14 novembro 2017UM FESTIVO VELÓRIO



Não adianta chororô: o presidente Michel Temer decidiu não incluir, nas medidas de “revisão” da reforma trabalhista, o retorno da “contribuição” obrigatória que garantia à pelegada receita anual de cerca de R$ 3,5 bilhões.

A contribuição sindical morreu, segundo um dos ministros mais influentes. 

Centrais sindicais, confederações, federações e sindicatos não eram obrigados a prestar contas de sua receita bilionária.

O Congresso aprovou lei submetendo entidades sindicais à fiscalização do Tribunal de Contas da União, mas o então presidente Lula vetou.

Há décadas o trabalhador é obrigado a dar um dia de trabalho ao “bolo” do imposto sindical. Agora, com a reforma, isso será voluntário.

O fim do dinheiro fácil que os sustentava e aos “mortadelas” levou os sindicalistas a promoverem protestos em todo o País. Serão inúteis.

* * *

Esta excelente notícia me lembrou um convite para ir a um velório.

Foi-me mandado pela leitora fubânica Lena, residente em Uberaba-MG.

Era uma Nota de Falecimento que está abaixo transcrita.

Fui ao velório cantando, dançando um frevo rasgado e feliz que só a porra.

Fazer raiva a descerebrado zisquerdóide é uma atividade que me dá um prazer da porra!

5 Comentários

  1. Philippe Gusmão disse:

    Que notícia maravilhosa !

  2. A. Luis disse:

    .
    e, e, e,
    e, e quem acredita no que diz esse tal de eme.tê levante,
    pelo menos, o dedinho mindinzinho !!!
    .
    dou mais credibilidade à Zefa Gato e à Zeza !

  3. Flavio Feronato disse:

    É mais um trocado que escapa dos Petralhas e fica no bolso do operário. Muito devagar a justiça vai sendo feita.

  4. Quincas disse:

    Acaba, afinal, o mais explícito assalto oficial ao bolso do trabalhador brasileiro.

  5. C Eduardo disse:

    Paty Not Set do Alferes, 14/11/2017

    Só por esta medida, podemos assegurar que o Governo Temer fez muito, muito mais pelo país do que todos os anos de PT.

Deixe o seu comentário!


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa