-Rê.

Os promotores acusam o grupo de pagar mais de US$ 37 milhões em propina para organizações não-governamentais ligadas a uma amiga da ex-presidente.

* * *

37 milhões de dólares pixulecados pra amiguinhos da ex-presidenta…

A parecença me lembrou uma certa republiqueta latrino americana.

Quer dizer, então, que a Lava Jato chegou à Coréia do Sul?

Que notícia boa.

Só não vai conseguir chegar nunca à pobre e fudida ditadura da Coréia do Norte cumunista.

Lee Jae-Yong, o cambalacheiro sul-coreano indo pro xilindró; o nome começa com “L” mas ele tem dez dedos nas mãos e ficou rico vendendo televisão

17 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

MANCHETE DA SEXTA-FEIRA – SAÚDE PRA DAR, VENDER E EXPORTAR

* * *

E isto foi só no mês de janeiro passado???!!!

Danô-se!

Com certeza, isto é culpa da herança maldita deixada por FHC.

Agora, aqui entre nós: perder plano de saúde é besteira.

O nosso sistema de saúde pública é tão bom que já foi até recomendado pra ser exportado.

E exportado pros Zistados Zunidos!!!

17 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

MANCHETE DA SEXTA-FEIRA – A QUEDA DO LUCRO DOS BANCOS E A BANCARROTA DO JBF

* * *

A queda do lucro dos bancos, em apenas 20%,  é besteira.

O prejuízo das Organizações Midiáticas Besta Fubana aumentou em 268% no ano passado.

E, neste ano de 2017 que está começando, as coisas pioraram mais ainda nas finanças desta gazeta escrota.

Isto tudo é culpa de FHC, que fudeu Banânia por inteiro.

Crise e inadimplência são legados que o tucano deixou pro PT.

E tem mais: também por culpa do sociólogo emplumado, o Itaú Unibanco passou a ser o maior banco banânico e deixou pra trás o nosso querido banco estatal, o Banco do Brasil, aquele que cobra os juros mais baixos do mundo.

A verdade nua e crua é que o JBF tá fudido…

17 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

FILHOS QUE SÃO O ORGULHO DOS PAIS

O Ministério Público especial anticorrupção do Panamá solicitou à Interpol a emissão de um alerta vermelho para detenção de Ricardo e Luis Enrique Martinelli Linares, filhos do ex-presidente Ricardo Martinelli (2009-2014)

Eles são acusados de cobrar propina da Odebrecht.

* * *

Primeiro foi o ex-prisidente do Peru, caçado por ter recebido milionário pixuleco da Odebrechet. Coisa pouca, quase nada: apenas 20 milhões. De dólares.

Agora, são os dois filhos do ex-prisidente do Panamá, caçados por conta também de propinas recebidas da Odebrecht

Este cabra, o corrupto panamenho Ricardo Martinelli, especialista em corrupção, doutor em ladroagem e doutorado em mamar dinheiro público, foi quem declarou, em maio de 2011, que “Lula deveria ser o presidente do mundo“.

A partir desta frase arretada, deduz-se que a ganância pra roubar é planetária.

Aliás, Martinelli fez esta declaração durante a inauguração de uma obra realizada pela Odebrecht lá no Panamá!

Um feliz, oportuna e justa coincidência!

Quem quiser ler a matéria, é só clicar aqui.

Depois destas duas caçadas Latrino Americanas – no Peru e no Panamá -, terá início, em breve futuro, a caçada ao ex-prisidente de Banânia e seus filhos. Que irão tomar nos respectivos furicos por conta também da Odebrecht.

Francamente, meu patriótico coração bate feliz dentro do peito ao constatar que uma empresa banânica compra e embolsa otoridades tanto nacionais quanto istranjeiras.

Agora, vamos aguardar o pronunciamento de Ceguinho Teimoso, bradando contra a injustiça da lei, a safadeza tucana, o golpismo direitista e a sacanagem dos coxinhas. E fazendo a veemente defesa de Lula e de Ricardo Martinelli e seus filhos.

“Num se ria não, cumpanhero Martinelli: nossos fio são jenio nus negoços, qui nem Ronardinho no futibó; e si eu fô prisidente do mundo, eles vão sê os mininos mais rico do praneta terra”

16 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

MANCHETE DA QUINTA-FEIRA – GUABIRUTAGEM FAMILIAR PMDEBAICA

A Polícia Federal deflagrou no início da manhã desta quinta-feira (16) uma operação, chamada de Leviatã, para cumprir mandados de busca e apreensão nas casas e escritórios de pessoas investigadas por propina na construção da usina hidrelétrica de Belo Monte, no Pará.

A Leviatã se baseia em provas coletadas na Operação Lava Jato.

Entre os alvos da operação estão o ex-senador pelo PMDB do Pará Luiz Otávio e o filho do senador Edison Lobão (PMDB-MA), Márcio Lobão.

As buscas estão relacionadas a um inquérito que corre no STF para investigar pagamento, por parte das empresas do consórcio de Belo Monte, de 1% dos valores das obras da usina ao PT e ao PMDB.

* * *

Conforme consta da notícia aí de cima, a Operação Leviatã surgiu depois de “provas coletadas na Lava Jato.

Vou repetir: PROVAS!

E depois ainda tem neguinho fela-da-puta que quer extinguir a operação Lava Jato…

É phoda!

Agora, voltando à notícia:

Esta parelha partidária citada no último parágrafo não se desgruda nem com a porra.

PT e PMDB estão sempre juntos na guabirutagem e na mamação dos recursos públicos.

Talvez seja por isso mesmo que Lobão não perde uma única eleição e que Lula esteja brilhando nas pesquisas fajutas: o eleitorado banânico adora ladrões.

Num é mesmo, Eduardo Cunha?

Esta manchete aí de cima refere-se a um dos ratinhos do papai Lobão.

Quem quiser saber mais sobre o outro rato familiar lobaico, releia uma postagem de agosto de 2013, que saiu aqui no JBF.

Uma postagem intitulada justamente de “Filho de Lobão, lobinho é…

Basta clicar aqui para ler.

15 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

MANCHETE DA QUARTA-FEIRA – VAI CONTINUAR OBRANDO DE COCA

* * *

Quer dizer, então, que ainda teve um, unzinho, que votou a favor de Cunhão???!!!

Pois é. Teve sim.

Foi Marco Aurélio Mello, aquele tabacudo que tem voz de pata choca.

Vamos ver como será o placar quando chegar a vez de Lula.

Nunca é demais relembrar que as propinas recebidas por Cunhão foram no tempo em que a Petrobras era administrada pelo PT.  

A aliança entre guabirus pmdebistas e guabirus petralhas era, e continua sendo, muito forte e “rentável”.

A parecença entre as duas organizações criminosas é fantástica.

E os componentes dos dois bandos, tem o mesmo nível ético, moral e político.


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa