5 outubro 2016ESTOU GRÁVIDO!



livro-aberto

Livro – o resultado de uma boa e bem feita cópula cultural

Não resisti. Cedi. Aceitei.

Por mais de duas dezenas de anos, os hoje amigos comuns insistiram. Cobravam a cada encontro. Resolvi ouvi-los, e aceitei. Vamos em frente.

No que poderia ser as “preliminares”, momento em que nos atiçamos ou até em que chafurdamos a cinza do monturo – onde o fogo nunca apaga – e as labaredas voltam a queimar fortes, rápidas, volto ao passado.

Meu irmão Francisco de Oliveira Ramos – falecido em 2004 – Advogado por formação universitária; doutor honoris causa na universidade da vida, com especialização na caatinga e na sequidão dos serrados do sempre seco e quente Ceará, desfilou como cronista, e por quase vinte anos foi “colunista” no jornal da família Sarney, “O Estado do Maranhão”. Escrevia às quintas-feiras.

Foi funcionário concursado da Previdência Social, como Auditor Fiscal e, pela aproximação com o próprio Sarney, por oito anos foi Superintendente Estadual do INSS. Antes, fora Narrador Esportivo em rádios cearenses e na TV e Rádio Tupy do Rio de Janeiro. Contemporâneo de Ivan Lima, Paulino Rocha, José Santana, Carlos Lima, Doalcey Bueno de Camargo, Ruy Porto e outros.

Estava na lista de espera por uma cadeira vazia na Academia Maranhense de Letras. Cronista, hoje em dia é o que mais tem. Tem mais que erva daninha – ainda que nenhum se aproxime de Orlando Silveira, José Nêumane, Ismael Gaião, Leonardo Dantas Silva, Zelito Nunes, Fernando Antônio Gonçalves ou Cícero Cavalcanti. Esses custam muito caro para o Editor do JBF – que está devendo até as calças, mas tudo faz para manter o pagamento deles sem atraso. Pagamento em euros, diga-se a bem da verdade, que o Lula nunca soube.

Pois, com o falecimento dele, os amigos (outros colunistas do mesmo jornal que conviveram por anos) começaram a cantilena e a azucrinação para que eu reunisse todas as crônicas produzidas e publicadas por ele (meu irmão) e editasse um livro.

Caí em campo e, independentemente de qualquer bifurcação, encontrei dificuldades. Coisas de uma cidade pequena que convive com o atraso secular. Não havia arquivo eletrônico. Tive que xerocopiar e digitar todas as crônicas produzidas em mais de dez anos. Foi difícil.

E aí surgiu o empecilho maior: uma discordância familiar, por parte dos filhos dele. Como aprendi na vida que, por mais grave que seja o problema, e por mais fortes que sejam as razões, a família não deve brigar. Desisti.

Insects with Extra Details

Uma das prováveis capas do livro – o balé do Louva-Deus

Mas, a cópula literária já havia penetrado no DNA, aguçando o veio do escritor, correndo forte e determinada. Foi quando aportei em meio às sumidades do JBF. Adentrei nesse antro de competência e, dele só saio quando a fumaça papal determinar.

Quero apagar a última luz. É difícil imaginar que Luiz Berto tenha inimigo pessoal. A gente sente a aproximação dele até trazida pelo vento. É um sujeito bom e amigo – qualidades que são carências no mundo atual.

Estou grávido. Sim, estou prenhe e a gestação adiantada já teve imagens mostradas pela ressonância magnética: é um menino! É um livro!

Neste caminhar, peço apenas ao Arquiteto do Universo que, com sua grandeza e bondade, me permita viver para realizar esse sonho.

OBS.: Peço aos amigos que não me peçam para revelar nada além disso. Pretendo concorrer a um concurso literário (e pretendo ganhar), e isso me priva de detalhar além do que já foi dito: estou grávido, e o dia do parto não está tão distante. Ainda teremos a montagem do fraldário e a realização do baby chá.

Compartilhe Compartilhe

20 Comentários

  1. Luiz Berto disse:

    Gratíssimo pela generosidade de suas palavras, meu estimado colunista fubânico.

    Fiquei ancho que só a porra!!!

    • José de Oliveira Ramos disse:

      Berto: fui justo, acho. Não consigo fazer “favor” pra quem joga na Roleta do Cu-Trancado. Você é meu irmão mais novo, visse. Abrace D. Aline e dê um xêro nim Juaozim!

  2. Quincas disse:

    No aguardo do resguardo.

    • José de Oliveira Ramos disse:

      Quincas: a galinha caipira (da terra em alguns lugares) está engordando para fazer o almoço com o famoso “pirão de parida”. Não esquecerei de comunicar e pretendo fazer todas as conveniências.

  3. Paulo Terracota disse:

    No aguardo da chegada do barrigudim.

  4. Fred Monteiro disse:

    Arretada essa notícia ZéRamo! Ver um colega feliz e realizado é um prazer pra mais de seiscentos “cachimbos” de Sanhaçu com mel de abelha da Serra Negra. E eu quero tomar esse cachimbo, nem que seja por aqui no Poço da Panela mesmo!!! É só dizm o dia da parição!

    • José de Oliveira Ramos disse:

      Fred: quer ser o “padrim”?
      Obrigado amigo. Vou cumprir a promessa, sim senhor!

      • Fred Monteiro disse:

        Oxe, se eu quero, sô! Eu e todos os seus amigos da Besta Fubana já nos sentimos padrinhos desse seu filho esperado. E que com certeza nos acompanhará pelos dias afora, trazendo-nos suas crônicas inspiradoras. Inclusive a esse modesto cordelista e seu seguidor.

      • José de Oliveira Ramos disse:

        Fred: intonce hômi dedeusi consideresse convidado, visse. Te aviso prumode tu apreparar a bacia cágua quente e o lençol da parteira, visse!

  5. Beni Tavares disse:

    Já vai nascer com o DNA do sucesso.

    • José de Oliveira Ramos disse:

      Beni: sucesso mesmo é ter o prazer de ser lido por vocês, amigos amealhados nos caminhos da vida. obrigado amigo pela generosidade.

  6. Marcos Mairton disse:

    Aguardamos com ansiedade o parto, Grande José Ramos!

  7. Dalinha Catunda disse:

    Zé, meu amigo,
    Lamento que você tenha abortado a ideia de editar o livro com as crônicas de seu irmão. Mas fico feliz em saber que você não perdeu o tesão e curte uma prenhes que certamente trará um significante fruto. Desde já estou aplaudindo e fico na fila, não para ganhar um exemplar, e sim adquirir valorizando o trabalho do autor. Sucesso e meu abraço.

    • José de Oliveira Ramos disse:

      Dalinha: abortar, com certeza, foi a melhor medida. Brigar com família, para quê?
      A atual gestação está evoluindo e o menino tá pra chegar.

  8. Marcos Pontes/DF disse:

    De um grande cronista, certamente teremos um excelente livro. Estamos no aguardo do resguardo..

  9. Meca Moreno disse:

    Grande José Ramos!
    A comunidade fubânica fica orgulhosa pela sua decisão e ansiosa pra ver o bruguelo berrar e espalhar alegria!
    Grande abraço!

Deixe o seu comentário!


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa