4 janeiro 2017UMA DÚVIDA DO CARALHO



As esculturas de homens da Grécia e da Roma Antigas são dotadas de pênis pequenos, algo que muita gente evita comentar por educação ou por vergonha.

Em parte, isso acontece porque seus membros foram esculpidos para parecer que estão moles, e não em posição sexual. Quem usou esse argumento foi a historiadora da arte Ellen Oredsson no seu blog How to talk about art history. “Se alguém compara com o tamanho da maioria dos pênis moles, (os dos gregos) não são na verdade tão significativamente menores quanto os da vida real”, escreveu ela ao responder a uma pergunta de um leitor.

Outro motivo é cultural. Os gregos valorizavam os pênis de tamanho menor. Quando pintavam um grego inteligente e admirado, eles o retratavam com um pênis pequeno. Assim, queriam dizer que prezavam o intelecto e as divagações filosóficas. Pênis grandes eram considerados feios e grosseiros, coisa de bárbaro.

Ao moldar no mármore aqueles que não se encaixavam nessa categoria, a atitude era oposta. “Os artistas gregos mostravam o seu desprezo pelos estrangeiros e pelos escravos pintando-os com órgãos grandes”, escreveu David M Friedman no seu livro A Mind of its own: a cultural history of the penis (Penguim). Além disso, quando faziam um sátiro, um ser mitológico pequeno, festeiro e com patas de cabra, os artistas o faziam com o pênis grande e ereto.

“A conclusão mais razoável é a de que se um pênis grande vem com uma face horrível e o pênis pequeno com um rosto bonito, então o pequeno é que era admirado“, escreveu o historiador Kenneth Dover no seu livro Greek Homossexuality (Bloomsbury Academic), lançado inicialmente em 1978.

Ao longo dos séculos, embora os gostos fossem mudando, o padrão de beleza permaneceu o mesmo. Os romanos, que vieram depois dos gregos, valorizavam o membro avantajado a ponto de alguns generais serem promovidos por causa do tamanho de seus órgãos.

Contudo, essa admiração não foi refletida nas estátuas, que continuaram na tradição grega. Quando os pintores e escultores renascentistas, a partir do século XIV, passaram a se espelhar no período antigo, eles seguiram a tradição.

Davi, de Michelangelo, em Florença, na Itália (Reprodução)

* * *

Quer dizer, então, que os generais romanos eram promovidos pelo tamanho da pajaraca???

Vôte!

Que informação do caralho!!!

Se o jegue fubânico Polodoro vivesse em Roma naqueles velhos tempos, certamente ele teria alcançado o posto de Marechal Cinco Estrelas!

“Puta que pariu! Se eu ainda fosse prisid-Anta, eu botava este jegue Polodoro pra ser chefe da minha segurança pessoal no Alvorada”

4 Comentários

  1. joaquimfrancisco disse:

    Se fizessem uma estátua do negão da picona ela teria três pernas e na Roma antiga ele seria imperador. Entretanto voto no meu,pode não ser grande coisa mais deve funcionar por mais alguns anos. Agora coloquem as gregas e romanas, para compararem com as brasileiras de grêlo duro.

  2. Caio Frascino Cassaro disse:

    Agora eu entendi porque uma grega que eu namorei vivia me dizendo: “Cá, você é bárbaro”. Achei que era porque ela gostava do meu jeito de ser. Só agora descobri que ela se referia a detalhes anatômicos de minha compleição física.
    JBF, sempre explicando e esclarecendo.
    Uma gazeta diariamente necessária.

  3. jm disse:

    Alem do que um penis pequeno quando flacido, não necessariamente é pequeno quando ereto. A medicina explica, elastina. Vai ver os gregos estavam cheios de elastina nos seus paus…

  4. rm disse:

    Nada disso, era para não assustar as princesinhas. rs, rs,..

Deixe o seu comentário!


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa