5 março 2016MATO SÓ PRA CAGAR



Capiba, por índole, era um sujeito sério, trabalhador e bom funcionário. Fora do trabalho, muito piadista e brincalhão. Era impossível conversar com ele sem rir. Sobretudo porque tendo linguajar deficiente não pronunciava o “K”. E se identificava como “Apiba”. Já provocava sorrisos.

Formou-se em Direito, mas nunca advogou. Só queria saber de música. Foi nomeado por Nilo Coelho Presidente do BANDEPE – Banco do Estado de Pernambuco e recusou-se a tomar posse por considerar-se “inapetente”. Não queria nada com burocracia. Ficava puto quando lhe cumprimentavam pelo título que lhe outorgara o governador Marco Maciel: Comendador. Era inimigo de formalidades.

No Banco do Brasil, onde trabalhou 30 anos, chegou, por tempo de serviço, ao posto máximo da carreira. Dizia que havia trabalhado por “serviços forçados”, uma espécie de pena sem culpa. Durante poucas vezes concorreu a cargos de comissão. Já com 25 anos de atividade se queixava. Mas terminou bem.

Todas as vezes em que havia eventos ou a presença de autoridades do Banco no Recife ele era convidado para “animar a festa” ou “fazer sala” a diretores que nos visitavam. Certa feita, manteve um papo com certo Gerente e lhe cnfienciou de sua insatisfação.

“Uuando” tem festa, é um tal de chama “Apiba”! É “Apiba” pra aqui é “Apiba” pra lá… Mas na hora de dar a “Apiba” um cargo em Comissão, “Apiba” é chutado, porque só sabe contar anedotas.

A confidência calou na alma do Gerente que meses depois, mandou chama-lo para anunciar a boa nova. Conseguira com a Direção Geral uma Gerência em Petrolina-PE, cidade que dista da Capital uma porrada de horas de viagem. Compareceu ao gabinete, entretanto, meio cabreiro. Viu a boca do Gerente se escancarar de um sorriso e logo recebeu o aperto vigoroso do abraço de felicitações. De pronto, engatilhou:

Meu “erido” Gerente. Sou-lhe grato, todavia não quero mais sair do Recife, pois já estou “om” “uase” 25 anos de Ban-o. E lembro-lhe com a força de minha sinceridade e agradecimento, um versinho de minha juventude:

O adágio filosófico
É fato mesmo exemplar
Interior só de mulher
e mato só pra cagar.

4 Comentários

  1. Mardonio Gadelha Pessoa disse:

    Os pernambucanos devem se orgulhar de ter na galeria da cultura um homem como Capiba. Eu como brasileiro também tenho orgulho, pois sou grande admirador da obra de Capiba.
    Abraços.

    • Carlos Eduardo Carvalho dos Santos disse:

      Estando com mais um livro do Mestre pronto para editar “COMENDADOR CAPIBA”, peço mandar-me seu e-mail para que eu selecione e lhe mande algum capítulo sobre partes ainda não conhecidas daquela grande existência. Escreva para: santosce@hotmail.com – E muito grato pela gentileza do seu comentário. Atenciosamente, Carlos Eduardo.

  2. Deco disse:

    Como admirador de Capiba achei genial a crônica. Muito legal!

    • Carlos Eduardo Carvalho dos Santos disse:

      Deco. Convivi com o homem e sei o quanto ele continua valendo para a cultura do mundo. Transcrevo o mesmo que mandei pro Mardônio:E”Estando com mais um livro do Mestre pronto para editar “COMENDADOR CAPIBA”, sugiro mandar-me seu e-mail para que eu selecione e lhe mande algum capítulo sobre partes ainda não conhecidas daquela grande existência. Escreva para: santosce@hotmail.com – E muito grato pela gentileza do seu comentário. Atenciosamente, Carlos Eduardo.

Deixe o seu comentário!


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa