Tive o prazer inenarrável e a incomensurável honra, de conhecer e conviver com esses dois grandes baluartes da nossa cultura do repente. Dois geniais repentistas de valor inquestionável e de um humanismo fora do comum nos simples mortais.

Job Patriota de Lima, é esse o nome de pia do poeta Jó Patriota, nasceu no primeiro dia do ano 1929 e desencantou no de 92, no dia 11 de outubro. Era um lírico inveterado, um boêmio contumaz e um poeta impressionante.

Jô foi amigo do meu pai, Manoel Filó, desde a infância, numa amizade que perdurou por toda vida dos dois poetas. Pai me contou várias histórias passadas com os dois. Disse que certa vez, ainda na adolescência em Mundo Novo, distrito de São Zé, Jô insistia com pai pra irem os dois pra Festa de Reis naquela cidade, ao que pai contestou:

- Vou não Jó, nem eu nem tu tem dinheiro, o que a gente vai fazer lá?

Jó, um humorista nato, diz;

- Dinheiro eu num garanto não, mas cigarro a gente pede!

Manoel Xudu Sobrinho, era de Pilar-PB. Tinha uma voz forte e um dedilhado na viola inconfundível. Poeta de alma boa, e também um boêmio inveterado, foi pra São Zé a convite de Lourival Batista, onde passou uma boa temporada. Não disponho das datas de sua passagem terrena [nascimento e falecimento].

Morreu quando eu era ainda muito jovem, mas lembro perfeitamente de suas passagens pela casa do sítio do meu tio Zezim Moura, um dos maiores apologistas que já vi, ou na casa do Mestre das Artes Zé de Cazuza. Xudo, assim como Jó, teve com meu pai grande amizade, tendo feito várias e grandes, cantorias junto com ele, o que também garantia minha aproximação destes poetas

Pois bem. Um amigo meu, que está agora nas Oropa, em Portugal, encontrou, em seus arquivos, uma fita de uma cantoria memorável destes dois mestres do repente, realizada aqui em Recife. Esse amigo trabalha com música e sabe dos traquejados das aparelhagens modernas de som e deu uma melhorada arretada na qualidade sonora da gravação, que já deve ter ai uns trinta anos.

Ele mandou pra mim e eu divido com todos e repasso pra todos os amantes da cantoria. Depois vem mais, ele continua mexendo em outros baiões pra melhorar a qualidade do som, e na medida em que for fazendo, vai me enviando e eu vou repassando.

Agora podem se deliciar.

Compartilhe Compartilhe

9 Comentários

  1. roserlei disse:

    Poeta J.Filó..
    Fiquei impressionada com a sequência de iiiiiiiiiiiiiiis ssssssssssss no seu texto.
    Muito boa a volta ao passado , as histórias que não devem perder-se.
    Cuide delas.
    …só prá justificar… inenarrável , incomensurável ,inquestionável, inveterado, “contumaz”(é ótimo) impressionante, inconfundível.Adoro o iiiiiiii

  2. Jorge Filó disse:

    E pra falar desses poetas, a redundância, ainda é pouco!
    Muito obrigado Roserlei!

  3. Rachel Rabelo disse:

    Olá Poeta,
    foi um prazer receber seu convite para passear pelas histórias que cerceam o mundo sertanejo!
    Muito bom ler seus textos e conhecer mais (e melhor) a vida de grandes menestréis da poesia, da cantoria e do repente.
    A originalidade da escrita nos deixa, literalmente, a vontade!
    Abraços pajeusenses.

  4. Ecleston (Deto) disse:

    Caro, Jorge Filó, parabéns pela coluna e pelo material postado – muito boa a cantoria.
    Abraço,

  5. Sarinha e Edison disse:

    Olá, Filó!

    Não consegui abrir este video. Por que será? Aviso de inválido. Estamos ansiosos para ouvir a cantoria. Como proceder? Grata desde já.

    Abraço

    http://sentimentos-sam.blogspot.com ou sarinhafcosta@hotmail.com.

    E orkut rsrs.

  6. Jorge Filó disse:

    Olá Sarinha e Edison.
    Não se trata de vídeo, é só áudio.
    Bom saber que vocês visitam o JBF.
    Um abraço!

  7. Sarinha e Edison disse:

    Frequentamos assiduamente! Edison, quase que diariamente rsrs. Mas não sabe comentar…Lidar com as ferramentas da net. Mas não conseguimos ouvir, não! Tentarei de novo. Ok? Beijo

  8. Edson Porto disse:

    Hô amigo, eu estou lendo “um certo jó” do Alberto da Cunha Melo, e gostaria de ouvir muito essa preciosidade que você compartilhou, mas está dando erro, acho que o arquivo expirou. Poderias repostar ou me enviar o arquivo?

    Muito obrigado.
    Abraços e parabéns pelo site.

  9. paulo marinho disse:

    sou do pajeú, já li muito sobre o jo patriota, acredito que o melhor já li dos seus artigos está aí abaixo, não consegui abrir para ouvir o áudio.
    SANTA ESTRELA DO CEU DO MEU DESTINO
    MINHA NOITE PROFUNDA ENLUARADA
    SANTA NUVEM DA LINDA MADRUGADA
    HORIZONTE BONITO E CRISTALINO
    ROSTO LINDO REDONDO E PEQUENINO
    GIRASSOL DOS QUINTAIS DA INSPIRAÇÃO
    IMITANDO O FORMATO DE UM BALÃO
    ENFEITANDO OS NATAIS DA POESIA
    PODEREI ESQUECE-LA, MÁS SE UM DIA
    ME ARRANCAREM DO PEITO O CORAÇÃO

    jô patriota

    recife pe= abs a todos

Deixe o seu comentário!


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa