BISPO BERNARDO – MACEIÓ-AL

Piedoso Pastor,

a notícia da bolada recebida pela Vossa Santidade já chegou aos ouvidos da madre superiora da Ordem das Dadivosas Cedentes, que está passando por grandes aflições financeiras.

Nem um chinelo para protejer os pés elas podem comprar, como comprovado na foto em anexo. Qualquer doação será muito bem vinda e de grande valia.

Um abração do Bispo

R. Não deixe de me mandar o número e a agência de sua conta corrente. Eu vou fazer a doação através de você. Sei que o dinheiro chegará sem falta às mãos da pobre madre.

madre.jpg

15 maio 2008 A PALAVRA DO EDITOR

MEGA SENA

Desde o momento em que circulou a notícia de que uma aposta feita em Palmares acertou sozinha as seis dezenas sorteadas no concurso 969 da Mega-Sena, que os telefones aqui da redação do JBF não param de tocar. O correio também esta congestionado. Os candidatos a doação estão aparecendo nos quatro cantos do Brasil.

O prêmio é de quase 22 milhões de reais.

Só mais tarde, quando eu me livrar desta correria, vou poder atualizar o JBF.

Aguardem

14 maio 2008 DEU NO JORNAL

A POLÍTICA AMBIENTAL DO GOVERNO LULA

Fábio Feldmann

Recebo a notícia de que a Ministra Marina Silva pediu em caráter irretratável demissão do cargo de Ministra do Meio Ambiente.

Meu sentimento é ambíguo: de um lado, um certo alívio pelo fato de que inequivocamente o governo Lula sempre demonstrou grande ambigüidade em seu compromisso com o meio ambiente e o Desenvolvimento Sustentável. No caso do desmatamento da Amazônia, sua posição mostrou sempre enorme plasticidade a depender do público ouvinte.

Clique aqui e leia este artigo completo »

14 maio 2008 DEU NO JORNAL

A DIGNIDADE NÃO CONVIVE COM A LAMA

“Conheço Marina Silva há uns 20 anos, sempre em campos opostos – mas sempre respeitei (e fiz questão de deixar isso bem claro para meus companheiros) a dignidade e a decência dessa mulher fantástica. Hoje, essa admiração cresce ainda mais quando vejo Lula indignado porque ela pediu demissão, farta de ser humilhada, escanteada pelos áulicos palacianos e pelos inter$$e$ econômico$ empenhados em devastar a Amazônia.

Ora, o que Lula queria? Que ela esperasse até ser demitida pelo telefone, como Cristóvão? Ou ser acusada de “conivente” com a turma do pasto e da motosserra, hoje reforçada pelos “heróis” do álcool? A história de Marina Silva é a história de quem lutou por cada minuto de vida que já teve – e, por isso, respeita sua própria biografia e o tempo que Deus lhe proporcionou, procurando merecer os caminhos que ainda vai trilhar.” (Mario Nelson Duarte)

* * *

Uma miudinha gigante como Marina não poderia mesmo viver no meio destes anões. Um caráter do tamanho do caráter de Marina não poderia mesmo ter como chefe um pândego capadócio como Lula.

Demorou pra pedir demissão.

DOIS POETAS E UM CORDEL

Dedé Monteiro

Uma cruz, uma história e uma estrada

Uma cruz faz lembrar o Rei da Glória
Trucidado por nossa incompetência
Uma história relembra uma existência
Com momentos de perda e de vitória
Uma estrada que além da própria história
Conta a vida da gente antepassada
Por quem passa precisa ser lembrada
Pois a estrada é a mãe do movimento
Não merecem ficar no esquecimento
Uma cruz, uma história e uma estrada

* * *

Zezo Correia Patriota

A vida de um passarinho

Canta a cauã com agouro
Em cima de uma aroeira.
No ninho da quixabeira,
Canta a casaca-de-couro.
Eu admiro é um louro
Lá no oco apertadinho
Dentro criar um filhinho
Com tanta satisfação
Causando admiração
A vida de um passarinho.

Vê-se um maracanã
Rasgando espiga de milho
Pra dar comer a seu filho
Todo dia de manhã.
Também vejo a ribaçã
Pôr pelo chão sem ter ninho
Deixar o ovo sozinho
Depois tirar sem gorar
Isso faz admirar
A vida de um passarinho.

* * *

Clique logo abaixo e leia o cordel “A Chegada da Prostituta no Céu” de J.Borges

Clique aqui e leia este artigo completo »

CARDEAL LEONARDO LEÃO – RECIFE-PE

Santidade,

O poema abaixo chama-se hipocrisia, mas bem que poderia chamar “O Cu é Dele”.

É muita frescura por conta de uma coisa absolutamente privada. O Fofômeno já virou figura carimbada nos programas de TV. Hoje foi no Ana Maria Brega.

É um saco essa preocupação inútil com a vida dos outros, em especial no que não diz respeito a ninguém senão o próprio outro!

Hipocrisia
Para Ronaldo Fenômeno

Fogueiras hasteadas.
Da caixa de guerra ecoa o suspense.
Suspenso entre letras, fotos, charges
e sentenças hipócritas
a vítima balança a corda,
condenado ao degredo do desdém público,
entre púbis insaciados
e ânus, há anos,
invacuando pênis.
De que vale tanto saber
se a fé imprensa a idiotice
no caminho da nossa própria vida.

ERASMO SOUTO CAMILO – RECIFE-PE

Eu posso até deixar de comer rapadura.

Deixar de ler o JBF jamais…

R. O nosso Departamento Comercial está negociando junto ao órgão competente do governo federal a substituição da rapadura pelo JBF na merenda escolar da meninada da Nação Nordestina. Apesar da propina exagerada que o petralha responsável está pedindo, acho que teremos sucesso no final.

MONSENHOR PEDRO MALTA – RIO DE JANEIRO-RJ

Estimado Berto,

Vê se dá para publicar.

Fraterno abraço

R. Dá pra publicar, sim, meu caro Monsenhor.

E eu gostaria de fazer um pequeno comentário:

Você informa que o autor deste soneto, Flavio Figueiredo Jorge de Souza, era um jovem cadete naquele longínquo janeiro de 1955. Ou seja, um cabra na casa dos 18, 19 ou mesmo 20 e poucos anos e que já – dados os devidos descontos – dominava a língua com uma maestria como absolutamente não se vê entre os jovens de hoje em dia.

A emburrecedora “Pedagogia do Oprimido”, que mediocrizou (e continua mediocrizando) a juventude brasileira, conduziu a este desastre que todos nós conhecemos.

Confiram:

Papéis velhos

Papéis velhos…Lembranças fugidias
Emergindo do tempo e do mistério.
Indecisas visões de muitos dias
Soterradas num triste cemitério…

Relembram quase sempre as alegrias
Fugazes. E na mala de ar funéreo
Inspiram, no presente, as nostalgias
E lançam n’alma um meditar sidéreo…

Papéis velhos… sorrisos relembrados
Soluços esgarçantes, mal traçados,
Tristezas doloridas… doces áis..

Oh! Única verdade deste mundo,
Miserável verdade, mar profundo:
O tempo que se foi não volta mais…!!!

PATRÍCIA BERTO – BELÉM DO PARÁ-PA

Não foi só o Papa que o Nobre Cardeal Natan conseguiu transportar a um tempo arretado. Eu também relembrei com saudade o tempo no qual o Papa era o Professor Berto.

Cabra novo, uns 27 anos, um meninão que usava barba e entrava em sala de aula vestindo um macacão jeans e com um apito de madeira pendurado no pescoço, com o qual fazia um barulho danado, mantendo o ambiente alegre e os alunos antenados.

Ainda hoje quando encontro com algum ex-aluno do Papa, escuto um comentário mais ou menos assim: “Aquele sim é um professor danado de bom, o único que me fez entender o raio da matemática”.

Eu também, por diversas vezes, não só desvendei os segredos da matemática com o Papa Professor, como me safei da recuperação, graças às aulas por ele dadas com paciência.

Aulas de matemática, Natanael, Lourival Bandeira, Tira-Teima, os irmãos Jefferson e acrescento ainda o Trio Siridó, são nomes que remetem a minha infância e consequentemente ao meu pai, me fazendo recordar um tempo muito bom de nossas vidas.

Como bem colocou o Papa, são gratas recordações.

R. Minha filhota querida, desse jeito você mata o veio!

Continue dando o exemplo: a família que puxa unida, permanece unida.

Um beijão do teu papa, quer dizer, do teu pai.

14 maio 2008 A PALAVRA DO EDITOR

TÁ RENDENDO..

Ainda a propósito da festa de aniversário de Júnior do Bode, comemorada com um banquete onde estavam presentes todos os bichos defendidos pelos órgãos de preservação ambiental, recebi do Poeta Dedé Monteiro os improvisos abaixo reproduzidos.

É um privilégio testemunhar uma arenga deste nível.

Meu abraço fraternal,
Prezado BODE de fama!
Mas saiba que existe IBAMA,
JOSELITO e FEDERAL…
Faça lá seu recital,
Beba lá sua bicada,
Mas respeite a passarada,
Pra não passa por desgosto
E, em vez de outro tira-gosto,
Coma velame e mais nada…

Deixe a “ribaçã” de lado,
Troque o preá pelo queijo,
Que o EMPÓRIO SERTANEJO
Pode ser penalizado…
Matar cutia é pecado,
Mocó, tatu, peba, enfim…
Ou você atende a mim
E esquece essa coisa feia,
Ou vai morar na cadeia
Pra não pecar tanto assim…

A CASA DO SENADOR

Eu estava na ativa do Exército, servia no 20º Batalhão de Caçadores em Maceió, quando conheci o então soldado Benevides. Baixinho, magro, risonho. Foi fácil tornarmos amigos, ele é do tipo afável, comunicativo, tem prazer em servir aos outros. Num português mais claro, Bené era o maior puxa-saco do quartel. Sabia chaleirar com dignidade.

Ao dar baixa do Exército, pediu-me para arranjar-lhe um emprego. Benevides além de discreto era bom de serviço, cuidadoso motorista.

Clique aqui e leia este artigo completo »

GUILHERME – RECIFE-PE

Se você não fosse preconceituoso e não demonstrase partidarismo, esse site com certeza teria mais leitores.

De qualquer forma, tirando a parte política, você está de parabéns.

Obs: Não é preciso ser petista pra constatar isso.

R. Eu acho muito pouco provável que uma droga como este JBF possa ter mais leitores. Só mesmo quem não tem mais absolutamente nada pra se ocupar nesta vida é que pode dedicar alguma atenção a uma merda destas.

Muito grato mesmo pela sua participação.

E aproveite as páginas democráticas e sem preconceitos do Jornal da Besta para combater o meu preconceito e o meu partidarismo. Fique à vontade. A gente publica tudo.

Brigadão mesmo pelos parabéns, pela audiência e por ter promovido este pobre sítio a site.

14 maio 2008 A PALAVRA DO EDITOR

JBF – MANUAL DE USO

Existe nesta gazeta da bixiga lixa (como existe em tudo quanto é blogue) um recurso que permite ao leitor fazer comentários sobre cada matéria publicada.

É um espaço de opinião e de debates, assim como se fosse uma assembléia onde cada um pudesse dar o seu pitaco.

Cada comentário é específico para uma matéria específica.

E tem mais: os comentários são publicados de imediato e não passam por censura prévia.

Acontece que tem gente se utilizando deste recurso para me mandar mensagens, ou mensagens para o jornal, sem ter nada a ver com a matéria na qual ela clicou “Comentar”.

Quem quiser mandar correspondência, para este editor ou para publilcação na seção de cartas, por favor, utilize o recurso “Escreva para o JBF” lá no alto da página.

Um último aviso: toda vez que você abrir o JFB, habitue-se a dar uma rápida repassada nas últimas páginas publicadas, mesmo aquelas que você já leu, apenas para checar se foi postado algum comentário novo.

Grato.

13 maio 2008 A PALAVRA DO EDITOR

COM UMA BACURINHA NA CABEÇA

Transcrevo aqui o trecho de uma matéria que li sobre Ronaldo Trocador de Bolas na semana passada:

“Eleito por três vezes o melhor do mundo, ganhador de duas Copas e dono de um patrimônio de 250 milhões de dólares, Ronaldo, o “Fenômeno”, é o mais bem-sucedido jogador de futebol da atualidade. Aos 31 anos de idade e dezessete de carreira, tornou-se uma celebridade global. Uma pesquisa feita pouco antes da Copa do Japão, ganha por ele para o Brasil, dava-o como o “ser humano mais conhecido do planeta”. Mais recentemente, em outra pesquisa realizada por uma empresa de consultoria alemã, seu rosto aparece entre os três mais conhecidos do mundo.”

Com toda esta fortuna e todo este peso de celebridade mundial, o cabra se prestou a sair de madrugada catando viados pra levar prum motel de segunda categoria. Poderia, naquele final de noite, ter entrado nas melhores casas noturnas do Rio de Janeiro e ter levado pra cama, de graça, um time com as mais gostosas cariocas. Ia ter fila de putas pra ficar com ele.

Como é possível uma coisa assim?

Freud explica e Otacílio exemplifica.

Eu vou dar uma de profeta do passado e afirmo que não fiquei surpreendido com este escândalo do “fenômeno”. Desde que este sujeito teve a coragem de se mostrar ao público com aquela buceta capilar durante a Copa do Mundo que eu tive a certeza de que ele só tinha merda na cabeça.

Nasceu na merda, tem a cabeça cheia de merda e vai morrer pensando pequeno e rodeado de merda.

Eu poderia completar: e socando merda.

Ganhou o mundo mas não ganhou sabedoria.

O povo é sábio quando cria os seus ditados:

“Quem nasceu pra vintém, nunca chega a tostão”.

Um tabacudo que faz um corte de cabelo daquele jeito, pode brilhar no universo inteiro mas nunca vai sair do subúrbio onde nasceu. No péssimo sentido, claro.

cabelo-de-ronaldo-2.jpg

Um idiota carregando uma priquita na cabeça

13 maio 2008 DEU NO JORNAL

MAIS SACANAGEM

“Quero cumprimentar o companheiro Mariano Palma Vilaça, diretor do Conselho Fiscal do sindicato, que brigava tanto para que as notas do sindicato estivessem em dia. Brigava tanto que me obrigou a instituir as diárias do sindicato, coisa que eu quero fazer para acabar com a sacanagem”, afirmou o presidente citando um ex-dirigente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo quando Lula presidia a instituição.

auto_cleriston.jpg

13 maio 2008 A PALAVRA DO EDITOR

TÁ LÁ UM CORPO ESTENDIDO NO CHÃO..

Já tem algum tempo que eu fiz aqui um comentário sobre banalização da violência.

Contei a história de um sujeito que assaltou uma kombi-lotação, na cidade de Jaboatão dos Guararapes, fez a feira com o dinheiro e os pertences dos passageiros, mandou todo mundo desembarcar e ordenou que o motorista o levasse em casa. O próprio bandido saiu dando a indicação do caminho: “Entre aqui, dobre ali”.

A kombi parou em frente à casa, ele desembarcou, deu boa noite e entrou.

Quando o motorista voltou acompanhado da polícia, alguns minutos depois, o cabra estava confortavelmente deitado no sofá assistindo a novela das 8.

Isto sim, dizia eu então, é que é banaliação da violência.

Mas a história que vou contar agora não tem nada de engraçada.

Na verdade, não vou contar uma história.

Vou apenas reproduzir uma foto que foi publicada nas páginas policiais dos jornais aqui do Recife, retratando o corpo de um jovem assassinado, cercado por vários outros jovens vivos. O flagrante foi feito no Coque, uma das áreas mais violentas desta capital.

A imagem diz tudo:

corpo-no-coque.jpg

13 maio 2008 DEU NO JORNAL

NO NINHO CERTO

Já tem gente maldosa achando que José Agripino (DEM-RN) “ajudou” a ministra Dilma Rousseff, no Senado, porque estaria a caminho do PT.

* * *

Eu já cantei esta pedra aqui no JBF. Pela jumentalidade com que este fanhoso se portou, ele tem todas as ferramentas para se tornar petista.

LUIZA SANTOS – RECIFE-PE

Santíssimo Papa,

A roupa que SS. tá na foto é a farda da Tamarineira ou dos loucos inspirados da ICAS?

Gostei do modelito! O SENHOR empresta? Para quando eu quiser sair fantasiada de doida não sair pelaDona.

R. Bem que eu tentei, mas não consegui o privilégio de confeccionar um modelito que chegasse pelo menos perto daquele usado pelos doidos da Tamarineira.

Eu saio todo ano no Bloco da Folia, o cordão dos internos do hospital, que vai vai às ruas na quinta-feira da semana pré. Mas esta foto foi feita durante o desfile da Troça da Besta Fubana, cujo ponto de largada era em frente ao Bar Largura, na Casa Forte.

Eu acho que você deveria sair de Doida Peladona, sem dar ouvidos às futricas do povo. Aqui na ICAS a nudez nunca é castigada.

modelito.jpg

Papa Berto I, em foto de Paulo Carvalho, no comando da Troça da Besta Fubana

13 maio 2008 DEU NO JORNAL

NÃO HAVERIA PENITENCIÁRIA PARA TODOS

População penitenciária cresceu 13,4% em um ano.

* * *

Imaginem se um dia fossem condenados os aloprados, os carregadores de dólares na cueca, os fabricantes de dossiê e a petralha que se locupleta com a farra de dinheiro dado às ONGs.

Este percentual, seguramente, iria passar dos 250%

CARDEAL NATAN – BRASÍLIA-DF

O SENTIMENTO ABOLICIONISTA

Prezado Papa da ICAS,

Hoje é dia de todos lembrarem da Princesa Isabel, reverenciá-la etc.

Também há os que lembram dos grandes abolicionistas, entre os quais Castro Alves, José do Patrocínio, Joaquim Nabuco, Rui Barbosa e outros tão importantes quanto esses. Há quem lembre também do Eusébio de Queirós e do deputado Jerônimo Sodré.

Mas quase ninguém lembra do Ceará, que aboliu a escravatura em 1884 e da cidade de Mossoró, no Rio Grande do Norte, que já havia adotado a mesma medida, em 1883, cabendo a ela, portanto, o pioneirismo na libertação dos negros cativos.

Mas o grande pioneiro foi José Bonifácio de Andrade e Silva, em representações enviadas à Assembléia Constituinte e Legislativa do Império, entre 1823 a 1825, com críticas ao sistema escravista então vigorante.

Zumbi , em Em 1680, com 25 anos de idade, torna-se líder do quilombo dos Palmares, comandando a resistência contra as tropas do governo. Na época em que Zumbi (o guerrilheiro nasceu no estado de Alagoas no ano de 1655) era líder, o Quilombo dos Palmares alcançou uma população de aproximadamente trinta mil habitantes. Ele e seus antessessores pretendiam criar uma República Livre e não libertar todos os escravos do Brasil.

NO MEU ENTENDER, O GRANDE ABOLICIONISTA FOI JOSÉ BONIFÁCIO, EM 1823…

13 maio 2008 DEU NO JORNAL

PREDESTINADO

Na nova edição da revista Rolling Stone, Ney Matogrosso revela como descobriu o homossexualismo: “Ao me confessar para fazer a primeira comunhão, o padre perguntou: ‘Você já fez saliências com as meninas?’. Eu disse que não e ele emendou: ‘E com meninos?’. Então me perguntei: e pode?”.

* * *

Quando o sujeito nasce predestinado a gostar de bilôla, qualquer pretexto é válido para a doação do orifício pecaminoso.

CARDEAL ZELITO NUNES – RECIFE-PE

ZÉ VICENTE NO CÉU

ZÉ VICENTE CHEGOU NO PARAÍSO
FOI DIRETO PRA CASA DE CANCÃO
QUE NUM ABRAÇO LHE DISSE MEU IRMÃO
VOCÊ TROUXE FARINHA E RAPADURA?
CANTE UM VERSO QUE FALE DA NATURA
DE UM CANÁRIO VOANDO NA AMPLIDÃO
QUE EU LHE FALO DO AMOR DA VIRGEM PURA
E A SAUDADE QUE EU SINTO DO SERTÃO

DEDÉ MONTEIRO – TABIRA-PE

Zé Vicente no céu

Preto da cor da saudade,
José Vicente encantou-se,
Deixando intranqüilidade
Nos sertões que apresentou-se.

O vate da Paraíba
Deixa os mesmos desenganos
Que vai deixar João Furiba
Daqui a 110 anos…

R. Bonito poeta!

12 maio 2008 DEU NO JORNAL

PERGUNTAR NÃO OFENDE

A revista The Economist comenta que o Brasil conseguiu “finalmente” alcançar sua nota “tão esperada” (investment grade) da Standart & Poors e acredita que o país continue crescendo cerca de 4% ao ano.

* * *

Será que teríamos conseguido este tal investment grade se tivessem vingado as teses jurássico-econômicas que o PT pregava no passado?

Respostas aqui pro JBF.

ROBERTO VIEIRA – CAMARAGIBE-PE

Caro amigo,

Uma breve reflexão sobre o tempo e a história.

A liberdade é sócia dos arquivos.

Grande abraço,

Roberto Vieira

R. Os leitores que quiserem ler uma esclarecedora crônica política sobre Miguel Arraes, cliquem logo abaixo.

Clique aqui e leia este artigo completo »

12 maio 2008 A PALAVRA DO EDITOR

DANE-SE !

No último final de semana expedi uma mensagem-circular para os 784 leitores cadastrados nos arquivos do Jornal da Besta. O número de leitores não cadastrados é infinitamente maior que este.

A mensagem pedia que quem não mais quisesse receber comunicados do JBF e desejasse sair da nossa lista, que mandasse uma mensagem de retorno com o Assunto DANE-SE.

Para minha enorme surpresa, apenas dois leitores pediram para não mais receber as baboseiras que costumo despachar regularmente.

Ambos haviam sido indicados por leitores mais antigos.

Pelo contrário, houve uma chuva de dezenas de mensagens de solidariedade e de parabéns.

Êita povo besta que só a gôta…

Selecionei apenas algumas ao acaso para publicar aqui:

Vou responder de outro jeito: AI DI TI CABRA DISPACHADO E DOIDO, SE DEIXARES DE ME ENVIAR AS IMBECIBILIDADES ,MAIS CRIATIVAS DO JBF. IREI NO RICIFI TE DEGOLAR COM UMA FOIA DE MANDIOCA VISSE? FORTE ABRAÇO MEU IRMÃO DE ARTE,ESTRADAS,BOLODORIOS E ETC…- Carlos Silva

* * *

Luiz Berto

continue mandando as suas notícias. Eu envio para você um grande abraço e desejo-lhe um final de semana alegre.

Lourdes

* * *

Você nunca será abandonado. Já cativou milhões de fiéis. Estamos aqui agora e sempre prontos para aprender contigo.

Você é lido cedo, a tarde e a noite.

Os amigos vivem em nosso coração eternamente….

Roserlei

* * *

Quero expressar ao amigo sobre o meu encantamento em me tornar leitor assíduo do jornal da besta.

Reginaldo José de Oliveira

* * *

 

Dane-se quem não quiser! Que se foda.

 

Espero continuar recebendo os avisos.

Raimundo Floriano

* * *

Ao contrário, mestre Berto.

Quero sim continuar recebendo.

Abraço amigo

José Paulo Cavalcanti Filho

O ANÚNCIO DO CRIME

Os três principais jornais do Recife publicaram, ontem, assinado pelo governo pernambucano, anúncio que enaltece os, conceda-se, avanços no combate à criminalidade. Em página inteira, o apelo principal afirma que Pernambuco começa a vencer a violência e, em seguida, o subtítulo aduz que Pela primeira vez, nos últimos anos, diminui o número de homicídios no estado.

Clique aqui e leia este artigo completo »

DOIS IMPROVISOS E UM CORDEL

Manoel Filó

Numa cerca de aveloz
Depois do sol amparado
O vaga-lume assustado
Fica testando os faróis
Os pescadores de anzóis
Embocam na água fria
Ficam naquela agonia
Se uma piaba belisca
Termina roubando a isca
Depois da morte do dia.


Manoel Francisco

Eu me embriaguei num bar
E não quis pagar a conta
O dono meteu-me a faca
Quando eu vi da bicha a ponta
Mijei sem tá com vontade
Caguei sem ter merda pronta.

Clique logo abaixo e leia um cordel de Antonio Francisco
Clique aqui e leia este artigo completo »

BISPO BERNARDO – MACEIÓ-AL

Mestre Papa,

vão daqui o últimos improvisos do vosso presidente, encharcado de etanol, e, empolgado com os aplausos de puxa-sacos escolhidos a dedo.

Desbancou as famosas “pérolas” do Enem.

R. Minino, tu abre o olho que a gente tá vivendo uma época de glamurização da burrice e de endeusamento dos disparates. Tu tá correndo o risco de ser satanizado pelas zisquerdas bem pensantes deste país. Eles vão sacar do bolso a acusação padrão: “Preconceituoso”.

Se quem bem que, ser satanizado por este tipo de gente, é atestado de qualidade…

E vamos às últimas pérolas presidenciais que você nos mandou

“O futuro será melhor amanhã”

“Eu gostaria de ter estudado latim. Assim poderia me comunicar melhor com o povo da América Latina”

“A grande maioria de nossas importações vêm de fora”.

“Se não tivermos sucesso, corremoso risco de fracassarmos”.

“O holocausto foi um período obsceno na história de nossa nação; quer dizer, na história deste século. Mas todos vivemos neste século. Eu não vivi neste século”.

“Nós temos um compromisso com a Otan. Nós fazemos parte da Otan. Nós temos um firme compromisso com a Europa. Nós fazemos parte da Europa”.

“Um número baixo de votantes é uma indicação de que menos pessoas estão a votar”.

“Não é a poluição que está prejudicando o meio ambiente. São as impurezas no ar e na água, que fazem isto”.

“Para a Nasa o espaço ainda é alta prioridade”

“O que o nosso companheiro Delúbio fez todo mundo faz. Não se pode condenar só o Renan”.

” É tempo para a raça humana entrar no sistema solar”.

Fonte: Jornal Extra Alagoas
www.novoextra.com.br

ANA CRISTINA LASKOS – FLORIANÓPOLIS-SC

Saiu o mais novo slogan governista:

“Ela é Dilmais!!”

Criado durante o depoimento de Dilma Rousseff.

R. A ministra não apenas se saiu bem durante o seu depoimento, como também soube tirar um bom proveito da falta de tato do fanhoso Agripino Maia.

Particularmente eu achei ótimo o brilhante desempenho que ela teve no Senado. Acho o cúmulo de falta de caráter alguém se valer de uma tema hediondo como a tortura para querer tirar proveito político. Mas, felizmente, o tiro saiu pela culatra e o idiota teve o castigo merecido. Passou por burro e idiota perante o Brasil inteiro.

O sujeito foi tão tapado e inábil que merecia se transferir para o PT.

flavio.jpg

12 maio 2008 DEU NO JORNAL

QUADRILHEIROS SE ENTENDEM

De todo o palavrório despejado, nas últimas horas, pelo deputado Paulinho Pereira da Silva, que poderá ser denunciado por envolvimento em operações irregulares no BNDES, uma frase ficou no ar, provocando mais do que espanto: “Vocês acham que eu, presidente da Força Sindical, com 10 milhões de trabalhadores, precisaria de R$ 300 mil?”.

* * *

Este cabra safado, com esta declaração, escancarou de vez a lama e a gatunagem da vida sindical. Fica implícito que o Presidente da Força Sindical não precisa de 300 mil e que esta quantia é fichinha para quem manipula milhões e milhões de reais. Agora tá explicado porque esta quadrilha lutou tanto para não ser fiscalizada nas verbas públicas que recebe e, também, porque festejaram tanto quando o parceiro Lula vetou o artigo da lei que estabelecia tal fiscalização.

MONSENHOR PEDRO MALTA – RIO DE JANEIRO-RJ

Bacamarte da Fé,

Votos sinceros de um pronto e completo restabelecimento, para alegria de todos os fiéis da ICAS e uma carrada de leitores dessa gazeta da bixiga lixa.

R. Usando minhas atribuições de “bacamarte” dei um tiro da bixiga lixa na tal de virose e já estou pronto pra outra!

Grato pela força, meu querido Monsenhor.

ZÉ LIMOEIRO – RECIFE-PE

Santidade do pau ôco.

Reverências, sim, ao que as merece.

Mas este soneto, “O Mundo do Sertão”, do nosso Ariano, pô santidade, é muito ruím e, além disso, remete descaradamente ao inesquecível Carlos Pena. Este, por nenhum modo delirava e, por ele, o pardo despencaria dessa cornija e nem pintaria de azul a asma apenas pra roubar-lhe o fog que sufoca e ser diferente!

Acham, no entanto, os eternos abestados, que, parida uma obra de gênio tal “Morte e Vida Severina” o foi e é, tudo o mais que venha desse autor deve ter igual marca. Não a tem e nem ousem dizê-lo, por favor.

Resumo, pois, o que indevidamente se alonga:

A velha Taperoá,
Etimologia dada,
É taba desabitada.
Portanto quem nasceu lá
Não é qual quem nasceu cá,
Só pode ser um fantasma,
Tecedura de ectoplasma
Que atreveu-se ao soneto
Como cria bode preto
Com bodum que não se emplasma!

É o Zé Limoeiro.

R. Tenha paciência e seja benevolente comigo, por favor. Pelo menos está acabada aquela fase em que o JBF, em nome da democracia, publicava tudo quanto era poesia-merda deste mundo.

Daqui pra frente as poesias-merdas serão publicadas em “Correspondência Recebida” pra que todos saibam quem foi que obrou a jeguice. Ou, então, dentro de cada coluna. E aí o titular da mesma é que vai assumir a responsabilidade pela merda que perpetrou.

Quando nada, a poesia-merda fornece farto material para a coletânea que estou organizando sob o título de “100 Obras Primas da Poesia Ruim”.

Quanto àquela mania citada por você, de se achar que é de gênio tudo que vem de quem um dia escreveu algo de gênio, pode dormir sem sustos que eu estou vacinado contra isto. Na verdade, eu estou vacinado contra todas as unanimidades, quer sejam poéticas, quer sejam políticas.

Veja só: o mundo todo acha que tudo que foi escrito por Carlos Drumond é coisa de gênio. Na minha cabeça, aquela história de “No meio do caminho havia uma pedra…” é uma seriíssima candidata a abrir minha coletânea de posias ruins.

12 maio 2008 A PALAVRA DO EDITOR

CADÊ AS PUTAS???!!!

Entrevistada na TV em um baile de Carnaval carioca, Regina Casé se espantou: “Pô, aqui todo mundo é atriz-modelo-manequim. E as piranhas, onde estão as piranhas?”. O baile político está bem parecido. Todo mundo quer dançar com o governo, de Maluf e Collor à extrema esquerda do PT, revertendo a clássica piada anarquista dos anos 60 para “hay gobierno? Soy a favor!”.

* * *

Só mesmo as toupeiras cegas não enxergam o balaio-de-gatos em que se transformou o atual governo. Com a aprovação explícita do Presidente Lula. E era pra ser um governo sério e ideológico…

JORGE FILÓ – RECIFE-PE

O poeta Zé Vicente, na foto com Louro do Pajeú, viajou fora do combinado nesta sexta-feira última passada. O poeta estava hospitalizado a dias na cidade de Bezerros, e teve seu descanso merecido. Zé Vicente foi e sempre será um ícone no universo dos repentistas.

O que prende demais minha atenção
É um touro raivoso numa arena
Uma pulga do jeito que é pequena
Dominar a bravura do leão
Na picada ele muda a posição
Pra coçar-se depressa com certeza
Não se serve da unha nem da presa
Se levanta da cama e fica em pé
Tudo isso provando quanto é
Poderosa e suprema a natureza

Admiro demais o beija-flor
Que com medo da cobra inimiga
Só constrói o seu ninho na urtiga
Recebendo lição do Criador
Observo a coragem do condor
Que nos montes rochosos come presa
Urubu empregado na limpeza
Como é triste a vida do abutre
Quando encontra um morto é que se nutre
Quanto é grande e suprema a natureza

Não há pedra igualmente ao diamante
Nem metal tão querido quanto o ouro
Não existe tristeza como o choro
Nem reflexo igual ao de um brilhante
Nem comédia maior que a de Dante
Nem existe acusado sem defesa
Nem pecado maior que avareza
Nem altura igual ao firmamento
Nem veloz igualmente ao pensamento
Nem há grande igualmente à natureza

zevicenteelouro.jpg

Zé Vicente cantando com Louro do Pajeú em foto de Paulo Carvalho

11 maio 2008 A PALAVRA DO EDITOR

CACHORRA

Hoje, um domingo bonito e de sol, eu amanheci com febre, frio e dor de cabeça.

Ou seja, pra virar uma cachorra só falta mesmo duas carreiras de peitos.

Tô indo no doutor agora e o Jornal da Besta Fubana fica pra depois.

Tem uma monte de matéria pra postar.

Tenham paciência…

 

CARDEAL MECA MORENO – RECIFE-PE

ZÉ VICENTE DA PARAÍBA

Zé Vicente partiu para outro plano
Lá de cima já está a nos olhar
Com o pinho no peito a dedilhar
Lá no céu chega então mais um decano
Pra cantar e animar santo e humano
Promover união e alegria
Cantador tem na alma a valentia
E o pendor que é seu por uma festa
E rezar para Deus é o que mais resta
Digo adeus meu poeta até outro dia

R. Hoje é um dia de luto.

HARDY GUEDES – NATAL-RN

Olá, Berto,

Infelizmente, hoje o jornalista, advogado e ex-senador Artur da Távola faleceu.

Era um batalhador pela cultura, especialmente pela música clássica. Na TV Senado apresentava um excelente programa chamado QUEM TEM MEDO DE MÚSICA CLÁSSICA? que eu assistia todos os domingos. Além da qualidade da programação, a sua participação era extremamente didática e inteligente.

Uma grande perda!

R. Não há como negar: uma grande perda. O que eu mais admirava em Paulo Alberto Moretzsohn Monteiro de Barros, nome verdadeiro de Artur da Távola, era sua sensibilidade pelas coisas de arte, se deslocando com desenvoltura pela prosa, poesia, música e artes plástica.

Fora o fato de que era um cavalheiro, um sujeito educado e que, apesar da militância política, deixou um nome honrado e sem qualquer envolvimento nos mal feitos que estamos habituados a ver nos nossos homens públicos. Só este fato já bastaria para diferençá-lo.

 

Um Poema de Artur da Távola

Tempo

Hoje eu sou poesia,
Pedaço de nuvem
Nas mãos do teu dia.
Eu sou amargura,
Espaço de espanto
Num céu de loucura.

Hoje eu quero ser jardim,
Temporada de espanto
No sorriso de teu sim.

Agora vai ser a vez
Da esperança sem lança,
Da amizade sem força,
Do afago sem sexo,
Do sexo sem falsa noção de esmagar.
Chegou o tempo
De ser
E amar.

fausto2.jpg

CONHECIMENTO E SABEDORIA OU RECONHECENDO UM FDP (DOIS, COM O MESTRE)!

(Da Série: Histórias Recontadas)

Dois discípulos procuraram um mestre para saber a diferença entre conhecimento e sabedoria.

O mestre disse-lhes:

– Amanhã, bem cedo, coloquem dentro dos sapatos vinte grãos de feijão, dez em cada pé.

Subam, em seguida, o monte que se encontra junto a esta aldeia, até o ponto mais elevado, com os grãos dentro dos sapatos.

No dia seguinte os jovens discípulos começaram a subir o monte. Lá pela metade um deles estava padecendo de grande sofrimento: seus pés estavam doloridos e ele reclamava muito.

O outro subia naturalmente a montanha.

Quando chegaram ao topo, um estava com o semblante marcado pela dor; o outro, sorridente.

Então, o que mais sofrera durante a subida perguntou ao colega:

– Como você conseguiu realizar a tarefa do mestre com alegria, enquanto para mim foi uma verdadeira tortura?

O companheiro respondeu:

– Meu caro colega, ontem à noite cozinhei os vinte grãos de feijão.

Ao que o outro retrucou:

– Filho de uma puta!

CARDEAL ZELITO NUNES – RECIFE-PE

“Amigo José Vicente
Muito prazer em revê-lo
Gordo como uma lontra
Redondo como um novelo
Quando eu vejo um negro assim
Minha vontade é comê-lo”
(Pinto)

COMO É GRANDE E BONITA A NATUREZA…

Grande e bonita foi a natureza do negão Zé Vicente, que pegou um trem, rumo ao infinito , ontem às sete e trinta da noite, na estação de Bezerros.

Quem estava lá, diz que o poeta só levava uma viola nas costas e um sorriso de esperança nos lábios, tudo o que amealhou nos seus oitenta e seis anos de peleja.

Grande e bonito, foi o seu olhar para o mundo.

Grande e bonita, foi a sua generosidade para com a sua gente.

Grande e bonita, foi a sua poesia.

Simples , modesto e gentil, já deve estar procurando um lugarzinho lá no céu, pra pendurar a sua viola.

A essa altura , já tem gente lá em cima ,rindo com as suas histórias.

Já tem gente aplaudindo os seus versos, plenos de Sertões , de Nordestes e Brasis.

O céu , acaba de receber um cidadão do mundo , um poeta do povo, um cantador de viola .

O cantador ZÉ VICENTE DA PARAÍBA, pede a palavra no céu.

Vai em paz , negão.

A tua natureza foi sim, grande e bonita…

R. Zé Vicente era pai do nosso colunista Wellington Vicente, que herdou o talento e a genialidade do genitor nas artes da Poesia e do Improviso.

Encantou-se ontem de noite e deixou um vazio arretado na Nação Nordestina.

zevicentezelitofuriba.jpg

Zé Vicente, Zelito e João Furiba


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa