MUDANÇAS NA LEGISLAÇÃO TRABALHISTA

LADRÃO GOURMET

Advogado de Sérgio Cabral informa que o cliente merece comer o que comia nos jantares com a Turma do Guardanapo

“Sérgio Cabral já é perseguido até pelo que come. Daqui a pouco será pelo que pensa. É lamentável se ver a mobilização de todo o aparato estatal em perseguição ao cardápio de um detento. Parecia que o Ministério Público tinha coisas mais importantes a fazer no Estado do Rio de Janeiro que fiscalizar comida de presídio.”

Rodrigo Roca, advogado de Sérgio Cabral, explicando que seu cliente, depois do esforço feito durante mais de 10 anos para saquear todos os cofres do Rio de Janeiro, merece ser recompensado na cadeia com uma alimentação à altura dos restaurantes europeus que, nos tempos de governador, frequentava ao menos uma vez por semana.

DÚVIDA CRUEL

Dúvida cruel Dilma protesta contra a expulsão da melhor amiga e se solidariza com os “perseguidos políticos” do PMDB

“Sua expulsão é um jogo de cartas marcadas com que o grupo que se apossou do PMDB tenta perseguir os políticos sérios, honestos e progressistas que pertencem ao partido e lutam pela preservação de sua história”.

Dilma Rousseff, ao comentar pelo Twitter a decisão do PMDB de expulsar a senadora Kátia Abreu do PMDB, sem esclarecer se seus ex-ministros Henrique Alves, Eliseu Padilha, Edison Lobão e Pedro Novais, fora o resto, fazem parte “do grupo que se apossou do PMDB e tenta perseguir os políticos sérios” ou dos políticos sérios que são perseguidos pelo grupo que se apossou do PMDB.

GLEISI ACHA PERIGOSO DEMAIS O CLUBE QUE FREQUENTA

O ESCRITOR ANALFABETO

DILMA ROUSSEFF DÁ ENTREVISTA EM DILMÊS ALCOOLIZADO

No tour pela Europa bancado pelos pagadores de impostos, a ex-presidente apresenta ao mundo mais uma versão do dialeto que criou

Em uma das escalas do recente tour pela Europa bancado com o dinheiro dos pagadores de impostos, Dilma Rousseff aproveitou a inocência de um jornalista português para ampliar o repertório de invencionices: “Teve um momento, que eu fiquei… no… no, eu, eu, eu… Eu fui suspensa de ser presidente, mas continuava sendo presidente”, decolou em dilmês castiço. “É uma… uma coisa, é que é uma lei muito antiga, é uma lei de 1950, então ela não dá conta da necessidade que você tem de resolver logo se uma pessoa é presidente ou não é presidente”.

Animada com o movimento afirmativo de cabeça que o jornalista repete enquanto escuta a resposta, a ex-presidente continua. “Então eu, eu era, eu era obrigada a ficar no Palácio do Planalto, do, do, do Alvorada, é um outro palácio, é o palácio de residência, e, é típico dos palácios terem flores”. Como para o neurônio solitário gostar de flores não combina com a personalidade de uma supergerente, Dilma resolveu ponderar: “Eu nunca tinha visto se tinha flor ou não tinha flor, porque cê não tem tempo de ficar olhando se tem flor, mas quando eu estava nessa situação, os golpistas são muito mesquinhos, foram lá e tiraram todas as flores e isso foi noticiado pela imprensa”.

A partir daí, começa o sobrevoo na estratosfera. “Pra mim, um dos grandes momentos foi as mulheres, encheram a praça em, em frente ao, ao palácio e me levaram flores”, inventa Dilma, descrevendo um episódio que nunca existiu. “A partir daí, elas durante… Outro dia eu recebi uma flor lá em Berlim, porque elas me mandavam sempre flor, era, vamos dizer assim, era manifestação delas, mas tem uma outra muito bonita: foram as mulheres as primeiras a se rebelarem e a ir pras ruas, então os movimentos de mulheres, de mulheres jovens, foram para a rua as mulheres e os jovens, primeiro, o que pra mim foi muito importante”.

A discurseira sem sentido talvez seja explicada pelo desfecho: “Eu era dita como sendo uma mulher que tinha uma mania, era obsessiva compulsiva por trabalho, tinha, era work-alcoolic e tinha uma mania de fazer todo mundo trabalhar, o homem seria grande empreendedor”.

Traduzida para o português, a expressão work-alcoolic significa trabalho alcoolizado. A entrevista de Dilma foi coisa de bebum.

* * *

A SAGA ANGUSTIANTE E ESPANTOSA NA BUSCA PELO SUBMARINO

LULA, DILMA E CABRAL: VEJA OS TRÊS CABOS ELEITORAIS DE PICCIANI

Lindberg foi envergonhar o Rio no Senado. Picciani, derrotado, ajudou a destruir o Rio na presidência da Assembleia Legislativa

“A eleição para o Senado, ela mais que importante, ela é decisiva”, começa Sérgio Cabral, ainda em liberdade, num vídeo veiculado durante a campanha de 2010. “Lula e eu trabalhamos em união pelo Rio. Com Dilma, daremos continuidade a este trabalho. Precisamos eleger dois senadores que estejam sintonizados com essa união, com essa parceria. E que possamos confiar na defesa dos interesses do Estado. Lindberg Farias e Jorge Picciani serão o meu voto para o Senado Federal. E eu peço também o seu voto”.

Em outro trecho, Lula reforça: “Eu quero agradecer ao deputado Picciani a corajosa militância do PMDB”. Em seguida, entra Dilma Rousseff: “O Lindberg e e Jorge Picciani constituem os candidatos a senador que nós apoiamos”.

O desfile de cabos eleitorais é completado por Lidberg Farias: “Para votar para o Senado este ano são dois votos. Nós dois juntos, Picciani e Lindberg, vamos conseguir fazer muita coisa pelo Rio de Janeiro”.

Lindberg foi envergonhar o Rio no Senado. Picciani, derrotado, ajudou a destruir o Rio na presidência da Assembleia Legislativa.

CABE AO ELEITORADO FAZER

O pior Congresso da história do Brasil substituiu o presidencialismo de cooptação, implantado no governo Lula e mantido no governo Dilma, pelo parlamentarismo cafajeste. Hoje, o Poder Legislativo manda mais que o Executivo e o Judiciário. E as assembleias estaduais vão se tornando mais fortes que governadores ou mesmo ministros do Supremo Tribunal Federal.

As cenas de safadeza explícita produzidas pela Assembleia do Rio de Janeiro, que chegaram ao clímax com a revogação da prisão do seu presidente, Jorge Picciani, e dois comparsas, transformaram em certeza a suspeita que se espalhou por todo o Brasil depois da absolvição de Aécio Neves no Senado: as eleições parlamentares de 2018 serão mais importantes que a escolha dos ocupantes de cargos no Executivo.

Seja quem for o sucessor de Michel Temer, o presidente da República terá menos poderes que um Congresso que hoje interpreta e aplica arbitrariamente as leis que antes apenas aprovava. Que decide como será o Orçamento da União. Que indica (ou impõe) ao chefe de governo os integrantes do primeiro escalão. Que frequentemente se vale de métodos de extorsionário para acuar o chefe do Poder Executivo.

Nem o maior dos estadistas conseguirá governar o Brasil com um Congresso semelhante ao que temos agora. Como senadores e deputados são eleitos pelo povo, é hora de usar a urna como arma para fazer em 2018 a revolução pelo voto. A grande reforma política virá com a mudança radical da composição do Senado, da Câmara dos Deputados e das Assembleias Legislativas.

Que os brasileiros honestos tapem as narinas e entrem nas disputas eleitorais. E que os brasileiros decentes neguem seu voto aos corruptos que infestam o Legislativo. O parlamentarismo camuflado que hoje atormenta o país pode transformar-se no caminho mais curto para a salvação. Se o povo votar corretamente, um novo Congresso poderá livrar o país da hegemonia dos ladrões com direito ao foro privilegiado.

WORK ALCOOLIC

FILHA DO LULA CONTINUA A SUBIR NA VIDA POR CONTA DO POVO

Durante mais de dez anos, Sérgio Cabral, Lula, Pezão e Dilma prometeram usar o petróleo do Pré-sal para fazer do Rio de Janeiro uma versão ampliada da Cidade Maravilhosa. A imensidão de barris continua no fundo do mar, a Petrobras quase faliu, a capital lembra uma frente de guerra e o estado quebrou.

Dos quatro vigaristas, só Cabral está preso. Foi sentenciado a 72 anos de cadeia (por enquanto). Lula (por enquanto) está condenado a nove anos e meio de gaiola. Dilma e Pezão (até agora) não foram alcançados pelo merecidíssimo castigo.

O quarteto malandro parece não ter entendido – ou finge não entender – que a festa acabou. Pezão permanece homiziado no gabinete do governador, disposto a completar a obra de destruição executada por Cabral. E Lula ainda recebe homenagens dos devotos infiltrados na Assembleia Legislativa.

Neste domingo, a imensidão de desempregados brasileiros soube que a filha do chefão, Lurian Lula da Silva, continua subindo na vida por conta dos pagadores de impostos. Era assessora da prefeitura de Maricá, controlada pelo petista Washington Quaquá, presidente do PT do Rio. Acaba de virar assessora parlamentar da deputada estadual Rosângela Zeidan, mulher de Quaquá.

Rosângela diz que escolhe os assessores que quiser. O pagamento do salário fica por nossa conta, claro. Lurian vai ganhar mais de R$ 7.300 por mês para ajudar a deputada a tirar do xilindró colegas presos, como aconteceu com Jorge Picciani.

Mais um motivo para que a população fluminense saia às ruas já. E mostre como deve ser tratado quem trata os brasileiros como se fossem um bando de cordeiros idiotizados.

A VERSÃO CANGACEIRA DE DILMA

LULA TAPEIA SEUS COMPARSAS DO PCdoB

Lula dedicou este domingo a tapear os companheiros e comparsas do PCdoB. No congresso do partido cujo sonho é ressuscitar o comunismo, o corrupto condenado (por enquanto) a nove anos e meio de prisão, declarou-se contrário à reforma da Previdência que defendeu no vídeo abaixo. “Éramos contra reforma trabalhista, e ela aconteceu. Éramos contra a Previdência, e se não tomarmos cuidado, vai acontecer”, mentiu.

O palavrório tornou atualíssimo o texto publicado nesta coluna em março deste ano.

Confira:

Primeiro Lula tratou de certificar-se de que a plateia reunida nesta quarta-feira era amestrada. Só então se animou a afastar-se das catacumbas do Instituto Lula para berrar na Avenida Paulista o contrário do que disse no vídeo gravado em 2015. Há apenas dois anos, o mais vistoso réu da Lava Jato endossava argumentos evocados pelo presidente Michel Temer para justificar a reforma da Previdência.

Como se vê, Lula sabe que a curva desenhada pelo crescimento da expectativa de vida tornou irremediavelmente grisalha a legislação previdenciária. “A gente morria com 60 anos de idade, com 50 anos de idade, agora a gente tá morrendo com 75″”, compara no vídeo. Ele também reconhece que a passagem do tempo exige correções modernizadores em praticamente todos os textos legais. “Você não pode ficar com a mesma lei que você tinha feito há 50 anos atrás”, diz o palanque ambulante. “É preciso que você avance”.

“Cê tem várias formas pra encarar a questão da Previdência”, concorda a ainda presidente Dilma Rousseff no vídeo abaixo, gravado em janeiro de 2016. “Os países desenvolvidos, todos eles, buscaram aumentar a idade de acesso, a idade mínima para acessar a aposentadoria. Tem esse caminho”. Demitida do emprego que desonrou e despejada do Planalto antes que concluísse a missão de arrasar o Brasil, Dilma também mudou de rota – e declarou guerra à reforma proposta pelo governo Temer. Ela sempre faz o que Lula ordena.

Por que o pregador de missa negra mudou de ideia? Mentiu antes ou está mentindo agora? Qual é o Lula que vale? Nenhum dos dois vale nada. Simples assim. Qualquer versão do chefão é tão falsa quanto o narizinho arrebitado de Gleisi Hoffmann.

A FILHA DO CHEFE

Deputada estadual do Rio acha que é uma boa esbanjar o dinheiro do contribuinte de um Estado falido com a contratação da filha de Lula

“As escolhas do meu mandato, quem faz sou eu. É assim na maioria dos mandatos, qualquer que seja o partido. E no PT temos mulheres militantes, como eu fui e ainda sou, que são quadros qualificados para assumir essas tarefas. Resumir isso a uma relação de parentesco ou é desconhecimento ou é misoginia”.

Rosângela Zeidan, deputada estadual pelo PT do Rio de Janeiro, ao explicar por que contratou como assessora parlamentar Lurian Cordeiro Lula da Silva por um salário de R$ 7.326,64 patrocinados pelos pagadores de impostos de um Estado falido, jurando que a filha de Lula tem muitos outros atributos além de ser filha de Lula.

QUATRO VIGARISTAS

SÓ ELE LUCROU COM A REFINARIA MAIS CARA DO MUNDO

Em maio deste ano, durante o primeiro depoimento de Lula sobre o caso do triplex do Guarujá, o juiz Sergio Moro perguntou ao réu qual tinha sido sua participação na concepção da refinaria Abreu e Lima. A resposta foi recitada com a placidez e a candura de quem perdeu a vergonha ainda no berçário.

Essa refinaria de Pernambuco era assim: Espírito Santo queria a refinaria, Ceará queria a refinaria, Rio de Janeiro queria a refinaria em Campos e Pernambuco queria a refinaria”, disse, antes de prosseguir. “E todos tinham uma empresa chamada Marubeni, que todo mundo falava que iria participar. Acontece que fiz um encontro em Pernambuco com o presidente Hugo Chávez e lá em Pernambuco o Chávez demonstrou interesse em fazer uma associação com o Brasil para fazer uma refinaria”.

Simples assim. E por que a ideia pareceu interessante ao réu?

Era um jeito do Brasil equilibrar a balança comercial com a Venezuela. Nós tínhamos um superávit de US$ 5 bilhões e não é sadio que um país grande como o Brasil tenha um superávit tão grande com um país pequeno como a Venezuela”.

Simples assim.

É de doer. O acordo entre Lula e Chávez previu que o Brasil pagaria 60% das despesas e a Venezuela arcaria com os 40% restantes. Chávez desistiu do negócio sem ter desembolsado um único centavo e sem justificar o calote. A conta foi espetada na Petrobras.

Em 2005, quando o projeto foi oficialmente anunciado por Lula, a refinaria custaria US$ 2,3 bilhões, seria inaugurada em 2014 e produziria 230 mil barris por dia. As obras continuam (sem data para se encerrarem). Já engoliram mais de US$ 20 bilhões. E a refinaria não consegue processar mais de 100 mil barris por dia.

Lula não tem do que se queixar. Por ter autorizado a construção da refinaria mais cara e inútil do mundo, só da OAS ganhou mais de R$ 2,5 milhões. É compreensível que continue berrando contra a privatização da Petrobras. Ainda existem vizinhos bolivarianos sonhando com obras faraônicas. E nunca faltarão empreiteiros prontos para enriquecer presidentes com propinas milionárias.

VOCABULÁRIO DE BORDEL

NEURÔNIO COM FUSO

Dilma Rousseff mostra o que acontece com o neurônio solitário quando muda de fuso horário

“Não acho que perdoar golpista é perdoar o PMDB e o PSDB. Acho que perdoar golpista é perdoar aquela pessoa que bateu panela achando que estava salvando o Brasil, e que depois se deu conta de que não estava.”

Dilma Rousseff durante uma entrevista para a rede de notícias DW, em Berlim, ao explicar em dilmês primitivo que perdoar golpista não é o mesmo que perdoar golpista, provando que o neurônio fica um pouco mais solitário quando muda de fuso horário.

O CHEFÃO QUE UNIR OS LARÁPIOS DO PT E OS GATUNOS DO PMDB

DANÇA DE DIRCEU

* * *

ASCENSÃO SOCIAL

Luislinda reconhece que foi exagero comparar um salário de R$ 33.700 a trabalho escravo

“Sou preta, pobre e da periferia e sei o que é viver longe dos grandes centros”.

Luislinda Valois, secretária dos Direitos Humanos de Michel Temer, durante a cerimônia de lançamento do Programa Emergencial de Ações Sociais para o Estado do Rio de Janeiro e Municípios, afirmando que não se considera mais escrava por receber apenas R$ 33.700 por mês, apenas pobre)


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa