17 fevereiro 2017TAVA CAGANDO!



Visitei esta semana meu querido cliente e amigo o advogado Alcides Rodrigues de Sena – que já emplacou 96 anos e vive com o mesmo entusiasmo e bom humor – no seio de família numerosa, com a esposa, D. Anunciada, e um monte de netos e bisnetos, em seu solar tipicamente espanhol, em Goiana.

Dr. Alcides

E como sempre, sob meu estímulo, soltou histórias incríveis provocadoras de boas risadas. Contou-me ele mais uma, que aliás, publiquei em seu livro: “Pedaços da Alma, Filigranas do Coração”.

O traficante e maconha não atendeu aos pedidos da Polícia para abrir a porta e teve a casa invadida. Procura inútil. Nada foi encontrado. Justificou depois, em juízo, a demora em abrir a porta porque estava no banheiro obrando, pelo que deu várias descargas.

O Processo correu e o Juiz arrolou a esposa como Informante.

– Minha senhora, o que seu marido estava fazendo naquela noite, no banheiro e dando descargas tão prolongadas?

Senhora simples, de hábitos rurais, vestido de chita, corpo bem coberto, humilde e tímida. Ela olhou para o Juiz com certo espanto face à pergunta que lhe foi dirigida e disse com a maior simplicidade:

– Seu Juiz, pelo que sei ele estava cagando!

E o Juiz, diante da risadaria na audiência, nem duvidou da seriedade da Informante, porém anunciou que arranjaria um sinônimo para aquela expressão xula: “Estava satisfazendo suas necessidades fisiológicas”, solicitando a concordância da esposa do suposto traficante, para a mudança, ao que ela concordou mas reafirmou:

– Doutor Juiz não sei mesmo o que o senhor quis dizer, mas que ele tava cagando, tava!

9 Comentários

  1. Alamir Longo disse:

    Muito bom, eheheheh!

    Lembrei-me de um causo que dizem que aconteceu, porque eu não vi.

    Estavam três operários da construção civil trabalhando num andaime no 25º andar.

    De repente um deles fala para os companheiros:
    -Estou mal da barriga vou descer e ir até um banheiro!
    E assim o fez.

    Tão logo chegou lá embaixo viu o andaime com seus dois amigos despencar e se espatifar no chão.

    Nenhum sobreviveu…

    No dia seguinte, no velório, estão lá os amigos, as viúvas inconsoláveis e o cara que havia ido ao banheiro e sobreviveu, acompanhado da esposa, quando chega o dono da empresa onde trabalhavam.

    Todos fazem silêncio. O empresário começa o seu discurso, dirigindo-se às viúvas:

    – Sei que foi uma perda irreparável, mas posso, pelo menos, tentar aliviar tamanho sofrimento.Isso nunca aconteceu em nossa empresa que sempre pensou
    na segurança dos funcionários. Eu me sinto muito triste e ajudarei em tudo que puder as viúvas. Como sei que as senhoras pagam aluguel, darei uma casa
    para cada uma. Também sei que as senhoras dependem de ônibus; por isso, darei um carro pra cada uma. Quanto aos estudos de seus filhos, não se preocupem mais, pois tudo será por conta da empresa até que terminem a faculdade. Para finalizar, as senhoras receberão todos os meses 3 mil reais, para as comprinhas da ‘cesta básica’.

    A mulher do sobrevivente, já meio arroxeada, não se contendo mais, belisca o
    marido e fala:

    – E O BONITÃO AÍ CAGANDO, NÉ ???

    • Carlos Eduardo Carvalho dos Santos disse:

      Dessas histórias alegres, embora algumas sob temas tristes, temos o bom cotidiano brasileiro.

      Grato pelo comentário.

      Disponha aqui em Olinda, quando desejar vir, mas passe graxa nas canelas e antecipe exercícios físicos e sexuais, a fim de subir as ladeiras e provar bunda de lindas fêmeas que porventuira estejam disponíveis na ocasião.

      Ah, ia me esquecendo, traga uma sobrinha pra frevar e passe azeite nos sovacos.

      santosce@hotmail.com

      • Alamir Longo disse:

        Fique tranquilo, meu caro amigo, que esse ex-paraquedista sai todas manhãs para uma bela corrida.

        Grande abraço.

  2. Glória Braga Horta disse:

    Carlos Eduardo, além de me deleitar com a leitura do texto, magnificamente bem escrito, ri de montão com esse hilariante caso.
    Abração.

    • Carlos Eduardo Carvalho dos Santos disse:

      Glorinha,

      agradeço sua atenção e me honra ter leitora do seu quilate, tipo que não mia, só late… kkk…

      Mas, confesso confidencialmente que vivo um dilema intelectual.

      Pessoalmente sou muito brincalhão e ao escrever para os mais íntimos solto meus cachorros.

      No entanto, pela fachada de cidadão respeitável que se vê na foto – sem foto-shop -, nota-se que sempre me apresento como um cara sério.

      Portanto, ao escrever essas crônicas semvergonhas, bem ao estilo do Mestre Luiz Berto e sua cambada de fubânicos, fico feliz porque alegro as pessoas.

      Mas vou continuar com as biografias e já emplaquei boas tiragens com Capiba-Sua Vida e suas Canções; Canta se Queres Viver, a primeira de Claudionor Germano; Pedro Moura Júnior, fundador de Acumuladores Moura S.A e avô do nosso Ministro Mendoncinha; além da bio do padre-cantor e compositor João Carlos Ribeiro Rodrigues, Um Canto Pastoral e outros.

      Receba um abração pré-carnavalesco de Olinda. Quando desejar vir, conte comigo para seu guia. Mas, antes, azeite bem as canelas e passe graxa nos sovacos para enfrentar as ladeiras frevando, porque né mole não. – santosce@hotmail.com

  3. alberto santo andre disse:

    E EM BRASILIA OS TRES PODERES CONTINUAM FAZENDO CAGADAS E SE CAGANDO PARA OS BRASILEIROS HONESTOS E ESTA NAO E A MANEIRA XULA DE DIZER ISTO, E APENAS A MANEIRA LITERAL DE AFIRMAR QUE HONESTO E TRABALHADOR SE QUISER UM DIA SER GENTE NESTE PAIS TEM QUE PROMOVER NOSSA BASTILHA E ENFIAR TODA ESTA OBRA INFECTA NA PRIVADA E DAR DESCARGAS ATE LIMPAR O PAIS DOS LULAS SARNEIS , DILMAS TEMER E TODA ESTA ESCORIA HUMANA , TRAVESTIDA DE POLICOS CORRUPTOS , E JUIZES REALMENTE DE MERDA … FRASE DE HECTORY ………. DIGA-ME O GRAU DE RELIGIOSIDADE QUE SEU POVO TEM, E EU LHE DIREI SEM NENHUMA CHANCE DE ERRA O GRAU DE MEDICRISMO QUE ESTE POVO TEM……… FRASE DITA A QUASE SESSENTA ANOS ATRAS .E MAIS ATUAL QUE NUNCA NOS DIAS DE HOJE .

    • Carlos Eduardo Carvalho dos Santos disse:

      Alberto,

      Grato por seu comentário, amigo.

      Meu Ibope está melhorando.

      Disponha de um guia de turismo em Olinda, quando viver; mas antes, azeite as canelas para frevar em nossas ladeiras.

      Serei seu guia. – santosce@hotmail.com

  4. Carlos Ivan disse:

    Carlos Eduardo genial texto. Leve, limpo e gostoso de ler. Numa boa.

  5. Carlos Eduardo Carvalho dos Santos disse:

    Você,xará amigo, como leitor atento e atencioso – mais do que um simples número do Ibope – me coloca em situação de extremo orgulho.

    Tô ancho, como nos diz o Tenente-papa Berto.

    Vou seguir sua quase sugestão escrevendo menos para bostejar mais à contento.

    O difícil é escrever bem para público variado.

    Mas, tenho certeza, que de safadeza todo o mundo gosta.

    Mesmo aquelas mais inocentes histórias de fatos.

    Olinda tá lhe esperando pra frevar.

    Venha e passe sebo nas canelas para aguentar o “Vassourinhas” ladeiriço, no Burgo Duartino, também chamada: A Marim dos Índios Caetés.

    Aqui, todo seu e as índias urbanas modernas, todas de bundas de fora, lhe aguardando pra tirar a inocência de quem vier como inocente nato – santosce@hotmail.com

Deixe o seu comentário!


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa