25 setembro 2016 DEU NO JORNAL

A HORA DELES ESTÁ CHEGANDO…

Após vários adiamentos, a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) marcou para a próxima terça-feira (27) o julgamento da denúncia apresentada pela Procuradoria-Geral da República (PGR) contra a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) e seu marido, o ex-ministro do Planejamento Paulo Bernardo.

Desta vez, participará do julgamento o novo integrante da Segunda Turma, ministro Ricardo Lewandowski, que mantém fraternal relacionamento com petistas ilustres.

Em maio, Gleisi e Paulo Bernardo foram denunciados ao Supremo sob a acusação de terem recebido R$ 1 milhão para campanha da senadora em 2010.

De acordo com depoimentos de delatores na Operação Lava Jato, o valor é oriundo de recursos desviados de contratos da Petrobras.

Ambos foram citados nas delações do doleiro Alberto Youssef.

gleisi-hoffmann-paulo-bernardo

* * *

Esta galêga pintou os cabelos de preto.

Deve ter sido pra se esconder dos agente da PF, no dia em que tiver sua prisão decretada.

Agora, só falta pegar os outros componentes da Banda de Música Corruptífera-Guabirutal, aquela que faz uma zuada da porra no Senado, composta por Lindbergh Farias, Vanessa Grazziotin e Gleisi Hoffmann.

Aliás, Lindbergh já está enrolado com denúncias sobre sua bandidagem quando foi prefeito de Nova Iguaçu-RJ.

senadores-impeachment

O trio de aproveitadores mais babaca do Senado Federal

Devagar e sempre e uma hora chegaremos lá.

Um dia após o outro. Num tem pressa.

Em breve esta cambada de guabirus zisquerdóides vai estar todinha obrando de cócoras no boi da cadeia curitibana.

25 setembro 2016 DEU NO JORNAL

AFUNDOU O PAÍS E FOI À PRAIA

Guilherme Fiuza

Não há PowerPoint que consiga explicar a pedalada de Dilma Rousseff na Praia de Ipanema. Tranquila, sem contratempos, ela foi até o Leblon e voltou. Numa boa. No dia seguinte, seu ex-ministro da Fazenda foi preso. Como a torcida do Flamengo já sabia, Guido Mantega era mais um despachante da companhia.

Vejam como a senhora das pedaladas é honesta, conforme um pedação do Brasil adora acreditar: Mantega, Paulo Bernardo, Fernando Pimentel, Gleisi Hoffmann, André Vargas, Erenice Guerra, João Vaccari… Chega. Já sabemos que a cada enxadada corresponde uma minhoca.

Todo o estado-maior de Dilma, e o menor também, está enrolado com a polícia. E ela está na praia. Com a saga de Guido Mantega no governo popular – que vai sendo revelada pela mulher do marqueteiro, por Eike Batista e outros inocentes torturados pela Lava-Jato, – o farol de Curitiba começa a apontar para as catacumbas do BNDES.

dpl

Dilma pedala na ciclovia do Leblon

As negociatas de Fernando Pimentel, amigo de Dilma e governador de Minas (nesta ordem), somadas às tramas de Lula com suas empreiteiras de estimação, já indicavam que as paredes do gigantesco banco público têm muito a contar. Agora vai. Mantega foi um dos peões de Dilma no colossal esquema da contabilidade criativa, que o Brasil só notou quando foi apelidado de pedalada, e mesmo assim não acha muita graça.

É um enredo impressionante envolvendo BNDES, Tesouro, Caixa e Banco do Brasil, para esconder déficits e liberar dinheiro público para os companheiros torrarem em suas olimpíadas eleitorais. Isso aconteceu por mais de uma década, e foi um par de flagrantes desse assalto que despachou a presidenta mulher para Ipanema – o famoso golpe.

Se Lula é o sol do PowerPoint, Dilma é, no mínimo, a lua. Guido Mantega deu sequência às obras dela na presidência do Conselho de Administração da Petrobras, sob o qual foi montado e executado, nos últimos 13 anos, o maior esquema de corrupção da República – se é que há algo de republicano nesse populismo letal.

A literatura obscena da Lava-Jato, e em especial a denúncia do Ministério Público contra Lula (que o Brasil não leu, porque é muito longa), mostra tudo. Lula e Dilma cultivaram os ladrões camaradas nos postos-chave para manter a dinheirama irrigando os cofres partidários. Mas Dilma diz que não tem conta na Suíça como Eduardo Cunha.

Vamos esclarecer as coisas: Eduardo Cunha é um mendigo perto do esquema bilionário que sustenta Dilma, a mulher honesta. O que também sustenta Dilma, e todos os delinquentes do bem, é a ação corajosa dos progressistas de butique. Eles não se importam que as bandeiras de esquerda tenham sido usadas para roubar o país.

O papo do golpe é uma mão na roda: Dilma, a revolucionária, foi massacrada pelos velhos corruptos do PMDB. Todos sabem que estes viraram ladrões de galinha diante da ópera petista, mas lenda é lenda. Ser contra o golpe dá direito a ser contra a ditadura militar, a violência policial, o racismo e o nazismo. É um pacote e tanto.

Também dá direito a ir à posse de Cármen Lúcia no Supremo Tribunal Federal — o mesmo STF que presidiu o impeachment de Dilma. Deu para entender? Vários heróis da resistência democrática contra o golpe foram lá, pessoalmente, festejar a nova presidente da corte golpista. Contando, ninguém acredita.

Teve até show de MPB – a mesma que ouviu da própria Cármen Lúcia o famoso “cala a boca já morreu”, contra aquele projeto obscurantista de censurar biografias. Alguém já disse que é proibido proibir. Mas debochar da plateia está liberado. Nem é bom citar esses acrobatas da ideologia. Vários deles são artistas sensacionais, que colorem a vida nacional.

Melhor esperar que desembarquem de suas canoas furadas a tempo, e parem de alimentar essa mística vagabunda – porque, atenção, comprar o barulho do governo destituído e seus genéricos não tem nada a ver com ser de esquerda. Ao contrário: além de destruir a economia popular, essa gangue fraudou as bandeiras da esquerda.

Adaptando Millôr: desumanizaram o humanismo. Foi uma dessas turminhas de humanistas desumanos que hostilizou uma jornalista de TV com seu bebê de 1 ano numa calçada da Gávea. São jovens simpatizantes de um desses candidatos bonzinhos que incentivam a porrada. Eles são contra o sistema (seja lá o que isso signifique) e contra a mídia burguesa.

Assim morreu o cinegrafista Santiago Andrade. No dia 2 de outubro, os cafetões da criançada ignara vão às urnas buscar seus votos progressistas. Os heróis da resistência ocuparam o Canecão. Ótima ideia. Melhor ainda se tivesse sido executada há quase dez anos, quando o PT fechou esse templo da música – fingindo que estava defendendo a universidade pública de empresários gananciosos.

Onde estavam vocês quando aconteceu esse golpe hipócrita contra a arte? Vamos falar a verdade, queridos cavaleiros da bondade. Antes que a praia vire passarela de quem devia estar vendo o sol nascer quadrado.

24 setembro 2016 DEU NO JORNAL

MANCHETE DO SÁBADO – EU ACREDITO MAIS NOS OUTROS DADOS…

empregos

O Brasil perdeu 33.953 vagas formais de emprego em agosto deste ano, informou o Ministério do Trabalho.

Esse foi o 17º mês consecutivo de retração líquida de postos de trabalho no País.

No acumulado do ano, o fechamento de vagas chega a 651.288 postos de trabalho.

Este é o pior resultado para o período desde 2002, quando começa a série histórica do indicador.

* * *

Gozado…

Estes números não batem com os números que Obstinado Incurável vive repetindo aqui no JBF. Todo dia ele cita estatísticas sobre PIB, desemprego, custo de vida e fudidos resgatados da miséria absoluta pelo gunverno vermêio-istrelado.

Embora sejam números oficiais, gunvernamentais, divulgados pelo Ministério do Trabalho, eu acredito mais no que diz o nosso avoado petista fubânico do que nestes dados divulgados pelo gunverno e publicados na grande mídia golpista.

Obstinado Incurável não erra uma sequer.

Nunca errou!!!

24 setembro 2016 DEU NO JORNAL

MANTEGA APLICOU PEGADINHA NA LAVA JATO?

24 setembro 2016 DEU NO JORNAL

EIKE BATISTA SUGERIU À LAVA-JATO DEVASSA EM NEGÓCIOS DO BNDES

José Casado

O Arquivo X de Eike Batista é um curioso baú de histórias que oscilam entre o fulgor e a indolência do capitalismo de laços consolidado na era Lula-Dilma. Quando entrou no gabinete do ministro da Fazenda, Guido Mantega, na quinta-feira 1º de novembro de 2012, Eike era um homem de negócios com ativos de US$ 12,7 bilhões, na avaliação da época feita pela agência Bloomberg. Às vésperas de completar 56 anos, perdera a liderança nas listagens sobre os mais ricos do Brasil, e suas empresas submergiam em perdas, mas insistia em manter estrutura de serviços de mordomias ao custo de US$ 7 milhões ao mês debitados no caixa da holding.

O ministro pediu-lhe o equivalente a US$ 2,5 milhões para cobrir despesas de campanha do Partido dos Trabalhadores, contou ao Ministério Público Federal, em maio passado, num depoimento que seguiu o roteiro de uma colaboração espontânea — ele foi aos procuradores e pediu para falar: “O ministro de Estado me pediu, que que você faz? Eu tenho 40 bilhões investidos no país, como é que você faz?”. Aceitou.auto_atorres-2

Seu advogado tentou socorrer-lhe, esclarecendo que no mundo X aquele dinheiro “não era um valor significativo”. Foi uma fugaz lembrança da época em que Eike Batista mantinha 100 garrafas de champanhe no escritório. O empresário interrompeu: “Hoje, para mim, é muito dinheiro”.

Ele se esmerava em gestos de retribuição ao governo. Dois anos antes, na terça-feira 17 de agosto de 2010, foi a São Paulo participar de um leilão beneficente promovido pelo cabeleireiro da então primeira-dama, Marisa Letícia. Arrematou a cena noturna ao pagar US$ 250 mil (R$ 500 mil, na época) por um terno usado de Lula. E se comprometeu a dobrar o valor da coleta filantrópica.

Quarenta e oito horas depois, estava no Palácio do Planalto, conversando com Lula sobre uma reserva maranhense “de 10 a 15 trilhões de pés cúbicos” de gás natural, equivalentes a “quase a metade das reservas confirmadas de gás da Bolívia”. Eufóricos, assessores do governo e teóricos do PT exaltavam Eike como “figura emblemática” de uma “camada de empresários dispostos a seguir as orientações do governo”. Dilma Rousseff, àquela altura, contava 11 pontos de vantagem sobre adversários nas pesquisas, e porta-vozes de Lula escreviam: “É talhada, por sua biografia, para levar adiante um projeto nacional pluriclassista.”

Em 2012, no gabinete do ministro da Fazenda, o dono do mundo X tentava dissimular o óbvio: o abalo sistêmico em seu universo de negócios. Planejara perfurar três de dezenas de poços de petróleo, decidira aumentar em 67% e ainda queria dobrar a atividade de perfuração.

Os resultados eram modestos e o investimento elevado (US$ 700 milhões). Eike precisava do governo Dilma tanto quanto o PT precisava dele para pagar contas atrasadas com o publicitário João Santana, que trabalhara nas campanhas de Dilma em 2010 e do prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, eleito na semana anterior à reunião com Mantega.

O problema do empresário eram as porteiras fechadas da Petrobras, que lhe recusava novos negócios, e do BNDES, que julgava ter ultrapassado o limite prudencial de empréstimos ao grupo X. Havia um agravante: o governo também já havia atravessado a fronteira da prudência, com repasses do Tesouro ao banco público, correspondentes a mais da metade do crédito dado pelo BNDES ao grupo de empresas eleitas como “campeãs nacionais”. Esses socorros do governo ao banco estatal inflaram o endividamento público. Eram as “pedaladas”.

Para Eike Batista faltaram tempo, meios e aliados, apesar das múltiplas doações de dinheiro (houve ano em que chegou a distribuir US$ 7 milhões em benemerências políticas). Punido “pelo mercado”, como costuma repetir, nunca deixa de lembrar suas diferenças com os competidores que julga terem sido mais privilegiados pelo poder.

Na mesa do Ministério Público Federal, em Curitiba, Eike deixou algo além do seu testemunho espontâneo sobre um ministro da Fazenda coletando dinheiro para o partido do governo. Sugeriu que fosse feita uma extensão das investigações sobre os negócios do BNDES na era Lula-Dilma: “Eu entreguei todo o meu patrimônio como garantia”, disse, “olhem para os outros que não deram seus avais pessoais, que aí está a grande sacanagem”.

Como se abrisse uma fresta no seu Arquivo X, arrematou em tom de apelo aos procuradores: “Vocês que estão passando o Brasil a limpo, por favor, essa é uma área crítica. Porque é fácil né. Você bota o que quiser (como garantia ao crédito do BNDES). Uma fazenda que não vale nada, o cara avalia por um trilhão de dólares. É fácil, né.”

23 setembro 2016 DEU NO JORNAL

SABUGO NELES!

Em meio à severa crise econômica na Venezuela, imagens de recém-nascidos dormindo em caixas de papelão em um hospital do país causaram comoção nas redes sociais.

As fotos foram tiradas por um funcionário de um hospital em Barcelona, no Estado de Anzoátegui.

O funcionário que fez as imagens estava revoltado com a falta de berços e a estrutura médica precária no hospital.

bercario

* * *

O gunverno “democrático e bolivariano” de Maduro, reencarnação do Pajarito Hugo Chávez, já tomou uma providência: mandou apurar quem foi o danado do funcionário que fez estas fotos que é pra mandar puni-lo.

Caros leitores fubânicos, pensem numa coisa: os zisquerdóides aqui de Banânia, que sonham em trazer pra cá este tipo de regime idiota, ditatorial e fascista, não se manifestam de modo alguma com uma barbaridade deste porte. Dão o calado por resposta.

Do mesmo modo que se calam quanto às merdas que Lula caga pela boca.

Aliás, assim como Lula sugeriu pra Obama que levasse o SUS para os Zistados Zunidos, Maduro também mandou dizer pro prisidente dos zamericanos que ele deveria copiar os berçários venezuelanos.

E depois estes porras desta militância cumuno-vermêio-istrelada daqui da terrinha ainda querem que nós os levemos a sério.

Com a falta de papel higiênico naquele país azarado, os venezuelanos estão usando sabugo de milho pra limpar o furico.

Vemos pegar estes sabugos e enfiar no olho-do-toba dos zisquerdóides descerebrados de Banânia.

23 setembro 2016 DEU NO JORNAL

O TERCEIRO ATO

fernando-gabeira2

A denúncia contra Lula em Curitiba desfechou um psicodrama nacional. Eu a vejo como parte de um drama inconcluso. De qualquer forma, os dois primeiros atos trazem boas indicações para prever o futuro.

Quando Lula foi levado numa condução coercitiva, abriu-se um grande debate não só sobre a escolha da Lava Jato, mas sobre a própria legalidade do procedimento. Entretanto, no âmbito da mesma Lava Jato, mais de uma centena de pessoas foram conduzidas no momento em que os investigadores escolheram. Não houve nenhum protesto de monta ao longo de todas essas operações.

A vantagem de um processo que envolve políticos de peso é que, de certa forma, põe à prova o próprio Estado de Direito. Tudo o que é feito é escrutinado e criticado sem piedade pelas forças atingidas.

Foi assim também com um instrumento mais importante: a delação premiada. Dilma chegou a comparar os delatores da Lava Jato com Joaquim Silvério dos Reis. Como se a Lava Jato fosse a opressão portuguesa e os assaltantes da Petrobrás, os heróis da Inconfidência Mineira.

Sempre que nossa cabeça está a prêmio nos lembramos de Tiradentes. Lula também o fez, no pronunciamento após a denúncia dos procuradores. Não é preciso ser um luminar em História do Brasil para perceber que são situações essencialmente distintas, a Inconfidência Mineira e o petrolão.

O segundo ato do drama foi a apresentação da denúncia. Choveram críticas aos procuradores. Dessa vez, não só dos petistas, mas também de adversários de Lula que consideraram a denúncia um excesso.

De fato nunca houve no Brasil uma denúncia com características tão políticas. Mas tratava-se de uma organização que dirigiu o País por 13 anos. A denúncia situava-se no contexto do petrolão, um escândalo que revelou as entranhas do sistema de financiamento político no Brasil.

Reclamou-se do tom e da politização e daí se chegou à conclusão de que a denúncia seria inepta. Considerando que Sergio Moro não se iria basear nem na entrevista nem no power point, o conceito de inépcia da denúncia dependia, necessariamente, da leitura atenta de suas 150 páginas. E isso certamente ele o faria. Se a denúncia fosse inepta, ele a rejeitaria; se não, iria aceitá-la.

E foi o que Moro fez: aceitou a denúncia. Não está isento de crítica. Mas para demonstrar o contrário, que a denúncia deva ser rejeitada, é preciso percorrer com ele as 150 páginas.

Os dois pontos básicos da denúncia, o triplex e o armazenamento dos presentes presidenciais, foram mostrados com bastantes detalhes, documentos e fotografias. A crítica mais contundente não se prendeu ao objeto da denúncia, mas à sua formulação, em que apresenta Lula como o comandante máximo, o general, o topo da pirâmide.

Isso não foi amplamente demonstrado e a lacuna ficou mais profunda com a sucessão de epítetos. Essa é, no entanto, a apreensão geral do Ministério Público, avaliando o conjunto dos processos, incluídos os de obstrução da Justiça. O próprio Janot já fez um pronunciamento público afirmando que Lula quer tumultuar o processo.

Lula ignorou os documentos apresentados pelos procuradores e se fixou na questão política. Apresentou-se não mais como uma jararaca, e isso é essencial para quem quer disputar a Presidência. Os companheiros já o salvaram nos momentos difíceis. Falcão lembrou de um senador não citado no arco de forças que foi contra o impeachment. Lula disse que as mulheres falavam até de madrugada no WhatsApp. Uma voz feminina o salvou do fundo da sala; os homens, também.

Mas nos momentos em que está, de fato, emocionado, ninguém consegue salvá-lo. Num deles, comparou-se a Jesus Cristo. Não chegou à audácia dos Beatles. Ele estava abaixo de Jesus Cristo, mas acima de todos nós.

Em seguida disse aquele frase sobre os políticos: ninguém é mais honesto do que o político porque em todas as eleições precisa ir às ruas pedir votos. Nessa versão tosca de defesa nos garante que nenhum profissional tem profissão mais honesta que Paulo Maluf, sempre chamado de ladrão, sempre se reelegendo. Os votos absolvem, não os juízes.

A história de chamar os funcionários públicos de analfabetos e sugerir que sua profissão não é tão honesta é um absurdo que deveria levar os defensores a uma reflexão sobre seu líder.

Afinal você não anuncia que está na luta pela Presidência e ofende num só parágrafo todo o funcionalismo público. Ou, então, você não é bom candidato.

Significa apenas que os artifícios e a mística que sustentaram uma fase de sua vida perderam todo o vigor. Lula não era um candidato a presidente, mas alguém bastante abalado na própria autoestima, lembrando, nostalgicamente, uma reunião com os líderes mundiais e acentuando que Fernando Henrique adoraria estar ali. Tudo o que reteve de uma importante reunião global foi uma vitória sobre o Fernando Henrique, como esse vasto mundo estivesse dividido entre PT e PSDB.

Vi na televisão alguém comparar os procuradores ao movimento dos tenentes, o tenentismo. De fato está presente nos dois grupos o mesmo impulso moralizador da política brasileira. Mas os métodos são outros, o que valeu aos tenentes prisão e exílio.

Os procuradores e todos os que participam da Lava Jato trabalham sob o império, da lei, são controlados por instâncias superiores e também por uma forte cultura jurídica, que, de repente, brotou na imprensa brasileira. É um processo saudável, uma discussão necessária. Seria mais bem-sucedida ainda se buscasse alguma maneira de levar esses cuidados a todos os brasileiros às voltas com a Justiça.

O drama ainda não chegou ao terceiro ato: o julgamento. Aos vários julgamentos que envolvem o período. Nele versões e evidências se chocaram sem parar. Hora de conhecer os vencedores.

23 setembro 2016 DEU NO JORNAL

LADRÃO HONESTO

Alvo de duas operações policiais – que lhe renderam cem dias de cadeia e uma fuga de mandado de prisão – o prefeito afastado de Montes Claros (MG), Ruy Muniz, diz ser alvo de uma perseguição política que, em tese, envolve da Igreja Católica à Maçonaria, do Ministério Público à Polícia Federal e até do ex-governo de Dilma Rousseff.

Ele é acusado de beneficiar seu próprio hospital e também de estar envolvido num esquema de super-faturamento de combustível.

Candidato à reeleição sub judice, Muniz se encontra numa situação ímpar: seu vice renunciou, a Justiça Eleitoral cassou o registro de sua chapa, mas um juiz do Tribunal Regional Eleitoral assegurou a ele continuar sua campanha eleitoral.

rmr

O prefeito afastado de Montes Claros Ruy Muniz e a mulher e deputada Raquel Muniz

* * *

Quer dizer que ele se diz perseguido pela Igreja Católica, pela Maçonaria, pelo Ministério Público, pela Polícia Federal e pelo ex-gunverno da Vaca Peidona?????

Danô-se!!!

De onde foi que ele tirou ou com quem será que ele aprendeu  a usar este tipo de argumento pra se defender?

Eu não faço a menor ideia. Vocês sabem?

O fato é que este guabiru cara-de-pau costuma se auto-intitular de “o melhor prefeito do Brasil”.

Novamente eu pergunto: com quem será que ele aprendeu este tipo de afirmação pra definir sua própria figura prefeital? Terá sido com alguma figura gunvernal istadual?

Eu acho que não deve ter sido com uma figura prisidencial federal, não é mesmo, gente?

A verdade é que mesmo ele sendo ladrão, não temos razão alguma pra duvidar da sua honestidade, já que estamos vivendo um tempo de exaltação lulo-guabirutal-larapial.

Segundo Lapa de Filósofo, a profissão mais honesta que existe é a do pulítico, isto “por mais ladrão que ele seja

Logo, consequentemente, este prefeito ladrão é um cabra honesto.

Intenderam? Pois é. É isto mesmo.

Um raciocínio filosófico de grande profundidade, autenticamente luleiro, de cunho vermêio-istrelado e embasado na ciência pulítica petralhal.

(Não se esqueçam e nunca é demais ressaltar: tem gente – alfabetizada, formada, com computador em casa e com acesso a informação -, que leva este cabra safado a sério. Tem alguns até, inclusive aqui no JBF, que dizem que ele foi o melhor prisidente que eztepaiz já teve…)

23 setembro 2016 DEU NO JORNAL

OS MILITANTES ZISQUERDISTAS PRECISAM SE MANIFESTAR

Manifestantes vão às ruas em 22 estados e no DF contra governo Temer.

* * *

Esta notícia foi dada ontem, quinta-feira, por uma emissora reacionária, direitista e golpista, a Rede Grobo.

Com destaque, foram mostradas cenas do protesto em São Paulo, Goiânia, Fortaleza, Belém, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Salvador. (Clique aqui para ver a matéria)

Aliás, o protesto na capital baiana contou com a presença da Vaca Peidona, atrepada na carroceria de uma camionete.

Na imagem abaixo, aparece até o logotipo da emissora coxinha (quem estava perto da camionete, diz que a catinga dos peidos foi de lascar…)

vps

Resumindo: a Rede Grobo noticiou as manifestações, por todo o país, contra o “golpista” Temer.

Isto é um fato real e acontecido.

O MPIZB – Manual do Perfeito Idiota Zisquerdista Banânico, determina que os tabacudos descerebrados esculhambem com a Grobo pelo menos uma vez por dia.

Vamos aguardar os protestos dos zisquerdóides neste presente caso.

 (Aqui entre nós: Temer é o único “golpista” do mundo que assumiu legalmente a presidência, depois da votação do pé-na-bunda de Dilma pelo Senado, em sessão estritamente dentro da legislação vigente, tudo sacramentado pelo Poder Judiciário e pela Constituição da República Federativa do Brasil, a Constituição Cidadã de Ulysses Guimarães. Conclusão: quem fala em “golpe” é débil mental e tem um vazio entre uma e outra orelha).

23 setembro 2016 DEU NO JORNAL

TOLÔTES DO MESMO PINICO

Candidatos a prefeito da região onde o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nasceu, no interior de Pernambuco, estão ignorando a imagem do petista como cabo eleitoral na campanha deste ano.

O cenário é diferente do pleito municipal de 2012, quando a maioria dos candidatos dessas cidades do agreste pernambucano “brigava” pelo apoio do ex-presidente.

* * *

Segundo garante a fubânica petista Cobra Choca, esta população do Agreste pernambucano, nos arredores de Garanhuns – e os candidatos a prefeito e a vereador destas cidades -, são todos coxinhas, golpistas e reacionários.

Pelo fato de que estão rejeitando o apoio do ex-prisidente Lapa de Corrupto.

Segundo Cobra Choca, muito destes candidatos estão envolvidos no escândalo do Banestado e não passam de tucanos disfarçados.

A propósito: em Garanhuns o PT não lançou candidato próprio e se aliou ao candidato do PTB, Izaías Régis.

Numa coligação onde também estão o PSDB e o PCdoB. Tucanalhas e cumunistas no mesmo balaio.

Enfim, tudo farinha do mesmo bisaco.

garanhuns

23 setembro 2016 DEU NO JORNAL

O CHEFE SABE COMO FAZER

Após a prisão do ex-ministro da Fazenda dos governos petistas, Guido Mantega, nesta quinta-feira, 22, na Operação Arquivo X, desdobramento da Lava Jato, o advogado José Roberto Batochio disse que seu cliente “nega peremptoriamente qualquer tipo de diálogo com o empresário Eike Batista”.

No entanto, Eike entregou ao Ministério Público Federal documentos para comprovar o que disse em depoimento, em 20 de maio, sobre o pedido de R$ 5 milhões para o PT feito pelo ex-ministro e sobre o repasse para o marqueteiro do PT João Santana em conta secreta na Suíça.

Entre os documentos estão a agenda oficial com o ministro Mantega, em Brasília, o registro de voo, contratos falsos firmados com empresas de Santana e os comprovantes de transferência de uma conta sua no exterior para a conta do casal João Santana e Mônica Moura em nome da offshore Shell Bill Finance – de US$ 2,3 milhões, em 2013.

agenda

* * *

Tem uma saída pra esta prova cabal e indesmentível.

É só Mantega se aconselhar com Lula e o chefão vai explicar como ele deve desmentir o que está escrito nesta agenda.

De preferência fazendo um discurso indignado pra uma platéia de antas amestradas e esbravejando que isto é perseguição da grande mídia golpista e reacionária.

23 setembro 2016 DEU NO JORNAL

MANTEGA É DEGRAU NA ESCALADA ATÉ LULA E DILMA

josias-de-souza5

Ministro mais longevo de governo em que a brigada do PT levou a amoralidade às fronteiras do paroxismo, Guido Mantega é a demonstração de que quem sai aos seus não endireita. Ao alcançar o ex-ministro da Fazenda, a Lava Jato estabeleceu um elo entre as duas ruínas que derreteram o poder petista: a derrocada econômica e a decadência ética.

Como chefe da Fazenda, Mantega servira de biombo para que Dilma Rousseff conduzisse a economia até o buraco. Descobre-se agora que o personagem fazia também o papel de cupido das boas relações do PT com empresários provedores de dinheiro sujo para campanhas da legenda.

Mantega passou mais de oito anos na Fazenda. Atravessou os governos de Lula e de Dilma. Experimentou o céu do boom econômico e o inferno da recessão. Seu envolvimento com a coleta de recursos para o PT mostra o estágio da metástase que o câncer da corrupção alcançou no organismo do Estado. Nem a Fazenda foi deixada em paz.

O ex-ministro petista é um alvo intermediário da Lava Jato. Mantega é visto pelos investigadores como um degrau na escalada que levará a investigação até Lula e Dilma. Chegou-se a Mantega a partir do cerco ao caixa das campanhas eleitorais do PT, chefiadas pelo casal do marketing João Santana e Monica Moura. A delação de Marcelo Odebrecht, à espera de homologação, reforçará o papel paralelo de Mantega.

No momento, o grande temor do PT é que Mantega, fragilizado psicologicamente e com a mulher gravemente adoentada, acabe se transformando num novo delator a serviço da Lava Jato.

23 setembro 2016 DEU NO JORNAL

MANCHETE DA SEXTA-FEIRA – AH… AGORA TÁ EXPLICADA A FORTUNA DELE…

premio

 

* * *

Num mundo que tem uma população de mais de 7 bilhões de pessoas, segundo o Wikipédia, estar em 10º lugar entre as 50 pessoas mais influentes é um fato notável, não há como negar.

Agora é que fui entender o que afirmou, garantiu, asseverou e jurou de pés juntos a fubânica petista Cascavel de Resguardo (num raro instante em que não se ocupou do “escândalo do Banestado“…)

Ela disse textualmente que “Moro e Dallagmol têm patrimônio maior do que Lula“.

(Na verdade, como todos nós sabemos e ele mesmo afirma, Lula não tem patrimônio algum. Não existe um único cartório neztepaiz que tenha registro de qualquer propriedade sua. Até o pinico que usa pra mijar foi doado por um amigo do filho dele. O bíblico Jó, comparado com Lula, era um bilionário!!!)

Enfim, se Moro é mais rico que Lula, certamente deve ser por conta do milionário cachê que ele recebeu com este prêmio internacional, concedido por uma entidade istranjeira, totalmente desligada dos assuntos internos desta nação latrino americana. Isto sem falar o que Moro embolsa dos ricos empreiteiros de Banânia pra dar sentenças favoráveis a estes sujeitos. As suaves e leves sentenças que são do conhecimento de todos nós.

Por conta desta distinção concedida por uma entidade lá de fora, Moro deve ter recebido uma bolada maior que os R$ 3,7 milhões que Lula recebeu como generoso e desinteressado “presente” da OAS. (Clique aqui para saber os detalhes)

Agora eu intendi porque este juiz tapeador, este tal Dr. Moro, tem triplex no Central Park em Nova Iorque, tem um sítio luxuoso na região vinícola da França e tem jatinho de Eike Batista à sua disposição. Ele deve ter recebido centenas de milhões de dólares com esta premiação internacional.

Ontem eu pedi pro meu amigo palmarense Piolho de Púbis, professor de inglês no Ginásio Municipal, que traduzisse o texto contido na ilustração aí de cima, da língua dos zamericanos pra o nosso português. E ele me respondeu que só faria o serviço mediante pagamento…

Como esta gazeta escrota num paga nada por qualquer serviço aqui prestado, recusei na hora.

De modo que os leitores fubânicos, a maioria composta de trogloditas, aqueles que falam várias línguas, podem traduzir e nos dizer que danado é que está escrito.

Aqui está o texto:

Moro and his team of prosecutors and investigators have spent more than two years tracking an almost $2 billion graft scandal across four continents. Their efforts helped tip Brazil into its worst recession in a century and created the political climate for the ouster of President Dilma Rousseff. Investors are beginning to look beyond the corruption probe, however. Brazil’s benchmark stock index is up more than 30 percent this year, a sign that a recovery is coming.

22 setembro 2016 DEU NO JORNAL

AO REVOGAR PRISÃO DE MANTEGA MORO DEIXA PETISMO COMPLETAMENTE SEM ARGUMENTO

josias-de-souza5

rv

Ao revogar a ordem de prisão de Guido Mantega, Sérgio Moro deixou o petismo sem assunto. Desde cedo, o PT e seus devotos jogam pedras na Lava Jato por ter prendido o ex-ministro no hospital, privando-o de acompanhar uma cirurgia da mulher gravemente adoentada. Ao reacomodar Mantega na beirada da cama de sua companheira, Moro convida o PT a falar sério.

Em vez de tocar trombone embaixo do seu imenso telhado de vidro, o PT terá de arranjar meia dúzia de desculpas para o fato de o ex-ministro da Fazenda de Lula e Dilma ter sido pilhado no papel de cupido das boas relações do partido com o empresariado provedor de verbas sujas. O PT continua com o trombone. Mas talvez lhe falte sopro para a nova fase do espetáculo, inaugurada por Moro.

Em seu despacho revogatório, o juiz da Lava Jato anotou que ele, a Procuradoria e a Polícia Federal desconheciam que ”o ex-ministro acompanhava o cônjuge acometido de doença grave em cirurgia.” Esclareceu ter sido informado pela Polícia Federal de que a prisão foi praticada “com toda a discrição, sem ingresso interno no hospital.” E revogou a ordem, sem prejuízo da busca já realizada no apartamento de Mantega e de providências posteriores.

Rui Falcão, presidente do PT, qualificara a prisão de Mantega de ”uma desumanidade inaceitável.” O companheiro dissera estar “revoltado” com os métodos da Lava Jato, realçando o ”estilo de arbitrariedade e violação de direito”. Coisa ”insuportável”. Num instante em que o PT mirava sua canela, Moro informou que prefere o jogo de xadrez ao futebol de várzea.

O magistrado sinalizou, de resto, que está dois ou três lances à frente dos seus detratores. Ao despir-se do figurino de monstro que o PT tenta lhe impor, Moro transforma Mantega em candidato a delator. Um delator especial, que pode acomodar a Lava Jato definitivamente no colo de Dilma Rousseff.

22 setembro 2016 DEU NO JORNAL

QUEM PRESTA MENOS?

O PT apoia, oficialmente, nada menos do que 648 candidatos a prefeito do PMDB em todo o Brasil.

É líder na adesão à coligação encabeçada por peemedebistas.

Entre os dois partidos fica difícil considerar quem presta menos.

* * *

Eu acho que é o PMDB que presta menos.

E por que?

Porque tomou a nojenta atitude de se aliar ao PT em mais de 600 municípios de Banânia.

Quem se alia à quadrilha de propriedade do Lapa de Corrupto – aquela que tem sigla de partido -, não precisa mostrar mais nada: já está dizendo o que é.

pmdb-pt

22 setembro 2016 DEU NO JORNAL

CARDÁPIO

O presidente Michel Temer pediu na manhã desta quarta-feira, 21, em Nova York que os empresários “não titubeiem” em investir no Brasil.

Segundo ele, o País passou por um “brevíssimo período” de turbulência política e possui agora “estabilidade política extraordinária” para aprovar as reformas fiscal, previdenciária e trabalhista.

Em discurso a cerca de 250 investidores e analistas de mercado, o presidente insistiu em dizer que possui apoio dos parlamentares para as medidas consideradas essenciais para a retomada da confiança e aumento dos investimentos no País.

Temer afirmou que há uma “interação muito grande” entre Congresso e Executivo, o que dá “segurança política” ao País.

* * *

O discurso de Temer, que foi feito durante um almoço, não me interessa.

Eu fiquei mesmo foi de olho no cardápio servido durante o rega-bofe.

Pelas fotos, não consegui enxergar um bode guisado, uma carne de sol com queijo de coalho, uma buchada, uma costelinha de porco, um cabrito assado ou uma galinha de cabidela.

Enfim, foi uma droga o almoço de Temer com os zianques.

Tinha até um negócio esverdeado nos pratos que me pareceu ser capim.

Ou grama…

Vejam:

almoco

22 setembro 2016 DEU NO JORNAL

O NEGÃO CURITIBANO

Agora réu, o ex-presidente Lula deverá ser sentenciado pelo juiz Sérgio Moro apenas no ano que vem. A previsão é baseada no tempo médio que ele leva, desde o recebimento da denúncia. Moro consumiu 7 meses e meio para condenar executivos da Odebrecht, por exemplo, e 1 ano para sentenciar dirigentes da Engevix.

Ele absolveu, até agora, apenas cerca de 15% dos denunciados pelo Ministério Público Federal.

Por medo da mão pesada do juiz Sérgio Moro, Lula tentou várias vezes escolher o Supremo Tribunal Federal para ser julgado. Foi inútil.

Lula ofendeu a Justiça e o MPF incluindo-os entre os “adversários” que o denunciavam. Ao acreditar na própria lorota, descuidou da sua defesa.

Lula tem motivos de sobra para temer Sérgio Moro, cuja qualidade das decisões dificultam e até inviabilizam recursos dos advogados.

Especialista no combate aos chamados “crimes do colarinho branco”, Sérgio Moro é reconhecido pelo trabalho como juiz cerebral e meticuloso.

reu

* * *

Lapa de Canalha está se cagando pelos cantos, morrendo de medo do frio que faz nas celas de Curitiba.

E corre boato de que por lá tem um negão, com uma piroca de 28 cm de comprimento, que solenemente recebe todos os recém chegados para um sessão de enrabamento compulsório.

O sentenciado, em primeiro lugar, toma no olho do toba a canetada do Dr. Moro.

Em seguida, chega o negão com sua gigantesca pajaraca pra completar a sentença.

E tem mais: enquanto está sendo enrabado, o sentenciado é obrigado a cantar a música “Pega eu que sou ladrão“….

22 setembro 2016 DEU NO JORNAL

UM PASSO A MAIS NA DIREÇÃO DO ABISMO

Ricardo Noblat

Para os leitores deste blog, não surpreendeu a decisão do juiz Sérgio Moro de aceitar a denúncia do Ministério Público Federal contra Lula por corrupção e lavagem de dinheiro no caso do tríplex do Guarujá, em São Paulo, e no caso do armazenamento das tralhas dele pago pela construtora OAS desde sua saída da presidência da República.

Nota aqui publicada às 9h03 do último dia 16 disse: “Na próxima segunda-feira ou o mais tardar na quarta-feira, o juiz Sérgio Moro aceitará a denúncia contra Lula apresentada pelos procuradores da Lava Jato. Ele então será promovido à condição de réu. Os procuradores não pediram a prisão de Lula. Mas, se quiser, Moro poderá decretá-la”.cartao

Por ora, Moro não achou necessário decretar a prisão de Lula. Poderá até não fazê-lo se porventura vier a condená-lo. A sorte de Lula passará então a depender do 4º Tribunal Federal de Recursos (TRF4), com sede em Porto Alegre. Se ali ele também for condenado, aí, sim, será preso e passará a cumprir pena, tornando-se inelegível por oito anos.

Não foram poucos os que imaginaram que o tom empregado pelo Ministério Público na apresentação da denúncia na semana passada poderia enfraquecê-la aos olhos de Moro. O tom não pesou em sua aceitação, apenas as provas e os indícios de materialidade dos crimes citados. Lula terá 20 dias para defender-se.

Se quiser, o Ministério Público aproveitará esse tempo para anexar mais provas à denúncia. O provável é que Moro condene Lula antes do fim do ano. Poderá, se for o caso, atenuar a situação da ex-primeira dama Marisa Letícia, também denunciada pelo Ministério Público. Disso, Moro deu indicação no seu despacho sobre a denúncia.

Como deu indicação de que não pegará leve no que se refere a Paulo Okamotto, presidente do Instituto Lula. Foi ele que acertou com a OAS o pagamento pelo armazenamento da mudança de Lula. De resto, Okamotto pediu e a Justiça negou-lhe um habeas corpus para anular a denúncia. É quase um réu confesso.

De pouco ou de nada beneficiará Lula o comportamento que adotou nos últimos meses de confrontar “os meninos de Curitiba” e o juiz Moro. Pelo contrário. Lula e seus advogados, que tratam Moro “como aquele juiz”, procedem como se Moro tivesse a estatura deles ou fosse menor. Aos olhos da Justiça até aqui, e da opinião pública, Moro é maior do que eles.

Promovido à condição de réu da Lava Jato pela segunda vez, Lula ainda corre o risco de ser denunciado por outros crimes que estão sendo investigados. Novas delações poderão complica-lo – entre elas, a de Léo Pinheiro, ex-presidente da OAS, e a super-delação a ser fechada dos executivos da construtora Odebrecht.

O discurso do “golpe” já rendeu o que tinha se render. O “Fora, Temer” está em declínio. O PT se prepara para amargar uma contundente derrota nas eleições municipais de outubro próximo. Com quantas divisões o partido contará para ocupar de novo as ruas, desta vez em defesa do seu principal líder ameaçado?

22 setembro 2016 DEU NO JORNAL

PALPITE

A Mega-sena acumula e pode pagar mais ou menos o que Lula recebeu de empreiteiras do petrolão via instituto, empresa e reformas de imóveis.

mega-sena-2

* * *

Ôba!

Vou fazer minha fezinha para o sorteio de hoje, quinta-feira.

Quem tiver algum palpite, estou aberto a sugestões.

Evidentemente que não pode faltar o 13, o horrendo número impar do azar e da organização criminosa que usa a sigla partidária PT.

mega-sena-3

22 setembro 2016 DEU NO JORNAL

É UMA BOMBA APÓS A OUTRA…

A Procuradoria da República, no Paraná, informou nesta quinta-feira, 22, que o empresário Eike Batista, ex-presidente do Conselho de Administração da OSX, prestou depoimento ao Ministério Público Federal.

Segundo a força-tarefa da Operação Lava Jato, Eike Batista declarou que, em 1 de novembro de 2012, recebeu pedido de um então ministro e presidente do Conselho de Administração da Petrobrás, para que fizesse um pagamento de R$ 5 milhões, no interesse do PT.

Naquele ano, o presidente do Conselho de Administração era Guido Mantega.

O ex-ministro foi preso.

eike-spon

* * *

Apenas 5 milhões para o caixa do PT é uma minxaria. Tanto pro doador Eike quanto pra organização criminosa que recebeu.

Uma ínfima merreca se comparada com as cifras que rebentam a todo instante no noticiário pátrio.

Para rebater mais esta “calúnia” da Procuradoria da República do Paraná, em continuação à sórdida “campanha de perseguição” a Lula, ao PT e aos petistas graduados, é só o proprietário do partido reunir, mais uma vez, uma platéia de antas descerebradas e fazer um indignado discurso se dizendo vítima e apregoando que está sofrendo mais do que Jesus Cristo a caminho do Calvário.

E fechar o discurso garantindo e jurando que não é dono do triplex, nunca esteve no sítio de Atibaia e nunca viu ou se encontrou com Eike Batista.

eike-lula-1

“Cumpanhero Eike, esse teu jatinho consegue me levar pra Curitiba? Disisti de ir a pé…”

eike-lula-2

22 setembro 2016 DEU NO JORNAL

ELE FEZ O DIABO PARA ESCAPAR DO ENCONTRO QUE MORO ACABA DE MARCAR

Augusto Nunes

aodb

Não há no planeta Terra ninguém mais indignado do que eu”, disse Lula ao receber a notícia de que fora transformado em réu da Lava Jato pelo juiz Sérgio Moro. A frase superlativa não surpreendeu o magistrado que comanda a devassa do maior esquema corrupto da história. Ele soube desde sempre com quem estaria lidando, confirma a ressalva incluída no texto que formalizou a aceitação da denúncia do Ministério Público Federal: “… entre os acusados, encontra-se ex-Presidente da República, com o que a propositura da denúncia e o seu recebimento podem dar azo a celeumas de toda a espécie”.

Celeuma” é pouco para definir o que Lula anda dizendo desde que a distância entre São Bernardo do Campo e a República de Curitiba encurtou dramaticamente. Graças sobretudo à discurseira em resposta aos procuradores federais, ficou claro que há notáveis diferenças entre as reações verbais provocados pelo medo de cadeia – cujo sintoma inaugural é a perda da noção do ridículo – e as produzidas pelo medo da morte política, escancarado pela perda do que resta do sentimento da vergonha.

Para sobreviver ao escândalo descoberto em 2004, por exemplo, Lula primeiro afirmou que fora traído por amigos jamais identificados, depois jurou que o Mensalão nunca existiu. Sem acreditar numa só palavra do que dizia, avisou que, tão logo deixasse a Presidência, trataria de desvendar pessoalmente a conspiração da elite golpista que tentou derrubar, com a fabricação de roubalheiras imaginárias, o governo que só pensava no povo. Haja sem-vergonhice.

Essa retórica do cinismo deu lugar ao discurso de quem cruzou a fronteira do ridículo, avisa o palavrório despejado pelo palanque ambulante um dia depois da denúncia dos procuradores da Lava Jato. Mais grave ainda, Lula agora acredita no besteirol que improvisa sob salvas de palmas das plateias amestradas. “Acho que só ganha de mim aqui no Brasil Jesus Cristo”, disse o Mestre a seus discípulos no Sermão do Segundo Calvário. Ele ainda enxerga no espelho o campeão de popularidade aposentado pela vaia no Maracanã na abertura do Pan-2007 .

Lula ultrapassou de novo a fronteira do ridículo ao explicar que “a profissão mais honesta é a do político, porque todo ano, por mais ladrão que ele seja, ele tem que ir pra rua e pedir voto”. Para o comandante do Petrolão, portanto, a mais honesta das profissões é exercida por ladrões tão insolentes que pedem votos às vítimas do assalto. Garantida a camisa-de-força, a alma viva mais pura do mundo consolidou a candidatura a orador das turma do hospício com a sopa de letras concebida para provar que só diz a verdade.

A gente pode mentir pra vocês, a gente pode mentir pra mulher da gente, a gente pode mentir pro presidente do partido, a gente pode mentir pra um companheiro, mas a gente não pode mentir nem pra Deus e nem pra gente mesmo”. Resumo da ópera do desvario: só Deus e Lula sabem a verdade que o mitômano sem cura esconde do resto do mundo. No dia do depoimento à Lava Jato, fará o possível para ocultá-la de Sérgio Moro.

Caso tente escapar da Lava Jato pela trilha desmatada por frases sem pé nem cabeça como as reproduzidas acima, poderá antecipar o acerto de contas com a Justiça. E cumprir mais cedo a promessa de percorrer a pé o caminho da cadeia.

22 setembro 2016 DEU NO JORNAL

MANCHETE DA QUINTA-FEIRA – MAIS UM GUABIRU VERMÊIO-ISTRELADO É ENGAIOLADO

mantega

O ex-ministro da Fazenda Guido Mantega (PT) foi preso na manhã desta quinta-feira (22) pela Polícia Federal durante a 34ª fase da Operação Lava Jato.

Segundo as investigações, em 2012, Mantega atuou junto ao comando de uma empresa contratada pela Petrobras para negociar repasse de propina para o pagamento de dívida de campanha de partidos aliados do governo.

mantega-sede-da-pf-em-sp

Mantega preso pela PF em São Paulo

* * *

Bem antes de Lapa de Corrupto ser eleito prisidente desta sofrida e espoliada nação, Guido Mantega era citado pelos analistas e comentaristas como sendo “o economista do PT“.

Era assim uma espécie de incógnita de como seria a administração econômica num improvável (naquele tempo…) gunverno comandado por Nove Dedos.

Atualmente não há mais segredos: já sabemos a merda que foi esta turma no comando da República Federativa de Banânia.

Quando é hoje, temos esta excelente notícia que é manchete em toda a imprensa deztepaiz: o “economista do PT” foi enjaulado por guabirutagem petrolíferas, tal e qual outros meliantes do seu partido.

Resumindo esta trama escabrosa (mais uma…): o PT liberava dinheiro da Petrobras para empresários por meio de contratos e cobrava deles uma parte para pagar campanhas do partido.

Enfim, Mantega não destoou do modo de atuar da quadrilha vermêio-istrelada.

Esta é uma notícia pra tornar nosso final de semana feliz!

trio

Amanteigado, Lapa de Corrupto e Vaca Peidona: um trio que é a cara cagada e cuspida da Banânia petralha

21 setembro 2016 DEU NO JORNAL

PRESIDENTE BANÂNICO RECEBE HONROSA DISTINÇÃO NO ISTRANJEIRO

O presidente da Costa Rica, Luis Guillermo Solís, e integrantes de outras seis delegações de países latino-americanos abandonaram nesta terça-feira o plenário da Assembleia Geral da ONU, negando-se a ouvir o discurso do presidente Michel Temer.

Equador, Costa Rica, Bolívia, Venezuela, Cuba, Nicarágua saíram do debate geral da Assembleia Geral da ONU quando Michel Temer tomou a palavra.

assembleia_da_onu100901

Delegações deixando o plenário da ONU quando Temer iniciou sua fala

* * *

Michel Temer deve ter se sentido um privilegiado, um iluminado, um homem incomum!

Ser repudiado por representantes de gunvernos do tipo de Cuba, da Venezuela e da Bolívia, três grandes “potências” Latrino Americanas, é um privilégio da porra.

Francamente, eu chega se mijei-me todinho de tanto se rir-se-me.

21 setembro 2016 DEU NO JORNAL

E O BATOM NA CUECA?

jorge-oliveira

Deixei a poeira abaixar para não escrever no calor dos acontecimentos e cometer alguma injustiça com palavras impróprias aos fatos. Mas, agora, depois que o Lula já apresentou sua defesa em petit comitê para uma turma de militantes, muitos dos quais também envolvidos nos escândalos de corrupção da Lava Jato, permitam-me uma análise do que penso sobre a denúncia dos procuradores e a identificação de que Lula é, realmente, o chefe da organização criminosa, o capo di tutti capi brasileiro. Em princípio, acho que os procuradores estão certos ao pedir a denúncia do Lula. Preocupa-me, porém, a espetacularização do episódio.

Lula está envolvido em escândalos desde que iniciou o primeiro mandato, quando o Valdomiro, principal assessor de Zé Dirceu, foi flagrado achacando o bicheiro Carlinhos Cachoeira. De lá pra cá, as maracutaias petistas sempre estiveram na ordem do dia até culminar com a condenação de vários mensaleiros, alguns deles, reincidentes, ainda na cadeia. Pois é, Lula não pode negar agora que não conhecia ou não sabia que os cofres públicos estavam sendo arrombados, com a sua cumplicidade, por seus parceiros, desde que o STF apontou o dedo para Zé Dirceu como o chefe da quadrilha. Aliás, o que não falta nas fileiras do PT são os capus di capus da coisa nostra.

Os antecedentes condenam Lula e a quadrilha criada por ele para saquear o dinheiro das empresas estatais, principalmente o da Petrobrás.

As investigações são contundentes contra o ex-presidente. Ele é apontado por quase todos os delatores como o lobista de luxo internacional das grandes empreiteiras nos processos de corrupção da Lava Jato. Os depoimentos acusatórios estão lá nos autos. Dizem que Lula enriqueceu depois que montou o Instituto Lula, uma lavanderia sofisticada que tinha como finalidade lavar dinheiro da corrupção da Petrobrás simulando palestras do ex-presidente no exterior. O tríplex e o sítio, transformados em residências sofisticadas de Lula, também estão no pacote das denúncias. Os indícios apontam Lula e a sua mulher Marisa como beneficiários dos favores das empreiteiras. Os procuradores atestam que Lula foi citado 136 vezes pelos delatores como o personagem que sempre atuou nos bastidores na manipulação do desvio de dinheiro das empresas públicas, a exemplo da Petrobrás.

Tudo isso, porém, ainda não é suficiente para prender o Lula. Fazer isso é vitimizá-lo, como ele inteligentemente está fazendo. E o choro de um líder popular, diga-se, comove. Comove principalmente os cegos que teimam em não enxergar os fatos escabrosos descobertos pela Lava Jato. As lágrimas dramáticas derramadas pelo líder têm endereço certo: os militantes, os fanáticos ideológicos e os miseráveis do Bolsa Família crentes de que o benefício sai do bolso do seu mestre e não do estado como programa de governo.

Mesmo assim, como diz um senador de oposição, sereno na sua análise: “Ainda não encontraram efetivamente o batom na cueca” para uma acusação frontal e indiscutível sobre os malfeitos do ex-presidente. O que parece existir sutilmente é uma disputa jurídica nos bastidores entre os advogados do Lula e os procuradores. Magoados com a acusação de que estão criando factoides para justificar a prisão de Lula, os procuradores do Ministério Público partiram para um confronto em um show desmedido. E a justiça, cega como se diz, não pode se expor nem se confrontar com defensores de réus. Corre o risco de parcialidade e de perder o jogo diante dos artifícios mentirosos e levianos que normalmente o PT se utiliza para distorcer os fatos a seu bel prazer.

O trabalho dos procuradores e do juiz Sergio Moro é notável. Nunca, no Brasil, uma investigação chegou tão longe, prendeu tanta gente importante e ressarciu o erário com tanto dinheiro. Mas uma investigação como a que envolve o ex-presidente não pode deixar dúvidas quanto a sua responsabilidade nos crimes. Portanto, creio que houve precipitação na conclusão do inquérito. O Lula poderia ter sido intimado por Moro para depor, responder e se defender das acusações que lhe imputam. Daí quem sabe, teríamos um Lula vacilante diante das provas robustas e irrefutáveis do seu envolvimento nos crimes.

Agora, diante das dúvidas suscitadas pela explanação, cabe aos procuradores tirarem a carta da manga – se é que têm – e convencer os mais incrédulos de que Lula é realmente o chefe da organização criminosa.

21 setembro 2016 DEU NO JORNAL

CONCURSADO SAFADO

O catador de materiais recicláveis João Rodrigues Cerqueira devolveu nesta terça-feira (20) US$ 1,4 mil achados em meio ao lixo no Distrito Federal. (clique aqui e veja matéria completa)

O dinheiro havia sido descartado por engano por uma criança, que não sabia que ele estava dentro de um papel que encontrou enrolado no console do carro do fonoaudiólogo Bruno Temistocles.

O homem havia comprado os dólares na última sexta por cerca de R$ 5 mil, para usá-los em uma viagem para a Europa.

catador2catador1

* * *

Com toda certeza este catador é pulítico, milita em algum partido.

Certamente é filiado ao PT, sem qualquer sombra de dúvida..

E esta é a razão pela qual ele é tão honesto..

Porque se o catador João Cerqueira tivesse estudado, se formado e feito um concurso, com emprego público garantido, seria um canalha desonesto, segundo a teoria pregada por Lula.

Como ele é um homem de bem, um homem honesto, com toda certeza é um pulítico.

21 setembro 2016 DEU NO JORNAL

A CORDA E A CAÇAMBA

Lava Jato tem de separar ‘joio do trigo’ e acabar com ‘exibicionismo‘”, declarou Renan Calheiros nesta terça (20)

O Presidente do Senado citou a denúncia apresentada pelo MPF contra o ex-presidente Lula.

O senador peemedebista disse que procuradores têm de fazer denúncias ‘consistentes‘.

* * *

Deu certinho!!!!

Renan e Lula formam uma parelha exemplarmente banânica.

A corda e a caçamba.

Lapa de Corrupto, acusado de comandar o vergonhoso esquema de corrupção na Petrobras e atuar, junto com empreiteiros da OAS no desvio de, pelo menos, R$ 87,6 milhões da nossa rapinada estatal, não poderia ter arranjado um advogado melhor que Renan Rato Calheiros, um causídico que responde a uma tonelada de processos no STF.

Estes dois são o retrato cagado e cuspido da Repúlica Federativa de Banânia que uma organização criminosa, utilizando a sigla partidária PT, imaginou implantar no Brasil.

wst

“Deixa comigo querido amigo e comparsa Lula; vê aqui: estou fazendo tua defesa até pelo WhatsApp. Se depender de mim, esta foto logo abaixo vai ser riscada do mapa”

instituto-lula

21 setembro 2016 DEU NO JORNAL

RENAN VOLTA A BRANDIR AMEAÇA CONTRA LAVA JATO

josias-de-souza5

Frustrado o plano da oligarquia parlamentar da Câmara de aprovar uma anistia ampla, geral e irrestrita para o crime de caixa dois, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), reativou a articulação para tentar aprovar projeto que atualiza a lei 4.898, de 1965, que pune o chamado “abuso de autoridade”.

Engavetada desde 2009, a proposta original é do deputado Raul Jungmann (PPS-PE), hoje ministro da Defesa. Disponível aqui, o texto não parece conter nenhuma ameaça à Lava Jato. Mas parlamentares próximos a Renan farejam o interesse dele em ajustar o projeto, de modo a interferir nas investigações, tolhendo os movimentos de produradores e juízes.

Partidário da tese do amigo Romero Jucá (PMDB-RR) segundo a qual é preciso “estancar a sangria” da Lava Jato, Renan investiu contra a força-tarefa de Curitiba nesta terça-feira. Disse que os responsáveis pela operação precisam “separar o joio do trigo”. Protagonista de nove inquéritos da Lava Jato, Renan é joio. Mas ele fala como se fosse trigo.

“A Lava Jato é muito importante e nada vai detê-la, mas precisa acabar com esse exibicionismo e esse processo de exposição das pessoas sem culpa formada”, disse Renan. “A nossa Constituição não convive bem com isso. É preciso fazer denúncias e investigar, mas com começo meio e fim. Que sejam denúncias consistentes e não mobilização política, porque o país perde com isso e as instituições também.”

Renan criticou o “exibicionismo” da Procuradoria da República na apresentação da denúncia contra Lula, na semana passada. Horas depois da entrevista do presidente do Senado, Sérgio Moro, juiz da Lava Jato, acatou a denúncia subscrita por 13 procuradores exibicionistas, enviando Lula para o banco dos réus.

Foi contra esse pano de fundo impregnado de críticas à investigação do maior escândalo de corrupção já descoberto no país que Renan retomou a prosa em defesa da aprovação de “projeto que garanta mecanismo para investigar a corrupção e proteja as garantias individuais e coletivas.”

“O que não pode é, a pretexto de se investigar, alguém promova exibicionismo. A sociedade apoia a Lava Jato. Não há hipótese de nenhuma influência e quem disser o contrário está mentindo. Mas a Lava Jato tem sim a responsabilidade de separar o joio do trigo. Não pode nivelar todos sob uma acusação genérica.”

O apoio da sociedade à Lava Jato não é compartilhado por Renan. Isso ficou claro no autogrampo em que Sérgio Machado, preposto do senador na presidência da Transpetro por 12 anos, captou seus diálogos com os pajés do PMDB, entre eles o seu padrinho Renan.

De resto, o doutor Sérgio Moro vem revelando uma notável capacidade de separar joio e trigo. Graças a essa habilidade, o magistrado serve-se do trabalho da Polícia Federal e da Procuradoria para promover condenações em escala industrial, num volume compatível com as dimensões do escárnio.. Moro já emitiu 106 sentenças condenatórias. Juntas, somam 1.148 anos, 11 meses e 11 dias de prisão.

Renan tem a sorte de militar na brigada de suspeitos com mandato. Dispõe de prerrogativa de foro. Só pode ser processado e julgado no Supremo Tribunal Federal. Ali, mercê da morosidade da Procuradoria-Geral da República e da inapetência do Supremo para atuar na persecução criminal, não há vestígio de condenação.

Menos espalhafatoso e mais profissional do que o correligionário Eduardo Cunha, Renan vai preservando o mandato que lhe permite legislar em causa própria. Implica por exemplo, com a ferramenta da delação premiada. Sustenta que a Lava Jato prende no atacado para colher confissões no varejo. Uma inverdade.

As estatísticas da Lava Jato revelam que a grossa maioria dos delinquentes que suaram o dedo estava livre. O ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, por exemplo, não precisou ser recolhido ao xilindró para delatar o patrono Renan e outros figurões do PMDB. Tudo na vida está sujeito a aperfeiçoamentos. Porém, em matéria de Lava Jato Renan é a pessoa menos indicada para apontar imperfeições.

21 setembro 2016 DEU NO JORNAL

BRAZILIAN PETÊLHOS NOS ZISTEITES

Entre os cerca de 20 manifestantes que se postam defronte ao Hotel Plaza Athénée, onde a comitiva de Michel Temer está hospedada em Nova York, um chamou especial atenção.

Uma moça que segura uma vistosa bandeira do MST.

mst_ny

* * *

Uma vagabunda Sem Terra não sobrevive no sistema Sem Avião.

Até porque as passagens do bando pra voar pelo mundo são pagas com o meu, com o seu, com o nosso suado dinheirinho.

Aliás, cabe aqui a dúvida: por que será que estes descerebrados não procuram outro recanto de mundo que não os Zisteites pra ganhar a vida?

Por que não foram pra Venezuela ou pra Cuba, estas duas grandes potências Latrino Americana, ganhar a mortadela de cada dia?

Hein???

E, notem bem, os babaquinhas instalados e se regalando em Nova Iorque sabem escrever faixas na língua dos zamericanos!!!

Temer Out!

Confesso que fiquei bestinha.

These are really radical revolutionaries!

20 setembro 2016 DEU NO JORNAL

MANCHETE DA TERÇA-FEIRA – BEM NO OLHO DO FURICO DOS CANALHAS!

mad

O juiz Sérgio Moro aceitou nesta terça-feira (20) a denúncia do Ministério Público Federal contra o ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva.

A denúncia do Ministério Público Federal sustenta que ele recebeu R$ 3,7 milhões em benefício próprio – de um valor de R$ 87 milhões de corrupção – da empreiteira OAS, entre 2006 e 2012.

Com a aceitação do juiz responsável pela Operação Lava Jato, Lula se tornou réu e será julgado pelos crimes de corrupção ativa, passiva e lavagem de dinheiro.

Além do petista, Moro acatou também as denúncias à esposa de Lula, Marisa Letícia, o presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto, o empresário Léo Pinheiro e o ex-diretor Paulo Gordilho, da OAS, além de Agenor Franklin Magalhães Medeiros, Fábio Hori Yonamine, Roberto Moreira Ferreira, funcionários da empreiteira.

rrb

“Essi dotô é foda: arrombô as prega do meu subilatório. Se fudi-me!”

* * *

Esta notícia é fresquinha, bem quentinha.

Foi divulgada agora há pouco, no final da tarde desta terça-feira.

Lapa de Mentiroso foi indiciado por “corrupção ativa” e também por “corrupção passiva“. Ou seja, é um tremendo dum gilete: tanto come quanto dá.

Esta fantástica notícia merece uma grande comemoração por parte daqueles que ainda fazem uso da razão, do bom senso e que valorizam a ética, a decência e a honestidade. Só os que não sabem o que são estes valores é que devem ficar putos.

Aliás, sugiro pra esta turminha de babacas que pratiquem o suicídio coletivo: se reúnam em frente ao Instituto Lula e enfiem o dedo indicador no olho-do-cu. Depois é só rasgar até chegar ao umbigo e bater as botas por hemorragia.

Que alegria para a banda decente do Brasil, para os homens de bem e para as mulheres honestas desta espoliada república!

Parabéns, Dr. Moro, a nação brasileira aplaude o senhor de pé.

O senhor, sim, é o autêntico e verdadeiro Herói do Povo Brasileiro!!!!!!!

Bote pra lascar sem pena e acabe com as pregas desta enojante quadrilha que tanta vergonha nos causa.

auto_sponholz-6

Vamos comemorar com música, minha gente!!!

20 setembro 2016 DEU NO JORNAL

INTÉ NO ISTRANJEIRO A VAIA COME NO CENTRO

Um grupo de brasileiros esperava por atendimento no aeroporto de Lisboa quando Aloizio Mercadante se aproximou do balcão pelo flanco direito.

Ao reconhecerem o ex-ministro de Dilma Rousseff, os passageiros entenderam que o ilustre passageiro queria furar a fila e trataram de abortar a manobra.

Posto em seu lugar debaixo de vaias e palavrões berrados em coro, Mercadante foi reprovado com louvor no involuntário teste de popularidade.

Ele queria entrar mais cedo num avião sem ser notado. Acabou entrando na lista dos figurões do PT insultados em público.

* * *

Por enquanto a alta cúpula petralha está apenas debaixo de vaia.

Em breve, muito em breve, os figurões vermêio-istrelaos estarão sujeitos à pena de apedrejamento, qual putas madalênicas da pior espécie.

Eu mesmo já estou com uma balaio carregado de seixos, cada um mais pesado que o outro. Seixos que catei nas beiradas do Rio Pirangi, em Palmares.

Estão todos reservados pra serem jogados bem no meio dos dois chifres destes cabras safados, estes tabacudos que arrasaram a Petrobras, o Brasil e a nossa paciência.

Tirei até um retrato dos seixos pra mostrar procês.

Vejam:

seixos

20 setembro 2016 DEU NO JORNAL

TÃO SE CAGANDO PELOS CANTOS…

O desembargador João Pedro Gebran Neto negou habeas corpus protocolado pela defesa do presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto, para impedir abertura de uma ação penal.

Na semana passada, a força tarefa de investigadores da Operação Lava Jato denunciou Okamotto pela acusação de atuar para que a empreiteira OAS pagasse o aluguel de contêineres do acervo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Segundo os procuradores, entre 2-11 e 2016 foram feitos 61 pagamentos mensais no valor de R$ 21,5 mil.

* * *

A cúpula petralhal está se cagando de medo.

Isto porque caberá ao juiz Sérgio Moro decidir se aceita ou rejeita mais esta nova denúncia. Entre inúmeras que já foram apresentadas e outras tantas que estão na fila.

E as canetadas deste Magistrado – autêntico herói brasileiro, ídolo da banda decente da nação -, são sempre certeiras, arrombando de canto a canto os furicos de ladrões e de corruptos.

O desembargador entendeu que não é possível conceder liminar contra eventual decisão do Doutor Sérgio Moro contra o acusado.

okamoto

Paulo Canalha Okamoto e Lapa de Corrupto: uma dupla de ratos petralhas do mais alto nível

20 setembro 2016 DEU NO JORNAL

A QUE PONTO CHEGAMOS…

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral e ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, qualificou nesta segunda-feira, 19, de “vergonhosa” a decisão do ministro Ricardo Lewandowski de fatiar a votação do julgamento da presidente afastada Dilma Rousseff que resultou na aprovação no Senado pela manutenção dos direitos políticos da petista, embora tenha tido o seu mandato cassado.

Considero essa decisão constrangedora, é verdadeiramente vergonhosa. Um presidente do Supremo não deveria participar de manobras ou de conciliados. Portanto não é uma decisão dele. Cada um faz com sua biografia o que quiser, mas não deveria envolver o Supremo nesse tipo de prática“, criticou Gilmar em entrevista nesta segunda, 19.

grw

* * *

Francamente, eu nunca pensei que iria viver o bastante pra tomar conhecimento de um acontecimento vergonhoso como este. Dois ministros do órgão máximo do Poder Judiciário trocando tapas em público.

E o pior é que Gilmar está certíssimo, está com toda razão…

O que será que foi feito daquele STF dos velhos tempos em que existia vergonha na cara dos seus componentes???

Aqueles tempos de sobriedade e austeridade em que os magistrados se manifestavam apenas nos autos, e não através da imprensa.

Um tempo em que o saudoso Adauto Lúcio Cardoso, Ministro do STF nos anos 70, em gesto dramático de protesto, jogava fora sua toga.

Duas notas sobre este fato:

1) Em 1971, o STF julgou constitucional a lei da censura prévia (Decreto-lei nº 1.077), editada pelo Governo Médici. Vencido o Ministro Adauto Lúcio Cardoso manifestou sua indignada repulsa diante daquela decisão, despiu sua capa, atirou-a em sua curul e abandonou acintosamente o recinto. Todos os jornais, no dia seguinte, deram grande cobertura ao ocorrido, inédito na vida do STF.

2) Dramático foi o comportamento de Adauto Lúcio Cardoso quando o Supremo apreciou uma representação da oposição (o então MDB), em 1971. O partido arguia a inconstitucionalidade do Decreto-Lei 1077, do presidente Emilio Médici, que instituía a censura prévia de publicações. Chamavam-no “Decreto da Mordaça”, e abrigava quase todos os poderes que o PT sonha ter nas mãos, para censurar periódicos, livros e espetáculos públicos. Voto vencido, Adauto Lúcio Cardoso tirou sua toga, abandonou-a na cadeira e nunca mais voltou ao Tribunal.

adauto-lucio-cardoso

Adauto Lúcio Cardoso (Dez/1904 – Jul/1974)

Puta que pariu!!!!

Este estado moldado e imposto pelos gunvernos petistas, a República Federativa de Banânia, é uma vergonha, é uma indecência, é uma imoralidade.

É esta a merda de país que vamos deixar pros nossos descendentes???!!!

Da licença que eu vou ali pegar o pinico: a ânsia de vomitar me domina…

pinico21

19 setembro 2016 DEU NO JORNAL

TÁ CHEGANDO LÁ…

Um dia dia depois de ser condenado a 9 anos de 10 meses de prisão por Sérgio Moro, José Carlos Bumlai foi convocado pelo Ministério Público Federal para ser testemunha de acusação no caso do tríplex do Guarujá.

amigo-de-lula

Foram também chamados Fernando Schahin e Nestor Cerveró.

As três convocações indicam que o MPF quer vincular o caso do empréstimo de R$ 12 milhões feito por Bumlai ao Banco Schahin (e depois repassado ao PT) ao imbróglio do tríplex.

* * *

Tá chegando lá.

Conforme promessa feita pra sua plateia de Antas Amestradas, Lapa de Corrupto vai ter que andar muito a pé …

delegacia-longe

19 setembro 2016 DEU NO JORNAL

O PERSEGUIDO

Faveco Corrêa

Coitados de Jesus Cristo, Tiradentes e Getúlio Vargas, que foram menos perseguidos do que Lula está sendo. Um foi crucificado, o segundo enforcado e esquartejado e o outro se suicidou. É incrível a soberba deste elemento que ousa se comparar com enormes vultos desse quilate. Mas se a história se repete, e baseado nos exemplos que ele mesmo cita, ou ele vai gozar dos seus milhões no outro mundo se a impunidade prevalecer ou, enquanto ficar no mundo dos vivos, ele que é um dos maiores ”vivos” do Brasil, vai ter que curtir a sua grana atrás das grades.

Lula, que não tem foro privilegiado e que morria de medo de ter seus processos remetidos para Curitiba, não vai escapar do Sérgio Moro. O corajoso juiz sabe que a verdade estará do seu lado e que a opinião pública apoiará e aplaudirá a sua decisão redentora que será um marco na justiça brasileira. Moro certamente dará prosseguimento ao processo que condenará o nosso medalha de ouro no campeonato mundial da corrupção.

quarteto

Lula, um ser superior, acima de Jesus, de Tiradentes e de Getúlio Vargas

É uma ironia que um milionário como Lula seja denunciado por um “mísero” apartamento no Guarujá (mísero para ele, é claro) e pela guarda de seus bens pessoais na Granero. Nem mesmo o sítio de Atibaia está arrolado como prova nas 150 páginas da denúncia apresentada na quarta-feira. Por que será?

Mas não faz mal: quem rouba galinha ladrão é. Não existe meia virgindade. Para a justiça, não tem essa de grande ou pequeno ladrão, mas simplesmente ladrão. Se aquela senhora foi presa por roubar um pote de margarina no supermercado (lembram?), bem que o sapo barbudo pode ser preso pelo triplex e pela guarda dos seus bens pessoais, que são tantos que só uma empresa especializada poderia armazena-los, não é mesmo?

Ser preso por milhões ou por “pixulecos” dá na mesma: tá preso!

O que veio a público é só a ponta do iceberg. A Polícia Federal e os procuradores estão no encalço da fortuna a logo exibirão provas nacionais e internacionais do seu formidável enriquecimento ilícito. Do chefe da quadrilha, de membros da sua família e de amigos mais chegados, alguns deles já atrás das grades, tipo José Dirceu, o pecuarista Bumlai e João Vaccari Neto.

Nem mesmo os propalados 25 milhões de euros depositados pela famosa Rose em Portugal foram mencionados. E este foi um fato amplamente divulgado. Segundo consta, ela solicitou um carro forte para transportar a dinheirama do Aerolula para o Banco Espírito Santo. Não acredito que a Rose possa justificar esta fortuna como fruto do salário que recebia, por maior que tenha sido enquanto desfrutava da intimidade do rei.

E as fazendas no Sul do Pará, povoadas por milhares de cabeças de gado e devidamente registradas em nomes de laranjas como seu próprio filho Fábio? A rede Lulista tem mais frutas cítricas do que o Grupo Cutrale…

E as contas secretas nos países africanos amigos? Será que isso tem que ver com o recente perdão de 80% das dívidas de 709 milhões de dólares de Zâmbia, Tanzânia, Congo e Costa do Marfim conseguida por Gleise Hoffman na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado?

E o enrosco das milionárias palestras faturadas pela LILS contra as empreiteiras do petrolão?

É pura sacanagem.

Tem tanta coisa rolando por baixo da ponte que nossa vã filosofia não alcança, mas que a força tarefa da Lava Jato há de desvendar e desnudar a fim de desmascarar um dois maiores aproveitadores que a política nacional já revelou.

Coitado do Collor, que roubou menos e que pagou caro em 1992.

E do Eduardo Cunha, que perdeu a boca e está sendo processado pelo desvio de uma “mixaria” de cinco milhões de dólares oriundos do propinoduto petista e afins.

Coitados de tantos outros cidadãos menos votados que superpovoam as nossas penitenciárias. É bom não esquecer que apesar de superlotadas, elas sempre arrumam
lugar para mais um…

No seu espetáculo de quinta-feira a jararaca perseguida chorou.

Sem levar em conta que nós, seus mais de 200 milhões de conterrâneos, estamos chorando amargamente pelo legado que a cleptocracia dos últimos 14 anos nos deixou: desemprego em massa, inflação em alta, serviços públicos em frangalhos, estado falido, desconfiança generalizada, entre outras tantas desgraças que, apesar de não merecermos, estamos tendo que enfrentar.

Mas deixa estar jacaré – ou jararaca – que a lagoa há de secar.

Ainda vamos ver o perseguido ir a pé até a delegacia para ser preso, como ele próprio previu.

Neste dia, que não vai demorar muito, vamos acreditar que o Brasil ainda tem jeito.

19 setembro 2016 DEU NO JORNAL

PASSAGEM PARA CURITIBA

fernando-gabeira2

eduardo_cunha_rezando

Fui ver a queda de Eduardo Cunha em Brasília. Nunca vi ninguém tão solitário no momento da cassação. Falei com ele duas vezes. Na primeira, perguntei por que ficava de costas para os oradores. Disse que preferia vê-los no telão. Depois de seu discurso, perguntei pela conta na Suíça e disse que não a tinha. Segundo ele, há uma diferença entre trust e conta: o Supremo o absolveria. Ele sabe como eu que o problema não é conta ou trust mas o dinheiro escondido no exterior. No dia seguinte, a imprensa internacional o apelidou de Mr. Trust, mostrando como uma das formas de ocultação de riqueza ilícitas.

Pensei que pudesse me dedicar um pouco ao governo Temer. Fernando Henrique o chamou de pinguela, nome talvez desconhecido das novas gerações. Mas é um tronco ou tábua separando as margens do rio ou córrego. A ideia de uma pinguela é inquietante pela sua precariedade diante das tensões e conflitos de um país continental. As coisas seriam mais fáceis para o governo se não fosse um desastre em comunicação. A ideia de expansão da jornada de trabalho para 12 horas é um alimento para os demagogos. A impressão que deu foi a de que a jornada obrigatória passaria para 12 horas. Além de ser adversário de si próprio, o governo concilia com a oposição na medida em que não revela o que realmente aconteceu quando o PT dominava o governo. O que houve no BNDES, por exemplo? Por que até agora não se conhece o que aconteceu nas transações do banco?

No meio da semana, a Lava-Jato apresentou sua denúncia contra Lula. Mostrou que era o comandante do Petrolão e se fixou no tríplex do Guarujá. Mostrou pagamento do depósito da mudança de Lula. Logo em seguida, vi uma entrevista da defesa. A rigor não havia contradição de fundo entre o defensor e os acusadores de Lula. Eles dizem que o ex-presidente era o dono oculto do tríplex. A defesa diz que os documentos mostram que Lula não é o dono do tríplex. Se os documentos legais indicassem Lula como o dono, para que então mobilizar uma força-tarefa de 300 homens e mulheres para investigar as relações Lula-OAS? Nesse caso sim, estariam malbaratando dinheiro público.

Lula foi apontado como comandante do Petrolão e de todo o sistema de propinocracia que dominou o país ao longo dos 13 anos. Na ausência de uma autocrítica, prevalece a tática da negação. Será uma longa jornada que, no meu entender, trará repercussões mais desastrosas ainda para o partido e seus apoiadores na esquerda. Mas as atribulações da esquerda não significam que pinguela se sustente sozinha até a margem de 2018. O governo terá de fazer sua parte. Não se trata apenas de aprovar projetos no Congresso. É preciso parar de dizer bobagens. Alguém deve lembrar aos ministros que as câmeras são sedutoras mas sempre encerram um perigo.

As confissões de bastidores, então, são terríveis. Estão sempre preocupados com as manifestações. Será que esperavam mesmo que a travessia da pinguela se faria sem gente pulando em protesto? Todos estamos vivendo momentos de imprevisão. Mas há coisas que uma análise racional pode prever. A queda de Eduardo Cunha, por exemplo, era líquida e certa. Voto aberto, proximidade de eleições, até os mais próximos se afastaram no momento final. Também era previsível que o papel de Lula fosse dissecado nessa fase pós-Dilma. Quase tudo que se apresentou ali já era conhecido, sobretudo de quem leu os jornais. Mas agora aparece de uma forma mais oficial. O desdobramento da Lava-Jato deverá ser o instrumento mais poderoso na revelação do subterrâneo político brasileiro.

O governo não faz sua parte na divulgação da história recente do Brasil talvez porque não compreenda a importância da tarefa. Ou talvez demore com os dados porque foi coadjuvante da trama e precisa selecioná-los. Quem dará o balanço do que se passou nos bancos oficiais, na política externa? Os historiadores? A versão do governo, certamente, não seria tida como verdade absoluta. Mas é muito raro nessa movimentada pinguela que a voz dos condutores não seja ouvida, ou pior ainda, só sejam ouvidos os ruídos que saem aos borbotões, desde o episódio da prisão de suspeitos de terrorismo, passando por declarações machistas e culminando na famosa jornada de 12 horas.

Desse jeito, é melhor abrir cursos de natação pois a pinguela pode ser levada pelas águas. Por ser estreita e precária, exige uma capacidade política muito maior do que simplesmente trânsito parlamentar. De resto, a conclusão que tiro para os personagens da semana é a mesma que expressei na segunda-feira, no momento da cassação de Cunha. A má notícia para ele é cair nas mãos do Sérgio Moro. A boa é que o inverno está acabando, e as temperaturas em Curitiba costumam ser mais amenas na primavera.

19 setembro 2016 DEU NO JORNAL

RASTROS DO CRIME

mary-zaidan

Corruptores e corruptos não registram seus negócios em cartório, não emitem recibos. Tentam não deixar vestígios. Buscam o crime perfeito. Mas quando as investigações de delitos se aproximam dos que se consideram incomuns e, portanto, autorizados a surfar acima da lei, não raro eles tropeçam em suas próprias pegadas. Tornam-se vítimas de seu auto-endeusamento.

Foi assim com Fernando Collor de Mello, cassado em 1992, com José Dirceu, o “chefe da quadrilha”, e com os demais da trupe do Mensalão. Tem sido assim com os acusados e condenados no âmbito da Lava-Jato. É assim com ex-presidente Lula.

Denunciado por corrupção ativa e passiva, tendo como objetos o tríplex do Guarujá e a guarda de bens paga pela empreiteira OAS, Lula foi apontado como “comandante máximo da organização criminosa” pelos promotores da Lava-Jato. Isso exposto em uma peça de 149 páginas que detalha os meandros – conhecidos, mas ainda assim chocantes – da institucionalização da corrupção sob a batuta de Lula.petrobas01

Lula, é claro, reagiu. Trocou a verve e a indignação de “jararaca” pelo tom emocional e o choro, mais apropriados para o papel de vítima. Mas, como não rebateu as acusações e muito menos se dispôs a responder perguntas de jornalistas, não conseguiu remover nem uma lasquinha da lama agarrada a seus pés.

Insistiu que não há provas contra ele e que o tríplex do Guarujá não é de sua propriedade.

Nada falou sobre a milionária troca de favores entre ele e empreiteiros, sobre a compra de partidos políticos com percentuais afanados nas operações da Petrobras, sobre o suborno de políticos no Congresso Nacional, sobre o financiamento de campanhas do PT e de partidos aliados. Nada.

Não tinha mesmo o que dizer diante do exposto pelos procuradores da força-tarefa na contextualização da denúncia. Argumentar que não sabia? Que as dezenas de depoimentos e delações de pessoas diferentes sobre os mesmos fatos não passam de coincidência?

A saída, jurídica e política, é dizer sempre que tudo – dos bilhões roubados aos pequenos favores – faz parte de uma grande conspiração contra o metalúrgico que veio da pobreza, penalizado pela “elite conservadora” por sua obra no combate à miséria.

Lula trata os procuradores da Lava-Jato de “meninos”, não de forma agressiva como a deposta Dilma Rousseff chamava os desafetos de querido ou querida, mas como quem, piedoso, diz que eles não sabem o que fazem.

Uma santa Madre Teresa que se considera um Tiradentes esquartejado em praça pública. Um JK perseguido por Amaral Neto, um Jesus Cristo. Coisa para ocupar juntas de psiquiatras, animar mestrados e doutoramentos.

O Fiat Elba prata, placa FA 1208, estopim do impeachment de Collor, enrolado com milhões da Operação Uruguai, não estava no nome dele. O apartamento 164-A do Condomínio Solaris, na Avenida Gal. Monteiro de Barros, 638, Guarujá, SP, também não está no nome de Lula.

O carro de Collor apareceu como sendo de Roseane, primeira-dama à época. O tríplex já foi, não foi, foi de novo e não foi mais uma vez da mulher de Lula, Marisa Letícia. Depois, voltou a ser da OAS, única unidade que a empreiteira não colocou à venda mesmo após uma reforma de luxo, com cozinha similar à do sítio de Atibaia (provável alvo de outra denúncia), que só tem pertences de Lula e Marisa, mas que o ex garante que não é seu.

Sem registro em cartório e recibo, a corrupção vem à tona no detalhe. Na troca de favores de pequena monta, naquele mimo para agradar o chefe ou, melhor ainda, a mulher dele. Seja na aquisição de um carro zero, na reforma de apartamento, na compra de cozinhas modulares e até mesmo de pedalinhos baratinhos.

Trocados perto dos bilhões afanados. Mas é exatamente aqui, na satisfação de pequenos luxos, que os que se consideram intocáveis se esborracham. O Lula que agora chora sabe bem disso.

19 setembro 2016 DEU NO JORNAL

À BEIRA DO PRECIPÍCIO

Ricardo Noblat

Exagero se disser que o mundo quase desabou sobre a minha cabeça quando escrevi em 2005, tão logo José Dirceu foi apontado como chefe do esquema do mensalão, que a denúncia contra ele carecia de provas convincentes.

Apanhei feio dos leitores do meu blog. Amparava-me na opinião de meia dúzia de juristas que consultara – um deles o atual ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal.

Dirceu foi condenado como mensaleiro, mas absolvido da acusação de chefiar o esquema que subornou deputados para que votassem como o governo mandava. Passou quase um ano preso na penitenciária da Papuda, em Brasília.precipicio

Foi preso novamente e condenado pelo juiz Sérgio Moro a 23 anos de cadeia por beneficiar-se do dinheiro desviado da Petrobras que enriqueceu empreiteiros e políticos.

Um ano antes, ele havia profetizado em conversa com amigos: “De que serve toda a covardia que o Lula e a Dilma fizeram na ação penal 470 [a do mensalão] e estão repetindo na Lava Jato? Agora estamos no mesmo saco, eu, o Lula, a Dilma”.

Embora não cogite delatar, Dirceu valeu-se de recados nos últimos 11 anos para dizer que se o mensalão e o petrolão tiveram um chefe, não foi ele.

Ao jornal O Estado de São Paulo, afirmou: “Nunca fiz nada que Lula não soubesse”. Ouvi dele antes do julgamento do mensalão: “Lula se disse traído, mas traído por quem? Por mim? Por Delúbio Soares [ex-tesoureiro do PT]? Todo mundo sabe que Delúbio sempre foi muito mais ligado a Lula do que a mim. É homem dele, não meu”. Delúbio foi condenado a oito anos e 11 meses de prisão.

Mal Lula se elegeu presidente pela primeira vez, batizou Dirceu de “capitão do time” que montara para governar.

Mal o deputado Roberto Jefferson detonou o escândalo do mensalão poupando ele, mas acusando Dirceu, Lula tratou de livrar-se do “capitão”.

Despejou-o do governo. Quis convencê-lo a não assumir o mandato de deputado federal. Dirceu assumiu e foi cassado.

Lula é um político conservador, sempre foi. Mas seria o único meio que as esquerdas tinham de chegar ao poder ou de se aproximar dele. Acabou decepcionando a todos”, revelou-me Dirceu. “Ele deveria ter defendido o governo dele dizendo que o governo não era corrupto. Errou ao falar de traição. (…) É um indeciso. Não comanda, é levado. Só decide sob pressão”.

Nem sempre é mal só decidir sob pressão. Atribui-se ao ex-presidente José Sarney uma frase que ele não disse: “Cinquenta por cento dos problemas não têm solução. E os outros cinquenta por cento se resolvem sozinho”.

Sob pressão ou não, o mal está em decidir errado. Lula decidiu certo ao entregar a cabeça de Dirceu para salvar a sua. Reelegeu-se, elegeu Dilma e reelegeu-a.

Decidiu errado ao imaginar que só haveria um meio de manter o poder: deixando que roubassem e usufruindo do roubo. Seus comparsas reagiram com fúria aos procuradores da Lava-Jato que o nomearam “o presidente máximo, o general, o comandante” da organização criminosa responsável pelo mensalão e pelo petrolão, que não passaram de uma coisa só.

Parecem esquecer que algo do mesmo tipo já fora dito por Rodrigo Janot, Procurador-Geral da República, em denúncia contra Lula e Dilma por obstrução da Justiça encaminhada ao Supremo Tribunal Federal em maio último.

Janot afirma que Lula teve ‘papel central’ na trama para tentar barrar a Lava Jato. Se não fosse culpado, por que procederia assim?

19 setembro 2016 DEU NO JORNAL

ESCLARECIMENTO

A corrupção é como uma droga que produz “dependência” e gera “pobreza, exploração, sofrimento“, afirmou neste domingo (18) o papa Francisco diante de milhares de fiéis reunidos na praça de São Pedro no Vaticano.

As pessoas se comportam com a corrupção como com as drogas: pensam que podem usá-las e deixá-las quando quiserem“, disse o pontífice durante o Ângelus.

Começam com pouco: uma pequena soma aqui, um suborno lá… e entre esta e aquela, lentamente perdem a liberdade“, advertiu, acrescentando que também produz dependência e gera pobreza, exploração, sofrimento“.

* * *

Não custa nada alertar: não há qualquer indício de que Chiquinho, neste pronunciamento que fez no dia de ontem, estava se referindo a Lula e ao Brasil.

O JBF apurou que Sua Santidade ficou perplexo ao ouvir Lula dizer que pulítico ladrão é honesto e funcionário concursado é safado.

Mesmo assim, repito, Chiquinho não estava se referindo a Lapa de Canalha quando fez este pronunciamento de ontem.

18 setembro 2016 DEU NO JORNAL

A VEZ DE DELTAN DALLGANOL

Flávio Gordon

Agora é a vez de Deltan Dallagnol.

Todos os que ousaram enfrentar o poder do intelectual coletivo sofreram com o seu imenso maquinário de destruição de reputações. Décadas antes de chegar ao poder, o PT e sua rede ocuparam os aparelhos privados de hegemonia – as igrejas, as redações, as universidades, as editoras, os estúdios etc. Essa ralé de serviçais está toda mobilizada, para patrulhar o colega, para espalhar uma mentira, para seduzir o idiota útil. Todos os meios da guerra cultural estão sendo acionados ao mesmo tempo, numa tentativa desesperada de inverter o jogo e difamar profissionais honestos e competentes em defesa do maior criminoso que este país já viu.deltan-martinazzo-procurador

Dallagnol passou por concurso para o MPF aos 23 anos de idade, tornando-se um dos mais novos procuradores do país. Fez mestrado em Harvard, uma das maiores universidades do mundo. Ele é o anti-Lula. Ele é o anti-malandro.

Perfeccionista, sério e dedicado, Dellagnol trabalha há dois anos na Lava-Jato junto a uma equipe competente, tendo produzido uma cabedal de provas materiais e depoimentos. Ontem, depois de produzir uma denúncia de 150 páginas, com mais centenas de provas anexadas, fez uma coletiva explicando à sociedade a magnitude de um caso excepcional, que chamou de PROPINOCRACIA. Sim, o ídolo dos intelectuais e artistas, o homem que governou efetivamente o país por 12 anos era o chefe de um gigantesco esquema de governo tirânico mantido por meio de propina.

Recuso-me agora, num momento crítico como este, a escarafunchar minúcias para criticar os procuradores; recuso-me terminantemente a ser pautado pela imoral matilha pró-PT. Que vão todos para o inferno! A jararaca pica mais fundo quando na hora derradeira.

Infelizmente, o Brasil é um país que foi de-sensibilizado por sua elite artística e intelectual para o drama moral da existência. Alguns intelectuais têm escrito sobre isso – incluindo, recentemente, Martim Vasques da Cunha – e não vou me alongar sobre o tema.

Acontece que, desde sempre, e com raras exceções, nossos literatos, artistas e dramaturgos descuidaram do problema do Bem e do Mal. Não temos clareza sobre isso. Nunca tivemos um Dante, um Shakespeare, um Dostoiévski, um Bernanos… Nossa elite cultural secularista sempre enfatizou a mistura, a confusão, a “complexidade”, o lusco-fusco. A percepção de uma diferença nítida entre Bem e Mal foi desacreditada, posta sob suspeita e tida por um arcaísmo medieval. Com isso, fizeram-nos ver o “lado humano” de criminosos e psicopatas, ao mesmo tempo que nos induziam a desconfiar da santidade, do heroísmo, da bondade genuína e discreta. “Ninguém é tão bom assim. Tem alguma coisa aí. Esse sujeito deve dormir com a cunhada” – ensinam-nos nossas letras e artes.

É nesse estado de lusco-fusco, onde todos os gatos são pardos, que investe a camarilha petista e seu exército de propagadores da confusão. Descuidamos de Mateus 5: 37 – “Seja, porém, o vosso falar: Sim, sim; Não, não; porque o que passa disto é de procedência maligna” – e aceitamos a língua dupla da malandragem disfarçada de “complexidade do real”. E, agora, quando as forças do Bem e do Mal se confrontam de maneira raramente tão nítida na história deste país, muitos quedam-se confusos, incertos, sem confiança.

A sorte é que o grosso da população brasileira ainda é relativamente imune ao canto de sereia de sua elite cultural. Lá no fundo, ainda que de maneira intuitiva, o povo mantém o seu discernimento moral, de raiz religiosa e tradicional. E é por isso que Deltan Dellagnol pode ter a certeza absoluta de que a imensa maioria do povo brasileiro sabe o que se passa e deseja ver o bandido-chefe na cadeia. A classe falante, embora domine os meios de vociferar a sua ideologia porca e repetir as suas velhas mentiras, é amplamente minoritária e está apartada do povo brasileiro por uma distância existencial astronômica. Eles só falam para si mesmos, e só conseguem intimidar os covardões e os borra-botas.

Os times estão em campo. A diferença entre os uniformes é nítida. Não há o que hesitar neste momento. A perplexidade é um pecado. Façam a coisa certa!

18 setembro 2016 DEU NO JORNAL

ATÉ CUNHÃO MAMOU NELA

A Receita Federal vai cobrar mais de R$ 10 bilhões dos investigados na Operação Lava Jato – força-tarefa do Ministério Público Federal, Polícia Federal e da própria Receita que apura esquema de cartel e corrupção na Petrobrás.

A investida dos agentes federais de Curitiba levou o órgão a estimar o montante sonegado em tributos da União e fraudes fiscais.

A maior parte desse valor refere-se a impostos não recolhidos, entre 2010 e 2014, por 28 empreiteiras acusadas de corrupção, acrescidos de juros e multas.

* * *

Não custa nada lembrar:

A tal Petrobras a que se refere esta notícia aí de cima, é aquela estatal que estava sendo administrada pela cumpanherada do PT.

E na qual ainda tem muito aparelhador vermêio-istrelado mamando nos fartos peitinhos.

ptbr

Aquela empresa onde até Eduardo Cunhão se locupletou!!!

Arre égua!!!


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa