6 dezembro 2017STAND-UP COM POESIA



AMOR AO PRÓXIMO

Pode ser que
meu próximo me ame
Pode ser que
eu ame meu próximo.
Pode ser que
esse amor se derrame
e atinja o próximo do meu próximo…

Pode ser, quem sabe.
Tudo é possível.

FIM DO MUNDO

Não quero saber
Do inicio do mundo
Quero esquecer
Que existe um fim
Só quero viver
O mundo presente
Que existe em mim.

O POETA

O poeta está para poesia
Como o escultor pra escultura
Como o mágico pra magia
Como o criador pra criatura…
Como Deus pra todos nós

MULHER PARTIDA

Só te quero por inteira
Quero tamanho família
Porem, se preciso for
Que se faça a partilha
Mas que seja, por favor
Partida na horizontal
Pra não haver cambalacho
Mulher partida por igual
Dou-te a parte de cima
Fico eu com a de baixo

“Quem parte e reparte
Não fica com a melhor parte,
Ou é muito bobo
Ou não tem arte.”

PEDRAS QUE MALTRATAM

Pedras do meu tropeço
Pedras que me machucam
Aquelas que atiram em mim
As pedras do meu sapato
Pedras que ferem de fato…
Mas as que me maltratam
São as pedras dos meus rins

TUDO QUE FIZ

Apalpei os seios
Lactantes da poesia
Suguei o néctar
Das letras livres
E por um instante
Me tornei amante
E me fiz poeta.

Ah poesia!
Quem não se apaixonaria?

LINGUAS

Eu aprendi várias línguas,
Mas nunca esqueci a sua.

4 Comentários

  1. Violante Pimentel disse:

    Parabéns pelos excelentes versos, prezado poeta Francisco Itaerço! Seu “STAND-UP COM POESIA” faz bem ao leitor!
    Um grande abraço!

    Violante Pimentel Natal (RN)

  2. Itaerço Bezerra disse:

    Obrigado minha querida amiga Violante Pimentel, sua generosidade me motiva escrever cada dia mais e procurar melhorar sempre.

    Um abraço
    Itaerço
    Imperatriz-ma

  3. Joaquimfrancisco disse:

    As pedras que me atiras
    Não representam nada
    Usarei as pedras de minha vesícula
    Para pavimentar sua estrada.

    Como sofri !
    O nobre poeta talvez nem imagina.
    Brincadeira à parte,gostei de ler!.

  4. Itaerço Bezerra disse:

    Obrigado meu amigo Joaquimfrancisco, cada um tem suas Pedras de tropeço, as minhas são as dos rins as suas as da vesícula. O bom é fazer poesia com nossas pedras.
    Um abraço meu irmão.

    Itaerço
    Imperatriz-ma

Deixe o seu comentário!


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa