21 julho 2017 FULEIRAGEM

BAGGI – CHARGE ONLINE

21 julho 2017 A PALAVRA DO EDITOR

NEM O BABA-OVO AGUENTA…

Saiu em tudo quanto é canto e em tudo quanto é jornal.

Como o JBF só publica matéria boa e inédita, decidi não botar o vídeo no ar.

Mas as mensagens que chegaram aqui foram tantas que eu vou atender ao apelo dos leitores.

Nem o ministro Cara-de-Bunda aguenta ouvir os discursos do chefe Cara-de-Buceta.

Vôte!!!

21 julho 2017 FULEIRAGEM

GUABIRAS – CHARGE ONLINE

21 julho 2017 DEU NO JORNAL

SAUDADES DA LAVA-JATO

Nelson Motta

Seria maravilhoso se, ao fim da Lava-Jato, nos fosse dado um Brasil livre de políticos corruptos – pelo menos até o surgimento dos novos corruptos – com os condenados presos e falidos, sob o império da lei.

Só que não. Ou alguém acredita que o Senado, com mais da metade de seus membros investigados ou réus em vários processos (alguns têm 13, como Renan Calheiros, ou nove, como Aécio Neves ), não vai votar leis que facilitem o objetivo coletivo de escapar da cadeia e não devolver o roubado?

E a Câmara, que tem um terço dos seus integrantes acusados dos mais diversos crimes, vai votar contra o seu espírito corporativista?

O bom é que os partidos podem acabar, como na Itália depois da Operação Mãos Limpas, quando tiveram que mudar de nome e fazer novas alianças. Aqui o PMDB, PSDB, PT, PP, PR, PTB não farão falta, mas o que virá depois deles? Uma remota chance de novas ideias e práticas?

Na Itália, políticos investigados dos novos partidos de esquerda, direita e centro se juntaram para aprovar leis que anistiavam ou minimizavam seus crimes. Quem conhece o Brasil sabe que aqui não vai ser muito diferente.

A Lava-Jato vai passar, mas o seu espírito vai ficar na memória nacional como um tempo em que o Ministério Público, a Polícia Federal e os juízes de primeira instância deram todo o seu esforço e competência para proteger o Estado e a democracia, perseguindo e punindo os que afrontam a lei e a Justiça, estabelecendo uma nova mentalidade em que a lei é mesmo para todos, sem exceções.

O que mais vou ter saudades é da alegria esfuziante que me invadia, e a milhões de brasileiros, ao receber a notícia, ou melhor, ver ao vivo, gente como Eduardo Cunha, Marcelo Odebrecht, Sérgio Cabral, Zé Dirceu, Palocci, Eike Batista, presos como qualquer ladrão de galinhas. Era como comemorar um gol de placa do Brasil.

Pena que a maioria vai escapar. Unidos, eles enfrentarão a opinião pública e os meios de comunicação para se proteger, pagarão os piores micos, se submeterão aos mais constrangedores vexames, mas no final escaparão e formarão novas alianças “por um país mais justo e solidário”.

21 julho 2017 FULEIRAGEM

VERONEZI – GAZETA DE PIRACICABA (SP)

21 julho 2017 DEU NO JORNAL

UM PALESTRANTE DE BANÂNICO NÍVEL

A descoberta de R$ 9,6 milhões em contas correntes e investimentos do ex-presidente Lula deixou intrigada a força-tarefa da Lava Jato, que investiga o mistério de como o ex-metalúrgico, condenado por corrupção, acumulou tanto dinheiro.

Ao ver bloqueados pela Justiça recursos e bens, Lula se queixou de que a “subsistência” de sua família estaria prejudicada.

Pelo visto, para ele, dinheiro nunca foi problema.

Interrogado na polícia, Lula disse cobrar US$ 200 mil por “palestra”, mas ninguém acreditou. Tampouco ele apresentou comprovantes.

Desde 2015 Lula não faz palestras, para as quais disse cobrar o dobro de Bill Clinton. O ex-presidente dos EUA continua a fazê-las.

Emílio Odebrecht revelou que pagava “honorários” a Lula, além de jatinhos, hotéis de luxo etc, para criar “imagem adicional” na África.

* * *

Que coisa chata. Que insistência dessa grande mídia golpista e reacionária.

O fubânico luleiro Ceguinho Teimoso já cansou de explicar a legalidade da fortuna de Lapa de Palestrador.

É só conferir os balanços publicados por Ceguinho aqui no JBF.

A inveja mata!

Lapa de Corrupto é um conferencista talentoso e com muitas histórias pra contar.

Principalmente histórias da Carochinha.

O maior conferencista banânico; suas palestras são cheias de rico conteúdo bostífero

21 julho 2017 FULEIRAGEM

WALDEZ – CHARGE ONLINE

INDO PARA CURITIBA

21 julho 2017 FULEIRAGEM

SPONHOLZ – JORNAL DA BESTA FUBANA

21 julho 2017 A PALAVRA DO EDITOR

ENFIM, UMA EXCELENTE CANDIDATURA!

Esta semana me telefonou o colunista fubânico Jessier Quirino.

Nosso estimado poeta me disse que havia recebido no seu zap-zap uns versos nos quais era lançada a candidatura da “Besta Fubana”.

Enfim, uma candidata que presta!

E me mandou a interessante criação

Jessier estava curioso, tanto quanto eu fiquei, pra saber quem era o autor da obra.

Atenção, seu cabra que teve esta brilhante ideia, se apresente, por favor.

Quem souber quem é o autor desta obra-prima, que se apresente.

Estamos no aguardo.

* * *

Voto na Besta Fubana
Em Lampião ou Corisco
Troco meu voto num risco
Numa garrafa de cana
Numa casca de banana
Numa lata de Nestlé
Num livro que não se lê
Numa sopa de concreto
Chova canivete aberto
Que eu não voto no PT.

Voto em governo golpista
No raio da silibrina
Em quem recebeu propina
Em candidato fascista
No derradeiro da lista
De militar a Civil
No político mais vil
Voto até num saruê
Só não voto no PT
Que assaltou o Brasil.

Quero ser um caboré
Um criador de intriga
Capacho de rapariga
Porteiro de cabaré
Um sapato com chulé
Ser frio ser calculista
Puxa-saco de cambista
Posso morrer mas não nego
Quero ser guia de cego
Mas não quero ser petista.

O diabo me carregue
No dia da eleição
Não tendo outra opção
Se eu não votar num jegue
Quero morrer num albergue
Deitado num banguê
Tapicuru me roer
Numa noite de inverno
Ir direto pro inferno
Se eu votar no PT.

* * *

A candidata está na ilustração abaixo, conforme é retratada no livro “O Romance da Besta Fubana“, de autoria deste Editor. Ela vem do espaço com sua enorme pica pra ser enfiada no furico de tudo quanto é ladrão, safado e corrupto deste país.

21 julho 2017 FULEIRAGEM

ZOP – CHARGE ONLINE

SEIS SONETOS DE BIU DE CRISANTO E UM FOLHETO SOBRE RUI BARBOSA

bio_de_crisanto

Severino Cordeiro de Souza – Biu de Crisanto (1929-2000)

Viveu e morreu em São José do Egito, Pernambuco, terra de poetas e cantadores. Contemporâneo e conterrâneo de Rogaciano Leite, Louro do Pajeú, Cancão, Antônio Marinho, Dimas e Otacílio Batista, e Jó Patriota. A rua onde viveu chama-se BECO DO POETA. Chamado também o “poeta do beco”. Cedo perdeu tudo, inclusive as duas pernas. Morava num pequeno quarto que dava frente para o sol, para a seca e o sertão da Borborema.

* * *

NA BORBOREMA

O Sol desponta ruivo cor de gema,
Iluminando o pico majestoso,
Do gigantesco dorso sinuoso
Da tão acidentada Borborema.

No sopé da montanha geme a ema,
E embaixo o terreno pedregoso,
Ouve-se o canto ingênuo e harmonioso
Da inocente pernalta, a seriema.

Chove, troveja, e o vento forte agita,
A flora se sacode, a fauna grita,
Um raio irado desce e a penha abre.

Agora é tarde, o Sol rubro descamba,
E rodopiando como roda bamba
Apaga a luz detrás da Serra-Jabre.

* * *

SAUDADE SERTANEJA

A saudade que mais maltrata a gente,
Quando a gente se acha em terra alheia,
É ouvir um trovão para o nascente
Numa tarde de março, às quatro e meia.

A zoada do rio, a orla da corrente
Fazer lindos castelos de areia;
Uma nuvem cobrindo o sol poente
E uma serra pra cá da lua cheia.

Um vaqueiro aboiando sem maldade,
Com saudade do gado, e com saudade,
O gado urrando ao eco do vaqueiro;

O cantar estridente da seriema
E o cachimbo da velha Borborema
Nas manhãs invernosas de janeiro.

* * *

NO SERTÃO ANTIGO

Um moleque no corte assobiando,
Um cavalo pastando na ladeira,
Uma briga de bois na bagaceira,
E um bueiro malfeito “cachimbando”.

Um novilho pé-duro ruminando
Na sombra do oitão da bolandeira,
Um telhado coberto de poeira,
E um rebanho de ovelhas descansando.

Dois bois mansos crioulos atrelados,
Parecidos em tudo, emparelhados,
Vão puxando a almanjarra sem preguiça.

Enquanto várias campesinas belas
Aparecem cantando nas janelas
Duma casa de alpendre à tacaniça.

* * *

DÚVIDA

Nasci! De onde vim é que não sei,
Enfim também não sei para que vim,
Se vim para voltar para que fiquei
Neste intervalo de incerteza assim?

Não foi do pó fecundo que brotei,
Não sei quem tal missão me impôs.
O acaso não foi, já estudei…
Desta incumbência desconheço o fim.

Sou a metamorfose das moneras
Desagregadas nas primeiras eras,
Reunidas hoje nesta luta infinda.

Sou a passagem irreal da forma
Submetida aos desígnios da norma,
Do meu princípio não sei nada ainda.

* * *

PRESSÁGIO

No pé daquele outeiro fumarento
Onde uma ave horripilante ulula
Pressagiando um acontecimento,
Uma jovem “perdida” se estrangula.

Langues sanguíneos tingem o firmamento,
E um nevoeiro acinzentado ondula.
Por um lado do morro já cinzento
0 verde-oliva da ramagem azula.

Uma mulher pejada à fonte desce,
Subitamente o corpo reconhece
Cheia de dó a causa entrega ao bom Jesus.

E diz pedindo a Deus: Ah um aborto!
Se for pra ser sem sorte nasça morto
Este menino que vou dar à luz.

* * *

Um folheto da autoria de Crispiniano Neto

RUI BARBOSA

rui

Quero contar a história
Verdadeira e gloriosa
De um diplomata de peso
De carreira luminosa;
Um crânio cheio de graça,
O nosso gênio da raça,
O baiano Rui Barbosa.

Rui foi um líder político,
Deputado e senador,
Ministro por duas vezes,
Foi filólogo e escritor,
Tradutor e jornalista
Um consagrado jurista
E um gênio como orador!

Porém existe um detalhe
Nas muitas aptidões
Deste crânio brasileiro.
Que deixou tantas lições:
É seu lado DIPLOMATA,
Onde ele compôs a nata
Do concerto das nações!

Foi aí que Rui Barbosa
Consagrou-se de verdade,
Tornou-se a “Águia de Haia”
Com tal legitimidade
Que armado de mente e lábios
Tornou-se um dos “Sete Sábios”
Maiores da humanidade.

Seu tipo físico era frágil:
Quase anão na estatura.
Um metro e cinquenta e oito,
Setenta e dois  de cintura.
Corpo encurvado e franzino,
Fisicamente um menino
Mas um titã na cultura!

Só quarenta e oito quilos
De peso e de sapiência;
A fragilidade física
Escondendo a inteligência…
Mas provou aos seus carrascos
Que “é nos menores frascos
Que mora a melhor essência”!

Clique aqui e leia este artigo completo »

21 julho 2017 FULEIRAGEM

NICOLIELO – JORNAL DE BAURU (SP)

21 julho 2017 DEU NO JORNAL

O “CU” DE CUT É INDISPENSÁVEL NA SIGLA

Os atos de apoio a Lula, convocados pelo PT e por sindicalistas ligados ao partido, reuniu público inexpressivo na noite desta quinta-feira (20), em várias cidades.

Em São Paulo como no Recife, e em várias cidades, as manifestações desapontaram as expectativas dos organizadores.

Usando camisas da CUT, do MST, do PT e de sindicatos controlados por petistas, em São Paulo algumas dezenas de simpatizantes do ex-presidente tomam conta de menos de um quarteirão da Avenida Paulista.

No Recife, a manifestação de apoio ao ex-presidente, condenado à prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, atraiu cerca de trinta pessoas.

Os manifestantes xingaram o juiz Sérgio Moro, que condenou Lula.

* * *

Diz a notícia aí de cima que aqui no Recife a idiotice petralhal reuniu um bando de 30 tabacudos.

Num sei não… Pelas minhas contas foram apenas 13, o número do bando vermêio-istrelado.

Ser xingado por esta canalha indecente que ainda tem a desfaçatez de defender Lula, é uma honra enorme para o Dr. Moro.

O grosso da população brasileira, a banda decente do país – aquela que quer ver corrupto na cadeia -, aplaude e louva o trabalho do magistrado curitibano.

Só mesmo a minoria composta pelos descerebrados zisquerdóides é que ainda se manifesta a favor de larápios.

Vejam no flagrante abaixo, feito ontem aqui no Recife, às margens do Rio Capibaribe no centro da cidade, a “multidão” de antas amestradas que compareceu ao ato bostífero.

A palavra “CU” da maléfica sigla CUT, no lado direito da foto, resume tudo: a manifestação foi uma merda. Saída do cu dos tabacudos.

21 julho 2017 FULEIRAGEM

AMORIM – CHARGE ONLINE

INALDO MELO – RECIFE-PE

Boa noite!

Conheça nosso Projeto Musical!

Por favor, escute essas músicas do nosso novo CD e ajude a divulgar!

(81) 8759-0878 (81) 9707-2770.

Nós da Banda Monalisa CB agradecemos a sua atenção e ajuda!

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

R. Bateu na porta certa, meu caro.

Este espaço está aberto pra tudo e pra todos.

Desejo que brilhem e façam muito sucesso.

21 julho 2017 FULEIRAGEM

SPONHOLZ – JORNAL DA BESTA FUBANA

21 julho 2017 DEU NO JORNAL

LULA, CAUDILHO PENDULAR

Hubert Alquéres

Caudilhos são dados a movimentos pendulares. Deslocam-se à direita ou à esquerda. Menos por ideologia, mais por conveniências. Perón foi mestre nessa arte. Apoiou-se nos Montoneiros e outros agrupamentos da esquerda peronista para voltar ao poder. Mas quando o conseguiu governou mesmo foi com Lopes Regla, El Brujo, um dos oráculos da AAA – Associação Argentina Anticomunista.

Getúlio Vargas também sabia se movimentar ora para um lado ora para outro. O Vargas que namorou o fascismo de Mussolini, entregou Olga Benário aos nazistas e botou comunistas na cadeia, fez um giro de 180 graus quando os ventos sopraram noutra direção. Bandeou-se para o lado dos países aliados, na Segunda Guerra, e postou-se ao lado do seu arqui-inimigo Luiz Carlos Prestes.

O próprio Prestes, um caudilho com ideologia, também fazia suas guinadas. Em nome da “união nacional” e do queremismo getulista, mandou os operários apertarem os cintos – fazer greve, naquele momento, era impatriótico. Dois anos depois levou o PCB a enveredar pelos caminhos do esquerdismo após a cassação do registro do seu partido.

Seria injustiça histórica com Perón, Getúlio e Prestes colocar Lula no mesmo patamar. Até porque os motivos que levam o pêndulo de Lula a se movimentar mais uma vez, agora à “esquerda”, são de natureza diferente.

Nenhum dos três caudilhos foi condenado pela Justiça por crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. Em comum, apenas o fato de Lula repetir agora a rotação que vem exercitando desde a fundação do Partido dos Trabalhadores.

Na puberdade petista, Lula disputou e perdeu três eleições com uma frente de esquerda e com um programa radical. Viu que por aí jamais se elegeria presidente. Tendo José Dirceu como estrategista, ampliou seu arco de alianças na direção do empresariado e de políticos tradicionais.

As alas mais esquerdistas do PT torceram o nariz, mas engoliram os novos parceiros, na crença de que o “Lulinha, paz e amor” era apenas um movimento tático a ser deixado de lado com a posse do morubixaba petista.

Ledo engano, o pêndulo de caudilho inflexionou mais à direita, rendendo-se a uma política econômica ortodoxa. Apropriadamente, o economista Samuel Pessoa caracteriza o período 2003-2006 como “Malocci”, para definir uma linha de continuidade entre a política de Pedro Malan e a de Antônio Palocci. E de fato foi assim. Como disse o economista, “o governo Lula, nos bons momentos, não se distinguiu do de FHC”.

O movimento pendular iria na direção contrária, por razão de sobrevivência, com o estouro do escândalo do mensalão. De olho na reeleição, abandonou paulatinamente os bons fundamentos econômicos, a quem tinha aderido por questão de conveniência.

A “inflexão à esquerda” na economia não teve correspondência na política. Ao contrário, o modelo de compra de deputados via mensalão foi substituído por um tipo de presidencialismo de coalizão calcado no patrimonialismo e fisiologismo, métodos secularmente utilizados pelas oligarquias brasileiras.

O pêndulo Lula era isso: “populista na economia, “direitista” na política”.

A mais recente inflexão era previsível desde o impeachment de Dilma Rousseff. Deslocado do poder em decorrência de ter patrocinado a maior crise econômica-social e o maior escândalo da História do país, o lulismo volta no tempo para resgatar a política de classe contra classe e de frente de esquerda. É com ela que pretende se reencontrar com suas “bases populares”.

A bola já tinha sido cantada na carta de 44 páginas que José Dirceu, ainda preso, escreveu no início de maio: “Nada será como antes e não voltaremos a repetir os erros. Seguramente, voltaremos com um giro à esquerda para fazer as reformas que não fizemos na renda, riqueza, poder, a tributária, a bancária, a urbana e a política. Não se iludam vocês e os nossos. Não há caminho de volta. Quem rompeu o pacto que assuma as consequências”.

Indiretamente, o petismo confessa que tinha um pacto com as elites e, ingenuamente, atribui à traição das mesmas elites como causa de sua hecatombe. A narrativa do golpe e da condenação política de Lula serve para justificar a recaída jacobina do PT, prestando-se ainda para coesionar as fileiras internas. Face à “ameaça externa”, a autocrítica não pode ser feita para não se fazer o jogo do inimigo, segundo Gleise Hoffman.

Isto explica porque, apesar de toda a lambança que patrocinou, o Partido dos Trabalhadores vive momento de grande coesão interna. A inflexão à esquerda já era o clamor de muitas de suas bases, particularmente dos chamados movimentos sociais. O pêndulo de agora atende a esse pleito.

Há uma razão maior. O lulismo sem Lula não tem futuro. Sem ele, o PT tende a ser uma força residual. Para a sobrevivência de todos, é necessário manter o mito, martirizá-lo, para que, na pior das hipóteses, os petistas, tais quais os seguidores de Antônio Conselheiro, percorram os grotões do sertão preconizando a volta de Dom Sebastião.

21 julho 2017 FULEIRAGEM

J. BOSCO – O LIBERAL (PA)

VOLVER

Em 1934 Carlos Gardel e Le Pera compuseram um belo tango-canção, na verdade um dos mais bonitos que já ouvi: Volver.

A letra conta a história de alguém, já com a prata nos cabelos, voltando ao primeiro amor.

Apaixonei-me por ela e quando pude gravei, com produção musical e de áudio de Marcos Vampa.

Agora, fiz mais um vídeo, bem simples, em casa mesmo, e fiquei com vontade de dividir a bela canção com vocês.

Espero que apreciem e que torne o seu dia mais bonito.

VOLTAR (Versão deste colunista)

Eu vejo o cintilar
Das luzes que à distância
Vão marcando meu retorno
São as mesmas que iluminaram
Com seus pálidos reflexos
Fundas horas de dor

E ainda que não se queira o regresso
Sempre se volta ao primeiro amor
À antiga rua onde o eco disse
Tua é a sua vida, e é teu o seu amor
Sob o olhar zombeteiro das estrelas
Que com indiferença hoje me vêem voltar

Voltar com o rosto enrugado
As neves do tempo pratearam minhas têmporas
Sentir que é só um sopro a vida
Que vinte anos não é nada
Que o olhar febril, errante na escuridão,
Te busca e te chama
Viver com a alma apegada
A uma doce recordação
Que choro outra vez

Tenho medo do encontro
Com o passado que volta
Para enfrentar-se com a minha vida
Tenho medo das noites
Que povoadas de memórias
Se enlaçam com meus sonhos

Mas o viajante que foge
Mais cedo ou mais tarde pára de fugir
E ainda que o esquecimento, que tudo destrói,
Tenha matado minha velha ilusão
Guardo escondida minha esperança humilde
Que é toda a fortuna do meu coração

Voltar com o rosto enrugado
As neves do tempo pratearam minhas têmporas
Sentir que é só um sopro a vida
Que vinte anos não é nada
Que o olhar febril, errante na escuridão,
Te busca e te chama
Viver com a alma apegada
A uma doce recordação
Que choro outra vez

* * *

Algumas curiosidades:

Umas publicações dizem que Carlos Gardel fez a música e que Alfredo Le Pera fez a letra, enquanto outros dizem o contrário. Indiquei a primeira opção, porque foi a que encontrei mais vezes.

Carlos Gardel, de alma argentina, nasceu em Toulouse, na França. Em 11 de dezembro de 1890. Sua mãe fugiu para a Argentina, expulsa de casa por ser mãe solteira, quando ele tinha dois anos e três meses. Sua certidão de nascimento foi registrada no Uruguai, para resolver problema de alistamento militar. Isso gerou a confusão das três cidadanias.

E outra curiosidade é que Alfredo Le Pera era brasileiro! Nasceu em São Paulo, no bairro do Bixiga, em 1900. Mudou-se com seus pais para o Uruguai, aos dois anos de idade, e posteriormente foi para a Argentina.

21 julho 2017 FULEIRAGEM

SINFRÔNIO – DIÁRIO DO NORDESTE (CE)

21 julho 2017 A PALAVRA DO EDITOR

É ÁGUA QUE SÓ A BIXIGA LIXA!

* * *

Vocês não se espantem: se o JBF sair do ar de uma hora pra outra, é porque a redação foi inundada.

É água que só a peste nesta cidade maurícea.

Tem cachorro bebendo água em pé, se equilibrando nas patas traseiras.

Cai cada pingo do tamanho de um caroço de abacate.

E a previsão é que neste final de semana as torneiras celestiais vão continuar abertas.

Vôte!

21 julho 2017 FULEIRAGEM

SPONHOLZ – JORNAL DA BESTA FUBANA


www.cantinhodadalinha.blogspot.com
OS INJUSTIÇADOS

Nunca vi tanta injustiça
E tanta perseguição
Com o pobre inocente
Que presidiu a nação
Agora feito Jesus
Que carregou sua cruz
Sofre com a provação.

Seus amigos estão presos
É triste a situação
Mas ele nunca fez parte
Desta suja facção
É só um injustiçado
Com o nome enlameado
Sem motivo e sem razão.

Isso serve para Cunha
E para Aécio também
Para Dirceu, para Temer,
Que são homens de bem
A justiça brasileira
É de fato bem fuleira
E não respeita ninguém.

O Moro tem sido algoz
E ao mesmo tempo infeliz
Bateu o seu martelo
Com o poder de Juiz
Sem provas pra comprovar
Botou foi para lascar
E assim condenou Luiz.

21 julho 2017 FULEIRAGEM

PAIXÃO – GAZETA DO POVO (PR)

GLEISI ESTACIONA NO SÉCULO 19 E ENVERGONHA O BRASIL NA NICARÁGUA

A presidente do PT baixou na Nicarágua para representar o partido no encontro da confraria dos órfãos do Muro de Berlim

Quando não envergonha o Senado com berreiros na tribuna e no plenário ou comendo quentinhas à meia-luz na Mesa Diretora, Gleisi Hoffmann veste a camisa vermelha de presidente do PT para envergonhar o Brasil desfiando cretinices no exterior. Foi o que aconteceu neste domingo, quando baixou na Nicarágua para representar a vanguarda brasileira do atraso no 23° Encontro do Foro de São Paulo.

Já no dia da chegada, jurou que o chefe condenado por corrupção e lavagem de dinheiro é perseguido político, ensinou que a ditadura cubana é oprimida pela democracia americana (ela prefere “estadunidense”) e, enquanto um plebiscito simbólico mostrava a musculatura e o poder de mobilização da oposição democrática venezuelana, promoveu Nicolás Maduro a defensor da liberdade ameaçada pela direita golpista.

Aos olhos da senadora que ganhou da Odebrecht dois codinomes e muito dinheiro, o tiranete bolivariano é vítima da onda de violência que, nos últimos três meses, já matou quase 100 oposicionistas. Maduro e Gleisi hoje lideram ramificações de uma velharia ideológica estacionada no século 19. Logo estarão disputando a liderança de alguma ala das cadeias em que ficarão hospedados.

21 julho 2017 FULEIRAGEM

NANI – CHARGE ONLINE

PORTUGUESAS COM CERTEZA

Amália Rodrigues (1920-1999)

* * *

01 – Lisboa antiga – (J.Galhardo / A.do Vale / R.Ferrão) – Amália Rodrigues – 1969

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


02 – O malhão – (Adapt.R.Leal) – Roberto Leal – 1973

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


03 – Verde vinho – (Udo Jurgens / P.Alexandre) – Paulo Alexandre – 1977

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


04 – Nem às paredes confesso – (Ferrer Trindade / Artur Ribeiro) – Francisco José – 1968

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


05 – Ai mouraria – (Amadeu do Vale / Frederico Valério) – Lenita Gentil – 1994

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


06 – Foi Deus – (Alberto Janes) – Amália Rodrigues – 1961

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


07 – Fado das mágoas – (Ana Moura) – Ana Moura – 2009

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


08 – Uma casa portuguesa – (A.Fonseca/R.Ferreira/V.M.Siqueira) – Francisco José – 1968

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


09 – Coimbra – (J.Galhardo / A.Ribeiro) – Alberto Ribeiro – 1957

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


10 – Contos de fados – (Manuela de Freitas / J.A.Sabrosa) – Aldina Duarte – 2011

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


11 – Arrebita – (Adapt. R.Leal) – Roberto Leal – 1975

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


12 – Cais do Sodré – (Rodrigo F. Inácio) – Rodrigo – 1976

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


13 – Canoas do Tejo – (Carlos do Carmo / Frederico de Brito) – Filipe Duarte – 1997

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


14 – Igreja de Santo Estevão – (G.Oliveira / J.Campos) – Fernando Maurício – 1990

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


15 – Mais um fado no fado – (Julio de Souza / Carlos da Maia) – Camané – 2003

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


16 – Canção do mar – (Frederico de Brito / Ferrer Trindade) – Francisco José – 1961

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

21 julho 2017 FULEIRAGEM

AMARILDO – A GAZETA (ES)

21 julho 2017 DEU NO JORNAL

CAIU NA RATOEIRA

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva teve mais R$ 9,038 milhões bloqueados em planos de previdência privada.

O bloqueio foi comunicado ao juiz Sergio Moro nesta quinta-feira pela Brasilprev.

Segundo o documento, R$ 7,190 milhões estão depositados num plano de previdência empresarial em nome da LILS Palestras, Eventos e Publicações, cujos depósitos são feitos apenas pelos participantes e não pela empresa, que não participa do custeio.

A quantia foi aplicada num aporte único, realizado em junho de 2014.

O segundo é um plano individual do ex-presidente, no valor de R$ 1,848 milhão.

* * *

De fato, como costuma dizer o fubânico Ceguinho Teimoso, Lula extinguiu a miséria e acabou com a pobreza em Banânia.

A primeira pobreza a que ele deu fim foi a dele mesmo.

Um rato esperto que acabou na ratoeira da Justiça.

21 julho 2017 FULEIRAGEM

LUSCAR – CHARGE ONLINE

A DESAPARECIDA

Décadas atrás, numa quarta-feira, o casal Nelson e Marina, residente em Natal, passou um grande susto. Ao voltar do trabalho no final da tarde, a casa estava às escuras e sem nada preparado para o jantar.

Como de costume, Marina tinha deixado com a empregada Josefa o dinheiro do pão, e recomendado o que deveria ser feito.

Como o dinheiro não estava mais no local onde sempre era posto, o casal entendeu que a empregada tinha ido à padaria e ainda não havia voltado.

A serviçal, muito eficiente, estava nesse emprego há sete meses, e dormia na casa dos patrões. Tinha folga nos fins de semana e retornava na segunda-feira, de manhã cedo. Muito calada no que se referia à sua vida pessoal, Josefa havia dito aos patrões, apenas, que era de Goianinha (RN), solteira e tinha 32 anos. Suas folgas semanais, passava na casa de uma amiga, no bairro das Quintas.

Nelson e Marina aguardaram alguns minutos e, preocupados, saíram à procura de Josefa. Foram até à padaria, andaram pelas ruas mais próximas e perguntaram às empregadas da vizinhança se a tinham visto sair de casa. Ninguém dava notícia da moça.

Com a demora de Josefa, o casal entrou em pânico, temendo que tivesse ocorrido alguma coisa séria com ela. Pensaram em atropelamento, ou coisa pior.

Já tarde da noite, o dono da casa telefonou para o pronto-socorro, para saber se tinha dado entrada ali uma moça de nome Josefa Gonzaga da Silva, mas foi informado de que na lista dos pacientes atendidos naquela tarde, esse nome não constava. O casal passou a noite em claro, ouvindo os noticiários das melhores rádios de Natal, na expectativa de alguma notícia trágica envolvendo Josefa.

Ao amanhecer o dia, Nelson ligou para o Instituto de Medicina Legal, e respirou um pouco aliviado, ao ouvir a resposta de que o nome de Josefa Gonzaga da Silva não constava na lista de cadáveres que ali deram entrada na noite anterior.

No sábado, após o almoço, exatamente três dias após o desaparecimento da empregada, Marina ouviu alguém abrir o portão do quintal. Rapidamente, fechou a porta da cozinha e, pela fechadura, viu Josefa entrar e se dirigir ao seu quarto.

Marina tomou uma garapa (água com açúcar), para acalmar o seu “sistema nervoso”. Respirou fundo e foi saber da empregada o que havia acontecido com ela, para que abandonasse a casa daquela forma. A moça olhou para a patroa e, ensaiando um choro forçado, falou:

– Eu estava no hospital, com o meu pai. Ele veio do interior muito doente e foi operado.

Irritada, a dona da casa respondeu:

– Você devia nos ter avisado, ainda que ele tivesse morrido! Devia ter telefonado ou mandado um recado. Ficamos numa aflição horrível, imaginando que tivesse ocorrido uma tragédia com você. Já comunicamos o seu desaparecimento à Polícia, e seu retrato vai sair amanhã nos jornais, “Tribuna do Norte” e “O Poti”, como pessoa desaparecida.

Depois de perguntar à empregada o nome do seu pai, em qual hospital estava e de que havia sido operado, a patroa ouviu a resposta:

– Pai está no Hospital das Clínicas, na Enfermaria 12, leito 3, no segundo andar. O nome dele é Antônio Gonzaga da Silva. Ele se operou de “ovário”.

Admitindo que a empregada estivesse confundindo ovário com próstata, Marina anotou esses dados e, sem dizer nada, foi ao referido hospital, verificar a veracidade do caso.

Pediu informação no setor de internamento e ficou sabendo que naquele hospital não existia enfermaria no segundo andar, como também não constava o nome de Antônio Gonzaga da Silva na lista de pacientes internados. Soube também que os pacientes de enfermaria não tinham direito a acompanhante.

Marina voltou fumaçando de raiva e foi tomar satisfação com a empregada:

– Como é que você não tem vergonha de mentir tanto, Josefa?!!! Seu pai nunca esteve internado no Hospital das Clinicas! Estou vindo de lá agora! E você ainda levantou falso ao seu pai, dizendo que ele se operou de ovário!!! Quem tem ovário é mulher, Josefa!!!!

A empregada, soluçando, resolveu abrir o jogo:

– Eu tive vergonha de dizer a verdade… Fiquei grávida e tomei uma garrafada pra abortar. Tive uma hemorragia e me deu uma dor muito grande no “pé da barriga”. Com medo de morrer, fui pra Maternidade, procurar atendimento. O doutor fez uma curetagem em mim e eu fiquei internada numa enfermaria, até hoje pela manhã.

Marina não acreditou mais em nenhuma palavra de Josefa. Pegou o carro novamente, e, dessa vez, dirigiu-se à Maternidade Escola Januário Cicco. No setor de informações, ficou sabendo que, realmente, Josefa Gonzaga da Silva havia dado entrada ali, na última quarta-feira, à tarde. Fora submetida a uma curetagem de urgência, ficando internada, até aquele sábado pela manhã.

Penalizada com a realidade dos fatos, Marina perdoou a ignorância de Josefa.

21 julho 2017 FULEIRAGEM

PATER – A TRIBUNA (ES)

20 julho 2017 DEU NO JORNAL

ISTO É SÓ O COMEÇO

A Justiça Federal bloqueou, nesta quinta-­feira (20), mais R$ 9 milhões em planos de aposentadoria de Lula. A BrasilPrev informou que obstruiu o saldo de duas aplicações em previdência privada, contratadas pelo ex-­presidente em 2014.

A determinação, emitida pelo juiz Sergio Moro, atende a um pedido do MPF, que solicitou a neutralização dos bens do petista para recuperar o produto do crime de corrupção no caso do tríplex do Guarujá, em que o ele foi sentenciado a 9 anos e meio de prisão.

Até ontem, R$ 606 mil em contas bancárias de Lula, além de quatro imóveis e dois carros, haviam sido bloqueados pela Justiça.

* * *

Nove dedos, nove milhões.

Agora, se for somar com os dedos dos pés, a fortuna cresce mais que o dobro.

E se botar um pixuleco pra cada cabela da barba, aí o homem mais honesto do que Jesus Cristo vai ter milhão que dará pra arrombar a tabaca de Xolinha.

Vôte!!!

20 julho 2017 FULEIRAGEM

SPONHOLZ – JORNAL DA BESTA FUBANA

UM NIPÔNICO AGREDECIDO E VICIADO

Comentário sobre a postagem POLY E SEU CONJUNTO & ANDRÉ PENAZZI E CONJUNTO

Yoshiro Nagase:

“Peninha:

Essa seleção de hoje foi de matar o “veio”: de saudades dos meus bons tempos de inveterado pé-de-valsa.

“ARIGATÔ” (obrigado em “japa”) mais uma vez a você e ao Berto por trazer-nos sempre essas magníficas preciosidades.

Porisso que sou visitador assíduo e viciado neste JBF.

Cordiais saudações.”

* * *

20 julho 2017 FULEIRAGEM

NANI – CHARGE ONLINE

GIULIO SANMARTINI – JUIZ DE FORA -MG

A VERDADE É O QUE NÃO VEMOS, O QUE VEMOS NÃO É VERDADE…

Ainda tenho – mas não muita – paciência para conversar com esquerdistas.

Ontem, comentei com um um professor de história sobre coisas que presenciei na Universidade onde lecionei desde 1974. E ele quase insinuou que eu estava mentindo. Quando ameacei provar o que dizia (nem interessa qual o assunto) com copias de documentos e xerox de jornais, ele declarou que o conceito que ele tem sobre o período é mais confiável, por ser um historiador.

O que presenciei não vale como prova. A verdade dele é maior, porque já foi “problematizada” (seja lá o que for isso*) em debates – claro que com outros esquerdopatas.

Todas as profissões tem seus defeitos, o que não quer dizer que todos os de uma profissão sejam obrigados a ter esses defeitos. Há historiadores que olham mais de um lado, como também existem advogados honestos e políticos que não roubam. O que ocorre atualmente no Brasil, está sendo visto pelos atuais historiadores e professores de história, mas eles não enxergam com olhos normais, eles se julgam mais doutos. Os ladrões não são ladrões, são santos incompreendidos, os assaltantes de rua são meros personagens socialmente prejudicados.

Os criminosos somos nós, eu e você – que trabalhamos e sustentamos essas quadrilhas de políticos ladrões (de todas as tendências). Até certo ponto, concordo com nossa culpa. Fomos nós todos que os elegemos (ou deixamos ocorrer eleições forjadas pelas maquininhas eletrônicas). E não protestamos por serem TANTOS!

Acredito que a maioria das pessoas é boa, ao menos na média estatística. O problema é que os ruins, os idiotas e os incompetentes aparecem muito.

Será que estou sendo muito intolerante? Do meu ponto de vista, quando um grupo fala alto, grita e ocupa mesas de Senado para impedir votações, esse grupo está defendendo algo que é ou se aproxima muito de uma DITADURA. Afinal, o intolerante é quem cala ou quem agride?

Não estou fugindo do assunto: essas mesmas pessoas que me tratam como idiota são as que irão “problematizar” a estupidez e a grosseria das (e dos) senadoras(es) no correr da semana que passou.

E agora calo, para perder menos amigos…

20 julho 2017 FULEIRAGEM

LUSCAR – CHARGE ONLINE

LULA VAI DIZER QUE NUNCA SOUBE DA BOLADA QUE SOBRAVA NOS BANCOS?

Ou o ex-presidente operou o milagre da multiplicação de dinheiro ou não há como explicar os mais de R$600 mil confiscados por Sérgio Moro

O bloqueio de R$ 606.727 depositados por Lula em quatro contas, efetivado pelo Banco Central por determinação de Sergio Moro, não surpreendeu quem leu a sentença: além de condenar o réu a 9 anos e meio de prisão, o juiz também exigiu a devolução de R$ 16 milhões. Surpreendente foi o tamanho da bolada. Como pode um ex-presidente que ama fantasiar-se de pobre manter mais de 600 mil descansando em quatro contas correntes? Só Lula sabe. Mas dirá que nunca soube de nada. E que só pode ser coisa de dona Marisa.

Ele não sabe sequer quanto ganha, gaguejou em março neste ano, numa audiência em Brasília, quando o juiz Ricardo Leite lhe perguntou qual é sua renda mensal. Confira a resposta em dilmês de cadeia:

“São uns seis e pouco de aposentadoria mais uns 20 que minha mulher recebia, que passou para 30. (…) Pode dar 30… 30 mil, mas pode ter mais. Tem mais porque tem doação pros meus filhos, sabe, porque eu não tenho… Poderia chegar a quanto? 50 mil? Eu não sei, eu tô tentando chutar aqui, doutor. (…) O rendimento fixo que eu recebo, todo mês, é isso: 6 e pouco da anistia e – era vinte, agora passou para trinta – a LILS que paga. Mas depois o advogado manda pro senhor, aí, o total do rendimento das doações”.

Lula omitiu o que recebe como perseguido político de araque, escondeu embaixo da cama os R$13 mil pagos ao presidente de honra do PT, fez de conta que ainda recebe convites para palestras cujos cachês são de espantar um Bill Clinton, escondeu os rendimentos auferidos pelo camelô de empreiteira, deixou escapar suspeitíssimas doações ao bando de filhos, insinuou que Marisa Letícia é que sustentava a casa e jurou que não sabe direito se embolsa R$26 mil ou R$50 mil a cada 30 dias.

Se desconhece isso tudo, compreensível que o depoente também ignore que ganhou de presente um apartamento de três andares no Guarujá e um sítio em Atibaia. Talvez tenha sabido só agora dos mais de 600 mil reais que descansavam no banco.


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa