26 março 2017 FULEIRAGEM

FERNANDO – JORNAL DA CIDADE DE BAURU (SP)

Compartilhe Compartilhe
CARNE ADULTERADA

O Brasil enfrenta outro sério dilema. Como está na pindaíba, sem condições técnicas, encontra-se impossibilitado de fazer concurso público para preencher o defasado quadro de fiscais do Ministério da Agricultura. Por isso usa o esquema de quem indica. Acende a fogueira no golpe da carne fraca.

Atacada pela quadrilha de agentes federais de inspeção, viciados em erros partidários e nas gordas propinas, comercializavam certificados sanitários falsos para a exportação de carne estragada para o exterior. Adulteravam etiquetas, liberavam produtos impróprios, sem a devida qualidade, para a fabricação de mortadela, salsicha, empanados de frango e congelados para o mercado interno. Comidas que a criançada adora. Lambe os beiços. Sem sentir remorsos pelas falcaturas.

O fumacê da comilança de propinas tomou conta também dos negócios da agropecuária, deixando dúvidas quanto à procedência do produto vendido pelos frigoríficos. Fazendo o Brasil perder credibilidade no mercado internacional. Mais uma vez.

O golpe foi duro nas exportações. A rasteira foi muito bem dada nas vendas de carne para o comércio exterior que despencaram.

Atormentado, diante da desagradável surpresa imposta pelo mercado importador de carne, o país balança na encruzilhada. Entrou numa sinuca de bico, sem saber como sair. Ileso.

Até sanar as irregularidades cometidas pelos fiscais agropecuários que assinavam os cerificados de aprovação, mediante recebimento de propinas, sem sequer averiguar a real situação do produto, o setor vai penar. O Brasil vai ver grilo. Passar noites de sono.

Afinal, as anomalias, depois de exaustivas investigações realizadas durante dois anos, produziram 309 mandados, que devem ser cumpridos. Sem medo.

Por enquanto prevalece a suspensão temporária das exportações da carne brasileira adotada pelas autoridades sanitárias de diversos países europeus importadores. Todavia, apesar do impacto, é improvável o Brasil perder a liderança na venda de carne para os mercados externos, haja vista a diminuta concorrência internacional.

As especulações encorajam as autoridades brasileiras a deixar o tempo correr, para analisar devagarinho as irregularidades encontradas. É certo que para obter condições de combater a corrupção e o embaraço da fiscalização, venda ilegal da carne provavelmente adulterada para exportação, uso de produtos vencidos e poluição ambiental, a solução demanda tempo. Exige sangue frio e competência para limpar o impasse. Sem arranhões.

O mercado importador da carne brasileira é composto por 150 países. Isso classifica o Brasil como o segundo maior exportador de carne bovina no mundo, superado apenas pelos Estados Unidos. No entanto, ambos perseguidos pela Austrália que corre solta na buraqueira, querendo abiscoitar um pedaço dos negócios agropecuários.

Dentre muitos, este é mais um escândalo capaz de produzir sérias restrições nas exportações. No entanto, até encontrar solução para o caso, o Brasil vai sofrer pressão dos países importadores que podem exigir, pelo menos, barateamento no preço da carne brasileira.

O que pode provocar grandes embaraços no mercado interno, como redução de vendas, queda de arrecadação, demissão no setor ou, quem sabe, fechamento de frigoríficos.

Por enquanto, o prejuízo causado por esta brincadeira de mau gosto está registrado em R$ 8 bilhões às empesas do ramo, bem como ao mercado interno.

Mas, enquanto a decisão não chega, o jeito é acatar a decisão da União Europeia, Coreia do Sul e China, os maiores importadores da carne brasileira, de suspender a compra temporária, até segunda ordem.

Enquanto isso, amargar vultoso prejuizo causado pela queda de vendas, de exportação, de arrecadação de impostos e fuga de divisas. Situação puramente desagradável. Simplesmente embaraçosa.

O dilema é sério. Assustador. A Austrália está na beira do gramado, no banco de reserva, esperando oportunidade para entrar no jogo, conquistar posição, tornar-se titular definitivo, para sua carne, de excelente qualidade, repercutir. Agradar o paladar do consumidor internacional.

Realmente, o produto australiano é cortado de boi de raça, criado em pasto altamente selecionado, cuja dieta do animal tem o acréscimo de suplementação à base de grãos.

Todavia, enquanto o assunto permanecer em debate resta ao brasileiro ficar na expectativa do desfecho. Esperando o fim de mais um cambalacho. Como foi cometido crime de corrupção, as associações e os suspeitos investigados devem responder a processos pelos delitos e crimes de extorsão. Caso sejam condenados, devem pagar pelos erros cometidos. Integralmente.

Compartilhe Compartilhe

26 março 2017 FULEIRAGEM

AMORIM – CHARGE ONLINE

Compartilhe Compartilhe
MANOEL BERNARDO – MACEIÓ-AL

Berto,

veja mais uma da Secretaria de Vazamentos Aleatórios da Esplanada dos Ministérios.

Polícia Federal está investigando a saliênçia na Linha de Montagem.

Um abraço

R. Rapaz, tu custa pra dar as caras por aqui.

Mas quando aparece, só bota pra arrombar a tabaca da vaca.

Vôte!

Num desapareça não, sujeito.

Abraços e um bom domingo!

Compartilhe Compartilhe

26 março 2017 FULEIRAGEM

SINOVALDO – JORNAL NH (RS)

Compartilhe Compartilhe

BRASIL LIMPO JÁ

Pensando bem, essa história toda que anda acontecendo com o Brasil será a salvação do nosso futuro, pelo menos para os nossos filhos e netos. Eu já me encontro fora dessa projeção, não há mais tempo disponível porque a arrumação do desmantelamento promovido pelo Sr. Lulla vai levar uns trinta anos para estar este País totalmente limpo e organizado. Falo isto em razão de que há uma geração que absorveu, em sua personalidade, os mandamentos petistas de ser. Eles, provavelmente, seguirão a cartilha imprimida na vida brasileira durante esse desastre moral, ético e de princípios republicanos nos últimos 13 anos e que ainda tem forte presença na vida da Nação. É triste ver altos escalões da vida brasileira defender o juízo de valor de que o crime pode ser justificado desde que não afete a garantia de emprego pelas grandes empresas. Mais ainda, ter o nosso Brasil o titular e toda a sua linha sucessória contaminada pela corrupção, exceto, por ora, a presidência do STF, como anda sendo provado pela PGR e o TSE.

Nem mal estamos nos levantando do tombo petista, suas lambanças e desvios morais e éticos, vem o ministro Gilmar Mendes abrir fogo contra toda a cadeia de ação da operação Lava Jato. Atacar a instituição que luta de forma homérica e grandiosa contra toda uma casta de bandidos alojada no Poder e no domínio da grande parte da economia brasileira é prestar um desserviço à Nação. Aliás, nos últimos tempos o referido ministro não tem sido lá muito respeitador e observador dos recatos que o cargo exige. Frequenta com assiduidade a corte em jantares e reuniões privadas no Palácio do Jaburu, a casa do presidente, bem como outras ocasiões, nada palacianas, como viagens em companhia do mandatário maior no avião presidencial. A sua postura política, que não deveria ter dada a exigência do cargo de imparcialidade e isenção, tem mudado com certa celeridade ao emitir opiniões que induzem análise de defesa dos acusados pela operação Lava Jato.

A situação dos “trambiqueiros” e dos trambiques em curso está se afunilando e o desespero está tomando conta de grande parte dos membros do Congresso Nacional que tenta, a todo custo, aprovar leis que os salvem da justa cadeia que começa a se despontar no horizonte e o tempo urge para se salvarem. Lançam mão de todas as artimanhas e chicanas jurídicas para lhes criar um atalho para o escape da condenação que é certa e será justa. A participação não intencional, penso eu, do sr. Ministro acima citado, está nessa direção ao colocar em pauta que os vazamentos das delações implicam em nulidade por determinação normativa, ou seja, descartar tudo aquilo que é um fato e não um conto. A quem interessar possa isso? Vamos premiar o crime por um ato de irresponsabilidade funcional? Ou devemos punir quem praticou o vazamento? Sr. Ministro, os acusados tem tropas de advogados.

Essas expostas situações que vivemos e estamos sofrendo muito pela falta de respeito com a população e ao Brasil, é que me leva a pedir a todos vocês leitores que não deixem de comparecer às ruas neste domingo. Não temos em quem nos socorrer a não ser na nossa própria força. A Nação brasileira pede socorro e temos que socorrê-la urgentemente porque é ela a nossa vida e de todos os nossos que queremos bem. Sem a população nas ruas, os abutres do Poder ganham força para lá permanecerem e legislarem saídas de forma a se salvarem da condenação certa que receberão da justiça brasileira.

A permissividade é a mãe da barbárie e da corrupção. A falta de ação da população em contestar e se rebelar contra os desmandos e todo tipo de patifarias que promovem certos políticos contra o bom andamento da vida nacional é o pior dos acontecimentos. O povo tem que se defender e não permitir a barbárie e a corrupção. Elas são as promotoras de todas essas situações de dificuldade que passa o Brasil. Veja bem, só estamos vivendo isso porque permitimos, não lutamos contra. Deixamos a vida correr solta para esses bandos que assaltaram o nosso dinheiro e promoveram uma vida de Sodoma e Gomorra no nosso País, de elevada promiscuidade. Participando dessa mobilização, você estará dizendo a esses pilantras e safados que corroem o Brasil, que não mais aceita a corrupção, a falta de moral, ética e de honestidade com a coisa pública. Sem você nas ruas, essas ratazanas do Poder irão festejar. Sua ausência é aprovação de todas essas mazelas que aí estão. Tome coragem, lute por você, precisamos de um Brasil limpo já.

Compartilhe Compartilhe

26 março 2017 FULEIRAGEM

MOISÉS – BLOG DO MOISÉS

Compartilhe Compartilhe
NÃO MUDE DO BRASIL, MUDE O BRASIL

Compartilhe Compartilhe

26 março 2017 FULEIRAGEM

SPONHOLZ – JORNAL DA BESTA FUBANA

Compartilhe Compartilhe

25 março 2017 A PALAVRA DO EDITOR

TODO APOIO À LAVA JATO!!! CADEIA PROS CORRUPTOS!!!

Confira o horário e o local das manifestações deste domingo:

Compartilhe Compartilhe

25 março 2017 FULEIRAGEM

NICOLIELO – JORNAL DE BAURU (SP)

Compartilhe Compartilhe

25 março 2017 RUY FABIANO

O UNIVERSO PARALELO DO PT

As denúncias da semana, centradas no depoimento de Marcelo Odebrecht ao TSE, movimentaram a cena política de Brasília, mesmo não revelando, a rigor, nada que já não se soubesse.

Não significa, porém, que nada acrescentaram ao contencioso da organização criminosa (denominação dada pelo ministro Celso de Melo, do STF) que governou o país por treze anos – e que subsiste em parte no atual governo. Afinal, todos os ministros afastados do governo Temer (e os que restam por segui-los) serviram a Lula e Dilma. O PMDB, vale o lembrete, era o segundo escalão do PT – e somente por isso o sucedeu. Os que pedem “fora, Temer” são exatamente os que nele votaram e permitiram que lá esteja.

Com relação às denúncias, o impacto deriva do fato de que confirmam e dão detalhes da rapina, mostrando método, estilo e linguagem nas relações entre os criminosos, públicos e privados.

Há sempre uma excitação mórbida em contemplar os bastidores do crime, de onde deriva o sucesso dos filmes de gângsteres e suspense policial. Não faltam, nos depoimentos, cenas de forte impacto, ao ponto de alguns bradarem contra o vazamento, tendo em vista possivelmente o teor obsceno dos relatos, impróprios para menores e pessoas nervosas.

Compreende-se, por aí, o zelo de alguns ministros do STF, do TSE, dos partidos envolvidos e de intelectuais petistas. Num sucinto relato, eis parte do que está em detalhes nos depoimentos.

Entre 2006 e 2014, o departamento de propinas da Odebrecht pagou 3,4 bilhões de dólares – mais de R$ 10 bilhões – a políticos de diversos partidos, a maior parte ao PT, secundado pelo PMDB e PP, parceiros carnívoros nos governos Lula e Dilma.

Lula era titular de uma “conta corrente” no departamento de propinas da Odebrecht. De um saldo de R$ 23 milhões, em 2012, sacou R$ 13 milhões. Tinha ainda R$ 10 milhões de saldo, de que já não poderá dispor. Dilma sabia de tudo, enviou emissários a Marcelo Odebrecht – inicialmente Antonio Palocci e depois Guido Mantega – para cuidar dos repasses e teve sua campanha bancada com dinheiro roubado da Petrobras. Os detalhes estão no noticiário.

Sobrou lama para todos, desde o revolucionário PCdoB, que vendeu por R$ 7 milhões o seu apoio e tempo de TV, junto com o PDT e outros dois partidos nanicos, até o PSDB, também beneficiário do caixa dois. Há, claro, gradações. Como diz FHC, “não se pode comparar um homicídio com uma surra”.

Mas a turma da surra está agora unida aos homicidas em busca de uma saída, via Congresso. E a ideia central é anistia. O único temor são as ruas. Amanhã, quando está convocada nova manifestação em todo o país, será possível dimensionar o tamanho da reação popular. O temor é que já haja fadiga com o tema.

O PT investe nisso. Não havendo defesa, parte para o ataque.

Ontem, quando jornais, telejornais e internet reverberavam as denúncias de Odebrecht, Lula, com a habitual veemência, jurava: “Tenham a certeza que nunca ninguém vai dizer que eu pedi dez centavos”. Ninguém duvida: Lula jamais pediu dez centavos

Num evento intitulado “O que a Lava Jato tem feito pelo Brasil”, ontem, em São Paulo, a cúpula do PT e alguns intelectuais aliados mostraram aos céticos que existe de fato um universo paralelo. E é lá que habitam. Quanto mais provas e evidências vêm à tona, mais eles afirmam o contrário. Palavras de Lula:

“Nós, do PT, fomos criados para mudar a história do país e não para ficar com medo. Quem errou pague pelo erro.”

O PT, de fato, mudou a história do país. Levou as piores tradições da política nacional a tal paroxismo que a implodiu. Provocou uma diarreia cívica, cujos efeitos ainda não cessaram, mas hão de ter desfecho purificador. Já estão tendo.

Quanto ao desafio de cobrar punição a quem errou, é exatamente o que está em curso, embora Lula não se reconheça na fita, mesmo sendo seu protagonista. O presidente do PT, Rui Falcão, dá uma pista do que se passa na cabeça dos seus correligionários. Considerou “uma burrice” penalizar as empreiteiras corruptas.

São suas palavras:

“Esquece-se que até mesmo as empresas que sediaram a corrupção contribuem para a riqueza nacional. Penalizá-las é uma vingança infantil, para não dizer simplesmente burra.”

Lênin ensinava que a moral revolucionária não devia respeito à moral burguesa e a nenhum outro código legal. Roubar em nome da causa não constituiria vergonha, senão cumprimento do dever.

O PT governou sob essa inspiração – ou a pretexto dela -, o que o levou a unir-se a companheiros de viagem que, embora desprovidos do manto ideológico, partilhavam do mesmo objetivo. Alguns ainda sobrevivem no atual governo; muitos estão no Congresso – e outros já estão na cadeia.

Compartilhe Compartilhe

25 março 2017 FULEIRAGEM

ALVES – CHARGE ONLINE

Compartilhe Compartilhe
DILMA, ODEBRECHT E A PROPINA CORDIAL

Compartilhe Compartilhe

25 março 2017 FULEIRAGEM

MÁRIO – TRIBUNA DE MINAS

Compartilhe Compartilhe

25 março 2017 JOSIAS DE SOUZA

ODEBRECHT FAZ DE DILMA UMA POBRE SEM-VERDADE

As revelações feitas por Marcelo Odebrecht à força-tarefa da Lava Jato, repetidas em depoimento à Justiça Eleitoral, retiraram de Dilma Rousseff o último patrimônio político que ela imaginava ostentar: a presunção de superioridade moral. Ela já havia perdido a pureza ideológica ao encabeçar coligações eleitorais que incluíam do arcaico ao medieval. Perdera a aura de gerentona e a poltrona de presidente da República após reduzir a economia nacional a escombros. Agora, é submetida a um ritual de emporcalhamento que aniquila o que lhe restava de individualidade, integrando-a à baixeza geral. Foi para o beleléu a diferença heroica.

Em síntese, o príncipe das empreiteiras contou:

1) Dilma sabia que João Santana, seu marqueteiro, era remunerado pela Odebrecht no caixa dois. 2) Madame sabia também que Antonio ‘Italiano’ Palocci e Guido ‘Pós-Italiano’ Mantega faziam dupla jornada como ministros e coletores de fundos para suas campanhas presidenciais. 3) Reeleita, a soberana foi informada pelo próprio empreiteiro de que as contas abertas no estrangeiro para pagar o marketing do seu comitê estavam ao alcance dos investigadores da Lava Jato.

Em nota de sua assessoria, Dilma tachou os segredos de Marcelo Odebrecht de “novas mentiras”. Ainda não se deu conta de que suas verdades é que estão se transformando numa espécie de latifúndio improdutivo que os delatores da Odebrecht invadem. A nota sustenta que Dilma “jamais pediu recursos para campanha” a Marcelo Odebrecht. Tampouco “solicitou dinheiro para o Partido dos Trabalhadores”. Ora, mas o delator disse exatamente a mesma coisa.

Dilma não precisou pedir nada. Tinha quem solicitasse em seu nome. “(…) Quem pediu os valores específicos era o Guido, eu me assegurava que ela [Dilma] sabia mais ou menos da dimensão do nosso apoio”, contou Odebrecht ao TSE, falando num idioma parecido com o português. “Ela dizia que o Guido ia me procurar, mas eu nunca falei de valor. A liturgia, a questão de educação, você não fala com o presidente ou o vice-presidente a questão do valor.”

Em 2010, contou Odebrecht, Dilma não teve que se preocupar com as arcas da campanha. Lula, o “amigo” da Odebrecht, se encarregou de tudo, com o luxuoso auxílio do grão-petista Antonio Palocci. Dilma “praticamente nem olhou as finanças, acho que todos os pedidos de doação foram feitos por Lula, Palocci. Ela nem se envolvia em 2010”, esmiuçou o empreiteiro.

Dilma soube do que se passava na bilheteria porque Lula se encarregou de informar, contou Marcelo Odebrecht. As verdades de Dilma sobre questões relacionadas à tesouraria foram, por assim dizer, herdadas de Lula. O tamanho dessas verdades vem sendo questionado desde o mensalão. Sempre que a conjuntura exigiu garantias, verificou-se que, além de improdutivas, as verdades do petismo estavam assentadas sobre um gigantesco brejo.

De repente, Dilma descobre que não é a dona da verdade. Bem ao contrário. A colaboração judicial da Odebrecht transformou-a numa sem-verdade. Parte das informações do empreiteiro já haviam sido descobertas pelos investigadores. A Lava Jato apalpou os extratos da conta de João Santana na Suíça antes que o herdeiro da construtora cogitasse suar o dedo. Não é razoável supor que Dilma, centralizadora a mais não poder, estivesse alheia ao melado que escorria nos porões do seu comitê.

Considerando-se que uma ex-guerrilheira jamais cogitaria a hipótese de se tornar uma delatora, restam a Dilma duas escassas alternativas: ou aceita sua parcela de culpa ou funda o MSV (Movimento dos Sem-Verdade), assumindo a liderança da cruzada nacional por uma reforma semântica que devolva algum sentido a quem já não tem nenhum.

* * *

Compartilhe Compartilhe

25 março 2017 FULEIRAGEM

AMORIM – CHARGE ONLINE

Compartilhe Compartilhe

25 março 2017 A PALAVRA DO EDITOR

TODO CUIDADO É POUCO…

Este serviço de editoração não é mole.

Vejam o que aconteceu no jornal Extra:

Ao digitar a palavra “céu“, o redator engoliu a letra “é” e o acento caiu em cima da letra “u”.

Um duplo erro…

Compartilhe Compartilhe

25 março 2017 FULEIRAGEM

SPONHOLZ – JORNAL DA BESTA FUBANA

Compartilhe Compartilhe

25 março 2017 REPORTAGEM

QUEM BANCA A CAMPANHA ANTECIPADA?

Mesmo sendo réu em cinco processos na Lava Jato, o que pode torná-lo inelegível se for condenado em segunda instância, o ex-presidente Lula segue com sua campanha antecipada às eleições presidenciais de 2018. Foi o que fez no último domingo 19 em Campina Grande durante a “inauguração popular” das obras de transposição das águas do Rio São Francisco, na Paraíba. Vale lembrar que, dias antes, o presidente Michel Temer já havia cortado a fita da obra de forma oficial. A despeito disso, o petista e seus partidários, entre eles, a ex-presidente Dilma, transformaram o evento em um comício explícito. O ato pode provocar mais uma dor de cabeça ao petista. A Procuradoria Regional Eleitoral instaurou investigação para verificar se a “festança” – com direito ao lançamento de Lula à Presidência da República – foi fora de época. A procuradoria quer saber, também, quem pagou a farra de Lula, que custou mais de R$ 120 mil.96

Cerimonial do governo

A “inauguração” teve camarote, com tendas gigantes, ônibus com ar condicionado para levar Lula e outras autoridades até o local das obras. Embora o governador do estado Ricardo Coutinho (PSB), que ciceroneou Lula no evento, tenha afirmado que sua administração não investiu mais que a logística de segurança e saúde, alguns detalhes da festa contradizem o socialista. Como o cerimonialista que dava a palavra às autoridades que discursavam no evento. Ele é servidor da Secretaria de Governo, o que arrasta o governador para o centro de um escândalo. Afinal, ele bancou ou não a “reinauguração” das obras de transposição do rio?

Essa, aliás, não foi a única coincidência que aproxima Coutinho do encargo das despesas. O som e as tendas usadas no evento são de uma empresa chamada Júnior Produções e Eventos. Na verdade, a razão social do negócio é Hwj Construções e Incorporações Ltda. É para este último nome que constam diversos pagamentos empenhados pelo Governo da Paraíba. Só de 2011 até 2016, foram feitos repasses que ultrapassaram R$ 13 milhões. O aluguel das tendas custa até R$ 3,5 mil.

O PT alugou jatinho que já foi de Eike Batista por R$ 120 mil para levar Lula à Paraíba

Aos custos da festa somam-se também o de transporte de militantes petistas ao local. Só uma empresa afirma ter feito o transporte de dezenas de pessoas em 12 ônibus. Cada carro foi locado por R$ 1,2 mil. Total: R$ 14.400.

O mais caro mesmo foi o jatinho que levou Lula até a Paraíba. Segundo empresas que prestam serviço de fretamento de aeronaves, um voo com o Legacy 600, da marca que levou Lula à Paraíba, custa aproximadamente R$ 100 mil. O jatinho usado por Lula já foi do empresário Eike Batista, que está preso no Rio por conta da Lava Jato e agora está em nome dos donos das Casas Bahia, que alugaram o avião para o PT. A assessoria de Lula diz que o transporte foi pago pelo PT. Se for dinheiro do Fundo Partidário, é ilegal.

Transcrito da Revista Isto É

Compartilhe Compartilhe

25 março 2017 FULEIRAGEM

FERNANDO – JORNAL DA CIDADE DE BAURU (SP)

Compartilhe Compartilhe

25 março 2017 DEU NO JORNAL

É A ÚNICA COISA QUE TÁ FALTANDO

As revelações de Marcelo Odebrecht sobre a corrupção nos governos do PT colocam de vez os ex-presidentes Lula e Dilma na chamada “cena do crime”, no esquema desmantelado pela Lava Jato.

Ainda no cargo de presidente da República, Lula se encarregou pessoalmente de arrecadar dinheiro, inclusive no caixa 2, para a campanha de eleição de Dilma. As revelações de Odebrecht retomam a expectativa da prisão de Lula. Afinal, não há em Curitiba ninguém acusado de crimes mais graves.

Odebrecht contou ao Tribunal Superior Eleitoral, que Lula gerenciava a “conta corrente” de R$ 150 milhões aberta pela empreiteira para o PT.

As revelações de Odebrecht explicam o desespero de Dilma para nomear um ministro do STJ que o soltasse, segundo denúncia do MPF.

A Lava Jato será resumida, no futuro, como o escândalo em que dois presidentes da República trataram pessoalmente de dinheiro sujo.

As revelações de Odebrecht mostram como foi preciosa sua delação premiada para esclarecer e incriminar a quadrilha que governou o País.

* * *

Ao ler esta notícia aí de cima, que saiu na grande mídia golpista – aquela mídia que tem a mania de publicar as mentiras contadas por Marcelo Odebrecht, em depoimento oficial, ao Superior Tribunal Eleitoral -, num sei mesmo porque me vieram à lembrança duas frases.

Duas frases que foram escritas esta semana pelo fubânico petista Ceguinho Teimoso, aqui no JBF.

Duas frases que nada tem a ver com o Corruptor Ativo Marcelo Odebrecht e o seu Corrupto Passivo, o ex-prisidente Lula.

As delações do primeiro arrombaram a tabaca de Xolinha e NÃO deixaram, não deixaram de modo algum, o segundo embaraçado, haja vista a inesgotável capacidade óleo-perobística do homem mais honesto que Jesus Cristo.

Enfim, o fato é que esta notícia me trouxe à lembrança as frases de Ceguinho. Coisas que só a psicologia paranormalística explica.

A primeira frase foi esta:

“O mínimo que os antipetistas e antilulistas deveriam fazer seria argumentar com dados reais.”

E a segunda frase foi esta:

Redução drástica da mortalidade infantil e da retirada de milhões, muitos milhões, de famílias brasileiras da miséria absoluta” (no governo Lula)

Redução drástica da mortalidade e retirada de milhões – MUITOS MILHÕES – de famílias brasileiras da miséria absoluta são o que Ceguinho chama de “dados reais“.

Contestá-los, quem há de???!!!

O paraíso instalado por Lula no seio da miséria, que dizer, da ex-miséria banânica, continua até hoje.

Um fato real, um dado real que pode ser facilmente comprovado. É só olhar ao redor.

Uma salva fogos pro dois: pra Lula e pra Ceguinho.

Eles merecem!!!

Compartilhe Compartilhe

25 março 2017 FULEIRAGEM

MOISÉS – BLOG DO MOISÉS

Compartilhe Compartilhe
VEM LOGO: CURITIBA TE AGUARDA!

Comentários sobre a postagem O PAI DA TRANSPOSIÇÃO

1) Goiano:

Por isso digo: – VEM LULA
E se o digo, digo bem,
E o coração até pula,
Quando digo: – LULA, VEM!

* * *

2) Dalinha Catunda

Já eu canto diferente
Vendo tanta pindaíba
Venha logo ex-presidente
Que lhe espera Curitiba.

* * *

Compartilhe Compartilhe

25 março 2017 FULEIRAGEM

BRUNO – VALEPARAIBANO (SP)

Compartilhe Compartilhe
ÔI TÊCA!

Têca Braga e a filha, era a dona de Barra Grande, Maragogi

Deu-me uma tristeza profunda ao ler no “Face” sua última viagem, não estava esperando, nem preparado. Foi terrível, uma dor dentro de mim, chorei como uma criança sem conseguir parar. Pensei em você, irmã de minha irmã, minha irmã. Veio-me sua imagem ainda menina brincando em minha casa com a Socorrinho. Lembrei-me de seu pai, Chico Braga, de terno branco, de Dona Naty. Veio-me a lembrança da juventude livre, bela, na Avenida da Paz. Eu tinha maior alegria em levá-las para as festas daquela Maceió bucólica. A Fênix, o Zinga Bar, nós éramos jovens felizes donos da praia mais bonita das Alagoas.

O tempo inexorável trouxe os casamentos. Marcelo entrou na família, vocês além de irmãos tornaram-se compadres de Clailton e Socorrinho. A saudade é imensa Têca. Não sabia que doía tanto, que você era tão importante em nossa vida. Estamos arrasados. Dói muito. Por quê você se foi assim, de repente, sem avisar?

Certa vez o Carteiro disse ao Poeta que a poesia não era de quem escrevia, era de quem precisava. Estou precisando agora dos versos de nosso Chico para esse momento. “A saudade é o pior tormento, é pior que o esquecimento… A saudade dói como um barco, que aos poucos descreve um arco, e evita a atracar o cais… A saudade é o revés do parto, é arrumar o quarto do filho que já morreu…” É o tamanho da saudade que você nos deixou.

Lembrei-me de nossa última viagem, ano passado, pela Europa Oriental retornando por Lisboa. Eu e Vânia nos divertimos, tínhamos seus cuidados profissionais juntados ao carinho. Ficamos encantados com Paulinne. Em Lisboa você era a mais entusiasta com minha palestra e lançamento do meu livro. Parece que estou vendo você no pé da escada da Casa do Brasil comendo acarajé.

Ah Têca, tantos amigos comentando sua ida, cheios de carinhos e saudades. Você era muito querida nessa terra. Chorei ao ler no Zap a mensagem de Socorrinho.

“Custando a acreditar que naquela maca entrando na capela do hospital era você! Custando a acreditar que na sua Barra Grande era seu, aquele corpo tão sereno, tão bonito, e com flores tão coloridas, assim como você viveu todas as cores desta vida! Custando a acreditar que não vou ter mais aquela companheira de todas as horas, aqueles papos amigos cheios de confidências e afagos na alma, em mais nossos almoços, nossos cinemas, nossa viagens, nem nossa Missas! Custando acreditar que não tenho mais aquela amiga feliz, transbordante de alegria, e de saber aproveitar a vida intensamente, mas que o excesso de descuido com a saúde lhe traiu! Obrigado Tequinha por nossa amizade desde sempre, que nos irmanou nos tornando comadres duas vezes! Fique certa que sua luz brilhará eternamente, pois foram muitas sementes que você plantou! Fico zelando por suas quatro pérolas! Custando acreditar na falta que você vai me fazer! Um belo caminho de Deus, minha irmã!

Que lindo minha irmã escreveu. Você Têca, minha querida amiga, sempre prestigiou minhas invencionices. Era a primeira a chegar nas Sextas Clássicas de Marechal Deodoro, não perdia a FLIMAR. Nos lançamentos de meus livros com receio de pouco público eu dizia para mim, pelo menos a Têca Braga vai aparecer. Ainda chamo seu nome de solteira, foi assim que entrou em nossa vida, menina, ficou gravado na mente, na alma, no coração. Têca Braga.

Um poeta inglês, John Donne certa vez escreveu um poema que diz mais ou menos assim. “Nenhum homem é uma ilha, ninguém é sozinho; cada homem faz parte do continente, parte do todo. A morte de qualquer ser humano me diminui porque sou parte da humanidade; e por isso, nunca perguntes por quem os sinos dobram, eles também dobram por ti”.

Nosso mundo ficou menor, se foi um pedaço, uma parte do continente. Nós ficamos diminuídos.Os sinos dobram por você, Têca Braga, mas dobram também por mim, por suas filhas, seus genros, pelos netos e bisnetos, pela Socorrinho, por todos os amigos que você deixou.

Talvez um dia a gente se encontre por aí, quem sabe? Vânia manda-lhe um beijo. Até mais ver, irmãzinha.

Compartilhe Compartilhe

25 março 2017 FULEIRAGEM

ALPINO – BLOG DO ALPINO

Compartilhe Compartilhe
CABO TENÓRIO

Um rojão arretado para animar o nosso sábado. Composição de Rosil Cavalcanti interpretada por Jackson do Pandeiro.

Compartilhe Compartilhe

25 março 2017 FULEIRAGEM

AMARILDO – A GAZETA (ES)

Compartilhe Compartilhe

25 março 2017 REPORTAGEM

SEMPRE SOUBERAM DE TUDO

O que falta para o País finalmente perceber que Lula e Dilma, juntos, como irmãos siameses, arquitetaram, coordenaram e estiveram à frente de toda sorte de desvios ilegais de recursos que marcaram os governos petistas nos últimos 13 anos? Em recente depoimento ao ministro Herman Benjamin, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o empreiteiro Marcelo Odebrecht começou a jogar luz sobre o modo de operar da dupla petista cujo esquema desviou mais de R$ 40 bilhões dos cofres da Petrobras. O relato de Odebrecht liquida de uma vez por todas a “reputação ilibada” reivindicada por Dilma em seus já célebres discursos borrifados de pretensa superioridade moral.

Segundo o empresário, que arrasta os dois petistas para a cena do crime eleitoral, a ex-presidente, assim como Lula, sempre soube dos esquemas de propina e de caixa dois em suas campanhas, foi alertada em encontro pessoal com Marcelo Odebrecht sobre a “contaminação” das doações, incluindo a remuneração ao marqueteiro João Santana no caixa parelelo e tinha a exata ciência de que Antonio Palocci (o Italiano) e o ex-ministro Guido Mantega (Pós-Itália) cumpriam jornada dupla como ministros e arrecadadores. Não por acaso, “quatro quintos” das doações via caixa dois envolveram, conforme Odebrecht, as campanhas de Dilma. Mantega foi categórico ao dizer a Marcelo Odebrecht, segundo revelação do mesmo, que a orientação da ex-presidente petista era no sentido de que “todos os recursos” da Odebrecht fossem remetidos à campanha dela. “Você não vai mais doar para o PT, você só vai doar para a campanha dela”, disse-lhe Mantega, instruído por Dilma.

DILMA TINHA CIÊNCIA DO CAIXA 2

Odebrecht disse que a petista tinha conhecimento da dimensão das doações à campanha e dos pagamentos de caixa 2 ao publicitário João Santana

CONTAMINAÇÃO PELA PROPINA

O empreiteiro alertou Dilma de que o dinheiro estava contaminado por propina e que Mantega lhe pediu para doar tudo para a campanha dela e não para o PT

PALOCCI FALAVA POR LULA

Odebrecht disse que tudo o que tratava com Palocci em matéria de liberação de recursos era combinado com Lula. Dilma deu o “ok”

A íntegra do depoimento, ao qual ISTOÉ também teve acesso, foi antecipada na última semana pelo site “O Antagonista”. As versões apresentadas até agora candidamente por Dilma, como se estivesse alheia do maior esquema de corrupção da história recente do País, não param mais em pé. Foram desmoronadas como um castelo de cartas por quem “inventou” a sua própria reeleição, o príncipe das empreiteiras. Foi Marcelo Odebrecht quem arquitetou toda a engenharia financeira da campanha. “Dilma sabia da dimensão da nossa doação. Que éramos nós quem fazíamos grande parte do pagamento via caixa dois para João Santana. Ela sabia que toda aquela dimensão de pagamentos não estava na prestação do partido”, asseverou Odebrecht.

ARRECADOU NO CARGO

Igualmente gravíssimas são as revelações de Marcelo Odebrecht que implicam Lula. O relato do empresário deixa claro que, ainda investido no cargo de presidente da República, Lula se encarregou pessoalmente de arrecadar dinheiro, inclusive no caixa 2, para a campanha de eleição de Dilma, o que é indiscutivelmente crime. De acordo com Odebrecht, o petista era quem gerenciava a conta-corrente da R$ 150 milhões aberta pela empreiteira para o PT. Além disso, possuía uma conta-propina associada a seu condinome, o “Amigo”, da qual teria sacado R$ 13 milhões em espécie. Dinheiro vivo, como antecipou reportagem de capa de ISTOÉ de novembro de 2016. Segundo o empresário, ao contrário do que se imaginava ate agora, a conta PT pertencia não ao partido, mas “à Presidência” e foi Lula quem o encarregou de tratar dos repasses ilegais.

DINHEIRO VIVO

O ex-diretor da Odebrecht Hilberto Silva disse ao TSE que o “departamento de propina” só pagava em dinheiro vivo. Lula bebeu dessa fonte

O “AMIGO” É LULA

A conta dos petistas no “departamento de propina” da Odebrecht somou R$ 71 milhões em 2012. Itália é Palocci, Amigo é Lula e Pós Itália é Mantega

TUDO PARA A PRESIDÊNCIA

Marcelo afirmou que o dinheiro doado não era para o PT, mas “para a Presidência” (Lula e Dilma), com a coordenação de Mantega

Primeiramente com Antonio Palocci e depois com Guido Mantega, conhecidos como Italiano e Pós-Itália. A própria Dilma foi informada por Marcelo Odebrecht, e também por Lula, sobre os intermediários e respectivos papéis no esquema: “Palocci era da relação do Lula…apesar de que a Dilma, eu falei com ela…presidente, tudo eu estou tratando com o Palocci, era meu combinado com o Lula, tá ok? Ela falou: “tá ok”. Como se nota, se ainda restava algum resquício de capital moral atribuído à dupla de ex-presidentes petistas, ele se esvaiu pelo ralo ante o depoimento de Marcelo Odebrecht ao TSE.

O empresário também confirmou o que a ISTOÉ divulgou em 10 de fevereiro deste ano: como contrapartida à MP que isentava a Braskem, petroquímica da Odebrecht, de pagamentos de tributos, o departamento de propina da empreiteira repassou R$ 50 milhões para a campanha de Dilma. A equação era simples: de cada R$ 5 investidos na campanha de Dilma, R$ 4 não eram contabilizados na prestação de contas. Os recursos, embora resultado de um acerto em 2010, foram utilizados na campanha à reeleição em 2014. Boa parte desses depósitos foi feito em contas não declaradas no exterior, conforme o próprio Marcelo alertou pessoalmente Dilma. “Olha, presidente, eu quero informar para a senhora o seguinte: eu tenho medo de que…vi a questão da Lava Jato…exista uma contaminação das contas no exterior que foram usadas para pagamento para João Santana. Então quero alertar a senhora disso tudo”. “Eu alertei ela e vários outros assessores dela”, insistiu Odebrecht. Sobre o atual presidente, o empreiteiro foi taxativo: “jamais recebi pedido específico de Michel Temer”. Segundo ele, num jantar no Palácio do Jaburu, Temer não tratou de doações de dinheiro.

O MENTOR DA REELEIÇÃO

O dono da Odebrecht disse que ele arquitetou a candidatura de Dilma em 2014 e definiu a engenharia financeira da campanha

NO RASTRO DA SUJEIRA

Dos R$ 150 milhões repassados para a campanha de Dilma em 2014, R$ 50 milhões referem-se à propina pedida por Mantega em 2009 em troca de isenção fiscal

Os repasses de dinheiro sujo, que já assustam pela dimensão alcançada e valores exorbitantes, não se limitaram a irrigar o PT e as campanhas dilmistas, por intermédio de Palocci e Mantega. A dinheirama contemplou partidos ligados à chapa de Dilma nas eleições de 2014. No depoimento prestado no dia 6 de março ao ministro Herman Benjamin, o ex-diretor de relações institucionais da Odebrecht Alexandrino Alencar afirmou que operacionalizou a entrega em espécie de R$ 21 milhões de caixa dois para três partidos aliados, entre eles o PRB, o Pros e o PC do B. Segundo afirmou, cada legenda recebeu um aporte de R$ 7 milhões. No depoimento, Alexandrino disse ter entregue pessoalmente R$ 4 milhões só ao PDT.

SEM RODEIOS – Marcelo Odebrecht foi taxativo: Lula e Dilma estiveram no epicentro do esquema de corrupção

O inteiro teor da colaboração judicial dos 77 executivos da Odebrecht deve vir à tona nos próximos dias. Ainda aguarda uma canetada do ministro-relator da Lava Jato no STF, Edson Fachin. Só o relato do empreiteiro ao TSE, no entanto, já foi capaz de reduzir tanto Dilma como Lula aos seus tamanhos originais – bem diferentes daqueles que se apresentavam quando turbinados pelo marketing e pela narrativa petista. Por intermédio de lentes sem retoques, aparentam pequenez inata.

Transcrito da Revista Isto É

Compartilhe Compartilhe

25 março 2017 FULEIRAGEM

ED CARLOS – CHARGE ONLINE

Compartilhe Compartilhe
SÉRGIO MARCHIÓ – MINEIROS-GO

Prezado Berto,

Minha cidade ganhou notoriedade nos ultimos dias por motivos ruins.

Mineiros em Goiás é um municipio grande, o segundo maior de Goiás tem 1/1000 da área do Brasil. Porém a cidade tem somente cerca de 70.000 cabeças de gente. Desta gente alguns milhares vieram das suas bandas, notadamente, Bahia, Maranhão e Alagoas para atender a grande demanda de mão de obra para o empreendimento BRF inaugurado em 2006. A população local foi insufuciente.

Já imaginou o rebuliço que vinha acontecendo cá neste interiorzão?

Estávamos até meio que vacinados contra a gripe PT que vem destruindo a economia brasileira. Este investimento foi criado para produzir perús e chesters principalmente para exportação. Os números passaram a ser enormes: mais de duzentos núcleos (granjas) com 4 galpões de 4000 m2 cada, milhões de aves alojadas, cerca de 40 carretas por dia fazem(iam) o suprimento da fábrica de rações com milho, farelo de soja etc., empregos aos milhares e o comércio rindo à toa. Exibidos nóis não? Nem parecia o Brasil.

Então tivemos que ser lembrados que fazemos parte deste país. Por certo, a par do estrago feito na cadeia de carne, haverão de entender que mesmo que esta unidade venha a ser reaberta logo, ou mesmo mais adiante, vamos vender para quem?

A confiança do consumidor abaladíssima aqui e alhures nos deixa sem clientes.

Meio por cento de maças podres estão estragando o cesto inteiro. E nós aqui no olho do furacão (talvez furicão?) estamos sendo os mais penalizados. Mas os produtores do país todo vão pagar esta conta em longo prazo.

Estamos fudidos e mal pagos aqui hoje.

Até quando?

Se puder nos ajudar vá ao mercado e compre um peru mesmo agora longe do natal.

Abraço do fubânico praticante

R. Como a comunidade fubânica é muito solidária, garanto a você que hoje, sábado, dia de feira, nossos leitores não deixarão de comprar um peru pra ajudar Mineiros a sair do sufoco.

Agora, aqui entre nóis: eu já tinha escuitado falar de todo tipo de fubânico: viciado, abilolado, acorrentado, curioso, cativo, etc…

Mas “fubânico praticante” esta é novidade pra eu. 

Quanto à crise pela qual passa esta bela cidade de Mineiros, é uma coisa triste.

Um fato lamentável.

Torço pra que a situação não perdure e que tudo se resolva o mais depressa possível.

O jornal O Popular, da capital Goiânia, publicou reportagem sobre o assunto.

Quem quiser ler e tomar conhecimento do que está acontecendo por lá, é só clicar na manchete abaixo:

Compartilhe Compartilhe

25 março 2017 FULEIRAGEM

J. BOSCO – O LIBERAL

Compartilhe Compartilhe

25 março 2017 EVENTOS

É HOJE! – ATENÇÃO CUMPADRAGEM DE PAULISTA (PE) E EM REDOR DE 150 LÉGUAS!

* * *

Compartilhe Compartilhe

25 março 2017 FULEIRAGEM

MIGUEL – JORNAL DO COMMERCIO (PE)

Compartilhe Compartilhe

25 março 2017 A PALAVRA DO EDITOR

DATA BESTA

O Instituto Data Besta informa que a Enquete Fubânica continua no ar.

Ela será fechada hoje, sábado.

Se você ainda não deu seu voto, vá aí do lado direito desta gazeta escrota e ajude a indicar quem é o político mais safado da atualidade.

Faça esta safadeza em prol da República Federativa de Banânia!

Compartilhe Compartilhe

25 março 2017 FULEIRAGEM

CLAYTON – O POVO (CE)

Compartilhe Compartilhe
SAÚDE E PRECONCEITO

Dizem que a mulher é sexo frágil, porém, eu duvido que o homem tenha a capacidade de suportar tanta dor quanto ela. A começar pela dor do parto. Admiro a coragem com a qual elas se submetem a baterias periódicas de exames em prol da manutenção da saúde plena. A todos os testes, gostando ou não, elas os enfrentam com determinação e garra.

Um exemplo é a mamografia. Com a finalidade de analisar visualmente o tecido mamário à procura de nódulos cancerosos, elas aceitam que lhes comprimam os seios numa prensa, suportando estoicamente dores e desconfortos. E o que dizer da coleta de material para o exame citopatológico do colo do útero ou exame Papanicolau?

Por maior que seja o pudor, a vergonha ou o receio que as consumam, as mulheres, a eles se submetem na busca de uma vida saudável. Um dos motivos, suponho, seja o fato de se preocuparem com as próprias famílias, antes de pensaram em si mesmas.

Sim, contrair algum mal grave as apavoram. Não por receio da morte, mas, pelo temor de verem desestruturados seus lares, caso sejam acometidas por tais doenças. Daí tanta responsabilidade de manter intata a saúde.

Voltemos, agora, os holofotes para nós homens. Conosco a história é diferente. Descaso, receio, vergonha e preconceito integram o arsenal de mecanismos de defesa que nos ajudam a fugir de qualquer exame clínico, invasivo ou não, para localizar alguma mazela que nos aflija.

Querem um exemplo? Pois lá vai o mais temido de todos: o toque retal nas profundezas do ânus para identificar a possibilidade de câncer de próstata. O dito exame é a vergonha das vergonhas. Uma agressão, um acinte, uma invasão ao recanto guardião da honra imaculada tão preservada e exaltada pelo macho.
Não foi à toa que seu Amaro – um modesto servidor público, meu colega de repartição – preferiu chupar o supositório em vez de enfiá-lo fiofó adentro. E quando eu o orientei sobre como fazer o procedimento correto, ele retrucou dizendo: “Doutor, aqui por baixo nem formiga entra”.

Vasectomia? Hoje afirma-se com alguma segurança que essa cirurgia deixou de ser um tabu. Mas, num passado não tão distante, era improvável o homem pensar em planejamento familiar através desse método contraceptivo. É claro que a responsabilidade caberia a mulher mediante ligadura de trompas, procedimento esse, mais invasivo e arriscado do que buscar a infertilidade com a vasectomia.

Enfim, chegamos a colonoscopia (Ah, aquele bendito dedo à procura da próstata!). O tal exame, que aparenta ser um teste de penetração quilométrica, permite a análise das paredes do reto, cólon e parte do íleo terminal, por intermédio de um tubo flexível introduzido via ânus. Durante o procedimento injetam ar para melhorar a visualização, o que causa cólicas após o procedimento um tanto quanto deprimente.

Já ouvi marmanjo garantindo que prefere abrir a titela para implantar pontes de safena do que se submeter à colonocospia. A verdade é que, por temor ou preconceito, estamos mais susceptíveis a contrairmos doenças letais porque não nos subjugamos a exames indispensáveis quando no momento e hora devidos.
Moral da história: enquanto a mulher usa a razão para descartar o medo de exames; nós homens, com atitudes infantis, ousamos tratar o perigo com escárnio.
Por isso, tanta morte prematura na conta de um preconceito descabido.

Compartilhe Compartilhe

25 março 2017 FULEIRAGEM

NANI – CHARGE ONLINE

Compartilhe Compartilhe

25 março 2017 DEU NO JORNAL

ATÉ NO CABARÉ

* * *

Até no cabaré???

Em qual deles?

Na sede do PSDB ou na sede do PT?

Compartilhe Compartilhe

© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa