9 maio 2017MÃE SER ESPECIAL



Imaginem como sofre
Aquela mãe passarinho
Que incentiva seu filho
A largar o próprio ninho
Ajudando a criar asas
Para seguir seu caminho.

Na hora que o filho voa,
Pra alívio do coração,
Apossa-se de um rosário,
Vai debulhando oração
Pedindo em cada conta
Que Deus lhe dê proteção.

A mãe é igual a fera
Que acode o filho querido.
É bem capaz de matar
Pro filho não ser ferido.
E vive lambendo a cria
Que se sente protegido

Dá limite é obrigação,
De toda mãe consciente.
Porém nem sempre é assim,
Que o filho podado sente.
Mas pecar pelo excesso,
É coisa de mãe presente

Não é sempre que se acerta
A receita ou a mão
Para aplicar com destreza
A eficaz correção,
E se temos que pecar,
Não seja por omissão.

Existem mães que não têm,
Dos filhos a compreensão.
Ao vê-los bem sucedidos.
Sossegam o coração,
Pois sabem que com certeza
Cumpriram sua missão.

Mãe, mulher especial.
Essa é minha tradução.
Muitas vezes é severa,
Noutras é só coração,
Muitas vezes aclamadas
Noutras renegadas são.

6 Comentários

  1. Itaerço Bezerra disse:

    Dalinha, estava sentindo falta dessas suas pérolas. Excelente como sempre poeta querida.

    Itaerço
    Imperatriz-ma

  2. Dalinha Catunda disse:

    Amigo, estou no interior do Ceará, curtindo as farturas da invernada por aqui. Vivendo a vida ao vivo e a cores, e desconectada do mundo virtual. Mas já estou quase voltando.Meu abraço.

    Ipueiras – Ceará

  3. Marcos André M. cavalcanti disse:

    Senti falta do EU ACHO É POUCO. De repente, eis que Dalinha surge, e nos presenteia com essa maravilha de iguaria poética em homenagem as mamães de todo Brasil.

    Obrigado, Dalinha.

  4. Alamir Longo disse:

    Amor maior que de mãe
    Não se acha em mais ninguém
    E a prova é só perguntar
    Aos que hoje mãe não tem
    Pra salvar o próprio filho
    Se precisar vira um trem!

Deixe o seu comentário!


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa