METAMORFOSE DO V

A letra V da expressão juventude entrou na faculdade, abriu contas em redes sociais e, de repente, passou a entender e discutir sobre tudo.

Sua capacidade de debate abrangia várias áreas do conhecimento humano, dos problemas sociais e filosóficos.

A letra V passou por um processo defendido por ela mesma como um “amadurecimento sistemático”. Dissertava em suas defesas como se, e se somente se, ela fosse capaz de pensar cognitivamente.

E nesses debates apossava-se de frases feitas, copiava quadros padronizados, não checava informações, tampouco pesquisava sobre ideias ou fatos defendidos e republicados adiante.

De tanto passar o tempo discutindo sobre política, igualdade social, perseguições às minorias, princípios éticos e morais, a letra V começou a ficar sem tempo para estudar.

A solução foi juntar-se com outro V, também de outra juventude, e alternar a patrulha dos debates nas redes sociais. E assim fizeram uma união de muitos “Vês”, de muitas juventudes. Deram-se as mãos em pares e se julgaram ainda mais poderosos, formando um exército de muitas juventudes.

Com a intenção de intensificar as discussões, querendo mostrar a diferença nessa nova fase de letra associada e a força desse novo cooperativismo alfabético, resolveram mudar a posição de sua escrita para se apoiarem com mais firmeza na linha-chão do mundo virtual.

Foi justamente nesse ponto, quando melhor estavam apoiados, que foram confundidos com a letra M.

Dizem agora por aí que muita juventude hoje em dia é lida apenas como juMentude.

AMANCIO BENJAMIN – UBERABA-MG

Berto,

Bote este vídeo aí no JBF.

Acho que vale a pena os leitores tomarem conhecimento.

Um grande abraço!!!

2 novembro 2018 DEU NO JORNAL

CONTINUA A DÚVIDA

O Ibovespa, principal índice da bolsa brasileira, a B3, fechou em alta nesta quinta-feira (1), renovando o recorde histórico, com o cenário externo positivo e os agentes financeiros na expectativa de novos anúncios sobre a equipe do presidente eleito Jair Bolsonaro, além dos planos para a economia.

O Ibovespa subiu 1,14%, a 88.419 pontos.

Na máxima, chegou a 89.017 pontos, renovando também a máxima histórica intradia.

Análise técnica do Itaú BBA aponta que o Ibovespa segue em tendência de alta e poderia ganhar “novo impulso em direção a 91.700 e 95.300 pontos” se conseguisse superar os 88.400 pontos.

O mercado acionário acelerou o ganho depois da confirmação de que o juiz federal Sérgio Moro aceitou o convite de Bolsonaro para chefiar o Ministério da Justiça e Segurança Pública.

* * *

Ontem eu perguntei ao fubânico petista Catador de Links se a queda do dólar, consequência de eleição de Bolsonaro, era bom ou ruim pro Brasil.

Ele enrolou, embromou, arrodeou, mi-mi-miou, saltitou, desconversou e não me deu a resposta que eu queria, um sim, ou um não.

Hoje eu volto a perguntar pra ele:

Esta alta do Ibovespa, consequência da indicação de Moro pro Ministério da Justiça e Segurança Pública, é boa ou ruim para o Brasil?

Hein, Catador de Links?

ANA PAULA DE MENEZES – VOLTA REDONDA-RJ

Amigos do Jornal da Besta,

Olha só o quanto avançamos!

Se liga nessa limpeza!

Estão todos fora.

Isso não é uma eleição.

É um exorcismo!

Obrigada BRASIL!!!!!!!

Isso é MARAVILHOSO!

-Dilma Rousseff (PT-MG);
-Lindbergh Farias (PT-RJ);
-Eduardo Suplicy (PT-SP);
-Jorge Viana (PT-AC),
-Delcidio do Amaral (PTC-MS);
-Fernando Pimentel (PT-MG);
-Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM);
– Fernando Collor (PTC-AL);
-Roseana Sarney (MDB-MA);
-Sarney Filho (MDB-MA);
-Edison Lobão (MDB-MA);
-Valdir Raupp (MDB-RO);
-Eunício Oliveira (MDB-CE);
-Romero Jucá (MDB-RR);
-Beto Richa (PSDB-PR);
-Marconi Perillo (PSDB-GO);
-Roberto Requião (MDB-PR);
-Cassio Cunha Lima (PSDB-PB);
-Garibaldi Alves Filho (MDB-RN);
-Marco Antonio Cabral (MDB-RJ), filho do presidiário Sergio Cabral;
-Daniele Cunha (MDB-RJ), filha do presidiário Eduardo Cunha;
-Cristiane Brasil (PTB-RJ), filha do ex-presidiário Roberto Jefferson;
-Lúcio Vieira Lima (MDB-BA), irmão do presidiário Geddel Vieira Lima;
-Leonardo Picciani (MDB-RJ), filho do preso domiciliar Jorge Picciani;
-Boulos – Fora
-Ciro Gomes – Fora
-Marina – Fora
-Lula – dentro (da cadeia)
-Haddad – Fora

2 novembro 2018 DEU NO JORNAL

A FRASE DO DIA (2)

“É óbvio que estão falando mal da indicação de Moro. Pergunta a opinião da bactéria sobre o antibiótico.”

Criss Paiva

* * *

Bactéria de altíssima periculosidade apavorada com o antibiótico morocilina

ADEUS, AGNALDO

O telefone tocou, nesta segunda. Era o amigo Agnaldo Lyra, que ligava da Holanda.

– “Como vai?, Zé Paulo”.

– “Tudo bem, rapaz, o que há de novo?”.

– “Estou ligando para me despedir.

– “Como???”

– “É que vou fazer eutanásia na próxima sexta” (hoje, dia de finados).

Foi como um murro na barriga. Desses de a gente ficar sem ar. Agnaldo é gente boa. Educadíssimo. E preto, bem preto, filho do negror da noite – em palavras com que Mário de Andrade definiu seu personagem Macunaíma. Fomos colegas de classe no Colégio Nóbrega. Um dia, sumiu da face da terra. Depois que traficantes mataram seu irmão branco (Agnaldo era adotado) e anunciaram que o próximo da lista seria ele. Soubemos de passagens suas por África e Portugal. Tudo vago. Até que apareceu já como cidadão holandês. E funcionário do governo. Casado com loura bem alta (mais do que ele) e dois filhos. Nos falávamos, sempre. E, desde algum tempo, convivia bem com um câncer.

Sugeri confiar na ciência. Lembrei mulher de conhecido jornalista da Globo (disse-lhe o nome), sem mais esperanças, que está se curando com tratamento à base de imunoterapia. Quem sabe poderia tentar algo assim. – “Meu caso é diferente. O câncer migrou do pulmão para o cérebro. Fomos a Paris para tentar esse tratamento e não era possível. Tem mais jeito, não”. Está reduzido, agora, a 51 quilos. E, a cada cinco dias, perde mais um. Começa a se esquecer das coisas. Por vezes, não controla partes do corpo. Cai no chão com frequência. Por tudo, a morte lhe parecia um fim lógico e digno.

Perguntei se a Holanda permitia isso. A resposta foi bem detalhada. O Juiz, antes de autorizar, ouve suas razões. Conversa com mulher, filhos, pessoas próximas. Pede opinião de médicos especialistas, para ter certeza de que a decisão não é movida por eventual depressão. Ou se haveria alguma solução na medicina. Depois descreveu, em minucias, como seria. Até quarta, iria se despedir de amigos e parentes. Quinta, mulher e filhos. Sexta de manhã, só a mulher. No começo da tarde, chegariam juiz, tabelião, o médico da família, enfermeiro. E às 16 horas, em sua cama, tomaria uma injeção. Não sentiria dor, assim lhe prometeram.

Passou, então, a falar nos tempos do Nóbrega. De colegas e professores – José Walter, João Carlos, Eladinho, Manga Rosa, uma procissão de mortos. As brincadeiras na classe. Os apelidos. Parecia feliz, ao lembrar daquele tempo bom. Foi quando pediu para dar notícia do fato aos amigos daqui. O que estou fazendo, com esse texto. E nos despedimos. Ele, só com um “Adeus”. E eu, “Adeus, Agnaldo”. Após o que completei, mesmo sem acreditar no que disse, “em breve nos encontraremos em algum lugar”. Fim do telefonema.

Fiquei mudo. Estático. A morte é tão mais importante que todo o resto se relativiza. Eleições, viagens, projetos pessoais, nada parece ter importância. Tudo vai acontecer hoje, ao meio dia daqui (levando em conta o fuso horário). Maria Lectícia mandou rezar missa para ele. Lembrei versos de Pessoa (Álvaro de Campos, “Dois Excertos de Odes”): Vem, dolorosa/ Mão fresca sobre a testa em febre dos humildes/ Sabor de água sobre os lábios dos cansados. Que essa mão fresca lhe adoce a partida, querido amigo. Fique em paz.

2 novembro 2018 A PALAVRA DO EDITOR

NÃO DESCANSEM E NEM TENHAM PAZ

“Se o PT está reclamando, é porque eu fiz a coisa certa”

Esta frase foi pronunciada pelo presidente eleito Jair Bolsonaro, referindo-se à nota do PT contra a indicação do Dr. Sérgio Moro para o Ministério da Justiça.

E isto dito, está dito tudo.

Nada mais precisa ser acrescentado.

O que este Editor quer ressaltar é que o capitão se apropriou de uma frase que eu já havia escrito ontem, aqui nos meus rascunhos, e que iria colocar em postagem a ser feita hoje, na coluna A Palavra do Editor.

Coisa feia, seu Bolsonaro, o sinhô afanou a minha ideia!

A nota da quadrilha que se esconde atrás de uma sigla partidária é muito, muito além de asquerosa.

É furibunda, repulsiva, furiosa, horrenda, raivosa, indecente, desavergonhada, pornográfica, repugnante, nojenta, safada, repelente, nauseabunda, hedionda, anojosa, horrível, mentirosa, horrorosa, imunda, sórdida, velhaca.

Neste dia 2 de novembro, Dia de Finados, vamos ouvir a Marcha Fúnebre, da autoria de Beethoven, executada pela orquestra do Maestro Leonard Bernstein, dedicada ao extinto Partido dos Trabalhadores, uma ausência que não fará falta algum.

Que não descanse em paz e que fique se remexendo em eterno desassossego no túmulo.

Vão tudinho pros quintos dos infernos, bando de cabras safados!!!

2 novembro 2018 EVENTOS

É HOJE! – PARA OS LEITORES DO RECIFE – COLUNISTA FUBÂNICO EM RECITAL

A PELERINE

Adalberon cursava a Academia Militar das Agulhas Negras nos anos 60. Orgulhava-se de ser cadete e adorava se exibir. Fazia sucesso entre as garotas quando chegava à Maceió nas férias.

No seu último ano do curso, ele aproveitou uma semana de férias de junho voou para sua terra. Foi convidado para uma festa de 15 anos muito badalada na sociedade alagoana. O pai da moça, um rico deputado, morava numa mansão na praia de Pajuçara.

Decoração suntuosa, mesas espalhadas nas salas, muita bebida e comida. A Orquestra Tabajara de Severino Araújo animava o aniversário de Betinha.

Os jovens dançavam no imenso salão iluminado por quatro vistosos lustres. Adalberon vestiu sua farda de gala, como chovia, ele levou também sua pelerine azul marinho, capa longa usada como integrante do uniforme do cadete, que cobre os ombros e a parte superior do corpo, com fendas para os braços.

Quando a orquestra iniciou uma bonita música Adalberon avistou uma jovem no canto da sala com olhares insistentes para ele. Num impulso caminhou em direção à bela moça vestida de preto. Aproximou-se; antes de ele convidá-la para dançar, a moça abriu os braços dizendo que já o esperava. Juntaram seus corpos rodopiando o salão com um abraço apertado. Os dois se olhavam como se uma paixão momentânea houvesse surgido.

Certo momento ele perguntou por seu nome. Ela se chamava Neuza, a melhor amiga de Betinha, a aniversariante. Ele também se apresentou dizendo que no final do ano se formava na Academia Militar. Neuza respondeu apertando a mão de Adalberon com sua mão fria. – “Eu já sabia!”.

O cadete ficou impressionado com a beleza pálida da jovem. Contou suas histórias e fanfarronice na Academia Militar. Ela mostrou-se bastante interessada, juntou seu corpo ao do cadete, e assim ficaram dançando por muito tempo, mudos, apenas se afastando algumas vezes para se olharem. Caso de paixão fulminante. Certa hora, Neuza lhe falou que devia ir para casa, tinha prometido chegar antes da meia-noite. Ele se ofereceu para levá-la. Na saída da mansão apanhou a pelerine. Como a chuva era intensa, num gesto elegante, Adalberon cobriu sua companheira com a pelerine protegendo-a da chuva e correram em direção ao ponto de ônibus.

Tomaram o ônibus “Pajuçara–Trapiche da Barra”, estava quase vazio. Sentaram-se num banco do fundo, conversaram como se conhecessem há muitos anos. Quando passava pela Avenida da Paz, Adalberon puxou o rosto de Neuza e deu um beijo ardente em seus frios lábios. De repente percebeu que ela chorava. Continuaram aos beijos e abraços durante o resto do percurso.

Perto da Praça da Faculdade de Medicina Neuza tocou a campainha, o ônibus parou, eles desceram. Ela pediu para não acompanhá-la, morava perto, no dia seguinte devolveria a pelerine.

Adalberon seguiu com olhar os passos de Neuza até ela desaparecer na escuridão da rua, no oitão do Cemitério Nossa Senhora da Piedade.

Pela manhã o cadete apaixonado acordou-se com a figura da namorada gravada na cabeça e no coração. Quando o relógio bateu sete horas da noite Adalberon estava na Praça da Faculdade olhando os passantes em busca de um vulto parecido com sua amada. Deu voltas no quarteirão, passou dezenas de vezes na rua em que ela desapareceu. Perguntou a algumas pessoas se conhecia Neuza. Até que uma senhora se assustou quando indagada, informou que ela havia morado naquela casa, apontando para um bangalô.

Adalberon encheu-se de coragem, bateu à porta. Atendeu uma senhora com aparência triste. Ficou trêmula e assustada quando o rapaz perguntou se Neuza ainda morava naquela casa.

A velha mulher sentou-se numa cadeira da varanda e perguntou quem era o rapaz. Ele disse ser amigo de Neuza, contou como havia conhecido, tinham marcado encontro naquela noite na praça.

Adalberon arrepiou-se do dedo do pé aos cabelos da cabeça quando a triste senhora respondeu que no dia anterior tinha feito um ano de sua morte num desastre de carro. O marido da triste senhora ao ouvir a história emudeceu.

Quando acalmaram Adalberon contou detalhes do encontro da festa. Inclusive que havia deixado com Neuza sua pelerine.

Os três resolveram ir ao cemitério. Entraram pela alameda principal até a capela, havia um velório noturno, uma família chorava seu morto. Desviaram para direita onde estava a sepultura de Neuza. Ao se aproximarem deu-se a grande surpresa, a pelerine azul marinho cobria o túmulo de Neuza. Os três emocionados ficaram no cemitério até mais tarde quando Adalberon retirou-se para casa. Só conseguiu dormir ao tomar oito doses de uísque conversando com o pai.

Contam no bairro que uma misteriosa mulher vagueia pelos arredores do cemitério depois da meia-noite. Muitos moradores do Prado e do Trapiche juram ter visto a mulher de preto circulando pelas ruas.

57 anos se passaram desse acontecimento, o Coronel Adalberon todos os anos viaja à Maceió, cumpre a obrigação em colocar um buquê de rosas brancas e rezar um terço no túmulo de Neuza.

CÍCERO TAVARES – RECIFE-PE

Caro Editor Luiz Berto:

Eis a foto da “mega” estrutura da campanha de Bolsonaro que quebrou o sistema:

O filho bebendo água na jarra (o diretor-produtor!); uma raquete para matar mosca/mosquito; um celular velho em cima da mesa, esta também velha com pano de mesa “horrível”; uma jarrinha de barro; uma caneca de café velha; um refletor “feioso”; o negão do lado (“celebridade que apoia pra sair no filme!”) e outros trecos espalhados ao redor.

Kkkkkkkkkkkk! Sensacional Kkkkkkkkkk!

Como diz o personagem Dino da Silva Sauro da Família Dinossauro, ao ver a foto do seu amigo Roy substituindo a família numa propaganda bolada pela empresa Isso É Assim:

Isso me mata de inveja! De inveja vou morrer!

O PT está morto! Lula está no esquife!

O capitão o exterminou os bandidos, canalhas, com o voto do povo decente, honesto, trabalhador, ético, esperançoso por com um Brasil brasileiro, meu mulado estrangeiro, onde em se plantando tudo dá, menos corrupção.

2 novembro 2018 CHARGES

GILX

2 novembro 2018 DEU NO JORNAL

A FRASE DO DIA

“Juiz deixar a toga para ser ministro pode, pessoal. O que não pode é bandido virar ministro para fugir da toga de juiz.”

Diego Amorim

* * *

Neste vídeo, um exemplo de bandido sendo preparado pra virar ministro, num tentativa de fugir da toga do juiz:

O MARIDO MANSO

Antonino, como todos os homens traídos, era um marido manso, incapaz de levantar a voz para a esposa Bernadete, ou para quem quer que fosse. Dizia aos amigos que sua mulher era uma santa, e que os dois eram muito felizes. Quando dava as costas, suas palavras serviam de chacota, pois todos sabiam que a coquete e bonitona mulher não era confiável e tinha um comportamento suspeito. Flertava abertamente com os amigos do marido, e isso era o mínimo que ela fazia. Em suma, Antonino levava mais chifres do que pano de toureiro.

Certa tarde, Antonino saiu do escritório mais cedo. Querendo fazer uma surpresa, antes de ir para casa, entrou numa doceria e comprou uma torta de abacaxi para levar para a mulher. Era a sua torta preferida.

Ao chegar em casa, foi direto colocar a torta na geladeira. Não viu Bernadete, mas ouviu sua voz e sua risada, falando com alguém ao telefone, dentro do quarto do casal. Como sempre fazia, foi até onde estava a mulher, que se assustou e demonstrou irritação pela sua chegada inesperada. Bernadete abafou o telefone e disse para o marido:

-Quer me matar de susto? Entrou silencioso como um ladrão! Estou conversando com Rosanália. Ela está me contando um filme ótimo, que assistiu na televisão. Uma comédia nacional.

Antonino sentiu algo estranho no ar. Nunca tinha desconfiado da mulher, mas, dessa vez, ficou de orelha em pé. Achou muito estranha a reação dela ao notar que ele havia chegado. Em vez de demonstrar alegria, Bernadete mostrou-se irritada, chegando a ser grosseira com ele. Antonino saiu do quarto pensativo e a mulher continuou falando ao telefone, agora em tom muito alto, como quem queria mostrar que estava conversando mesmo com a amiga:

-Desculpe, Rosanália! Foi Antonino que chegou. Amanhã eu te ligo. Vamos combinar para almoçarmos juntas, quando você se curar dessa virose.

Bernadete desligou o telefone e disse para Antonino que a amiga Rosanália havia sido acometida de uma virose, e estava em casa, repousando.

Na mesma ocasião, alguém tocou a campainha da porta e Antonino mesmo foi abrir. Era Rosanália, saudável e eufórica como sempre, que viera visitar Bernadete.

O destino é imprevisível. A chegada de Rosanália foi uma péssima surpresa para Bernadete e uma grande decepção para Antonino.

Desse dia em diante, o marido manso acordou para a realidade.

2 novembro 2018 CHARGES

SPONHOLZ

ENCANTADAS E ENCANTADOS

Elizeth Cardoso (1920-1990) e Elis Regina (1945-1982)

* * *

“Feira de Mangaio” de Glorinha Gadelha e Sivuca aqui na interpretação de duas das maiores estrelas da MPB, Sivuca e Clara Nunes. Sivuca encantou-se em 14 de dezembro de 2006 aos 76 anos e, Clara Nunes no dia 02 de abril de 1983 aos 40 anos.

1 novembro 2018 DEU NO JORNAL

MATANDO DE RAIVA O CHEFE DA QUADRILHA

A confirmação de Sergio Moro como ministro da Justiça empurrou o índice Ibovespa para além de 89 mil pontos, máxima histórica.

E segue operando acima dos 88,5 mil.

O combate à corrupção melhora a economia e não o contrário, como diziam Lula e os petistas.

* * *

De fato, Lula costumava dizer que a Lava Jato estava destruindo a economia do país.

O chefe da quadrilha já estava desmoralizado.

Agora, com o símbolo do combate à corrupção ocupando um ministério de suma importância na caça aos ladrões, vai ficar mais avacalhado do que já está.

Vendo o sol nascer quadrado, completamente emputiferado e com ânsias de enfiar o dedo no furico pra rasgar até o umbigo.

Que coisa boa!

1 novembro 2018 DEU NO JORNAL

DESPETIZAR O ESTADO

1 novembro 2018 DEU NO JORNAL

OS CANALHAS FAZENDO TERRORISMO

Fracassado em sua tentativa de se eleger deputado por São Paulo, Marcio Pochmann, ex-coordenador econômico da campanha de Fernando Haddad, foi ao Twitter fazer terrorismo.

O economista da Unicamp escreveu que a “sombra do governo Collor” começava a pairar sobre o futuro governo de Jair Bolsonaro e citou a “proposição” de
“aprisionamento de parcela dos recursos depositados no sistema financeiro”.

É mentira descarada, fake news grosseira. Não há nada que passe perto de sugerir um “aprisionamento” – como o confisco da poupança na gestão Collor – nas propostas de Bolsonaro e Paulo Guedes.

Muito menos existe hoje, com inflação baixa, justificativa econômica para adotar medida tão impopular.

* * *

Os devotos da seita lulaica jamais deixarão de ser canalhas.

Nunca, nunca, nunca.

Nem com o PT morto e enterrado eles deixam de contar mentiras.

Faz parte da genética vermêio-istrelada.

Acusam os adversário de espalhar mentiras, ao mesmo tempo que espalham mentiras que só a porra pelos ares.

Bando de cabras safados!!!

Vamos dedicar uma musiquinha pra este tabacudo deste petêlho Pochmann, um idiota que exerceu a magnífica função de assessor de um poste representante de um presidiário.

É coisa pra caralho!!!

VALERIA BOSSI SIMÃO – BELO HORIZONTE-MG

Olá chefe editor fubanico,

Aqui é Valéria, a médica de Belo Horizonte. Tudo bem?

Você sumiu, me senti abandonada…

Ainda bem que tenho o JBF para ir me distraindo.

Berto, é o seguinte: vi que foi aniversário do Peninha e gostaria de mandar um presente para ele e para você também.

A coluna dele me dá grandes alegrias, impressionante a vastidão da cultura musical dele.

A de musicas italianas me deixaram “bebinha”.

Então, meu pai publicou um livro, organizado pelo meu primo, filho do ministro pão de queijo do governo Itamar Franco, Aluísio Pimenta, lembra?

Desculpe, mineiro tem que citar parentes em tudo, se não tiver um parente no meio não é de Minas, kkk.

Este livro é uma preciosa coletânea das famosas serestas mineiras, de toda Minas mas em especial de Diamantina.

Mineiro tem mania de seresta e as músicas são lindas, têm Peixe Vivo, É a ti flor do céu, Serenô da madrugada, etc.

JK amava.

Entre outras musicas se tocam as serestas nas sacadas dos casarões, na Vesperata, grande evento cultural da tradição mineira, em Diamantina.

Pois é, se você me mandar o endereço mando dois livros, um para você e outro para o Peninha .

Abração,

R. Minha cara leitora, que exerce a nobre profissão de médica na capital das Gerais, você me enviou esta mensagem no mês de outubro passado.

Deixei pra publicar agora, só depois de receber pelos correios o seu magnifico presente, o livro Saudade Seresteira, publicado pela Editora Lemi, daí de Belo Horizonte.

Que veio acompanhado de um cartão com este recado:

Caro Berto, agradecemos a você pela diversão diária que é seu jornal. Este livro consta principalmente de músicas da tradição seresteira mineira. Um grande abraço, Valéria. 

Das 364 músicas relacionadas no livro que você me mandou, nacionais e internacionais, escolhi a canção Elvira Escuta, uma composição pela qual tenha uma predileção muito especial e que, desafinado como sou, cantei destemidamente em inúmeras farras, quando já estava com o rabo cheio de cachaça.

Está no final desta postagem, em um vídeo que pesquei no Youtube.

Uma preciosidade interpretada pelo saudoso JK, que você citou em sua carta, acompanhado pelo Grupo de Seresta de Diamantina.

Espero que o nosso amigo Peninha, o colunista fubânico que nos encanta diariamente com sua seleção musical, também já tenha recebido o exemplar que você mandou pra ele.

Brigado mesmo, minha querida, por este mimo valioso.

Uma grande abraço daqui do Nordeste direto pras Alterosas!

1 novembro 2018 CHARGES

ADNAEL

1 novembro 2018 DEU NO JORNAL

SINFONIA EM MI-MI-MI

Políticos e líderes petistas usaram as redes sociais para atacar o juiz Sérgio Moro após ele ter aceitado compor o corpo ministerial do presidente Jair Bolsonaro (PSL).

O deputado federal Lindbergh Farias escreveu, no Twitter, que Moro “atuou com afinco” pra impedir a participação de Lula nas eleições deste ano.

“Poucas coisas podem ser mais descaradas do que isto. Sempre alertamos que Moro atuava como militante, e não como magistrado”, acrescentou.

* * *

Que quinta-feira maravilhosa!!!

Saber que a canalha petêlha está puta de raiva é motivo de regozijo.

O corrupto Lindinho – se cagando de medo porque daqui uns dias estará sem foro privilegiado -, já pressente o tamanho da pajaraca de grosso calibre que será enfiada no olho de seu furico.

É ótimo, é encantador, é fantástico, é reconfortante, é maravilhoso ouvir o relincho destes felas-das-putas!

De minha parte, e com toda minha caridade, desejo que vão todos se fuder!!!


* * *

E, pra complementar esta postagem, vamos transcrever uma notícia fresquinha:

Relatório da Arko Advice divulgado há pouco a seus clientes diz que não há dúvida de que a escolha de Sergio Moro para o Ministério da Justiça “tem excepcional e positiva repercussão junto ao eleitorado de Jair Bolsonaro e para o seu governo de modo geral”.

Os analistas elencam os motivos para a euforia:

— Cria expectativas de duro combate à corrupção sistêmica no país;

— Dá a esperança de que a mesma eficiência de Moro na Lava Jato possa ser expandida para a segurança pública;

— Neutraliza parte das críticas da imprensa – que apoiou a Lava-Jato – a Jair Bolsonaro;

— Serve como endosso à comunidade internacional – que sempre aplaudiu Sergio Moro – acerca das intenções do governo Bolsonaro;

— É um recado do presidente eleito para o mundo político de que não irá tolerar corrupção nem negociatas.

O MATUTO NO CINEMA

1 novembro 2018 CHARGES

SPONHOLZ

1 novembro 2018 DEU NO JORNAL

A DECÊNCIA VAI VOLTAR AO BRASIL


© 2007 - 2018 Jornal da Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa