20 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

MIJOU FORA DO PINICO

Muito lixo espalhado pelas ruas, confusão em acessos ao metrô, falta de orientação para motoristas que ficaram presos no trânsito e mudança de última hora sobre locais de dispersão dos blocos foram alguns dos problemas do fim de semana de pré-Carnaval na capital paulista, principalmente na zona oeste.

Na manhã deste domingo(19), o prefeito João Doria admitiu que houve falhas na organização dos eventos de sábado (18).

Corrigir o que falhamos ontem para fazer melhor hoje“, afirmou ele, que recebeu gritos de apoio de quem passava pelo local.

* * *

Este cabra mijou fora do pinico e obrou bem longe do vaso.

Adminitrador público nesta nossa querida Banânia não pode, de modo algum, assumir que houve qualquer falha em sua administração.

Tem que garantir que está tudo bem, tudo ótimo e tudo certo.

Em último caso – quando não tiver saída pra negar o mal feito -, tem que botar a culpa em outra pessoa.

Essa de afirmar que vai “corrigir o que falhamos” num tá certo de modo algum!!!

É por conta disto que as empresas dele estão falidas e são um verdadeiro lixo.

O prefeito empresário-lixeiro

19 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

LULA, O FAVORITO

Ruy Fabiano

Há um intrigante paradoxo em torno da figura de Lula: não viaja em avião de carreira, evita locais públicos e só fala em ambientes restritos à sua militância para evitar a hostilidade pública, de que tem sido alvo desde que exposto pela Lava Jato.

Não obstante, pesquisas eleitorais, como a mais recente, da CNT, o apontam como favorito à presidência da República. Venceria todos os presidenciáveis até aqui conhecidos, de Aécio Neves a Bolsonaro, passando por Marina Silva, Serra, Ciro Gomes e Alckmin.

Ora, alguém que ostenta tal favoritismo deveria, bem ao contrário, enfrentar de peito aberto ruas, aeroportos, restaurantes, estádios de futebol (aos quais Lula, ardoroso torcedor, não comparece desde antes da Copa do Mundo), pois, no mínimo, teria a seu favor a maioria dos circunstantes.

O que se depreende disso? Ou essa maioria mora em outro país (ou planeta) ou simplesmente é fictícia. Mesmo no Nordeste, onde se concentrou, nos idos tempos, o grosso do seu eleitorado, o quadro mudou. Há um vídeo no Youtube que registra uma chegada de Lula ao aeroporto de Fortaleza, pontuada por vaias e palavrões.

Ele próprio havia prometido viajar por todo o país denunciando o “golpe” do impeachment e, ao que parece, mudou de ideia. As poucas viagens que fez foram nos termos acima mencionados: em jatinho particular, com aparições restritas a uma plateia amestrada.

Estranho favoritismo. Há quatro meses, seu partido foi fragorosamente derrotado nas eleições municipais em todo o país. Venceu apenas numa capital, Rio Branco, cujo estado é governado há duas décadas por uma mesma dinastia, a dos irmãos Viana.

Perdeu em toda parte, inclusive no berço petista do ABC paulista. Em São Bernardo, cidade onde mora há décadas – e onde iniciou sua carreira de líder sindical -, não conseguiu emplacar nem sequer um enteado para o modesto cargo de vereador.

O PT definha e vê na ressurreição do mito Lula sua última cartada. Perdido por um, perdido por mil. Prestes a prestar contas à Justiça, réu em cinco processos e sem o guarda-chuva do foro privilegiado, Lula pôs em cena a figura do perseguido político.

Prepara emocionalmente a militância – reduzida, mas ruidosa e violenta – para tornar sua iminente prisão um fator de turbulência pública. Tem a seu favor a simpatia (ou o receio) do próprio presidente Temer, a quem chama de golpista, mas não hesita em estender a mão e a apoiar nos embates dentro do Parlamento.

Em todos os seus pronunciamentos, faz-se de vítima, papel que não dispensava mesmo quando dava as cartas. Nenhuma chance é desperdiçada, nem mesmo, como se viu, o velório de sua esposa, transformado em palanque político. Para contrabalançar essa imagem de fragilidade, cuidadosamente construída, nada como ostentar pesquisas que o mostrem como amado pela população e perseguido pelas elites de sempre. A melhor defesa é o ataque.

A recente pesquisa da CNT – cujo presidente, Clésio Andrade, seu amigo, é investigado também pela Lava Jato – tem a vantagem, como as anteriores, de não precisar comprovar nada.

Não há eleições à vista, nem candidatos lançados, nem o tema está na pauta. O indicador mais recente são as eleições municipais de quatro meses atrás, cujo resultado não chancela o das pesquisas.

Mesmo assim, obtém repercussão na mídia, que a militância reverbera, nas redes sociais, na tentativa de mostrar que as denúncias – e a condição de réu em cinco processos – são inconsistentes, parte de um complô obscurantista para tirar de cena “o melhor presidente que o Brasil já teve”, nas modestas palavras do próprio Lula.

Enquanto isso, o escândalo Odebrecht, que tem o ex-presidente no centro da trama, começa a pipocar em diversos outros países da América Latina. Inclusive na sua Venezuela.

19 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

MANCHETE DO DOMINGO – SAÚDE NA UTI

Segundo a Agência Nacional de Saúde “A contratação de plano de saúde está diretamente relacionada à empregabilidade formal e ao poder de compra do cidadão. Em um cenário econômico adverso, é natural que haja redução no número de beneficiários”.

* * *

Ao falarmos em “cenário econômico adverso” – como está escrito nesta notícia aí de cima -, podemos deduzir de imediato que isto é culpa do golpista Michel Temer.

Uma culpa que o atual prisidente de Banânia divide com o neo-liberal FHC.

Esta crise horrível em que estamos metidos é por conta da herança maldita que o tucano deixou pro pmdebista. E que o pmdebista herdou como se fosse uma grande obra.

Lula, Dilma e o PT nada tem a ver com isto, conforme assegura o fubânico petita Ceguinho Teimoso.

Uma crise que faz muita gente morrer por não conseguir mais pagar um plano de saúde, é uma coisa tenebrosa.

A dupla que lascou a saúde pública, causou a crise em que vivemos hoje e destruiu aquilo que o fubânico petista Ceguinho Teimoso denomina de “grandes conquistas sociais de Lula”

19 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

MANCHETE DO DOMINGO – UFA!!! ATÉ QUE ENFIM!!! GLÓRIA, GLÓRIA, ALELUIA!!!

O senador Humberto Costa (PT-­PE) foi ministro da Saúde do governo Lula, esteve no olho do furacão durante a prisão de Delcídio do Amaral, o ex-petista preso tentando obstruir a Lava-Jato, e durante o traumático processo de impeachment da correligionária Dilma Rousseff.

Atuou na linha de frente para amparar o que restou do PT e era o líder do partido no Senado até duas semanas atrás.

É, portanto, um petista do núcleo duro da legenda – e, também, a primeira voz autorizada a dizer publicamente, como fez em entrevista a revista Veja, que chegou a hora de o PT admitir que se envolveu em corrupção, pedir desculpas à sociedade pelos erros que cometeu, abandonar o discurso de “denúncia do golpe” e apresentar propostas econômicas para tirar o país do atoleiro.

* * *

Ufa!

Até que enfim!!!

Vejam só o que Humberto Pato Rouco falou: “É hora do PT assumir a corrupção e abandonar o discurso de “denúncia de golpe“.

Repitamos, repitamos, repitamos:

É HORA DO PT ASSUMIR A CORRUPÇÃO E ABANDONAR O DISCURSO DE “DENÚNCIA DE GOLPE”.

Uma coisa que até os calangos do agreste pernambucano já estavam cansados de saber, bem como as pessoas que não sofrem das vistas, as que usam a razão e as que praticam o saudável esporte de raciocinar.

Agora, só falta mesmo este ilustre petralha convencer os fubânicos Regiopídio Lacerda, Cobra Choca e Ceguinho Teimoso, bem como convencer o que ainda resta da militância petêlha depois das últimas eleições municipais.

Este é um desafio que, desconfio, ele não vai conseguir vencer nunca.

Como estas declarações da Pato Rouco foram dadas à revista Veja – publicaçãozinha reacionária e fascista -, certamente Lula vai dar ordens pro curral de antas e jumentos da militância pra chamarem o senador Pato-Rouco de reacionário, golpista e direitista.

Saudemos! Cantemos! Exaltemos! Bendigamos! Glorifiquemos! Louvemos!

18 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

COMO SE CAIXA DOIS NÃO FOSSE CRIME

Ricardo Noblat

O Tarso Genro que depôs, ontem à tarde, à 13ª Vara Federal de Curitiba como testemunha de defesa do ex-presidente Lula não esteve à altura do ex-ministro da Justiça Tarso Genro que desde o escândalo do mensalão defende a necessidade de refundar o PT, livrando-o dos vícios adquiridos nos últimos 13 anos e das personalidades nefastas que o levaram a cometer tantos graves erros.

Para explicar o mensalão, Lula disse, em meados de 2005, que tudo não passara de caixa dois – a doação por empresas de dinheiro não declarado à Justiça Eleitoral. E que todos os partidos sempre se valeram de caixa dois para financiar suas campanhas. O que Tarso disse ontem para livrar Lula das acusações que o tornaram réu em cinco processos da Lava Jato? Ora… Simplesmente repetiu o discurso de Lula sobre o caixa dois.

Foi além. Segundo ele, a prática de esconder da Justiça doações de campanha não ocorria por intenção de partidos ou candidatos, mas sim por exigência das empresas doadoras que não queriam ter seus nomes vinculados às campanhas. (Coitadinhos dos partidos… Forçados a competir para continuar existindo, foram constrangidos pelas empresas a infringir a lei. Sem dinheiro não se disputa nem se ganha.)

Caixa dois sempre foi crime. Partidos e políticos fizeram de conta que se tratava de um crime menor, uma simples infração eleitoral, tolerável porque cometido universalmente. Em 2012, durante o julgamento do mensalão, a ministra Cármen Lúcia, atual presidente do Supremo Tribunal Federal, decretou: “Caixa dois é crime e agressão à sociedade. No estado de direito, o ilícito há de ser processado e, se comprovado, punido”.

É crime porque previsto em lei. É agressão porque caixa dois corrompe e subverte a livre manifestação da sociedade. Um candidato montado em muita grana leva vantagem sobre outro com menos grana. Dá-se o mesmo com os partidos. Os mais bem aquinhoados de dinheiro conquistam mais tempo de propaganda eleitoral no rádio e na televisão via compra de apoios de outras siglas, por exemplo.

Advogados de Lula perguntaram a Tarso se tinha conhecimento de algum ato do ex-presidente que justificasse a acusação do Ministério Público Federal de que ele construiu colchão de recursos ilícitos para abastecer campanhas. Tarso respondeu que nenhum candidato participa das articulações para o financiamento da campanha “até para não criar uma relação de compromisso com a empresa doadora”.

Menos, Tarso, menos. Em 2002, Lula testemunhou a compra pelo PT do apoio do então Partido Liberal (PL) à sua candidatura a presidente. Ele e o empresário mineiro José Alencar, que seria seu vice, se reuniram em um apartamento de Brasília com Valdemar Costa Neto, então presidente do PL. A certa altura do encontro, esperaram na varanda que José Dirceu fechasse o negócio trancado em um quarto com Costa Neto.

O negócio custou ao PT R$ 6 milhões – uma titica se comparado, hoje, com os negócios milionários e em dólares que desfalcaram os cofres das Petrobras. Lula insiste em dizer que desconhecia a corrupção na Petrobras. Bem, ele ainda teima em negar que o mensalão existiu.

Pelo jeito, Tarso nem reconhece o Mensalão nem acredita no Petrolão.

Tudo deve ter sido inventado para derrubar Lula e destruir o PT.

18 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

TUDO JUNTO E MISTURADO BANANICAMENTE

A campanha do senador Aécio Neves (PSDB-MG) pagou mais de R$ 360 mil ao escritório de advocacia de Alexandre de Moraes (recém-desfiliado do PSDB) durante a disputa pela Presidência da República de 2014.

Membro titular da Comissão de Constituição e Justiça do Senado, o tucano participará na terça-feira (21) da sessão de sabatina de Moraes, indicado para ser ministro do Supremo Tribunal Federal.

A Coligação Muda Brasil fez a transferência do valor de R$ 364.652, 98 para a empresa Alexandre de Moraes Sociedade de Advogados por serviços jurídicos, como mostram dados da prestação de contas disponíveis no Tribunal Superior Eleitoral.

* * *

Sem dúvida alguma, Temer indicou o homem certo para o lugar certo.

A careca de Cabeça-de-Pica vai brilhar com muita intensidade no órgão supremo da nossa justiça (?).

Com Alexandre de Moraes botando a bunda numa das 11 poltronas do plenário do STF, os guabirus assim feito Aécio poderão continuar respirando com alivio.

“Deixa cumigo que eu ajeito tudo, Mineirim”

Enquanto isto, a pobreza que Lula eliminou (segundo Ceguinho Teimoso) e que Temer trouxe de volta (segundo Adolfo Dido), continua ao léu, pegando chuva, sol e sereno

Como estamos em tempos de carnaval, vamos fechar esta postagem com uma marchinha de autoria da dupla Peterpan/Afonso Teixeira, intitulada Marcha do Caracol.

A interpretação é do grupo Quatro Ases e um Coringa.

17 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

MANCHETE DA SEXTA-FEIRA – IMPUNES

* * *

Como disse o colunista fubânico José Nêumanne Pinto – na postagem que está imediatamente abaixo desta -, ser julgado pelo STF é garantia de impunidade.

Lindbergh e Collor: dois guabirus amigos, dois tolôtes do mesmo pinico

17 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

CHEGOU AO ORIENTE

O herdeiro da Samsung, uma das maiores empresas de eletrônicos do mundo, foi preso na Coreia do Sul.

Ele foi detido por causa da participação em um grande escândalo de corrupção nacional, que levou até ao impeachment da presidente sul-coreana, Park Ún-Rê.

Os promotores acusam o grupo de pagar mais de US$ 37 milhões em propina para organizações não-governamentais ligadas a uma amiga da ex-presidente.

* * *

37 milhões de dólares pixulecados pra amiguinhos da ex-presidenta…

A parecença me lembrou uma certa republiqueta latrino americana.

Quer dizer, então, que a Lava Jato chegou à Coréia do Sul?

Que notícia boa.

Só não vai conseguir chegar nunca à pobre e fudida ditadura da Coréia do Norte cumunista.

Lee Jae-Yong, o cambalacheiro sul-coreano indo pro xilindró; o nome começa com “L” mas ele tem dez dedos nas mãos e ficou rico vendendo televisão

17 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

MANCHETE DA SEXTA-FEIRA – SAÚDE PRA DAR, VENDER E EXPORTAR

* * *

E isto foi só no mês de janeiro passado???!!!

Danô-se!

Com certeza, isto é culpa da herança maldita deixada por FHC.

Agora, aqui entre nós: perder plano de saúde é besteira.

O nosso sistema de saúde pública é tão bom que já foi até recomendado pra ser exportado.

E exportado pros Zistados Zunidos!!!

17 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

MANCHETE DA SEXTA-FEIRA – A QUEDA DO LUCRO DOS BANCOS E A BANCARROTA DO JBF

* * *

A queda do lucro dos bancos, em apenas 20%,  é besteira.

O prejuízo das Organizações Midiáticas Besta Fubana aumentou em 268% no ano passado.

E, neste ano de 2017 que está começando, as coisas pioraram mais ainda nas finanças desta gazeta escrota.

Isto tudo é culpa de FHC, que fudeu Banânia por inteiro.

Crise e inadimplência são legados que o tucano deixou pro PT.

E tem mais: também por culpa do sociólogo emplumado, o Itaú Unibanco passou a ser o maior banco banânico e deixou pra trás o nosso querido banco estatal, o Banco do Brasil, aquele que cobra os juros mais baixos do mundo.

A verdade nua e crua é que o JBF tá fudido…

17 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

FILHOS QUE SÃO O ORGULHO DOS PAIS

O Ministério Público especial anticorrupção do Panamá solicitou à Interpol a emissão de um alerta vermelho para detenção de Ricardo e Luis Enrique Martinelli Linares, filhos do ex-presidente Ricardo Martinelli (2009-2014)

Eles são acusados de cobrar propina da Odebrecht.

* * *

Primeiro foi o ex-prisidente do Peru, caçado por ter recebido milionário pixuleco da Odebrechet. Coisa pouca, quase nada: apenas 20 milhões. De dólares.

Agora, são os dois filhos do ex-prisidente do Panamá, caçados por conta também de propinas recebidas da Odebrecht

Este cabra, o corrupto panamenho Ricardo Martinelli, especialista em corrupção, doutor em ladroagem e doutorado em mamar dinheiro público, foi quem declarou, em maio de 2011, que “Lula deveria ser o presidente do mundo“.

A partir desta frase arretada, deduz-se que a ganância pra roubar é planetária.

Aliás, Martinelli fez esta declaração durante a inauguração de uma obra realizada pela Odebrecht lá no Panamá!

Um feliz, oportuna e justa coincidência!

Quem quiser ler a matéria, é só clicar aqui.

Depois destas duas caçadas Latrino Americanas – no Peru e no Panamá -, terá início, em breve futuro, a caçada ao ex-prisidente de Banânia e seus filhos. Que irão tomar nos respectivos furicos por conta também da Odebrecht.

Francamente, meu patriótico coração bate feliz dentro do peito ao constatar que uma empresa banânica compra e embolsa otoridades tanto nacionais quanto istranjeiras.

Agora, vamos aguardar o pronunciamento de Ceguinho Teimoso, bradando contra a injustiça da lei, a safadeza tucana, o golpismo direitista e a sacanagem dos coxinhas. E fazendo a veemente defesa de Lula e de Ricardo Martinelli e seus filhos.

“Num se ria não, cumpanhero Martinelli: nossos fio são jenio nus negoços, qui nem Ronardinho no futibó; e si eu fô prisidente do mundo, eles vão sê os mininos mais rico do praneta terra”

16 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

MANCHETE DA QUINTA-FEIRA – GUABIRUTAGEM FAMILIAR PMDEBAICA

A Polícia Federal deflagrou no início da manhã desta quinta-feira (16) uma operação, chamada de Leviatã, para cumprir mandados de busca e apreensão nas casas e escritórios de pessoas investigadas por propina na construção da usina hidrelétrica de Belo Monte, no Pará.

A Leviatã se baseia em provas coletadas na Operação Lava Jato.

Entre os alvos da operação estão o ex-senador pelo PMDB do Pará Luiz Otávio e o filho do senador Edison Lobão (PMDB-MA), Márcio Lobão.

As buscas estão relacionadas a um inquérito que corre no STF para investigar pagamento, por parte das empresas do consórcio de Belo Monte, de 1% dos valores das obras da usina ao PT e ao PMDB.

* * *

Conforme consta da notícia aí de cima, a Operação Leviatã surgiu depois de “provas coletadas na Lava Jato.

Vou repetir: PROVAS!

E depois ainda tem neguinho fela-da-puta que quer extinguir a operação Lava Jato…

É phoda!

Agora, voltando à notícia:

Esta parelha partidária citada no último parágrafo não se desgruda nem com a porra.

PT e PMDB estão sempre juntos na guabirutagem e na mamação dos recursos públicos.

Talvez seja por isso mesmo que Lobão não perde uma única eleição e que Lula esteja brilhando nas pesquisas fajutas: o eleitorado banânico adora ladrões.

Num é mesmo, Eduardo Cunha?

Esta manchete aí de cima refere-se a um dos ratinhos do papai Lobão.

Quem quiser saber mais sobre o outro rato familiar lobaico, releia uma postagem de agosto de 2013, que saiu aqui no JBF.

Uma postagem intitulada justamente de “Filho de Lobão, lobinho é…

Basta clicar aqui para ler.

15 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

MANCHETE DA QUARTA-FEIRA – VAI CONTINUAR OBRANDO DE COCA

* * *

Quer dizer, então, que ainda teve um, unzinho, que votou a favor de Cunhão???!!!

Pois é. Teve sim.

Foi Marco Aurélio Mello, aquele tabacudo que tem voz de pata choca.

Vamos ver como será o placar quando chegar a vez de Lula.

Nunca é demais relembrar que as propinas recebidas por Cunhão foram no tempo em que a Petrobras era administrada pelo PT.  

A aliança entre guabirus pmdebistas e guabirus petralhas era, e continua sendo, muito forte e “rentável”.

A parecença entre as duas organizações criminosas é fantástica.

E os componentes dos dois bandos, tem o mesmo nível ético, moral e político.

15 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

É TUDO DROGA DA MESMA SERINGA

Os Estados Unidos anunciaram a adoção de uma série de sanções financeiras contra o vice-presidente da Venezuela, Tareck El Aissami, acusado pelo país de ser traficante de drogas internacional. 

Segundo um comunicado divulgado pelo Tesouro Nacional americano, “as sanções são o resultado de vários anos de investigação que visam importantes traficantes de drogas nos EUA”. 

De acordo com o Tesouro americano, El Aissami “facilitou a distribuição de drogas na Venezuela, controlando os portos e a decolagem de aviões de uma base aérea do país.

O vice-presidente também recebeu propina para facilitar a entrega de carregamento de drogas do cartel liderado pelo venezuelano Walid Makled Garcia, afirmam os membros do órgão americano.

* * *

Maconha, cocaÍna e outras drogas: tem tudo a ver com a turminha das zisquerdas bolivarianas.

Se lembram da luta de FCH pra legalizar o fumacê?

Pois é.

Os zintelequituais canhotos adoram puxar um fumo.

No presente caso, mais que encher a caveira de fumaça e o juízo de merda, temos um vice-presidente de republiqueta zisquerdóide metido no tráfego internacional de drogas e recebendo milionário pixuleco de chefões do tráfego!

Cuida-se aqui do vice de Maduro, que é o sucessor do pajarito Chávez.

Tudo certo, tudo coerente, tudo vermeinho.

É mole ou quer mais?

Tareck e Maduro: os dois tolôtes zisquerdóides da Venezuela falida e fudida

15 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

DOIDO FURIOSO

Carta assinada por um grupo de profissionais de saúde mental, publicada nesta terça (14) pelo jornal “The New York Times”, alerta sobre uma preocupação com o comportamento exibido pelo presidente dos EUA, Donald Trump.

Segundo o texto, “a grave instabilidade emocional indicada pelo discurso e pelas ações do senhor Trump o tornam incapaz de servir de forma segura como presidente”. (clique aqui para ler)

Segundo os autores, a preocupação citada é atribuída a um texto de Charles M. Blow publicado pelo jornal no dia 9 de fevereiro (leia aqui, em inglês)

* * *

Oxente!

E precisa ser psiquiatra pra chegar a uma conclusão tão óbvia quanto esta???!!!

É cada uma que até parece duas.

O abestalhamento dílmico era motivo de gozação e chacota, no ocidente  e no oriente.

Já a psicopatia trumpíca é motivo de preocupação pro mundo inteiro.

É um perigo pro planeta Terra ter um doido furioso do porte de Trump com acesso ao botão que dispara a bomba atômica.

Evidentemente que a direita bolsonárica banânica – tão cega quanto as zisquerdas (vide Ceguinho Teimoso) -, não percebe este fato e aplaude delirantemente a eleição do enlouquecido bochecha rosada.

Num é só em Banânia que se elegem sujeitos que deveriam estar internados num hospital psiquiátrico: nos Zistados Zunidos também.

Fuck you, Mister JBF Editor!!!!!!!!!!

15 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

MANCHETE DA QUARTA-FEIRA – RECORDE BANÂNICO

* * *

Este número fantástico, 184 crimes por lavagem de dinheiro, é um recorde autenticamente banânico.

Atentem pro detalhe desta manchete aí de cima: por “mais” 184 crimes…

O número 184, no Jogo do Bicho, corresponde ao Touro, aquele bicho que tem um potente par de chifres.

Num sei não…

Isto quem pode explicar é Adriana Ancelmo, a corrupta que é esposa do corrupto e que, tal e qual o marido corrupto, também está no xilindró.

Agora, veja só:

Se você pegar 184 e dividir por 13, que é o número do PT, dá 14 como resultado e ainda sobre um resto de 2.

Ora, Caixa 2 é o que Delúbio Vermêio Soares chamava eufemisticamente de “recursos não contabilizados“.

Enfim, a contravenção se casa admiravelmente com a corrupção.

Nota: O contorcionismo esculhambatório do Editor ganhou do contorcionismo explicatório de Goiano que, nas últimas 24 horas, postou 10 comentários zisquerdais avermeiados, cada um mais fantástico que o outro. 

Segundo informantes do JBF – bem posicionados e residentes nas vizinhanças do triplex do Guarujá e do sítio de Atibaia -, este incrível número par, 184 crimes de lavagem de dinheiro cometidos por Sérgio Lalau Cabral, deixou Lula atormentado, se torcendo, se coçando e se mordendo de inveja.

Pra finalizar a postagem e começar bem o dia, vamos, mais uma vez (nunca é demais…) nos encantar com o magnífico espetáculo que é um corrupto fazendo campanha pra outro corrupto.

Tudo em casa, tudo em famiglia

Vocês ouviram direitinho, num é?

Pois é, é isto mesmo.

E vocês prestaram atenção na cara de Sérgio Ladrão Cabral enquanto Lapa de Corrupto caga oralmente, segurando na mão do comparsa?

Vamos repetir:

“Votar no Sérgio Cabral é quase uma obrigação moral, ética, política”.

Se considerarmos os padrões morais, éticos e políticos do PT e do seu proprietário, o falatório está certíssimo!!!

* * *

Atualização da postagem

Conforme bem lembrou o colunista fubânico Peninha, se somarmos os algarismos que compõem o número 184, teremos o seguinte resultado:

1 + 8 + 4 = 13

O número do PT! 

Vôte!

Sai-te!

Te dana!

14 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

POLICIAIS MILITARES ESTÃO VULNERÁVEIS À POLÍTICA EXTERNA

Quando os Estados Unidos preparavam seus agentes da CIA para desembarcar no Brasil, no período pré-ditadura, no início da década de 1960, visavam instrumentalizar a Polícia Militar contra os invasores comunistas. O governo norte-americano via neles seus inimigos externos, que ameaçavam ocupar a América do Sul depois da revolução cubana. É desse tempo o agente Dan Mitrione, que se instalou em Belo Horizonte como instrutor da tropa da PMMG. A ideia dos EUA era que a insurgência ao regime vigente do João Goulart florescesse dentro das corporações com a anuência dos governadores já comprometidos com o golpe militar. Portanto, é sabido, desde essa época, que os PMs são manipuláveis a qualquer ação política externa.

Os sinais de que havia um princípio de rebelião dentro dos quarteis chegaram, sim, à cúpula da segurança do Espirito Santo. Na sexta-feira e no sábado, que antecederam o movimento, as mulheres dos PMs procuraram o secretário de Segurança Pública, mas ele certamente não imaginou o alcance da desordem. As mulheres saíram de lá, para frustração de todas, sem um entendimento. Nesses dois dias, o governador Paulo Hartung hospitalizou-se para se submeter a uma cirurgia, daí a covardia dos militares ao promover a rebelião e o aquartelamento com o Chefe do Executivo ausente.

No início, a Segurança Pública Imaginou se tratar de um movimento inconsequente, fácil de ser contido, mas a insatisfação militar já havia sido detectada pelo serviço de inteligência, segundo entrevista de PH à Folha de S. Paulo. Ele não imaginava, portanto, que iria assistir na convalescença um motim de tamanha consequência no seu estado e uma nova modalidade de greve no país, onde as mulheres é que dão as cartas frente às baionetas. Elas deixam que seus maridos saiam de casa para trabalhar mas os impedem de cumprir as suas tarefas, deixando-os reféns dentro dos quarteis. E quem tinha a obrigação de desobstruir o caminho não podia fazê-lo porque estava aquartelado sob a mira delas. É uma situação sui-generis de um movimento que protege os PMs grevistas das penalidades previstas em lei.

É difícil não acreditar que por trás de tudo isso não existam as mãos manipuladoras de incentivadores do caos, invejosos da situação econômica e social do estado. Na crise nacional dos presídios no país, o Espirito Santo apareceu na mídia como exemplo de um dos estados mais avançados e modernos no tratamento de presos. É destaque pela austeridade de um governo que não desperdiça o dinheiro e mantém as contas organizadas e o salário do servidor rigorosamente em dia. Um coronel ganha em torno de R$ 18 mil e um solado até R$ 3.600,00, uma remuneração acima dos padrões da maioria dos outros estados. E o governador Paulo Hartung é referência de administração pública no país.

É curioso saber que o movimento explodiu quando o governador se recolheu em São Paulo para se submeter a uma cirurgia. Os grevistas – e os seus insufladores – tinham plena consciência das limitações do Secretário de Segurança Pública, um executivo leal, sério, mas sem a experiência política e da caserna, que preferiu, no primeiro momento, subestimar os intermediários dos PMs na negociação salarial.

O estranho, porém, é como, de uma hora para outra, surgiram tantos malfeitores no Estado? Mais de cem homicídios, saques ao comércio e assaltos e roubos de carros em pleno luz do dia que parecia uma ação orquestrada. De que forma agiram as guardas municipais, policiais treinados e armados para combater o crime na Região Metropolitana? O Fantástico mostrou que em Vila Velha a situação não foi extrema. A Guarda Municipal estava preparada e foi às ruas para combater a delinquência e socorrer a população que se sentiu mais segura. Os próprios guardas anunciavam em carros de sons pelas ruas que estavam circulando para proteger os moradores da cidade. Ali, os danos foram menores.

A insurgência mostrou ao país que o Espirito Santo tem um governo que sabe agir com energia e com rapidez quando se trata de garantir a segurança do seu povo. Mas pode errar se demitir centenas de policiais em retaliação à paralisação. Corre o risco de transformar esses homens em sofisticados criminosos fora da polícia. Existem, evidentemente, outras maneiras de puni-los pela omissão que provocou o vandalismo no estado.

14 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

CULPA DO EMPLUMADO

Estudo inédito do Banco Mundial aponta que o número de pessoas vivendo na pobreza no Brasil aumentará entre 2,5 milhões e 3,6 milhões até o fim deste ano.

Denominados de “novos pobres” pela instituição internacional, porque estavam acima da linha da pobreza em 2015 e já caíram ou cairão abaixo dela neste ano, eles são na maioria adultos jovens, de áreas urbanas, com escolaridade média e que foram expulsos do mercado de trabalho formal pelo desemprego.

* * *

Sem duvidamente, isto é culpa do gunverno FHC.

A herança maldita que o PT herdou do tucano, deu muito trabalho pra acabar com a pobreza e o desemprego.

Mas ele, o desemprego, foi extinto totalmente já no primeiro gunverno Lula, conforme garante o fubânico Ceguinho Teimoso.

Os desempregados e coçadores de saco serão, no mínimo, 2,5 milhões até o final do ano, podendo chegar a 3,6 milhões.

É gente lascada que só a porra!

14 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

PREPARA-SE O FIM DA LAVA JATO

Ricardo Noblat

Que não se diga depois que os coveiros da Lava Jato atuaram em segredo para enterrá-la sem que houvesse a mínima chance de impedi-los.

O segredo acabou em maio último quando foram reveladas gravações de conversas do empresário Sérgio Machado com os senadores Romero Jucá e Renan Calheiros, e o ex-presidente José Sarney.

Desde então avançaram as providências para que a Lava Jato seja velada em breve.

Na semana passada, o ministro Edson Fachin, novo relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), acolheu denúncia da Procuradoria-Geral da República e abriu inquérito para investigar Machado, Jucá, Renan e Sarney por tentativa de obstrução da Justiça.

Numa das conversas, Jucá diz que é necessário “estancar a sangria” da Lava-Jato, do contrário não restará vivo um só dos atuais políticos.

Noutra, Renan fala em restringir as delações, base das acusações mais explosivas contra ele e outros investigados.

Com Sarney, Machado discute a derrubada da então presidente Dilma Rousseff e se queixa da falta de acesso ao ministro Teori Zavascki, na época, relator da Lava Jato. Sarney aconselha Machado a procurar um advogado amigo de Teori, o único com livre acesso a ele.

“Prende, mas não esculacha”, pediu Elias Maluco, traficante de drogas e um dos assassinos do jornalista Tim Lopes, ao se render à polícia em setembro de 2002, no Rio.

Ao capitão Nascimento, do filme “Tropa de Elite”, o traficante de nome Baiano, depois de preso e espancado, suplica antes de ser morto com um tiro à queima roupa: “Na cara não, chefe, para não estragar o velório”.

A Lava Jato corre o risco de ser esculachada e de levar um ou mais tiros na cara à luz do dia sem que se manifestem em seu apoio, salvo nas redes sociais, os que celebraram radiantes nas ruas a derrocada de Dilma e do PT.

Dilma caiu porque desrespeitou a Constituição ao maquiar as contas do governo e gastar além do que estava autorizada. Mas caiu também pelo “conjunto da obra”.

Ela empurrou o país para o buraco da mais grave recessão econômica de sua história. E para se eleger e se reeleger, beneficiou-se do mais gigantesco esquema de corrupção que jamais existira, responsável também pela degradação da Petrobras, e que garfou até mesmo uma fatia do salário de servidores públicos pendurados em empréstimos consignados.

Tal esquema foi desmontado em parte pela Lava Jato. Os que o usufruíam, em sua maioria continua impune. No máximo, responde a inquéritos e processos.

Essa gente, com assento privilegiado em todos os escalões da República, conspira e age sem pudor para limitar, deter ou se possível sepultar a mais bem-sucedida operação de combate à corrupção que já vimos por aqui.

O STF dará a palavra final sobre o destino das mais altas autoridades suspeitas de corrupção? Indica-se para a vaga de Teori o ministro que assumirá o papel de revisor dos feitos da Lava Jato.

Quem será o ministro? Alguém da inteira confiança dos que mais tarde serão julgados por ele. Quem aprovará seu nome no Senado? Ora, os felizes apoiadores de sua indicação.

O que fazer para aplacar a fúria investigatória da República de Curitiba? Transfere-se para outros lugares quem servia, ali, à Polícia Federal. E o que mais? Vota-se no Congresso a lei de anistia do caixa dois.

Por fim, o Congresso acaba com a delação premiada para quem estiver preso. Só valerá para quem estiver solto.

Duvidam? Pois mexam-se!

13 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

MANCHETE DA SEGUNDA-FEIRA – A DESCULPA É A MESMAS EM TODAS AS REPÚBLICAS BANANEIRAS

O ex-presidente peruano Alejandro Toledo, que governou o país entre 2001 e 2006 e teve prisão decretada na quinta-feira (9) por ter recebido US$ 20 milhões em propina para favorecer a Odebrecht, afirmou neste domingo (12) que não é um fugitivo da Justiça e reivindicou a presunção de inocência.

Em comunicado oficial divulgado em sua conta pessoal no Twitter, Toledo afirmou que não havia acusações contra ele na Justiça peruana quando saiu do país e disse que vai defender seu nome com a condição de que não o “prejulguem” culpado.

* * *

O Corruptor Passivo, a Odebrecht, é o mesmo nosso.

A acusação é semelhante à acusação de Banânia.

É bem provável que Alejandro Toledo também tenha ganho um triplex, um sítio e um terreno pra construir um instituto com o nome dele.

Esta nossa América Latrina é phoda!!!

Ganha um doce o leitor do JBF que adivinhar com quem foi que Toledo Cara-de-Pau aprendeu a dar este tipo de explicação esfarrapada.

O fato é que os dois estão soltos.

Um foragido nos Zistados Zunidos e o outro homiziado no triplex do Guarujá.

Tolôte e Toledo, uma autêntica dupla guabirutal latrino-americana

13 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

ESSE JOGO NÃO PODE SER 1X1

No primeiro ano como presidente, Dilma demitiu sete ministros por envolvimento em escândalos.

O presidente Michel Temer completa um ano em maio e já demitiu quatro pelos mesmos motivos.

* * *

O jogo está com o placar de 7×4.

Por enquanto.

Daqui uns dias chega ao empate.

A vitória de Temer virá no final.

* * *

12 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

SUSPEITA E CULPA

Todos os suspeitos têm de ser investigados, mas nem todo inquérito transforma o investigado em réu. Essa sequência, embora simples, tem sido perigosamente confundida, seja por aflição, ignorância ou má-fé.

Políticos acusados usam a posição de investigados para se eximir de qualquer culpa. Promotores e desafetos dos políticos sob suspeição utilizam o mesmo princípio para condená-los. Partidários de um lado e de outro neste país dividido fazem igual.

No meio dessa balbúrdia, o distinto público não quer nem mesmo olhar para o cesto, quanto mais enxergar as poucas maçãs que não estão podres ou severamente bichadas.

Animado pelo sucesso da Lava-Jato, que tem conseguido investigar, condenar e prender poderosos, o país assiste a uma histeria por punições, com ou sem culpa provada. No tribunal popular condena-se o suspeito citado em uma delação antes do início das investigações, e, portanto, antes mesmo de o delatado virar réu.

Na primeira instância, os processos correm com celeridade. E não só na Curitiba de Sérgio Moro, mas também no Rio de Janeiro, São Paulo e Distrito Federal. No STF, o ritmo se difere. Nem sempre, como apressados se arvoram a dizer, por culpa do Supremo, mas do próprio ritmo das investigações.

Os procedimentos, em qualquer instância, têm um extenso caminho após as investigações policiais. No caso dos políticos com mandato, que têm privilégio de foro, o Ministério Público Federal formula a denúncia e o STF autoriza, ou não, a investigação. Só aí o processo começa a ser montado, mas ainda sem que o suspeito seja considerado réu. Se existirem provas suficientes contra aquele denunciado, o MPF envia a peça novamente ao Supremo para que o investigado seja indiciado.

Foi o que aconteceu com Renan Calheiros (PMDB-AL) e Gleisi Hoffmann (PT-PR), que, de investigados, tornaram-se réus em ações no STF. Com Humberto Costa (PT-PE) deu-se o contrário. Investigado, ele foi inocentado por falta de provas.

Ainda que dezenas de indícios apontem culpas de outros senadores – alguns aparentemente mais do que enrolados em práticas ilícitas –, Renan e Gleisi são os únicos réus de fato com assento, e na suplência, na nova composição da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

Quer o público goste ou não, os demais integrantes da CCJ fervem em outro caldeirão, ainda que malcheiroso. Por mais que se suspeite que não sejam santos, não se pode condená-los por ditos de um ou outro delator, indícios, antipatias.

O presidente da Comissão, Edison Lobão (PMDB-MA), Jader Barbalho (PMDB-PA), Lindbergh Farias (PT-RJ) e Romero Jucá (PMDB-RR) estão entre os investigados; Benedito Lira (PP-AL) e Fernando Collor (PTC-AL) foram denunciados. Podem causar arrepios, mas ainda não são réus.

Eduardo Braga (PMDB-AM), relator da indicação de Alexandre Moraes para o Supremo, e Aécio Neves (PSDB-MG) foram citados em delações, mas nem mesmo tiveram pedidos de inquérito protocolados no STF. Antonio Anastasia (PSDB-MG), vice-presidente da CCJ, foi investigado e teve seu processo arquivado, não chegando a ser denunciado. Outros 17 membros titulares da CCJ não constam de investigações.

Quase 200 dos 513 deputados federais e 32 dos 81 senadores são alvos de investigações. É muito, demais. Vários dos inquéritos abertos se perderam pelo prazo, contam-se nos dedos os que foram concluídos e que tiveram réus condenados.

Um defeito escancarado do sistema de privilégio legal.

Sem foro especial, não haveria Dilma Rousseff tentando aliviar o dorso de Lula da Silva nem Michel Temer nomeando Moreira Franco. Dois casos deploráveis, ainda que em situações diferentes, de ministros de ocasião ungidos para colher regalias que os demais brasileiros não têm.

Todos os suspeitos têm de ser investigados, mas nem todo inquérito transforma o investigado em réu. E assim como ninguém deveria ser condenado a priori, é inadmissível a existência de réu de luxo.

12 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

O REBOLADO DA PATRULHA

Guilherme Fiuza

Depois dos aplausos a Lula em São Bernardo, vaias a Sérgio Moro em Nova York. Notícia hoje em dia é a que tem mais gente espalhando nas redes antissociais. Se você for muito curioso e obstinado, até descobre o que aconteceu de fato. Nas duas situações acima foi o seguinte: durante o velório de dona Marisa, Lula disse que não tem medo de ser preso e foi ovacionado por sua claque; em palestra na Universidade Columbia, meia dúzia de militantes tentou impedir a fala de Moro e foi vaiada pela plateia. A repercussão do protesto ganhou o mundo (da Lua). A realidade tem mania de atrapalhar a narrativa coitada.

Ninguém duvida do destemor de Lula. Quem não teme transformar o velório da esposa em comício não teme nada. E a claque foi junto. Um daqueles teólogos de passeata chegou a declarar que Moro devia pedir perdão a Deus pela morte de Marisa Letícia. Eles não economizam (o Brasil sabe disso). Dilma – não se esqueça dela – também apareceu, aproveitando a mensagem de solidariedade para encaixar um panfletinho contra os algozes da nobreza petista. Um show de elegância e dignidade.

Não se sabe se Deus perdoará o juiz Sérgio Moro pela perseguição a essa gente inocente, mas a providência divina tem sido sentida por aqui. O fato de Dilma Rousseff continuar à solta, por exemplo, é um milagre. Uma pessoa que esteve no epicentro do maior assalto à República estar flanando por aí, contando história triste para tolos e soltando frases de autoajuda no Twitter, só pode ser uma bênção dos céus. Aqui na Terra estão jogando o besteirol, tem muito choro contra Moro e Dallagnol. E agora a turma do mamãe Dilma eu quero voltar a mamar tem um truque novo: atacar Sarney e Renan Calheiros.

É um espetáculo impressionante o rebolado intelectual dessa gente bondosa, que agasalhou Renan e Sarney por 13 anos no camarote VIP da DisneyLula – e agora diz que a presidenta mulher foi arrancada do palácio para dar lugar a esses bandidos amigos do Temer. São os deuses da narrativa.

Vamos dar uma passadinha na realidade – esse lugar tosco e sem emoção – só para você poder ir ao banheiro e escovar os dentes. Intervalo comercial: Michel Temer é um político antiquado de um partido fisiológico; esse político assumiu a Presidência da República com a deposição da sua antecessora, flagrada numa fração dos crimes que cometeu (não se preocupe, na volta do intervalo a gente diz que foi golpe); o antiquado, fisiológico, branco, feio e chato Michel Temer tirou os simpáticos parasitas petistas do comando da engrenagem nacional – a saber: Fazenda, Banco Central, Tesouro, BNDES e Petrobras – e colocou lá os melhores gestores do mundo (são brasileiros, mas mundialmente reconhecidos). O resultado foi desastroso: o risco país caiu pela metade, a inflação despencou (e vai cair mais), os juros caíram, o câmbio idem, a bolsa subiu mais de 50%, e as projeções para a retomada do emprego são claras.

É ou não é um quadro terrível? Com a vida melhorando assim de forma obscena, como vamos poder encantar o povo com o nosso presépio de coitados profissionais? Se os demônios enxotaram os anjinhos, o pessoal vai perceber que há algo errado com esse inferno.

Daí surgiu a ideia genial: dizer que Temer está lá para proteger da LavaJato as raposas do PMDB – aquelas que eram uma fofura ao lado do Lula. Por outro lado, é importante continuar espalhando que Moro foi vaiado, que ele tem de fazer um estágio no purgatório etc, porque se ele pegar todo mundo – Lula, Dilma e as raposas do PMDB – pode sobrar só o pessoal que está consertando o Brasil. Aí seria o horror.

Isso já aconteceu na época do Plano Real, e foi muito triste. No que a vida do povo melhorou para valer, toda essa turma que fica linda no espelho fazendo papel de progressista sumiu. Ou melhor, podiam ser vistos pelos cantos, repetindo suas lamúrias populistas como Napoleões de hospício, sem conseguir impressionar nem adolescente em mesa de bar. Um flagelo.

Um dos eventos marcantes desse período foi a privatização da telefonia. Era a chance da ressurreição, a hora de se vestir de herói da esquerda contra a venda do que é nosso (deles). Muito grito e pedrada – olha a Cedae aí – para montar o enredo revolucionário, mas com final trágico: as telefônicas foram privatizadas, a vida do povo melhorou, e os canastrões da bondade caíram em desgraça.

Depois voltaram com tudo, e deram ao Brasil sua mais emocionante história (policial). Ano que vem tem mais. A não ser que os brasileiros se convençam finalmente de que a melhor encenação desses heróis é mesmo a de Napoleão de hospício.

11 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

O VELÓRIO DE MAQUIAVEL

Ruy Fabiano

Não há dúvida de que o presidente Michel Temer é um virtuose da velha política, um craque dos bastidores.

Acaba de eleger os presidentes da Câmara e do Senado, exibindo uma maioria de fazer inveja ao Lula dos tempos do Mensalão. Indicou para o STF um homem de sua confiança, Alexandre de Moraes, que adiante poderá vir a julgá-lo.

Livrou-se, dessa forma, de um problemático ministro da Justiça e ganhou um aliado estratégico na Corte Suprema. De quebra, criou dois ministérios – o dos Direitos Humanos e o da Secretaria Geral da Presidência -, colocando neste um de seus mais próximos colaboradores, Moreira Franco, blindando-o na Lava Jato.

Denunciado na delação da Odebrecht, onde, sob o apelido de Gato Angorá, é acusado de receber propinas, Moreira, agora ministro, fica abrigado na amigável esfera do STF, salvo de Sérgio Moro.

Com o Ministério dos Direitos Humanos, entregue à tucana Luislinda Valois, consolida a aliança com o PSDB. Pouco importa que a redução de ministérios tenha sido um de seus compromissos de posse. Com os que acaba de criar, Temer garante sua maioria parlamentar, na base do toma lá dá cá. Cargos por votos.

O problema é que a velha política, com suas manobras e engenhosidades, só funciona para dentro; só produz aplausos e admiração nos bastidores. O efeito é oposto na opinião pública, farta de maquiavelismos. Essa é a grande mudança imposta pelo Brasil da Lava Jato, que, ao que parece, ainda não foi percebida pelos políticos.

Ainda agem movidos pelos velhos paradigmas, em que a busca de resultados (não necessariamente administrativos) põe tudo o mais, inclusive (e sobretudo) os fundamentos morais mais elementares da governança, em segundo ou mesmo nenhum plano.

Isso explica, por exemplo, a abundância de ministros demitidos em menos de um ano de governo. Só Dilma Roussef ultrapassou essa marca, mas Temer parece empenhado em não ficar para trás. Moreira é sua mais nova aposta.

Sua posse foi suspensa por mais de um juiz de primeira instância e terá veredito definitivo no STF, por meio do ministro Celso de Mello. Pode não ser tecnicamente a mesma situação de Lula, que já era réu quando nomeado para a Casa Civil por Dilma.

Moralmente, porém, é.

Moreira está citado com detalhes nas planilhas da Odebrecht. Deveria, ele próprio, abster-se de pôr em dúvida sua presunção de inocência. Ao aceitar o guarda-chuva ministerial, sinaliza em sentido oposto. Lula foi barrado por Gilmar Mendes; vejamos o que dirá Celso de Melo. O país acompanha tudo de perto – e essa é, repita-se, a grande novidade na política.

Na velha política, ignora-se tal fenômeno. Temer, segundo se noticiou – e ninguém desmentiu -, pediu à presidente do STF, Cármen Lúcia, que não quebrasse o sigilo das delações para não interferir no resultado das eleições para as presidências da Câmara e do Senado. Pedido aceito, as eleições consumaram-se sem surpresas. E as delações continuam sob total sigilo.

Tornou-se recorrente comparar a Lava Jato à sua similar italiana Operação Mãos Limpas, ocorrida entre 1992 e 1996, que também passou um trator sobre a política daquele país. Ao final, porém, não resistiu às manobras de bastidores, que resultaram em mudanças na legislação, que devolveram o país às práticas habituais.

Aqui, tenta-se o mesmo. Esta semana, a Câmara quis votar em regime de urgência proposta que retirava do TSE o direito de cobrar dos partidos prestação de contas. Não conseguiu.

As redes sociais derrotaram mais uma vez a manobra, já tentada antes em relação às dez medidas contra a corrupção, propostas pelo Ministério Público, e ao projeto de abuso de autoridade, que impunha sanções penais aos investigadores.

Esse é o diferencial destes tempos de Lava Jato em relação à Operação Mãos Limpas: a pulverização da informação, via internet. Não há mais como controlá-la, nem muito menos as reações que provoca e as mudanças que impõe. É uma viagem sem volta.

No futuro, que já começou, o político terá de ser honesto, senão por razões de ordem moral, por imperativo tecnológico.

11 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

DUAS NOTÍCIAS DE HOJE DERRUBAM AS FALÁCIAS DOS DESARMAMENTISTAS

Rodrigo Constanino

Roubo em uma loja de celulares de Vitória: a maçã não é uma arma. Deu nisso

O leitor certamente conhece algum desarmamentista. É do tipo que logo culpa a arma pelo crime, como se o objeto inanimado tivesse vida e responsabilidade, enquanto o sujeito que escolheu praticar o crime fosse um autômato sem volição. Essa turma condena sempre as armas, e esquece de culpar o próprio criminoso. Esquece que a mesma arma também pode ser utilizada para impedir crimes. O óbvio ululante, eu sei. Mas quem disse que essa gente liga para a lógica?

Pois bem: hoje temos duas notícias que derrubam as falácias dos desarmamentistas*. A primeira delas mostra que um juiz reagiu a um assalto em Minas Gerais, já contrariando as recomendações das autoridades (que querem criar uma sociedade de covardes). Ele estava armado, o que apavora os desarmamentistas (só marginal pode ter arma, pelo visto). O resultado? “Deu ruim” para os bandidos:

Um juiz da comarca de Uberlândia, de 53 anos, atirou contra dois criminosos durante um assalto, na madrugada desta sexta-feira (10), no Bairro Luizote de Freitas. Os assaltantes não resistiram aos ferimentos e morreram no local. O fato foi registrado por volta da meia-noite em uma lanchonete na Avenida Doutor João Manoel Tannus.

A Associação dos Magistrados Mineiros (Amagis) enviou nota à imprensa manifestando apoio ao magistrado.

De acordo com as informações Polícia Militar (PM), três suspeitos chegaram ao estabelecimento armados e anunciaram o assalto. Foram roubados seis aparelhos celulares de clientes e cerca de R$ 50 em dinheiro.

As vítimas relataram aos militares que um dos autores estava encapuzado e, portando um revólver calibre 32, foi em direção ao caixa e ameaçou o proprietário do estabelecimento. Outro autor dava apoio ao assalto portando uma pistola.

Durante a ação, um dos criminosos teria apontado a arma para o magistrado que também estava no local. Momento que, em legítima defesa, o juiz sacou uma pistola e disparou contra os autores, sendo dois atingidos na cabeça e pescoço.

Esse juiz é um herói! Merecia uma medalha nacional de bravura, qualidade tão em falta em nossos dias. Cabra macho, que se defendeu dos marginais e protegeu sua vida e suas propriedades, mandando os safados direto para o colo do Capeta! Ainda bem que a Amagis soltou nota de apoio, porque sabemos que a turma dos “direitos dos manos” não gosta quando uma vítima reage e mata bandidos, pois esses é que seriam as “vítimas da sociedade”.

A segunda notícia diz tudo já na manchete, quase não precisa de acréscimos: “Em meio ao caos no Espírito Santo, só loja de armas abre”. Por que será? Por que a loja de móveis fecha, mas a loja de armas fica aberta quando a bandidagem anda solta pelo local? Teria alguma ligação com o fato de que cidadãos de bem querem o direito de se defender desses marginais? Diz a reportagem:

A falta de transporte público e o medo da violência afetaram muito o comércio da Grande Vitória. Desde o início da semana, poucas lojas arriscaram abrir as portas. Além da ameaça de assaltos e saques, as pessoas não conseguem chegar aos locais de trabalho. Assim, quase ninguém compra ou vende alguma coisa na região metropolitana.

Em Vila Velha, uma única loja estava aberta nesta quinta-feira, 9, em um raio de três quarteirões. O estabelecimento é especializado em armas, artigos de defesa pessoal e vestuário para agentes e seguranças.

Quem é doido para invadir uma loja com vendedores armados? Bandido pode ser até meio maluco às vezes, ousado, mas não é burro. Adora “gun-free zones”, ou seja, locais onde é proibido ter armas. Mas uma loja de armas? Nem pensar! O próprio vendedor carrega a sua, e a reação ao assalto é quase certa, tem probabilidade bem maior. Bandido também sabe calcular risco.

Quando vou no stand de tiro perto aqui de casa, o senhorzinho do caixa está sempre lá, com sua Glock na cintura. O cara teria que ser muito suicida mesmo para tentar alguma coisa num lugar desses, em que não só o vendedor está armado, como todos estão com armas à sua volta. É por isso que marginais preferem roubar onde ninguém pode ter armas.

11 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

MANCHETE DO SÁBADO – EX-PRESIDENTE DA REPÚBLICA RECEBEU PROPINA DA ODEBRECHT

O Peru colocou o ex-presidente Alejandro Toledo em sua lista de criminosos mais procurados nesta sexta-feira (10) depois que um juiz emitiu uma mandado internacional por ele ter recebido US$ 20 milhões em propinas da empreiteira brasileira Odebrecht.

O Ministério do Interior ofereceu o equivalente a US$ 30 mil por qualquer informação que leve à sua captura e pediu à Interpol para emitir um alerta vermelho rapidamente para ajudar a localizá-lo. De acordo com a imprensa peruana, que cita a Presidência do Conselho de Ministros, do governo, o alerta vermelho de captura da Interpol foi ativado em 190 países.

“Qualquer pessoa do mundo que puder nos ajudar a encontrá-lo pode reivindicar a recompensa”, disse o ministro do Interior peruano, Carlos Basombrio, à rede de televisão local Canal N. “O Peru não merece ver outro presidente fugir da justiça”, acrescentou Basombrio.

* * *

Vocês leram a notícia aí de cima direitinho, num é?

Pois é.

Ex-prisidente de uma Banânia Sul Americana está foragido e sendo caçado.

Recebeu propina da Odebrecht.

Por enquanto, sabe-se apenas que a propina foi em dinheiro vivo.

De 20 milhões. De dólares.

Nada de sítio ou apartamento. Foi bufunfa contada nota por nota.

O Ministério do Interior daquele país pediu pra Interpol emitir “alerta vermelho“.

Sabe-se que não é alerta vermelho-estrelado.

E sabe-se também que este alerta não é numerado. Não tem o número 13.

Peço encarecidamente: se algum leitor fubânico encontrar com este corrupto istranjeiro por aí, me dê a dica, pelo amor de Deus.

A recompensa de 30 mil dólares oferecida pelo governo peruano vai tirar esta gazeta escrota da miséria em que se encontra. Será um alívio enorme.

Alejandro Toledo, o guabiru peruano: não usa barba e tem 5 dedos em cada mão

10 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

HERANÇA MALDITA

A Caixa comemorou o aumento de 11,4% nos negócios da sua área de penhor.

Não foram considerados os custos afetivos, a angústia e a dor, muito menos as lágrimas das pessoas que recorrem à penhora de bens para enfrentar a crise, pagar contas, dívidas, e sobreviver.

* * *

Não custa nada ressaltar que esta crise – que leva as pessoas a penhorarem seus bens de estimação – foi gerada e produzida no tempo do gunverno FHC.

Este é a herança maldita dos tucanos.

O PT, que passou 14 anos no puder, não tem nada a ver com isto.

10 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

MINISTROS DO STF FORJADOS NA COZINHA DO PLANALTO

Meu caro leitor, se você ainda tinha esperança de ver algum político da Lava Jato na cadeia pode tirar o cavalinho da chuva. A indicação de Alexandre Moraes para o STF e a composição dos ministros da segunda turma mostram uma fina sintonia entre governo e judiciário. Enquanto alguns ministros do STF forem fecundados no casulo da política, o país não deve esperar imparcialidade no julgamento desse tribunal. Agora mesmo estamos vendo os ministros Gilmar Mendes e Marcos Aurélio se posicionarem contra as prisões preventivas da Lava Jato. Mais uma vez, os dois representantes mais polêmicos do tribunal saem dos autos para discutir as questões jurídicas em público.

O que está errado, na verdade, é a forma vertical de escolha dos membros do STF. Apenas uma pessoa, o presidente da república, indica o futuro ministro. É assim também na Corte norte-americana. Mas lá não se conhece nenhum candidato que tivesse sido gerado na cozinha de um presidente, como ocorreram nas últimas nomeações no Brasil. Alexandre Moraes é a mais recente cria desse processo monocrático em que apenas o Senado ratifica. Filiado ao PSDB, Moraes deixa o Ministério da Justiça do governo Temer para assumir o lugar de Teori Zavascki, no momento em que os brasileiros exigem apuração independente e isenta do escândalo da Lava Jato.

Lá, também já estão outros ministros que saíram recentemente da mesma receita do Planalto: Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski (governo Lula), Gilmar Mendes (governo FHC) e Edson Fachin (governo Dilma), este declaradamente cabo eleitoral da ex-presidente para quem fez um inflamado discurso de defesa da sua reeleição a presidente. Ora, como os brasileiros podem esperar decisões isentas desses senhores que foram forjados dentro desse processo político falido? Os fatos por si só falam mais alto: há três anos, desde que começou a Lava Jato, o STF não julgou nenhum político envolvido no processo. As condenações têm ocorrido pelas mãos do juiz Sérgio Moro que agora começa a ser fritado em fogo lento por alguns membros desse tribunal a quem cabe a palavra final do julgamento.

Ao escolher Alexandre Moraes, Temer manda a sua raposa para o galinheiro. Ele vai ocupar o espaço deixado por Teori Zavascki, o ministro que até então também estava empurrando os processos com a barriga assustado com os nomes dos políticos que chegaram às suas mãos depois da delação premiada da Odebrecht. Moraes vai herdar mais de sete mil processos do falecido. Até o julgamento, com certeza, muita coisa vai mudar. Por exemplo: o político que hoje tem fórum privilegiado volta a responder o processo na primeira instância se perder o mandato em 2018. É como se tudo voltasse a estaca zero.

Polêmica à parte, em relação à indicação de Alexandre Moraes, uma coisa é certa: se não ocupasse o cargo de Ministro da Justiça, ele jamais seria lembrado para o STF, mesmo com o apadrinhamento de Geraldo Alckmin, governador de São Paulo, que o abandonou na crise das penitenciárias. No auge dos motins nos presídios, por pouco Temer não o demitiu. Só não o fez para não criar instabilidade no seu governo confrontando o PSDB, o partido do ex-ministro. Temer jogou bem as cartas. Ao indicar Moraes para o STF ele se livra do péssimo ministro e ainda agrada os tucanos que dão base de sustentação ao seu governo. Além disso, terá em Moraes um homem da sua confiança na manipulação dos processos da Lava Jato que tem ele e seus amigos como alvo. É assim que caminha o nosso Brasil varonil: manda quem pode, obedece quem tem juízo.

Há muito tempo, o Supremo Tribunal Federal deixou de ser uma casa de discretíssimos homens de capa preta para se tornar numa casa de senhores excêntricos, onde seus integrantes, movidos por exagerada vaidade, deixam de lado os autos para expressar suas opiniões, nem sempre nobres, em público. Brigam entre eles, discordam, e não se sentem constrangidos em gozar da intimidade dos políticos com nomes envolvidos na Lava Jato. O caso mais recente aconteceu quando o ministro Gilmar Mendes pegou carona no avião presidencial para ir aos funerais do ex-presidente português Mário Soares.

Agora mesmo, o próprio Gilmar Mendes foi a público falar da honradez e da competência de Alexandre Moraes antes mesmo do seu nome ser referendado pela CCJ no Senado Federal. Ora, como se trata de uma opinião abalizada evidentemente que isso tem peso na comissão.

Enquanto os interesses do país são discutidos entre compadres em Brasília, o país pega fogo. Os ladrões bombardeiam as cidades, a população saqueia o comércio, os criminosos assaltam e matam a sangue frio. O Espirito Santo, em pé de guerra, prenuncia maus tempos para outros estados como o Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais que já dão sinais de explosões.

Demorou, mas estamos a caminho da combustão espontânea, do caos, fruto de um país desorganizado e acéfalo. Da corrupção desenfreada dos últimos quinze anos quando foi administrado por vândalos do dinheiro público.

10 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

MANCHETE DA SEXTA-FEIRA – SABATINA AUTENTICAMENTE BANÂNICA

* * *

A Comissão de Constituição e Justiça, a mais importante do Senado Federal, é quem vai fazer a sabatina de mentirinha com Alexandre Cabeça-de-Pica Moraes, indicado pelo prisidente Michel Abestado Temer pra ser ministro do STF.

O próprio prisidente desta tal comissão, Edison Cara-de-Buceta Lobão, é investigado em dois inquéritos.

Uma escolha da porra esta feita pelo Temer, que já havia acertado tudo com os guabirus da comissão. Aí foi só confirmar.

Lobão, que é membro da quadrilha pmdebista, foi eleito prisidente do bando, com o apoio do canalha Renan Calheiros, do coronel maranhense Zé Sarney e do líder do gunverno no Congresso, Romero Jucá.

Esta nossa infeliz Banânia num tem jeito mesmo…

Jucá, Temer e Renan: um trio autenticamente banânico e…

…Edison Cara-de-Buceta Lobão em pose especial para o JBF

9 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

UM EDITOR CONFUSO E FRUSTRADO…

A Polícia Federal concluiu um inquérito que investigou o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), no âmbito da Operação Lava Jato e apontou indícios de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, segundo informou o Jornal Nacional.

A investigação partiu de mensagens de celular trocadas entre Leo Pinheiro, ex-presidente da construtora OAS, e o atual presidente da Câmara.

* * *

Oxente!

Danô-se!

Saiu no Jornal Nacional????

Confesso que num intendi…

Eu pensei que a Rede Globo e Jornal Nacional só perseguissem o PT e seus pulíticos. E só botassem no ar as ladroagens lulaicas.

Pelos menos é o que diz a fubânica petista Num-Mudo-Nem-Com-Prova-Em-Contrário.

Eu achava que só os noticiários do SBT, da Record e da Band é que fossem isentos, já que não recebem qualquer cacetada da militância tabacuda.

E o MPIZB (Manual do Perfeito Idiota Zisquerdista Banânico) recomenda que os descerebrados da militância vermêia falem mal da Globo pelo menos uma vez por dia.

Quer dizer, então, que o Jornal Nacional também bota no ar uma denúncia contra um pulítico do DEM, o partido da direita banânica???

Agora em fiquei confuso.

Vôte!

E logo eu que confiava tanto nas equilibradas e sensatas ponderações da sensata comentarista Num-Mudo-Nem-Com-Prova-Em-Contrário.

Confesso que fiquei frustrado.

Usando o incompreensível chavão dos militontos, o Jornal Nacional é golpista.

8 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

MANCHETE DA QUARTA-FEIRA – DUAS EXCELENTES NOTÍCIAS

* * *

Duas notícias boas que só a porra.

Duas novidades do caralho.

Neste clima carnavalesco, vamos comemorar com música

8 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

MANCHETE DA QUARTA-FEIRA – UMA NOTÍCIA AUTENTICAMENTE BANÂNICA

* * *

A bancada do PMDB decidiu nesta quarta-feira (8) indicar o senador Edison Lobão (MA) para a presidência da Comissão de Constituição e Justiça da Casa.

Lobão já foi citado em delações premiadas e é investigado em dois inquéritos no âmbito da Operação Lava Jato.

É também investigado em um terceiro inquérito relacionado a irregularidades na Eletrobras.

* * *

A Comissão de Constituição e Justiça é a mais importante comissão do Senado Federal.

Acima dela, só mesmo o Plenário.

É a mesma comissão que irá sabatinar Alexandre Cabeça-de-Pica Moraes, o carecão indicado pelo prisidente Michel Cara-de-Tabaca para o Supremo Tribunal Federal.

Enfim, um arrumadinho autenticamente banânico.

O partido de Lobão, o PMDB, é aquele mesmo que ocupou a vice na chapa liderada por Dilma e etc, etc, etc, etc, etc…

Edison Cara-de-Buceta Lobão é velho conhecido dos leitores fubânicos.

Das muitas postagens que já foram feitas com ele aqui nesta gazeta escrota, sugiro que leiam uma publicada em agosto de 2013, intitulada “Filho de Lobão, Lobinho é…“.

Trata-se de uma matéria sobre o filhote de Lobão, o Lobinho, um guabiru riquíssimo, tão rico quanto o papai, dono de uma fortuna incalculável, e que também foi eleito senador pelo Maranhão. Por favor, não critiquem o eleitorado do Maranhão: outros estados de Banânia deram esmagadoras votações pra Lula e pra Dilma…

Na postagem, há um link que remete a outra postagem, esta sim, sobre Lobão Pai. (clique aqui para ler)

Boa leitura!!!

8 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

POR QUE A ESQUERDA DEFENDE A “DESMILITARIZAÇÃO” DA POLÍCIA?

Rodrigo Constantino

A campanha da esquerda contra a Polícia Militar é conhecida. Vemos diariamente uma intensa propaganda negativa, que chega a retratar os policiais como a maior ameaça à paz. Alguns chegam ao extremo de pedir o fim da Polícia Militar, como fez Gregorio Duviver. Outros posam de mais “moderados”, e alegam desejar “apenas” a “desmilitarização da PM”. O que estaria por trás disso?

O maestro Tom Martins fez um comentário cirúrgico que sintetiza com perfeição o verdadeiro objetivo oculto nessa campanha:

É claro que a esquerda não quer “acabar com a polícia”. O que desejam é a “desmilitarização”, ou seja, tornar a polícia uma força civil com direito de greve, etc. Alguns falam em centralização das polícias, algo que apenas colocaria o centro de decisões muito mais longe da população, exatamente o oposto do modelo americano. Mas o principal ponto é que as polícias trocariam a ordem militar por um sistema de funcionários públicos civis.

E por que os esquerdistas odeiam a Polícia Militar? Porque a polícia, sendo militar, não está sob o jugo dos sindicatos. Num país onde grupos comunistas dominam os sindicatos, desmilitarizar as polícias seria o mesmo que controlá-las. A esquerda já domina as universidades, as redações, a Igreja, o lumpesinato, o meio cultural e o ambiente político-partidário. Falta apenas controlar os detentores do monopólio do uso da força bruta do estado. Por isso o ponto urgente em sua agenda: a “desmilitarização da PM”.

Na República Sindical que é nosso país, sob domínio da esquerda, é simplesmente insuportável que a PM esteja fora disso. O sonho desses esquerdistas é que cada policial fosse exatamente como os “professores” do ensino público, em sua maioria capachos dos sindicatos ou militantes disfarçados que fazem proselitismo ideológico e lavagem cerebral nos estudantes. É uma questão de controle. Como Bene Barbosa resumiu: “Tática de dominação e controle. Só isso!”

Claro, falo dos líderes da esquerda, ou seja, dos oportunistas safados que sabem muito bem o que estão fazendo e possuem uma agenda por trás de cada ato pensado. Não entram nessa lista os idiotas úteis, os românticos bobocas e infantis, que pintam unhas de branco pela paz ou usam camisetas com a pomba que o comunista Picasso eternizou como símbolo do pacifismo, desenhada em uma litografia de presente para o assassino Stalin.

Esses “pensam” mesmo que policiais com flores em vez de armas fariam muito mais pela paz, e nem o caos anárquico no Espírito Santo é capaz de fazer tal crença balançar. É uma questão de necessidade, pois essa turma vive no mundo da estética, e imaginar seres humanos como figuras santificadas, cantando de mãos dadas “Imagine”, faz parte da personalidade fraca e covarde dessa gente, massa de manobra dos canalhas.

Mas a liderança não é nada boba. Sabe o que está em jogo. Defende bandidos como “vítimas da sociedade” e policiais como os “algozes da sociedade” porque querem fomentar o crime e enfraquecer a lei, tomando o controle do monopólio da força pelo estado. É tudo parte de um esquema totalitário de poder.

8 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

AMIGOS, AMIGOS, NEGÓCIOS INCLUSOS

A ex-presidente Dilma Rousseff foi notificada a depor em ação penal aberta pelo juiz federal Sérgio Moro, dos processos da Operação Lava Jato, em Curitiba, como testemunha de defesa do empreiteiro Marcelo Bahia Odebrecht.

O dono do Grupo Odebrecht – preso desde 19 de junho de 2015, em Curitiba – é réu no processo, acusado de pagar propina para o ex-ministro Antonio Palocci.

Novo delator da Lava Jato, Odebrecht arrolou a ex-presidente como testemunha de defesa.

Dilma terá que comparecer na sala de videoconferências da Justiça Federal, em Porto Alegre, no dia 24, para ser ouvida por Sérgio Moro – será a primeira vez que ela fala ao juiz da Lava Jato.

A oficial de Justiça Mirian Barbosa registrou em certidão, anexada nesta terça-feira, 7, no processo que conseguiu no dia de ontem notificar a ex-presidente.

Identificado nas planilhas da propina da Odebrecht como “Italiano”, uma anotação do Setor de Operações Estruturadas da empresa registra R$ 128 milhões de valores pagos ao ex-ministro – que está preso desde setembro de 2016, em Curitiba.

* * *

Nesta terça-feira ensolarada e amena, nós, os contribuintes brasileiros, merecemos ouvir uma música relaxante.

Uma linda música em louvor à amizade.

7 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

CELERIDADE X IMPUNIDADE

Faveco Corrêa

Ainda bem que o novo Ministro Relator da Lava Jato prometeu que, além de tratar o tema com responsabilidade (sic), será rápido na apreciação dos processos que se acumulam no STF.

Tratar com responsabilidade não é mais do que simples obrigação: afinal, quem poderia imaginar que, apesar de Ricardo Lewandowsky ter atropelado a Constituição e fatiado a sentença de Dilma Roussef, um Ministro do Supremo agiria irresponsavelmente? Seria o definitivo fim do mundo das nossas já titubeantes instituições.

Velocidade, rapidez e celeridade é justamente o que nós, a sociedade, esperamos. A lentidão do Supremo dá a nítida impressão, conforme editorial de 2 de fevereiro do Jornal Estado de S. Paulo, que “a suprema corte é o sepulcro das ações que envolvem acusados com prerrogativas de foro”.

Esta impressão acaba de se robustecer com a infeliz decisão do presidente Michel Temer de nomear ministro seu amigo Moreira Franco, citado em delações da Lava Jato, elevando para 28 o número de ministérios do Planalto. Pelo andar da carruagem, brevemente teremos dezenas de outros ministérios criados para livrar a cara de personagens alinhados com o Planalto. Confesso que esta atitude presidencial me deixou perplexo e estarrecido, por escancarar o fato de que pretendem confirmar o Brasil como o campeão mundial da impunidade dos políticos poderosos.

Lembram que quando a ex-Presidente Dilma tentou descaradamente emplacar seu “querido” padrinho Lula na Casa Civil, para que ele pudesse escapar das garras do juiz Sergio Moro, o país se revoltou indignado e o tiro acabou saindo pela culatra?

Agora, o caso do “Angorá”, como Moreira Franco é citado nas planilhas da corrupção (apelido bastante criativo, já que ele é branco como um gato dessa raça), ainda está passando batido. Será que a sociedade não vai protestar? Eu já estou protestando. É muita cara de pau.

Era tudo que Moreira Franco queria. Como ministro, vai fugir da implacável justiça de primeira instância, da qual estava morrendo de medo por causa de denúncias antigas e do que certamente virá das delações dos 77 executivos da Odebrecht, que foram homologadas por Carmen Lucia, e cujos conteúdos brevemente virão a público. Ele, como o homem dos aeroportos, estava voando baixo e por instrumentos; agora tem céu de brigadeiro.

Tudo nos leva a concluir, melancolicamente, que só mudaram as moscas…

A impressão que a sociedade tem de que a morosidade do STF facilita a impunidade é provada com fatos.

Até dezembro do ano passado, a justiça de primeira instância havia proferido 120 condenações baseadas na Lava Jato, enquanto a Suprema Corte não deu ainda nenhuma decisão no âmbito dessa operação. Segundo o Ministério Público Federal, o STF tem em mãos 15 denúncias, 18 inquéritos abertos e 3 ações penais, com 48 acusados. Na primeira instância 259 pessoas já foram acusadas. A diferença abismal.

A triste verdade é que a lentidão do Supremo tem causado espanto e gerado muita insatisfação da sociedade. Vide o caso do Senador Renan Calheiros, que continua dando as cartas, agora como líder da bancada do PMDB, apesar de estar respondendo por um caso de corrupção que está completando 10 anos (o pagamento de despesas de sua filha com a jornalista Mônica Veloso por uma empreiteira), além de mais 12 inquéritos no STF.

Agrava este quadro o fato de que no STF não são julgados penalmente cidadãos comuns e sim as mais altas autoridades, que desfrutam do execrável instituto do foro privilegiado e que, por causa disso, geralmente ficam impunes.

Oxalá o Supremo possa desmentir Lula e demonstrar que não está acovardado e que, em nome da justiça, tenha coragem suficiente até mesmo para enfrentar Eunício Oliveira, que na sua posse como novo presidente do Senado, fez claras ameaças.

E que o Ministro Edson Fachin, com a transparência, reponsabilidade e, principalmente, com a celeridade que anunciou em sua nota oficial depois da sua escolha como relator da Lava Jato, cumpra a sua promessa e consiga imprimir novo ritmo ao andamento dos processos que herdou do Ministro Teori Zavascki, de saudosa memória.

E que com isso reaproxime o Supremo da sociedade, que está começando a ficar descrente da sua atuação.

Que a substituição de Teori por Fachin não seja apenas uma mudança de moscas, cujo enxame continua esvoaçando sobre o até hoje intocado cerne da questão.

7 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

CANETADA DEIXA TRUMP ARRETADO

Juiz federal dos EUA paralisa aplicação do veto migratório de Trump.

A sentença impede que se ponha em prática no país inteiro o decreto que bloqueia a entrada de refugiados e imigrantes de sete países muçulmanos

A Casa Branca emitiu nota informando que vai recorrer contra a decisão do juiz federal do estado de Washington, James Robart, que suspendeu temporariamente o veto do presidente Donald Trump para entrada nos Estados Unidos de refugiados e titulares de visto de sete países predominantemente muçulmanos.

A Casa Branca primeiramente se referiu à decisão do juiz como “ultrajante”, mas depois retirou essa palavra da nota.

Embora temporária, a decisão do juiz de Seattle (cidade do estado de Washington) atinge o cerne da ordem executiva adotada há mais de uma semana por Trump, que previa o veto – por 90 dias – da entrada de pessoas nos Estados Unidos provenientes do Irã, Iraque, Líbia, Somália, Sudão, Síria e Iêmen.

* * *

Este cabra, o juiz ianque, como diria o impoluto e digno pulítico banânico Renan Calhorda Calheiros, é um “juizeco”

Um juizinho bostel, uma magistradinho de quinta categoria, que ganha fama ao derrubar uma lei do prisidente dos zamericanos, o mais abilolado e furioso já eleito pra botar a bunda na cadeira da Casa Branca.

O dotô James Robart emputiferou não apenas Trump, como também seus fanáticos admiradores de todo Planeta Terra, inclusive a extrema direita banânica, ferrenha defensora de muros, bufetes e segregações.

Este magistrado ianque está se inspirando nos juízes golpistas brasileiros.

Eu desconfio que ele deve ter tomado conhecimento das sentenças do Dr. Sérgio Moro, aquelas que desafiam potentados e puderosos do primeiro até o mais alto escalão.

6 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

ROMENOS NAS RUAS

O governo da Romênia revogou neste domingo um decreto aprovado na última terça-feira que descriminalizava atos de corrupção e gerou protestos em massa no país. A população romena permaneceu praticamente seis dias em protesto contra a lei que determinava que desvios de até US$ 48 mil não seriam punidos.

“O governo aprovou o projeto de revogação do decreto”, anunciou o Executivo social-democrata, cujos ministros participaram hoje de uma reunião extraordinária, frente ao maior movimento de protestos desde a queda do comunismo, em 1989.

Os romenos continuaram mobilizados neste domingo, com novas manifestações, para manter a pressão sobre o governo social-democrata.

“Espero que seja uma anulação verdadeira. Disseram que nos ouvirão, mas querem levar outro texto para o Parlamento. Vamos estar atentos, para que não nos enganem”, disse Daniel, 35, expressando a desconfiança de muitos romenos, que também pedem a saída do atual governo.

Cerca de meio milhão de pessoas protestaram neste domingo, de acordo com estimativas de redes de televisão locais.

Esses canais informaram sobre manifestações de entre 200 e 300.000 pessoas em Bucareste, 45.000 em Cluj-Napoca e 40.000 em Timisoara. A esses balanços devem-se somar mobilizações em outras cidades e povoados país.

* * *

Muito idiota este povo romeno.

Eles deveriam seguir o exemplo de Banânia, onde elegemos e reelegemos Lula. E depois, elegemos e reelegemos Dilma.

Lula e Dilma fuderam a Petrobras, fuderam Banânia, fuderam tudo, elevaram a corrupção a níveis estratosféricos e… Lula e Dilma continuam livres, leves e soltos. 

Não vemos protesto algum nas ruas contra esta estranha liberdade da dupla que fomentou e incrementou o atoleiro em que atualmente Banânia se encontra.

Ainda mais protestos que duram seis dias!!!!!

Vão ser bestas assim lá na Romênia!!!

Vejam, na foto abaixo, os bonecos vestidos de Lula, em Bucareste, com os rostos dos guabirus, ladrões e corruptos daquele país.

6 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

É FEITO SUVACO E AXILA: A MESMA COISA

Em busca de espaço na Câmara, deputados petistas propuseram o seguinte acordo a Rodrigo Maia na véspera da eleição na Casa: a bancada daria 22 dos 58 votos do PT ao candidato e não lançaria candidatura própria. Mas, em troca, queria postos chave nas comissões das reformas.

Maia se disse disposto a entregar a presidência da comissão da reforma trabalhista para um deputado petista – desde que escolhido por ele.

Mas, segundo aliados de Maia, a “mercadoria” não foi entregue: eles alegam que o PT não entregou os votos que prometeu.

E mais: que já havia decidido não lançar candidatura própria antes mesmo de procurar Maia – mas usou a carta na manga para negociar a comissão.

Agora, afirmam deputados, a presidência da comissão da reforma trabalhista será negociada para outro partido.

* * *

Um canalha que recebeu proposta de um grupo de outros canalhas.

E fez uma canalhice com os canalhas vermêios-istrelados.

Ao mesmo tempo que os canalhas vermêios-istrelados fizeram uma canalhice com Maia.

Tudo tolôte do mês pinico.

Tudo farinha do mesmo bisaco.

“Xiuf, xiuf, snif, snif… por mais que eu me esforce, não consigo ser mais sacana que um petralha…”

6 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

ITALIANOS DESCOBREM PORQUE O BRASIL DEMITIU A DILMA

A Dilma decidiu viajar para a Europa para liderar uma campanha de difamação contra o Brasil. Mas o que se viu na Itália, no seminário “La Solitudine dela democrazia”, numa universidade de Salento, na cidade de Lecce, foi uma ex-presidente lesada ao tentar iniciar uma palestra que não concluiu. A exemplo do que fazia em seus discursos mirabolantes no Brasil, ela esqueceu o que estava dizendo para delírio da plateia e da tradutora que morreram de rir com a gafe da nossa conferencista.

Ela começou a falar para uma pequena plateia na universidade buscando teorias vazias e infantiloides para descrever a democracia no mundo, tema do encontro. Mas em pouco tempo, em menos de quinze segundos, os italianos, enfim, descobriram porque a Dilma foi demitida da presidência no Brasil. Veja: “Ninguém só constrói o presente sem estar um pouco de olho no futuro. E é esse o processo que eu acho que nós temos de olhar, temos de olhar na Europa, na América Latina, nos Estados Unidos, somos todos irmãos nessa. E nunca, nunca…ah, esqueci o que eu tava falando…”

O vexame da ex-presidente transformou o seminário em um esquete humorístico, quando a plateia não se conteve e se desmanchou às gargalhadas como se visse à sua frente uma comediante descontraindo os sisudos acadêmicos da universidade e fazendo a festa dos alegres estudantes. Dilma nem tentou se recompor. Como cego em tiroteio, não se achava naquele meio acadêmico acostumado a receber com pompas grandes líderes do mundo.

Enquanto ela tentava condenar o impeachment que a tirou da cadeira da presidência, acusando de golpistas o povo que foi às ruas, o STF e os parlamentares, no Congresso Nacional o PT fazia acordo por baixo dos panos para compor as mesas diretoras da Câmara e do Senado, que elegiam seus presidentes “golpistas”. No Senado conseguiu emplacar José Pimentel como primeiro secretário e na Câmara ainda luta para pegar um restinho do que sobrou dos cargos para alojar seus militantes desempregados.

O acordo político – que não passou por ela – só mostra o desprezo que a cúpula do PT tem pela ex-presidente. Ao decidir compor a mesa com os “golpistas”, Lula não quis correr os mesmos riscos da eleição passada quando o PT ficou de fora até de comissões menos importantes na Câmara dos Deputados, depois de concorrer e perder as eleições de presidente da Casa. Agora, mais uma vez, jogou às favas os escrúpulos e tentou os acordos espúrios para manter o seu partido ainda respirando por aparelho dentro do Congresso Nacional.

Mas, alheia ao que se passa na política brasileira, Dilma decidiu fazer uma campanha contra o impeachment, quase um ano depois do seu afastamento. Essa sua atitude, no mínimo, mostra o seu retardamento com os fatos e um grave problema de se conectar com a realidade, o que talvez justifique a fragmentação do seu pensamento. A obsessão dela em manter a versão do golpe para a sua queda, é um caso psiquiátrico que vem afetando gradativamente o seu comportamento de pessoa tumultuada, desorientada e descompensada.

Estudiosos teriam condições de analisar esse transtorno mental da ex-presidente, caso, claro, ela queira se submeter a uma junta psiquiátrica. O que eu posso assegurar, no entanto, nesse meio século de jornalismo, é que nem maconha estragada provoca tanto distúrbio em uma pessoa.

6 fevereiro 2017 DEU NO JORNAL

MANCHETE DA SEGUNDA-FEIRA- A PRIMEIRA DAMA CONVOCA AS SEGUNDAS DAMAS

* * *

A linda Marcela vai se reunir com as esposas dos gunvernadores.

Ela bem que poderia convocar uma reunião com as esposas dos blogueiros, levá-las pra Brasília junto com os maridos, fornecendo passagem e estadia, em solene convescote no Palácio da Alvorada, a residência oficial da prisidência banânica.

Assim como criou o programa Criança Feliz, acho que Marcela deveria apadrinhar (ou seria amadrinhar?…) um programa intitulado Blogueiro Feliz.

Eu viajaria mais Aline, esposa deste Editor que vos fala, pra trocar beijinhos com Marcela e tentar arrancar uma verba pública pra tirar as finanças do JBF da miséria em que se encontram. Já elaborei todo um planejamento para o evento e acabei de enviar pro endereço eletrônico da prisidência, solicitando que a mensagem seja encaminhada para nossa linda primeira dama.

Também escrevi lacrimosas linhas para o esposo de Marcela, o Insolentíssimo Sinhô Prisidente Michel Temer, implorando que ele permita sua esposa atender o pedido desta gazeta escrota.

O leitor fubânico que quiser reforçar a nossa súplica, torrando o saco de Michel até ele dar a autorização, é só clicar aqui .


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa