1 abril 2017 DEU NO JORNAL

UM GESTO DE BONDADE

O ex-­pre­sidente da Odebrecht Infraestrutura, Benedicto Junior, um dos 78 executivos que fez acordo de delação premiada com a Lava Jato, revelou em depoimento que a construtora fez depósitos para Aécio em uma conta bancária de Nova York operada por sua irmã e braço-direito, a jornalista Andrea Neves.

De acordo com BJ, como é conhecido o ex-executivo, os valores foram pagos como “contrapartida” ao atendimento de interesses da construtora em empreendimentos como a obra da Cidade Administrativa do governo de Minas Gerais, realizada entre 2007 e 2010, e a construção da usina hidrelétrica de Santo Antônio, no Estado de Rondônia, de cujo consórcio participa a Cemig, a estatal mineira de energia elétrica.

Andrea Neves foi uma espécie de “primeiro-ministro” do governo de Aécio em Minas Gerais, conhecida pela arrogância e autoritarismo.

Ela ainda cuida de interesses políticos do irmão e, quando ele foi governador, atuava na interlocução com empresários.

Ela foi acusada inclusive de praticar censura ao pressionar veículos de comunicação críticos à gestão do então governador.

* * *

Esta gazeta escrota já se ocupou desta guabirutagem aécio-tucaniana, a propina que o Cheirador recebeu em depósito nos Zistados Unidos

Mas vamos repisar o assunto por uma questão de bondade e caridade cristã.

Explico:

Cabeça-de-Fossa, minha querida amiga e conterrânea de Palmares, tesoureira do Comitê Municipal do PT na nossa cidade, é daquelas que tem bandidos prediletos.

Ela adora divulgar ao mundo as ladroagem de Aécio em Minas Gerais, mas nega e renega a ladroagem lulaica em todo o Brasil. E também no istranjeiro.

De modo que faço esta postagem unicamente com a finalidade de tornar feliz o final de semana da minha querida conterrânea.

Um xêro, Cabeça-de-Fossa!

E pode contar que toda guabirutagem tucana será publicada nesta gazeta escrota.

(As guabirutagens petralhas também… me perdoe, minha querida… mas faz parte: seu amigo aqui não tem predileção por qualquer tipo de ladrão…)

1 abril 2017 DEU NO JORNAL

DÚVIDA ATROZ

“A responsabilidade de um parlamentar federal é enorme e, por conseguinte, também a sua culpabilidade quando pratica crimes. Não pode haver ofensa mais grave do que a daquele que trai o mandato parlamentar e a sagrada confiança que o povo nele depositou para obter ganho próprio.”

Juiz Sérgio Moro na sentença em que condenou Eduardo Cunha a 15 anos de prisão

* * *

Isto em se tratando de um reles deputado federal cometendo crimes.

E o que se dizer de um Presidente da República cometendo crimes no exercício do mandato?

Seria uma “ofensa mais grave” ainda?

Hein?

Me digam-me, por favor.

Não consigo cochilar com esta dúvida atroz me aperreando do juízo.

“Eu tô de ôio nessi editô do JBF: num laiga do meu fiofó…”

1 abril 2017 DEU NO JORNAL

LÁ É DIFERENTE DAQUI

Enquanto a Coreia do Sul prende a ex-presidente Park Geun-hye – vinte dias após o impeachment -, no Brasil poucos entendem por que Lula, apontado pelo MPF como o chefe da quadrilha, até hoje não foi preso.

* * *

Eu mesmo estou entre estes “poucos” que não entendem porque Lapa de Corrupto ainda está livre, leve e solto.

E em plena campanha, fazendo discursos pras suas AA (Antas Amestradas)

Os juristas fubânicos bem que poderiam esclarecer este estranho fenômeno banânico para nós outros, ignorantes em Direito Impunitário

A corrupta ex-prisidenta da Coréia do Sul seguindo pra cadeia no camburão da PF de lá

1 abril 2017 DEU NO JORNAL

CORTE IRRISÓRIO

* * *

Tá pouco.

Tá muito pouco mesmo.

Para que se consolide o projeto Vem, Lula – ardentemente defendido pelo fubânico petista Ceguinho Teimoso -, o corte tem que ser maior.

Quanto mais analfabeta e sem educação a população banânica, mais votos pro PT. Uma coisa implica diretamente na outra.

O corte precisa ser de, pelo menos 20 bilhões de reais na educação pra que o sonho de uma nova eleição de Lula se concretize. E para que este sonho se torne realidade, tenho a intenção de botar esta gazeta escrota totalmente a serviço da campanha do nosso probo e incorruptível líder.

O Departamento de Marketing e Faturamento Por-Fora do JBF já começou a trabalhar nas linhas gerais da campanha, produzinho jingles e cartazes.

Sendo o nosso cartaz aprovado pelo Diretório Nacional do PT e, mais ainda, sendo Lula o vitorioso, tenho certeza que esta gazeta escrota vai sair da miséria e não faltarão grandes empreiteiros dispostos a abarrotar os nossos cofres, atualmente cheios de teias de aranha, ao invés de cheios de dinheiro

Com a vitória de Lula, o JBF publicará anúncios da Petrobras todos os dias.

Uma parceria entre a nossa maior estatal nas mãos do PT e esta gazeta escrota, daria certo que só beiço de bode.

31 março 2017 DEU NO JORNAL

MÃOS E BOLSOS LIMPOS

O juiz federal Sérgio Moro, titular da 13ª Vara de Curitiba, assinou uma primeira sentença que condena o ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha.

Ele foi condenado a 15 anos e 4 meses de prisão, em sentença assinada na sede da Associação Nacional dos Juízes Federais, em Brasília, diante do presidente da entidade, Roberto Veloso.

Preso preventivamente desde outubro, Eduardo Cunha agora passa à condição de condenado.

Cunha responde a sete crime perante Moro, no esquema de corrupção da Petrobras.

Ele é acusado de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e evasão de divisas envolvendo propinas no caso da compra de direito de exploração de campos de petróleo em Benim, na África.

* * *

O mega-corrupto Cunhão foi condenado por conta do “esquema de corrupção da Petrobras“.

É o que diz o noticiário e o que consta na sentença de condenação.

Com certeza, segundo dados e provas que serão aqui apresentadas pelo fubânico petista Ceguinho Teimoso, Cunhão fez isto no tempo em que a Petrobras era administrada pelo PTB de Getúlio Vargas, aquele presidente que tinha as mãos sujas de óleo e de propinas.

Coisa que Lula nunca teve.

Lula sempre teve as mãos limpas, como bem sabemos todos nós, desapaixonados e livres da cegueira político-ideológica.

Não só nós sabemos, mas também Marcelo Odebrecht e os empreiteiros que generosa e desinteressadamente doaram – com muita justiça e merecimento -, o sítio de Atibaia e o triplex do Guarujá ao melhor prisidente que este país já teve.

Lula é um gigante, um homem íntegro, um baluarte que é injustamente odiado pelos reacionários da direita golpista de Banânia.

Ainda bem que Lula é idolatrado pelas cabeças pensantes, pelos homens lúcidos e pelos que enxergam a realidade real.

A realidade sem disfarces.

A realidade nua, cruz e lambuzada de petróleo.

31 março 2017 DEU NO JORNAL

TIRANETE DE OPERA BUFA

* * *

O supremo venezuelano é sinônimo de Maduro.

O supremo venezuelano, o Poder Judiciário, por determinação de Maduro, passou a funcionar como Poder Legislativo desde ontem.

O Poder Judiciário na Venezuela é apenas uma extensão da sala do tiranete bigodudo que devasta e assola o país vizinho.

Nem um romance do realismo fantástico de Gabriel Garciz Marquez conseguiria chegar a um enredo impressionante como este que foi montado pelo herdeiro da capitania hereditária do pajarito Chávez.

As zisquerdas banânicas devem estar vibrando com esta notícia e suspirando de pena porque o PT não conseguiu implantar o bolivarianismo aqui em Banânia.

Os jacarés estão chorando em cima da cama, os crocodilos estão derramando lágrimas na cozinha, enquanto o fubânico zisquerdista Teimoso Renitente enxuga as lágrimas dos coitadinhos.

31 março 2017 DEU NO JORNAL

PROCURADOR CRUEL CONTINUA SUA INFAME PERSEGUIÇÃO AOS INOCENTES

* * *

Ué…

Eu pensei que o procurador Deltan Dallagnol, aquele que vive sentado em cima da Bíblia – segundo doutas e teologais declarações de Lula -, só perseguisse e só fizesse injustiças contra o PT.

Ora, ora.

Confesso que estou perplexo.

Ele bate no PT e bate também no PP.

Enfia o cacete nos zincarnados e enfia o cacete também nos zazuis.

Pensei que a “injustiça” deste procuradorzinho fosse exercida apenas contra a gloriosa istrêla vermêia.

Supunhetava eu que sua fúria fosse exercida apenas contra a “esquerda” e que deixasse de fora a “direita”.

O fato é que a organização criminosa que usa a sigla partidária de PP, negou o crime.

Tá lá na notícia:

O PP nega irregularidades e diz as doações recebidas foram legais e devidamente declaradas e aprovadas pela Justiça Eleitoral.

E isto me fez lembrar de uma outra organização (que também usa sigla partidária), que rotineiramente lança mão desta mesma desculpa: “Doações legais e declaradas à Justiça Eleitoral

Só que não me lembro qual é… tô com a memória meio fraca… Vocês sabem?

O que não consigo esquecer de modo algum é a cifra que foi roubada pelo PP:

2 bilhões e 300 milhões e reais.

É dinheiro pra caralho!

Mas, pensando bem, numa terra que viveu e vive o mega-escândalo da Petrobras, 2 bilhõeszinhos são uma merreca.

Uma minxaria.

31 março 2017 DEU NO JORNAL

LÁ NÃO É COMO CÁ

* * *

Ex-presidente…

Escândalo de corrupção…

Cadeia…

Esta sequência se deu lá no oriente, na atrasada, subdesenvolvida e paupérrima Coréia do Sul.

Enquanto isto, numa próspera republiqueta ao sul do equador conhecida como República Federativa de Banânia…

31 março 2017 DEU NO JORNAL

ATESTADO DE HONRADEZ

Condenado nesta quinta-feira (30) a 15 anos e quatro meses de prisão por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e evasão de divisas, o ex-deputado Eduardo Cunha afirma que o juiz Sergio Moro “quer se transformar em um justiceiro político” e tenta usá-lo como “seu troféu em Curitiba“.

* * *

Lula também andou dizendo algo semelhante a respeito do Dr. Moro.

É a glória!!!!

Ser caluniado e ofendido por Lula e por Eduardo Cunhão, é um atestado de idoneidade recebido pelo Dr. Moro.

Um atestado firme, precioso e indestrutível.

Marcola e Fernandinho Beira-Mar emitiram declaração de solidariedade a Lula e Cunhão.

Este fato auspicioso merece uma salva de fogos!!!!!

* * *

30 março 2017 DEU NO JORNAL

BEM NO MEIO DO OLHO DO FEDEGOSO

* * *

A turminha que detesta a Lava Jato e odeia o Dr. Moro deve estar espumando de ódio com a condenação de Cunhão.

Eu não me espantaria nada se o Instituto Lula soltasse uma nota ainda hoje condenando esta “arbitrariedade” do perseguidor curitibano.

Bom, o fato é que a fila está andando.

Hoje foi Cunhão. Daqui uns dias chegará a vez de Lapa de Safado.

Na minha opinião de eleitor e contribuinte, especialista em Direito Peruativo, eu não me importaria se o Dr. Moro rebaixasse em dois anos esta pena de quinze anos.

13 anos seria uma dezena coerente e bem apropriada pra condenar um ladrão.

Aliás, em falando de ladrão, vamos comemorar esta excelente notícia, que alegrou a nossa quinta-feira, com um samba de Bezerra da Silva

30 março 2017 DEU NO JORNAL

DIFERENÇA ENTRE FHC E LULA É MAIS DE ESTILO DO QUE DE CONTEÚDO

Rodrigo Constantino

Tem poucas coisas que irritam mais um liberal legítimo do que ver alguém como Fernando Henrique Cardoso sendo chamado (ou “acusado”, no caso) de “neoliberal”. É verdade que não existe um único liberalismo, e que há uma região cinzenta que abriga tons distintos, que vão do mais libertário ao mais conservador, passando pelo liberal clássico. Em algum canto mais à esquerda é possível jogar o “liberal-social”, alguém como Merquior, um grande intelectual brasileiro.

Mas para tudo há limites, e sem dúvida não existe espaço para socialistas dentro do que se chama liberalismo. Mesmo sendo muito elástico no conceito, os “liberais” americanos já não se encaixam na definição de liberais faz tempo, tendo usurpado o termo para confundir, para empurrar socialismo como se fosse liberalismo. E se Obama, Hillary Clinton e Bernie Sanders não têm nada de liberais, o que dizer de FHC? Pior ainda!

Meu xará Rodrigo da Silva, do site Spotniks, fez um breve resumo de por que alguém com o perfil de FHC jamais poderia ser incluído no rol dos liberais (ou “neoliberais”, seja lá o que isso signifique):

FHC…

Já foi editor da revista “Fundamentos”, do Partido Comunista Brasileiro.

Já teve Lula como principal cabo eleitoral, em 1978, fazendo campanha lado a lado com ele em porta de fábrica.

Já assumiu publicamente ser marxista, mesmo depois de eleito presidente da República.

Já lutou contra o impeachment de Lula em 2005.

Já lutou contra o impeachment de Dilma em 2015.

Já defendeu as políticas econômicas do PT.

Já lançou José Serra candidato à presidência.

Já disse que não gostaria de ver a prisão de Lula.

Já se assumiu como um homem de esquerda, justificando que a direita só produz “injustiças, miséria e violência”.

Já tentou brecar a ascensão de Doria, um político mais liberal, dentro do seu próprio partido.

E agora diz que o filme que retrata o liberal Gustavo Franco como protagonista do Plano Real é só uma “obra de ficção”.

Você pode dizer que FHC transitou ao longo da vida entre o extremismo e a moderação. Pode apostar que a sua vaidade lhe fez navegar por diferentes mares para ser aceito. Pode até supor que o seu narcisismo lhe forçou a adotar decisões mais ponderadas na vida pública, tornando-o menos refém dos seus próprios credos. Só não pode negar o quanto a sua identidade política é cristalina.

FHC é um dos principais representantes da esquerda brasileira. Não dessa esquerda troglodita que engole barba no almoço, é verdade – imatura, fascistóide, ignorante, que nunca leu sequer O Capital, quem dirá Florestan Fernandes – e que é tão limitada que é capaz de jurar, vejam só, que o tucano é um representante do liberalismo (provavelmente porque a única vez em que encarou o assunto na vida foi analisando uma imagem em preto e branco do Adam Smith no livro de história do segundo grau). Também não é dessa esquerda que compartilha meme da Frida Kahlo, lê poesia avulsa do Pablo Neruda e toma três aulas de francês para fingir uma intelectualidade que não possui.

FHC é da esquerda que soube superar a viuvez da queda do Muro de Berlim – e exatamente por isso é mais adaptável às novas circunstâncias que os demais. Sua grande diferença com Lula, ao menos no que diz respeito ao campo político, versa muito mais sobre estilo do que ideias. E você não precisa de nada além de um bom livro de história para chegar a essa conclusão.

Toda vez que alguém diz que FHC é um “neoliberal”, um panda comunista morre em frente à Praça da Paz Celestial.

Como pode alguém assim ser chamado de liberal ou neoliberal?! E olha que ainda faltou muita coisa. FHC foi quem introduziu as cotas raciais em nossa política, por exemplo, e foi um financiador empolgado do MST durante sua gestão, em nome dos “assentamentos agrários”. Hoje é um “progressista” que julga a legalização das drogas uma bandeira fundamental para o país e o mundo.

FHC privatizou, é verdade. Mas foi por convicção ideológica? Não! Foi por extrema necessidade de caixa, e ainda usou o BNDES de forma indevida, a ponto de Sergio Lazzarini mostrar, em Capitalismo de Laços, como o jogo continuou sendo dominado pelos mesmos grandes players, em conluio com o governo. Não estou dizendo que foi um erro privatizar. Longe disso! Meu Privatize Já diz o contrário. Mas não foi uma privatização à lá Thatcher, e sim nos moldes ainda estatizantes da esquerda.

Claro, não vamos negar os méritos de FHC, que mesmo sendo de esquerda soube delegar a economia para gente competente e ortodoxa, e o resultado foi o Plano Real e o fim da hiperinflação em nosso país. Isso não foi pouca coisa. O lado mais perto do liberalismo foi o grande legado de FHC. No restante, ele deixou seu viés esquerdista falar mais alto e o resultado foi lamentável. FHC “tirou” o estado da economia para colocar todo o resto dentro do estado, e mesmo na economia o grau de intervencionismo continuou absurdo. Regulação, impostos e dívidas crescentes: nada parecido com um legado liberal.

Por que bater em “defunto”, em quem está afastado da política e com idade avançada? Simples, e são basicamente dois motivos: FHC continua ativo na política, dando pitacos, servindo de testemunha de defesa do Lula, alertando para a “perigosa onda conservadora”, fazendo campanha para bandeiras esquerdistas e se envolvendo em discussões sobre reformas e candidaturas; e a imagem de alguém como FHC como ícone do liberalismo no Brasil é tudo aquilo que a esquerda mais quer, e que os liberais mais detestam.

Se um esquerdista contumaz como FHC for a “direita” brasileira, então só há esquerda no país, e a hegemonia não acabará nunca. Estratégia das tesouras, mantendo a “disputa” entre esquerda radical e esquerda moderada (mais no estilo do que no conteúdo, repito), e deixando de fora a verdadeira direita, liberal e/ou conservadora. Portanto, só nos cabe dizer: xô, FHC! Você não pertence ao liberalismo (e sabemos que você concorda com isso). Fique lá com seus camaradas e companheiros da esquerda.

30 março 2017 DEU NO JORNAL

A PRECISÃO NEGRA DA FOME NA CASA DO VIZINHO

A troca de produtos básicos entre os venezuelanos, que se intensificou nos últimos anos com o acirramento da crise e o desabastecimento no país, recebeu o apoio da prefeitura de Baruta, cidade vizinha à capital Caracas.

A prefeitura decidiu ajudar a organizar a prática do escambo e oferecer policiamento em um espaço público para que ela ocorresse em segurança. 

A escassez de alimentos e produtos básicos afeta a Venezuela. Em Caracas, ela foi calculada em 80% em 2016, pela empresa Datanálisis. Grandes filas e prateleiras vazias viraram rotina nos supermercados.

Há pouco mais de um ano, o presidente Nicolás Maduro decretou um “estado de emergência econômica”, que foi renovado pela 6ª vez no início de 2017. Em março, o Parlamento decretou crise humanitária em matéria de alimentos.

Os venezuelanos já vinham se organizando pela internet para oferecer os produtos que encontram nos supermercados e pedir aqueles que não conseguem comprar. Mas relatos de fraudes e roubos, além de uma onda de saques no comércio, tornaram a prática perigosa.

* * *

Sem dúvida alguma, a Venezuela bolivariana não poderia deixar de ser o modelo de país para os zisquerdistas banânicos.

Chávez conseguiu implantar um sistema que o PT, mesmo sonhando acordado com ele, não foi capaz de estabelecer por aqui: a existência dos três poderes constitucionais, executivo, legislativo e judiciário, dando ares de democracia ao país, mas todos eles sob o comando e na mão fêrrea do pajarito psicopata.

O ideal bolivariano vigorar aqui em Banânia (coisa que o fubânico zisquerdista Ceguinho Teimoso chama de “jacaré embaixo da cama“) fracassou tão fragorosamente que o jacaré passou a dar risadas em cima da cama.

O projeto totalitarista bolivariano ruiu destrambelhadamente na Venezuela. Logo, consequentemente, este projeto deve ser idolatrada pelos tabacudos vermêios. Tudo que não dá certo, os descerebrados ideológicos daqui acham o máximo.

Incompetência, sofrimento da população e naufrágio são as marcas salientes do totalitarismo zisquerdóide.

Vide Cuba e Coréia do Norte, que são os “paraísos” de Chico Buarque e de Jandirão Feghali, respectivamente.

“Paraísos” nos quais os dois nunca passaram férias, preferindo a capitalista e iluminada Paris.

A sombra negra da fome, a mais lancinante e terrível das precisões humanas, se espalha como uma peste em todo o vizinho território venezuelano.

Maduro, atual gerente da capitania hereditária implantada por Chávez, tem nas mãos o leme de uma nau faminta, fracassada, miserável, na qual veleja um povo em desespero, embora ainda com esperanças no coração.

Dois grandes cumpanheros, canalhas, bandidos, miseráveis – um falecido vivo e outro falecido morto -, se rindo-se dos zintelequituais e oftalmopatas da América Latrina que exaltam esta grande parelha de enganadores

29 março 2017 DEU NO JORNAL

ONIPRESENÇA, ONIPOTÊNCIA, ONISCIÊNCIA

* * *

Se existe uma coisa que pode definir a palavra “Onipresença”, esta coisa é a Odebrecht.

Isto sem falar da Onisciência e da Onipotência.

Vôte!

Este Corruptor Ativo tá em todas!!!

Em Banânia e no Istranjeiro.

Do PT ao PSDB, passando pelo PQP, ninguém escapou dos seus encantos.

A sigla TCE significa Tribunal de Contas do Estado.

Este tribunal é o órgão encarregado de….

Não.

Não vou fazer comentários.

A manchete aí de cima já diz tudo.

Vou apenas homenagear a capital do estado.

29 março 2017 DEU NO JORNAL

DEU NO ANTAGONISTA

EXCLUSIVO: AMIGO E ITALIANO SACARAM 133 MILHÕES DE REAIS

Os documentos entregues pela Odebrecht ao TSE permitem reconstruir o caminho da propina que abasteceu Lula e Dilma Rousseff.

Em 31/03/2014, alguns meses antes da campanha eleitoral, Marcelo Odebrecht pediu a Hilberto Silva o saldo das contas correntes Italiano e Pós-Itália (contas 1 e 2):

As planilhas mostram que, até aquela data, Lula e Antonio Palocci haviam sacado 133 milhões de reais da conta corrente Italiano.

De fato, a Odebrecht fez um depósito de 200 milhões de reais em favor do Amigo e de seus dois operadores.

Em 31/03/2014, sobravam apenas 66 milhões de reais.

* * *

Quem vai vibrar com esta postagem é o fubânico petista Ceguinho Teimoso.

Ele vive cobrando e exigindo dados, fatos, números e provas.

Esta matéria, publicada n’O Antagonista, tá do jeito que Ceguinho gosta.

 

29 março 2017 DEU NO JORNAL

UMA DUPLA SOLIDÁRIA

Os banhos de sol no Complexo Médico Penal de Pinhais têm sido palco do nascimento de uma forte amizade entre dois figurões da Lava-Jato (e de outra meia dúzia de escândalos da República), que antes se consideravam inimigo de ferro a fogo.

O ex-ministro José Dirceu e o ex-deputado Eduardo Cunha já vinham se falando protocolarmente, durante os banhos de sol e no refeitório, mas agora não se desgrudam.

Dirceu e Cunha se ligaram tanto que no PMDB atribuem à influência do ex-ministro petista a tentativa de implicar Michel Temer em seus rolos.

Quem conhecia Cunha e Dirceu já previa a aproximação da dupla. Têm características semelhantes, do “estilo trator” à arrogância de cada um.

Se José Dirceu tem penas que somam 31 anos na Lava Jato, Eduardo Cunha não deve alimentar a esperança de uma sentença inferior.

Cunha foi o “inimigo público nº 1” do PT, no impeachment de Dilma, mas caminha para se transformar em aliado petista desde criancinha.

* * *

Dois profissionais experientes.

Dois companheiros calejados nas artes guabirutíferas.

Uma parelha escolada e diplomada no ardiloso lema “Eu roubo em benefício das massas”

Um tem muito que ensinar pro outro.

Cunhão aprendeu um bocado com Zé. E vice-versa.

A união PT/PMDB se consolida atrás das grades, nos mornos banhos de sol curitibanos,

Pinico e Urinol: um dupla caipira perfeita pra alegrar a frieza do cárcere

29 março 2017 DEU NO JORNAL

APELO EMOCIONADO

Ignorando a legislação, que proíbe campanha antecipada, até porque se considera inimputável, o ex-presidente Lula vem realizado comícios Brasil fora com objetivo eleitoral.

Além de pavimentar seu retorno à Presidência, a estratégia de Lula é manter petistas e simpatizantes “mobilizados”, como forma de inibir eventual decisão da Justiça de mandar prendê-lo pelos crimes dos quais é acusado na Lava Jato.

Após fazer campanha na Paraíba, há uma semana, a pretexto de “reinaugurar” parte da obra da transposição, agora ele vai ao Acre.

O governador acreano Tião Viana (PT) convocou petistas e servidores públicos a recepcionar Lula no Estado, em 28 de abril.

Investigadores da Lava Jato devem ficar de olho no aluguel de aviões.

Para ir à Paraíba, Lula usou um jatinho cujo aluguel custa R$ 100 mil.

Lula e aliados provocam a Lava Jato.

A Ciro Gomes coube ameaçar: se Sergio Moro mandar prendê-lo, a “turma” dele será recebida “na bala”.

* * *

Vem, Lula!

Esta foi a expressão que o fubânico petista Caso Perdido escreveu várias vezes aqui no JBF nos últimos dias.

Eu reforço o coro.

E faço um apelo sincero, do fundo do coração.

Vem, Lula! 

Vem para Presidente.

Vem para Presidente Prudente.

Lá é mais aconchegante do que a cadeia de Curitiba.

29 março 2017 DEU NO JORNAL

AMAZON DÁ UM TIRO NO PÉ

Rodrigo Constantino

A Amazon resolveu acreditar nos seus marqueteiros descolados e fez um comercial direcionado à esquerda caviar, ignorando o povo. É o que dá viver numa bolha “progressista”. Sua nova propaganda do Kindle, um produto que particularmente gosto bastante, pois é muito útil para um escritor de resenhas como eu, atacou o combate do prefeito paulista aos pichadores de muro, como se “tornar a cidade cinza” fosse um crime, não emporcalhar cada canto de São Paulo. Eis o comercial:

Até agora, está com mais de 3 mil “descurtidas” para apenas 500 curtidas. É o resultado de quem não sai da vizinhança protegida dos “descolados”. Mas o prefeito João Doria não deixou barato. Imediatamente gravou um vídeo como resposta fazendo um desafio à empresa, demandando doações para que não fique parecendo só oportunista:

Felipe Moura Brasil comparou esta reação inteligente e corajosa de Doria com a de outros tucanos no passado. Não dá nem para comparar, pois é covardia! O blogueiro da Veja lembra de alguns episódios:

Em 2006, Alckmin vestiu um casaco com os símbolos das estatais para provar que não era “privatista”, como o PT o acusava – mas Doria não precisou vestir um casaco grafitado para reagir à Amazon.

Em 2010, Serra defendeu a criação de uma 13ª parcela em favor dos beneficiários do Bolsa-família para provar seu amor ao programa – mas Doria não precisou oferecer um 13º aos grafiteiros.

Em 2014, Aécio se limitou a chamar a propaganda do PT sobre os “fantasmas do passado” de “ato de um governo que vive seus estertores” – mas Doria não precisou se limitar a um lamento pedante.

O prefeito trocou a postura defensiva – para não dizer suicida -, complacente e tecnocrática com que os velhos tucanos reagem aos ataques petistas pelo contra-ataque altivo, inteligente e irreverente que impõe ao adversário um problema publicitário e moral ainda maior do que aquele que ele tentou jogar sobre seu colo.

Se a Amazon fizer doações a São Paulo, Doria sai vencedor do confronto pela ajuda que conseguiu para a cidade. Se não fizer, o prefeito sai igualmente vencedor por comprovar o oportunismo não solidário da empresa.

Doria colocou a equipe de marketing da Amazon numa encruzilhada. Vai doar o que foi solicitado ou vai assinar atestado de oportunismo? Moura Brasil conclui com um recado aos caciques tucanos: “Aprende, tucanada, em vez de boicotar a candidatura alheia pela raiz”.

De fato, a postura de Doria representa algo novo dentro do partido, pois os tucanos, historicamente, sempre optaram pela “diplomacia”, eufemismo para covardia. Mascarando sua pusilanimidade com o verniz de “educação”, a triste realidade é que o PSDB sempre apanhou calado da extrema-esquerda, dos seus “primos radicais”, e nunca conseguiu revidar à altura.

A Amazon tentou colocar Doria contra a parede ao favorecer a esquerda caviar, mas se deu muito mal. Como Guilherme Macalossi comenta, a estratégia foi péssima:

A nova propaganda da Amazon sobre o Kindle é duplamente burra:

1 – Ela se contrapõe à majoritária parcela da população paulistana, francamente a favor do programa “Cidade Linda”

2 – Ela compara os autores de livros a criminosos pichadores que emporcalham a cidade

Exatamente. Se fosse um típico tucano, iria vestir a carapuça e se intimidar. Doria não é um típico tucano. Ele tem mais testosterona sozinho do que todos os tucanos juntos, apesar da pinta de “coxinha” (coisa que soube também transformar em ativo, como quando rebateu que seus ternos caros foram comprados com dinheiro do seu trabalho, ao contrário de Lula). É isso que o povo quer! Alguém que lute por seus interesses sem medo da patrulha politicamente correta.

Continuo fã do Kindle, pois é um belo produto, apesar da péssima propaganda. E passei a admirar um pouco mais o prefeito de São Paulo, que não se deixa intimidar por essa pressão “progressista”.

28 março 2017 DEU NO JORNAL

COMPRAM-SE LEIS E GOVERNOS

José Casado

Na manhã de segunda-feira 31 de março de 2014, o empresário Marcelo Odebrecht recebeu uma planilha financeira organizada por Hilberto da Silva, chefe do Departamento de Operações Estruturadas da empreiteira.

Calvo, dono de um sorriso que lhe repuxa o olho direito, Hilberto era o terceiro a comandar um dos mais antigos núcleos operacionais da construtora, o de pagamento de propinas. Noberto, fundador e avô de Marcelo, tivera a assessoria de Benedito da Luz. Emílio, o pai, nomeara Antonio Ferreira. Marcelo, o herdeiro, assumiu em 2006, escolheu Hilberto e pôs a unidade no organograma do grupo, disfarçada como “Operações Estruturadas”.

Conferiu a planilha: restavam R$ 50 milhões na conta, desde 2010. Só ele sabia a origem e o destino daquele dinheiro. Depois de quatro anos adormecido no caixa paralelo, chegara a hora de repassá-lo à campanha de reeleição da chapa Dilma Rousseff-Michel Temer.

“O que eu acho que contamina a campanha de 2014 é esse dinheiro do Refis”, ele disse em depoimento no Tribunal Superior Eleitoral, no último 1º de março. “Esse, sim, foi uma contrapartida específica”, acrescentou.

Por trás da propina de R$ 50 milhões à campanha Dilma-Temer, segundo Marcelo, está a história da compra de uma medida provisória (nº 470, ou “Refis da Crise”) no fim do governo Lula.

Era 2009. O ministro da Fazenda, Guido Mantega, negociava com empresas devedoras da Receita e da Previdência Social. “Eu sei que, no meio dessa discussão de 2009, aí, sim, nesse caso específico, o Guido me fez uma solicitação, de que tinha uma expectativa de 50 milhões para a campanha de 2010 dela, tá?” – relatou Marcelo, em juízo. “Foi o único pedido, digamos assim, de contrapartida específica que o Guido me fez, no contexto de uma negociação, tá?”

A MP chegou ao Congresso com 61 artigos. De lá saiu com 140. O juiz quis saber se a expectativa fora atendida já na medida provisória ou, depois, no Congresso. Marcelo explicou: “As coisas nunca são atendidas prontamente. Na verdade, uma parte se consegue via governo. Depois você tenta incluir algumas emendas, aí, a Fazenda acaba vetando algumas, então, é o que se consegue. A gente conseguiu algo que era pelo menos razoável para a gente”.

Lula sancionou o “Refis da Crise” em janeiro de 2010. Reduziu em até 75% nas dívidas acumuladas com a Receita e o INSS, deu 15 anos para pagamento do saldo e anistiou as multas. Premiou os devedores, tradicionais financiadores de campanhas. Puniu quem pagava em dia seus tributos.

A “contrapartida específica” de R$ 50 milhões não foi usada na eleição de 2010. Ficou na “conta-corrente do governo” – definições do próprio Marcelo -, no setor de propinas. Em março de 2014, quando acabava o mensalão, e começava a Lava-Jato, ele resolveu aumentar a aposta: aos R$ 50 milhões pelo “Refis da Crise”, acrescentou R$ 100 milhões. Megalômano, passou a se achar “o inventor” da reeleição de Dilma-Temer, como disse em juízo.

Habituara-se a comprar leis e governantes, transferindo os custos aos contratos da Odebrecht com o setor público – os brasileiros pagaram várias vezes a mesma conta. Até hoje, ninguém se preocupou em construir mecanismos institucionais para impedir a captura do Executivo e do Legislativo pela iniciativa privada, como Marcelo e outros fizeram.

28 março 2017 DEU NO JORNAL

A BUNDA CERTA NA CADEIRA CERTA

A senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), que é ré na Lava Jato, acusada de receber propina, é o novo nome cogitado para presidir nacionalmente o PT. 

Ela desconversa. “Isso não está posto. O que temos são as candidaturas do Lindbergh, do Marcio e do Padilha“, disse.

O senador Lindberh Farias (PT-RJ) está entre os citados nas delações da Odebrecht sobre o impressionante esquema de corrupção de petistas, durante os governos Lula e Dilma.

Esta não é a primeira vez que ela é cogitada para suceder Rui Falcão na presidência do PT. Gleisi recusou alegando o fato de ela ser ré ao lado do marido, o ex-ministro Paulo Bernardo.

Mas, no PT, quem não é?

* * *

Respondendo por crime de corrupção, Narizinho é o nome certo pra botar a bunda na cadeira certa.

E tem mais: ela é a candidata preferida do proprietário do estabelecimento, o ex-prisidente Lapa de Corrupto.

Ela merece ser prisidenta do PT!

Uma figura que se casa admiravelmente com o bando ao qual é filiada.

E ainda tem um dado a mais no seu prontuário que reforça sua candidatura: o marido, que já foi preso por ladroagem, também responde a processo por corrupção.

O casal que rouba unido, permanece unido pra sempre.

Vai lá, Gleisi, obedece a ordem do proprietário Lula e assume o comando da quadrilha.

Tu merece, mulé!!!

28 março 2017 DEU NO JORNAL

SURUBA NO MESMO SACO

* * *

Grande novidade….

Desta vez Marcelo só fez dizer uma coisa que todo mundo já sabia há muito tempo.

26 março 2017 DEU NO JORNAL

OU MENTEM OU PIOR: ACREDITAM NO QUE DIZEM!

Ricardo Noblat

Há duas possibilidades: eles dizem o contrário do que pensam – logo, mentem. Seria grave. Ou eles de fato acreditam em tudo que dizem – o que seria muito mais grave.

O seminário organizado pelo PT sobre a Lava Jato pecou pelo próprio nome. Passou a ideia de que ali se examinariam virtudes e defeitos da operação que completou três anos.

Mas não. Foi um seminário para condenar a Lava Jato. Apontou-se defeitos. Transformou-se qualidades em defeitos.

A frase do jornalista Mino Carta, editor da revista Carta Capital, resumiu tudo:

– A Lava Jato foi a alavanca do golpe.

O “Fora, Temer” não faltou na fala do escritor Fernando Moraes. Deu-se razão até ao ministro Gilmar Mendes que critica o vazamento de informações da Lava Jato e as “delações extorquidas”.

Lava Jato x Operações Mãos Limpas, da Itália? Diz-se que a Itália tem tribunais constitucionais rigorosos que por lá regulam tudo. Quanto aqui, o Supremo Tribunal Federal é cúmplice dos deslizes de Moro.

O juiz foi alvo da suspeita de que possa estar a serviço de interesses internacionais. Moro costuma viajar com regularidade aos Estados Unidos e a reunir-se com o FBI. Logo…

A plateia de convertidos às crenças dos expositores comoveu-se quando Lula começou a falar. A falar chorando para se queixar de perseguição.

Menos de 24 horas depois da revelação de delatores da Odebrecht que deixaram em xeque a honestidade dele e de Dilma, Lula não disse uma só palavra a respeito. Repetiu o de sempre.

A desconexão do PT da realidade é espantosa.

26 março 2017 DEU NO JORNAL

UM TRIO BANÂNICO

A defesa da ex-presidente Dilma Rousseff apresentou ao Tribunal Superior Eleitoral no final da noite de sexta-feira (24) as alegações finais para o processo que investiga irregularidades na campanha vitoriosa da chapa Dilma/Temer nas eleições de 2014.

No documento de 212 páginas, Dilma nega irregularidades nas contas da campanha e ataca seu sucessor, Michel Temer (PMDB), e o rival na disputa, o tucano Aécio Neves.

* * *

Um trio arretado que só a porra é este formado por Dilma, Temer e Aécio.

Dilma do PT, Aécio do PSDB, e Temer do PMDB…

Uma trinca na medida pros comentários daquela linha “é indispensável para a governabilidade” de Ceguinho Teimoso.

Sobretudo num final de semana em que ele está furiosamente argumentatório!

“Gente, vamos fazer uma linda pose pra sairmos no JBF”

25 março 2017 DEU NO JORNAL

É A ÚNICA COISA QUE TÁ FALTANDO

As revelações de Marcelo Odebrecht sobre a corrupção nos governos do PT colocam de vez os ex-presidentes Lula e Dilma na chamada “cena do crime”, no esquema desmantelado pela Lava Jato.

Ainda no cargo de presidente da República, Lula se encarregou pessoalmente de arrecadar dinheiro, inclusive no caixa 2, para a campanha de eleição de Dilma. As revelações de Odebrecht retomam a expectativa da prisão de Lula. Afinal, não há em Curitiba ninguém acusado de crimes mais graves.

Odebrecht contou ao Tribunal Superior Eleitoral, que Lula gerenciava a “conta corrente” de R$ 150 milhões aberta pela empreiteira para o PT.

As revelações de Odebrecht explicam o desespero de Dilma para nomear um ministro do STJ que o soltasse, segundo denúncia do MPF.

A Lava Jato será resumida, no futuro, como o escândalo em que dois presidentes da República trataram pessoalmente de dinheiro sujo.

As revelações de Odebrecht mostram como foi preciosa sua delação premiada para esclarecer e incriminar a quadrilha que governou o País.

* * *

Ao ler esta notícia aí de cima, que saiu na grande mídia golpista – aquela mídia que tem a mania de publicar as mentiras contadas por Marcelo Odebrecht, em depoimento oficial, ao Superior Tribunal Eleitoral -, num sei mesmo porque me vieram à lembrança duas frases.

Duas frases que foram escritas esta semana pelo fubânico petista Ceguinho Teimoso, aqui no JBF.

Duas frases que nada tem a ver com o Corruptor Ativo Marcelo Odebrecht e o seu Corrupto Passivo, o ex-prisidente Lula.

As delações do primeiro arrombaram a tabaca de Xolinha e NÃO deixaram, não deixaram de modo algum, o segundo embaraçado, haja vista a inesgotável capacidade óleo-perobística do homem mais honesto que Jesus Cristo.

Enfim, o fato é que esta notícia me trouxe à lembrança as frases de Ceguinho. Coisas que só a psicologia paranormalística explica.

A primeira frase foi esta:

“O mínimo que os antipetistas e antilulistas deveriam fazer seria argumentar com dados reais.”

E a segunda frase foi esta:

Redução drástica da mortalidade infantil e da retirada de milhões, muitos milhões, de famílias brasileiras da miséria absoluta” (no governo Lula)

Redução drástica da mortalidade e retirada de milhões – MUITOS MILHÕES – de famílias brasileiras da miséria absoluta são o que Ceguinho chama de “dados reais“.

Contestá-los, quem há de???!!!

O paraíso instalado por Lula no seio da miséria, que dizer, da ex-miséria banânica, continua até hoje.

Um fato real, um dado real que pode ser facilmente comprovado. É só olhar ao redor.

Uma salva fogos pro dois: pra Lula e pra Ceguinho.

Eles merecem!!!

25 março 2017 DEU NO JORNAL

ATÉ NO CABARÉ

* * *

Até no cabaré???

Em qual deles?

Na sede do PSDB ou na sede do PT?

24 março 2017 DEU NO JORNAL

O JATO DESTA GAZETA ESTÁ ÀS ORDENS

* * *

O bichinho tá se obrando de medo ir pra Curitiba.

Ainda mais a pé, como ele mesmo sugeriu.

Todavia, se ele não quiser ir a pé, coloco à sua disposição a Pajaraca Voadora do JBF.

Ela não tem o mesmo conforto dos jatinhos de Eike Batista mas voa bem pra caralho (êpa!).

24 março 2017 DEU NO JORNAL

BLOGUEIROS EM DESTAQUE

Marcelo Odebrecht, ex-presidente da construtora, e os outros ex-executivos da empresa foram ouvidos em depoimento a pedido do ministro Herman Benjamim, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), relator da ação que pede a cassação da chapa Dilma-Temer.

A suspeita é de abuso de poder político e econômico.

O depoimento do empresário Marcelo Odebrecht foi revelado pelo site “O Antagonista” nesta quinta (23). 

A uma pergunta sobre a relação da Odebrecht com a campanha eleitoral que reelegeu Dilma Rousseff, o empresário afirma que, “para ela, a maior parte, talvez quatro-quintos, foi caixa dois”.

Segundo Marcelo Odebrecht, R$ 150 milhões foram colocados à disposição para a campanha de Dilma.

Marcelo explicou que a empresa tinha “relação intensa” com o governo Dilma, que essa relação intensa gerava a expectativa de que a Odebrecht fosse um grande doador.

Dos R$ 150 milhões, R$ 50 milhões vieram a partir de um pedido, uma contrapartida específica, a edição da Medida Provisória 470, um “refis” na crise de 2009, que beneficiou a Odebrecht.

Marcelo disse que, em uma reunião com o então ministro da Fazenda, Guido Mantega, ele disse: “Olha, Marcelo, eu tenho a expectativa de que você contribua para a campanha de 2010 com R$ 50 milhões”. Mas, segundo Marcelo, Mantega acabou não se envolvendo na campanha de 2010, a primeira de Dilma, e esses R$ 50 milhões ficaram para a campanha de 2014.

* * *

A notícia aí de cima diz que “R$ 150 milhões foram colocados à disposição para a campanha de Dilma.

Pergunto aos leitores fubânicos: quanto é que vocês calculam que a Odebrecht receberia de dividendos por conta desta aplicação feita no PT?

Hein?

O fato é que os blogueiros subiram de cotação.

A notícia foi revelada pela página internética O Antagonista, que tem à frente Diogo Mainardi, um cabra que eu admiro por ser sempre de oposição e do contra. Fora o fato de ser chato, outra qualidade à qual dou um valor danado.

Diogo não tem corruptos prediletos e baixa o cacete em ladrões de todas as colorações.

Igualzinho esta gazeta escrota e o seu Editor, permitam-me o inxirimento de dizer isto.

Aliás, os blogues foram destaque no noticiário de ontem.

Um deles é dirigido por um canalha zisquerdóide (desculpem a redundância…).

Um tal de Eduardo Guimarães, que está devidamente desmascarado na coluna de Augusto Nunes, logo aí embaixo.

E o outro blogue foi O Antagonista, que mereceu destaque no Jornal Nacional de ontem, quinta-feira.

A militância tabacuda do cordão vermêio vive dizendo que a Grobo, aquela emissora golpista e reacionária, mente o tempo todo e inventa acusações sem fundamento.

Não custa nada ressaltar que o que saiu ontem no Jornal Nacional não foi criação do seu departamento jornalístico.

Foi apenas a exposição do que está nos documentos oficiais da justiça e do ministério público.

Vale a pena ver a matéria na íntegra.

É só clicar na ilustração abaixo e se horrorizar.

24 março 2017 DEU NO JORNAL

QUEREMOS NOVIDADES

* * *

Este cabra, este prisioneiro, esta grande celebridade chamada Marcelo Odebrecht, tem que trazer novidades, delatar coisas inéditas, encher Banânia de notícias fresquinhas

Dizer que corrompia as campanhas eleitores do PT, que tinha Lula e Dilma no bolso, não é novidade alguma.

Te manca, Marcelo!

Voltarei a este assunto ainda na edição de hoje.

Uma excelente sexta-feira para toda a comunidade fubânica!

24 março 2017 DEU NO JORNAL

COMO ECONOMISTA, CAMILA PITANGA É UMA BOA ATRIZ

Rodrigo Constantino

Camila Pitanga não deveria nadar em águas desconhecidas. Sua seara é a encenação, a performance como atriz, vestindo diferentes papéis na televisão e no teatro. Quando ela resolve bancar a economista, sai de baixo! É vergonha alheia. Eis o vídeo que ela gravou para tentar influenciar a votação da terceirização, felizmente aprovada (os atores engajados têm cada vez menos poder de influência, como podemos notar):

Gostaria muito que a atriz me dissesse onde foi que as leis trabalhistas foram flexibilizadas com resultados negativos. Porque a vasta experiência que temos diz o contrário: onde há mais rigidez, poder concentrado em sindicatos e “conquistas trabalhistas”, há mais desemprego e informalidade. Comparem a quantidade de “conquistas” que os trabalhadores brasileiros possuem com a dos americanos e vejam quem está em situação prática melhor.

Nesse artigo pelo Instituto Liberal, Bernardo Santoro explica bem as vantagens da terceirização, atacada pelos sindicatos e defensores de nossa CLT, inspirada nas leis fascistas de Mussolini (curioso que a esquerda, que acusa todos que não são socialistas de “fascistas”, seja a maior defensora de uma lei fascista, não é mesmo?). Nesse outro texto, eu mostro quem está contra as mudanças e, portanto, contra os trabalhadores. Alguém acha mesmo que a CUT defende os direitos de algum trabalhador, em vez dos interesses dos próprios sindicalistas e políticos de esquerda?

Guilherme Macalossi resumiu bem a coisa:

Os verdadeiros reacionários são esses que se opõe a agenda de reformas tão necessária e tão tardiamente implementada no Brasil. O governo petista teve 14 longos anos para atuar na área. Preferiu empurrar com a barriga, já que seu objetivo era lucrar politicamente com o populismo econômico e fiscal. A esquerda está pouco se lixando para os trabalhadores. Prefere eles no olho da rua, desde que possa fazer o seu exercício retórico de defesa de direitos. A esquerda não está nem ai para os aposentados. Aposta na mistificação dos números da previdência para manter um sistema insustentável que no médio e longo prazo inviabilizará o futuro das gerações vindouras. Eles querem um país estagnado, refém de um status quo altamente dirigista, sindicalizado e jurássico.

Talvez a atriz devesse sair de sua bolha no “Projaquistão”, afastar-se um pouco da elite da esquerda caviar, e ver o que o povo trabalhador realmente pensa, em vez de aceitar os discursos vazios dos sindicalistas movidos a mortadela:

Bandeiras vermelhas, mensagens socialistas, sindicatos oportunistas e “conquistas” ilusórias: o povo brasileiro não quer mais saber dessas coisas, Camila! Não tente nadar nessas águas. Você precisaria aprender o básico antes. E claramente não faz a menor ideia de como funciona a economia. Gravar mensagem com vários livros atrás não substitui a necessidade de efetivamente estudar o assunto. Com essa sua receita, nossa economia iria afundar de vez! Continue só atuando, portanto. Faça esse favor a todos nós e evite passar tanta vergonha alheia.

23 março 2017 DEU NO JORNAL

PANE

Caros leitores, acho que a operação Carne Fraca acarretou como consequência o Correio Fraco aqui no JBF.

A caixa postal desta gazeta escrota está em pane.

Não recebo e nem consigo enviar mensagens.

Peço compreensão e paciência a todos vocês que tentaram se comunicar comigo.

Espero que daqui pra amanhã Chupicleide, nossa eficiente secretária, consiga encontrar uma solução.

Aproveito a oportunidade pra avisar que uma nova enquete fubânica está no ar.

É só ir aí no lado direito e dar o seu voto.

Abraços a todos e uma excelente noite de quinta-feira.

23 março 2017 DEU NO JORNAL

PRIVATIZE JÁ!

Rodrigo Constantino

A Petrobras registrou prejuízo de R$ 14,82 bilhões em 2016, em linha com o esperado pelo mercado. Foi o terceiro ano consecutivo de perdas. Em 2015, o resultado foi negativo em R$ 34,8 bilhões. Apesar disso, a estatal apresentou melhoras operacionais em razão da redução dos investimentos e do corte de despesas. O presidente da companhia, Pedro Parente, destacou que a dívida, embora tenha caído, ainda está em patamar elevado, próxima de US$ 100 bilhões.

A produção média de petróleo aumentou 0,75% no ano passado, e atingiu o patamar recorde de 2,144 milhões de barris diários, alcançando a meta prevista pela companhia. Por outro lado, a estatal cortou os investimentos em 32% em 2016, para R$ 48,1 bilhões. Assim, obteve geração de caixa operacional de R$ 89,7 bilhões, alta de 4%.

Com venda de ativos, alta do real e amortização de dívidas, a estatal fechou o ano com endividamento líquido de R$ 314,1 bilhões (ou US$ 96,4 bilhões).

– Houve melhoras operacionais. Tivemos sete trimestres consecutivos de fluxo de caixa positivo. A dívida ficou abaixo de US$ 100 bilhões. Mas ainda é muito alta – disse Parente, destacando que não haverá distribuição de dividendos.

As ações caíram 3,39% (R$ 13,70, ON) e 4,41% (R$ 13, PN), com queda do preço do petróleo.

A Petrobras continua sangrando, e muito. Não é responsabilidade do atual governo, menos ainda do atual presidente, Pedro Parente, que vem tentando fazer um trabalho sério na estatal. A culpa é total e exclusiva do PT, de sua gestão fraudulenta, ideológica, demagoga e politiqueira. Dos investimentos desnecessários em refinarias para ajudar regimes comunistas camaradas, dos desvios para corrupção, para bancar um projeto totalitário de poder. Da incompetência de gerentes e presidentes alinhados ao partido.

A nova gestão está tendo que arrumar a casa, o estrago deixado, o cenário de terra devastada, com uma dívida de MEIO TRILHÃO deixada pelos petistas. A venda de ativos é uma necessidade, uma questão de sobrevivência, mas ainda assim a mesma esquerda que silenciava ou aplaudia quando o PT dilacerava a estatal, agora reclama dessa solução: não aceitam venda de ativos, “privatização” parcial, nada! Afinal, querem preservar as gordas tetas – meio caídas, é verdade – da empresa.

Parente encontra como barreira ao seu programa de redução de endividamento a ideologia atrasada que atinge a esquerda e a direita nacionalista em nosso país, gente que ainda bate no peito com um orgulho asinino para berrar “o petróleo é nosso”, uma turma que pensa que cabe ao estado proteger e explorar nossos recursos naturais, como o petróleo, o minério de ferro ou o nióbio. Estatólatras que se recusam a compreender que somente o livre mercado traz prosperidade para a nação.

Eis a prova irrefutável de que o estado não deve ser empresário, que devemos privatizar todas as estatais. Quando o estado se mete a “explorar petróleo”, eis aí o resultado: uma máfia montada dentro da maior empresa do Brasil. Hoje temos uma gestão aparentemente comprometida em sanar a dívida e resolver os problemas. Mas e amanhã? E se outro governo irresponsável, ideológico e esquerdista voltar ao poder? Terá na Petrobras um instrumento para seus fins nefastos.

Só há uma solução definitiva: privatize já!

23 março 2017 DEU NO JORNAL

EM BUSCA DE UMA TETINHA

Michel Temer recebeu ontem no Palácio do Planalto uma figura que, até outro dia, integrava a chamada ala orgânica do PT: Cândido Vaccarezza.

Atual presidente do PTdoB em São Paulo, Vaccarezza foi líder dos governo Dilma e Lula na Câmara.

A conversa passou pelo segundo assunto mais tratado por Temer na última semana, a reforma da Previdência.

O primeiro é o estrago causado pela Operação Carne Fraca.

* * *

O tema central da conversa não vazou para a imprensa.

Mas o Serviço de Inteligência do JBF descobriu o principal assunto que Vacarezza foi tratar com Temer: conseguir uma boquinha.

Ou, em se tratando de um cabra com o nome de Vacarezza, um peitinho de vaca pra mamar nos cofres públicos é um desejo mais que justo.

O fato é este:

Uma vez petêlho, para sempre petêlho!

22 março 2017 DEU NO JORNAL

A BORDO, TUDO VERMÊIO!

Para não enfrentar dissabores em voos de carreira, os ex-presidentes Lula e Dilma usaram um jato para levá-los de São Paulo a Campina Grande (PB), no fim de semana, para a patética “reinauguração” de parte das obras de transposição do rio São Francisco.

O jato, um Legacy 600, prefixo PR-AVX, com capacidade para 16 pessoas, entre passageiros e tripulação, pertenceu a um amigo do peito da dupla: Eike Batista, hoje no xilindró.

Empresa de fretamento de aeronaves garante: o jato que levou Lula à Paraíba não custa menos de US$ 31 mil (R$ 100 mil), no mercado para fazer esta viagem.

Procurados, nem o PT e – muito menos o Instituto Lula -, assumiram o pagamento pelo jato que levou Lula e Dilma por R$ 100 mil.

Se pagasse passagem para viajar de São Paulo ao belo Estado da Paraíba, Lula gastaria R$ 1,4 mil. Mas jatos de luxo têm seus encantos.

Em declínio, Eike Batista colocou seu avião à venda em 2013. Hoje o palácio voador está com a CB Air, do grupo Klein, das Casas Bahia.

O jato Legacy usado por Lula diante do hangar das Casas Bahia

Um bar bem equipado no jato  faz a alegria de clientes como o ex-presidente Lula

O interior do jato que Lula usou, com capacidade para 13 pessoas, chama atenção pelo luxo.

* * *

Eu acho que o fato de Lapa de Enganador viajar em jatinhos de empresários Corruptores Ativos não é nada de mais.

Ele, Lapa de Demagogo, resgatou o povo da miséria e extinguiu totalmente a pobreza. Perguntem pro fubânico petista Ceguinho Teimoso que ele vai confirmar isto. Confirmar com fatos, provas, números, dados e estatísticas.

Hoje em dia, os aeroportos estão abarrotados de ex-pobres, carregando suas bagagens em trouxas, caixotes e balaios na cabeça.

Por ter sido o autor desta fantástica evolução, Lapa de Cínico merece chegar na Paraíba num jatinho luxuoso. Repetindo o refrão do Chacrinha, “Ele merece, Ele merece…

O fato é que, quando li esta notícia aí de cima, eu se alembrei-me de uma antiga mensagem publicitária, da extinta companhia aérea Cruzeiro do Sul, que tinha um jingle que dizia assim:

No ar,
mais um Caravelle da Cruzeiro do Sul
A bordo, tudo azul.

A bordo do Jatinho de propriedade das Casas Bahia, talvez Lapa de Avuador não veja “tudo azul“.

Certamente ele enxerga “tudo vermêio“.

22 março 2017 DEU NO JORNAL

PERSEGUIÇÃO IMPLACÁVEL

* * *

Coitado…

Um político probo, honesto, honrado, de ficha limpa, que tanto lutou em favor dos pobres, sem qualquer fato que desabone sua conduta, sendo perseguido implacavelmente pela grande mídia golpista. 

Tão perseguido e injustiçado quanto o ex-presidente Lula.

Assim como Lula, Cunhão foi presidente de um dos poderes constitucionais da República Federativa de Banânia.

Acabei de enviar para o Instituto Lula uma mensagem sugerindo que aquela brava entidade emita uma nota prestando inteira solidariedade a Cunhão.

21 março 2017 DEU NO JORNAL

UM MERECE O OUTRO

Em Monteiro (PB) para “reinaugurar” a obra da Transposição do Rio São Francisco – que a corrupção dos governos do PT prolongava indefinidamente -, o ex-presidente Lula declarou que o deputado Waldir Maranhão “é minha referência no Maranhão”.

Maranhão, que foi o vice-presidente da Câmara na gestão de Eduardo Cunha, é pré-candidato ao Senado no seu estado, com apoio do PT.

O deputado ouviu do ex-presidente a garantia do seu apoio pessoal e partidário.

* * *

É isso aí: “Apoio pessoal e partidário“.

Como dono do PT, Lula tem toda autoridade pra garantir antecipadamente o apoio do bando de sua propriedade ao comparsa maranhense.

Uma referência referencial à altura do referenciado e do referencioso.

Só pra relembrar:

Este cabra, o tal do Waldir Maranhão, foi quem assumiu a prisidência da Câmara quando Cunhão tomou no furico.

Mas a burrice do sujeito era tão grande, e o apadrinhamento de guabirutens era tão evidente, que os próprios cumpanheros parlamentares (vejam só!) tapavam o nariz com medo da fedentina no plenário.

Quando de-putados banânicos chegam a considerar um colega como sendo “uma vergonha para a Casa”, imaginem só o que vem a ser este “colega”.

Teve até de-putado que se recusou a participar das sessões da Câmara enquanto ele estivesse na prisidência da Casa.

Hoje em dia, Maranhão é pré-candidato ao Senado com o apoio do PT. Claro. Tinha que ter o apoio do PT.

Sem dúvida, um tabacudo deste porte e desta estatura, tem tudo, tudo mesmo, pra ser “referência” de Lula.

Uma parelha perfeita. Unha e carne.

Lula e Waldir Maranhão: dois tabacudos com o cu cheio de cana e que merecem os eleitores que tem

20 março 2017 DEU NO JORNAL

NAU DOS INSENSATOS

Tábua de salvação frequente diante do naufrágio, a reforma política volta à tona. Desta vez para evitar o afogamento de envolvidos na Lava-Jato. E, como sempre, navega longe dos interesses do eleitor.

Não há dúvida quanto à necessidade de o país substituir o atual modelo político – falido, sustentado por financiamento não raro ilícito. Mas não há qualquer chance de que ele seja alterado por aqueles que dele se beneficiam.

Se for, será sempre para pior.

E é nessa trilha do para lá de ruim ao péssimo que caminha o debate desde a delação coletiva dos executivos da Odebrecht, quando a Câmara tentou, sem sucesso, aprovar a primeira anistia a financiamentos espúrios passados. Piorou depois de a Segunda Turma do Supremo entender que o caixa oficial de campanha pode embutir lavanderia de dinheiro sujo, e chegou ao alerta máximo com a segunda lista do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, citando mais de uma centena de políticos, entre comandantes e tripulantes.

Além da anistia ao caixa dois, que não saiu da mira, o que se tenta agora é aprovar o voto em lista fechada, já com validade para 2018. Trata-se de um molde sob medida para proteger denunciados: eles estarão elencados em um rol elaborado pelo partido – e até com preferência para quem já é parlamentar -, algo já declarado inconstitucional pelo STF. E o eleitor, em vez de votar no candidato, vota na lista inteira, dando a vitória, pela ordem, aos primeiros relacionados pela agremiação.

A ideia foi rechaçada há dois anos, quando a Câmara também descartou o Distritão, que substituiria o atual sistema proporcional pela regra majoritária de se eleger o parlamentar com mais votos, independentemente do partido, e o voto distrital misto, que combina eleição proporcional e majoritária, com um candidato por partido em cada distrito. Manteve-se exatamente o que hoje existe, sem tirar nem por.

Em novembro de 2016, o Senado também aprovou reformas. Estabeleceu a cláusula de barreira, criando percentuais de votação mínima para que uma sigla tenha acesso ao fundo partidário e à propaganda eleitoral (dita) gratuita, e o fim das coligações proporcionais. Medidas fundamentais para banir as legendas de aluguel, detentoras de segundos milionários de horário eleitoral, e os eleitos quase sem votos, que chegam ao Parlamento na cola das grandes legendas.

Não virou lei porque ambos os dispositivos ainda dependem de aprovação de dois terços da Câmara, em duas votações. E nada indica que serão apreciados.

Mas os mesmos que nada querem mudar – se pudessem manteriam os sistemas de financiamento empresarial e, por que não, até o caixa dois, imortalizado como “recursos não contabilizados” pelo tesoureiro do PT, Delúbio Soares – agora clamam pela reforma política.

Nada diferente do que o PT e a presidente deposta Dilma Rousseff fizeram em 2013. Quando as ruas ocupadas por milhares os ameaçaram, eles sacaram do bolso a urgência popular por reforma política e plebiscito para aprová-la, como se fosse essa a reinvindicação das multidões.

Tanto lá como agora, uma armadilha tão bem tramada que enreda até gente acima de qualquer suspeita. Na sexta-feira, durante entrevista à CBN, a presidente do STF, Cármen Lúcia, se viu debatendo reforma política, que só fala a língua dos que têm seus mandatos atuais ou futuros ameaçados.

Mais uma vez, os que querem simplesmente tergiversar ou descaradamente fazer leis de autoproteção conseguiram recolocar em pauta a premência da reforma política. Mas, claro, longe de sua essencialidade. Não dão andamento ao que já foi aprovado no Senado e, muito menos, a temas como o fim do voto obrigatório e mecanismos de recall, capazes de destituir bandidos, traidores do voto ou ineptos.

Fosse um país sério, a reforma política há muito estaria feita. Já que não foi, seria a quarta na fila, atrás das reformas da Previdência, trabalhista e tributária, essenciais para tirar o país da crise.

Chamar de reforma política os remendos em curso é dar pano para vela de gente que saqueou e desgovernou a nau.

Nau dos insensatos. Antiga alegoria que descreve o mundo e seus habitantes como uma nau cujos passageiros nem sabem nem se importam para onde estão indo (Foto: Xilogravura alemã de 1549)

20 março 2017 DEU NO JORNAL

EMPLUMADO GANHA PRÊMIO ACUMULADO DA MEGA SENA

* * *

Atenção gente: este “mi” que está na manchete aí de cima não é de 50 mil.

São 50 milhões!!!

É dinheiro pra ladrão tucano deitar e rolar pelo resto da vida.

Quem quiser ler a matéria completa, é só clicar aqui.

19 março 2017 DEU NO JORNAL

OS FATOS SÃO MENTIROSOS

Com a delação dos executivos da Odebrecht, a situação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que já não era boa, vai ficar ainda mais complicada.

Um ex-diretor da empreiteira contou aos procuradores que pagava uma mesada a um dos irmãos do ex-presidente.

Além disso, a empreiteira confirmou que reformou o sítio de Atibaia, comprou um lote para abrigar o Instituto Lula, financiou palestras e ainda patrocinou o filho mais novo do petista – tudo a pedido do ex-presidente.

* * *

Que perseguição da porra!

Quanta mentira, quanta invenção, quanta indignidade jogada ao vento na tentativa de enlamear a honra do homem mais honesto do mundo.

Tão honesto quanto Jesus Cristo.

Um homem que vive tendo seu nome invocado em vão, em flagrante desrespeito à palavra sagrada.

Estas denúncias sem cabimento são parte de uma campanha orquestrada para desmoralizar o indesmoralizável ex-prisidente, o melhor mandatário que Banânia já teve desde o dia do seu descobrimento.

Uma campanha promovida pelos reacionários golpistas, pelos nazistas da extrema direita, pelos coxinhas e pelos insensíveis que querem que o Brasil volte a ter pobres, inflação, carne podre, desemprego, violência, estradas esburacadas e gente morrendo por falta de atendimento nos hospitais públicos.

Tudo coisas que Lula baniu do mapa!

Lula foi chamado ontem de “Magnífico” aqui no JBF.

De “magnífico” para “sagrado e divino” é só um pulo.

E a palavra de um fubânico petista vale mais do que provas, documentos e delações de executivos da Odebrecht.

Acabei de enviar mensagem aos procuradores sugerindo que deixem de ouvir mentirosos e marquem um encontro com a dupla de petistas fubânicos Ceguinho Teimoso e Enxergadora da Realidade.

Aí eles – os procuradores, os investigadores, a Polícia Federal -, irão ouvir a versão corretíssima do comportamento luleiro.

A realidade objetiva e os fatos apurados são muito enganadores.

* * *

19 março 2017 DEU NO JORNAL

O PODER NO BANCO DOS RÉUS

Ruy Fabiano

A longevidade de um delito, como é óbvio, não o legitima. No entanto, esse é o argumento central com que políticos e financiadores de campanhas reclamam inocência – e exigem absolvição -, diante dos crimes de caixa dois e derivados.

“Sempre se praticou”, dizem uns; “desse jeito, ninguém escapará”, dizem outros. As variantes são nesse rumo.

O próprio Emílio Odebrecht, pai de Marcelo, em depoimento ao juiz Sérgio Moro, espantou-se com o fato de tal prática estar sub judice. E não escondeu que sua empresa a endossa desde sempre e que ele próprio – assim como seu falecido pai e fundador do grupo, Norberto Odebrecht – não via nenhum problema nisso.

A Lava Jato não desconhece a tradição da prática, mas, digamos assim, diverge conceitualmente dos Odebrecht. Está convencida de que não apenas é preciso erradicá-la, como o único meio de fazê-lo é punindo os que a praticaram. O país concorda.

Se, na área penal, antiguidade fosse posto, ou mesmo servisse de atenuante, homicídio não seria crime, ou pelo menos não tão grave, já que inaugurado com Caim, na origem da humanidade.

As delações dos 77 executivos da Odebrecht, cuja divulgação é aguardada, não encerram – antes inauguram – a principal fase da Lava Jato, a que vai ao coração do Congresso e do governo, este e o que o precedeu. Não se trata nem sequer de saber quem vai preso. Trata-se de expor as entranhas de um sistema que liquidou o país.

Os delitos, de fato, não são iguais, nem da mesma gravidade; uns devem ser presos, outros não; uns misturaram caixa dois com propina; outros só o caixa dois; outros lavaram a propina no caixa um. Etc. O dano político, porém, é geral. Não absolve ninguém.

De cara, os presidenciáveis de sempre – uma geração em fim de carreira, distribuída nos principais partidos – já foram citados e estão na condição que o falecido Antonio Carlos Magalhães considerava a mais letal a um político: ter de se explicar. Têm tentado, mas encontram compreensão apenas entre colegas.

Isso explica o ressurgimento do voto em lista fechada exatamente neste momento em que os políticos temem o contato com as ruas. Trata-se de poupá-los do cara a cara com o eleitor. Este votaria apenas na legenda, ficando o encargo de preencher a lista por conta do próprio partido – ou por outra, dos caciques do partido.

É piorar o que já não é bom. O argumento dos que querem as listas fechadas é de que criam um elo mais forte entre eleitores e partidos. Vota-se no partido, não em candidatos. Em tese, sim, mas com esses partidos? De quebra, a novidade os reduziria – há hoje 35 legendas, 28 com assento no Congresso, o que faz com que cada votação seja precedida de um imenso toma lá dá cá.

Mas, se houvesse mesmo interesse em reduzir o número de partidos, bastaria extinguir as coligações nas eleições para deputado.

O que se contempla, neste momento, é uma desesperada tentativa de sobrevivência da velha política, diante da renovação compulsória que o fenômeno da Lava Jato vem impondo.

O strip-tease moral é avassalador e, quando se pensa que já se viu tudo, surge outro escândalo com conexões políticas: a carne envenenada. Atinge em cheio o setor mais produtivo do país, o agronegócio, responsável, de algumas décadas para cá, pelo superávit da balança comercial.

O escândalo é localizado, no segmento carne, mas suas consequências, não: desmoralizam as certificações oficiais do Brasil indistintamente, com reflexos profundos nas exportações.

De quebra, outro problemão para o presidente Temer: seu recém-empossado ministro da Justiça, Osmar Serraglio, estaria envolvido na história, acusado de apadrinhar um dos mafiosos. Mesmo inocente, terá dificuldades de ordem moral e política para prosseguir no cargo. E assim caminha o governo, num entre e sai de ministros, respingados pela lama da corrupção. Antes assim.

A Lava Jato chega ao terceiro ano e não tem data para terminar. O país oficial continua no banco dos réus.

19 março 2017 DEU NO JORNAL

E AINDA TEM CAPADÓCIOS QUE SÃO CONTRA…

* * *

E ainda tem neguinho (inclusive aqui no JBF) que é contra a Lava Jato, contra os procuradores que botam pra fuder e contra o arrochante juiz Dr. Sérgio Moro.

É phoda ouvir os tolôtes que estes capadócios cagam pela boca!

Parabéns aos sofridos funcionários do Rio de Janeiro, sobretudo aos aposentados, a turma da terceira idade.

Saim do sufoco, tirem a barriga da miséria e façam bom proveito dos caraminguás que receberam.

18 março 2017 DEU NO JORNAL

O MASSACRE AO “FILHO DO BRASIL”

Rodrigo Constantino

“A força mais enérgica não chega perto da energia com que alguns defendem suas fraquezas.” – Karl Kraus

O ex-presidente Lula prestou depoimento como réu pela primeira vez na semana passada, e claro que iria bancar a vítima. A esquerda sem a vitimização é como o catolicismo sem o pecado: não faz sentido. Ser de esquerda nos tempos modernos passou a significar exatamente isso: posar de vítima o tempo todo, ficar de “mimimi”, mesmo que seja o maior algoz da nação. “Você sabe o que que é levantar todo dia achando que a imprensa está na porta de casa porque eu vou ser preso?”, perguntou um nervoso Lula. Ele diz se sentir “perseguido” nas investigações. Coitado! Ficamos até com peninha daquele que destruiu o Brasil e quase nos transformou numa Venezuela, depois de liderar a maior quadrilha que já assaltou o estado brasileiro.

O “filho do Brasil” foi indagado sobre sua renda mensal, e eis a resposta que deu: “Acho que pode botar uns R$ 50 mil, estou tentando chutar. (…) Depois, meu advogado manda para os senhores direitinho. Mando por escrito”. Não é um pobrezinho esse sujeito? Quantos dos leitores da elite ganham “uns” cinquenta mil mensais, e nem sequer sabem ao certo, pois não reparam nesses detalhes bobos?

É esse indivíduo que representa o ícone dos “intelectuais” na luta contra as elites! O Brasil cansa, pois tudo nele é invertido. Gente que não trabalha diz defender os trabalhadores, gente que não pensa acha que é intelectual, e nababos da política fingem defender os pobres. O pior é que ainda tem quem caia nessa ladainha! Agora a tática pérfida dessa turma é tentar misturar todos como se o crime de “caixa dois”, uma “tradição” em nosso País, fosse o mais relevante do PT. A banalização dos “recursos não contabilizados” é inaceitável, pois todo crime deve ser punido. Não podemos compactuar com esse sistema podre. Mas claro que esse “malfeito” é fichinha perto do que fez o “partido” de Lula no poder.

Em conluio com organizações criminosas disfarçadas de empreiteiras, o PT montou um gigantesco aparato de desvio de recursos e controle do Estado, comprando o Congresso para impor um modelo totalitário. Limitar esse verdadeiro atentado contra a democracia ao problema do “caixa dois” é piada de mau gosto, coisa de gente ignorante ou em má-fé.

O novo Brasil vem lutando contra esse velho e carcomido Brasil, dominado por figuras asquerosas como Lula. Não será uma luta fácil. O populismo ainda floresce no solo fértil da ignorância. As forças do pântano reagem, tentando impedir os avanços republicanos. E alguns safados ou malucos ainda querem que aquele que massacrou o povo brasileiro com a maior depressão da nossa história volte em 2018. É mole?


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa