LUIZ GONZAGA E AMIGOS

Em 1984, Luiz Gonzaga canta, acompanhado por Oswaldinho, Sivuca, Fagner, Guadalupe e demais músicos a clássica “Asa Branca” dele e de Humberto Teixeira.

15 setembro 2017 FULEIRAGEM

VERONEZI – GAZETA DE PIRACICABA (SP)

15 setembro 2017 A PALAVRA DO EDITOR

VAMOS PASSEAR NA PRAÇA

O fato assucedeu-se ontem, quinta-feira.

Fomos eu e João passear na Praça de Casa Forte, aqui perto de onde moro. Um refúgio aconchegante e arborizado, no coração da zona norte de uma cidade movimentada e barulhenta como Recife.

Aline ficou em casa, cuidado do meu sogro, que veio lá do sertão pra fazer uma cirurgia de catarata.

Fomos eu e João à livraria existente na praça, um espaço arretado, localizado num antigo casarão, repleto de livros e coisas boas. O que tem de pequeno, tem de muito aconchegante. 

Tomei o meu café, enquanto olhava com inveja e de olho comprido para os fregueses das mesas vizinhas, emburacando no uísque ou na cerveja. João tomou o seu refrigerante de sempre.

Ontem foi dia de música ao vivo. Um quarteto maravilhoso brindava os ouvintes com jazz, música romântica e MPB de altíssima qualidade. Fiquei babando com o repertório e curti que só a peste.

João aproveitou a oportunidade para mostrar seus conhecimentos técnicos e gravou um vídeo, que está aí no final desta postagem.

Hoje, sexta-feira, a partir das 6 da tarde, é dia de Beto do Bandolim, um grande artista aqui da terrinha e um amigo muito querido. É ele que anima com o seu conjunto a reunião anual da turma de fubânicos aqui em casa, no mês de dezembro.

Quem quiser dar um passeio pela livraria, é só clicar na imagem abaixo. Tem muita coisa boa pra se ver, garanto a vocês. Inclusive vídeo com Beto do Bandolim mostrando o seu grande talento.

* * **

15 setembro 2017 FULEIRAGEM

NICOLIELO – JORNAL DE BAURU (SP)

15 setembro 2017 JOSIAS DE SOUZA

LULA E TEMER SE UNEM NO ESCURO DOS PROCESSOS

* * *

NOS PROCESSOS, LULA E TEMER ESPERNEIAM IGUAL

15 setembro 2017 FULEIRAGEM

RONALDO – JORNAL DO COMMERCIO (PE)

SEIS MESTRES DO IMPROVISO E UM FOLHETO DE LENDA

João-Paraibano-

O saudoso poeta cantador João Paraibano, que encantou-se aos 61 anos de idade em setembro de 2014

* * *

João Paraibano

Branca, preta, pobre ou rica,
toda mãe pra Deus é bela;
acho que a mãe merecia
dois corações dentro dela:
um pra sofrer pelos filhos;
outro pra bater por ela.

* * *

Lourival Batista, o rei do trocadilho

É muito triste ser pobre
Pra mim é uma mal perene
Trocando o “p” pelo “n”
É muito alegre ser nobre
Sendo pelo “c” é cobre
Cobre figurado é ouro
Botando o “t” fica touro
Como a carne e vendo a pele
O “T” sem o traço é “L”
Termino só sendo “Louro”!

* * *

Luiz Ferreira Lima (Liminha)

Acho lindo um bonito vagalume
Reluzindo sua luz na escuridão
Um luzidio e pomposo alazão
Quando trota exibindo seu negrume
Como é lindo os peixinhos em cardume
Se unindo pra escapar do predador
Não se imita o “rasante” de um condor
Nem o charme de uma bela “margarida”
Isso tudo pra mostra na nossa vida
Quanto é grande o poder do Criador!!!

* * *

Geraldo Gonçalves

Para quem nasce poeta
versejar é um lazer,
sinto bastante prazer
obedecendo esta meta.
No repente sou atleta,
meu verso é uma beleza,
componho com singeleza,
rimo porque acho bom,
a poesia é um dom
dado pela natureza.

* * *

Dudu Moraes

Não é que meu coração
Não consiga amar ninguém
É que este pobre indefeso
De ingratidões foi refém
De tanto levar pedrada
Tornou-se pedra também!

* * *

Diniz Vitorino

Nós temos por certa a morte,
mas ninguém deseja tê-la…
Quando morre uma criança,
o pai lamenta em perdê-la,
mas Jesus, todo de branco,
abre o céu pra recebê-la.

* * *

Um folheto de Gonçalo Ferreira da Silva – LENDA DO CAIPORA 

A humana criatura
se pergunta insatisfeita:
Como uma coisa existe
sem nunca ter sido feita? –
Quem prega não prova nada
quem escuta não aceita.

Diz a gênese mosaica
que Deus Pai Onipotente
disse: “Faça-se a luz”
e a luz obediente
do atro abismo do nada
surgiu repentinamente.

Assim também são as lendas
as vezes surgem do nada
ou como reminiscência
duma cultura importada
que sempre sensibilizam
gente não civilizada.

Clique aqui e leia este artigo completo »

15 setembro 2017 FULEIRAGEM

THIAGO LUCAS – CHARGE ONLINE

15 setembro 2017 A PALAVRA DO EDITOR

DO FILHO PARA O PAI

Na primeira orelha do livro está escrito o seguinte:

“O projeto Vivência em Cura tem a finalidade de difundir experiências reais e acessíveis de cura, a partir da experiência e estudos de seus participantes.

Suas manifestações mais expressivas até o momento são o site Vivência em Cura e esta série de publicações, contando ainda com Grupos de Estudos e Práticas, Eventos, Festas Terapêuticas e novos modelos de Compartilhamento de Informação.”

Já na segunda orelha consta a seguinte informação:

“Luiz Antonio Berto

Desenvolve estudos e práticas de cura e expansão de consciência, tendo formação em Comunicação Social – Publicidade e Propaganda – e cursos técnicos de Quiropraxia, Bioenergética Emocional, Massagem Terapêutica e Constelações Familiares e Sistêmicas.

Em 2000 passou por uma série de experiências místicas sucessivas que o levaram a deixar o mundo dos negócios corporativos para se dedicar integralmente à área holística.

Além desse período de dedicação profissional integral, sua jornada de encontro pessoal já contava com um trabalho de desenvolvimento prévio de pesquisas e experiências desde 1995.”

Pois é. É isto mesmo.

O sobrenome Berto não é mera coincidência.

Trata-se do meu filho querido e amado, Luiz Antonio, um jovem de 47 anos, que mora num lugar muito especial na minha estima e no meu coração.

Sua irmã mais velha, minha filha Patrícia, o define como “uma pessoa do bem“.

Mais que ser um cabra “do bem“, meu filho é um sujeito pacífico, ordeiro, otimista, tranquilo, calmo, correto, zen, de fala mansa, em paz com a vida e com a humanidade.

E que vive conforme pensa, uma qualidade rara.

Largou tudo, uma promissora carreira numa multinacional de informática, para levar a existência conforme a sua filosofia de vida.

Agora, vejam só que dedicatória arretada tá lá na abertura do livro:

Fiquei ancho que só a porra!

Brigadão, meu filho.

Você é uma cria porreta, da qual o papai muito se orgulha.

Que você continue brilhando, fazendo o sucesso que merece e desfrutando a vida em paz, ao lado desta linda neta que você meu, minha estimada Luiza.

Um beijão!!!

E quem estiver interessado em adquirir o livro, pelo módico preço de R$ 43,20, é só entrar na página da Editora AGBook, clicando aqui.

15 setembro 2017 FULEIRAGEM

FRANK – A NOTÍCIA (SC)

TEMAS INESQUECÍVEIS

* * *

01 – Autumn Leaves – (Prevert/Mercer/Kosma) – Roger Williams & Orquestra – 1955

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


02 – Because Of You – (A.Hammerstein/D.Wilkinson) – Urbie Green & Orquestra – 1967

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


03 – Misty – (Errol Garner/Johnny Burke) – Ronnie Aldrich & Orquestra – 1962

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


04 – Twilight Time – (B.Ram/M.Nevins) – Lenny Dee & Orquestra – 1961

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


05 – Frenesí – (A.Dominguez) – Bobby Byrne & The Jazzbone`s – 1959

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


06 – Blue Hawaii – (L.Robin/R.Rainger) – Lawrence Welk & Orquestra – 1969

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


07 – La Cama de Piedra – (Cuco Sanchez) – Marimba Chiapas – 1965

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


08 – Tomorrow`s Love – (Russel/Covacevich) – Hugo Montenegro & Orquestra – 1968

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


09 – Secret Love – (Fain/Webster) – Bert Kaempfert & Orquestra – 1964

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


10 – Arrivederci, Roma – (C.Sigman/R.Rascel) – Tony Mottola & Orquestra – 1967

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


11 – Always In My Heart – (E.Lecuona) – Los Índios Tabajaras – 1963

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


12 – September Song – (M.Anderson/Weill) – Les & Larry Elgart & Orquestra – 1959

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


13 – Smile – (Chaplin) – Frank Chacksfield & Orquestra – 1954

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


14 – The Way We Were – (M.Hamlisch/Alan & Marilyn Bergman) – Stanley Black & Orquestra – 1974

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


15 – Wonderland By Night – (Klaus/Gunther Neumann) – Al Caiola & Orquestra – 1961

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


16 – Johnny Guitar – (Victor Young) – John Blackinsell & Orquestra – 1977

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

15 setembro 2017 FULEIRAGEM

J. BOSCO – AMAZÔNIA JORNAL (PA)

15 setembro 2017 CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

NICOLE PRIETO – AQUIDAUANA-MS

Berto,

este vídeo foi gravado numa igreja aqui perto da minha casa.

veja se dá pra publicar no JBF.

eu achei ótimo.

a sua benção!

R. Vôte!

Danô-se!

Vocês me arranjam cada uma da porra.

Meus sais, meus sais, estou sufocado!

Arreda daqui, Tinhoso!

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

15 setembro 2017 FULEIRAGEM

NANI – CHARGE ONLINE

15 setembro 2017 A PALAVRA DO EDITOR

TÁ TUDO ENFIADO NO FURICO DO MELIANTE-MOR

Está simplesmente acachapante e arrasadora a coluna do jornalista Josias de Souza, publicada hoje no JBF.

O texto trata, com detalhes, da audiência-arrocho a que o multi-réu Lula foi submetido na última quarta-feira.

É só rolar a tela que vocês encontrarão logo aí embaixo.

Como os argumentos que Josias usa estão irrespondíveis, isto significa que são argumentos que estão na medida pra serem respondidos pelo fubânico Ceguinho Teimosos.

Com um arrazoado hilário que muito alegrará a nossa sexta-feira.

A propósito desta fudetífera audiência, vale a pena ouvir esta excelente análise feita pela jornalista Vera Magalhães:

15 setembro 2017 FULEIRAGEM

MOISÉS – CHARGE ONLINE

A GORDINHA GULOSA

Durval, sessentão, aposentado, e agora viúvo, está levando uma vida inimaginável há um ano. Depois da morte da esposa foi morar num pequeno apartamento da praia de Pajuçara.

Às vezes sai à noite em busca de divertimento. Numa sexta-feira foi a uma casa de show e dança, sentou-se à mesa, pediu um uísque ao garçom. Suas vizinhas de mesa eram três jovens na faixa de 30 a 40 anos. Uma loura bem vestida, saia vermelha, outra loura de mini-saia mostrando as pernas bonitas e a terceira, uma simpática, risonha e bonita gordinha, com um vestido de renda longo e um generoso decote realçando a exuberância dos seios.

Durval encantou-se com a beleza angelical da gordinha. Nariz afilado, boca pequena, lábios carnudos. Os cabelos pretos que nem um mutum, davam-lhe um tom sensual na aparência.

O viúvo viu a uva, achou-a nova, calculou ter o dobro da idade da gordinha. Depois de dois uísques Durval já conversava com as vizinhas. Eram pernambucanas, estavam a trabalho em Maceió, retornariam no domingo para o Recife. Cidinha, a gordinha, embarcava para Lisboa na segunda-feira pela manhã. Tinha conseguido um curso de cinema de seis meses na Europa.

Durval estava embevecido com a conversa descontraída das jovens. Sentiu fortes sinais de paquera nos sorrisos de Cidinha. A diferença de idade não seria empecilho.

Ao iniciar uma música suave, Durval convidou a gordinha para dançar. Abraçaram-se e ele sentiu colar-se o corpo da jovem. Mudos, se acarinhavam deslizando pelo salão. O coroa descolou o rosto, olhou-a nos olhos, de repente Cidinha beijou-lhe a boca, continuaram dançando entre beijos e carícias.

Tarde da noite Durval levou as jovens ao hotel e Cidinha ao apartamento. No espelho do elevador olharam-se abraçados e sorrindo. Um belo e simpático casal de gordinhos.

Ela resolveu tomar um banho. Durval entregou-lhe uma toalha. Quando do chuveiro jorrava água morna, ele entrou no banheiro, ficou encantado ao ver a gordinha entregue à água. Ensaboaram-se, beijaram-se, arrastaram-se à cama.

Num momento de intenso movimento, ouviu-se um estalo forte. O estrado da cama quebrou, o colchão arriou ao chão. Deram uma gargalhada, continuaram amando-se.

Depois de muito amor, os dois estatelados e mudos olhavam para o teto, Cidinha foi a primeira a falar:

– “O amor me dá uma compulsão enorme, quero comer. Tem alguma macarronada por perto nessa hora?”

Colocaram uma roupa e foram para a Casa do Macarrão. Cidinha comeu a primeira, pediu outra. Durval achou a maior graça porque vieram a terceira e quarta macarronada. Ele acompanhando discretamente. Cidinha esclareceu, a culpa era dele, quanto maior o êxtase, maior a fome. Levaram mais duas macarronadas num pacote viajando para o apartamento.

Dormiram como dois anjos de Botero. Ao acordar pelas 10 horas da manhã, enquanto a amada dormia, Durval levantou-se, escovou os dentes, tomou banho, enrolou-se numa toalha. Foi à geladeira beliscar alguma coisa. Ao perceber que não havia mais macarronada, saiu-lhe uma gargalhada tão alta que acordou os dorminhocos retardatários do prédio. Rolaram sorrindo na cama quebrada.

Antes de partirem para o Recife, degustaram um substancial café numa padaria, ele combinou que a acompanharia até sua partida a Portugal. O sábado ensolarado estava convidativo, cantaram durante a viagem de carro pela estrada litorânea cheia de céu, mar e muito coqueiro. Resolveram dormir em Maragogi. Hospedaram-se no Hotel Salinas. Foram à praia. Durante a noite divertiram-se no salão de dança, onde encheram a cara com muito uísque. Pela manhã, Durval roçou seu nariz no nariz de Cidinha, ela dormindo, sonhando, cheirava seu namorado. Beijaram-se nos lábios com muito carinho. Cidinha acordou-se voraz. Fizeram amor até mais tarde. A cama do hotel não despencou.

Domingo rumo ao Recife. O café da manhã regional, delícia da comida nordestina. O Salinas tem o melhor serviço de café da manhã do país. Certo momento Durval saiu para fechar a conta na recepção. Deixou a amada terminando seu café da manhã.

Meia hora depois ele retornou e percebeu os garçons espantados com aquela hóspede que não parava de comer esvaziando pratos e enchendo-os novamente de comidas. Quando ela viu Durval, deram uma gargalhada na maior cumplicidade. Ainda cochichou no ouvido: “Tapeei um pouco, mas não pude resistir tanta coisa gostosa. O culpado foi você meu amor, a compulsão é enorme, ainda sinto minhas pernas entre as suas, meus seios ainda estão em suas mãos.”

No Recife ele deixou-a numa mansão no bairro de Casa Forte. A família da gordinha é das mais tradicionais descendentes de Maurício de Nassau.

O avião decolava às seis da manhã do dia seguinte. Como combinado, ao entardecer Cidinha, de malas prontas, apareceu no hotel de Durval. Jantaram num chique restaurante de Boa Viagem, retornaram ao hotel. Foram horas seguidas de intenso amor e vinho. O coroa recorreu discretamente da ajuda da valorosa azulzinha. Na madrugada saíram do ninho amoroso direto para o aeroporto. Despediram-se num beijo prolongado.

Quando o avião decolou, ela pediu o primeiro lanche de bordo. E assim prosseguiu nas sete horas de vôo. Foram quatorze lanches e cinco garrafas de vinho durante a travessia do Oceano Atlântico. Cidinha comia recordando detalhes da aventura com o alegre coroa e pensava se algum dia iria revê-lo.

15 setembro 2017 FULEIRAGEM

SPONHOLZ – JORNAL DA BESTA FUBANA

MUDOU DE IDEIA EM RELAÇÃO AO COMPANHEIRO

15 setembro 2017 FULEIRAGEM

SINOVALDO – JORNAL NH (RS)

15 setembro 2017 A PALAVRA DO EDITOR

TRISTEZA E DECEPÇÃO

Esta gazeta escrota é um ambiente alegre e descontraído.

De modo que não gosto de dar notícias tristes.

Notadamente quando a tristeza diz respeito a este Editor.

Desde ontem que estou melancólico, sorumbático, sombrio, desgostoso e desiludido da vida.

Estou sem rumo e em baixíssimo astral.

Isto porque tomei conhecimento de que a cantora Lady Gaga não vai mais se apresentar hoje, sexta-feira, neste evento encantador que é o Rock in Rio.

Confesso a vocês que chorei copiosamente. Molhei pra mais de 12 lenços na tentativa de enxugar as lágrimas.

Xiuf, xiuf, snif, snif…

Chorei tanto quanto os fãs que aparecem em prantos nesta matéria do Jornal Nacional que foi ontem ao ar. 

Vejam só que que coisa desoladora e de cortar o coração:

15 setembro 2017 FULEIRAGEM

IOTTI – ZERO HORA (RS)

15 setembro 2017 JOSIAS DE SOUZA

LULA NÃO FALOU PARA MORO, MAS PARA AS CÂMERAS

Colecionador de processos, Lula foi denunciado nove vezes pela Procuradoria. Seis dessas denúncias viraram ações penais. Numa delas, foi condenado por Sergio Moro a nove anos e meio de cadeia. Com uma rotina penal tão intensa, o ex-presidente petista pode estar, paradoxalmente, ganhando uma nova razão para se manter ativo e retirar proveito de sua degeneração moral. Lula tornou-se um réu cenográfico. Nesta quarta-feira, não prestou propriamente um depoimento para o juiz da Lava Jato. Exibiu uma encenação para as câmeras da sala de audiências da Justiça Federal de Curitiba.

Ciente de que tudo seria divulgado, Lula pareceu desta vez mais preocupado em oferecer uma boa atração para quem o assistisse posteriormente na internet ou nos telejornais. Não conseguiu se defender. Ao contrário, consolidou a segunda condenação que Moro logo enfiará no seu prontuário. Elevou, porém, sua cotação artística. Intercalou uma irritação ensaiada com uma certa hipocrisia assumida. Coisa de quem sabe que seu enredo não sobrevive a um detector de mentiras. Mas agrada aos devotos que ainda o amam a ponto de enxergá-lo como um santo.

Lula foi ouvido na ação em que é acusado de receber R$ 13 milhões em propinas da Odebrecht. A verba veio na forma da aquisição de um apartamento vizinho de porta da cobertura onde mora o réu, em São Bernardo, e da compra de um terreno onde seria instalado o Instituto Lula. Na semana passada, o grão-petista Antonio Palocci, candidato a delator-companheiro, confirmara todas as acusações. Pior: dissera que Lula havia celebrado um “pacto de sangue” com a Odebrecht. Em troca de vantagens à construtora, amealhou um pacote de propinas de R$ 300 milhões para si e para o PT.

Indefeso, Lula portou-se como se tivesse a exata noção de que sua condição de mito está em via de se tornar apenas patrimônio artístico. Nada que possa ser legado aos netos. Mas o suficiente para compartilhar com seus fiéis e cúmplices. Livrou-se de Palocci como quem afasta uma barata com o bico do sapato. Soou como se recitasse um texto decorado: “Eu vi atentamente o depoimento do Palocci. Uma coisa quase que cinematográfica, conheço o Palocci bem. O Palocci, se não fosse ser humano, seria um simulador. Ele é tão esperto que é que é capaz de simular uma mentira mais verdadeira que a verdade. O Palocci é médico, calculista, é frio.

Moro cutucou: “Nada daquilo é verdadeiro?” E Lula: “Nada é verdadeiro. A única coisa que tem verdade ali é ele dizer que está fazendo a delação porque quer os benefícios da delação. Ou quem sabe ele queira um pouco do dinheiro que vocês bloquearam dele.” Com dois parágrafos, Lula reescreveu sua história, criando uma ficção sem Palocci. No mundo real de Lula, Palocci foi, nos últimos 15 anos, um escudeiro providencial. Era uma espécie de Sancho Pança de algibeiras cheias, cujo papel principal era fazer a interlocução do pajé do PT com a caciquia do empresariado.

Uma representante da Procuradoria recordou ao depoente: “O senhor Emílio Odebrecht, no depoimento prestado aqui ao juízo, informou que o senhor credenciou AntonioPalocci para ser a pessoa com quem a empresa faria contato via Marcelo Odebrecht e, no momento anterior a Marcelo Odebrecht, a Pedro Novis. Que o senhor credenciou Antonio Palocci…

Lula atalhou a procuradora:

Posso responder? O Palocci não era da direção do PT, o Palocci não era tesoureiro de campanha, portanto o Palocci não cuidava de dinheiro. Ora, se alguém se apresentava para algum empresário utilizando o meu nome, é outros quinhentos, é uma outra ação que vocês vão ter que mover contra quem se aproveitou do meu nome. Mas nunca foi dada autorização ao Palocci, a quem quer que seja, para negociar recursos com qualquer empresário neste país.

Até os porteiros da sede do PT sabem que uma das funções de Palocci era livrar Lula de cuidados banais, como as necessidades financeiras. Afinal, não se pode esperar que quem veio ao mundo pra salvar o Brasil se ocupe também de contactar a Odebrecht para pagar os seus confortos. No fundo, vem daí a impressão de Lula de que está sendo injustiçado por investigadores e magistrados mesquinhos, incapazes de perceber que todo o dinheiro movimentado ao seu redor, viesse de onde viesse, não era mais do que o merecido.

Palocci reconheceu ter participado da negociação para a aquisição do terreno para o Instituto Lula. Sergio Moro esfregou no nariz de Lula uma “mensagem eletrônica”. Indagou: O e-mail “não confirma o envolvimento do sr. Palocci nessa negociação?” Ao desconversar, Lula insinuou que o criminoso é seu ex-Sancho Pança: “…É problema dele se ele estava envolvido ou não. Só não quero que ele me envolva. Se ele está envolvido, se ele cometeu ilícito, ele que diga que cometeu.

Manifestando-se por meio de uma nota dos seus advogados, Palocci traduziu Lula: ”Enquanto o Palocci mantinha o silêncio, ele era inteligente e virtuoso. Depois que resolveu falar a verdade, passou a ser tido como calculista e dissimulado. Dissimulado é ele, que nega tudo o que lhe contraria e teve a pachorra de dizer que se encontrava raramente com o Palocci a cada 8 meses.” Essa briga tem enorme interesse público. Se pudesse, Moro talvez tivesse parafraseado Michel Temer: “Tem que manter isso, viu?”

Quanto ao apartamento vizinho ao seu, Lula reconhece que ocupa. Mas nega que seja o proprietário. Sustenta que apenas alugou o imóvel. O contrato foi assinado pela ex-primeira-dama Marisa Letícia. O suposto dono, Glauco da Costa Marques, é um “investidor” misterioso, providenciado por um amigão de todas as horas: o pecuarista José Carlos Bumlai. Ouvido no processo, Glauco declarou que não recebia aluguel da família Lula da Silva. Só começaram a lhe pagar depois que o pecuarista Bumlai foi preso pela Lava Jato.

O senhor ex-presidente sabe explicar como foi pago o aluguel desse imóvel a partir de fevereiro de 2011?”, quis saber Sergio Moro. Lula transferiu a resposta para um cadáver: “A dona Marisa ficou com a responsabilidade de fazer o contrato e acertar aluguel, condomínio, IPTU, e outras coisas da casa. Era tudo ela que fazia.

Não podendo interrogar a morta, o juiz insistiu com Lula: “O senhor Glauco da Costa Marques foi ouvido aqui em juízo e declarou que somente começou a receber o pagamento do aluguel do imóvel a partir do final de 2015, logo após a prisão do senhor José Carlos Bumlai, essa é a informação dele. O senhor ex-presidente tinha informação disso?

Lula, como de hábito, não sabia: “Fiquei surpreso com o depoimento dele, porque nunca chegou a mim qualquer reclamação de que não se estava pagando aluguel. Porque ele declarava no Imposto de Renda dele que pagava aluguel, e eu declarava no meu Imposto de Renda que a dona Marisa mandava pro procurador o pagamento do aluguel.

Moro não desistiu: “O senhor ex-presidente tem recibos dos pagamentos desses alugueis?” E Lula, com a firmeza de um pote de gelatina: “Tem recibo, deve ter, posso procurar com os contadores para saber se tem.” O juiz soava mais incômodo do que maquininha de dentista: “Salvo engano do juízo, os recibos não foram apresentados ainda. O senhor ex-presidente sabe o motivo?” Mas Lula parecia mesmo indefeso: “Eu não sei. Nem sei se já foi pedido ao advogado para apresentar.

Uma das obsessões de Lula no seu papel de réu cenográfico, é a de se manter em cena com o figurino de um perseguido político. No não-depoimento de Curitiba, fez questão de caprichar nos ataques aos procuradores da força-tarefa da Lava Jato: “Eles inventaram que o tríplex era meu. Eles agora inventaram que o apartamento é meu e não é, e eles sabem disso. Como inventaram a história do sítio que é meu, e não é. Ou seja, três denúncias do MPF por ilação. Mas eu quero enfrentar o MPF, sobretudo a força-tarefa, pra provar a minha inocência. Eu só espero que eles tenham a grandeza de um dia pedir desculpa.

Depois do encontro com Moro, Lula escalou um carro de som. No seu discurso, voltou a falar para a plateia de devotos que o escutava sobre as mentiras que o perseguem. Falou com tal convicção que ficou difícil discutir com tamanho especialista. No momento, o apelo do pajé petista, com suas barbas grisalhas, não parece ser eleitoral. Reduzido aos 30% que o PT tradicionalmente amealha nas pesquisas, Lula desperta nos cerca de 50% que o rejeitam um misto de ódio e curiosidade cômica.

Lula já não sabe se conseguirá levar adiante sua candidatura presidencial. Talvez tenha de se contentar com um script tipo B. Nele, Palocci é um espertalhão que comercializa sua influência sobre o mito, cobrando uns trocados por uma agenda com Emilio Odebrecht, dividindo os proventos com o objeto do desejo da oligarquia empresarial. No fim, todos acabam na cadeia. O que Lula deseja realçar com sua encenação é que, no seu caso, irá para a prisão não um culpado, mas um idealista incompreendido, que paga por suas más-companhias e pelas mentiras de um certo PowerPoint.

Há muito tempo eu leio, escuto, converso com advogado e eu fico sabendo, todo mundo que é preso a primeira pergunta é: e o Lula? Você conhece o Lula? O Lula tava lá? Diga alguma coisa do Lula. Isso faz dois ano e meio, dr. Moro! Eu lamento profundamente que o senhor tenha feito a denúncia”, chegou a declarar Lula, sem se dar conta de que o magistrado de Curitiba o condenará pela segunda vez porque seu papel não é denunciar, mas julgar a consistência da denúncia que a pregação cenográfica do pseudo-perseguido não conseguiu desmontar. Lula perguntou se terá um juiz imparcial. Moro respondeu que ”sim”. Significa dizer que o réu está mesmo em apuros.

15 setembro 2017 FULEIRAGEM

ALPINO – YAHOO NOTÍCIAS

FLOR DO CARDO

Caminhei sem descanso – o passo tardo,
o olhar vazio, amargurado, incerto –
através da existência, este deserto,
cujo extremo horizonte ansioso aguardo.

Bem vi nascer e florescer por perto
de minha sombra, como a flor do cardo,
amor de afiadas garras de leopardo
mas de sereno céu no peito aberto.

E, no entanto, parti. Neste saara,
ontem, vi-a de novo, e tão selvagem,
tão fresca e natural quanto a deixara!…

E empós dela voei! Ah! comovido,
solitário me entrego a uma miragem,
abraçado no pó… areia… olvido…

15 setembro 2017 FULEIRAGEM

FERNANDO – JORNAL DA CIDADE DE BAURU (SP)

15 setembro 2017 A PALAVRA DO EDITOR

A MANCHETE DO DIA

A edição da revista Veja que circula neste final de semana traz uma manchete feita na medida pra alegrar o coração da banda decente do Brasil.

Já a outra banda, conhecida por Banânia, vai ter ímpetos de meter o dedo na bochecha e rasgar.

De tanta raiva com a imprensa “golpista e reacionária“.

Vejam que lindo:

A fúria de Ceguinho Teimoso, esbravejando contra Palocci e chamando-o de “traidor”, é plenamente justificada.

Quanto a nós outros, que não sofremos das vistas, é uma alegria enorme ver petista esculhambando petista.

Que felicidade, que felicidade, que felicidade!!!

Leia uma pequena amostra da matéria clicando aqui.

15 setembro 2017 FULEIRAGEM

JARBAS – DIÁRIO DE PERNAMBUCO

O RETORNO

Nailde era servidora pública de nível médio, em um órgão estadual. Já com mais de vinte anos de serviço, ganhava o suficiente para se sustentar. Era solteira e morava só. Muito organizada, não contraía dívidas e juntava sempre algum dinheiro num mealheiro. Depois, abriu uma caderneta de poupança e passou a economizar mais um pouco, sem mexer nos rendimentos. Anualmente, ia ao dentista e certa vez precisou fazer uma coroa, tendo optado por um dente de ouro. Isso, na época, estava na moda.

Dois meses depois, foi passar o domingo na casa de uma irmã e, após o almoço, sentiu falta do dente de ouro. Procurou por toda a casa e nada do dente aparecer. Muito triste, Nailde teve uma intuição: Só podia ter engolido o dente, que tinha lhe custado tão caro! Era fruto de suas economias!

Não pensou duas vezes. Fez um chá de maná com sena e tomou um purgante. Rezou o resto do dia, pedindo a Deus para que tivesse de volta o seu dente de ouro, são e salvo.

Nessas alturas, as sobrinhas de 7, 9 e 11 anos, já estavam estranhando o nervosismo da tia, que, sentada em uma cadeira, no quarto, mantinha a postos, ao seu lado, um penico. Sem largar o terço, Nailde aguardava o resultado do purgante e a volta triunfante do dente.

Ao primeiro sinal de uma cólica intestinal, a moça pediu aos anjos e arcanjos, que também a ajudassem a recuperar sua joia de ouro, 18 quilates. As crianças torciam na porta do quarto, acompanhando os acontecimentos. De vez em quando, perguntavam:

– O dente já saiu, tia Nailde?

E, com voz de choro, a tia respondia:

– Ainda não!

E a alegria foi grande, quando ouviram a tia gritar:

– Graças a Deus!!! Meu dente de ouro está aqui!!!

Sob os protestos da irmã, do cunhado e das sobrinhas, Nailde, com a mão enfiada em um saco plástico, tirou o dente de ouro do penico, lavou muito bem lavado, com água e sabão, e também com álcool.

Passados alguns dias, estava ela novamente sorrindo de felicidade e exibindo o dente de ouro, que o dentista havia reposto.

Nailde pagou todas as promessas, que havia feito para que o dente retornasse às suas mãos. Entretanto, nunca mais as crianças lhe deram sossego. Quando ela se aproximava para falar com as sobrinhas, todas se afastavam, dizendo em tom de brincadeira:

– Vá pra lá, tia! Sua boca está podre!!!

15 setembro 2017 FULEIRAGEM

JORGE BRAGA – O POPULAR (GO)

15 setembro 2017 A PALAVRA DO EDITOR

DEU O CALADO POR RESPOSTA

Na audiência acontecida nesta semana – que pode muito bem ser qualificada como “enfiada no furico sem vaselina” -, o multi-réu Lula, criminoso frio, arrogante e dissimulado, se recusou a responder várias perguntas feitas pelo juiz durante o interrogatório.

Lula ficar calado é tão somente um raro impulso de se recusar a mentir.

É apenas isto.

Vejam só: a expressão “Lula mentiroso” contém exatamente 13 letras.

Num é arretado???!!!

O destino impõe coincidências desmascaradoras e cruéis aos patifes.

15 setembro 2017 FULEIRAGEM

BRUM – TRIBUNA DO NORTE (RN)

SINDICATO DO CRIME

Dá para acreditar que a gravação da conversa confissão de Joesley com seu escudeiro foi parar no MPF por acidente?

Não sou dos que acham que tudo tem uma conspiração enorme por trás dos acontecimentos, mas pensar que um sujeito que comanda um império do tamanho do J&F com empresas grandes em diversas áreas, poderia ser tão descuidado a ponto de não saber operar um gravador e ainda mais, não verificar todos os documentos que seriam entregues à Procuradoria antes de encaminhar… é uma idiotice excessiva para quem comete o erro e para quem acredita na história. Isso é a mesma coisa que entregar um cheque em branco para seu maior inimigo. Você acredita que ele foi tão descuidado? E os grandes advogados que deveriam estar envolvidos na operação, também estavam descuidados?

Vejam o que foi noticiado no blog “O Antagonista” em 11/09: A PF avisa que as buscas de hoje nas casas de Joesley Batista, Ricardo Saud e Marcello Miller são apenas a primeira etapa de uma investigação que vai passar a limpo o acordo da JBS com a PGR

Em algum lugar eu li (infelizmente não encontrei a matéria, para mencionar a fonte) que o maior açougueiro do Brasil decidiu entregar todo material, sabendo do conteúdo suicida, por ter conhecimento que a PF já estava investigando suas “traquinagens” que envolvem muita gente importante em todos os poderes da república e que a equipe já tinha elementos para complicar seu negócio da China com Janot. Vendo que sua trama junto a PGR estava para ser desmoralizada e que por consequência, sua Colaboração Seletiva Multipremiada estava para perder o prêmio, o descuidado suposto analfabeto tecnológico decidiu jogar tudo no ventilador. Não por descuido, mas como tentativa de salvar a Colaboração Premiada. Faz mais sentido?

Depois de ler a matéria da revista Veja com a denúncia do ex-marido da Dra Renata Araújo, mostrando as relações suspeitas da advogada com importantes figuras do judiciário, fazendo lobby, ou acertando o preço de decisões em favor dos interesses da J&F; de tomar conhecimento dos movimentos do ex-procurador Marcelo Miller, antigo braço direito de Janot, suspeito de ser orientador na Colaboração Seletiva Multipremiada; e depois de vermos o encontro misterioso de Janot com o advogado de Joesley, num pé-sujo, escondidos e disfarçados. Agora mesmo é que não acredito em coincidências, descuidos e acidentes.

É uma tremenda guerra de facções entre as organizações criminosas instaladas nos três poderes da república. Quando Janot se encontra com Pierpaolo Bottini na birosca, eu duvido que estejam tratando das condições para os criminosos se entregarem. Raquel Dodge quando se encontrou na calada da noite com Michel Temer, sem registro na agenda, também duvido que estejam tratando da cerimônia de posse da futura chefe da PGR.

O perigo é: as diversas organizações criminosas começarem a se entender e atuarem numa espécie de sindicato para a salvar os criminosos desesperados, sacrificando o Brasil. Eles têm um interesse comum, detonar a Lava- Jato, e sabem muito bem organizar sindicatos.

Para o bem do Brasil e dos brasileiros, eles precisam continuar brigando entre si.

15 setembro 2017 FULEIRAGEM

NANI – CHARGE ONLINE

“UE O MUITE ARUKO” – SUKIYAKI

Em 1963 a canção “Ue o Muite Aruko” mais conhecida como “Sukiyaki“, composição de Rokusuke Ei e Hachidai Nakamura, na interpretação de Kyu Sakamoto, foi um grande sucesso no mundo. Até hoje, é a única música japonesa a atingir o primeiro lugar na Billboard Pop Charts nos Estados Unidos.

14 setembro 2017 FULEIRAGEM

SPONHOLZ – JORNAL DA BESTA FUBANA

14 setembro 2017 DEU NO JORNAL

UMA QUESTÃO DE JUSTIÇA

Funcionários e aposentados da Petrobrás vão pagar por 18 anos uma conta de R$ 14 bilhões por perdas registradas pela fundação de seguridade social da empresa, a Petros.

O rombo total no caixa a ser coberto é de R$ 27,7 bilhões, parte dele gerada por maus investimentos, alguns investigados pela Polícia Federal na Operação Lava Jato.

* * *

Eu acho que os funcionários e aposentados que vão pagar este rombo deveriam ser só aqueles que votaram em Lula e no PT.

Os demais estariam dispensados do desconto.

Uma medida mais que justa.

“Peraí, seu editô; né assim não; num tenho nada avê cum isso. E oi qui eu num minto!!!”

14 setembro 2017 FULEIRAGEM

LEONARDO – CHARGE ONLINE

14 setembro 2017 A PALAVRA DO EDITOR

RESPONDENDO O IRRESPONDÍVEL

A coluna de hoje do jornalista Josias de Souza, publicada aqui no JBF com o título de ATAQUE DE LULA A PALOCCI É UMA AUTODENÚNCIA, tá pra arrombar a tabaca de Xolinha.

Um raciocínio perfeito.

Como o texto desenvolve uma argumentação irrespondível, isto significa que está na medida certa pra ser respondido pelo fubânico lulista Ceguinho Teimoso.

Espero que ele não nos decepcione e dê o ar de sua graça para animar a nossa quinta-feira.

14 setembro 2017 FULEIRAGEM

NANI – CHARGE ONLINE


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa