BERTRANDO BERNARDINO – RECIFE-PE

Ilustre “vendicius fumis”, como se intitula,

comunico o lançamento da 4a edição do Minidicionário de Pernambuqueês, com quase 2.000 vocábulos.

Abraços

R. Vôte!

Que bixiga vem a ser “vendicius fumis“???!!!

Nunca me intitulei disso, que eu me alembre. A menos que estivesse de porre…

Vou consultar este teu arretadíssimo dicionário de pernambuquês pra ver se acho uma resposta.

Parabéns pela 4ª edição, pro autor e pra Bagaço, duas potências da Nação Nordestina. Sucesso pra ambos!

Minidicionário de Pernambuquês_4a Edição...

23 julho 2013 FULEIRAGEM

SINFRÔNIO – DIÁRIO DO NORDESTE

AUTO_sinfronio

23 julho 2013 DEU NO JORNAL

     
STF COLOCARÁ TUCANO PARA PIAR EM PLENO 2014

Josias de Souza

Fazer política é desenhar sem borracha. Quando o destino dá as caras, naquela fração de segundo em que o sinal muda de verde para amarelo, o sujeito precisa decidir se pisa no freio ou no acelerador. Faça o que fizer, não dá para apagar depois. O sinal piscou para o PSDB no momento em que se descobriu que, em 1998, quando o governador mineiro Eduardo Azeredo guerreava pela reeleição, as arcas de sua campanha foram recheadas por um esquema igual ao que o PT utilizaria quatro anos depois. O mesmo operador (Marcos Valério), a mesma casa bancária (Rural), os mesmos métodos (empréstimos simulados, para encobrir desvios de verbas públicas).

Apanhado no contrapé, Azeredo saiu-se à Lula: “Eu não sabia”. Com isso, legitimou o lero-lero usado pelo então soberano quando os companheiros foram pilhados comendo melado com as mãos: “o PT fez, do ponto de vista eleitoral, o que é feito no Brasil sistematicamente.” Nessa época, Azeredo era senador. Presidia o PSDB federal. E o tucanato tratou-o a golpes de silêncio. Em vários momentos, os tucanos disseram que discutiriam a situação de Azeredo, hoje um obscuro deputado federal. E nada.

Em 2014, o PSDB terá de fazer por pressão o que não fez por convicção. O STF julgará, finalmente, o mensalão do tucanato mineiro. Conforme já noticiado aqui, são grandes as chances de Azeredo arrostar uma condenação. Em pleno ano eleitoral, numa fase em que se espera dos partidos que exponham suas virtudes políticas, o PSDB terá de explicar porque preferiu manipular a moralidade alheia a olhar para o próprio rabo.

Em novembro de 2012, quando o PT soltou uma nota acusando o STF de julgar companheiros politicamente, condenando-os sem prova, o PSDB expediu uma contranota. Escreveu: “O Supremo Tribunal Federal vem cumprindo o seu papel e tem contribuído enormemente para o fortalecimento das nossas instituições e da democracia no Brasil. O julgamento do mensalão honra as instituições brasileiras e aponta na direção de um país mais igual, no qual a impunidade não prevalece.”

Se é verdade que o destino é caprichoso, os mensaleiros do PT estarão na cadeia no instante em que o STF condenar o tucano Azeredo por ter cruzado o sinal vermelho na campanha de 1998. E certas pessoas talvez compreendam a aversão das ruas de 2013 aos políticos tradicionais. A rapaziada perdeu a paciência com dois fenômenos: tudo “o que é feito no Brasil sistematicamente” e esse silêncio retumbante.

23 julho 2013 FULEIRAGEM

DUKE – O TEMPO

duke

     
DA FALCATRUA À POESIA

piramide_dinheiro

Abri a minha caixa de e-mails e lá estava a mensagem de um desconhecido que começava assim:

Olá amigo(a)! recebi este e-mail, e achei este programa muito interessante. É uma ótima oportunidade para aumentar sua renda e quero muito que a prosperidade sorria pra você também. Verifique se vale a pena, não fique bravo ao receber este e-mail. Caso não queira participar, delete.

Os parágrafos seguintes explicavam como eu deveria proceder, depositando uma pequena quantia na conta de algumas pessoas desconhecidas, pondo o meu nome no final de uma lista e encaminhando a mensagem aos meus contatos, na esperança que muitos depositem alguma coisa em minha conta também. Dando tudo certo eu poderia ganhar até R$ 900.000,00 (era o que dizia o e-mail).

Não é preciso muito esforço para compreender que se tratava de uma dessas correntes financeiras com as quais um grupo de espertos tenta se locupletar às custas da boa fé de uns e da ganância de outros. Os primeiros entram no jogo por acreditar no discurso esdrúxulo da multiplicação do dinheiro, os segundos entram pela crença de que terão ganho uma boa quantia antes que a expansão da corrente se esgote ou a pirâmide desmorone.

Não me senti estimulado a aderir à corrente, mas o e-mail me despertou a inspiração para escrever em uma forma poética que ainda não havia experimentado: o soneto.

SONETO PARA QUEM ME ENVIOU UMA CORRENTE FINANCEIRA

Convidaste-me para ato suspeitoso
E pediste-me que eu não me apoquente
Por me teres enviado essa corrente
De caráter muito estranho e duvidoso.

Prometeste ganho fácil, generoso,
Lucros altos, garantidos, imediatos.
Bastaria eu enviar aos meus contatos
Esse teu mesmo convite criminoso.

Mas, eu sei que pensas algo diferente.
E, ao fazer-me essa proposta indecente,
Fica clara a ocorrência de um fato:

O que buscas nessa hora, realmente,
É apenas uma vítima inocente
Ou um cúmplice do teu estelionato.

23 julho 2013 FULEIRAGEM

GENILDO – CHARGE ONLINE

genildo

23 julho 2013 DEU NO JORNAL

     
BOATO QUE NÃO FOI BOATO

Paulo Brossard

Se, em 2012, as projeções quanto ao PIB começaram em 3,3% da economia nacional, esta acabou crescendo menos de 1%, 0,9% para ser preciso; como no ano anterior, no início do ano em curso, as projeções andavam em 3,3%, mas não demoraram em cair para 2,4%, e a tendência é de repetir o resultado de 2012. Para isso concorrem vários fatores, em primeiro lugar está a situação que amarga a indústria; por conta da inflação, por três vezes aumentou-se a taxa de juros, agora em 8,5%E se é verdade que a senhora presidente, em uma de suas diárias divagações televisionadas, assoalhou que a inflação está contida e deve chegar ao fim do ano segundo a meta estabelecida, o fato certo é que o Banco Central praticamente anunciou o próximo agravamento senão os necessários agravamentos da taxa de juros, o que importa em dizer que o impacto inflacionário tem resistido às medidas anti-inflacionárias.

Esses dados servem para indicar os aspectos escuros da realidade nacional, cujas provas chegam aos feixes; sua confirmação está até na repentina descoberta de desnecessidade de 14 dos 39 ministérios. Em verdade, ninguém ignorava essa gritante anomalia, mas agora até em áreas oficiais houve quem percebesse que o rei estava nu _ e disse o que muitos não queriam ver. A consequência desse fato não é irrelevante, pois dele resultou a possibilidade da exclusão da senhora presidente no primeiro turno da eleição presidencial; sua reeleição, até então tida como pacífica, hoje não passa de mera possibilidade, quiçá remota.

Mudando de assunto ocorre-me registrar declaração do ministro da Fazenda, hábil em misturar temas para desfazer-se de alguns incômodos; em lugar de ocupar-se da reforma tributária, reclamada desde muito, esgueirou-se para distritos da denominada reforma política, misturando-a com plebiscito, e deixando no esquecimento a primeira das reformas, diretamente relacionada com o ministério que dirige. De repente, com engenho e arte, referindo-se às denominadas desonerações tributárias, aproveitou para dizer que elas durante dois anos e meio foram o centro da política do governo e para afiançar que “não há mais espaço para corte de impostos”. Ora, como a carga tributária absorve mais da terça parte do PIB, disse sem dizer sequer adeus à reforma tributária, enterrou-a em silêncio, ao mesmo tempo que embalsamou as outras fossem quais fossem seus rótulos.

Encerrando, é relevante notar a publicação de uma nota singular, que visava apagar um boato malsinado. Dizia respeito à Bolsa Família, que teria sido extinta, fato que causara comoção entre milhares de pessoas nela interessadas. A senhora presidente qualificou a autora do boato de desumana e má, enquanto o ministro da Justiça asseverou que o plano fora orquestrado. A Polícia Federal, encarregada de apurar a autoria da infâmia, decorridos quase dois meses, concluiu pela ausência de qualquer ilicitude no suposto fato que provocara a indignação oficial, e foi solenemente publicado que o fato não ocorrera.

E dessa maneira a infâmia deixou de existir, e as autoridades que se envolveram no caso não cometeram nenhuma precipitação ou leviandade, e até a direção da centenária e por muitos títulos benemérita instituição CEF foi mantida, porque nada menos elogiável teria acontecido. E desse modo findou um episódio raro, senão inédito, na crônica da administração pública, do qual tiveram participação conspícua algumas das eminências governamentais. E o governo lavrou um tento, pois, pela primeira vez, desde que o Brasil é Brasil, em ato estatal um boato deixou de ser boato infame e até de ter existido. Autêntico boato falso, falsíssimo como diria o José Dias, que adorava o superlativo.

23 julho 2013 FULEIRAGEM

VASQS – CHARGE ONLINE

AUTO_vasqs

     
DILMA ESTÁ FICANDO SÓ

Uma presidenta não tem a obrigação de saber tudo, conhecer tudo. Não há ninguém que seja autossuficiente assim.

Para isso, tem-se assessores nas mais diversas áreas.

Esses assessores, por sua vez, têm de ser pessoas confiáveis, que entendem da sua área, com sensatez suficiente para não deixar que a sua chefe entre em fria, falando coisas incompatíveis com o cargo.

Em contrapartida, há uma máxima em administração de que a capacidade de quem administra começa a ser medida pela escolha dos seus assessores.

Parece que, aí, o bicho está, de fato, pegando!

Quem deixou a Presidenta anunciar sua vontade de eleger uma Constituinte específica para discutir uma Reforma Eleitoral, se isso ia de encontro à CONSTITUIÇÃO?

Posteriormente, antes da Presidenta falar em plebiscito, quem deveria e não a alertou sobre a exiguidade do tempo?

Quem colocou as cinco perguntas nas mãos dela, numa tentativa de aplacar os movimentos reivindicatórios que ocupavam, praticamente, quase todas as cidades do país?

Será que não foi discutido internamente que aquela pauta não estava de acordo com o que o povo estava pedindo?

Não estou dizendo que ela mesma não poderia ter tomado essas iniciativas por contra própria. Mesmo porque a Presidenta tem fama de ser voluntariosa, distribuindo broncas em todos os “incompetentes” ao seu redor.

Mas foram dois tiros n’água que expuseram a Presidenta, a fragilidade de suas assessorias, comprometendo, inclusive, o bom relacionamento com suas alianças.

Pior: ela sai deste episódio como incompetente e com baixo poder de articulação.

Ficou evidente, ainda, embora o governo viva negando, que a herança que Lula deixou para sua sucessora não foi nada “bendita”.

Além de uma dívida gigantesca e crescente, responsável pelo crescimento da inflação, os compromissos assumidos não são populares como se acreditava, em torno da máxima “pão e circo”.

O pão tem sido financiado pela dívida crescente do governo e do povo. E o circo, o tempo está mostrando que é para poucos, privilegiados, já que a maioria da população não pode pagar pelos ingressos.

Por certo, um dia irá se acordar para uma dura realidade: o dinheiro que deveria estar sendo utilizado para a construção de escolas e hospitais foi desviado para “Arenas”, que o povo não vai poder frequentar MESMO DEPOIS DA COPA.

Ou melhor, já está acordando para o fato de que, pela televisão, tanto faz se a Copa é aqui ou na Rússia, como tanto fará se os jogos estaduais serão nas novas arenas, porque o povão não terá acesso, por conta da seletividade dos preços dos ingressos.

Essa “herança maldita”, deixada por Lula, tende a deixar a Presidenta mais isolada.

Quando o desempenho do governo e da economia não vão bem, a solidão é inevitável.

* * *

FALA SÉRIO!

Há alguns dias, foi divulgado o acordo entre os concessionários do Maracanã, infelizmente e indecentemente entregue à iniciativa privada, e o Fluminense, meu time do coração.

Os lugares privilegiados do estádio custarão, no mínimo, R$100,00 e a renda da comercialização desses lugares ficará para os concessionários.

Sobrarão ingressos mais baratos, a serem vendidos pelo clube, numa área que passa por trás do gol, da linha da grande área de um lado, aproximadamente, à linha da grande área do outro lado.

Ou seja, o torcedor sem recursos só conseguirá ver o jogo de esguelha ou por trás do gol.

Frequentar as novas “ARENAS” será privilégio de poucos!

Não duvido muito que em breve teremos uma bolsa-ingresso!

FALA SÉRIO!

23 julho 2013 FULEIRAGEM

SPONHOLZ (EM AUTO RETRATO…) – JBF

tdc

23 julho 2013 FULEIRAGEM

M. AURÉLIO – ZERO HORA

AUTO_marcoaur

23 julho 2013 DEU NO JORNAL

     
UM BISCOITO NAS ALTURAS E À ALTURA DO PALADAR PONTIFÍCIO

O jornal Folha de S. Paulo informa na edição deste sábado que a recepção organizada para receber o papa Francisco no Palácio Guanabara, na próxima segunda-feira (22), vai custar R$ 850 mil.

De acordo com a assessoria de imprensa do governador Sérgio Cabral, 650 pessoas estão na lista de convidados, o que significa que cada um deles custará em torno de R$ 1.300. 

Um dos maiores e mais luxuosos hotéis do Rio de Janeiro, o Copacabana Palace, cobra em torno de R$ 250 por pessoa para uma recepção em que são servidas entradas, coquetéis, saladas, prato quente e sobremesa.

Segundo o Palácio Guanabara, no bufê da recepção ao papa haverá apenas café, água e biscoitos. Nem água e biscoitos importados custariam tanto assim!!!!

* * *

Fique tranquilo Sua Insolência o Senhor Gunvernador Sérgio Cabral: os fubânicos gunvernistas farão, mais uma vez, a sua defesa. E explicarão, com abundância de detalhes, leis e regulamentos, a razão desta espantosa diferença de preços.

E mais: justificarão com brilhantismo porque a conta tem que ser paga pelo contribuinte.

Político algum que seja da base aliada ou favorável ao PT e ao gunverno Lula-Dilma fica sem defesa aqui no JBF. 

O Papa Chiquinho, que adora pompas e fartura e se finge de franciscano, também ficará feliz com as explicações. (Leia matéria completa clicando aqui)

Papa Chiquinho ontem à noite, ao lado da Assombração do Priquito-de-Aço no Palácio Guanabara, triste e cabisbaixo de tanta fome, impaciente pra acabar hinos e discursos e meter a boca na parte de 1.300 reais que lhe cabia na comilança do biscoito mais caro do universo

23 julho 2013 EVENTOS

     
É HOJE! – PARA OS FUBÂNICOS DO RECIFE E OLINDA – FLIPORTO E CIDADÃO OLINDENSE

fliporto

23 julho 2013 FULEIRAGEM

ZÉ DASSILVA – DIÁRIO CATARINENSE

AUTO_zedassilva

     
EU TENHO PENA DE MIM

 (Adaptação de textos de Cleide Canton e Rui Barbosa)

Eu tenho pena de mim…
Por ter sido um sonhador,
Por lutar por nosso povo
Que ainda é tão sofredor,
Por ter sempre batalhado
Por justiça, com pudor.

Por sempre compactuar
Com a honra e a honestidade…
Por querer que nosso povo
Primasse pela verdade
E por vê-lo enveredar
Pela desonestidade.

Eu tenho pena de mim…
Por ter feito parte um dia
De uma era que lutou
Em prol da democracia.
Por sonhar com a liberdade
Que pra seus filhos queria.

Eu tenho pena de mim…
Por entregar, simplesmente,
A derrota das virtudes
Nas mãos dos filhos da gente,
Pra se julgar a verdade
Com insensatez, somente.

Por permitir que a família,
Seja negligenciada
Pensando apenas no “eu”
De forma demasiada
E na tal “felicidade”
A qualquer custo, buscada.

Clique aqui e leia este artigo completo »

23 julho 2013 FULEIRAGEM

CHICO CARUSO – O GLOBO

sgbb

23 julho 2013 MEGAPHONE DO QUINCAS

     
CUBATÃO/VILA PARISI, ANENCEFALIA – MATÉRIA DOS TEMPOS DE ESTUDANTE DA PUC-SP

 q1

Entrevistando representante da prefeitura de Cubatão, na Vila Parisi

Cubatão e um município da Baixada Santista, região de Santos. Sua população é de 127.702 habitantes (2008). Com área de 142,3 km², é o único município não litorâneo da região.

Com um grande parque industrial, no passado Cubatão sofreu intensamente com os efeitos nocivos da poluição. Na década de 1980, foi considerada pela ONU como a cidade mais poluída do mundo. Contudo, com a união de indústrias, comunidade e governo, a cidade conseguiu controlar 98% do nível de poluentes no ar.

Por isso, em 1992 recebeu da também da ONU o título de “Cidade-símbolo da Recuperação Ambiental”.

Embora continue uma cidade desprovida de equipamentos públicos de boa qualidade e possua uma fisionomia ainda distante da beleza de suas vizinhas, Santos e São Vicente, Cubatão é talvez a cidade brasileira de que devamos ter maior orgulho, do ponto de vista de regeneração e recuperação e um centro urbano em nosso país.

Por conta do período de poluição extrema, a cidade, especialmente a Vila Parisi, foi vítima das consequências dessas condições, inclusive com altíssimo índice de crianças com anencefalia, ou, popularmente, “bebês sem cérebro”.

q2

As crianças e a lama

Na ocasião, já fazendo trabalhos de campo para a universidade, escolhi abordar a questão dos anencéfalos, a poluição em Cubatão. As dificuldades eram imensas: desde a possibilidade legal, ou não, do aborto, por conta do prévio saber de um feto sem cérebro, até as questões religiosas, políticas, morais.

Valho-me da matéria da jornalista Cíntia Acayaba e Thiago Reis, da Agência Folha, de setembro de 2008, para registrar a evolução de Cubatão nos últimos 30 anos.

q3

Crianças junto a um poço em Vila Parisi

– Há 30 anos, Cubatão (58 km de SP) ficou conhecida como a cidade dos “bebês sem cérebro”. Era tida como a cidade mais poluída do país. A relação foi quase imediata: especialistas apontaram as emissões das indústrias como o principal fator para o boom de casos de anencefalia.

De 1978 a 1984, foram registrados 18 nascimentos de crianças anencéfalas. “O problema era principalmente na Vila Parisi, bairro poluído, pobre e esquecido pelas autoridades. Alguma substância impedia o aproveitamento do ácido fólico”, disse o pesquisador Reinaldo Azoubel, da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto, em relação à vitamina do complexo B que reduz riscos de malformações congênitas em bebês.

Medidas antipoluição foram tomadas. Em 1983, já no governo Franco Montoro, a Cetesb (agência ambiental do estado) implantou um programa de controle de poluição ambiental, que fixou um cronograma de redução de poluentes para as indústrias da cidade.

Em 2008, anos depois do iniciado o programa, a cidade ainda não tinha qualidade do ar considerada “excelente”, sobretudo em razão da emissão de gases emitidos por caminhões, mas apresentava 98% menos materiais particulados (poeira e fumaça) provenientes de indústrias, segundo estudo o Centro das Indústrias do Estado de São Paulo.

Os casos de anencefalia também voltaram à normalidade. Segundo a Secretaria Municipal da Saúde, desde 2000 não são registrados mais de dois casos por ano – considerando 2.000 nascimentos/ano em Cubatão. Em média, são considerados normais até dois casos para mil nascimentos.

Apesar de haver indícios de relação causal entre a poluição e os casos de anencefalia, há pesquisadores que dizem não acreditar em vinculação direta entre os fenômenos.

“A anencefalia é multifatorial. Há casos de genética, casos de uso de medicamentos e ambientais. Mas ainda não está tudo muito explicado”, afirma Cristião Rosas, da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia.

A questão do aborto: longe de ser consenso, o aborto em casos de anencefalia também divide quem viu de perto o boom de Cubatão.

“A criança não tem condições de sobreviver. Não é justo fazer esse sacrifício para a mãe”, diz o pesquisador Azoubel.

“Eu acho que as mulheres não devem fazer aborto. Devem fazer o parto”, afirma o encanador Raimundo Francisco Neto, 57, pai de uma das 18 crianças nascidas na época.

“Mas depois do parto minha mulher operou para não ter mais filhos”, conta ele. Mariana nasceu em 17 de julho de 1982 e viveu apenas três minutos.

Outro depoimento é de que “a interrupção da gravidez, também conhecida como aborto terapêutico, é permitida em casos de anencefalia em diversos países”.

q4

Um morador, um boteco, uma cachaça para amenizar a dor

O Brasil autorizou, por lei, em 2012, a realização do aborto terapêutico para fetos com anencefalia. Até então, grávidas com fetos assim precisavam de autorização judicial para realizar o aborto.

Segundo grupos contrários à manutenção da vida do feto com anencefalia, a interrupção da gravidez nestes casos diferiria do aborto por interromper o desenvolvimento de um feto que inevitavelmente morreria durante este processo, ou logo após o parto, enquanto o aborto interromperia o desenvolvimento de um bebê normal.

A interrupção da gravidez seria um processo semelhante, neste caso, a tirar a vida de uma pessoa em estado terminal, a qual sabe-se que inevitavelmente irá morrer, mais cedo ou mais tarde – no caso da anencefalia, provavelmente muito cedo. Essa visão é, entretanto, contestada por grupos contrários ao aborto, que alegam que toda vida tem valor, independente de seu tempo de duração.

– Após dois dias de debate, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, em abril de 2012, que grávidas de fetos sem cérebro poderão optar por interromper a gestação com assistência médica. Os ministros definiram que o aborto em caso de anencefalia não é crime.

Fontes:
Ciência Hoje
Informação da sessão do STF
Agência Folha
Wikipedia

22 julho 2013 FULEIRAGEM

SPONHOLZ – JBF

bbr

22 julho 2013 EVENTOS

     
PARA OS FUBÂNICOS DO RECIFE – LITERATURA CONTEMPORÂNEA

Mostra Sesc de Literatura Contemporânea destaca palavra dita pelo autor – O projeto acontece de 23 a 28 de julho no Sesc Santa Rita e na Livraria Cultura

“Era uma vez a palavra” é o tema da IV Mostra Sesc de Literatura Contemporânea, que acontece de 23 a 28 de julho no Laboratório de Autoria Literária Ascenso Ferreira e no auditório da Livraria Cultura do Paço Alfândega. Atividades de formação de escritores e leitores são o foco do evento realizado pelo Sesc Pernambuco.M

A novidade desta Mostra é o convite a alguns autores para uma leitura dos seus próprios textos. Na programação, estão Marina Colasanti (RJ), Fabiano Calixto (PE/SP), Xico Sá (CE/SP) e Ronaldo Correia de Brito (CE/PE). A curadoria realizada por Cida Pedrosa e Sennor Ramos optou por esse formato de leitura com o objetivo de gerar uma comunicação direta e de troca entre autor e o público através da sua própria obra.

“Alguns dos convidados virão só para ler. Assim, esses autores irão trocar ideias com o público no que se refere aos processos criativos, às relações entre obra e vida, além de seus projetos em curso. Os autores irão dialogar sobre importância da palavra nas suas mais diversas formas: no romance, na crônica, no conto, na poesia”, planeja Cida Pedrosa.

Para provocar esses diálogos sobre a palavra em tempos pós-modernos, participam também Raimundo Carrero (PE), Sidney Rocha (CE/PE), Maurício Melo Junior (PE/DF, colunista do Jornal da Besta Fubana), Everardo Norões (CE/PE), Geraldo Holanda Cavalcanti (PE/RJ), Alexandre Furtado (PE), Marcelino Freire (PE/SP), Antônio Cícero (RJ) e Jomard Muniz de Brito (PE).

Oficina

Como em todas as Mostras produzidas pelo Laboratório de Autoria Literária Ascenso Ferreira, haverá uma oficina na mesma semana à tarde. Luiz Bras (SP) virá ao Recife para orientar uma oficina de prosa. O escritor, antes conhecido como Nelson de Oliveira, criou uma ficção para a própria vida quando percebeu que sua obra tinha se esgotado. Assim, nasceu Luiz Bras na cidade onírica de Cobra Norato (MS) e seu novo caminho na ficção científica. A oficina acontece de 23 a 26 de julho, das 14h Às 18h, no Sesc Santa Rita. Todas as atividades são gratuitas.

SERVIÇO

Mostra Sesc de Literatura Contemporânea –  23 a 28 de julho de 2013
Laboratório de Autoria Ascenso Ferreira | Sesc Santa Rita
Cais de Santa Rita, 156 – São José – Recife/PE
Fone: (81) 3224-7577 | Sescpe.com.br

Livraria Cultura | Paço Alfândega
R. Madre de Deus, s/nº – Paço Alfândega – Recife/PE
Fone: (81) 2102-4033

22 julho 2013 FULEIRAGEM

MÁRIO – A TRIBUNA DE MINAS

mario


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa