5 setembro 2017 FULEIRAGEM

MICHELÂNGELO – CHARGE ONLINE

5 setembro 2017 DEU NO JORNAL

COMO GEDDEL JUNTOU DINHEIRO

Miguezim de Princesa

I
Quando arrombou o imóvel
De Geddel em Salvador,
O agente da Polícia
Foi tomado de um torpor:
– Nós entramos foi num banco! –,
Disse ele no corredor.

II
Havia grana em toda parte,
Do telhado até o chão,
Uma cortina foi feita
Com a quantia de 1 milhão
E o papel de se limpar
Seguia o mesmo padrão.

III
Testemunhando os trabalhos,
Convocaram João Tenente,
Que conhecia Geddel
Desde quando era carente:
Juntou dinheiro tomando
De quem via pela frente.

IV
Ele explicou à Polícia
Que Geddel é cheio de manha:
Enganou quem frequentava
Aquele clube lá da Espanha
E afanou uma rapariga
Na Ladeira da Montanha.

V
Furtou a bacia de um cego
Na Ladeira de São Bento,
Assaltou um aleijado
Na esquina do convento
E despojou Carga Torta
Do único bem: um jumento.

VI
Não gostava de gastar
Desde os tempos do Cruzeiro,
Fazia como Tio Patinhas
De um jeito bem prazenteiro:
No dia que estava triste,
Se deitava no dinheiro.

VII
Guardava dinheiro em malas,
Em travesseiro e colchão,
Tinha um pacote de notas
Escondido num caixão
Que ele tomou de uma velha
Numa visita ao Sertão.

VIII
De tanto tomar do povo,
Geddel foi se acostumando:
Quanto mais ele tomava,
O prazer ia aumentando,
E ele, sem gastar nada,
Uma fortuna ia juntando.

IX
Desde os tempos de ACM,
Passando em FHC,
Tendo seu cartaz em alta
No governo do PT,
Geddel se achou imbatível
Na arte de enriquecer.

X
Só que veio a Lavajato
Pôr ordem no cabaré:
Na esquerda ou na direita,
Não tem mais querrequequé,
Roubou é investigado,
Finda preso e algemado,
Não fica um corrupto em pé!

5 setembro 2017 FULEIRAGEM

SPONHOLZ – JORNAL DA BESTA FUBANA

5 setembro 2017 DEU NO JORNAL

DINHEIRO NA CAIXA

A Polícia Federal encontrou, nesta terça-feira (5), uma grande quantidade de dinheiro em apartamento que é utilizado por Geddel Vieira Lima em Salvador.

O ex-ministro cumpre prisão domiciliar na Bahia.

* * *

Havia dinheiro em várias caixas no apartamento de Geddel.

A imprensa publicou fotos fantásticas, nas quais aparecem lindíssimas notas de 100 reais.

Uma imagem de encher os olhos e os bolsos.

Caixas cheias de dinheiro roubado da Caixa: uma visão enriquecedora

Trata-se de uma ocorrência perfeitamente coerente com o fato de ter sido este corrupto diretor da Caixa Econômica Federal.

Nomeado por Dilma.

Tinha mesmo que guardar em caixas o dinheiro roubado da Caixa.

Esta descoberta da Polícia Federal faz parte justamente de uma investigação sobre ladroagens petrálhicas na liberação de créditos no banco estatal.

Na base do “te libero o dinheiro e tu bota um pixuleco no meu bolso“. Ou melhor, na minha caixa.

Fora isto, Geddel foi ministro de Temer.

Ou seja: ele tem uma folha corrida de altíssimo nível pra exercer qualquer tipo de guabirutagem nesta república banânica.

Um candidato a governador que recebeu o apoio de comparsas altamente qualificados

5 setembro 2017 FULEIRAGEM

PAIXÃO – GAZETA DO POVO (PR)

SURTO DE LUCIDEZ

A mais de 16.000 quilômetros de distância, Temer deixa o brasileiro mais esperançoso

“O Brasil que vai agora à China é um país mais confiante”.

Michel Temer, num artigo publicado no Estadão, reconhecendo que quando o presidente da República viaja para o exterior o Brasil fica um pouco melhor.

5 setembro 2017 FULEIRAGEM

MIGUEL – JORNAL DO COMMERCIO (PE)

ESSES INCRÍVEIS MÚSICOS E SEUS MARAVILHOSOS INSTRUMENTOS

Os músicos e seus instrumentos:

* * *

01 – Cabeça Inchada – (Hervé Cordovil) – Poly e Seu Conjunto – 1960

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


02 – No Rancho Fundo – (A.Barroso/L.Babo) – Zé da Velha & Silvério Pontes – 1995

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


03 – Revendo o Passado – (Freire Júnior) – Jacob do Bandolim – 1956

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


04 – Pisando Corações – (A.Silva / E.Campos) – Alberto Calçada e Seu Conjunto – 1962

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


05 – Jura – (Sinhô) – Pedrinho Mattar – 1981

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


06 – Cidade Maravilhosa – (André Filho) – Ely Arcoverde & Conjunto – 1963

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


07 – Flor Amorosa – (Catulo P.Cearense/J. Callado) – Altamiro Carrilho – 1977

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


08 – Sons de Carrilhões – (João Pernambuco) – Dilermando Reis – 1960

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


09 – Canta Cigarra – (Zequinha Torres) – Fred Williams – 1959

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


10 – Os Cinco Companheiros – (Pixinguinha) – Paulinho da Viola – 1976

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


11 – Ontem ao Luar/Luar do Sertão – (Catulo P.Cearense/P.Alcântara) – Paulinho Nogueira – 1976

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


12 – Balanço Zona Sul – (Tito Madi) – Raul de Souza – 2008

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


13 – Você – (Mario Albanese/Heitor Carillo) – André Penazzi & Conjunto – 1963

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


14 – Índia – (J.A.Flores/M.O.Guerrero) – Luís Bordón – 1959

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


15 – Meu Prelúdio – (W.Azevedo) – Waldir Azevedo – 1963

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


16 – É Fácil Dizer Adeus – (Tito Madi) – Sidney com Astor e Orquestra – 1961

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

5 setembro 2017 FULEIRAGEM

FERNANDO – JORNAL DA CIDADE DE BAURU (SP)

O TEMPO, O HOMEM, E O SILÊNCIO…

Os maiores limites do corpo são o tempo e a posse da coragem, e o maior desafio da alma é convencer o “eu” humano que se pode vencer tais obstáculos. O primeiro, através da inspiração que protagoniza a esperança de haver um sentido maior para a existência e o mundo; o segundo, através da fé que robustece a força sediada na mente. Desses alimentos vivem: a pessoa que respira, a arte que supera e a própria razão das coisas que realizamos contra os absurdos.

Nos dias desse ringue temporal nossa luta é nas cordas, acuados. Pugilista de golpes baixos, adversário que avança célere contra o corpo, o rosto e o espírito mundano que nos move pela vida afora, o tempo – que tem contrato assinado com a certeza- só respeita mesmo a sabedoria, ainda que sempre tentando dar uma de esquecidinho em relação a ela…

Nem o gongo intercede, acalma seu desatino. Cercados por todos os lados, marcados, surrados, a luta é inglória e o que ressoa é destino. Aliás, quando acaba a contagem é-nos tarde, um não mais levantar, um repique de sino e aviso: aqui jaz.

Mas a história da humanidade é a história da superação diária da melancolia, a luta para seguir adiante contra a saudade antecipada, a certeza do fim. O maior edifício humano é o horizonte invisível aos olhos que nós sempre divisamos por alcançar, essa estrada que nunca acaba. Aqui, perder-se da fé é esmorecer na coragem, desistir da esperança. Nosso melhor ponto de chegada é prosseguir…

Não há erro em afirmar o tempo como concessão da eternidade, pois absolutamente certo é que nada sai do nada!

Resta entender o quê ou quem existiu e existe desde sempre, essa presença que se dispõe à intuição agora, essa cabal negação do vácuo, essa indizível certeza que se impõe. É inteligente? É consciente?

Há consistências matemáticas aqui e alhures no universo, isso agora também se sabe. Mas números, embora efetivos, são só acúmulos, linguagem ainda sem sentimentos, representações simbólicas de um processo infinito, um firme sinal de inteligência.

Contudo, o que é eterno se fez esperança para o pensamento que pressente, e sentido para a experiência que se constrói. E, essencialmente, se fez afetivo motivo de um mundo sensível que reconhece transcendências para além da física de seus tijolos constitutivos.

Sem dúvida que o princípio de tudo possui uma faculdade lógica de ímpar natureza, verdade insuperável e única. A razão volitiva em si, a inteligência em si, o ato de vontade em si.

Ora, primordialmente não pode haver matemática, energia ou matéria organizada, nenhuma realidade que se evidencie racional, que se preste à percepção inteligente, ao cálculo e a toda fórmula sem que, necessariamente, tenha partido de uma decisão consciente, sem que indique deliberação e vontade causal.

É bem simples: essas coisas, em sendo contingências temporais, são carentes de explicação que lhes seja anterior.

Porém, a despeito dos números que encerram, as leis naturais, as equações, os efeitos aparentes, a ordem e as regularidades da natureza não são meras acumulações, não são cúmulos de acasos. Antes demandam intenção e trabalho volitivo, nascem de causas motivadas.

São realidades que exigem, para virem a existir, um poder deliberado e um querer fazer, ou seja: uma força inteligente e criadora anterior. Portanto, nascem dalguma precedência autônoma. Como? Quem? O Ser Necessário, O Ser em Si. Esse Ser a quem chamamos de “Silêncio”…

Sim, o outro nome de Deus é Silêncio! Não por ausência, mas por infinita sabedoria, pois somente fala com o silêncio quem aprende a mover-se sem o peso dos rancores e procura a paz. Porém, se os sinais do Criador são silenciosos, também são eloquentes: há mais comunicados em uma pétala de flor que palavras em um dicionário… E a atividade a que chamamos de ciência não tem vida própria, ela é uma ferramenta para o conhecimento a serviço da razão. Inclusive, hoje podemos -como nunca na história- juntar filosofia, ciência e religião para atestar essa verdade. Mas…

…Estive tão ocupado com minha própria pequenez, que nem vi o tempo passar. Hoje estou enorme, do tamanho de minhas ausências. Clamo por Deus, acordo na noite, revivo cada dor e me cobro. O tempo não volta; mas eu retorno – sem falta – a mim. Volto como sentença: tudo passa, menos viver esse inexorável destino. Se não aprender o perdão, estarei morto. Pra sempre!Esta palavra é do tamanho do mistério… E tão decisiva quanto o verbo existir, que também tento aprender!

Deus é bom? Ser tirado do nada e trazido à vida é bom ou ruim? Ter consciência, poder pensar, refletir geral é bom ou ruim? Ter uma inteligência poderosa, poder compreender as coisas, ter sensibilidade, é bom ou ruim? Poder amar, ter sentimentos, ter esperança, é bom ou ruim? Cada um que diga, que fale por si. Mas uma coisa é certa: só podemos tudo isso porque um dia fomos tirados de nosso nada existencial e apresentados à luz da existência revelada, esse milagre dos milagres.

5 setembro 2017 FULEIRAGEM

ZOP – CHARGE ONLINE

5 setembro 2017 SONIA REGINA - MEMÓRIA

SINCRONISMO

Riverdance, espetáculo de dança Irlandesa, sapateado.

A primeira apresentação foi ao final do século passado.

Um grande show de musica e dançarinos com um sincronismo de tirar o folego.

5 setembro 2017 FULEIRAGEM

SINOVALDO – JORNAL NH (RS)

AREIA DE CASTELO NA AMPULHETA

Não é suspeito, aliás, suspeitíssimo, que agora que começaram a reaparecer vestígios de crime da Operação Castelo de Areia, enterrada pelo ex-ministro da Justiça no primeiro governo Lula, Márcio Thomaz Bastos, um juiz de primeira instância venha determinar a destruição das provas?

De fato, é, no mínimo, estranho. O descarte do material foi determinado em 10 de agosto pelo juiz federal Diego Paes Moreira, da 6.ª Vara Criminal Federal de São Paulo. Ele atendeu a pedido da defesa de três ex-dirigentes da construtora Camargo Corrêa – Darcio Brunato, Fernando Dias Gomes e Pietro Giavina-Bianchi. Eles argumentaram que as provas foram anuladas em julgamento do Superior Tribunal de Justiça (STJ) de 2011. Em sua fundamentação, o magistrado indicou que a inutilização das provas consideradas ilícitas é prevista no Código de Processo Penal e que a decisão do STJ que anulou a operação não é mais passível de recurso – situação que na linguagem jurídica é denominada trânsito em julgado.

O ato de fragmentação dos papéis e de apagamento e quebra de mídias chegou a ser agendado para o dia 23 de agosto, mas foi desmarcado, após pedido de vista da Procuradoria da República em São Paulo. Ao devolver os autos à 6.ª Vara, na semana passada, a procuradora da República Karen Kahn citou reportagem da Folha de S.Paulo sobre delação de Palocci na Lava Jato e pediu o adiamento do descarte, pelo menos até ser definido o fechamento da colaboração premiada do ex-ministro da Fazenda de Lula. A procuradora alegou que a destruição dos volumes da Castelo de Areia poderá prejudicar a apuração sobre as afirmações de Palocci, caso a delação dele seja assinada com a força-tarefa da Lava Jato, conforme informou a assessoria de imprensa do Ministério Público.

Quanto ao pedido, não há o que contestar: a empreiteira, principal acusada na investigação da Polícia Federal (PF) e do Ministério Público Federal (MPF) há oito anos, conseguiu o arquivamento de todos os atos relativos à operação. A liminar pelo acolhimento da defesa da construtora foi dada pelo então presidente do STJ, Cesar Asfor Rocha, e acolhida pela 6.ª Turma daquele colegiado, da qual ele não fazia parte. Foi aceita a alegação da defesa de que as provas foram obtidas a partir de uma denúncia anônima, o que, então, as tornaria ilegais. Iniciada em 2009, ela foi arquivada em março de 2011, inicialmente com voto favorável da então presidente da turma, Tereza de Assis Moura, e posição contrária de Og Fernandes. Outro julgador, Celso Limongi, pediu vista e, no mês
seguinte, quando este entregou seu voto favorável ao pedido da empreiteira, Haroldo Rodrigues o seguiu, ficando o resultado em 3 a 1 pela suspensão dos inquéritos pela PF.

A operação frustrada passou a ser apontada como um exemplo da impunidade gozada por grandes empresários, políticos e juízes das altas cortes envolvidos em processos de corrupção. Afinal, processos correlatos ao da Camargo Corrêa envolviam empreiteiras e políticos no escândalo que mais tarde seria batizado de “petrolão”, investigado pela Lava Jato, destacando-se os casos da construção das refinarias Abreu e Lima, em Pernambuco, e Getúlio Vargas, no Paraná.

Sem nunca ter caído no esquecimento, a Castelo de Areia foi o último capítulo de um passado de impunidade de ricos, brancos e poderosos, posto em contraste com a nova realidade representada pelo imenso sucesso popular da Lava Jato, que, de acordo com o célebre advogado de presos políticos na ditadura, atualmente ajudante da acusação nos processos da operação em Curitiba, René Dotti, nunca vai cair, porque “tem uma base social muito grande”. Em entrevista a Ricardo Brandt e Fausto Macedo, publicada no Estado (Pag.A6, domingo, 3/09/17), o antigo entusiasta da campanha “O petróleo é nosso”, dos anos 50, a definiu como sendo “a revolução copérnica na criminalidade do País”.

Acontece, entretanto, que a decisão de destruir as provas levantadas contra acusados na Castelo de Areia chega num momento em que ela passou a ser um dos temas da negociação da delação premiada do ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci com o MPF, conforme a Folha de S.Paulo revelou em 26 de agosto. Palocci afirmou no decorrer das tratativas com os procuradores que o ex-presidente do STJ Cesar Asfor Rocha recebeu suborno no valor de pelo menos R$ 5 milhões da Camargo Corrêa para barrar a Castelo de Areia. Obviamente, Asfor Rocha e a construtora negam a prática de algum crime ligado à operação. Mas, tenha Palocci dito a verdade ao delatar o recebimento da propina intermediada por Bastos, ou não, me parece óbvio que a promotora tem toda razão ao advertir que provas que poderiam ser usadas hoje na Lava Jato não teriam por que ser destruídas.

Na luta renhida pela impunidade, travada pelos acusados portadores de foro privilegiado nos altos comandos dos Poderes Executivo, Legislativo de Judiciário adotaram, pelo visto, outro alvo no front na guerra contra a condição de impunibilidade de que gozam. Para eles, não basta mais enterrar as investigações. Os suspeitos que ocupam cargos e mandatos importantes encarregam ainda os aliados na cúpula da Justiça de destruir provas remanescentes. Estes são os graus da impunidade que levam o Brasil a seu destino de “país sem futuro”, negando a célebre profecia do escritor judeu alemão Stefan Zweig. Ou, ainda, como preferem alguns mais precisos, o “eterno país do futuro”, ao qual nunca o presente chega. Seu interesse é fazer escorrer os castelos de areia de praia ampulheta
adentro.

A guerra da privatização das teles também ainda produz efeitos muitos anos depois. Uma de suas consequências é a tentativa que a tele Oi, um dos restos à beira da morte de suas batalhas, salvar o dinheiro de acionistas e credores recorrendo ao espólio público. Segundo reportagem de Fátima Laranjeira, no Estado de S. Paulo da semana passada, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) informou que o coordenador do Núcleo de Ações, conselheiro Igor de Freitas, propôs ao Conselho Diretor, numa medida cautelar, a abertura dos processos de cassação das concessões e das autorizações do Grupo Oi.

Foi anunciado também um conjunto de providências a serem tomadas na hipótese de se concretizar um cenário esperado pelo órgão para a operadora. O autor destas linhas pergunta onde estavam o representante da Advocacia-Geral da União (AGU) na Anatel, Raphael Bruno, e a própria advogada-geral, Grace Mendonça, que não defenderam nem defendem o direito da União de receber a dívida da Oi na Anatel. Essa lengalenga já tem 14 meses, conforme a reportagem citada. Enquanto isso, a Oi segue sendo dilapidada. Matéria do Valor Econômico também da semana passada informou que a Oi reduziu seu caixa em R$ 526 milhões.

Como a AGU deixou chegar a esse ponto? Como a AGU permitiu que esse assunto seja discutido na Justiça estadual? Os direitos da União devem ser julgados na Justiça federal. Ainda bem que a lei-relâmpago, aprovada de forma terminativa na calada da noite numa comissão do Senado, acabou sendo sustada pela ação dos ministros do STF Cármen Lúcia e Luís Roberto Barroso. Ao intervirem e obrigarem o Senado a pôr a medida danosa ao interesse público em votação no plenário, eles evitaram a tragédia de a Anatel transformar seu direito de receber sua dívida de 20 bilhões em investimento neste mico monumental, a Oi. Aliás, por que o Ministério Público, que se mete em tudo, não acompanha essas negociações e os representantes da União em defesa dos interesses da cidadania vilipendiada?

5 setembro 2017 FULEIRAGEM

CLAYTON – O POVO (CE)

5 setembro 2017 EVENTOS

É HOJE! – PARA OS FUBÂNICOS DO RECIFE – INAUGURAÇÃO DE NOVA LOJA DA PASSA DISCO

5 setembro 2017 FULEIRAGEM

SPONHOLZ – JORNAL DA BESTA FUBANA

 

5 setembro 2017 A PALAVRA DO EDITOR

PAUSA

O JBF vai ter uma pequena pausa em suas atualizações nesta manhã de terça-feira.

Thiago, nosso técnico e cuidador, fará uma revisão no avançadíssimo equipamento do Complexo Midiático Besta Fubana.

Tão cedo quanto tudo estiver pronto, voltaremos a botar no ar nossas postagens.

E tem muita matéria boa hoje.

Não precisa ninguém se desesperar ou tentar o suicídio. Vai ser coisa rápida.

Bom dia e uma excelente terça-feira para todos.

5 setembro 2017 FULEIRAGEM

FRANK – A NOTÍCIA (SC)

5 setembro 2017 DEU NO JORNAL

ESTE É O NOSSO PAÍS TROPICAL

Chiquinho da Mangueira é o único candidato ao cargo de corregedor parlamentar da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, cuja eleição acontece nesta terça-feira (5).

Se eleito, ele ocupará uma função da qual já foi alvo, quando foi investigado e teve pedida a cassação de seu mandato.

* * *

Uma cena autenticamente banânico-cariocal.

Não esqueçam de um detalhe importante: Chiquinho está lá, exercendo legalmente um mandato, por conta dos votos que recebeu dos seus eleitores.

Do mesmo jeito que Cabral foi eleito governador do Rio, Jânio foi eleito prefeito de São Paulo e Lula/Dilma foram eleitos presidente do Brasil.

Voto secreto e direto.

E de livre e espontânea vontade.

Tenham sempre isto em mente.

5 setembro 2017 FULEIRAGEM

AMORIM – CHARGE ONLINE

5 setembro 2017 JOSIAS DE SOUZA

“VOCÊ QUEIMA A ROSCA?”, DIZ BOLSONARO A JORNALISTA

O presidenciável Jair Bolsonaro trocou ataques com o jornalista americano Glenn Greenwald nesta segunda-feira por meio do Twitter. Um internauta questionou Greenwald sobre um comentário do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, que qualificara Bolsonaro como “competente” por aparecer bem-posto nas pesquisas presidenciais. Em sua resposta, o jornalista referiu-se a Bolsonaro como “cretino fascista”. A reação do deputado veio num post escrito na língua de Shakespeare.

”’Do you burn the donuts? I don’t care! Be happy! Hugs for you!”, anotou Bolsonaro em seu perfil no Twitter. No português das ruas, ele disse o seguinte: ”Você queima a rosca? Não me importo! Seja feliz! Abraços para você!”. Greemwald vive no Rio de Janeiro com seu companheiro, o carioca David Miranda, vereador pelo PSOL.

O jornalista compartilhou o ataque de Bolsonaro. Repisando o adjetivo, insinuou para os seus seguidores que o “deputado fascista”, candidato à sucessão de 2018, é prisioneiro de uma obsessão homofóbica: Ele “responde minha crítica com uma nobre referência ao sexo anal gay, sempre na sua cabeça”. Bolsonaro não se deu por achado: “Ativista LGBT americano influente me chama de ‘cretino fascista’ de graça e agora chora porque respondi com amor e tolerância. Dissimulado!”

Como se vê, a campanha de 2018 deve ser travada em alto nível. Um candidato que ficar de cócoras para desviar do tiroteio pode ser visto como personagem de grande altivez. E o eleitor terá de redobrar a atenção para não confundir um certo candidato com o candidato certo.

5 setembro 2017 FULEIRAGEM

JARBAS – DIÁRIO DE PERNAMBUCO

SONHO BOM

Em um sonho visionário
Eu vislumbrei com alegria
O fim da desigualdade
Do ódio e da hipocrisia
Vi toda humanidade
Envolvida com ações de cidadania
Vi o fim da intolerância
Do preconceito e do racismo
Vi triunfar a confiança
A gentileza e o humanismo
Avistei o fim do fanatismo
Do roubo e da corrupção
Vi imigrantes e refugiados
Livres de perseguição
Presenciei o fim da fome
Da crise e do desemprego
Do crack essa droga infame
Que provoca desassossego
Vi o fim da inveja e do apego
Do suicídio e da depressão
Da frustração e do medo
Da pobreza e da solidão
Por fim vi com grande satisfação
A extinção da violência
E o aumento de consciência
Da nossa população 

5 setembro 2017 FULEIRAGEM

AMARILDO – A GAZETA (ES)

5 setembro 2017 MEGAPHONE DO QUINCAS


QUEM NÃO CONHECE LUIZ DE FRANÇA!

Luiz de França

Existem músicas que não saem da cabeça nem que a vaca tussa. Falo das canções que ouvimos na infância e por toda uma vida. Muitas vezes, canções regionais como “Eu Vou Prá Lua”, do famosíssimo intérprete e compositor paraense Ary Lobo, em parceria com o pernambucano Luiz de França, Boquinha, têm esse dom.

Formaram aquela famosa linha de cocos, emboladas, rojões e baiões, lida e relida pelos fabulosos Jackson do Pandeiro, Gordurinha, Rosil Cavalcanti, Jacinto Silva, entre outros.

Eu Vou Pra Lua, de Luiz de França e Ary Lobo, com Ary Lobo

A letra deste rojão me traz à lembrança o Recife antigo, do Campo do Jiquiá, onde pousavam os Zeppelin, na década de 1930. Ainda hoje o único atracadouro de dirigíveis daquele porte, de pé, em todo o mundo.

Da corrida espacial mais recente, os autores trouxeram o soviético Sputnik, verdadeira febre dos interessados em feitos espaciais daquele momento.

São criações, fantasias que juntam um improvável lançamento de um foguete-satélite num atracadouro de Zeppelin.

Eu Vou Pra Lua, com Zé Ramalho, Elba e Geraldo Azevedo

Tudo que se enrola e desenrola na letra é para fazer contraposição aos dias de dureza que se passava aqui na terra, Brasil. Em alguns momentos, parece que estamos em tempos atuais. A ideia de ir para o nosso satélite natural para fugir, expressada nos versos: “Já estou enjoado aqui da terra; Onde o povo a pulso faz regime; A indústria, roubo, a fome, o crime; Onde os preços aumentam todo dia; O progresso daqui a carestia; Não adianta mais se fazer crítica; Ninguém acredita na política; Onde o povo só vive em agonia”.

Perfis:

ARY LOBO (GABRIEL EUSEBIO DOS SANTOS LOBO)

Nascido em 14 de agosto de 1930, foi um músico de forró, natural de Belém, Pará. Ary Lobo foi daqueles gênios que não nascem mais nos dias de hoje, o maior compositor de forró da história, com mais de 700 músicas gravadas por ele e outros cantores, músicos e intérpretes. Um defensor solitário (ou quase) da música nordestina de raiz. Suas gravações são o retrato disso, a começar pelos instrumentos usados, ele não ousava muito, já tinha sua fórmula montada. De estilo semelhante ao de Jackson do Pandeiro, cantando derivativos do baião, entre cocos e rojões, Ary Lobo lançou vários sucessos nos anos 50 e 60 em seus nove LPs na RCA. Retratava a vida e os costumes nordestinos em diversas canções, como Cheiro da gasolina, Vendedor de Caranguejo, Eu vou pra Lua, Suplica Cearense, Evolução, Menino Prodígio, entre outros..

LUIZ DE FRANÇA – BOQUINHA

Compositor popular, Luiz de França nasceu em junho de 1911, no bairro do Torreão, no Recife, onde, ainda adolescente tornou-se ídolo, cantando suas músicas. Foi um dos grandes divulgadores do Coco, gênero musical preferido. Morreu em junho de 2008.

Também como conhecido como Luiz Boquinha, trabalhou durante 35 anos como carpinteiro na Aeronáutica e durante 16 anos participou de programas de auditório na Rádio Clube de Pernambuco, onde apresentava o programa “A Reportagem da Semana”, que interpretava os acontecimentos por meio de músicas.

Autor de vários folhetos de Cordel, sua canção de maior sucesso foi a parceria com Ary Lobo, “Eu Vou Prá Lua”.

Semana que vem, tem mais….

5 setembro 2017 FULEIRAGEM

NANI – CHARGE ONLINE

5 setembro 2017 A PALAVRA DO EDITOR

ELE MERECEU OS TABEFES QUE LEVOU

Esta nota saiu ontem, na página O Antagonista:

“O Antagonista entrou em contato com o delegado Ademar da Silva Canabrava, responsável pelas investigações do espancamento, na noite do último sábado, do funcionário da Caixa Econômica Herbert dos Santos Matos Júnior.

O fato ocorreu quando Lula chegava a um jantar com a “militância” no clube da Apcef em Teresina.

As investigações preliminares indicam que a vítima foi agredida com socos e pontapés por pelo menos cinco seguranças do ex-presidente.

Herbert deixou a UTI e recebeu alta do hospital ontem. Ainda não tem condições de fazer exame de corpo de delito.

Um filho da vítima registrou a ocorrência nesta tarde e contou ao delegado que o espancamento ocorreu por volta das 21 h do último sábado e que o pai ficou em estado “bastante grave”.

“Além de ser espancado em uma sala dentro do clube, seguranças do ex-presidente jogaram o homem em uma via pública. Ele só foi socorrido porque algumas pessoas que passaram pelo local viram a gravidade dos ferimentos”, afirmou o delegado.

Ainda segundo informações que constam no boletim de ocorrência, Herbert foi agredido até ficar desacordado.

No meio da confusão, desapareceram um celular, um carregador de celular e os óculos da vítima.

“Vamos investigar, mas, ao que tudo indica, trata-se de um crime de lesão corporal grave e identificaremos os autores”, disse o delegado a este site.”

Esta notícia aí de cima só esqueceu de informar um detalhe muito importante:

Este tal funcionário da Caixa é um coxinha das zelites, golpista e reacionário.

E cometeu um pecado gravíssimo: ele tinha tomados umas e outras e estava de porre, coisa que Lula e sua equipe não admitem de modo algum!

Ele chamou Lula de “ladrão” (uma tremenda duma mentira) e foi logo devidamente estapeado pelos seguranças, levando uns bons e didáticos tabefes no pé-do-ouvido.

A constituição proíbe este tipo de xingamento e autoriza o castigo físico ao agressor.

O impertinente manifestante direitista teve o merecido castigo previsto em lei.

Quanto ao desaparecimento do celular deste coxinha reacionário, isto faz parte da rotina de trabalho dos seguranças do nosso querido ex-presidente.

5 setembro 2017 FULEIRAGEM

SINFRÔNIO – DIÁRIO DO NORDESTE (CE)

CADEIA É POUCO

Dilma mira na Operação Lava Jato e mais uma vez acerta a própria testa

“Em qualquer país do mundo, se alguém grava o presidente, a lei de segurança nacional coloca na cadeia”.

Dilma Rousseff, numa discurseira na sede da Associação Brasileira de Imprensa, sobre o grampo que revelou a tramoia envolvendo a declarante, o Bessias e Lula, esquecendo de comentar o que acontece em países civilizados a governantes que quebram o país com a ajuda de uma equipe formada por gente como Edison Lobão, Guido Mantega, Antonio Palocci e Fernando Pimentel, fora o resto.

5 setembro 2017 FULEIRAGEM

SPONHOLZ – JORNAL DA BESTA FUBANA

OS ZINVEJOSOS DAS ZELITES ZESPÚRIAS

Comentário sobre a postagem O ESPORRADOR ATACA MAIS UMA VEZ

Josemar rabelo:

“Alguém sabe calcular o TAMANHO DA INVEJA Da Elite Espúria Brasileira.

todos os Golpistas irresponsáveis e o Blog Besta Fubana sentem de Lula?”

* * *

O Instituto Nacional de Pesos e Medidas calculou o tamanho da inveja desta gazeta escrota e concluiu que ela é mais ou menos do tamanho do Caralho de Asas que a Besta Fubana costuma enfiar no furico de abilolados lulaicos.

5 setembro 2017 FULEIRAGEM

AMORIM – CHARGE ONLINE

5 setembro 2017 JOSELITO MÜLLER

PCdoB RECRUTA MILITANTES PARA LUTAREM AO LADO DA COREIA DO NORTE

NOVA YORK – O Bureau Político do Comitê Central do Partido Comunista do Brasil anunciou na tarde de hoje o início de uma ampla campanha de recrutamento de militantes para reforçar as fileiras do exército da república democrática e popular da Coreia do Norte na 3ª Guerra Mundial que se avizinha.

SEGUNDO INFORME PROFERIDO PELO CAMARADA PREPÚCIO REGO, DO DEPARTAMENTO DE INTERNACIONALISMO PROLETÁRIO, “É NECESSÁRIO QUE O PROLETARIADO INTERNACIONAL SE UNA NESTE MOMENTO CRÍTICO, EM QUE AS POTÊNCIAS IMPERIALISTAS AMEAÇAM A SOBERANIA DE UMA PÁTRIA SOBERANA, LIVRE E DEMOCRÁTICA, COMO É A COREIA DO NORTE”.

Atendendo o chamado do Partido do proletariado, vários jovens, de modo espontâneo, passaram a se alistar.

O número de voluntários, no entanto, reduziu drasticamente quando eles descobriram que na Coreia do Norte não tem internet, nem comida, o que fez com que muitos que até então tinham se alistado passassem a mandar os camaradas irem chupar pirocas.

5 setembro 2017 FULEIRAGEM

BAGGI – CHARGE ONLINE

CARMEN MONARCHA & ANDRÉ RIEU

Habanera” de Georges Bizet, da ópera “Carmen“, na belíssima performance da paraense Carmen Monarcha acompanhada pela Johann Strauss Orchestra regida pelo maestro André Rieu.

4 setembro 2017 FULEIRAGEM

NICOLIELO – JORNAL DE BAURU

4 setembro 2017 DEU NO JORNAL

NÃO EXISTE JACARÉ EMBAIXO DA CAMA

O advogado da Petrobras na Lava Jato, René Ariel Dotti, deu uma importante entrevista ao Estadão.

Ele disse:

“A Lava Jato, no meu entendimento, interrompeu um golpe de estado… O PT ia fazer um golpe de estado, na medida em que estava corrompendo grande parte do Congresso e colocando gente no Supremo Tribunal Federal para ter uma continuidade de poder, um projeto de poder.”

* * *

Eu acho que este advogado está, como diz Ceguinho Teimoso, enxergando jacaré embaixo da cama.

Mais democrático que o PT de Lula, só mesmo o PCdoB de Jandira Pinguelão.

Embora Jaques Wagner, petista de alto escalão, ex-governador da Bahia e nome de destaque na sigla vermêia-istrelada tenha dito em público que a democracia “é um problema.”, eu continuo acreditando na vocação democrática dos dirigentes petistas.

Tanto quanto acredito na vocação democrática de Nicolás Maduro, de Raul Castro e de Kim Jong-un.

“Nós não fizemos uma revolução, este é o nosso problema”

4 setembro 2017 FULEIRAGEM

SINOVALDO – JORNAL NH (RS)

4 setembro 2017 JOSELITO MÜLLER

JURISTAS DIZEM QUE LIBERAÇÃO DO EJACULADOR DO BUSÃO FOI MUITO PRECOCE

Ocorrido na manhã de hoje na Faculdade de Direito da Universidade Federal de Lapão Roliço, o VIII Encontro Nacional dos Juristas Renomados discutiu, entre outros temas, a liberação do chamado “ejaculador do busão”.

Segundo o catedrático titular da cadeira de Direito Penal Onanista, Pós-doutor Jacinto Pinto Aquino Rego:

“FOI MUITO GOZADA ESSA DECISÃO QUE SOLTOU O SUJEITO, JÁ QUE A JURISPRUDÊNCIA REMANSOSA DO SUPREMO CONSIDERAVA A PUNHETA EM PÚBLICO COMO UM DOS OITO PECADOS CAPITAIS”.

O professor avalia que a decisão abre precedente que pode redefinir os limites dos direitos sexuais recreativos, uma vez que já ganha força uma campanha pela descriminalização da punheta em território nacional.


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa