Em meio à crise carcerária, imagens feitas em Pernambuco evidenciam a perda de controle de gestão em um presídio para mulheres.

Um vídeo, que teve autenticidade confirmada pelo Governo do Estado, mostra uma festa de com direito a álcool e drogas realizada pelas presas da Colônia Penal Feminina do Recife, no Engenho do Meio, na Zona Oeste da cidade.

Nas imagens, é possível ouvir as detentas chamando o evento de “Bonde do Prato”, em referência ao consumo de drogas, possivelmente cocaína.

Na gravação, presidiárias também aparecem com celulares e tiram fotos, enquanto dançam e ouvem música. A maioria se exibe com copos na mão e o clima é de animação.

* * *

Eu fiquei ancho que só a porra ao ver a minha querida cidade do Recife sendo notícia em destaque nacional.

Este assunto foi tema de reportagens em rádios, jornais e televisões de toda Banânia.

Meu peito bairrista ficou cheio de orgulho.

Quem não gostou muito desta história foi meu amigo de Palmares, Uriel Pé-de-Pistola, um cabra brabo e brigão que só a porra, apesar de ser aleijado e andar arrastando uma perna.

É que a rapariga dele, Maria Cu-de-Calo, é uma das detentas cuja imagem aparece neste vídeo aí de cima. Ela cumpre pena por tráfico de drogas. Lá em Palmares quem quisesse fumar maconha tinha que procurá-la.

Pois Uriel me telefonou ontem pedindo que o JBF proteste contra este absurdo. Este absurdo de proibir festa de aniversário, ou qualquer outra festa, dentro da cadeia. Que é que tem demais cheirar um pó, puxar um fumo ou tomar umas cachaças atrás das grades? pergunta Mané indignado.

Segundo ele, se senador do PT cheira o pó branco e o proprietário do partido enche o cu de aguardente, então as presidiárias também podem fazer o mesmo.

Pronto, Uriel, sua reclamação está publicada.

Disponha sempre.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa