PRESO, DIRCEU FICARÁ R$ 11 MILHÕES MAIS POBRE

Josias de Souza

Libertado em maio de 2017 pela Segunda Turma do Supremo, José Dirceu está novamente ao alcance da caneta de Sergio Moro. Ao indeferir nesta quinta-feira os embargos de Dirceu contra a condenação de 30 anos, 9 meses e 10 dias de cadeia, o TRF-4 liberou o juiz da Lava Jato para expedir um novo mandado de prisão.

Mas a punição que mais deve doer em Dirceu não é a volta ao cárcere. Moro aperta o condenado também no bolso. Dirceu está prestes a ficar R$ 11 milhões mais pobre.

Na quinta-feira da semana que vem, vão ao martelo quatro imóveis atribuídos a Dirceu: a casa onde funciona o escritório da JD, empresa de consultoria do condenado, no bairro paulistano de Indianópolis, um prédio registrado em São Paulo no nome de uma filha de Dirceu, uma chácara no município paulista de Vinhedo e uma casa assentada na cidade mineira de Passa Quatro, onde morava a mãe do condenado. Tudo está avaliado em mais de R$ 11 milhões.

As propriedades serão leiloadas porque, segundo Moro, foram adquiridas com verbas obtidas por meio dos crimes praticados por Dirceu contra os cofres públicos. O dinheiro retornará ao verdadeiro dono: o Estado brasileiro. Se não aparecerem interessados, o pregão será remarcado. Dirceu tentou evitar o leilão. Mas o TRF-4 rejeitou na quarta, véspera do indeferimento do embargo, o pedido do condenado para suspender o bloqueio de bens ordenado por Moro.

Na vida, existem os homens de bem, os homens que se dão bem e os homens que são flagrados com os bens. Dirceu abandonou a categoria dos homens de bem ao chegar ao Poder. Perdeu a ilusão de que se dera bem ao ser condenado no mensalão e no petrolão. Agora, será privado dos bens amealhados à margem da lei.

Montesquieu ensinou: “É preciso saber o preço do dinheiro. Os pródigos não o sabem e os avaros muito menos.” No Brasil, os corruptos imaginavam que o dinheiro público era grátis. Apropriavam-se dele impunemente. Isso começou a mudar. O preço da corrupção tornou-se alto. Se o Supremo não atrapalhar, o país acabará potencializando a impressão de que o preço da corrupção pode ser alto.

* * *

PEDIDO RIDÍCULO

NANI

CUIDADO, HÁ CHAVISTAS POR AQUI TAMBÉM

Bastou que Hugo Chávez, há quase 20 anos, começasse a derrubar a democracia na Venezuela, com seu socialismo de frágeis letras e piores números, para surgir aqui seu fã-clube. Ele plantava estatização, cerceamento de liberdades individuais, fechamento de jornais, ódio ao capitalismo, culto de personalidade – e a turma, ao sul do Equador, delirava num misto de inveja e felicidade. Quando o venezuelano parlapatão apareceu em Porto Alegre no Fórum Social Mundial, o estrago já tinha porte suficiente para que o responsável virasse estrela. Não havia, ainda, destroçado a economia de seu país, mas como bom admirador do regime cubano estava no caminho certo. Seria tudo uma questão de tempo. Honra e louvor, então, da esquerda gaúcha ao ditador venezuelano.

Alguns anos mais tarde, a morte sepultou-lhe o corpo, despachou-lhe a alma ao devido lugar, mas os despojos ideológicos foram confiados ao sucessor Nicolás Maduro. Estatísticas dos países de acolhida indicam que 7% da população, mais de dois milhões de pessoas, deixaram o país em busca de oportunidades para sobrevivência. A inflação alcançou 2.616% em 2017. Quatro anos consecutivos de crescente recessão deram um tombo de 35% no PIB em relação ao que era em 2014. O socialismo mata.

Todo esse desastre econômico e social não foi suficiente para que houvesse uma única baixa em sua legião de admiradores que falam portunhol. Ao longo de duas décadas, debati dezenas de vezes com entusiasmados interlocutores chavistas. Ninguém até hoje se retratou das tolices ditas sobre essa maldita receita que, sistematicamente, quebra todos os ovos sem fazer uma única omelete. Patologia incurável! Nicolás Maduro, leio no Estadão deste sábado, quer elevar o número de seus milicianos, hoje um contingente de 400 mil pessoas. “Se queremos de verdade garantir a paz, proponho que, em um ano, haja uma expansão para um milhão de homens e mulheres uniformizados e armados”, disse Maduro durante recente parada militar.

Em julho do ano passado, enquanto os venezuelanos eram executados nas ruas pelas milícias chavistas, PT, PCdoB e PDT subscreveram declaração do 23º Encontro do Foro de São Paulo, em Managua, defendendo a ampliação dos poderes de Maduro pela nova Constituinte, exaltando o “triunfo das forças revolucionárias na Venezuela” e afirmando que a “revolução bolivariana é alvo de ataque do imperialismo e de seus lacaios”. Um pouco antes disso, os deputados petistas Paulo Pimenta, Carlos Zaratini e João Daniel, e o psolista Glauber Braga, incentivavam o confronto. Matéria de O Globo, transcreve a posição de Paulo Pimenta: — “Resistam contra o avanço da direita fascista! Vamos às ruas em defesa do projeto da revolução bolivariana! Contem conosco. Estamos juntos nesta luta!”.

O pior é que estão juntos, mesmo. Eles veem o que está acontecendo na Venezuela e não se importam. Muito cuidado, pois, com os chavistas que falam portunhol. Há uma eleição logo aí adiante.

YKENGA

ÁRIDO E LINDO… ÁGUA…

MIGUEL

RETRIBUINDO FAVORES COM A TOGA

Comentário sobre a postagem LÁ EMBAIXO NÃO TEM BOQUINHA PRA BANDIDO

João Francisco:

“A primeira instância e os TRF’s são formados pela elite do funcionalismo público.

Concorrem aos cargos com outros milhares de candidatos, sobem na carreira por méritos e trabalho.

No STF as indicações são políticas.

Um porque já foi advogado do partido, outro porque sua mãe era amiga da primeira dama.

No governo do PT todos passavam pelo crivo dos Ministros Márcio Tomás Bastos e o José Dirceu.

Eles não tem vergonha de dizer por exemplo que o Ministro Luiz Fux é um ingrato e que o Edson Facchin é um traidor.

É evidente que alguns pagam com a toga os favores.

Afinal, qual é o objetivo das visitas que Gilberto Carvalho e Luís Marinho têm feito ao STF nestes dias, senão lembrar alguns ministros dos favores, como fazem os mafiosos?

* * *

“Mamãe tinha amizades poderosas”

PAIXÃO

COERÊNCIA PETISTA

O TRF-4 negou hoje exceção de suspeição movida por Eduardo Cunha contra Sergio Moro.

A defesa do ex-presidente da Câmara alegou que Moro seria suspeito por “negar oitivas de testemunhas requeridas pela defesa, escrever artigo e conceder entrevistas na imprensa”, sobre sua primeira condenação, e por transferi-lo “da Polícia Federal para o Complexo Médico Penal, em Curitiba, com objetivo de forçar a colaboração premiada”.

* * *

Lula lamentou muito a derrota de Cunha, seu colega de cadeia, no TRF-4, o tribunal onde o ex-presidente teve um pajaraca de considerável calibre enfiada no furico.

O ódio dos corruptos contra a implacável caneta do Dr. Moro é perfeitamente compreensível.

E, em falando de tribunal, o ministro Dias Toffoli votou ontem a favor de Maluf.

Uma coisa já esperada.

Petista defender corrupto é atitude coerente.

J. BOSCO

JUSTIÇA COM O PRÓPRIO DEDO

Essa Justiça tá uma vergonha.

Réu, em denúncia amundiçada de vizinho brigador, foi obrigado, por lei, a cumprir distância mínima de 2000 metros da vítima, tendo que arrodiar, de casa para o trabalho, o mais esticado arrodeio que um réu já rodeou. Muro da China era pinto e o réu lançou mão dos pula-muros jurídicos etc. e coisa e tá. Conseguiu na Justiça, por meio de liminar, reduzir a distância pra 1000 metros; 500 metros; 100 metros; 10; 3… Finalmente, quando conseguiu 80 centímetros, feriu moralmente a vítima, atingindo-a na região glútea, com o dedo médio em estaca, ladeado, em meia altura, do indicador e anular. Matou a vítima de vergonha.

NICOLIELO

MUDANÇA NO VISUAL

Informante fubânico infiltrado no alto escalão do PT acabou de enviar uma foto muito interessante aqui pro JBF.

O flagrante mostra uma reunião das fêmeas vermêio-istreladas com mandatos, a ala bucetal do partido.

A novidade no visual das tabacudas foi introduzida depois do lancinante apelo que a gerente do bando dirigiu aos países árabes através da TV Al Jazira.

Vejam como elas estão se vestindo agora:

Este Editor acabou de enviar à presidente do bando que usa a sigla partidária de PT, a ré que responde a processo no STF, uma mensagem fazendo um alerta.

Avisei a ela – ela que tem o codinome de Amante na lista de propinas da Odebrecht -, que nos países árabes os ladrões e recebedores de pixulecos tem as mãos decepadas.

E as mulheres adúlteras que botam chifres nos maridos – que enfeitam a testa dos paulos bernardos da vida -, estas são apedrejadas em praça pública.

Muito cuidado, dona Gleisi Amante Hoffmann

Fechando a postagem, informo aos distintos leitores fubânicos que está correndo na internet um abaixo-assinado pedindo que seja enfiada uma pajaraca de grosso calibre no furico de Crazy Hoffmann.

Confiram clicando aqui .

ED CARLOS

LULA DESCOBRIU O QUE FAZER COM LIVROS

PELICANO

ESTA GAZETA É UM SPA PRA RELAXAR E DESINTOXICAR

Comentário sobre a postagem UM ABSURDO AUTENTICAMENTE VERMÊIO-ISTRELADO

Naldo:

“Tava entalado até agora, ruminando, mastigando e xingando sozinho esta pilantra com salário de senadora.

Só agora que entrei neste blog consegui relaxar!

Este blog mais parece um SPA!

Já no primeiro post li a “bucetuda” da Crazy Hoffmann !!!!

KKKKkkkkk

Só você pra falar claramente o que o país inteiro quer gritar pra esta fulana desclassificada! FDP!

Só aqui para desintoxicar o fígado e a mente neste país sem noção!

Aqui se consegue dar boas gargalhadas da nossa tragédia política-judiciária!

* * *

S. SALVADOR

JORNAIS ESTRANGEIROS AGORA CONDENAM CORRUPÇÃO DE LULA

Jorge Oliveira

A imprensa estrangeira ainda tem uma visão distorcida do Brasil. Acha que isso aqui é uma selva povoada de índios, onde habitam só jacarés, macacos e outras espécies tropicais. Gosta de folclorizar os nossos costumes, mas amam o futebol, a música e as mulatas. Alguns dos seus dirigentes são tão ignorantes, que confundem o Brasil com outro país, caso do Ronald Reagan, ex-presidente do EUA, ao brindar “o povo da Bolívia” em um jantar oficial em Brasília, em 82. Pois bem, foi nesse cenário exótico que essa imprensa moldou a figura do Lula no exterior: retirante nordestino, ex-sindicalista, desbocado, analfabeto, jeito atarracado, que chegou a presidência do Brasil.

Os jornais alimentaram essa imagem do Lula e, durante muito tempo, esconderam dos seus leitores os malfeitos dele e da sua organização criminosa, pois seus correspondentes no Brasil eram simpáticos ao PT. Ao deixar o governo, imagine!, Lula foi convidado pelo New York Time para escrever artigos semanais tal era a admiração dos seus editores pelo ex-presidente. Perdoou, inclusive, a ameaça que ele fez de expulsar um dos seus correspondentes que escreveu sobre o seu vício de beber.

Agora a mídia americana e europeia está dando o braço a torcer e, aos poucos, diante da realidade, retrata os fatos verdadeiros que esconderam dos seus leitores e revela, sem truques, a real face de Lula e de seus asseclas. Em editoriais, eles se posicionam a favor da Lava Jato e consideram justa a prisão dele por corrupção. O NYT, por exemplo, enaltece a coragem do juiz Sérgio Moro e diz que “o Brasil tem em suas instituições os meios necessários para encarar até os mais poderosos – e populares malfeitores”. Na mesma linha, o Le Monde, um dos mais influentes jornais franceses, diz no seu editorial intitulado “A desgraça de um presidente” que “a prisão de Lula mostra que ele não está acima da lei e que não é um ato político. A Lava Jato deve continuar a combater a corrupção”.

Até o impeachment da Dilma, a imprensa estrangeira fazia uma cobertura equivocada dos fatos políticos no Brasil. Torcia pela dupla Lula/Dilma pelo passado de ambos: um retirante e uma ex-presa política, finalmente, chegavam ao poder no Brasil dos selvagens e dos orangotangos. Até as gafes dos dois eram toleradas porque, afinal de contas, o país era governado por “trabalhadores” de esquerda, uma façanha para os padrões políticos na América do Sul, considerado o quintal do capitalismo.

Na Europa, os jornais torciam discretamente pela permanência da Dilma no poder e condenavam as instituições de golpistas. Órgãos do governo, até então nas mãos do PT, encarregaram-se de fazer uma campanha sórdida lá fora. A ANCINE, por exemplo, a agência de cinema, antes dominada pelo PCdoB, financiou passagens para diretores e produtores de filmes medíocres, mas engajados com a causa dilmista com o objetivo de denunciar o impeachment nos festivais de cinema. Esses cineastas, a soldo do dinheiro público, eram porta-vozes do governo petista nos eventos internacionais patrocinados pela agência.

Embaixadores brasileiros e estudantes de renomadas universidades lá fora também se juntaram a esses cineastas panfletários para falar do golpe como se não pesassem contra o PT as investigações que culminariam na descoberta da maior organização criminosa do país. Demorou para que os correspondentes estrangeiros deixassem suas paixões de lado para escrever com imparcialidade sobre a Lava Jato. O resultado disso é o convite das universidades hoje para que juízes e procuradores falem sobre a operação nas universidades dos Estados Unidos e da Europa, antes abertas aos investigados.

Com a prisão de Lula, os jornais estrangeiros fazem mea-culpa. Uma autocritica quando utilizam os seus editoriais para escrever que a prisão de Lula é justa pelos crimes de corrupção que ele cometeu, o que, aliás, os brasileiros também já reconheceram, segundo a última pesquisa do Datafolha, quando aprovaram a prisão. Não à toa, outro jornal norte-americano, o Washington Post, no seu editorial, também apoia a prisão do Lula, fala da prisão de mais de 120 pessoas na Lava Jato e do êxito do combate a corrupção no Brasil.

Enfim, o mundo se curva aos fatos.

DUKE

Carregar mais