NÃO TEMOS MAIS COM QUE NOS PREOCUPAR?

As atitudes e decretos do novo presidente dos EUA, Donald Trump, têm ocupado um enorme espaço nas manchetes de jornais do mundo inteiro, incluindo-se, obviamente, os nossos.

Obviamente, o poderio econômico e militar dos EUA e sua influência no mundo inteiro faz jus a tanta preocupação.

Mas se o mundo ficar reclamando e não fizer nada contra, vai dar mais força e poderio ao mais novo ditador do pedaço.

Fazer alguma coisa é, por exemplo, quem usualmente consome produtos americanos deve, imediatamente, parar de fazê-lo.

Quem tiver programado férias na Disney ou qualquer outro lugar dos EUA, mude para outro destino. Há muita coisa interessante no mundo.

Quem fornece petróleo ou matéria-prima para o Tio Sam, pode muito bem começar a buscar outros clientes e, principalmente, sobretaxar as exportações para lá.

Não é simples, nem fácil? Sei que não, mas há um ditado que diz que a União faz a força.

Os ingleses, ao que tudo indica, começam a sentir na pele a sua atitude isolacionista, quando decidiram se separar da União Europeia.

Com o isolacionismo adotado por Trump, as coisas para os ingleses devem piorar um pouco mais, já que as duas economias sozinhas não vão se sustentar por muito tempo.

E olha que ele ainda não mexeu com seus maiores fornecedores de petróleo, que são muçulmanos, caso da Arábia Saudita.

Por sinal, quem mais matou pessoas em ataque terrorista nos EUA foram os comandados por Bin Laden, que era saudita.

Os próprios americanos estão se manifestando e se começarem a sentir no bolso que o prejuízo será ainda maior, aí é que sairão às ruas pedindo a cabeça do “Pato” Donald.

Por falar em cabeça do “Pato” Donald, do jeito que os americanos compram armas, com o apoio dos republicanos que endeusaram Trump, não duvido que alguém se arrisque a cometer um desatino.

Afinal de contas, 3 presidentes americanos, sendo 2 deles republicanos, foram assassinados ao longo da História e 9 sofreram atentados, mas sobreviveram.

Há um ditado que diz: “quem com ferro fere, com ferro será ferido!”, sem nos esquecermos da Lei da Física: “A toda ação corresponde uma reação igual e em sentido contrário”.

Quanto a nós, brasileiros, já temos muito com que nos preocupar: além de toda a Lava Jato, agora na dependência de quem irá substituir o Ministro Teori na relatoria, teremos eleição na Câmara de Deputados, onde o favorito corre o risco (tomara) de não poder concorrer, uma vez que sua re-eleição fere o regimento daquela Casa Legislativa; eleições no Senado, cujo concorrente do PMDB tem tudo para levar de barbada, apesar de, conforme as más línguas, estar enrolado nas delações da Odebrecht, como dizem estar o próprio presidente Michel Temer e outros tantos ministros do seu governo.

Se juntarmos a isso o desemprego, a falta de perspectiva imediata…

Preocupar-nos, excessivamente com Trump e os americanos, é o mesmo que ser fã de tele-novelas que vai dormir e acorda preocupado com o destino desse ou daquele herói ou heroína da trama e esquece de viver sua própria vida.

* * *
FALA SÉRIO!

Você votará, em 2018, em candidatos de um partido cujo líder no Senado se chama Renan Calheiros?

FALA SÉRIO!

O CASO DO “GATO”

Caros amigos,

A falta de caráter é uma tragédia nacional que vem de longa data.

Por vezes, a gente acha que não vai mais se deparar com certos fatos, mas eles insistem em voltar à tona, volta e meia.

Como sou fã de futebol, e de esportes de um modo geral, gosto de assistir à Copa São Paulo sub20, a chamada Copinha.

É uma excelente oportunidade para garotos de todos os cantos do Brasil mostrarem suas habilidades com a bola, tendo esse torneio revelado alguns craques famosos.

A edição 2017 desse evento tão bonito, infelizmente, foi manchada pela presença de um atleta que usou documentos de um terceiro para jogar e ter uma chance de aparecer no mundo esportivo.

Aspirar uma oportunidade na vida, para fazer o que mais gosta e, talvez, a única coisa que faz e lhe poderão dar valor, é mais do que justo. Mas isso deve ser feito de forma limpa e límpida.

A burla nos leva a crer, em primeiro lugar, que o “gato” (Nome que se dá, no universo esportivo, a quem se faz passar por outro) é mais velho do que o permitido ou tem algum problema na Justiça que o impede de aparecer com a sua verdadeira identidade. Normalmente, o primeiro caso apresenta maior incidência.

Não posso assegurar de quem é a culpa, se somente do atleta (esse com certeza) ou se dos dirigentes da agremiação pela qual disputava a Copinha.

Só sei que é muito triste perceber que jovens são corrompidos pela ganância de alguns, pela falta de caráter e de decência de outros, quando valores de lealdade, verdade, sinceridade e outros mais são deixados de lá, perdendo-se uma excelente oportunidade de se educar e incutir nos jovens a ÉTICA (uma das finalidades do esporte, especialmente do coletivo).

Isso me dá uma enorme tristeza, porque quando disputei os Jogos Infantis no Rio de Janeiro, promoção do Jornal dos Sports, sagrando-me vice-campeão de voleibol aos 14 anos e campeão aos 15 (idade máxima), fui perguntado por um dos diretores do clube pelo qual competi, se aceitaria disputar no ano seguinte com outra identidade. Eles providenciariam tudo…

Obviamente, recusei. Graças a Deus, tive bom berço e aprendi com meus pais muitos valores que cultivo até hoje.

Pasmem: o cidadão que queria me transformar em “gato” era capitão do exército!

* * *

FALA SÉRIO!

O assunto da semana foi a morte inesperada do Ministro Teori Zavascki, num fatídico desastre de avião.

Digo desastre porque, acidente ou não, cai por terra qualquer afirmativa de que Deus é brasileiro!

FALA SÉRIO!

LAVAGEM DO BONFIM – LAVAGEM CEREBRAL?

Há algum tempo, um sambista daqui de Curitiba, ao ouvir o meu samba A ORIGEM DO SAMBA, me pediu para gravá-lo.

Nas suas próprias palavras, por ser NEGRO não poderia jamais de deixar de gravar aquela música.

Fiquei muito feliz ouvindo aquelas palavras, achando que ele tinha consciência e conhecimento da cultura africana, histórica etc., e autorizei a gravação.

Como o compositor não acompanha as gravações, deixando os arranjos, músicos e interpretação por conta dos produtores, ao ouvir a música gravada fiquei possesso, decepcionado, para não dizer coisa pior.

Imaginem que há um orixá conhecedor dos segredos das ervas, das folhas etc., chamado OSSÃE. Pois o cidadão gravou como OSSÃ.

Na sequência, o samba fala do orixá Obaluaiê, o da varíola, que tem o corpo coberto de palha para ocultar as marcas da doença.

Pois em vez de gravar “TRANÇARAM as vestes de palha…”, ele gravou “TRANSARAM as vestes de palha…”

Além de ficar triste pelo estrago no meu trabalho, acho que fiquei mais triste ainda por constatar que mesmo os negros desconhecem a cultura de seus antepassados e perderam, parcial ou totalmente, suas raízes.

E agora, no início do ano, vi as baianas lavando as escadas do Bonfim, cerimônia tradicional, mas que, no fundo, representa uma submissão dos praticantes do candomblé à Igreja Católica, o que é lamentável.

Na época colonial, proibidos de praticar sua religião, foi até natural que os escravos “fingissem” rezar para santos católicos com a intenção de enganar feitores e senhores de engenho etc., dando origem ao sincretismo religioso ainda vigente.

Passados mais de 120 anos do término da escravidão, penso que já é tempo de se pôr um fim nessa submissão religiosa e cultural.

Não há correlação entre santos católicos e Orixás. São totalmente diferentes.

Jesus ou o Senhor do Bomfim não é Oxalá, da mesma forma que Oxum, nem de leve, é N. Sra. da Conceição e assim por diante.

A falta de acesso à cultura de seus antepassados, que lhes foi negada no passado, trouxe, de fato, danos terríveis e de difícil reversão.

Entretanto, é necessário cria-se uma nova consciência a esse respeito.

Em muitos lugares no Brasil, o Dia da Consciência Negra é festejado e, pouco a pouco, é preciso fazer muito mais.

Ações no sentido de resgatar cada vez mais as histórias do povo africano sua cultura que, certamente, são tão belas e interessantes como as de qualquer lugar do mundo e, com isso, resgatar a dignidade das pessoas de afrolinhagem (não gosto da expressão afrodescentes) serão sempre bem vindas.

Vejo, inclusive, certa semelhança entre os Orixás e os deuses da Mitologia Grega.

Sei, ainda, que é um trabalho árduo e dificílimo, especialmente quando a famosa Mãe Menininha do Gantois, ao ser perguntada sobre sua religião durante um censo, declarou-se católica.

* * *

FALA SÉRIO!

Por falar em religião, há dias, no Face, foi divulgada a imagem de uma “pastora” evangélica afrodescendente, quebrando uma imagem de N. Sra. Aparecida.

Pareceu-me o OPRIMIDO agindo como OPRESSOR.

FALA SÉRIO!

O JEITO ALAGOANO…

Quando me casei pela segunda vez, há 32 anos, assim que possível, passamos cerca de dez dias no Nordeste, a título de “lua de mel”.

Desses dez dias, ficamos dois na Bahia e, de lá, rumamos para Maceió.

No caminho do aeroporto para o hotel, perguntamos ao taxista se o aumento do turismo havia trazido, como consequência, um aumento da violência na região.

A resposta dele foi que, por lá, bandido não se criava, porque a polícia matava.

Chegou a nos contar o caso de um sujeito que havia feito um crime em Alagoas mas foi preso em Pernambuco.

Quando entrou no camburão em Recife para ser transferido para Alagoas, segundo o taxista, ele pediu para ser morto ali mesmo, uma vez que após cruzar a fronteira a sua vida de nada valeria.

A se considerar o discurso do deputado estadual alagoano, João Beltrão, pai do ministro do Turismo, essa prática de eliminar criminosos, nas bandas de lá, continua.

Foram as seguintes as suas palavras, conforme divulgado na imprensa:

“Eu queria agradecer ao comandante pela limpeza na bandidagem que a polícia tem feito. E é limpeza mesmo. Não gosto de demagogo. Porque nós que trabalhamos, temos a família a zelar, que trabalhamos para comprar nossa televisão, nosso carro, não admitimos que roubem. Porque nós trabalhamos, enquanto else não. Então else têm é que ser tratados na espingarda mesmo. Isso é que se faz”.

Eu também não gosto de demagogia e a minha posição sobre o assunto é muito clara.
Sou a favor da pena de morte, mas contra a justiça pelas próprias mãos dos policiais, a não ser em legítima defesa.

Creio que o assunto deveria ser discutido pela sociedade, especialmente diante dos recentes acontecimentos envolvendo rebelião de presos, com mortes de uma crueldade inaceitável.

Todos sabemos que o nosso sistema prisional não recupera ninguém. As condições são sub-humanas, com excesso de prisioneiros.

O custo de manutenção de um preso supera o “investimento” nas crianças, através de uma boa educação.

Aliado a isso, a nossa Justiça é lenta e nem sempre rigorosa o suficiente para coibir com punições severas o aumento da criminalidade.

Sem contar que, não raro, é conivente, especialmente quando se trata de punir com rigor políticos que, pela posição que ocupam na sociedade, deveriam ser os primeiros a dar bons exemplos, mas não são.

A impunidade é notória e há que se considerar, ainda, que o armamento em poder dos bandidos é superior ao da polícia, transformando o tráfico de drogas num poder paralelo, insuportável numa sociedade democrática.

Não sou especialista no assunto e sei que defensores dos direitos humanos irão se posicionar contra a pena de morte sob os mais diversos argumentos.

Que se abra uma discussão séria sobre o assunto.

Não tenho soluções prontas, mas sei que, do jeito que está, a vida no Brasil está ficando insuportável e algo urgente precisa ser feito, já que não se investe em educação como se deveria e já que a situação econômica do país não permite vislumbrar melhores horizontes.

* * *

FALA SÉRIO!

O Ministro da Justiça, Alexandre de Morais, com suas últimas declarações mentirosas sobre a solicitação de ajuda do Governo de Roraima, não tem mais condições de continuar no cargo.

Em países sérios, autoridades e políticos mentirosos não têm vez.

Se o governo Temer quiser um mínimo de credibilidade há que trocar o titular daquela pasta por alguém mais competente e verdadeiro.

FALA SÉRIO!

OBAMA PISA NA BOLA AO APAGAR DAS LUZES

Gostei do Sr. Obama desde o início. Um homem de classe, ideias arejadas e uma família muito bonita.

No entanto, a perda do poder pelos democratas, acompanhada por uma natural decepção por não ter feito o seu sucessor (no caso, a sucessora), deve tê-lo abalado, a ponto de agir de forma incoerente ao final do seu mandato.

Sem falar na sua promessa não cumprida de fechar a prisão de Guantánamo, a posição Americana diante dos assentamentos de Israel, a essa altura do campeonato, depõe contra o seu governo.

Os EUA, sob o seu comando, tiveram 8 anos para pressionar Israel, até mesmo no Conselho de Segurança da ONU, para não invadir a Palestina e construir residências para israelitas em terra alheia.

Mas durante 8 anos, Obama e seu governo se omitiram e fracassaram na tentativa de levar a Paz à região, que já devia ter dois países e não um só, como quer Israel.

A alegação israelense de que os Palestinos não constituem um povo único, uma Nação, é tão falsa quanto à pureza étnica do judeus.

Em livro publicado em outubro de 2009 (De Habirus a Judeus: as raízes da tradição judaica, ainda sem tradução no Brasil), o escritor “judeu” americano Robert Wolfe, doutor em História em Harvard, aponta os judeus como descendentes de Habirus.

Os Habirus, por sua vez, eram bandos dispersos de assaltantes, escravos, mercenários e errantes, sem formarem uma única etnia.

Os Habirus são citados em registros antigos de várias nações do passado, incluindo-se osmanuscritos de Ugarit (de origem judaica, já que se tratava de uma cidade fenícia).

Segundo o Dr. Roberto Wolfe, Moisés era egípcio e não hebreu como diz a Bíblia e a tradução correta do seu nome é IRMÃO e não “salvo das águas”.

Se o nome significa IRMÃO é muito provável que a sua ida para a Palestina, comandando Habirus, tenha sido programada com o fito de proteger o Egito de ataques de outros povos, como Hititas. Ou seja, uma divisão DA região em duas: o Egito ficaria com o irmão mais velho, o Faraó, e Moisés, o irmão mais novo, com a Palestina.

Ou seja, a chamada TERRA PROMETIDA nada mais foi do que a GUERRA PROMETIDA e a divisão das terras dos cananeus (jebuzeus, amorreus, filisteus etc.) pelas chamadas tribos de Israel, foi uma compensação aos Habirus, de diversas etnias, por “protegerem” o Egito, uma vez que a rota normal para tais ataques seria, com certeza, a Palestina, de onde, através de um espaço de terra entre o Mar Vermelho e o Mediterrâneo se chegaria ao Egito.

Ou seja, os invasores desde sempre foram os israelitas e não podem, agora, impedir, ou tentar impedir, a criação do Estado Palestino.

Outra mancada do Sr. Obama foi a expulsão de diplomatas e outros funcionários russos do território americano, sob a alegação de espionagem.

Isso se torna mais tragicômico, pois mandaram fechar, inclusive um departamento considerado como o centro da espionagem.

Ora, com a tão competente CIA a seu dispor, certamente deveria saber, há muito tempo, qual a finalidade de tal centro operacional russo.

Um país que espiona o mundo inteiro (inclusive Dilma Roussef) se deixar apanhar tão desprevenido, me parece imperdoável!

E para completar, Obama deixou nas entrelinhas que se ele pudesse ter sido candidato, o resultado teria sido outro, uma vez que as suas conquistas como presidente teriam sido melhor avaliadas.

Desculpas de perdedor.

Não parece ser esta a opinião dos eleitores americanos!

* * *

FALA SÉRIO!

Não querendo pregar o ódio na virada do ano, declaro solenemente que não gostaria de ver o Sr. Lula da Silva e sua família presa coercitivamente pela Lava Jato.

Desejo, sim, de todo o coração, que ele se entregue espontaneamente e peça perdão ao povo brasileiro por ter pensado mais em si, nos seus “cumpanheiros”, nos seus aliados e no seu partido do que na maioria dos que o elegeram.

* * *

FALANDO SÉRIO DE FATO:

Desejo a todos os leitores do JBF um ano de 2017 cheio de SAÚDE e ESPERANÇA e que o nosso editor LUIZ BERTO FILHO não dê mais sustos em ninguém, especialmente na sua família!

FELIZ 2017!

O TAL JEITINHO BRASILEIRO DE EMPURRAR COM A BARRIGA!

O maior mal do Brasil é empurrar tudo com a barriga, com raríssimas exceções.

E, também, querer passar a mão na cabeça dos “pobres” ricos que roubam do erário público, recebem propinas e cometem crimes “menores”.

Afinal, são todos “gente boa”, “filhos de boas famílias”, gente educada, diplomada…

Gente boa é o cacete! São ladrões tão ou piores do que bandidos que assaltam à mão armada.

Os recursos que roubam, desviam para suas contas e de terceiros, é o que nos falta para desenvolver o país, para alimentar os famintos, tratar dos doentes, impulsionar o Progresso que pode gerar riquezas e dar segurança às famílias.

Mas, aí, vem um ministro do STF e fatia a Constituição, deixando a Sra. Dilma Roussef com seus direitos políticos intactos, quando deveria ficar afastada por oito anos, no mínimo.

Depois, a maioria dos ministros do STF fatia a Constituição, permitindo que o Sr. Renan Calheiros, réu em processo no próprio STF, continue presidindo o Senado e o próprio Congresso Nacional, mesmo estando, CONSTITUCIONALMENTE, na linha sucessória.

Agora, vem o Ministro Gilmar Mendes dizer que a inclusão de informações de delações dos executivos da Odebrecht pode atrasar o julgamento da chapa Dilma-Temer.

Ora, faça-me o favor! Se já há provas suficientes para se cassar a chapa, que se tome a decisão, sem esperar novas informações.

O que vier a mais são outros 500. São agravantes.

O Brasil não pode esperar continuamente a tomada de uma decisão maiúscula (ou máscula).

As Instituições, para terem credibilidade, não podem agir de forma titubeante! Têm de ser firmes. Têm de cumprir a LEI, DOA a quem doer.

Infelizmente, o que temos visto é o tal jeitinho brasileiro de empurrar decisões com a barriga, sob o rubrica de governabilidade ou de “evitar traumas”…

Quando será que os nossos magistrados terão consciência de que, exatamente por essa fraqueza de CARÁTER que empurra decisões importantes com a barriga, sob falsos argumentos, é que vem causando problemas insolúveis no país e que, ao longo do tempo e que nos transformou nessa REPUBLIQUETA DE BANANAS?

* * *

FALA SÉRIO!

Será que Lula e seus advogados também vão à ONU se queixar da Justiça Americana, após o acordo de leniência da Odebrecht por lá?

FALA SÉRIO!

* * *

O que dirão Maduro e seus seguidores, depois que a Justiça Americana informou que obras na Venezuela foram contratadas mediante propina para alguns de seus governantes?

FALA SÉRIO!

* * *

Como sempre tenho dito, os pseudo-esquerdistas brasileiros fazem um discurso de esquerda, mas se aliam aos poderosos banqueiros e empreiteiros e agem pior do que a chamada DIREITA!

Até quando o povo vai acreditar que Dilma e Lula são inocentes e que estão sendo perseguidos pelo Juiz Sergio Moro?

FALA SÉRIO!

COMO DIRIA MILLOR FERNANDES, “LIVRE PENSAR É SÓ PENSAR”

O recente episódio envolvendo a Odebrecht e o atual presidente Michel Temer é algo de facílima solução.

Senão, vamos aos noticiários e fatos ou boatos divulgados:

O executivo delator da Odebrecht disse que, durante um jantar no Palácio Jaburu, o Sr. Michel Temer, na época vice-presidente, pediu ao Sr. Marcelo Odebrecht a quantia de 10 milhões de reais para o PMDB

O Senhor Michel Temer confirma.

O Senhor Marcelo Odebrecht, idem.

O executivo delator da Odebrecht disse, ainda, que, dos 10 milhões, quatro foram entregues no escritório do advogado José Yunes, para serem repassados ao Sr. Elizeu Padilha, atual ministro-chefe da Casa Civil do governo Temer.

O advogado José Yunes alega que jamais recebeu essa quantia, que estava sendo envolvido numa denúncia por um cidadão que ele jamais viu na vida ou manteve qualquer contato.

Não estou julgando, nem acusando ninguém.

Mas, conforme eu disse, o caso é de fácil solução, para sabermos quem é o mentiroso da hora.

Ora, todos os valores recebidos legalmente pelos partidos ou candidatos devem ser declarados à Justiça Eleitoral.

Então, a Justiça Eleitoral tem a obrigação de informar à população e ao Ministério Público se os 10 milhões foram declarados pelo PMDB.

Se foi declarado, o Sr. Michel Temer sai ileso dessa história e, provavelmente, aumenta sua credibilidade e, até mesmo, pode ganhar algum apoio popular.

Neste caso, é lícito supor-se que os valores solicitados e recebidos foram absolutamente legais, caso não tenha havido alguma pressão, chantagem ou negociata por debaixo da toalha de linho bordado que, provavelmente, cobriu a mesa do referido jantar.

E a delação da Odebrecht fica sob suspeição, podendo, até mesmo, ser cancelada e a prisão dos falsos delatores ser ampliada.

Entretanto, se os valores não foram declarados à Justiça Eleitoral, bem…

Cai a república ou, quando nada, o Sr. Michel Temer por ter mentido e, junto ao seu grupo, ter embolsado ou sabe-se lá que destinação deram aos 10 milhões.

O Sr. Elizeu Padilha, envolvido também por ser destinatário daqueles valores, tendo repassado ou não para políticos do PMDB, por fora, para campanhas eleitorais ou sabe-se lá pra quê, também tem de cair.

E o Sr. José Yunes terá de admitir que recebeu os valores e os repassou (ou não) para o Sr. Padilha.

Simples assim. Com a palavra a Justiça Eleitoral.

* * *

FALA SÉRIO!

A turma do PT, que vive falando mal dos banqueiros, continua defendendo que o endividamento do país, elevado à enésima potência pelo PT, era menor do que o do Brasil de FHC, considerando-se o PIB.

Ora, se antes os juros incidiam sobre 850 bilhões de reais, e agora incidem sobre 3 trilhões e 300 bilhões, obviamente estamos abastecendo com mais recursos os cofres dos banqueiros.

Juros, estando ou não numa proporção mais ou menos favorável em relação ao PIB, é dinheiro que vai e não Volta.

É suor que vai e não volta. São calos nas mãos que vão e não voltam.

E, cada vez mais, sobram menos recursos para investimentos, sem contar o quanto isso contribui para aumento da inflação e, até mesmo, para pressionar para cima a taxa de juros, tanto para o governo, quanto para as empresas, quanto para a população em geral.

Não sei se eles já ouviram falar em ARITMÉTICA!

FALA SÉRIO!

CHAMEM JACK, O ESTRIPADOR, PORQUE A MODA É FATIAR!

Tudo que o Brasil precisa, no atual momento, não é de panos quentes.

Ao contrário, a única garantia que poderemos (ou poderíamos ter) é o respeito às Leis e que seja aplicada a todos, independentemente do cargo que ocupam.

Toda a euforia e credibilidade da Justiça, por conta das ações da Lava Jato, de repente, sofreram um recuo com a ação “Panos Quentes” do STF.

E o pior, ao que tudo indica, é que foi uma ação negociada entre o Planalto, o Senado e o STF, o que torna tudo muito mais grave e desalentador.

Todos sabem que o Sr. Renan Calheiros, há muito tempo, não deveria ocupar nenhum cargo político mais.

Desde que veio à tona o recebimento de propina de uma empreiteira para pagamento de pensão para a sua ex-amante, a jornalista Mônica Veloso, o citado cidadão alagoano não deveria mais estar no cargo que ocupa.

Há poucos dias, depois de nove anos do processo estar “engavetado” no STF, finalmente o Sr. Renan tornou-se réu por ter cometido, dentre outros crimes, o de PECULATO, um crime de subtração ou desvio de dinheiro público cometido por funcionário público.

Ora, se o próprio STF aceitou torná-lo RÉU por esse crime é porque, certamente, encontrou indícios suficientes para tanto.

Como, então, o STF não afastá-lo da Presidência do Senado, deixando nas mãos de um RÉU POR PECULATO um orçamento gigantesco?

É o mesmo que dizer “PECULATEIE” à vontade, que nós damos cobertura.

Sem contar que o próprio STF, por 6 votos ao menos (o que já daria maioria), havia decidido que réus em ação penal perante o próprio STF não podem substituir o presidente da República.

E a CONSTITUIÇÃO DE 1988, em seu artigo 80, é claríssma quando à sucessão presidencial: “Em caso de impedimento do Presidente e do Vice-Presidente, ou vacância dos respectivos cargos, serão sucessivamente chamados ao exercício da Presidência o Presidente da Câmara dos Deputados, o do Senado Federal e o do Supremo Tribunal Federal.”

Deixar o presidente do Senado no exercício da função, mas proibi-lo de assumir a presidência, é, portanto, uma violação à Constituição que não pode e nem deve ser modificada pelo STF. Lá está escrito que o presidente, queira ou não o STF, está legitimamente no rol dos sucessores da presidência da República.

Essa solução de fatiar a Constituição, já ocorrida quando do impeachment da Sra. Dilma Roussef, permitindo que ele continue no cargo, mas não assuma a presidência, caso seja necessário, é tão inaceitável quanto ao fatiamento anterior.

O Brasil não precisa de acomodações numa hora como essa. Precisa, sim, ser passada a limpo, doa a quem doer!

E o povo nas ruas, na última manifestação, bradou com todos os pulmões:

FORA RENAN! FORA RENAN! FORA RENAN!

Mas ele, além de ficar no cargo, desafiou a LEI, não acatou uma determinação de um dos ministros do STF, e ficou por isso mesmo.

Deveria ir em cana, mas recebeu apenas um afago na orelha da Ministra Cármen Lúcia, porque a fala dela, tão tímida, jamais poderia ser considerada um puxão.

* * *

FALA SÉRIO!

Essa li agora há pouco:

A decisão de manutenção de Renan no cargo pelo STF equivale a um jogador de futebol ser expulso, recusar-se a sair e a arbitragem permitir que ele fique em campo, desde que não faça gol. .

FALA SÉRIO!

* * *

A retirada da urgência na votação do projeto de Lei visando a punição de promotores e magistrados por ABUSO DE PODER parece uma prova de negociações escusas de bastidores.

STF não foi criado para isso!

FALA SÉRIO!

O OTÁRIO, METIDO A VIVO, FAZENDO O PAPEL DE TROUXA

Pelo tanto que subiu na vida e pelo tanto que iludiu, não só o Brasil, mas o mundo inteiro, penso que o Sr. Lula da Silva ficou se achando uma das pessoas mais inteligentes do mundo.

Mas como diz o ditado, quando a esperteza é muita, acabando comendo a perna do esperto.

Assim, Lula contratou (deve ser a peso de ouro e eu não sei de onde pode vir tanto ouro) uma equipe de advogados “espertos”.

São tão espertos que o espertalhão do Lula ainda não percebeu que a tática que estão usando é suicida e que só vão prejudicar o cliente, ou seja, o próprio Lula.

Em depoimentos de testemunhas, contra ou a favor do Lula, os advogados espertos procuraram desestabilizar o emocional do juiz Sergio Moro.

Com essa manobra demonstraram o desprezo e a arrogância de quem se julga superior aos demais seres humanos, urbanoides que são, acostumados com grandes metrópoles, diante de um juiz do interior do Paraná.

Tanto é verdade, que classificaram o Paraná, o 4º PIB do Brasil, como sendo simplesmente, uma mera “província agrícola”.

Na certa, os empertigados advogados contratados pelo Sr. Lula esquecem que a produção agrícola, especialmente a de grãos, vem dando sustentação econômica ao Brasil, mantendo um bom nível de exportação, trazendo divisas para o país, há muito tempo.

Tanto é verdade, que a reforma agrária anunciada nos palanques pelo seu cliente não saiu do discurso, diante da força econômica demonstrada pela agroindústria daqui e de outras “províncias agrícolas”.

Há algum tempo, num discurso, o próprio Stédile, controverso líder dos sem-terra, declarou que FHC distribuiu mais terras do que os governos de Lula e Dilma juntos.

Tivessem os governos petistas distribuídos as terras prometidas, o país já estaria no fundo do poço há muito mais tempo.

Embora não seja paranaense de nascimento, tenho uma admiração imensa por este estado e um respeito muito grande por sua população trabalhadora.

Lembro que quando aqui cheguei, há 40 anos, encontrei um povo maravilhoso. Gente de calos nas mãos, dando duro e ganhando o pão de cada dia com o suor do rosto, sem a vaidade dos “engravatadinhos” de gabinetes, com seus ternos bem talhados, que defendem políticos corruptos.

Vim trabalhar como vendedor de uma grande indústria fornecedora de matéria-prima para fábricas de móveis e aprendi muito com esses “provincianos”, gente mil vezes melhor do que defensores de bandidos que pretendem colocar as suas habilidades como causídicos acima da Lei e da Justiça e, assim, demonstram uma falta de ÉTICA a toda prova.

Na minha opinião, quem faz falta ao país, de verdade, é essa gente da “província agrícola” que, da mesma forma que as pessoas das “províncias industriais urbanas” foram iludidas com o discurso de seu cliente que pregava uma filosofia política da qual não comunga.

Pura conversa fiada, blá, blá, blá de quem mentiu, iludiu, corrompeu-se e corrompeu e agora está pensando ser capaz de intimidar um juiz “provinciano”.

Nessa linha de atuação, com certeza, os advogados de Lula estão cavando o túmulo de seu próprio cliente.

Mas o Sr. Lula, tão esperto, ainda não percebeu isso.

Enfim, como diz o ditado, cada doido com sua mania!

* * *

FALA SÉRIO!

A Lei Rouanet está cobrando do Zé do Cuspe R$ 300.000,00 em virtude de uma prestação de contas furada, ao que tudo indica.

Será que ele, que participou da famosa vaquinha a favor de Zé Dirceu vai recorrer ao seu ídolo para igualmente promover uma vaquinha para reunir os valores necessários ao ressarcimento dos cofres públicos?

* * *

FALA SÉRIO!

E já que estamos falando de Lei Rouanet, está rolando na mídia uma acusação de que o ex-ministro Gilberto Gil usou R$ 800.000,00 daquela Lei para um evento privado, o que é vedado pela Lei e ele, como ministro, tinha obrigação de saber.

Por essas e outras, dá pra gente entender o porquê de certos artistas defenderem tão ferozmente o governo petista.

FALA SÉRIO!

O EFEITO “SERGIO MORO”!

A descrença na Justiça brasileira vinha de longe. Todos tinham a impressão de que os poderosos jamais pagariam por seus crimes.

A impressão que se tinha é que os próprios juízes se acovardavam diante do poder político e capacidade de manipulação das massas e das sentenças superiores dos vários agentes políticos no Brasil.

A ideia geral é que prisão, por aqui, seria sempre e somente para pobre, preto e puta.

Aí, surgiu Sergio Moro, um juiz jovem e corajoso e junto a ele promotores igualmente destemidos, mais uma polícia federal comprometida com a verdade, tudo começou a mudar.

Os petistas e corruptos de outros partidos começaram a espernear, a ameaçar, a se dizerem perseguidos… Mas a verdade, pouco a pouco, começou a vir à tona.

Políticos de outros partidos, inclusive o do presidente Temer, o PMDB, que todo mundo sabe que vive agarrado às tetas do governo, de qualquer governo, entraram também na mira da Lava Jato e, pouco a pouco, começam a ser presos.

E para alegria geral, as acusações de que o juiz Sergio Moro era parcial e que estava perseguindo Lula e os demais petistas começam a perder o sentido, haja vista que outros juízes estão agindo com mais rigor contra os corruptos, emitindo mandatos de busca e apreensão e até mesmo de prisão, bem como políticos de outros partidos também estão começando a sentir o peso da mão da justiça.

À medida que isso se tornar rotina, ou seja, que os políticos corruptos passem a ser processados e presos amiúde, penso que a população vai sentir mais confiança na Justiça brasileira.

E espero, sinceramente, que isso tenha um efeito esclarecedor no seio da sociedade que passe a enxergar melhor em que políticos irão votar, que promessas ouvir e em quem acreditar.

Que não se deixem mais enganar pelo “canto da sereia”, que pregava igualdade social pela boca e pelas mãos se juntavam aos empreiteiros e empresários desonestos e roubavam o dinheiro público, a ponto de gerarem o caos em que nos encontramos.

Que mais e mais juízes comecem a olhar o país e o povo sob o prisma da igualdade e da justiça social, e que os nossos bons políticos (que ainda existem, sim) saibam conquistar a confiança da população e ajam de forma correta e com o pensamento voltado para a maioria.

É tudo o que Brasil precisa.

* * *

FALA SÉRIO!

Finalmente, começam a vir à tona os valores surrupiados do país na construção dos estádios de futebol para a Copa do Mundo, que tanto denunciamos.

Não há um só deles, mesmo os ditos “particulares” como o Itaquerão, onde alguma tramoia não tenha sido levada a efeito para justificar o desatino e o oportunismo eleitoreiro de se sediar a Copa em 12 estados diferentes, a um custo exorbitante.

Essa já passou à História como a Copa do Fiasco e a Copa da Propina.

* * *
FALA SÉRIO!

E por falar em Copa, Olimpíadas etc. será que há alguma investigação para saber o quanto o governo Lula pagou por fora para trazer esses dois eventos para o Brasil?

Porque do jeito que a propina era o “modus operandi” do governo, não é de se estranhar que se tenha feito uso desse, como diria o Cabral, “oxigênio!”

FALA SÉRIO!

SENTA QUE O LEÃO É MANSO!

Há um ditado antigo que diz: “Cautela e caldo de galinha não fazem mal a ninguém!”

Assim, antes das pessoas ficaram disseminando previsões catastróficas, por conta da eleição de Donald Trump, deviam para para refletir um pouco.

O empresário Donald Trump é dono de hotéis e casinos e, certamente, sabe que o fluxo de turistas mundiais dão uma boa rentabilidade para os seus empreendimentos, e os demais empresários do setor também o sabem.

Logo, as portas dos EUA estarão abertas para quem quiser chegar com alguma graninha no bolso. Ele pode parecer meio doido, mas por certo não rasga dinheiro.

Em segundo lugar, ele foi eleito Presidente dos EUA e não Imperador do Mundo.

Isso significa que vai estar sujeito aos mais diversos controles, até do próprio mercado.

Querer que o que ele considera América (somos todos americanos, afinal) voltar a ser GRANDE, acho um desejo natural e lícito. Nós também gostaríamos que o Brasil fosse GRANDE.

Mas entre desejar e fazer, há uma diferença enorme.

Se tem alguém que já deveria estar vacinado contra promessas eleitoreiras somos nós. Não há uma eleição no nosso país em que candidatos prometem mundos e fundos que jamais irão realizar.

Não podemos jamais esquecer que o mundo, apesar de alguns percalços, resistiu ao Ronald Reagan e aos Bush, pai e filho.

Sem contar que as Leis nos EUA são mais rigorosas em muitos casos e que a Suprema Corte americana, o STF de lá, julga, quase ou com total exclusividade, os casos que remetem à Constituição americana, de modo que o presidente Trump não poderá agir contra os princípios da Carta Magna de lá.

No que se refere ao comércio exterior, o mundo está globalizado e quem tentar romper drasticamente com o equilíbrio das relações comerciais do planeta, será penalizado em dose igual ou maior.

A Física tem uma Lei que diz que a cada ação corresponde uma reação igual e em sentido contrário. É só esperar pra ver.

Se ele sobretaxar produtos chineses, os chineses farão o mesmo. A mesma coisa ocorrerá com a União Europeia e, até mesmo, o nosso querido Brasil.

Por falar em União Europeia, a Inglaterra já deve estar se roendo de arrependimento da tentativa de sua população (é responsável porque votou) de sair da Comunidade Europeia. Vão perder grandes negócios.

Se Trump optar pela xenofobia, medidas protecionistas e isolacionismo, a situação econômica dos EUA sofrerá uma baque imenso.

Assim, vamos com calma aguardar os acontecimentos.

Não façamos como algumas pessoas que não entendem o sistema eleitoral americano e creem que a Hillary, por ter sido a mais votada pela população, deveria asssumir.

Não é assim que o processo eleitoral de lá funciona. E não é GOLPE!

Vamos, pois, sentar e aguardar pois pode ser que daqui a bom tempo d gente descubra que O LEÃO É MAIS MANSO DO QUE SE ESPERAVA.

* * *

FALA SÉRIO!

Como o espírito de imitação anda sempre em alta neste país, já tem gente fazendo abaixo-assinado para que o Brasil adote o sistema de prévias nas próximas eleições, sob a alegação de que não escolhemos o candidato em quem queremos votar.

É claro que temos prévias. O que não temos são pessoas filiadas a partidos políticos apenas dois partidos.

A maioria dos partidos reúne seus filiados e com a participação deles, os candidatos são escolhidos.

Imagino que quem deu início à iniciativa, jamais se filiou a um partido político e não sabe que para se ter voz e voto num partido político, é preciso estar FILIADO!

FALA SÉRIO!

O HERDEIRO POLÍTICO DE LULA!

Há quem esteja especulando sobre o possível herdeiro político de Lula, uma vez que a sua candidatura para 2018 parece ter afundado, depois das últimas eleições.

Dentro do próprio PT, não há nenhum “expoente” e a credibilidade de qualquer petista, com o advento da Lava Jato, está em baixa, talvez irrecuperável.

Dos partidos da chamada “ESQUERDA” (Pseudo-esquerda, na minha avaliação), só o PDT conseguiu algum sucesso.

Com isso, fala-se em Ciro Gomes para 2018.

Ele bem que andou ensaiando candidatar-se a herdeiro político de Lula, defendendo, não faz muito tempo, num ato falho, sequestrar Lula e conduzi-lo até uma embaixada para evitar a sua prisão.

Ideia de merda na cabeça todo mundo tem de vez em quando.

Durante o processo de impeachment, ele se posicionou contra e deu várias declarações dizendo, inclusive, que, no Senado, o suborno e a esculhambação iriam acontecer.

Como se sabe, sempre foi um falastrão.

Isso foi em junho/2016 e de lá pra cá, muita água passou por debaixo da Ponte. Veio a eleição para prefeitos que, praticamente, quase baniu o PT da vida pública.

Em função disso, o título de herdeiro político de Lula está mais para pecha do que outra coisa.

Como o Ciro não é burro, deve estar pensando que a sua ideia e apoio dado ao ex-presidente pode ter sido uma pá de cal na sua pretensão a candidatar-se a presidência da república.

A grande maioria do povo brasileiro – calcula-se 81% – não quer saber do PT e optou por PMDB e PSDB, sendo que esse último conseguiu emplacar mais de 20% das prefeituras e isso tem um peso enorme, porque a política começa nos municípios.

Assim, não será de se estranhar se, de repente, o Sr. Ciro Gomes começar a dar uma guinada para outro lado, deixando de lado a sua defesa do ex-presidente Lula e da ex-presidente Dilma, na esperança de que o povo esqueça de sua oratória populista.

Ainda mais que a Lava Jato está fechando acordo de delação com o Sr. Marcelo Odebrecht e, como se espera, muitos caciques dos grandes partidos deverão estar no bolo.

Será uma hora excelente para os oportunistas de plantão.

* * *

FALA SÉRIO!

A coluna do Juca Kfoury informa que um vazamento no estádio do Corinthians, o Propinão, ameaça soterrar a avenida vizinha.

Os leitores assíduos da minha coluna sabem que, há muito tempo, eu disse que a palavra ITAQUERA, em tupi, é PEDRA PODRE.

A podridão por lá parece ser maior do que eu pensava.

* * *

FALA SÉRIO!

Li, que a Sra. Dilma Roussef pensa em se dedicar à literatura, escrevendo romances policiais, dos quais é fã.

Se os textos forem iguais aos seus discursos…

Mas como estamos no Brasil, não duvido que, no futuro, ela faça parte da Academia Brasileira de Letras, tendo José Sarney por patrono.

À guisa de contribuição sincera, vai aqui a sugestão de um título: O ESTRANHO CASO DO ENGARRAFADOR DE VENTO.

FALA SÉRIO!

O EQUILÍBRIO NECESSÁRIO

Creio que as urnas deram alguns recados indiscutíveis nessas últimas eleições:

1. O povo entendeu que o impeachment não foi golpe, pelo contrário;

2. O Verde-amarelo é maior que o vermelho;

3. O radicalismo não tem mais vez.

Isso vale tanto para a dita ESQUERDA como para a dita DIREITA.

Em alguns lugares, como o Rio de Janeiro, ficou evidente que a população ainda guarda uma forte identificação com a esquerda e que o vazio deixado pelo PT pode ser ocupado com o PSOL, desde que abandone o radicalismo que o caracteriza.

Esse radicalismo revelou-se tão logo o Freixo foi anunciado para o segundo turno e, em seu discurso, atacou o presidente Temer.

Na mesma hora, pensei que ele tinha jogado for a a sua possível eleição, como, de fato, aconteceu.

Sou favorável ao equilíbrio entre ESQUERDA e DIREITA por entender que isso é saudável e capaz de beneficiar a todos nós.

Aliás, acho que o PSOL, se quiser chegar a algum lugar de destaque, para contribuir com a construção de uma essa nova sociedade que todos ansiamos, mais justa e dentro dos ideais da igualdade possível, capaz de reduzir ao máximo as diferenças sociais que não se pode ignorar, deve ser mais flexível e file à sua própria história.

Afinal de contas, esse partido nasceu de uma dissidência dentro do PT, inconformada com a expulsão da ex-senadora Heloísa Helena, de Alagoas, que, atualmente, nem faz mais parte dos quadros do partido.

Incoerentemente, em minha opinião, o PSOL nos últimos anos vem se aproximando do PT e isso pode, dependendo dos rumos do país, impedir que ocupe o vazio deixado pelo partido do Lula.

Se incorporar o mesmo discurso radical, irá sucumbir à sua própria intolerância.

Só para ilustrar, quando morava em Natal e havia desistido de continuar petista, ao perceber que o governo Lula seria uma ilusão a mais, muito antes do mensalão, soube de uma reunião para a criação do PSOL no Rio Grande do Norte e compareci à tal reunião bastante animado.

Mas por ser um mini-micro-empresário, na qualidade de escritor que se autopublicava, senti uma forte hostilidade por parte dos demais participantes.

Fiquei com a impressão de que queriam um partido de empregados “raivosos” da iniciativa privada, especialmente, bancários, professores e funcionários públicos.

Alguém como eu, que tentava romper com o sistema vigente, publicando seus próprios escritos, sem um empregado sequer, passava à condição de “EMPRESÁRIO”, capitalista, explorador da mão de obra, com possibilidades de “ficar rico” e, portanto, um provável representante dos ideais da DIREITA LIBERAL.

Obviamente, não assinei ficha de filiação devido à imensa decepção com o radicalismo dos presentes e à falta de visão que tinham.

Acho interessante o crescimento do PSOL, bem como o equilíbrio entre teorias de esquerda e de direita, desejável e fundamental para que o Brasil encontre um bom caminho.

Mas sem um mínimo de tolerância, isso é impossível.

* * *

FALA SÉRIO!

Nem Lula, nem Dilma compareceram às urnas para votar no segundo turno das eleições para prefeito.

Esse é o grau de consciência política desses dois que ocuparam o principal cargo da política brasileira.

FALA SÉRIO!

O INFELIZ TIRO PELA CULATRA!

Já me manifestei várias vezes a favor da Reforma do Ensino Médio.

Na verdade, sou a favor da mudança de toda a educação brasileira que, a rigor, não vem dando certo do jeito que está.

Mesmo a grade curricular das Universidades precisam ser revistas periodicamente, haja vista que se estuda matérias que nem sempre tem a ver com a futura profissão, pela qual se optou.

Não sou dono da verdade e respeito as opiniões contrárias. Mas é preciso argumentos convincentes, sob o risco de perderem credibilidade. Ser contra só por ser do contra é contraproducente.

Como no atual momento político, há quem ainda considere que o governo Temer é ilegítimo e o impeachment, golpe, sempre que os movimentos liderados pela esquerda podem, vão querer arregimentar seguidores, nem sempre conscientes, para as suas ações de protesto.

A atual ocupação de escolas públicas no Paraná é um exemplo concreto disso.

Frustrados por não terem conseguido o que almejavam no ano passado, quando o PT e as forças da esquerda foram derrotadas nas urnas pelo governador do PSDB, Beto Richa, em primeiro turno, alguns professores, liderados pela APP Sindicato, incentivaram a ocupação de escolas públicas por estudantes, sob o pretexto de protestarem contra a Reforma no Ensino Médio que, a rigor, é fruto de estudos desenvolvidos há anos e chegou a ser anunciada pela ex-presidente Dilma Roussef.

Se ela tivesse implantado a Reforma, garanto que esses mesmos professores aplaudiriam a medida. Mas como foi o governo Temer, que eles chamam de golpista, ficaram contra.

Incentivar alunos que eles mesmos, professores, não conseguem controlar a invadir e ocupar escolas é uma insanidade absurda.

Não posso afirmar, mas fiquei com a impressão de que a intenção das lideranças, no ano passado, quando ameaçaram invadir a Assembleia Legislativa do Paraná, era gerar uma vítima fatal, um mártir, para criar um clima de ódio irrestrito àquele governador, especialmente por ser do PSDB.

Mas, apesar dos confrontos entre policiais e professores, como era de se esperar, tenha resultado em violência descabida, com várias pessoas machucadas, rostos ensanguentados etc., felizmente não houve cadáveres.

Ontem, no entanto, um cadáver apareceu, mas como um tiro que saiu pela culatra.

Um dos jovens que ocupava uma escola pública foi esfaqueado e morto por outro colega.

Segundo algumas testemunhas e a própria polícia, os menores estavam consumindo drogas, quando se desentenderam e o crime ocorreu.

Ora, o que podemos pensar quando se incentiva a ocupação de escolas públicas onde jovens, sem o devido acompanhamento e vigilância, consomem drogas?

Quem vai se responsabilizar por esse crime? Será que algum professor da escola, incentivador do movimento de ocupação, vai dormir com a consciência tranquila?

Radicalismos não levam a nada. Nada como o diálogo, especialmente num dos poucos estados da União onde os professores, bem ou mal, assim como todo o funcionalismo público tem recebido o salário rigorosamente em dia.

* * *

FALA SÉRIO!

Se Renan Calheiros, indiciado por crime de corrupção, chama um juiz federal de juizeco, o que não deve pensar de vereadores, prefeitos, deputados e outros políticos menos letrados?

Vereadorecos, prefeitecos, deputadecos, senadorecos, governadorecos, presidenteco… eco, eco, eco…

FALA SÉRIO!

* * *

Ao agredir o judiciário como um todo, chamando um juíz de primeira instância de juizeco, Renan cometeu a mesma burrice da defesa de Lula e do próprio, ao se indispor com os juízes que irão julgá-lo, mais dia, menos dias.

Preparou a própria cama, ou melhor, o próprio catre, onde, por certo, não irá dormir tranquilo.

A sua própria arrogância vai ocupar mais espaço que ele e o jogará para fora do catre, mas não da cela.

FALA SÉRIO!

NÃO POR SER TRICOLOR…

Sempre fui a favor da eletrônica no esporte.

Se fosse permitida, os resultados fariam mais justiça e muitas discussões seriam evitadas.

Uma bola que entrou, um gol não validado ou o contrário… Um impedimento duvidoso, uma falta, um pênalti…

Muita gente, porém, creio que até a FIFA pensa assim, acha que sem discussão depois do jogo, metade da graça do futebol se perderia.

Há quem defenda que ele só chegou onde chegou em popularidade exatamente porque a bronca é livre e a polêmica mantém acesa a paixão do torcedor.

Só que outros esportes já adotaram o desafio, sem que perdessem a graça, com o o voleibol e o tênis.

Sempre que há um lance duvidoso, para-se o jogo e ele é exibido novamente, em câmara lenta, para não deixar dúvida.

Mas enquanto não se pode usar a eletrônica, enquanto ela for proibida, toda e qualquer interferência externa não pode ser aceita, pois é indesejável e contra as normas.

Se é contra as normas do esporte, a sua utilização deveria sempre dar margens ao cancelamento de uma partida.

Por isso, não por ser tricolor, penso que o FLA X FLU deveria ser anulado.

Houve, de fato, como ficou provado pela leitura labial da Globo, interferência externa na decisão do juiz.

Erro de direito suficiente para se anular a partida.

Sei que muitos irão dizer que o gol foi ilegítimo e que foi desconsiderado legitimamente.

Isso, para mim, não é argumento porque o número de gols ilegítimos que foram validados mundo afora não está no gibi.

Esse argumento só seria válido e honesto se todas as jogadas polêmicas fossem revistas usando o recurso eletrônico e todos os gols marcados em impedimento, jogadas que resultaram em gols, com a bola tendo passado por for a da risca no cruzamento e o bandeira não percebeu e outras com erros humanos deveriam ser anulados e mudar-se o resultado de muitos campeonatos.

Sem contar outras irregularidades como “la mano de Dios”, em plena Copa do Mundo e aquela que decidiu a Copa do Mundo da Inglaterra, em 66.

Claro que daria uma confusão medonha anular todos eles, recontar os pontos, agendar outra partida…

Mas se é para falar em legitimidade, deveria ser assim, porque, até então, gols feitos com a mão ou em impedimento, desde que o juiz não tenha visto, continuam válidos.

Por isso, o argumento de que houve ERRO DE DIREITO deveria prevalecer e a partida ser anulada.

O auxiliar levantou a bandeira assinalando o impedimento, mas o juiz, que tem a palavra final, desconsiderou achando que o seu companheiro de trabalho havia errado. Correu para o meio de campo validando um gol surgido de uma jogada ilegal. Fim de papo, como já ocorreu várias vezes.

O jogo ficou paralisado durante vários minutos, até que o juiz voltasse atrás, após um quarto elemento entrar em campo e dizer que pela televisão havia impedimento, o que fez o juiz mudar a sua decisão.

Tanto isso é verdade, que o mesmo juiz não será mais escalado para apitar novas partidas do Brasileirão até o seu término.

Uma prova inconteste que os dirigentes têm convicção que a vedada interferência externa ocorreu de fato.

Mas num país onde a corrupção campeia, as Leis no futebol, dependendo dos interesses, não são respeitadas, especialmente quando certos times seriam os prejudicados.

Depois, a turma se queixa de que os estádios estão vazios…

* * *

FALA SÉRIO!

No interior de São Paulo, uma mãe, auxiliar de costureira, entregou à polícia o filho menor de idade, por ter assassinado uma idosa.

Um gesto grandioso e que deve ter sido extremamente doloroso para ela.

A polícia havia prendido o viúvo, achando que ele seria o responsável pelo assassinato DA esposa.

Depois que o caso foi esclarecido, o viúvo foi, felizmente, libertado.

Mas o delegado responsável pelo caso negou ter havido erro DA Polícia Civil na investigação.

Que contraste! A mãe tem um gesto mais do que louvável e o delegado não teve a humildade de admitir o erro.

FALA SÉRIO!

PODEM ME CHAMAR DE RADICAL

Quando era pré-adolescente, ouvia muita música estrangeira no rádio.

Os meus preferidos eram The Platters e Nat King Cole, uma das vozes mais bonitas que já ouvi.

Por conta da permissividade brasileira, que chegou a baixar uma Lei autorizando tocar até 50% de músicas estrangeiras nas rádios, ficamos à mercê de músicas de outros países e distantes das nossas verdadeiras raízes.

Quando o rock começava a dominar a minha mente pré-adolescente, para a minha sorte, começou a bossa-nova.

Eu ouvia música brasileira na Rádio Nacional e, embora fossem músicas que se tornariam clássicos do nosso cancioneiro, na época não me diziam muito. Eu não vivia ainda o tema daquelas canções.

Já a bossa-nova trouxe letras mais leves, mais condizentes com a minha idade, e melodias inovadoras.

Até porque as letras das músicas americanas que, às vezes eu traduzia, não tinham a mesma dose de lirismo que a Língua Portuguesa tem. Falavam, também, de coisas distantes.

Assim, comecei a compor influenciado por vários artistas brasileiros da época, especialmente Billy Blanco, Jobim, Carlos Lyra e a poesia de Vinícius de Moraes, que, em minha opinião, foi quem revolucionou a letra da canção brasileira.

Cheguei a ouvir The Beatles, mas nem de leve fui fanático por eles, muito menos pelos Rolling Stones. Minha paixão tornara-se a MPB, especialmente quando surgiram os festivais de Música Popular Brasileira.

Torci muito por Ponteio, Disparada, Canto Triste…

Assim, Bob Dylan não me diz nada e, sinceramente, sempre achei ridículo o Suplicy cantando Blowin in the Wind no Senado brasileiro. Mas gosto é gosto!

Sendo compositor de MPB e de música para crianças, até poderia vibrar com a premiação do Nobel de Literatura deste ano. As letras das músicas são literatura oral, acima de tudo, e como respeito e admiro diversos letristas, incluindo-se mesmo cordelistas e repentistas, poderia até desejar que alguns deles entrassem na lista dos possíveis agraciados.

Mas achei, sinceramente, algo talvez político demais e fora de propósito conceder tal honraria a Bob Dylan.

Na minha lista de letristas há tantos muito melhores, mais talentosos e mais representativos, especialmente considerando-se a Língua Portuguesa, que me diz muito mais do que o inglês, por exemplo.

Podem me chamar de radical, mas, para mim, foi uma decepção e uma tentativa de inovar somente para ser diferente.

A qualidade deixou a desejar.

* * *

FALA SÉRIO!

Lula ameaça processar João Dória, recém-eleito prefeito de São Paulo, por ter dito que faria uma visita ao ex-presidente em Curitiba.

Se for por esse motivo, vai ter de processar cerca de 80% DA população brasileira.

FALA SÉRIO!

 

ESQUERDOPATIA EXAGERADA!

Acho uma graça danada de certas pessoas que se dizem de ESQUERDA, mas têm conceitos que não se encaixam no que se pode considerar a VERDADEIRA ESQUERDA!

Em primeiro lugar, ESQUERDA, normalmente, é OPOSIÇÃO e já nasceu assim na Revolução Francesa.

A esquerda, por princípio, quer mudanças na sociedade para acabar (ou diminuir sensivelmente) com as diferenças sociais.

Ora, quem quer diminuir as diferenças sociais não pode admitir, sob hipótese alguma, que algum político, seja quem for, meta a mão no erário.

Os recursos de uma nação, por princípios de ESQUERDA, são de todos os seus cidadãos, sem distinção de raça, credo, profissão etc.

Não há, portanto, credibilidade quem se diz de ESQUERDA e defende o petismo e seus líderes. Isso é uma heresia.

E como a maioria desconhece as verdadeiras convicções e propósitos, pensa que ser de ESQUERDA é sair gritando palavras de ordem e criticando a Rede Globo, responsabilizando-a pela queda da Dilma e por todas as outras mazelas do país.

E,assim, sem perceber, acaba postando comentários que contrariam aqueles que deveriam ser os seus princípios.

Hoje cedo, no FACE, vi um comentário criticando a GLOBO por ter “abandonado” os atores Lúcio Mauro e Claudia Rodrigues, que faziam os papéis de Fernandinho e Ofélia no “Balança mas não cai”.

Se a esquerda defende o fim dos privilégios, deveria se eximir de tal comentário. Afinal de contas, quem no Brasil recebe apoio indefinido das empresas onde trabalham?

Será que atores e artistas de um modo geral merecem um tratamento diferenciado?

No tempo em que faziam sucesso, recebiam, por certo, um ótimo salário e devem ter tido a oportunidade de fazer um bom “pé-de-meia”.

Comparemos, pois, com quem não teve a mesma oportunidade, trabalhou a vida inteira e tem de enfrentar a fila do SUS, pois sua minguada aposentadoria não permite o pagamento de plano de saúde capaz de proporcionar algum conforto e atendimento mais rápido.

Quem sabe sem recursos até para comprar os remédios que necessita!

Entendo que artistas, especialmente da televisão que entram nas nossas casas, através da telinha, acabam por se tornar quase “parentes”, “amigos especiais” ou coisa parecida e sentimos por eles um afeto que não nos permite desejar senão o melhor para todos eles.

Mas não são pessoas diferentes das demais. São iguais e, ainda por cima, com privilégios não acessíveis a nós, simples mortais.

Mas como não se conformam com a perda do mandato da Dilma, dos indiciamentos de petistas famosos, especialmente do seu líder maior, o Lula, da prisão do José Dirceu, que nem o PT defende mais, querem atingir a Rede Globo como se ela fosse responsável por todas as mazelas do país.

A verdadeira mazela está na manipulação de alguns idiotas que não sabem distinguir o joio do trigo.

* * *

FALA SÉRIO!

Hoje, li uma matéria que afirmava que Palocci, preso em Curitiba, está pensando em fazer uma delação premiada!

Temei, penhas, temei!

FALA SÉRIO!

REPUBLICAÇÃO

Andei dando uma pesquisada em artigos antigos e me deparei com algo “profético”. 

Para que os petralhas não digam que não avisei, segue abaixo coluna publicada em 30/Jul/2010.

* * *

LEMBREM-SE: QUEM VOTA NUM CANDIDATO A PRESIDENTE, VOTA TAMBÉM NO VICE!

Durante o governo João Figueiredo, nos extertores da Ditadura Militar que ocupava o poder no Brasil desde 1964, foi feita a aliança entre dissidentes do PDS com o PMDB, criando o PFL, que indicou José Sarney para ser o vice de Tancredo Neves.

Naquele momento, tive a plena certeza de que José Sarney terminaria sendo o Presidente, devido à idade avançada do político mineiro.

Infelizmente, a minha certeza aconteceu mais rápido do que o esperado, com a morte quase imediata de Tancredo, antes mesmo de assumir o cargo, para o qual for a eleito indiretamente.

De um modo geral, ninguém queria Sarney presidente, especialmente por suas ligações com a ditadura. Na realidade, a sua posse foi uma ducha de água fria nas forças democráticas que tanto lutaram por eleições diretas.

Mas, ao menos, após o seu mandato, foram realizadas eleições e, de lá para cá, vivemos a “normalidade democrática”, se é que podemos chamar assim esse estado de coisas, onde, para se eleger, um candidato a qualquer cargo político gasta uma verdadeira fortuna, assumindo, pois, compromissos com quem o financia.

Além do quê, inventaram um nome pomposo “governabilidade”, para justificar as alianças entre oponentes filiados a partidos de filosofias tão antagônicas, quando, se fossem decentes e fiéis aos princípios constantes dos estatutos de suas agremiações, deveriam ser “inimigos políticos” dos seus, agora, “aliados”. Mas em nome da tal “governabilidade”, cuja melhor explicação é “pega o seu e deixa eu pegar o meu!”, andam juntinhos.

Assim, Tancredo e Sarney firmaram alianças entre o PMDB e o PFL (formado por dissidentes do PDS, ex-Arena, o partido da ditadura); FHC pelo PSDB (dissidente do PMDB) e Marco Maciel pelo PFL; e Lula do PT com Alencar do PL (Partido Liberal).

Ou seja, faz tempo que o Brasil não muda de verdade. As alianças entre pseudos socialistas (PSDB, PT, PSB, PcdoB etc… com liberais (PFL, PL) vêm se repetindo, em prejuízo do povo e do próprio crescimento do Brasil.

Os ditos socialistas não conseguem distribuir renda da forma prometida e anunciada e os liberais atrasam o crescimento do país com suas políticas econômicas ortodoxas, monetaristas.

Como os partidos aliados têm filosofias políticas que não se misturam, como o óleo e a água, e os programas de governo são somente para encher linguiça e dizerem ao povo que têm um, é preciso, pois, atentar, quando se vota para Presidente, na possibilidade do vice assumir, não só interinamente, mas, também, de forma definitiva e, com isso, dar uma guinada de 180 graus no que estiver sendo feito.

E isso pode acontecer a qualquer um, porque basta estar vivo para se morrer de repente, de susto, de bala ou vício.

O Serra, apesar de relativamente novo, tem um vice que ninguém conhece: o Tamoio (índio da Costa do Rio de Janeiro).

A Dilma, apesar de nova também e da anunciada cura do câncer, corre sempre o risco de que a sua doença retorne. Não que a gente deseje, mas sabemos que é uma possibilidade real. Inúmeros são os casos em que o mal voltou. Daí, o país passa a ser governado, nada mais, nada menos, novamente pelo PMDB, partido do Sarney, na pessoa de Michel Temer.

É isso aí, minha gente: corremos o risco de sermos governados pelo Índio da Costa ou pelo Michel Temer. Quem diria!

O vice da Marina é um empresário acostumado a dirigir empresas, mas sem experiência política, ao que eu saiba.

Ou seja, se as opções para presidente já não são boas, se o vice tiver de assumir… Valha-nos Deus!

Mas uma coisa é certa: o Brasil merece!

A QUESTÃO DO ENSINO MÉDIO…

Quando fiz o Ensino Médio, que na época era chamado de Científico ou Clássico, houve uma divisão por áreas de interesse.

Não lembro se começou no tempo da Ditadura Militar ou um pouco antes. Creio que antes de 64.

Achei uma maravilha! O aluno escolhia a profissão que pretendia seguir no futuro e, baseado em sua escolha, era direcionado para esta ou aquela área, onde a concentração de aulas das matérias, necessárias e fundamentais para o exercício da futura profissão, era a tônica.

No colégio onde estudei, havia a divisão para as áreas de Engenharia e Arquitetura; Medicina, Odontologia, Veterinária etc.; Direito e Letras…

No meu caso, que optei por Engenharia (influência paterna), nunca estudei Biologia, nem Filosofia, nem Botânica, por exemplo.

Fizeram falta? Não, nenhuma!

Penso que o que faz falta, além de muita leitura, é teste vocacional e não imposições de A ou B que acham que Filosofia é fundamental por conta da Ética ou outra matéria menos votada.

Houvesse teste vocacional, cada aluno seria encaminhado para a área na qual mais se adapta e, creio, estudaria motivado, por estar se preparando para seguir algo que REALMENTE lhe interessa.

Aulas com as quais o aluno não se identifica tendem a ser enfadonhas e desestimulantes.

Tudo o mais, aprende-se LENDO, se houver interesse de fato. Se não houver interesse, ninguém vai se sentir feliz conhecendo o pensamento de Platão, Sócrates, Friedrich Nietzsche, Kant etc., especialmente se não tiver uma base de leitura com ênfase para Interpretação de Texto.

Hoje em dia, o maior problema do aluno brasileiro é a LEITURA e a compreensão do texto.

Segundo os estudos levados a cabo por organismos internacionais, pasmem, somente 15% da população brasileira é capaz de ler e entender o que leu.

Adianta lecionar Filosofia, se o cara mal sabe ler?

Se o aluno não compreende o que lê, ficará à mercê da doutrina política do seu “mentor” que pode ser comunista, socialista, capitalista, nazista e outros “istas” por aí.

Será essa a escola ideal?

Para a nossa realidade, penso que o foco deva ser Língua Portuguesa e Matemática, desde o Ensino Fundamental I.

No Ensino Fundamental II, o aluno receberia informações genéricas para que se decida sobre a sua futura profissão, quando entrar no Ensino Médio.

Fundamental, na minha opinião, é também um teste vocacional.

* * *
FALA SÉRIO!

Por falar em Educação, os esquerdopatas de plantão são bem engraçados.

Falam mal da Globo e do Alexandre Frota, que teve um encontro com o Ministro da Educação.

Meteram o pau na reforma, esquecendo que foi preparada no governo de sua queridinha Dilma Roussef.

E agora estão endeusando o Faustão!

FALA SÉRIO!

* * *

E por falar em Dilma, li que ela recorreu ao STF sobre o impeachment.

Depois de ter perdido vários recursos etc., ainda insiste numa tese derrotada e sem horizontes.

Burrice igual só dos advogados de Lula que insistem em afrontar os juízes que irão julgá-lo!

Será que esperam intimidá-los ou que se tornem simpáticos à causa?

FALA SÉRIO!

MAIS UM GRANDE AVANÇO DA CIÊNCIA

Com a Lava Jato chegando onde já deveria ter chegado há mais tempo, não vou ficar chutando cachorro morto.

Prefiro falar de outro tema que, certamente, irá gerar muita polêmica ainda.

Mas, além de apaixonante, têm todo o meu apoio as experiências genéticas como a recém-noticiada paternidade tripla levada a cabo no México.

Sei que muita gente, especialmente por motivos religiosos ou ditos éticos, se posicionará contra.

Respeito a opinião de todos. Mas como não sou religioso, no sentido de seguir uma determinada religião, sinto-me feliz e livre para pensar por mim mesmo, dentro das minhas concepções e convicções pessoais.

Acho que se existe um Deus, Ele deve querer que todos sejamos felizes e a prole, até mesmo por razões culturais, faz parte desta felicidade.

Reproduzir-se é uma das principais missões do ser humano, para que a espécie se perpetue.

Aliás, dizem os seguidores da Bíblia que Deus teria determinado: “Crescei e multiplicai-vos!”

Não acredito que Ele tenha dito isso, porque não acredito que Deus fale com nenhum ser humano, especialmente através de palavras.

Pode falar, até, através da Natureza, mostrando o belo e os mistérios. Mas chegar no tête-a-tête e trocar algumas palavras, de jeito nenhum.

Assim, se nos reproduzirmos faz parte, por um lado, do instinto de sobrevivência, por outro da vontade pessoal e cultural de deixarmos uma descendência para continuarmos vivendo nos nossos filhos e netos, a busca por uma prole é, acima de tudo, um direito.

Se essa prole não vem pela forma tradicional ou vem com uma carga genética que impede a sua realização e se o homem é capaz de buscar novas técnicas e tecnologias para que todos os casais possam se reproduzir, acho maravilhoso.

Por isso, estou feliz por essa nova forma de reprodução, com óvulos de duas mulheres e o sêmen de um homem (como poderia também ser o inverso, para que as feministas de plantão não me critiquem). Já me bastarão os religiosos radicais.

A evolução da Ciência é inevitável e quem sabe o que nos reserva o futuro? Talvez essa novidade seja, um dia, a salvação da Humanidade quando, num mundo poluído, assolado por tragédias e cataclismos atômicos ou outros, estejamos à beira da extinção.

Lógico que a divergência de opiniões será muito intensa, mas, sinceramente, como ninguém sabe do amanhã, se pudesse eu encomendaria um clone de mim mesmo, na esperança de me perpetuar.

Não porque me ache o supra sumo da espécie, mas porque gosto MUITO de viver!

* * *

FALA SÉRIO!

Para não deixar de falar nos últimos acontecimentos políticos do país, esse Palocci, desde que foi vil o bastante para violar a conta bancária do caseiro Francenildo, já mostrou a sua falta de caráter.

Nunca foi confiável a meus olhos!

E ainda tem gente que defende!

FALA SÉRIO!


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa