27 outubro 2016 DEU NO JORNAL

MANCHETE DA QUINTA-FEIRA – ACABOU A “PERSEGUIÇÃO SELETIVA”

ac

O juiz Vallisney de Souza Oliveira, da primeira instância da Justiça Federal em Brasília, recebeu nesta quarta-feira (26) uma denúncia apresentada contra o deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), o ex-ministro Henrique Eduardo Alves, o doleiro Lúcio Funaro, o ex-sócio de Funaro Alexandre Margotto, o ex-vice-presidente da Caixa Fábio Cleto.

Com a decisão, os cinco se tornam réus e responderão a ação penal na 10ª Vara do Distrito Federal.

Eduardo Cunha está preso em Curitiba, acusado por investigadores da Operação Lava Jato de receber propina de contrato de exploração de petróleo pela Petrobras no Benin, na África, e de usar contas na Suíça para lavar o dinheiro.

* * *

Este manchete aí de cima omitiu um “pequeno” detalhe. Pra ser completa, ele deveria ser assim:

Cunha e Henrique Alves viram réus em ação sobre esquema na Caixa que era administrada pelo PT

Também é de suma importância salientar que a propina recebida por Eduardo Cunhão por conta da extração de petróleo no Benin, foi através da Petrobras também administrada pelo PT.

O magistrado que enfiou a pajaraca neste dupla de ratos é o mesmo que foi chamado de “juizeco” pela senadorzeco Renan Corrupto Calheiros.

Viva este juizão!!!

Agora, por uma questão de justiça, a “perseguição seletiva” de que tanto falam os zisquerdóides vermêio-istrelados deixa de atingir apenas os petralhas e chega aos ladrões de outros partidos.

27 outubro 2016 DEU NO JORNAL

MANCHETE DA QUINTA-FEIRA – TRISTE SITUAÇÃO

desemprego

O desemprego ficou em 11,8% no trimestre encerrado em setembro, segundo dados divulgados nesta quinta-feira (27) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A taxa segue como a maior de toda a série histórica da Pnad, que teve início em 2012.

No trimestre encerrado em agosto, o índice também ficou em 11,8%.

A população desocupada somou 12 milhões de pessoas.

ds

* * *

É um número tristemente impressionante: 12 milhões de pessoas desocupadas e que tem como única ocupação caçar uma vaga pra trabalhar e ganhar o pão de cada dia.

Que coisa…

Isto é consequência da Herança Bendita deixada pelos gunvernos do PT.

Te vira, Temer!

27 outubro 2016 DEU NO JORNAL

MISSÃO IMPOSSÍVEL

A ONU, nesta quinta-feira, desmontou a patacoada dos advogados de Lula.

Deu no Estadão:

“A ONU explicou que a decisão envolvia um ‘registro’ do caso.

‘Isso não implica uma decisão nem sobre sua admissibilidade e nem sobre mérito’, indicou uma nota enviada pela porta-voz da entidade, Elizabeth Throssell. ‘Significa apenas que o Comitê de Direitos Humanos olhará o caso’”.

E mais:

“Peritos da ONU admitem que o exame de conteúdo do ex-presidente pode ficar para o final de 2017. Um tratamento urgente poderia ter sido dado à queixa, mas isso não foi autorizado”.

* * *

Defender Lula é igual enxugar gelo e azeitar o eixo do sol: tarefa impossível!

Tanto pode ser no juizado de causas guabirutais de Palmares quanto no departamento de Roubos e Furtos da ONU.

A boca de Lula e as canetas dos seus advogados são torneiras permanentemente abertas, jorrando merda nos ares de Banânia e do mundo.

Francamente, eu chega se mijo-me todinho de tanto se rir-se-me com estas babaquices tabacudais (ou tabaquices babacudais…) da defesa de Lapa de Corrupto.

do-caralho

26 outubro 2016 DEU NO JORNAL

FALA, PEDRÃO ! ! !

O depoimento do ex-deputado Pedro Corrêa (PP), que atribui ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva diálogos que apontam um esquema de loteamento de cargos na Petrobras, foi anexado à denúncia contra o petista pelos procuradores da República da força-tarefa da Lava-Jato.

Lula foi denunciado por corrupção e lavagem de dinheiro nesta semana. O relato de Corrêa é usado pela Procuradoria na denúncia formal contra o ex-presidente, acusado de ser o “comandante máximo do esquema de corrupção” na estatal.

No depoimento, realizado no dia 1º de setembro, Pedro Corrêa diz que Lula questionou a demora na nomeação de Paulo Roberto Costa na diretoria da Petrobras e ameaçou demitir o conselho da estatal. Uma vez no cargo da diretoria de abastecimento, Costa “atendeu satisfatoriamente os interesses do PP na arrecadação de propina da Petrobras”.

Em 2006, antes das eleições, Pedro Corrêa e José Janene (na época presidente do PP) fizeram a Lula reivindicações de novos cargos e dinheiro para campanha do PP. O ex-presidente teria negado e respondido “Vocês têm uma diretoria muito importante, estão muito bem atendidos financeiramente. Paulinho [Paulo Roberto Costa] tem me dito”.

De acordo com Corrêa, naquele mesmo encontro, Lula afirmou que não tinha obrigação de ajudar pois “Paulinho tinha deixado o partido muito bem abastecido, com dinheiro para fazer a eleição de todos os deputados”. Ambos entraram pela garagem do Planalto para a reunião com o ex-presidente. Costa foi preso em março de 2014 e fechou acordo de delação premiada no mesmo ano.

* * *

Vale a pena ressaltar um trecho desta notícia aí de cima: Lula foi denunciado por corrupção e lavagem de dinheiro nesta semana.

Que grande nuvidade, num é mesmo???!!!

Lapa de Corrupto haverá de pagar caro toda a lama que despejou sobre esta infeliz república.

A desgraça que Lula e o PT provocaram na fudida Petrobras ainda vai perdurar por muitos e muitos anos.

Ô quadrilha fela-da-puta do caralho é esta dos ladrões vermêio-istrelados.

Vôte!

Fala mais, Pedro Corrêa. Fala mais. Bota a boca no trombone e espalha merda no ventilador.

Fontes bem informadas do JBF me garantiram que tu sabes coisas mais pesadas ainda do que esta sobre Lapa de Corrupto.

Fala, Pedrão!!!

lula-e-pedro-correa

Do lindo trio que aparece nesta foto, os dois da direita, Zé Dirceu e Pedro Corrêa, já estão engaiolados; quando será a vez do guabiru que está na esquerda? (Êpa!); porque está demorando tanto ele ser despachado pra Curitiba? (Reparem, por debaixo da mesa, que Pedro Corrêa tem culhões grandes; vamos ver se tem coragem de tamanho proporcional aos ovos…)

25 outubro 2016 DEU NO JORNAL

A CEIA DO “ADEUS PRA SEMPRE”

Marco Aurélio Garcia, Paulo Vannuchi, Marilena Chauí, Dalmo Dallari, Fábio Konder Comparato, Valnice Nogueira Galvão e outros petistas conhecidos organizam um jantar em homenagem a Lula no dia 31, próxima segunda-feira.

Podemos dizer que é um jantar de despedida.

* * *

A propósito de ser este o jantar de despedida para Lularápio – a ceia do pé-na-bunda deste bando de ratos -, me lembrei de uma postagem de abril de 2014.

Uma postagem que fala de uma outra santa ceia, promovida por este Editor.

Quem quiser rever, basta clicar aqui.

sc1

25 outubro 2016 DEU NO JORNAL

SITUAÇÃO DE LULA MUDA DE PATAMAR NA LAVA JATO

josias-de-souza5

Segundo a crença dos devotos do PT, Lula não tem muito a dizer sobre os momentos mais constrangedores de sua passagem pelo poder porque ele não sabia da devassidão que vicejava ao seu redor. A julgar pelo seu comportamento atual, Lula não sabia e continua não sabendo. Nunca um culpado pareceu tão inocente. Ou, por outra, nunca um inocente pareceu tão culpado. Do ponto de vista da Lava Jato, a situação de Lula mudou de patamar.

Piorou!

Antes, o ex-presidente era acusado de ter seus confortos bancados por empreiteiras num sítio e num apartamento de praia. Ou no pagamento do aluguel dos contêineres que guardam suas “tralhas”. Ou na recompensa pelo tráfico de influência camuflada sob a aparência de remuneração de palestras.

Agora, a acusação é mais direta: o “amigo” que aparece nas planilhas da Odebrecht associado a R$ 8 milhões em propinas é Lula, acusa a Polícia Federal.

A defesa de Lula reitera o mantra: “É perseguição política”. No fim das contas, Lula parece reivindicar que os investigadores levem em conta a sua inocência inquestionável. É como se exigisse para si um julgamento à parte, um veredicto que não ousasse responsabilizá-lo pelas culpas do sistema. Sempre foi assim, caramba!

Lula deseja que a Lava Jato leve em conta que, no governo, ele lutava por uma biografia ao mesmo tempo que tinha que cuidar da governabilidade. Seus aliados queriam propinas, não um bom nome. Deve doer em Lula o destino que a história lhe reservou. Um destino de ex-monarca obscuro, numa peça de enredo confuso, em que o personagem central é um juiz de Curitiba e o epílogo é a Odebrecht.

25 outubro 2016 DEU NO JORNAL

MARGINAIS NAS ARQUIBANCADAS

A diretoria do Corinthians se manifestou contra a ação da Polícia Militar do Rio de Janeiro, que manteve torcedores no setor visitante do Maracanã até identificar 40 torcedores que agrediram policiais em conflito antes do jogo, e que foram levados para a delegacia.

Com palavras fortes, a nota oficial chama o procedimento de “atitude covarde”.

* * *

Um time que tem uma diretoria que solta uma nota deste tipo – atropelando os fatos e fazendo de conta que não enxerga a realidade objetiva -, merece mesmo ter Lula como torcedor. Torcedor e favorecedor via Odebrecht.

Quem se der ao trabalho de ler a nota do Corinthians na íntegra, defendendo seus marginais, vai entender a razão da preferência futebolística de Lapa de Criminoso.

Parece até que os dirigentes corintianos contrataram um zintelequital petista pra redigir o “documento oficial”.

Torcedores um caralho!

Lamento muito e fico com muita pena dos cidadãos pacíficos, dos pacatos apreciadores do futebol, dos homens de bem e das pessoas honestas que torcem pelo chamado timão. Estão todos em péssimas companhias.

O que vemos nestas “torcidas” – do Corinthians e de vários outros times, de São Paulo, do Rio ou de Pernambuco -, são marginais, vândalos, criminosos, delinquentes, sicários, homicidas, facínoras, celerados, assassinos, matadores, malfeitores, bandidos.

Estes canalhas não podem se classificados como “torcedores” de modo algum.

No vídeo abaixo, vocês irão ver estes marginais selvagens agredindo um trabalhador, um pai de família, um cidadão em seu horário de trabalho e cumprindo suas obrigações.

torcida-selvagem

Os marginais depois de presos: atentem pro escudo do Corinthians no braço do negão

25 outubro 2016 DEU NO JORNAL

MANCHETE DA TERÇA-FEIRA – AMIGO AMIGÃO

planilha

A Polícia Federal ligou os codinomes “amigo“, “amigo de meu pai” e “amigo de EO” – que aparecem em planilhas de pagamentos ilícitos apreendidas durante a Operação Lava Jato – ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Ainda de acordo com o delegado federal Filipe Pace, foram repassados R$ 8 milhões para “amigo“.

A informação consta no indiciamento do ex-ministro Antonio Palocci, preso durante a 35ª fase da Operação Lava Jato. Palocci foi indiciado nesta segunda-feira (24) por corrupção passiva – outras cinco pessoas também foram indiciadas. O ex-ministro é suspeito de receber propina para agir em favor da Odebrecht dentro do governo federal.

Conforme a PF, os pagamentos a Lula começaram no fim de 2012 e se estenderam ao longo de 2013.

A PF ainda diz que os pagamentos foram coordenados por Marcelo Bahia Odebrechet, ex-presidente da Odebrecht, e por Antonio Palocci.

De acordo com o delegado Filipe Pace, o dinheiro saiu de uma conta corrente mantida pela Odebrecht para pagamento de vantagens indevidas.

A análise aprofundada da planilha ‘POSICAO – ITALIANO 22 out 2013 em 25 nov.xls’, no entanto, revelou que os pagamentos no total de R$ 8.000.000,00 foram debitados do ‘saldo’ da ‘conta-corrente da propina’ que correspondia ao agente identificado pelo codinome de AMIGO“, afirmou Pace.

Conforme o relatório da Polícia Federal, Marcelo Bahia Odebrecht usava os termos “Amigo de meu pai” e “Amigo de EO” para se referir a Lula.

Já outras pessoas, ao conversar com Marcelo Bahia Odebrecht, usavam os apelidos “Amigo de seu pai” e “Amigo de EO“.

lula-preocupado

“Tô fudido mermo…”

* * *

Como diz o dito popular, “amigos, amigos, negócios inclusos”.

E propinas também.

Mas, como garante diariamente, noturnamente e diuturnamente a fubânica petista Cobra de Resguardo, esta tal de Polícia Federal não dá uma dentro.

Além disto, a PF só bota no fedegoso dos ladrões petistas, e se esquece sistematicamente dos ladrões tucanalhas.

Esta pulicinha incompetente não acerta um sequer, num é mesmo dona Cobra???!!!

Erra todas, todinhas, e ainda se mete nas amizades alheias.

Amigo é coisa pra se guardar no lado esquerdo do peito!

25 outubro 2016 DEU NO JORNAL

PELES DE CORDEIRO

carlos_vereza

       Carlos Vereza

Com o fim da União Soviética, a esquerda internacional voltou suas atenções para a América Latina. Constatado o fracasso da luta armada para chegar ao poder nessas regiões, rearticularam-se em uma nova estratégia. Ocupar, por vias democráticas, até a completa hegemonia, os países latino americanos.

Para este intento, criou-se, com Fidel, Lula e Chaves, O Foro de São Paulo. Apresentando-se “com peles de cordeiro”, candidataram-se, com programas liberais, prometendo amplo respeito às leis do mercado. O principal alvo seria o Brasil, por sua influência sobre os demais vizinhos.

Lula candidatou-se com a famosa “Carta ao Povo Brasileiro”, como um democrata que se arrependera de suas posições radicais. Venceu, depois de várias tentativas, o pleito presidencial.

No seu primeiro mandato, usufruindo de uma herança bendita deixada por Fernando Henrique Cardoso, com a inflação sob controle, Lei de Responsabilidade Fiscal observada, Lula parecia ter abandonado suas práticas incendiárias; pura ilusão.

Reeleito, abandonou suas promessas de campanha e começou-se a delinear o que fora escondido dos eleitores: o projeto de permanência indefinida no poder.

Para tanto, utilizou o mais desavergonhado populismo-assistencialismo, incentivando a população ao consumo desenfreado, o que só poderia acontecer com a busca por empréstimos aos bancos, que evidentemente não avisaram aos credores, sobre os juros que recairiam em seus empréstimos.

Sem uma politica econômica que desse sustentação a esse projeto, o resultado foi o endividamento da “nova classe média”, que teve, em síntese, de perder o ilusório status, vendo seus bens devolvidos aos bancos.

Esses foram os famosos quarenta milhões retirados da pobreza, e que se retratam, agora, em mais de doze milhões de desempregados, sessenta milhões de inadimplentes, milhares de fábricas fechadas. Com o que lhe restava de prestigio, elegeu Dilma Roussef, que, em quase dois mandatos, acabou de quebrar o país.

E dizer, que o fanatismo de seus seguidores, finge ignorar este desastre.

adoradores-de-lula

24 outubro 2016 DEU NO JORNAL

PARLAMENTANDO

Rodrigo Buenaventura de León

Parlamento é o lugar onde se parlamenta, onde se exerce o ofício de parlamentar. A palavra tem origem no francês parler que significa “falar” ou “discursar”. Esta é uma das funções dos políticos, ‘falar’ em nome do povo que os elegeu e que eles deveriam representar. No parlamento através da fala, do discurso, da discussão e do embate de ideias os políticos deveriam legislar, propor ações e fiscalizar os atos do poder executivo, sempre em nome daquele ou daqueles que os elegeram, ou seja, o povo.

Brasil afora estão os nossos parlamentos, são as Câmaras de Vereadores, as Assembléias Legislativas Estaduais e Distrital, a Câmara dos Deputados e o Senado Federal. Aqueles Senhores e Senhoras que ali estão devem, ou pelo menos deveriam, ser a voz do povo brasileiro, foi para isto que foram eleitos, para falar em nome de seus eleitores, serem seus procuradores, seus representantes. Mas sabemos que para a grande maioria dos que ali estão basta-lhes representarem a si mesmos e seus interesses.

O Povo brasileiro jaz hoje sem voz, afônico, mudo. Mas ultimamente as ruas tem dado um grito ensurdecedor aos políticos e congêneres. E, este grito de liberdade vai espalhando-se, cada vez mais intenso, pelos quadros cantos do nosso Brasil. Profetizo aqui: coitados daqueles que não escutarem o grito das ruas.camaradeputados

Mas se o povo pudesse usar o parlamento, usar o pulpito de nossa Câmara ouSenado para dizer de voz própria aquilo que nós, o povo, pensamos, especialmente aquilo que pensamos sobre aqueles que ali estão e deveriam nos representar. Quiçá, eu, em minha vã modéstia, poderia ‘parlar’ e falar o que penso e sobre o que pensam aqueles que estão aqui nas ruas de nosso Brasil. O que eu diriamos aos nossos digníssimos (e outros tantos, indigníssimos) representantes, que em sua grande maioria, não nos representam.

Talvez dissessemos que o povo trabalhador brasileiro está cansado de bolsas e esmolas, que quer emprego digno, sem ter de sustentar ‘vagabundos’ em nome de projetos de poder. Que queremos negociar diretamente com nossos patrões sem depender de sindicatos aparelhados e sindicalistas oportunistas. Provavelmente já teria sido interrompido aos gritos por algum de nossos ‘ democráticos’ parlamentares.

Talvez dissessemos que estamos fartos da violência, fartos de sermos culpados como sociedade pela criminalidade. A sociedade não torna ninguém criminoso, estão ai os milhões de pobres brasileiros, trabalhadores, honestos e assustados em suas casas com a escalada da violência. Diríamos que basta de prender e soltar, que bastam de ‘direitos humanos’ para bandidos e do descaso com as vítimas. Quem merece consideração e apoio são as vítimas, lugar de bandido é na cadeia, trabalhando obrigatoriamente para se sustentarem como todo brasileiro honesto trabalha.

Avisariamos que os ‘doutos’ parlamentares devem ter cuidado pois o medo facilmente vira ódio e revolta e as ruas em breve poderão reverberar o grito de que ‘bandido bom é bandido morto’. Dizer-vos que se isto ocorrer serão os senhores e senhoras parlamentares os responsáveis pelo banho de sangue que advir. Neste momento tenho a visão dos ‘chiliques’ de algumas parlamentares, especialmente uma do Sul, provavelmente eu já teria sido agredido física e moralmente.

Diríamos que não nos representam aqueles que admiram aos Marighellas ou aos Ustras da vida, pois as atitudes de ambos não são atitudes do povo Brasileiro. Nem o terror de um nem a tortura do outro. Mas lembraria que acima de tudo, nenhum dos dois é criminoso pois em nosso estado de direito é constitucionalmente válida a Lei da Anistia, que foi fundamental para chegarmos no atual estágio democrático de nossa Nação, em que pese a frustração dos revisionistas de esquerda.

Poderíamos falar que ao povo tanto faz se a Educação e a Saúde são públicas ou privadas, para o povo só importa que elas estejam disponíveis, com QUALIDADE (em letras garrafais) e gratuitas para aqueles que não puderem pagar. Quiçá se vos contaríamos que o povo brasileiro quer tão pouco do Governo e este tão pouco resume-se no pedido de que o Governo, se não ajudar, pelo menos não atrapalhe.

Sonho em puder dizer tudo isto e muito mais que está entalado em minha garganta e que inquieta e faz doer minh’alma. Mas reflito e penso que se tivesse esta oportunidade, de falar aos nossos políticos e governantes, acabaria por nada dizer.

Por quê? Porque nossos políticos já demonstraram uma surdez incurável a voz do povo e até aos estridentes gritos das ruas. Embora ultimamente estes gritos tenham assustado os mais ‘espertos’ entre os parlamentares. Nada diria pois tenho claro de nada que dissessemos teria qualquer efeito sobre os ‘ouvidos de mercador’ de ‘Vossas Excelências’ (ou seriam Vossa Insolências?), estas palavras e verdades entrariam por um ouvido e sairiam por outro, como diz nossa sabedoria popular.

Mas será, que perderia esta oportunidade ímpar, que este ‘sonho’, que este momento imaginativo, me proporcionou. Penso, reflito e encontro a solução, breves palavras serão suficientes para exprimir em bom e claro português o que pensamos e o que desejamos aos nossos políticos, governantes et caterva. E o que eu diríamos, bom eu diria mais ou menos o que segue:

Bom dia! Senhoras e Senhores parlamentares e governantes, nós o povo brasileiro, só gostaríamos neste momento ímpar de dizer-vos uma coisa. Nós, gostaríamos, MUI RESPEITOSAMENTE (sim, mui respeitosamente, pois somos um povo educado), que Vossas Excelências fossem…

…TOMAR NO CÚ!

24 outubro 2016 DEU NO JORNAL

AS CARTAS

Augusto Nunes

Em julho de 2010, deslumbrado com pesquisas que conferiam ao presidente da República o título de campeão mundial de popularidade, Luis Fernando Verissimo tornou a mostrar-se um mestre na arte de escrever de joelhos. “Acho que os historiadores do futuro terão dificuldade em entender o contraste entre essa quase unânime reprovação do Lula pela grande imprensa e sua também descomunal aprovação popular”, agachou-se. “O que vai se desgastar com isto é a ideia da grande imprensa como formadora de opinião”.

Passados pouco mais de seis anos, o que os historiadores do futuro terão dificuldade em entender é o contraste entre a quase unânime vassalagem prestada a Lula por “intelectuais e artistas” e a também descomunal reprovação dos brasileiros ao chefe do maior esquema corrupto da história. O que vai se desgastar com isso é a ideia de que todo escritor profissional é capaz de identificar um analfabeto funcional disfarçado de guia genial dos povos.

O mais bisonho dos inscritos no Enem ficará espantado se souber que Lula produziu três manuscritos em 70 anos. E qualquer reprovado com louvor na prova de redação se imaginará uma sumidade em língua portuguesa depois de apresentado ao conteúdo dos documentos que escancaram a cabeça de um foragido do sistema de ensino. Nos oito anos em que governou o Brasil, o presidente que odeia vogais e consoantes escreveu exatamente 19 palavras, agrupadas na mesma folha de papel. Confira a reprodução do segundo manuscrito de Lula, desenhado em dezembro de 2005:

m1

As anotações no pedaço de papel publicado na primeira página do Globo se dividem em dois tópicos. O primeiro é um lembrete: “Tem demandas do Conselho que precisa ser discutido”. (Não é fácil juntar numa só frase um verbo inadequado, um erro de concordância e dois assassinatos do plural. Lula conseguiu). O item 2 informa que o chefe de governo acabou de receber uma notícia boa (“Pnad”) e duas ruins: “PIB – Zé Dirceu”. Os dedos de Lula encobrem parcialmente o nome do companheiro despejado meses antes da chefia da Casa Civil.

m2

O terceiro manuscrito se materializaria em 28 de janeiro de 2011, no auditório da Universidade Federal de Viçosa, interior de Minas Gerais. Depois de entregar o título de doutor honoris causa ao ex-presidente que nunca leu um livro nem aprendeu a escrever, a reitora Nilda Soares convidou-o a assinar o Livro de Ouro que registra a passagem de visitantes ilustres. Por achar que uma assinatura era pouco, Lula retribuiu a homenagem com o documento histórico acima reproduzido. Segue-se a transcrição, sem correções nem retoques:

“Para os amigos e amigas da UFV com agradecimento pelo trabalho prestado ao povo brasileiro com educação de qualidade, garantindo ao povo brasileiro a certeza de bons profissionais para atender o desenvolvimento do nosso querido Brasil. Abraços do amigo Lula. Sem medo de ser feliz”.

Abstraídas as redundâncias, a aversão a vírgulas e a profundidade da mensagem (tão rasa que, na imagem de Nelson Rodrigues, uma formiga poderia atravessá-la com água pelas canelas), a platitude produzida com 45 palavras merece ser elevada à categoria de texto literário se confrontada com o manuscrito de estreia, abaixo reproduzido:

m3

“Ao querido Dogival com a esperança que em um futuro bem proximo possa compreender a nossa luta. Abraço do titio Lula. Cubatão 07/11/81″

Ao rabiscar as 22 palavras, Lula fez mais que cumprimentar o sobrinho aniversariante. Também fuzilou uma preposição, degolou três vírgulas, demitiu um acento agudo e confirmou que quem foge da escola tem letra de calouro de curso de alfabetização. Não é pouca coisa – mas não é tudo: como os outros dois, o manuscrito parido em Cubatão é uma ararinha-azul da caligrafia, uma preciosidade que nos leilões do futuro será disputada a socos e pontapés por colecionadores de raridades.

Tomara que Dogival tenha guardado o pedaço de papel. É provável que ele se sinta injustiçado ao saber que o tio andou fazendo para ajudar o primo Taiguara Rodrigues. Com o patrocínio da Odebrecht, o camelô de empreiteira transformou um instalador de vidraças em empresário internacional e, com meia dúzia de negociatas, fez do sobrinho pobretão um milionário. É improvável que Dogival vá tão longe quanto Taiguara. Mas a venda do manuscrito só não lhe garantirá uma velhice sem preocupações financeiras se o senador Marcelo Crivella disse a verdade no vídeo em que jura ter visto o torturador do idioma escrevendo cartas de próprio punho.

“Recorri ao inesquecível presidente Lula, que Deus o abençoe e salve sua alma, nosso grande presidente, e ele disse: ‘Como é que eu posso ajudar, Crivella?‘”, contou o agora candidato a prefeito do Rio. “E eu falei: ‘Presidente, me dá uma carta sua, me apresentando aos presidentes destes países onde as igrejas estão com problemas’. E ele me deu! Ele escreveu cartas! Com a mão! Ele dizia assim: ‘Ô, presidente. Olha, presidente’ – por exemplo, de Barbados, onde tinha uma igreja onde os pastores estavam sendo expulsos – ’em nome das boas relações entre o Brasil e a sua nação, peço que atenda o senador. É meu amigo. E vejo a situação dos brasileiros que aí se encontram’”.

Se isso efetivamente aconteceu, Crivella testemunhou um milagre de estarrecer a Santa Sé. As cartas merecem ser repatriadas pelo Itamaraty e reunidas em livro pelo Ministério da Educação. Com um caprichado prefácio de Verissimo, naturalmente.

24 outubro 2016 DEU NO JORNAL

PIXULECOS D’ALÉM MAR

O Ministério Público de Portugal avalia aprofundar as investigações do envolvimento do ex-presidente Lula no esquema de propina de negócio da Portugal Telecom.

A investigação levou o ex-primeiro-ministro português José Sócrates à prisão.

Condenado no mensalão, Marcos Valério disse em 2012 que Lula levou R$ 7 milhões de propina para o PT na intermediação da venda da brasileira Oi à Portugal Telecom.

Ex-primeiro-ministro, José Sócrates foi preso por corrupção, fraude e “branqueamento” (lavagem de dinheiro). Aguarda julgamento.

Lula foi interrogado sobre suas reuniões com dirigentes da Portugal Telecom e do Banco Espírito Santo (que quebrou em 2015), sócios da Oi.

Marcos Valério disse que Lula acertou a propina com o ex-presidente da Portugal Telecom, Miguel Horta e Costa.

* * *

Sete milhões de reais, perto do que a gente sabe da putaria petralhal, é uma minxaria.

Uma pixulecada de menor monta, esta que foi levada a efeito em terras lusitanas.

js

“Cumpanhero Socratis, já butaram no meu cu lá no Brasí, agora tão querendo butar no teu aqui em Portugá”

24 outubro 2016 DEU NO JORNAL

SE OBRANDO PELOS CANTOS

O primeiro ato da Frente Lula Com Medo, segundo o jornal Valor, “será o lançamento de uma campanha nacional em defesa do ex-presidente, no próximo dia 7, em São Paulo, com a presença de juristas, intelectuais e militantes”.

Em 29 de novembro, a Frente Lula Com Medo pretende realizar um ato maior, para milhares de pessoas.

“O movimento pretende inaugurar, também, comitês estaduais pró-Lula”, disse Gilberto Carvalho, o “Seminarista”.

* * *

O que achei arretado mesmo foi o nome do movimento: “Frente Lula com Medo”.

Embora o movimento leve a palavra “frente”, Lapa de Demagogo tá com medo mesmo é do traseiro, pois a caneta pajaraca do Dr. Moro não dá folga pras pregas da canalha guabirutal.

Lapa de Corrupto Passivo tá se obrando pelos cantos, bem antes mesmo de ser obrigado a obrar no cagador da prisão de Curitiba.

lula-medo

“Cum mêdo é pôco: eu tô mermo é se cagando!”

24 outubro 2016 DEU NO JORNAL

BANGUS E CARANDIRUS

fernando-gabeira2

Não pensava mais em escrever sobre prisões. Elas escrevem por si próprias. Mas é importante combater o esquecimento. As prisões são um outro lado do mundo, muros cinzentos, uma guarita, o sentinela. Não posso reclamar da minha passagem. A Ilha Grande, com toda a sua carga de sofrimento, era um lugar bonito, com água de qualidade e um silêncio entrecortado pelos ruídos do mato. Na volta ao Brasil, resolvi seguir o conselho do escritor norte-americano Henry Thoreau. Segundo ele, todo cidadão deveria visitar as prisões do lugar onde vive, pois é um forte indicador do nosso nível de avanço social.

Visitei o máximo que pude, de Pedrinhas, no Maranhão, aos presídios do Sul, passando por Bangus e Carandirus no Sudeste. Observo, pelas sessões do STF, que o ministro Gilmar Mendes também as conheceu bem: organizou mutirões e visitou as prisões brasileiras quando presidente do Conselho Nacional de Justiça. Quando o ouço falar no tema diante de ministros que talvez não conheçam bem o estado das prisões, sinto-me representado. É mais uma pessoa lembrando a gravidade, para mim, de uma bomba-relógio que estamos empurrando para as novas gerações.

As cadeias falaram, então é preciso falar delas, neste momento de crise política e econômica. O primeiro episódio foi a morte do suspeito de ligações com os terroristas do Isis, um homem de 36 anos, Valdir Pereira da Rocha, numa cadeia de Várzea Grande (MT).

Quando os suspeitos foram presos na Operação Hashtag, antes da Olimpíada, critiquei o ministro da Justiça e o governo Temer por não cuidarem da questão do terrorismo com a seriedade e o profissionalismo que ela demanda. O ministro da Justiça isentou o governo de culpa, afirmando que o preso pediu para ser transferido para lá, para ficar perto da família, o que é razoável como política para condenados, mas não para um suspeito de terrorismo.

Nem todos os presos podem escolher em que presídio devem ficar. Se isso fosse levado ao pé da letra, haveria uma debandada em Curitiba. Não é, no entanto, o argumento principal que baseia a minha crítica ao governo Temer e sua incompreensão de certos fatos globais.

A política de manter fanáticos religiosos na prisão comum foi usada na França e com o tempo se constatou que muitos novos terroristas foram convertidos na própria cadeia onde cumpriam pena. É uma questão de segurança da sociedade. Mas também é uma questão de segurança do próprio suspeito de terrorismo. Embora não tenha lido ainda o inquérito sobre a morte de Valdir, terroristas que matam a esmo, até crianças, não têm grande popularidade entre os presos.

Mas os conflitos no presídio de Roraima, com dez mortos, e no de Franco da Rocha (SP), com fuga em massa, embora não tenham ligação entre si, mostram que o problema de segurança, que se supunha resolvido com a prisão de criminosos, explode e se expande do interior das próprias prisões.

Em outros artigos já mencionei o que me parece o erro fundamental: pensar que o problema está resolvido com a prisão dos condenados. Não há um trabalho de inteligência articulado, não há capacidade de prevenção, algo que os ingleses fazem com rigor.

Todos se esqueceram das prisões. PT, então, foi um fracasso retumbante. Simplesmente ignorou a gravidade da crise penitenciária Prometeu alguns novos presídios e pronto. Hoje o partido, com tantos dirigentes presos, já está em dívida com o sistema, que faz mais por eles do que recebeu do PT ao longo dos anos. É verdade que alguns deputados petistas se interessaram e organizaram caravanas pelos presídios e manicômios judiciários. Viajei com Marcos Rolim visitando manicômios e com Domingos Dutra, alguns presídios, incluído o de Pedrinhas. Ambos foram deputados do PT e saltaram do barco.

Surgiram relatórios basicamente centrados nos direitos humanos. Hoje, porém, acho que é uma visão incompleta. A questão da segurança pública a partir das tramas urdidas nas prisões coloca um desafio especial que passa por presídios decentes. Eles bem que poderiam ser anexados às multas dos empreiteiros. Hoje eles têm tudo para construir bons presídios.

No entanto, ela não se esgota nas condições de prisão. Em tempo de smartphones as relações dentro e fora do presídio passam a ser mais uma variável no enigma que parecia esgotado com a perda da liberdade. As pessoas poderiam dizer que é um raciocínio oco, pois existem os bloqueadores: pronto, solucionado o problema. Mas quem acredita mesmo nos bloqueadores do Brasil, se volta e meia explode um motim precisamente porque os carcereiros apreenderam os celulares nas celas? Ninguém iria amotinar-se apenas pelos games.

O governo Temer herdou uma situação calamitosa, que ele não percebeu depois de tantos anos ao lado do PT. Não tem condições de abrir novas frentes, sobrecarregado pela agenda econômica. A única saída é uma espécie de intercâmbio das pessoas que conheceram as prisões brasileiras, seja por visitas de ofício ou experiências familiares, e todas conversem sobre como desmontar essa bomba.

Ideias dispendiosas são inviáveis no momento. Será preciso pôr a cabeça para funcionar. É preciso demonstrar que a inércia custa mais caro. Já vi motins causando prejuízo de R$ 2 milhões, por uma economia de R$ 5 mil numa comida intragável.

Quanto mais esquecermos os presídios, mais falarão por si próprios. E eles não falam nada quando nos lembramos deles, inclusive de monitorá-los. Ou, então, falam como os presidiários de Linhares, em Juiz de Fora, que aprenderam a bordar a exportam seus trabalhos para a Europa e o Japão, por intermédio de uma jovem empresária.

As prisões do Brasil e da Venezuela têm algo em comum: tornaram-se um inferno maior durante os anos de populismo de esquerda. Quando Thoreau falava em visitar as cadeias para conhecer o nível da sociedade, tratava de um tema mais amplo. Conhecer as cadeias do Brasil revela muito sobre o governo que dirigiu o País por 13 anos.

24 outubro 2016 DEU NO JORNAL

CUMPANHERA DO LARÁPIO TÁ SE OBRANDO DE MEDO

A jornalista Cláudia Cruz, mulher de Eduardo Cunha, tem enfrentado problemas de saúde.

“Ela somatizou tudo de uma vez”, diz uma amiga.

Cláudia tem sofrido inclusive ataques de pânico.

* * *

Eu também estou em pânico.

Ando apavorado com a ideia de que Cláudia não venha a ser presa.

cc

“Fica tranquilo, meu amado Dudu: tu sabes muito bem que eu tenho o furico resistente”

23 outubro 2016 DEU NO JORNAL

AQUELAS PESSOAS QUE EU ADMIRAVA

David Coimbra

Durante toda a minha vida, ouvi o mesmo discurso de amigos e conhecidos. A mesma queixa, feita num tom entre o amargo e o irônico, entre o resignado e o enojado: o problema do Brasil era a impunidade, os poderosos jamais pagariam por seus crimes e tudo ficaria para sempre como sempre foi. O Brasil não tinha jeito.

Esses meus amigos, muitos deles intelectuais, jornalistas, advogados, políticos, quase todos “de esquerda”, esses meus amigos suspiravam pelos países mais desenvolvidos, onde não havia tolerância com quem descumprisse a lei. Pois bem. Houve uma mudança no Brasil. Poderosos que descumprem a lei estão sendo investigados, processados e punidos. E aqueles meus amigos agora vão a público para reclamar… da punição.qp

O juiz Sergio Moro é o grande alvo desses intelectuais. Tenho lido e ouvido todo gênero de invectivas contra Moro, egressas inclusive de pessoas que eu admirava intelectualmente (sim, está no passado: admirava).

A má intenção das análises é compreensível: é fruto do dogma partido, das ilusões perdidas, das convicções abaladas.

Já a desinformação é imperdoável, sobretudo quando propagada por profissionais da informação. Moro é tratado por esses intelectuais como justiceiro. Bem. Mesmo que ele quisesse ser um justiceiro, não conseguiria. Moro é juiz de primeira instância, não tem poder suficiente para fazer o que seus críticos acham que faz.

Ontem, conversava sobre isso com o desembargador Eduardo Delgado, meu amigo, também ele perplexo com as reflexões absolutamente equivocadas cometidas por alguns de meus colegas. Eduardo lembrou que as decisões de Moro são revistas por no mínimo outros SEIS juízes, três desembargadores do TRF de Porto Alegre e três ministros do STJ. Isso se o caso não for parar no STF. Quer dizer: são TRÊS INSTÂNCIAS depois de Moro. Três instâncias que podem mudar tudo o que ele determinar. Moro não manda nada.

No famoso caso do Banestado, muitas das decisões de Moro foram revisadas pela mesma segunda instância que as apura hoje, o Tribunal Regional Federal, sediado em Porto Alegre. Moro condenou muita gente, naquele episódio, e a maioria de suas sentenças foi reformada. É provável que ele tenha aprendido com a experiência, porque, hoje, o índice de aprovação das suas decisões é de 96,4%. Considere que os advogados de defesa são alguns dos melhores do Brasil, e não há como não chegar à conclusão de que, pelo menos tecnicamente, esse é um juiz corretíssimo. Mas é erro grave acreditar que Moro é o único neste processo de transformação do Brasil.

Há outros juízes, promotores, policiais e funcionários públicos envolvidos, todas “pessoas comuns”, nenhum deles poderia ser definido como um dos “poderosos” dos quais reclamavam meus amigos antigamente. São homens como eu e você, profissionais que estão fazendo apenas o que todos tentamos fazer: eles estão fazendo o seu trabalho. Estão fazendo a coisa certa. Mesmo assim, são criticados por esses intelectuais. E é isso que mais entristece, na situação do Brasil de hoje.

É descobrir que os que criticavam a impunidade dos poderosos não combatiam a impunidade: combatiam “aqueles” poderosos.

Porque hoje, quando os poderosos são amigos deles, ou estão no mesmo lado, eles anseiam pela impunidade, eles criticam a punição. Lembro desses meus amigos, colegas e conhecidos, tempos atrás. Como poetou Belchior e cantou Elis, na parede da memória, essa lembrança é o quadro que dói mais. Minha dor é perceber que, apesar de termos feito tudo o que fizemos, ainda somos os mesmos. E vivemos como nossos pais.

23 outubro 2016 DEU NO JORNAL

LASCANDO A ROLA

Se Lula estava preparando suas malas, para encontrar com seu filho Luis Cláudio no Uruguai, e se apressou após a prisão do ex-deputado Eduardo Cunha, é hora de viajar sem malas mesmo.

Motivo: Léo Pinheiro, dono da OAS, está pronto para contar tudo o que sabe à Polícia Federal, entregando provas contra o ex-presidente.

* * *

Fala logo, Léo Pinheiro!

A banda decente deztepaiz está ansiosa pra ter boas notícias antes do Natal.

Esta novela lulo-petrálhica é interminável.

Quando mais se mexe, mais o negócio fede.

Assim como o PT fudeu o Brasil, enfiando a rola até os ovos na Petrobras, no Brasil e em nós contribuintes, vamos nos vingar ouvindo Falcão cantar a romântica e inspirada composição “Lasca a Rola em Tonha“, de sua autoria.

23 outubro 2016 DEU NO JORNAL

POLÍCIA VERSUS POLÍTICA

Ruy Fabiano

A política brasileira continua refém da polícia. A prisão de Eduardo Cunha reabriu o leque de especulações punitivas, que vão de Lula a Michel Temer. A caixa preta de Cunha é a porta de entrada da Lava Jato no PMDB, sucessor e velho parceiro do PT, no poder e no delito – sobretudo no delito. Mas não é só Cunha, claro.

Há múltiplas delações premiadas em curso, de empresários, doleiros e operadores, algumas já concluídas, acrescentando novos dados e personagens aos crimes de rapina, perpetrados ao longo dos últimos 13 anos e meio contra o Estado brasileiro.

Não se sabe o que daí ainda virá, mas sabe-se que a Lava Jato está longe de seu fim, e recentemente obteve prorrogação de um ano em suas investigações. Mas o que se sabe já convulsiona a República.pf_na_frente_senado

Há, entre os infratores, além da cúpula do governo anterior, personagens que, nesse período, figuraram na oposição (tucanos, inclusive), e ainda os que estavam e continuam na situação – isto é, gente do PMDB. Tudo isso, claro, gera instabilidade política, com reflexos na economia. Quem quer investir num campo minado?

A hipótese de Michel Temer vir a ser atingido direta ou indiretamente por essas revelações não é remota. Já teve de demitir ministros e é possível que haja outros na fila. Como se não bastasse, há o processo contra a chapa eleitoral em que figurou ao lado de Dilma. O ministro Luiz Fux, do STF, considerou possível que, no processo em curso no TSE, Temer possa se dissociar de Dilma.

A jurisprudência, no entanto, vai em sentido contrário, o que daria ao fatiamento das campanhas um selo de casuísmo, enfraquecendo ainda mais a autoridade moral do atual presidente, que ainda corteja sem êxito a simpatia da opinião pública.

O legado econômico do PT é devastador. A PEC 241, que estabelece o teto de gastos públicos, nada mais é que o retorno à lógica contábil, em que só se gasta o que se tem. E é um desafio ao gestor, que terá de estabelecer o que de fato é prioridade.

Se, por exemplo, estivesse em vigor no início do governo Dilma, o Brasil não teria promovido nem a Copa do Mundo, nem as Olimpíadas, a menos que as considerasse (como as considerou) mais prioritárias que educação, saúde, segurança, programas sociais, obviamente prejudicados por gastos adicionais nada modestos.

O resultado aí está: R$ 170 bilhões de déficit no orçamento do próximo ano, 12 milhões de desempregados e milhares de empresas fechadas. Não basta, porém, dar racionalidade às contas. É preciso que o governo sinalize com alguma estabilidade. E é impossível fazê-lo quando abriga ainda gente sob suspeita, alguns já citados nas investigações policiais. O país quer tanto a estabilidade quanto o saneamento moral de sua classe dirigente.

No momento, porém, essas coisas colidem – e não há como excluir uma em favor da outra. A prisão de Cunha não terá resultados imediatos. É óbvio que ele irá delatar, já que não pretende ver mulher e filha presas, nem passar o resto da vida na prisão.

Mas a delação é precedida de negociações, em que o delator tem de provar a utilidade do que delatará. Cunha chega com a maior parte de sua história já conhecida. Mas a parte que resta, e que envolve nomes graduados, pode fazer a diferença.

Resta saber o que ele está disposto a contar. E aí a Praça dos Três Poderes balança. Ele é não apenas um arquétipo do político brasileiro contemporâneo, mas alguém que se tornou íntimo das altas esferas do poder, desde os tempos de Collor de Mello.

Lidou com a esquerda, a direita, o subsolo e a sobreloja. Foi sempre um personagem de segundo escalão, alçado ao primeiro exatamente por quem mais hoje o critica: o PT.

Sua prisão foi vista como preâmbulo à de Lula, o que não é necessariamente verdade. A situação de Lula envolve outro roteiro, cujo timing só a Força Tarefa conhece, mas cujo conteúdo foi antecipado na célebre entrevista dos procuradores, há um mês.

Lula foi considerado chefe da organização criminosa que promoveu o assalto à Petrobras e a outras estatais em mais de duas décadas de exercício do poder. Cunha é peixe pequeno diante disso. O que têm em comum é uma conversa agendada com o juiz Sérgio Moro, em que o veículo disponível é um camburão. Cunha já foi.

23 outubro 2016 DEU NO JORNAL

MANCHETE DO DOMINGO – TRIANGULAÇÃO BANÂNICA

manchete

A Lava Jato vai chegar ao Corinthians. Emílio Odebrecht, presidente do conselho de administração do grupo que leva o seu sobrenome, afirmou em acordo de delação, em fase de negociação, que o estádio construído pela empreiteira foi um presente para o ex-presidente Lula, torcedor do time.

O agrado, na versão de Emílio, foi uma retribuição à ajuda de Lula ao grupo nos oito anos em que o petista comandou o país, de 2003 a 2010

Sob governos do PT, de 2003 a 2015, o faturamento do grupo Odebrecht multiplicou-se por sete, de R$ 17,3 bilhões para R$ 132 bilhões, em valores nominais.

* * *

Emílio é pai de Marcelo, aquele que está engaiolado desde junho de 2015 e condenado a ver o sol nascer quadrado por 19 anos, enquanto obra de coca no cagador da prisão.

O papai amoroso, abrindo o jogo e entregando o corrupto passivo, tenta desesperadamente aliviar o sofrimento do filhote corruptor ativo.

Um faturamento que pula de R$ 17,3 para R$ 132 bilhões não é guabirutagem lulária petrálhica.

É apenas o que os crentes chamam de “benção”.

Lulão e seu Corinthians foram abençoados.

Só isto.

E fiquem tranquilos, pois o fubânico petista Ceguinho Teimoso vai explicar melhor pra todos vocês esta triangulação Lularápio-Corinthians-Odebrecht.

lclo

22 outubro 2016 DEU NO JORNAL

FARINHA DO MESMO BISACO

Juntando todos os processos em que é acusado, Eduardo Cunha está sujeito à sentença recorde de 160 anos de cadeia. Se depender do desejo da força-tarefa da Lava Jato, será a maior condenação da História, no Brasil, de um político suspeito de crimes de corrupção.

Cunha não tem alternativa senão tentar um acordo de delação premiada, para reduzir o tempo de cárcere. Ou vai mofar na cadeia.

Cunha havia sido denunciado pelo Ministério Público em agosto por ter recebido US$ 5 milhões por contratos de navios-sonda da Petrobras.

* * *

Eu acho que 160 anos, um número par e redondo, ainda é muito pouco pra este ladrão cabra-safado.

E vou aproveitar a oportunidade pra repetir de novo, mais uma vez, novamente:

A Petrobras onde Eduardo Cunhão mamou seus milionários pixulecos é aquela empresa que era administrada pelos gunvernos do PT.

Isto sim, é que é golpe. Golpe naquele velho sentido, dado por estelionatários e trambiqueiros golpistas.

Não o “golpe” que vive na boca do fubânico Ceguinho Teimoso.

Aliás, em falando do Ceguinho, que adora defender corruptos, ele seria um excelente advogado pra Cunhão.

Se for condenado e preso sozinho, Cunhão faria muito bem em entregar o nome do parceiro Lula, em cujo gunverno se deu a trambicagem Cunhão/Petrobras.

lula-cunha

Lulão e Cunhão, dois tolôtes do mesmo pinico corrupcional

22 outubro 2016 DEU NO JORNAL

É TUDO FALSO

As quebras dos sigilos bancário e fiscal da Editora Gol e da Gol Mídia também revelam pagamentos altíssimos de Jonas Suassuna a Lulinha e seus sócios, Fernando e Kalil Bittar.

A PDI Processamento Digital, de Kalil, recebeu 35 repasses num total de R$ 4,17 milhões da Editora Gol e mais R$ 1,4 milhão da Gol Mídia.

A PDI foi usada por Kalil para comprar equipamentos (geladeira, coifa etc.) para o apartamento de Lulinha (que está em nome de Suassuna).

A Coskin, de Fernando Bittar, recebeu outros R$ 2,28 milhões.

A Gamecorp e a G4, ambas de Lulinha, foram destinatárias de outros R$ 1,1 milhão da Gol Mídia.

* * *

Lulinha, o filhinho Lulão, é de caráter tão reto, probo, honesto e idôneo quando o papai.

Vocês podem ficar tranquilos que o grande advogado fubânico Ceguinho Teimoso vai provar, por A+B, que tudo que foi descoberto nesta quebra de sigilo é falso.

pt

22 outubro 2016 DEU NO JORNAL

DE PAI PRA FILHO

A Polícia Federal apontou que a variação patrimonial de Luís Cláudio Lula da Silva, filho do ex-presidente Lula, é ‘formalmente incompatível’ entre 2011 e 2013 e no acumulado 2011 e 2014.

A Polícia Federal analisou a compatibilidade dos rendimentos declarados por Luís Cláudio e sua movimentação financeira e destacou que em 2013, a ‘evolução patrimonial descoberto (falta de recursos) atinge valores superiores R$ 200 mil, quantia essa significativa frente posição patrimonial do investigado’.

A informação consta em laudo anexado aos autos do inquérito que investiga a propriedade do sítio Santa Bárbara, no município de Atibaia (SP), atribuída ao ex-presidente.

O Ludo da PF também faz menção LILS, empresa de palestras de Lula.

Essa variação a descoberto em 2013, decorrente, em grande parte, de gastos com cartão de crédito (superiores R$ 300 mil), conforme registros na movimentação bancária do investigado. Observe-se que dos cerca de R$ 1,43 milhão de rendimentos brutos do investigado no período de 2011 2014, aproximadamente R$ 246 mil foram oriundos da empresa LILS Palestras, R$ 780 mil da LFT Marketing, R$ 100 mil de pessoas físicas, R$ 200 mil da sra Marisa Leticia”, informa o documento da PF.

lcl

“Tão olhando o quê, seus babacas? Nunca viram um filhinho do papai milionário não???!!!”

* * *

Esta tal de Polícia Federal não dá uma dentro.

Erra em todos os laudos, investigações e conclusões.

É só conferir a atuação da instituição nos últimos tempos. Uma falha após outra.

Fiquem Lula e seu filho tranquilos: o fubânico petista Ceguinho Teimoso, o maior advogado de corruptos deztepaiz, vai provar que os dados contidos na notícia acima são todos falsos.

Isto não passa de mais um lance da sórdida e suja campanha de perseguição ao prisidente mais honesto que Banânia já teve desde o seu descobrimento.

Os filhos de Lula herdaram dele o mesmo caráter sério, honesto e ético do pai.

21 outubro 2016 DEU NO JORNAL

PERGUNTAS

O laranja de Lula, Jonas Suassuna, movimentou 750 milhões de reais entre 2004 e 2016.

É o que mostra um laudo da PF anexado ontem à tarde ao inquérito sobre o sítio em Atibaia.

A Oi, controlada pela Andrade Gutierrez e por Carlos Jereissati (e que comprou a empresa de Lulinha), repassou 76 milhões de reais a Jonas Suassuna.

Duas perguntas:

1 – Jonas Suassuna ainda está solto?

2 – Ele já arrumou um emprego no Uruguai?

* * *

Repasso as perguntas d’O Antagonista pros bem informados leitores desta gazeta escrota.

Respostas aqui pra redação.

Chupicleide está aguardando as manifestações dos viciados fubânicos.

jonas-suassuna-e-lulinha

 O faceiro e trêfego laranja de Lula, Jonas Suassuna, Lulinha e a magnífica ilha em Angra dos Reis, de propriedade destes dois grande milionários banânicos

21 outubro 2016 DEU NO JORNAL

MORO: CONTRA CORRUPTO PROFISSIONAL, O VIGOR DA LEI

josias-de-souza5

sergiomoro

Sergio Moro fez uma palestra para magistrados e servidores da Justiça do Paraná nesta quinta-feira, um dia depois da prisão de Eduardo Cunha. Falou sobre um tema que ele mesmo sugeriu: ”Corrupção sistêmica e Justiça criminal”. Sem mencionar o nome do ex-mandarim da Câmara, o juiz da Lava Jato referiu-se claramente ao novo hóspede do sistema carcerário de Curitiba.

Moro disse que há no Brasil um cenário de ”corrupção sistêmica”. Para combater a roubalheira generalizada, sugere a ”aplicação vigorosa da lei”. A certa altura, declarou: ”Nossos processos não podem ser um faz de conta.”

Mencionou os casos em que a corrupção se torna uma prática ”serial, profissional e reiterada” – os mesmos termos que havia anotado na ordem de prisão de Eduardo Cunha. Ensinou: “Quando a regra do jogo é a corrupção, não admitir o risco de reiteração criminosa [um dos fundamentos para a prisão preventiva] me parece incorreto.”

Para o juiz da Lava Jato, em matéria de combate à corrupção, o Brasil se encontra ”numa encruzilhada”. Dirigindo-se ao pedaço da plateia que veste toga, Moro fez algo muito parecido com uma conclamação: ”Que tenhamos sensibilidade para as necessidades do contexto. E isso significa, a meu ver, uma aplicação rigorosa da lei em relação à corrupção sistêmica.”

21 outubro 2016 DEU NO JORNAL

A FAMÍLIA QUE ROUBA UNIDA…

Para os procuradores da Força Tarefa da Operação Lava Jato, há evidências de que três filhos do ex-deputado federal Eduardo Cunha participaram de uma “série de fatos criminosos graves” como o recebimento de propinas e lavagem de dinheiro.

As informações constam do pedido de prisão feito contra Cunha.

Os três filhos mais velhos dele são sócios de uma empresa investigada pela Lava Jato e suspeita de ter recebido dinheiro de suborno pago pela empresa Gol Linhas Aéreas.

* * *

Estas duas família, os Cunha e os Lula da Silva, são phodas pra mamar no dinheiro público.

Cada um dos membros destas duas quadrilhas, ligadas por laços genéticos, tem os beicinhos feitos na medida pra mamar nas tetas do Erário e nas generosas “doações” dos empresários que tem interesses no gunverno.

Sobre a guabirutagem de Lulinha, vale a pena reler uma postagem de fevereiro passado clicando aqui.

E também uma matéria do portal Terra que tem o sugestivo título de Aluguel de 12 mil do filho de Lula é pago por empresário.

A família que rouba unida permanece unida para sempre nos laços da putaria guabirutal.

fec

Danielle, filha de Cunha, usou dinheiro de propina pra pagar as despesas do seu casamento e também pra comprar vaselina pra noite de núpcias

21 outubro 2016 DEU NO JORNAL

HORA DE USAR A CABEÇA

fernando-gabeira2

Ao som do tiroteio no morro Pavão-Pavãozinho, reflito sobre o momento político cujo ponto alto na semana foi a votação da PEC que estabelece um teto para os gastos do estado. Sempre houve tiroteio por aqui. Na primeira viagem que fiz ao Haiti ouvi tiros à noite. Pensei: estão fazendo tudo para me sentir em casa. E dormi em paz. Mas o tiroteio dessa semana parece marcar o fim de uma época e o começo de tempos bem mais difíceis. A ruína do projeto do PMDB no Rio acabou levando consigo algo que o sustentava, eleitoralmente: a política de segurança.

Tempos difíceis pela frente. A decisão de criar um teto para os gastos é correta. No entanto, há argumentos da oposição que merecem um exame. Acompanhei os debates e concordo com a tese de que a demanda com saúde e educação deve aumentar nos próximos anos. Como encará-las com recursos decrescentes?

Alguns setores da esquerda propõem questionar a dívida pública. Acredito que isso apenas vai nos levar a uma crise maior. Todos os caminhos da esquerda radical nos farão cruzar a fronteira com a Venezuela e nos fundir com o fracasso bolivariano.

O acerto de determinar um teto pode ser problemático adiante, se o governo se contentar com isso. Não me refiro apenas à reforma da previdência como um rumo de continuidade. Não teremos recursos para atender às demandas. O que fazer? O governo afirma que o dinheiro virá com o crescimento econômico, mais investimento, empregos e, consequentemente, mais arrecadação. Isso leva algum tempo. No meu entender, em vez de simplesmente sentir-se vitorioso com a votação do teto, o governo deveria preparar um choque de gestão. É a única maneira de fazer com que a escassez não torne mais difícil a vida das pessoas vulneráveis.

Por onde começar? Nem todo o aparato do governo é irremediavelmente incompetente. Existem algumas ilhas de excelência que deveriam ser estudadas, não para que sejam universalizadas artificialmente, mas como fonte de inspiração. Eu faria algumas perguntas simples. Por que a rede Sarah de hospitais funciona? O que é possível aprender com ela e aplicar em outros setores da saúde? Por que funciona a distribuição de água durante a longa seca no Nordeste, organizada pelo Exército Brasileiro? O que é possível aprender da experiência?

O choque da gestão é tão ou mais importante do que acabar com a roubalheira. O cenário que o governo nos apresenta deve ser avaliado com calma para que não surjam falsas expectativas. O governo quer fazer crescer a economia para voltar a gastar. E possivelmente a roubar, porque uma grande parte dele esteve associada ao PT no assalto aos cofres públicos. Portanto a questão é essa: como voltar a crescer de forma sustentável, em termos econômicos, e, ao mesmo tempo, evitar a roubalheira?

A corrupção está sendo combatida pela Lava-Jato e outras operações. As medidas para combatê-las, com o aval de mais de dois milhões de eleitores, estão na mesa dos parlamentares para serem transformadas em lei. Mas o problema da eficácia passa ao largo das considerações políticas. O próprio Congresso é um exemplo de desperdício. Inúmeras vezes defendi a tese de que a redução de mais da metade dos gastos não influenciaria o resultado do trabalho. Sei que pode parecer mesquinho o que vou dizer. Mas o próprio processo de articulação política para reduzir os gastos foi dispendioso. O presidente ofereceu almoço e jantar para quase 300 parlamentares. Ninguém pensou em pagar a própria comida porque, afinal, estavam todos salvando a pátria. É esse raciocínio que dificulta a reforma. O trabalho de todos é importante, poucos se dispõem a buscar uma racionalidade que os tire da zona de conforto.

Os brasileiros, sobretudo os mais pobres, serão de alguma forma tocados pelas medidas de austeridade. Não creio que apenas o crescimento econômico resolverá, magicamente, os problemas acumulados. Será preciso domar o monstro irracional que se tornou o estado brasileiro. Há quem ache que defender os mais vulneráveis se resume a pedir mais dinheiro. De um modo geral, são as pessoas cujos salários e benefícios dependem de mais verba. O desafio agora é gastar bem, fazer com que cada centavo tenha o maior efeito benéfico na vida das pessoas.

A esquerda que caiu não está preparada para essa nova fase. Ela não só acha que os salvadores da pátria merecem comida grátis. Ela acha que os defensores dos pobres podem encher a cueca de dólares. Muito se fala do buraco em que a esquerda se meteu. Acabaram os partidos? Não importa. As ideias de que as pessoas mais vulneráveis têm de ser consideradas não desaparecem. Acabam ressurgindo no próprio bloco dominante.

Não foi apenas a corrupção que nos levou ao fundo do poço. Foram também o populismo de esquerda e a formidável incompetência brasileira. Suas características mais patéticas se expressam na engrenagem do estado. Não sei até que ponto o próprio mundo das empresas foi contaminado e isso virou um traço nacional.

A racionalidade não se obtém em jantares e almoços no palácio. Tem de ser um pão nosso de cada dia.

21 outubro 2016 DEU NO JORNAL

FARINHA DO MESMO BISACO

O ex-presidente Fernando Collor de Melo (PTB-AL) é acusado pela Procuradoria-Geral da República de ter recebido ao menos R$ 29 milhões em propinas entre 2010 e 2014 referentes a dois contratos da BR Distribuidora, subsidiária da Petrobrás que, segundo revelaram as investigações da Lava Jato, também teria sido palco de um esquema de corrupção e loteamento de cargos políticos de maneira similar ao que ocorreu na estatal petrolífera.

A acusação faz parte da denúncia contra o senador que foi oferecida ao Supremo em agosto de 2015, e aditada em março deste ano, e estava sob sigilo até agora.

* * *

Não custa nada lembrar que esta tal estatal (gostaram do trocadilho?) Petrobras era administrada pelo PT quando Collor guabirutava por lá.

Só isto. Apenas isto. Nada mais que isto.

Vamos repetir pra que não restem dúvidas: a Petrobras que foi roubada pelo ladrão Fernando Collor de Melo era administrada pelo PT de Lula e de Dilma.

R$ 29 milhões é dinheiro de um prêmio da Mega Sena. Fora o que não veio ainda à tona.

Não é por acaso que Collor era da base de apoio do falecido gunverno petralha e gozava da amizade e da intimidade de Lapa de Cabra-Safado.

Os dois são bostas do mesmo pinico.

lulacollor1

21 outubro 2016 DEU NO JORNAL

MANCHETE DA SEXTA-FEIRA – CERCO AO LEGISLATIVO

pl

A Polícia Federal foi ao Congresso logo no início da manhã desta sexta-feira (21) para realizar uma ação contra policiais legislativos suspeitos de prestarem serviço de contrainteligência para ajudar parlamentares investigados na Lava jato.

A suspeita é de que policiais legislativos faziam varreduras nas casas dos políticos para, por exemplo, identificar e eliminar escutas instaladas com autorização judicial.

Os policias legislativos são servidores do quadro do Congresso que atuam na segurança tanto da Câmara quanto do Senado.

Foram expedidos quatro mandados de prisão temporária (que não tem prazo definido para terminar), cinco mandados de busca e apreensão e quatro de afastamento de função pública.

pf

Viaturas da Polícia Federal foram estacionadas na entrada do Congresso

* * *

Tanto a Câmara dos Deputados quanto o Senado Federal tem suas próprias policias.

Cujos diretores são do quadro funcional, mas que são comandadas pelos presidentes das duas casas.

Agora, imaginem uma força policial comandada por Renan Calheiros ou por Eduardo Cunhão.

Putz!

Só mesmo nesta nossa infeliz República Federativa de Banânia.

Francamente, eu nunca pensei que fosse viver o suficiente pra ver esta cena fantástica e espantosa: o Poder Legislativo cercado pela Polícia Federal.

Esta foi de lascar!!!

_BE_7534.jpg

“Vamos conversar tapando a boca, senão as nossas palavras vão sair no JBF”

_BE_7534.jpg

21 outubro 2016 DEU NO JORNAL

DESAFIO

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki negou nesta quinta-feira (20) um pedido apresentado pela ex-presidente Dilma Rousseff para suspender a condenação do Senado que determinou a perda de seu mandato presidencial no processo de impeachment.

A sessão que resultou no impeachment da ex-presidente ocorreu em 31 de agosto e, por 61 votos a 20, os senadores aprovaram a cassação do mandato.

* * *

Que notícia boa que só a porra!

Vaca Peidona tomou no furico mais uma vez. A pajaraca de Teori entrou no fedegoso dela tão rasgadamente que ela chega teve um orgasmo peidotífero.

vaca-peidona-1

Sempre que um canalha da cúpula petralha se lasca, a banda decente do Brasil sorri feliz e agradecida.

Vou fazer um desafio pros bem informados, pacientes e antenados leitores fubânicos.

Cada um destes 61 senadores que votaram por cravar a pica no furico da Vaca Peidona foi vencedor em eleição majoritária no seu estado.

O leitor fubânico que pesquisar a quantidade de votos que cada um teve e nos fornecer o total, vai ganhar um livro de brinde.

Vamos comparar o total de votos com que Vaca Peidona foi eleita e o total de votos dos 61 senadores que enfiaram a pajaraca no toba dela.

Que é pra gente desmistificar e acabar de vez com esta babaquice de “golpe” que os idiotas vivem a repetir.

Tanto Vaca Peidona quanto os senadores ganharam seus mandatos em eleições livres, diretas, majoritárias e democráticas, não custa nada ressaltar isto para arrolhar antecipadamente a boca dos tabacudinhos da militância petralha.

Mãos à obra!

20 outubro 2016 DEU NO JORNAL

NO RITMO DA LAVA JATO

20 outubro 2016 DEU NO JORNAL

ACELERANDO OS BATIMENTOS CARDIACOS DA REPÚBLICA

Ricardo Noblat

A prisão de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) produz dois efeitos no meio político – um imediato e outro de médio prazo.

O imediato: generaliza o pânico na República. O efeito de médio prazo: esvazia o discurso do PT de que a Lava Jato foi concebida para destruí-lo, e somente a ele.

Ao avanço da Lava Jato, que não tem data para terminar, correspondia o aumento de tensão dentro do Congresso e do governo, e também fora deles.

A prisão de Cunha leva o clima de tensão ao paroxismo.

Ele não é apenas mais um político de peso a cair nas garras do juiz Sérgio Moro. Ele é “o político”, a levar-se em conta tudo o que sabe e tudo o que pode delatar.eduardo_cunha

Nada, por ora, se compara à captura de Cunha.

Delcídio do Amaral, ex-senador, ex-líder do governo Dilma no Senado, conhece por dentro do PT parte do que ali deu origem a escândalos. Sua delação serviu para que Lula e Dilma fossem denunciados por obstrução de Justiça.

Mas Delcídio, Lula e Dilma são o passado. O que acontecer com Lula e Dilma já não mais abalará o país. No máximo, causará barulho. E a vida seguirá em frente.

Uma eventual delação de Cunha poderá atingir gravemente o governo Temer. E isso, sim, teria potencial para embaralhar o presente e comprometer o futuro.

Cunha conhece os mais recônditos segredos do PMDB. E foi a peça decisiva do jogo que levou Temer ao poder.

Para chegar à presidência da Câmara, financiou a campanha de mais de 100 deputados do PMDB e de outros partidos. Montou uma bancada que, no seu auge, chegou a reunir pouco mais de 200 deputados. Era “o cara”.

Improvável que escolha amargar muitos anos de cadeia a negociar a revelação do que sabe. Ou de parte do que sabe. Mas é frio o suficiente para não fazer nada disso às pressas.

Quanto ao discurso do PT de vítima exclusiva ou preferencial da Lava Jato…

O discurso já não se sustentava, haja vista o envolvimento de tantos políticos de outros partidos com a roubalheira que a Lava Jato apura. A prisão de Cunha conspira para enfraquecê-lo de vez.

Moro que se prepare: aumentará a cobrança pela prisão de Lula. Sem a participação dele, segundo Rodrigo Janot, Procurador Geral da República, em denúncia encaminhada ao Supremo Tribunal Federal, nada do que enoja o país há dois anos teria sido possível.

20 outubro 2016 DEU NO JORNAL

DANDO NO PÉ

Luis Cláudio Lula da Silva, filho do ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, começou a trabalhar em um clube da primeira divisão do Uruguai, o Juventud de Las Piedras.

Lulinha, como é conhecido, é preparador físico e foi apresentado pela diretoria nesta terça-feira, quando já conheceu as instalações da equipe.

Em declarações divulgadas pelo site Montevideo Portal, o presidente do Juventud, Yamandú Costa, afirmou que Luis Cláudio trabalhará sob um “conceito progressista da formação do atleta”.

filho-de-lula

Luís Cláudio Lula da Silva (à direita) foi apresentado pelo Juventud nesta terça-feira

* * *

Sendo filho de quem é, eu tenho a impressão de que este cabra já está dando no pé e se antecipando ao seu papai no caminho da fuga pro istranjeiro.

Em se tratando da família Lula da Silva, é uma conclusão adequada.

Informantes fubânicos bem posiciondos me garantiram que a família todinha já está de malas prontas.

patrocinador

Esta tal clube uruguaio deve ter recebido uns bons pixulecos por debaixo da grama pra contratar este sujeito.

Alguém aí duvida???!!!

20 outubro 2016 DEU NO JORNAL

CEREJA

Mais do que demolir o discurso de “perseguição” ou “caçada judicial”, a prisão do ex-deputado Eduardo Cunha abre caminho para a prisão do ex-presidente Lula, que, iminente, será “a cereja no bolo” da Lava Jato, segundo expressão de um dos investigadores.

Preso por ordem do juiz Sérgio Moro, que Lula acusa de parcialidade, Cunha é para o PT o seu “inimigo nº 1”. Agora, os petistas terão de procurar outra explicação para as três ações de corrupção em que Lula é réu, na Justiça Federal.

A tendência, na Lava Jato, é “esgotar” o caso Eduardo Cunha, explorando todas as suas possibilidades, antes da “cereja do bolo”.

Lula e petistas repetiram tanto a lorota de “caçada judicial” que ontem ficaram mudos, surpresos com a prisão do inimigo Eduardo Cunha.

As alegações para a prisão de Eduardo Cunha, acatadas por Sérgio Moro, são “café pequeno” comparadas às acusações contra Lula.

* * *

Duas expressões que achei arretadas na notícia acima: “cereja do bolo” e “café pequeno“.

Ambas se referindo ao maior corrupto que eztepaiz já teve desde o seu descobrimento.

Uma cereja vermêia como a estrela do PT.

E, em cima dela, uma pica verde-amarela arrebentando as pregas da quadrilha petralha.

cafe-pequeno

20 outubro 2016 DEU NO JORNAL

PERDÃO A ZÉ DIRCEU É ENSAIO PARA TIRÁ-LO DA CADEIA

jorge-oliveira

Seria muito bom que a bondade do senhor procurador-geral da República, que pediu ao STF que Zé Dirceu fosse perdoado da condenação do mensalão, também fosse estendida aos ladrões de galinha que vivem amontoados nos cárceres do Brasil. Zé Dirceu continuou delinquindo mesmo quando ainda estava preso na Papuda em Brasília. Foi provado que recebia milionárias propinas que saiam da Petrobras para o seu bolso, agravante que impediu o perdão da sua pena, segundo o procurador-geral declarou à época. E o que mudou então de lá pra cá para o STF perdoar a pena de Zé Dirceu? Aparentemente nada, para nós mortais. Mas para Rodrigo Janot, muita coisa, depois que ele encontrou filigranas jurídicas para beneficiar o chefe da quadrilha petista no seu novo pedido encaminhado ao STF.

Janot reavaliou seu parecer anterior sobre a conduta de Zé Dirceu, dizendo que a má conduta do ex-ministro teria ocorrido antes do período previsto no decreto de indulto de Natal do ano passado. Não considerou sequer que Zé Dirceu foi condenado a vinte anos de prisão pelo juiz Sérgio Moro por crime cometido quando ele ainda estava preso na Papuda. Desconsiderou, inclusive, a reincidência da delinquência do ex-ministro de Lula. Esse perdão é, sem dúvida, um futuro salvo conduto para Dirceu deixar a cadeia por bom comportamento antes de cumprir os vinte anos da Lava Jato.perdao

Baseado nessa elasticidade jurídica do procurador-geral da República é que o ministro Roberto Barroso, do STF acatou o novo parecer e perdoou a pena de Zé Dirceu: “Nessas condições, seja porque o condenado não praticou falta disciplinar de natureza grave nos doze meses anteriores contados retroativamente desde o dia 25.12.2015, seja porque a sentença condenatória superveniente diz respeito a condutas praticadas antes mesmo de iniciado o efetivo início do cumprimento de sua reprimenda, não vejo como negar a concessão do indulto”. Não, e o crime de receptação de propina dentro da cadeia não é falta grave?

Veja você, meu caro leitor, como é fácil mudar um parecer. E como é mais fácil ainda apenas duas pessoas, no caso o ministro do STF e o procurador-geral da República, mudarem o curso da história, perdoando a condenação, com apenas duas canetadas, de um dos maiores delinquentes do dinheiro público do Brasil. Por que não submeter uma decisão tão importante como essa a um colegiado? Por que o STF decide monocraticamente indultar uma pessoa que a sociedade exigiu que fosse presa ao ir às ruas se manifestar contra ela e seus comparsas? Ora, isso é, no mínimo, um desrespeito também a todos os ministros do STF que durante um longo tempo se debruçaram horas a fio para condenar a organização criminosa, chefiada por Dirceu. O leitor, como eu, pode até não entender de direito, mas tem todo direito de se indignar com essa justiça amável que encontra brechas para mudar um parecer sem um argumento crível que justifique tal ato.

A Justiça brasileira – que custa aos cofres públicos 80 bilhões de reais por ano – ainda não é a justiça de todos os brasileiros. Enquanto os presos comuns vivem como animais nos presídios, matando uns aos outros, uma parte dessa justiça vive procurando fragmentos em processos para justificar reavaliações de pareceres que beneficiem réus que roubam bilhões do país, mesmo que esses presos voltem a delinquir. Exemplo disso é o Paulo Maluf, deputado, criminoso na lista da Interpol, impedido de entrar em mais de cem país onde poderia ser preso, mas solto no Brasil, gozando de imunidade parlamentar. Outro exemplo da leniência do nosso judiciário é a prescrição do processo do Banco Central, aquele que os gatunos devoraram mais de 1 bilhão de dólares tendo como protagonista o banco Marka. Agora, todos, sem exceção, podem voltar a roubar com o salvo conduto da justiça.

Essa é a justiça brasileira, a justiça dos três Ps, a que bate o martelo sem dó para condenar puta, preto e pobre.

19 outubro 2016 DEU NO JORNAL

MANCHETE DA QUARTA-FEIRA – QUE NOTÍCIA ARRETADA!!!!!!!!!!!!!

cunha-preso

O juiz federal Sérgio Moro, responsável pela Operação Lava Jato na primeira instância da Justiça, determinou na terça-feira (18) a prisão do ex-presidente da Câmara e deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

O pedido é de previsão preventiva, ou seja por tempo indeterminado.

Ele foi preso em Brasília nesta quarta (19).

A previsão da Polícia Federal é de que ele chegue a Curitiba no fim desta tarde.

O peemedebista perdeu o mandato de deputado federal em setembro, após ser cassado pelo plenário da Câmara. Com isso, ele perdeu o foro privilegiado, que é o direito de ser processado e julgado no Supremo Tribunal Federal.

* * *

Que notícia boa que só a porra!

Que notícia arretada!

Ainda nesta quarta-feira Cunhão vai cagar de coca no boi da cadeia curitibana. E o simbolismo deste fato deixa a banda decente deztepaiz com o peito cheio de alegria.

Este doutor juiz Sérgio Moro é, sem qualquer sombra de dúvida, o verdadeiro Herói do Povo Brasileiro.

O homem que deixa cheia de orgulho a banda decente deste Brasil.

Vamos comemorar a prisão de Cunhão Ladrão com um salva de fogos.

Mesmo com os protestos do fubânico Ceguinho Teimoso que, apesar de cego, vive enxergando “cunho político” nas sentenças deste brasileiro notável que é o Dr. Moro e defende com unhas e dentes um outro companheiro de ladroagem de Cunhão, o safado do Lapa de Corrupto, aquele que foi canonizado pela militância petralha.

No dia em que Lularápio for preso (uma notícia que os cidadãos de bem esperam que seja breve) o foguetório vai ser dobrado.

Prometo a vocês!!!

* * *

prs

19 outubro 2016 DEU NO JORNAL

NÃO SEGUIU O EXEMPLO E LASCOU-SE

Uma foto em que o ex-presidente da Câmara e deputado federal cassado Eduardo Cunha aparece sendo revistado pela Polícia Federal no Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, circula pelas redes sociais causando muita repercussão.

A imagem repercutiu entre os internautas, que especularam sobre os motivos da revista.

cunhao-revistado

Cunha já havia passado por uma situação polêmica no Santos Dumont no último dia 12, ao desembarcar vindo de um voo de Brasília.

O deputado cassado chegou a ser agredido fisicamente por uma mulher.

* * *

Um ladrão tão esperto ser apanhado numa coisa tão corriqueira…

Ele deveria mirar-se no exemplo de um outro grande ladrão, seu contemporâneo, também pulítico e também corrupto passivo: só viajar nos jatinhos dos corruptores ativos.

Evita todo este constrangimento de ser vaiado, de ser revistado e de levar sapatadas no fucinho pelos aeroportos da vida.

eike-e-lula-no-jatinho

19 outubro 2016 DEU NO JORNAL

CAGÃO TÁ DANDO NO PÉ

Lula está gravando um vídeo contra a Lava Jato que será encaminhado à ONU, à OCDE e a sindicatos espalhados pelo mundo.

Segundo a Folha de S. Paulo, o vídeo termina com Lula dizendo que “não quer nenhum privilégio, só o direito a um julgamento justo” e que “só não aceita a mentira”.

A reportagem informa que Paulo Vannuchi e Clara Ant, do Instituto Lula, supervisionam o material. A reportagem informa também que o vídeo conta com depoimentos dos advogados do réu, que apresentam sua defesa e acusam os investigadores da Lava Jato de serem “movidos por interesses políticos”.

É mais do que evidente que Lula está preparando sua fuga.

lula-fugindo

* * *

Se ele quiser, pode optar por fazer couto e homizio numa latrina desativada que tem aqui onde moro (moro??? êpa!).

Está às ordens do Corrupto-Mor.

Como eu conto mentiras desde que me entendo por gente, será um prazer fazer uma competição com ele pra ver quem mente mais.

18 outubro 2016 DEU NO JORNAL

MANCHETE DA TERÇA-FEIRA – APRENDEU LIGEIRINHO

ministros-temer

O presidente Michel Temer disse nesta terça-feira (18) que denúncias de corrupção contra ministros e aliados do governo são, por enquanto, “simples alegações”.

Ele deu a declaração em uma entrevista a jornalistas brasileiros em Tóquio.

* * *

Temer botou a bunda na cadeira que foi ocupada por Lula e pronto: aprendeu a justificar a ladroagem da mesma maneira que Lapa de Corrupto.

Isto é o que se pode chamar de “continuidade administrativa“!

ft

“Fica tranquilo, Lula. Eu vou repetir as tuas merdas mas vou pagar direito autoral. Não var ser gordo como as propinas das empreiteiras, mas vai ser uma boa nota pra tu quitar o condomínio do triplex por 13 anos”

18 outubro 2016 DEU NO JORNAL

DESESPERO

Lula publicou um texto interminável na Folha de S. Paulo, defendendo-se da Lava Jato:

“Às vésperas de completar 71 anos, vejo meu nome no centro de uma verdadeira caçada judicial. Devassaram minhas contas pessoais, as de minha esposa e de meus filhos; grampearam meus telefonemas e divulgaram o conteúdo; invadiram minha casa e conduziram-me à força para depor, sem motivo razoável e sem base legal. Estão à procura de um crime, para me acusar, mas não encontraram e nem vão encontrar”.

Já encontraram, sim. E estão encontrando muitos outros – do triplex no Guarujá à planilha no Setor de Propinas da Odebrecht.

Lula sabe disso e o texto para a Folha de S. Paulo é a prova de seu desespero.

lula-desesperado

“Tô fudido. Vô pidi pru Ceguinho Teimoso mi defendê no tribuná”

* * *

Estou curioso sobre uma coisa…

E vou apelar pros nossos argutos leitores

Quem foi que escreveu este texto assinado por Lula e que foi publicado na Folha, este jornal que é expoente da grande mídia golpista???

Hein???

Respostas aqui pra redação do JBF.

18 outubro 2016 DEU NO JORNAL

EXPULSÃO PORRA NENHUMA

O PT já não sabe o que fazer sobre seu estatuto: o artigo 231 diz que serão excluídos dos quadros do partidos aqueles condenados por “crime infamante ou por práticas administrativas ilícitas, com sentença transitada em julgado.”

Após o mensalão, ninguém foi expulso do PT.

Mas na Lava Jato a lista de potenciais expulsões cresceu a ponto de não ser possível ignorar: Dilma, os ex-ministros Gleisi Hoffmann e Paulo Bernardo e até o ex-presidente Lula podem ser expulsos do PT.

Dilma Rousseff, condenada por órgão colegiado (o Senado), teve o processo contra ela transitado em julgado. Pode ser expulsa do PT.

Os ex-ministros petistas da Fazenda Antonio Palocci e Guido Mantega, ambos presos pela Polícia Federal na Lava Jato, estão na “fila”.

Os ex-tesoureiros do PT João Vaccari Neto, condenado e preso, e Delúbio Soares, condenado no mensalão, continuam filiados ao PT.

O PT poupou os ex-presidentes condenados Dirceu e Genoino. Dirceu acabou pedindo para sair do PT. Genoino cumpriu pena e está filiado.

* * *

Fiquem tranquilos: o fubânico petista Ceguinho Teimoso vai explicar, com bem fundamentados argumentos contorcionais, porque o PT não segue o estatuto e expulsa os meliantes já condenados.

Uma coisa eu já adianto: Ceguinho vai provar que a justiça banânica é reacionária, golpista e aplica a lei burguesa de modo distorcido.

mn

“Se num fosse o Ceguinho fubânico, nóis tava lascado!”


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa