20 abril 2017DEIDADE



Porte elegante, rosto angelical,
nariz perfeito, boca delicada,
olhos castanhos, pele acetinada,
cabelos pretos, corpo escultural…

Gestos suaves, caminhar de fada,
mulher de sonho, beleza ideal!
Isso tudo e bem mais é minha amada,
estrela do meu céu e meu fanal.

Entretanto, essa deusa, na verdade,
ao sentir-se, afinal, uma deidade,
exagera talvez na compostura.

Pois, sabedora do poder que tem,
trata às vezes quem a ama com desdém,
ferindo o coração da criatura!

3 Comentários

  1. CÍCERO TAVARES DE MELO disse:

    Caro poeta e ótimo colunista fubânico DODDO FELIZ:

    Na minha vida, sempre vou me guiar por uma observação feita por uma grande amiga, infelizmente encantada nova com o “mau do terrível”, depois que saiu do cinema ao assistir ao filme: TITANIC: “TUDO QUE EMOCIONA É GENIAL!

    Pensando nas palavras dela, digo o mesmo dessa sua poesia: DEIDADE! E dedico a ela!

  2. Glória Braga Horta disse:

    Mais um belo soneto do talentosíssimo poeta Doddo Felix!

  3. Macau disse:

    Meu caro poeta, isso é o deslindrar da alma feminina: quando sabe que nos domina bota prá fuder.
    Excelente poema, é para domingos.

Deixe o seu comentário!


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa