AUTO_sinfronio

6 Comentários

  1. ´Bráulio de Castro disse:

    Esta é genial. Da maneira demagógica que foi aprovada a lei das domésticas, eleitoreita até, vai dar muita confusão ainda.

  2. ´Bráulio de Castro disse:

    Corrigindo: eleitoreira

  3. Cardeal Bernardo disse:

    Dormi Pessoa Física e acordei Pessoa Jurídica. Daí não tive mais sossego. PQP!!!!!!!!

  4. IRMÃ Z disse:

    Um país onde muitas famílias para ganhar três salários mínimos e ainda pagar tudo o que o governo não fornece, tem que ter uma empregada para cuidar da casa e até dos filhos, agora é forçada a virar empresa e tem que arcar com muito mais do que um salário mínimo e meio para conseguir sair para trabalhar. Quando eu digo que o Congresso Nacional vive fora da realidade do povo brasileiro, tem quem me censure. Eles podem criar despesas em demasia para todo mundo; afinal, quem paga tudo para essa corja somos nós. O que vai haver de demissões, não está no gibi. E depois, nas Varas do Trabalho. Mas, afinal, a justiça brasileira é tão desocupada e tão rápida, né? O que serão mais alguns milhões de reclamações? Vão tirar de letra!

  5. Cardeal Fred Monteiro disse:

    A bem da verdade, eu acho mais do que justo que as domésticas sejam equiparadas e amparadas pela legislação trabalhista, que deve ser -sem dúvida alguma- respeitada e cumprida. Agora, se o povo tem condições de cumpri-la são outros quinhentos. Toda vez que algum benefício para o emprego doméstico é conseguido, dá-se essa grita geral e em seguida vem a acomodação. Já vi esse filme muitas vezes e sempre me adaptei aos novos tempos. Tem muita gente rica por aí explorando o trabalho doméstico por um simples fato. Ninguém quer saber de cuidar da sua própria casa, como acontece em todo lugar do mundo dito civilizado. Temos mais é que nos acostumarmos com a ideia de que o tempo de servos fiéis limpando nossa sujeira e fazendo nossa comida e cuidando dos nossos filhos acabou-se.. Quem quiser (seja porque precise muito, seja porque não goste de faze-lo, que pague a quem se dispõe. Nada mais justo ! Ou então, que se adapte e arranje tempo para ficar com o filho pequeno, lavar e secar as roupas (hoje existe máquina pra tudo), cozinhar ou comer fora, arrumar sua própria cama, varrer sua própria casa. Por que não? Não é justo transferir isso à empregada doméstica a troco de um salário (a maior parte das vezes menor que o mínimo) sem garantia de aposentadoria, sem contrato de trabalho assinado e suas consequências todas. Quer conforto e tranquilidade ? Pague por eles, como em qualquer parte do mundo. As domésticas tambem têm suas casas, seus filhos, suas obrigações… e merecem ter seu emprego bem remunerado e seus direitos sociais satisfeitos. Querer o contrário é irracional !

  6. José de Oliveira Ramos disse:

    Essa foi uma Lei arrancada a biceps! Vai ter benefícios – para as empregadas, claro – mas vai trazer prejuízos – também, claro – para elas também. Começa que os legisladores nos empurram leis goela à baixo, mesmo sem termos cultura para alcançá-las. Tem empregada que explora a patroa, tem empregada que é explorada, mas também tem empregada que mente pra caralho. E, nessa mentira, não é apenas a empregada doméstica. Tem empregada, doméstica ou não, que todo dia mata um parente para justificar a falta ou o atraso. Tem empregada solteira e que nunca pariu, que todo dia “adoece” o filho para justificar falta ou atraso. Assim, acredito, da forma que está sendo lançada a Lei, o patrão vai ser o grande vilão, única e exclusivamente. A gente sabe, claro, ninguém aqui é idiota, que tem patrão e filho de patrão que comem a empregada, da mesma forma que sabemos que tem empregada que faz questão de dar para o patrão ou para o filho do patrão para garantir o emprego – ou para fazer achaque, chantagem.
    Mas todos sabemos que, empregada doméstica, pedreiro, marceneiro, jardineiro são “profissões” que caminham para a extinção. Existe há algum tempo a empregada diarista, que trabalha xis horas por dia. Como vai ficar essa? Como vai ficar a relação entre empregada e patroa, quando for queimada uma geladeira,uma televisão, um microondas, uma máquina de lavar ou quando uma comida for para a mesa estragada? É, creio, mais uma Lei que não vai pegar. Não temos cultura para isso. Mas vai ter uma ingerência direta: a patroa que não pretender arcar com essa responsabilidade, vai ter, ela mesma, que acordar mais cedo para fazer algumas tarefas domésticas – pelo menos passar a roupa sua, do marido e dos filhos. Sim, porque a máquina lava, enxágua e seca. Mas não passa. Vai levar para a tinturaria? Vai valer a pena?

Deixe o seu comentário!


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa