19 outubro 2017 FULEIRAGEM

TACHO – JORNAL NH (RS)

19 outubro 2017 HORA DA POESIA

DESTINO – Maria Braga Horta

O destino… Quem sabe o que é o destino?
Será um deus, um carrasco? ou, indiferente,
deixa em nós qualquer cousa de divino
ou nos crucia dolorosamente?

Quem sabe o que é o destino? É independente
ou escravo fiel, bom ou ferino?
Imutável, temível, inclemente…
ou apenas um nome? O que é destino?

Será destino a gente fazer versos?
Será destino o impulso ardente-e-doce
de cantarmos, embora em dor imersos?

Será destino amar? Seja o que for!
Para mim é destino a mão que o trouxe
do fim do mundo para o nosso amor!

19 outubro 2017 FULEIRAGEM

NICOLIELO – JORNAL DE BAURU (SP)

ANASTASIA – 1956

Por sugestão da colunista Violante Pimentel apresentamos aqui três versões da música do filme de 1956 “Anastasia, a princesa esquecida” com Ingrid Bergman, Yul Brynner e Helen Hayes e direção de Anatole Litvak.

01 – Anastasia – (Paul F. Webster / Alfred Newman) – Tema Orquestrado – 1956

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


02 – Anastasia – Pat Boone – 1956

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


03 – Anastasia – (versão de Alberto Ribeiro) – Hélio Paiva – 1957

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

19 outubro 2017 FULEIRAGEM

MYRRIA – A CRÍTICA (AM)

19 outubro 2017 A PALAVRA DO EDITOR

BONS MOMENTOS NA LIVRARIA

Hoje, quinta-feira, é dia de irmos à Livraria da Praça de Casa Forte, um dos recantos mais aconchegantes da Zona Norte do Recife, aqui perto de onde moro. (Clique aqui e acesse a página).

Como o nome já diz, o estabelecimento está localizado na praça mais bela e querida desta cidade.

Toda quinta-feira, a partir das 6 da tarde, tem música ao vivo com o conjunto Divina Música, encantando as pessoas com um reportório que inclui muitas canções românticas, nacionais e internacionais, tudo coisa de muito bom gosto.

Nas sextas-feiras é a vez do gostoso chorinho brasileiro, com meu querido amigo Beto do Bandolim e seu conjunto de craques.

A livraria funciona num antigo casarão e o seu ambiente aconchegante é o lugar certo para os apreciadores de boa música, bons livros, bons papos, bons vinhos e bons uísques.

Eu fico só de olho grande nas outras mesas, sorvendo o meu alpino, um café com chocolate que é uma delícia.

Grupo Divina Música

João apaixonou-se pelo repertório e pela voz da vocalista do grupo, Nívea Barreto.

Apaixonou-se, sobretudo, pela música Blue Moon, que Nívea interpreta com maestria e João escuta e aprecia com muito carinho.

Dedico ao meu filho querido esta interpretação de Blue Moon, uma composição da dupla Richard Rodgers e Lorenz Hart, na voz de Billie Holiday, uma cantora americana que brilhou nos anos 50.

Uma interpretação que Nívea recria com muita maestria na Livraria da Praça.

Um beijão, filho amado!

19 outubro 2017 FULEIRAGEM

NANI – CHARGE ONLINE

RODAI POR NÓS, LAVRADORES

Vagem Tambor

Senhores caminhoneiros,
Rodai por nós
Kombeiros, taxistas, carroceiros,
Rodai por nós
Ônibus e trens estradeiros,
Rodai por nós.

Cocão do carro-de-boi,
Cantai e rodai por nós lavradores
Sem bora e vambora
Amém.

Poema publicado no livro Berro Novo

19 outubro 2017 FULEIRAGEM

SPONHOLZ – JORNAL DA BESTA FUBANA

AJUNTAMENTO DE MALUFS

Maluf informa que todos os parlamentares brasileiros merecem uma vaga na lista de procurados da Interpol

“Quem aqui pode levantar a mão e dizer: ‘Eu estou aqui sentado sem ter pedido recurso para ninguém, minha campanha custou zero’? Todos pediram recursos. Eu pedi e Michel Temer pediu. Mas de acordo com a lei”.

Paulo Maluf, deputado federal pelo PP de São Paulo e titular absoluto da lista de procurados da Interpol, garantindo que o Congresso é um ajuntamento de paulos malufs.

19 outubro 2017 FULEIRAGEM

MARIANO – CHARGE ONLINE


www.cantinhodadalinha.blogspot.com
É TUDO MERDA DO MESMO PENICO

P’ra entender essa nação
Eu fiquei no prejuízo
Pois quase perco o juízo
Sem chegar a conclusão
Dizem que Lula é ladrão
Que Temer é ladrão também
Que Aécio só se deu bem
Que Dilma também roubou
Sei que o Brasil se lascou
E dos ladrões é refém.

19 outubro 2017 FULEIRAGEM

MIGUEL – JORNAL DO COMMERCIO (PE)

19 outubro 2017 A PALAVRA DO EDITOR

REFLEXÃO

Um comentário do Professor Luis Felipe Pondé sobre a xibungagem modernosa que entope os esgotos de Banânia.

Para reflexão dos fubânicos nesta quinta-feira.

19 outubro 2017 FULEIRAGEM

ZOP – CHARGE ONLINE

19 outubro 2017 PERCIVAL PUGGINA

UM JORNALISMO QUE ACABOU

Há um jornalismo que acabou. Fala com as paredes. Irresignado ante a falta de eco, cospe no vento. Cisca no dicionário adjetivos que, de tão mascados, se tornaram rejeitos de lixo orgânico, direto ao saco preto. O vocabulário com que o “politicamente correto” se protegia entra num debate, hoje, murcho como maracujá. Quem leva a sério o adjetivo “reacionário!”, ou “conservador!”, ou “neoliberal!” (lembram dele?), ou ainda o “fascista!”, que os próprios comunistas gastaram mundo afora contra seus adversários antes do tiro na nuca?

Durante décadas, esses senhores foram os regentes das redações, onde desfilavam proféticos, iluminando o mundo com olhares que se derramavam sobre uma nova humanidade e um novo tempo. Eram os kaisers do quarto poder, ditando as normas técnicas para a engenharia do brilhante futuro. Perder tempo com eles, agora, é como contemplar a alvorada de um passado que se refuga. Xô! Quebraram o Brasil, acabaram com a Educação e atacaram, um a um, os valores que sustentariam moralmente a nação.

A sociedade compreendeu, por fim, que, tanto quanto ela precisa conservar valores que orientem as ações humanas para o bem (conservadorismo), a economia precisa de liberdade (liberalismo) para evoluir. Se observarmos atentamente, veremos que isso é tudo que o velho jornalismo militante, mãos dadas com os camaradas do mundo acadêmico, se dedicou a destruir; e que parcela importante do clero católico se descuidou de preservar.

Tem duas razões fundamentais para viver, esse jornalismo. A primeira é servir de memorial adulterado dos “anos de chumbo”. Vivem na nostalgia daquele período, misturando a saudade da própria juventude com o tempo em que conseguiram articular um discurso cuja consequência, em tese, rimava com a causa. A segunda é combater liberais e conservadores, qualificando-os como fascistas. Mas, sem direito a tiro na nuca, tudo fica menos produtivo. Fazer o quê? Mudar-se para Cuba ou para a Coreia do Norte?

Não recordo, ao menos em passado recente, de esforços retóricos tão velhacos, tão fraudulentos, quanto os empregados nas últimas semanas por esse jornalismo para tentar convencer a sociedade de que:

• os conservadores seriam hipócritas bradando contra nudez e erotismo na arte;

• gravuras grotescas dedicadas a sujos entreveros sexuais, se expostas em ambiente cultural, deveriam merecer a mesma reverência de conhecidas obras-primas da arte universal;

• sentimentos e atitudes tão diferentes entre si como repulsa, indignação e boicote seriam “sinônimos” de censura;

• sexo não existiria, o que existe é gênero e toda criança deveria começar a aprender isso no bercinho da maternidade;

• as redes sociais seriam uma terra de ninguém tomada pela direita raivosa.

Quem faz afirmações assim não está a mudar de assunto. Está a corromper a razão, conforme mencionei em recente vídeo. Há semanas repetem isso ao país e querem credibilidade? Pretendem seguir influenciando a opinião pública? Subestimam a inteligência daqueles com quem se comunicam! Foi ao servir nacionalmente esse cardápio de falsidades que o velho jornalismo militante deu extraordinário alento aos bons conservadores e aos bons liberais. Refiro-me aos conservadores que estimam a liberdade e aos liberais que reconhecem a necessidade de preservar valores morais.

A sociedade não se escandaliza com nudez desde 22 de abril de 1500 e pouco se interessa pelo que acontece atrás das portas, desde que seja vedado o acesso a crianças. Mas entendeu, perfeitamente bem, ser isso que jogou o velho jornalismo militante na pornomilitância.

O silêncio que cai sobre ele vem por overdose de si mesmo.

19 outubro 2017 FULEIRAGEM

VERONEZI – GAZETA DE PIRACICABA (SP)

19 outubro 2017 DODDO FELIX - GORJEIOS


SURPRESA NO RINGUE

O gongo soa, tem início a luta.
Ruge a assistência freneticamente.
A sequência de socos na disputa,
o desafiante, aos cambaleios, sente.

Golpes brutais, de forma ininterrupta…
O imprevisto acontece de repente:
um direto certeiro do recruta
e o campeão beija a lona, inconsciente.

Nesse instante a algazarra silencia,
encerrando de vez a gritaria
da plateia tomada de surpresa.

Um desfecho jamais imaginado…
O favorito é por fim derrotado
sem sequer esboçar uma defesa!

19 outubro 2017 FULEIRAGEM

NANI – CHARGE ONLINE

19 outubro 2017 A PALAVRA DO EDITOR

O INSTITUTO DATABESTA INFORMA

Estes são os números da última Enquete Fubânica.

A Editoria do JBF agradece a todos que participaram e deram sua opinião.

Aguardem a próxima.

19 outubro 2017 FULEIRAGEM

ELVIS – AMAZONAS EM TEMPO


http://orlandosilveira1956.blogspot.com.br/
RAPIDÍSSIMAS

ÉTICA NA POLÍTICA

Assim vamos: o roto fala do rasgado, o rasgado desanca o maltrapilho. E todos afanam.

* * *

RITA LEE

Na pior idade, a forma mais comum de fazer amor é por telepatia.

* * *

QUEM DIRIA?

Tudo aquilo não passava de um faz-de-conta.

* * *

COMPADRE:

A ida é certa, mas não digo o mesmo da volta.

* * *

TODO MUNDO FICA VELHO

O problema é continuar burro.

* * *

ABUSADA

Onde você arrumou essa intimidade que nunca lhe dei?

* * *

TIM-TIM

Um beijo pra ti, outro pra mim.

* * *

ESTÁ DIFÍCIL

Hoje, pelo visto, só pego no tranco.

* * *

PILOTO AUTOMÁTICO

Quando ele assume o comando, o T já era.

* * *

SANTA CHATICE

Todo pai é chato. Se ele não for chato, não é pai.

* * *

HISTÓRIAS

Já me contaram tantas. Quase todas eram falsas.

* * *

SANTOS COPOS

Um cantinho, um violão… E o coração voa. Enternecido.

19 outubro 2017 FULEIRAGEM

PATER – A TRIBUNA (ES)

SEM SABER O QUE FAZER COM AÉCIO, GLEISI FOI PASSEAR NA RÚSSIA

19 outubro 2017 FULEIRAGEM

RONALDO – CHARGE ONLINE

19 outubro 2017 A PALAVRA DO EDITOR

UMA SUGESTÃO DESTE EDITOR

O senador Tasso Jereissati, tucano de alto calibre e exercendo a presidência interina do PSDB, declarou que Aécio Neves, o corrupto que é seu colega de partido e de senatoria, deveria renunciar à presidência da sigla.

Isto por conta do escândalo e do desmantelo dos últimos tempos.

Segundo Jereissati, Aécio “não tem condições de ficar como presidente do partido“.

Aí me ocorreu um ideia:

Gleisi Hoffmann, também senadora e também presidente de um partido, está na mesma situação de Aécio, respondendo processo no STF por ladroagem, por recebimento de propina da Odebrecht, em cuja lista de corruptos ela consta com o codinome de Amante.

Vou sugerir ao senador Humberto Costa, mais conhecido por Pato Rouco, que tome a mesma iniciativa do tucano Jereissati e peça a renúncia de Gleisi da presidência do PT.

As lideranças do PT deveriam seguir este belo gesto do tucano, não acham?

Os leitores que quiserem reforçar esta sugestão,  podem escrever diretamente para Pato Rouco neste endereço eletrônico: 

humberto.costa@senador.leg.br

“Se tu não aceitar a ideia do Editor do JBF e ficar quietinho, eu boto outro chifre no meu marido Paulo Bernardo contigo. Topas?”

19 outubro 2017 FULEIRAGEM

AMARILDO – A GAZETA (ES)

SÓCRATES, LULA E DIRCEU

Eça de Queiroz (em “As Farpas”) escreveu: Nós estamos num estado correlativo à Grécia: mesma pobreza, mesma indignidade política, mesmo abaixamento dos caracteres, mesma ladroagem pública. Contra esse vaticínio de Eça, o ex-primeiro ministro José Sócrates acaba de virar réu, em Portugal. Por corrupção passiva. Acusação 122/13.8 TELSB, com 3.908 páginas. Trata-se da operação “Marquês”. Prefiro nossos nomes – “Juízo Final”, “Dolce Vita”, “Erga Omnes”. Agora, vai sofrer nas mãos do jovem juiz Carlos Alexandre. O Sérgio Moro de lá. Curioso é que tudo, nesse processo, faz lembrar nossa terra que tem palmeiras (ou tinha), onde cantam (ou cantavam) os sabiás. É só conferir.

Em 2006, chegando ao poder, Sócrates logo teria montado esquema junto a grandes grupos econômicos – entre outros Lena, Octapharma, Espírito Santo, PT (Portugal Telecom). Com pagamentos em dinheiro vivo, todos, essa era a regra. Fazendo negócios até longe, com parceiros amigos. Entre eles a Venezuela. E sempre tendo por trás o governo. Sem esquecer a grana que veio de um banco público, a Caixa Geral de Depósitos. Não podendo faltar, dando toque romântico à trama, um sítio. Para lazer nos fins da semana. No caso de Sócrates, o “Monte das Margaridas”, em Montemor-o-Novo. Tudo mostrando que tinha razão Camões (em “Os Lusíadas”), ao falar nos cristãos atrevimentos que se veria depois: Mas entanto que cegos e sedentos/ Andais de vosso sangue, ó gente insana,/ Não faltarão cristãos atrevimentos/ Nesta pequena casa lusitana.

Bem visto, é tudo muito parecido com o que aconteceu por aqui. Nem deveria estranhar, que Lula é íntimo de Sócrates. Tanto que fez prefácio para um livro dele, “A confiança no mundo”. Fosse pouco e o jornal “O Público” anuncia que haveria um plano de fuga para Sócrates. Em que passaria a “viver confortavelmente em um país da América do Sul”. Sublinhando que haveria referências ao Brasil, nos documentos apreendidos. Não estranha portanto que, nesse processo, dois brasileiros ilustres sejam citados. O ex-presidente Lula, em 9 itens. E o ex-ministro José Dirceu, em 15.

Lula, Dirceu e Sócrates

Com relação a Lula, temos só relatos de encontros que buscavam permitir investimentos da PT por aqui. Especificamente, na aquisição da TELEMAR. Com gestões para obter financiamentos do BNDES. Sendo necessário, mais, que o governo brasileiro providenciasse alterações na Lei do Plano Geral de Outorgas. O que aliás fez, com o Decreto 6.654/2008. Quanto a Dirceu, sobretudo em depoimentos de Henrique Granadeiro (da Portugal Telecom) e Ricardo Salgado (ex-presidente do Banco Espírito Santo), há referência aos serviços prestados. Indicando os depoentes que seriam nomeados outros, diferentes, nas notas fiscais apresentadas por ele como pessoa física e por sua empresa (LSF). Para não despertar suspeitas. E já foram comprovados pagamentos de “pelo menos, 618.410 euros” (item 2.786 do processo). Cerca de 2,5 milhões de reais.

Em resumo, fica só a curiosidade em ver brasileiros no maior processo de corrupção da história de Portugal. Como coadjuvantes, é certo. E sem que se possa, nem deva, tirar conclusões a respeito. Por enquanto, ao menos. Nem penais. Nem morais. Todos beneficiados com a presunção de inocência, pois, como na boa regra das democracias. Faltando, agora, só esperar tempos melhores. No Brasil e em Portugal. Fora disso, nos restaria seguir Manuel Bandeira (em “Pneumotorax”) e tocar um tango argentino. Ou, na terrinha, lembrar a deusa Sophia de Mello Breyner Andresen (em “Exilio”): Quando a pátria que temos não a temos/ Perdida por silêncio e por renúncia/ Até a voz do mar se torna exílio/ E a luz que nos rodeia é como grades.

19 outubro 2017 FULEIRAGEM

DUKE – O TEMPO (MG)

19 outubro 2017 DEU NO JORNAL

IDEIA INOVADORA VINDA DA PARAÍBA

Justiça cassa mandatos de prefeita e vice de Mamanguape, PB, após compra de voto com cachaça.

Maria Eunice (PSB) e Baby Helenita (PRTB) também foram multadas em R$ 53,2 mil, de acordo com decisão da juíza Juliana Maroja.

Prefeita Maria Eunice e vice-prefeita Baby Helenita

* * *

Ôxi!

Por cachaça eu também venderia meu voto. Com muito gosto e prazer.

Uma iniciativa excelente foi esta tomada pelas duas candidatas da pacata cidade de Mamanguape, no interior paraibano.

Comprar votos com talagadas de aguardente é uma iniciativa cidadã de largo e porrístico alcance.

Quando alguém tenta elevar os costumes eleitorais e impor um padrão decente às eleições municipais, vem a justiça e atrapalha tudo. Que merda.

É muito melhor cachaça por voto do que mortadela por voto.

Com sentenças assim, é impossível Banânia progredir.

19 outubro 2017 FULEIRAGEM

BAGGI – CHARGE ONLINE

CAMELÔ DE EMPREITEIRA

Lula confirma que prefere sítios e coberturas triplex a malas de dinheiro

“Eles estão há três anos investigando a minha vida. Já encontraram dinheiro do Aécio, já encontraram dinheiro do Serra, já encontraram dinheiro do Geddel, já encontraram dinheiro do Temer, eu quero ver se eles encontram dinheiro meu”.

Lula, num ato em Ferraz de Vasconcelos, na Grande São Paulo, que reuniu militantes do PT, centrais sindicais e movimentos sociais ligados ao partido, confirmando que prefere receber a sua parte em sítios, coberturas triplex, apartamentos, terrenos e imóveis em geral.

19 outubro 2017 FULEIRAGEM

S. SALVADOR – ESTADO DE MINAS


http://www.musicariabrasil.blogspot.com
HISTÓRIAS E ESTÓRIAS DA MPB

Hoje quero trazer para esta coluna o nome de Amélia Cláudia Garcia Collares Bucaretchi, que ficou popularmente conhecida como Amelinha, artista que surgiu a partir dos anos de 1970 na leva dos grandes nomes que surgiram na música brasileira a partir daquela década oriundos do Nordeste.

Intérprete, já registrou os mais distintos gêneros musicais existentes no país tais quais Xotes, baiões, forrós peneirados, galopes e arrasta-pés a partir de projetos fonográficos diversos a exemplo do CD “Só Forró“, lançado em 1993 pela Polygram (um projeto em homenagem ao forró a partir de alguns dos mais representativos nomes que engrandeceram o gênero país afora como João do Vale e Luiz Gonzaga).

Além deste projeto a sua biografia (discograficamente falando) é composta por discos como “Flor da paisagem”, seu álbum de estreia lançado em 1977 e que traz um repertório essencialmente nordestino a partir de canções como “Santo e Demônio” (Fagner/Ricardo Bezerra), “Depender” (Fagner/Abel Silva), “Cintura Fina” (Luis Gonzaga/Zé Dantas), “Flor da Paisagem” (Robertinho de Recife/Fausto Nilo), “Senhora Dona” (Brandão/ Petrúcio Maia), “Agonia” (Fagner) entre outras.

Em 1979 lançou “Frevo mulher“, um disco que traz o primeiro registro da canção “Dia Branco” (de autoria do cantores e compositores Geraldo Azevedo e Renato Rocha), “Frevo Mulher” (canção de autoria de Zé Ramalho e que viria a se tornar um clássico do repertório de ambos) e “Galope rasante” (outra canção da lavra do cantor e compositor paraibano). Seus dois LP’s seguintes, “Porta secreta” e “Mulher nova, bonita e carinhosa, faz o homem gemer sem sentir dor” trouxeram mais canções que caíram no gosto popular, além de registro de autores como Jorge Mautner, Nelson Jacobina, Chico Buarque, Vinicius de Moraes, Djavan, Vital Farias, Gonzaguinha, Moraes Moreira, Novelli, Cacaso entre outros.

São desses álbuns faixas como Gemedeira (Robertinho de Recife/Capinan), “Periga ser” (Fausto Nilo/Robertinho de Recife), Foi Deus que fez você (Luis Ramalho), Mulher nova bonita e carinhosa faz o homem gemer sem sentir dor (Otacílio Batista/Zé Ramalho), Amar quem eu já amei (João do Vale/Libório), Água de lua (Djavan) entre outras.

Para quem não sabe a cantora é cearense e radicou-se no Sudeste no início da vida adulta objetivando estudar comunicação. Pode-se afirmar que a música entrou em sua vida de modo bastante despretensioso. Suas primeiras incursões na música ocorreram de forma bastante amadora, participando de shows do conterrâneo Raimundo Fagner. A partir destas apresentações surgiram algumas oportunidades para aparecer em programas de televisão. Em 1975 viajou com Vinicius de Moraes e Toquinho onde participou de diversas apresentações da dupla. Essa convivência inspirou Vinicius de Moraes que compôs para ela “Ah! quem me dera“. Como dito, a sua notabilidade nacionalmente falando veio na mesma época que toda uma leva de artistas nordestinos chamados genericamente de “Pessoal do Ceará”, entre os quais estavam seus conterrâneos Raimundo Fagner, Ednardo e Belchior.

Dentre suas façanhas profissionais está o disco de ouro conquistado com o disco “Frevo mulher“, a sua participação no Festival MPB 80, da Rede Globo, classificando em 2º lugar a música “Foi Deus quem fez você“. Devido ao sucesso desta música, vendeu mais de um milhão de cópias do compacto homônimo, e foi a primeira música a alcançar o primeiro lugar entre as mais executadas tanto nas faixas de FM quanto de AM naquele ano. Outro feito da cantora: teve um dos seus LP’s por 30 semanas entre os 50 LPs mais vendidos do país, entre outras façanhas.

Para matar a saudade desta intérprete deixo aos amigos a canção “Dia Branco”, presente no álbum “Frevo mulher” e a canção “Mulher nova bonita e carinhosa faz o homem gemer sem sentir dor”. A primeira é uma faixa composta por Geraldo Azevedo e Renato Rocha:

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

A segunda canção é uma das canções mais marcantes da carreira da cearense e como dito é de autoria de Zé Ramalho e Otacílio Batista:

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

19 outubro 2017 FULEIRAGEM

SINOVALDO – JORNAL NH (RS)

ZÉ MANÉ – SALVADOR-BA

Frase do Dia

Aécio Neves reduziu a justiça a pó e respirou aliviado!

R. Meu caro, a propósito do cheirador de pó, ele voltou ontem à tribuna do Senado e fez um furioso pronunciamento se dizendo “perseguido e injustiçado“, depois de ter sido vergonhosamente absolvido por comparsas que também respondem a processos na justiça.

E aí eu me lembrei de outro grande corrupto banânico que também se declara injustiçado e perseguido.

Trata-se de um outro larápio, multi réu já sentenciado a cagar de coca, que faz uma parelha da porra com o mineirinho.

É um discursando pó e outro cheirando pó.

Uma linda afinidade.

“Nóis semo foda, cumpanhero Aéço”

19 outubro 2017 FULEIRAGEM

SPONHOLZ – JORNAL DA BESTA FUBANA

SER PROFESSOR

Ensinar é fazer a realidade 
Flutuar pelo céu do pensamento

Mote de Pedro de Oliveira

Quem ensina escancara os caminhos
Abre as portas que dão pra o horizonte
Quem aprende bebendo desta fonte
Colhe flores, se livra dos espinhos
Para os mestres, afagos e carinhos
Como paga por seu conhecimento
No saber um degrau pra o crescimento
E na mente a busca pela verdade
Ensinar é fazer a realidade
Flutuar pelo céu do pensamento

Quem ensina ao outro sempre aprende
Numa troca constante de valores
Os alunos se tornam professores
E o mestre é discente pois entende
Que ninguém esse todo compreende
Mas o sábio possui discernimento
Pra saber que se aprende no momento
Em que a mente se abre com humildade
Ensinar é fazer a realidade
Flutuar pelo céu do pensamento

Não importa se é a matemática
Se é química ou física ou história
O saber é o que nos leva a glória
Resolvendo qual seja a problemática
No entanto não é com uma gramática
Que se aprende a ler o fimamento
Pois se aprende também estando atento
A natura e sua complexidade
Ensinar é fazervabrealidade
Flutuar pelo céu do pensamento

Mas se queres é entender o mundo
De uma forma completa e não vazia
O caminho é o da Geografia
O saber mais complexo e mais profundo
A ciência que investiga a fundo
Que é capaz de explicar com sentimento
Furacão, tempestade, chuva e vento
E os porquês que explicam a humanidade
Ensinar é fazer a realidade
Flutuar pelo céu do pensamento.

19 outubro 2017 FULEIRAGEM

ED CARLOS – CHARGE ONLINE

DEMIS ROUSSOS

Em 1971 Demis Roussos havia se separado do grupo Aphrodite´s Child e se lançava em carreira solo. Seu primeiro sucesso foi a composição de Boris Bergman e dele próprio, “We Shall Dance“.


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa