Berto

Veja que a concorrência internacional já começou.

R. Meu caro colunista, isto é o que se pode chamar de saudável concorrência.

Uma concorrência em favor da saúde.

Deixemos de lado a carne podre brasileira e passemos a comer a sadia carne argentina (se conseguirmos mastigar este gostoso e abundante filé, né?…)

É bem melhor comer carne mijada malhada do que comer carne apodrecida.

Minino, eu chega se assuspirei-me.

10 Comentários

  1. Dalinha Catunda disse:

    CARNE SADIA ABUNDA
    .
    Enquanto nosso Brasil
    Nos serve uma carne imunda
    Pras bandas da Argentina
    A carne sadia abunda
    É carne boa que atiça
    Esqueçam nossa carniça
    E toda essa barafunda.
    DALINHA CATUNDA

  2. ALTAMIR PINHEIRO disse:

    O interessante é que o verso sai na ora, além de ser do ramo, a poetisa tem uma presença de espírito fenomenal!!!

    • Dalinha Catunda disse:

      Altamir, minha mãe tem 94 anos e é poeta popular. Sempre teve muita graça no que escrevia. Além do mais, tive uma tia que desde meus tempos de criança, ela me ensinava a declamar, trovas de Juvenal Galeno, poesias de Gonçalves Dias e Casimiro de Abreu. Acabou dando nisso. Meu abraço.

  3. ALTAMIR PINHEIRO disse:

    LEIA-SE: HORA AO INVÉS DE ora…

  4. ALTAMIR PINHEIRO disse:

    Pegando esse ganho da genitora da poetisa que tem longínquos 94 anos, que pena que poetas como Castro Alves e Casimiro de Abreu morreram tão jovens…

  5. ALTAMIR PINHEIRO disse:

    LEIA-SE : PEGANDO ESSE GANCHO…

  6. Sergio Rieffel disse:

    Hoooohiiiihooohiiiihoooo (diria o Polodoro com seu cardan de fora)!

  7. C Eduardo disse:

    Paty Not Set do Alferes, 20/03/2017

    Hoje não estou lendo nada, estou só vendo as figuras. E tá muito bão!

  8. Quincas disse:

    Verso de primeira para assunto de segunda …

  9. joaquimfrancisco disse:

    Versos de primeira
    para assunto de segunda
    terça ,quarta, quinta
    e sexta feira.
    Não somos vegetarianos, a carne é fraca mas essa aí é boa.

Deixe o seu comentário!


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa