16 outubro 2016CARTOLAS



A língua portuguesa não é de fácil aprendizado. É extremamente difícil de falar – principalmente por conta das flexões e dos vários sentidos que as palavras tem e, gramaticalmente, pela forma difícil de escrever.

Estudiosos garantem que, provavelmente por conta da dificuldade de escrever e de falar corretamente, a língua portuguesa “aceita” a interferência e uso de palavras de outros idiomas estrangeiros.

São exceções e raridades, pessoas que conseguem escrever e falar português sem erros. Não devemos esquecer aqueles que também erram por distração – e uma simples e criteriosa leitura detecta os equívocos.

Por conta disso, eu (desculpas pelo uso da primeira palavra) não aceito bem a “extinção” da figura do “Revisor” nas redações de jornais e de quem “trabalhe” com texto. O Revisor tem função importante, sim e acaba sendo muito útil.

Mas, hoje, nesta postagem queremos nos referir a palavras da língua portuguesa que, escritas da mesma forma têm sentidos diferentes. Enquanto isso, para cada significado da língua portuguesa, a língua inglesa é escrita de forma diferente. Vejamos:

Manga (a fruta) – sleeve
Manga (a peça do lampião) – chinney
Manga (de camisa ou blusa) – in shirt sleeves
Cartola (chapéu do Mágico) – top hat

E aí escolhemos para produzir alguma coisa para esta edição dominical do JBF, e para provocar os estudiosos no assunto, a palavra CARTOLA.

cartola

Cartola – magnífico compositor carioca

Saiba mais sobre o compositor Cartola no Wikipédia clicando aqui.

Diversificando a palavra, fomos encontrar um alimento muito apreciado no Nordeste, preferido no Ceará e em Pernambuco. Conhecido pelo nome de cartola.

Cartola Nordestina – A cartola nordestina é uma receita saudável típica, muito popular principalmente em Pernambuco, Paraíba e Rio Grande do Norte e tem tanta importância que no final de abril de 2009, a receita da cartola foi considerada Patrimônio Cultural e Imaterial do Estado de Pernambuco.

A receita de cartola consiste em bananas douradas cobertas com queijo manteiga, ou coalho, polvilhada com açúcar mascavo e canela, nós polvilhamos com achocolatado, é culinária tipicamente nordestina em que é possível perceber a influência do negro, do índio e do europeu.

Esta receita de cartola é muito simples e em todo local que apresentei fez muito sucesso, devido à combinação de ingredientes e ao agradabilíssimo sabor.

Saiba mais sobre a cartola nordestina na página Guloso&Saudável clicando em Cartola Nordestina.

cartola3

Cartola – alimento com lugar destacado no Nordeste

A cartola foi considerada Patrimônio Cultural e Imaterial do Estado de Pernambuco pela Lei 13.751. A sobremesa traduz um pouco da deliciosa gastronomia do Estado. Cartola é, definitivamente, a cara de Pernambuco.

A receita, que combina banana madura, queijo de manteiga, canela e açúcar é uma mostra de miscigenação dos três principais povos formadores da nossa cultura, sendo produzida pela primeira vez nas casas-grandes dos engenhos. O prato, portanto, como tantas outros, nasceu da mistura de ingredientes, técnicas, experiências e hábitos culturais do colonizador português, do índio e do escravo africano.

O nome se deve, provavelmente, à cor escura da canela e ao formato alto do queijo sobre a banana – que remotamente lembra uma cartola usada pelos lordes ingleses.

Fonte: Folha de Pernambuco e site da Assembleia Legislativa

INGREDIENTES: 2 bananas pratas maduras, 1 colher de sobremesa de manteiga, 2 fatias grossas de queijo do sertão, 1 xícara de açúcar cristal, 2 colheres de sopa de canela.

Modo de preparo

1. Higienize as bananas, pode usar banana nanica, prata ou pacova (ou pacovã) (as mais resistente são a prata e a pacova);
2. Utilize fatias de queijo manteiga, ou mussarela, ou mussarela light;
3. Retire as cascas das bananas e corte-as ao meio na horizontal; doure-as no creme vegetal, numa frigideira antiaderente, para cada 2 metades da banana coloque em cima uma fatia de queijo;
4. Polvilhe o fundo de um prato com o achocolatado, coloque as 2 metades da banana junto com a fatia de queijo e polvilhe com achocolatado por cima. Está pronta a receita de cartola. Se pretender, adicione canela em pó;
5. Sirva quente.

cm

Cartola – essa é a do Mandrake

A cartola era peça do vestuário de Mandrake, personagem de antiga revista mensal de quadrinhos, uma coqueluche da juventude brasileira nos anos 50 e 60. Todos (os leitores) esperavam ansiosamente a chegada da revista nas bancas dos jornaleiros. Tínhamos que comprar uma a uma, pois não existia ainda o sistema de assinaturas.

A princesa Narda era a namorada do Mandrake que, esperto, pagava religiosamente o guarda-costas Lothar para que ele nunca o abandonasse e servisse como “assistente”.

A primeira edição da revista apareceu no Brasil no ano de 1934, editada pela RGE. As mudanças para outras editoras e o “envelhecimento” da maioria dos leitores, talvez tenha sido a causa principal do desaparecimento da revista das bancas.

Saiba mais sobre Mandrake no Wikipédia clicando aqui.

4 Comentários

  1. Marcos Pontes/DF disse:

    Muito bom texto, me fez lembrar a infância em Fortaleza, confesso que não lembrava mais da “cartola”, a memoria olfativa veio de imediato, não tive o prazer de fazer para os meus filhos, mas com certeza, vou fazer para os meus netos(as). Mais uma vez obrigado Zéramos. Obrigado mesmo!

  2. Fabrícia Louise disse:

    A boca encheu de água. Vou fazer hoje a tarde!
    E vou na dica do José de Oliveira 😀

    Fabi

    • José de Oliveira Ramos disse:

      Fabricia: se você fez tudo como dito, deve ter ficado uma maravilha. Deliciou-se?
      Volte sempre que desejar, moça. O caminho (que o Editor resolveu chamar de “porteira”) está sempre aberto.

Deixe o seu comentário!


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa