O NÊGO ESPEDITO PEIXEIRO

Espedito é hoje um caboclo magro que só cachorro de fateira e mirradinho no auge dos seus setenta e poucos anos vividos com muita imbuança, cachaça e pescaria de traíras nos açudes da região, com permissão ou não dos donos. Mas é um sujeito de bom coração que sabe valorizar os amigos .

Nasceu no pé da Serra da Matarina, filho de moradores que vieram do tempo de Cícero Nunes um dos primeiros donos da fazenda do mesmo nome. Cresceu naquela ribeira vizinha da Santa Catarina uma outra fazenda hoje transformada em assentamento do INCRA.

Na sua trajetória de cachaça, na então pequena Prata, bateu, apanhou, foi preso e sempre solto pelo dono da Matarina ou os filhos dele a quem viu nascer.

Contam que um dia, já com várias entradas na delegacia local, teve um desentendimento com outro cachaceirinho lá da Serra do Louro, perto da Santa Catarina, meteu a faca no desafeto, um negro imbuanceiro e tocador de oito baixos. Dessa vez foi pra valer. Foram duas facadas certeiras no bucho do negro que quase lhe mandavam pro bico do urubu. E o nêgo Espedito cheio de cana, foi preso sem a mínima resistência e no flagrante.

Um sargento novato, responsável pelo policiamento local  e que já vinha de olho na sua folha corrida decretou:

- Vai dormir hoje por aqui e de  amanhã pra depois, nós “desce” com ele pra o Serrotão.

O Serrotão, que os matutos da região chamam de “Pintada” (talvez por ser pintada de branco), era e ainda é, uma terrível masmorra situada no bairro homônimo em Campina Grande,  pra onde muita gente da região já foi mandada e nunca mais voltou.

O assunto, na rua e na ribeira, era a deportação do negro e foi aí que começou a se movimentar uma ação  de resgate. Se juntaram uns cabras da Matarina, pra elaborar um plano de fuga para o prisioneiro.

A cadeia funcionava numa velha casa aonde foi a bodega de seu Mariano, no meu tempo de menino. Uma construção com o pé direito lá pelos quinze metros de altura, funcionando então  em um dos compartimentos a cela da delegacia com uma parede também alta, dividindo com o outro ambiente aonde ficava o cassino de Deda Cego. Como a casa era de esquina, só tinha vizinho de um lado que  era a boate de Zuza.

Por razões desconhecidas estava preso juntamente com Espedito, o nêgo Iraca, um crioulo  roliço com mais de 90 quilos.

A intenção  era dois dos cabras subirem no telhado com  uma corda pra puxarem Espedito enquanto o resto levava os dois  soldados do plantão pra beberem na boate de Zuza que, sabendo do plano, aumentou o som para abafar qualquer barulho exterior.

Anchieta um cabra forte, subiu na casa mais Marcelo meu sobrinho, abriram um buraco no telhado e lá embaixo, no escuro da boca da noite, avistaram o branco dos olhos arregalados de Iraca que sem saber do que estava se passando perguntou assombrado a Espedito:

- Espedito, o que é isso ?

O nêgo, só por maldade respondeu:

- Sei não, acho que é pistoleiro pra matar a gente.

Iraca abriu da parada e começou a chorar e gritar, e só não atrapalhou tudo por que a esta altura, os dois carcereiros já  completamente embriagados, ouviam em todas alturas o último LP de Roberto Muller na boate de Zuza.

Finalmente, os meninos jogaram a corda e Espedito, maneirinho, subiu como uma lagartixa, pulou o muro, pegou o beco e desapareceu no escuro da noite que já era. Por questões humanitárias, em seguida a corda foi pro nêgo Iraca que por  ser muito pesado só foi puxado até a meia parede que dividia a delegacia e o cassino de Deda.

Pesadão, e ainda meio ariado, o negão tombou pra lá e pra cá  e caiu com todo corpo bem no meio  da mesa aonde quatro jogadores se enfrentavam num carteado. Até hoje nenhum deles entendeu como de repente caiu do céu um negro daquele tamanho .

O fato é que na queda, a mesa ficou um bagaço as fichas e cartas voaram pro alto e todo mundo, inclusive Deda, saiu correndo de dentro do cassino .

Enquanto isso, o nêgo Espedito, já tomava café com cuscuz  na cozinha da fazenda Matarina.

Tranquilo, como se tivesse acabado de acordar naquele momento …

Compartilhe Compartilhe

31 julho 2012 FULEIRAGEM

PAIXÃO – GAZETA DO POVO

Compartilhe Compartilhe

31 julho 2012 DEU NO JORNAL

NADA SE CRIA, TUDO SE COPIA…

“O mensalão foi o mais atrevido e escandaloso esquema de corrupção e de desvio de dinheiro público flagrado no Brasil.”

Roberto Gurgel, Procurador Geral da República

* * *

Fico feliz que só a porra quando vejo que as minhas lindas idéias e os meus belos pensamentos são copiados e repetidos.

Ainda mais por uma alta autoridade da república.

É muita honra pra este pobre editor.

Compartilhe Compartilhe

31 julho 2012 FULEIRAGEM

HUMBERTO – JORNAL DO COMMÉRCIO

Compartilhe Compartilhe

31 julho 2012 FULEIRAGEM

TURANO – O POVO

Compartilhe Compartilhe

“RICARDO FERREIRA, O ASTERÓIDE, O CIENTISTA, O HOMEM (PARTE II)

CCEN – Centro de Ciências Exatas e da Natureza – da UFPE – Ricardo Ferreira (ao centro – sentado), cercado de colegas, alunos,  orientandos, professores e admiradores.

Como vimos na primeira parte deste artigo, Ricardo Ferreira é agora nome de Asteróide.

Já no início deste mês confirmou-se que o asteroide 158520 Ricardo Ferreira, assim foi registrado pela NASA. A notícia foi dada por Paulo Holvorcem, amigo do cientista brasileiro, que o descobriu no início de 2002, juntamente com Charles Jules, seu companheiro de trabalho, já falecido.  A idéia da homenagem foi do astrônomo amador Clausius Lima, amigo de Ricardo Ferreira e de Paulo Holorcem.

Segundo Rejane, primogênita, seu pai tomou até um “uisquinho” quando soube da notícia. Normalmente, só aprecia uma cervejinha.

 

Humanista por essência, democrata por convicção, trata-se de pessoa digna por natureza. Sempre rodeado de amigos e admiradores.

Amigo sem igual, por prática cotidiana, Dr. Ricardo nunca se fez de rogado, é homem simples e bom papo e coerente nos seus pensamentos e ações. É um exemplo de pai como foi de esposo. Por pouco não fez bodas de diamante.

Ao contrário do esteriótipo dos cientistas de cabelos em pé ao estilo de “Volta para o Futuro”, mas também nem tanto acadêmico que ficasse indeterminadamente preso a um computador ou a um tubo de ensaio, Dr. Ricardo é um homem com inteligência muito acima da média, sagaz e com grande senso de humor.

- Lembro-me que muitas vezes, ao anoitecer, ficávamos ali entre a sala e a varanda do primeiro andar na Desembargador Martins Pereira, nos Aflitos, Recife, a prosear, a nos divertir com aquela convivência lunar. Principalmente quando ele que, na minha cabeça só pensava em moléculas e na origem do universo, dedicava-se a prosaicas conversas num ‘dolce far niente’.

Às vezes, Dr. Ricardo, animado, investigava conosco o ‘modus operandi’ de um trecho de livro de Agatha Christie (quase sempe indicado pela ‘agathófila’ Roberta), em “cujo capítulo o assassino deixara o cadáver dentro de um quarto fechado por dentro, com a chave caída, no chão, sem vão por baixo da porta”.

Pois Dr. Ricardo se punha a procurar a solução do problema, ‘aparelhado’ de fios, cordões e clips até demonstrar o que houvera acontecido. Era uma fantasia!!!!!!!

Nós todos, dona Rosa, ele, Rejane, Roberta, Rick (amigo-irmão e colega do Colégio Nóbrega, por conta de quem conheci o pai, Ricardo Ferreira), Rebecca e eu. Quantas noitadas boas, divertidas. Inesquecíveis!

Ainda no campo do prosaico, já morando em São Paulo, lá pelos anos 80, fui visitar Rick, Dr. Ricardo e D. Rosa, que residiam na ocasião no Rio de Janeiro (viviam a rodar o mundo). Num daqueles papos noturnos, me pus a provocar o homem, desta vez sobre futebol que, imaginava, seria a última área pela qual teria interesse. Instiguei: “mas o Zico é incontestável, não é, habilidoso, inteligente, exímio batedor de faltas etc, não é Dr. Ricardo?”. No que ele virou-se e disse, como se fosse um experimentado jornalista esportivo: “olha Quincas, eu acho o Zico um grande jogador, mas não há dúvidas de que o Júnior é muito melhor”. E o homem argumentou convincentemente, por a mais b, o que estava dizendo.

- Falar em futebol, só agora tive a certeza (confirmada por Rejane, querida amiga-irmã) de que ele é um torcedor ferrenho do América-PE (ex-João de Barros FC, campeão do centenário em 22), o verde-branco pernambucano, desde menino. Tinha até um tio que fora médico do time da estrada do Arraial.

                                   

                         6 vezes campeão pernambucano                     campeão do centenário 1922

 Julguei, que, como tantos outros avôs, se dizia América para não ferir suscetibilidades de filhos, netos e parentes – moderninhos torcedores dos grandes timbu, leão e cobra coral.  Qual nada!

Depois, em outra oportunidade, aqui em Santos, estávamos passeando pelos belíssimos jardins da beira-mar, parando, vez por outra, para ver as estátuas, os marcos, as fontes etc. Apareceu então a escultura de Vicente de Carvalho, de quem nem eu, nem Rick havíamos ouvido falar. Pois o cientista, que tinha mais no que pensar, nos brindou com uma aula sobre o “Poeta do Mar”.

Um homem grandioso com a lucidez de ser absolutamente simples e coerente nos seus pensamentos e ações.

Amigo sem igual, é exemplo de pai como foi de esposo. Por pouco, não fez bodas de diamante. Minha homenagem ao asteróide 158520 Ricardo Ferreira, em forma de música: 

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Assim Falava ZaraThustra – Richard Strauss – c/Eumir Deodato s/obra de Nietsche

Enquanto ouvem Eumir Deodato, procurarei agora informar os dados mais objetivos da intensíssima vida profissional de Ricardo Ferreira:

Com uma bolsa do Conselho Nacional de Pesquisas, o CNPq, foi para o Rio de Janeiro (1957), trabalhar com o Jacques Danon no Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas, o CBPF.

Repito: inovou a química inorgânica com o cálculo das constantes de ionização dos ácidos oxigenados. É um dos químicos teóricos mais importantes do Brasil.

Clique aqui e leia este artigo completo »

31 julho 2012 FULEIRAGEM

AROEIRA – JORNAL O SUL

Compartilhe Compartilhe

31 julho 2012 DEU NO JORNAL

DEAR YANKEE, PLEASE COME TO SÃO FRANCISCO RIVER

A Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), órgão do governo federal subordinado ao Ministério da Integração, contratou o Corpo de Engenharia do Exército dos Estados Unidos (Usace) para estudar alternativas que tornem navegável o Rio São Francisco, um dos mais importantes cursos d´água do país e da América Latina.

O contrato, de R$ 7,8 milhões (US$ 3,84 milhões), foi assinado em dezembro do ano passado e, em março deste ano, os primeiros engenheiros do Exército norte-americano chegaram ao Brasil com a missão de desenvolver projetos que contenham a erosão nas margens e facilitem a construção de uma hidrovia no São Francisco.

Na semana passada, o comandante do Comando Sul das Forças Armadas dos EUA, brigadeiro Douglas Fraser (que responde diretamente ao secretário de Defesa e ao presidente Barack Obama), esteve em Brasília para saber como anda o trabalho.

* * *

Entendi…. Entendi… O gunverno revolucionário, popular, cubanófilo e esquerdista do Partido dos Trabalhadores contratando engenheiros militares dos Estados Unidos pra dar uma guaribada no Velho Chico, o brasileiríssimo “Rio da Unidade Nacional”… Entendi, entendi…

Nem os generais da ditadura chegaram a tanto.

Como diz Lapa de Demagogo com Síndrome de Deus, o PT veio pra mudar “tudo isto que está aí“.

Até o lema “Yankee go home” foi mudado pelo Socialismo Muderno.

A partir de agora, a militância zisquerdo-comuno-petelha tem que ir pras ruas a bradar o novo grito de guerra:

Yankee, my love, come to my home

Deve ser isto o que Natan chamou de  “Novíssima ordem socialista mundial” em sua coluna

Militante zisquerdinha brasileiro com camisa vermêia e gravata nos conforme da novíssima ordem socialista mundial, empunha cartaz enquanto recepciona emocionado os militares americanos que irão trabalhar no Rio São Francisco ao som do hino nacional yankee, cantado por uma petralha sertaneja formada em Yale 

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Compartilhe Compartilhe

31 julho 2012 FULEIRAGEM

AMARILDO – A GAZETA

Compartilhe Compartilhe

MOTE

O que para mim é um desafio, para os malassombrados do Besta Fubana é um lazer.

Relaxem, gozem e glosem o mote:

Melhor que morrer cheiroso
Só mesmo escapar fedendo.   

Tem gente que tem mal hálito
Azia, cólica e má digestão
Cálculo renal e hipertensão
Alzheimer, diabete e anorexia
Câncer de pele e hiperglicemia
Unha encravada, dente doendo
Corpo chagado, pus escorrendo
Espinhela caída e é tuberculoso
Melhor que morrer cheiroso
Só mesmo escapar fedendo.

Compartilhe Compartilhe

31 julho 2012 FULEIRAGEM

FLÁVIO – CHARGE ONLINE

Compartilhe Compartilhe
CARDEAL MARCO DI AURÉLIO, DOM CAPETA – JOÃO PESSOA-PB

Amigos,

Faremos uma noite de encontro poético/musical no Tambaú Grill – Av N.S. dos Navegantes, dia 10 de agosto, às 20:30h.

Serão reservadas 50 mesas ao preço de 220 reais para 4 pessoas, com direito a um prato de camarão ao alho e óleo, mais um prato de frango à passarinho.

As reservas poderão ser feitas pelos telefones – 8856.7075 e 9905.0107, ou no local do encontro.

Teremos o maior prazer em tê-los conosco.

R. Minino, agora eu fiquei assanhado.

Acho que vou passar o outro final de semana em João Pessoa só pra ver estas três feras num recital da bixiga lixa.

Compartilhe Compartilhe

31 julho 2012 FULEIRAGEM

S. SALVADOR – ESTADO DE MINAS

Compartilhe Compartilhe
HORA DA VERDADE

O cenário foi montado. As peças estão colocadas nos seus respectivos lugares. Os atores e coadjuvantes estão conscientes de seus papéis. O país e a sociedade, cansados de tanto esperar e muito ansiosos pelo resultado dos trabalhos, aguardam o julgamento da ação penal do mensalão que está marcado pelo Supremo Tribunal Federal para começar no inicio de agosto. Logo no dia 2.

O mensalão, batizado de escândalo por causa dos conchavos políticos, foi deflagrado no ano de 2005 e descoberto posteriormente, quando alguns parlamentares da base aliada foram flagrados recebendo gratificação para garantir apoio político ao governo no Congresso.

O financiador do esquema de pagamentos aos políticos que se aliavam aos interesses do governo foi uma famosa agência de publicidade que tinha como fonte de recursos alguns órgãos públicos e estatais. 

Desde o inicio, o brasileiro vem acompanhando o caso se arrastando na Justiça, sem conclusão. Como tem todos os ingredientes para se transformar num dos mais polêmicos julgamentos do STF, o povo está preparado para aguentar, segundo previsões, quase dois meses de debates, discussões e análise das peças questionadas. Sem desviar a atenção um minuto sequer sobre a atuação dos ministros da Casa para não dar brechas jurídicas para a defesa dos réus.

O impressionante é o número de réus do mensalão. São 38 pessoas denunciadas pela Procuradoria-Geral da República como prováveis participantes no suposto esquema que ensejou o preenchimento de 50 mil páginas relatando os pormenores de cada caso que deverão gerar mais de mil sentenças distintas. Complexo, o mensalão envolve acusações sobre crimes de formação de quadrilha, peculato, lavagem de dinheiro, gestão fraudulenta, evasão de divisas e corrupção ativa e passiva.

No processo em tramitação na Corte excelsa foram ouvidas cerca de 600 testemunhas espalhadas por mais de 42 cidades brasileiras. Por incrível que pareça somente na inquirição dos depoentes na investigação foram gastos quatro anos.

Na relação de acusados constam os nomes de ex-dirigentes do PT, ex-tesoureiro de partido, ex-secretário geral de partido, empresários, funcionários das empresas envolvidas, outras autoridades em evidência na época e três deputados federais. Caso os parlamentares em atividade sejam condenados pela última instância, podem perder o mandato. Segundo parecer da Constituição, caso sejam presos, os condenados ficarão inelegíveis pelo prazo de oito anos, conforme a Lei da Ficha Limpa.

Confiantes na íntegra postura da mais alta representação da Justiça brasileira, a sociedade, mesmo inconformada com a lentidão judiciária, acredita na imparcialidade dos votos dos ministros do STF. O povo espera comemorar vitória moral contra aqueles que se julgavam superior a tudo e a todos, vendo-os pagar pelos crimes cometidos contra o país. 

Faz 40 anos, o STF julgou e condenou à prisão fechada um deputado federal de Roraima por ter cometido atos de improbidade durante o mandato. 

Então, ávida por experimentar novos supremos momentos na vida democrática do país, o brasileiro que ter a absoluta certeza de que o caso do mensalão receberá mais um veredicto justo para limpar a sujeira que rola abertamente nos bastidores políticos. Sujando internacionalmente a imagem do país, como  perigosa e inesgotável fonte de corrupção.

Compartilhe Compartilhe

31 julho 2012 FULEIRAGEM

PELICANO – BOM DIA SP

Compartilhe Compartilhe

31 julho 2012 A PALAVRA DO EDITOR

UMA MALASSOMBRADA FUBÂNICA

Minha querida amiga Irah Caldeira, mineira talentosa que o Nordeste adotou e que hoje é um dos maiores nomes da constelação artística deste recanto de mundo, deu uma reformada em seu sítio na internet. E o que era bom ficou melhor ainda. Recomendo a todos os fubânicos uma passada em sua página, que está na lista dos “Comparsas“, aí do lado direito do blogue. Só pelas músicas que vão tocando, já vale a pena a visita à página de Irah.

Pra minha grande alegria, apesar das mudanças, ela conservou um texto meu intitulado “Irah Caldeira – A estrela de todos nós“, que está no item “Apresentação”.

Por uma feliz coincidência, recebi há poucos dias uma série de fotos feitas por um primo meu, figura muito querida na família, Júnior Granja, um artista da imagem que dirige a GMN FotoShow Produções – (81)  9977-7175. Flagrantes que ele fez de Irah em pleno palco, numa das inúmeras apresentações de uma artista que tem a agenda sempre cheia. Vou reproduzir as fotos do jeito que ele me mandou, lá no final da postagem.

Mas, antes das fotos, um brinde pros leitores fubânicos. Um vídeo tirado do DVD de Maciel Melo (Isto Vale um Abraço), onde Irah Caldeira interpreta “Um vêio d’água“. Trata-se de letra que é uma tocante homenagem do Bispo Maciel à sua terra, a cidade de Iguaraci, sertão de Pernambuco, lindamente interpretada pela Prioresa Irah:

E, no próximo sábado, Irah Caldeira virá ao Palácio Pontifício pra matarmos as saudades, tomarmos umas lapadas com alguns amigos e celebrarmos o aniversário dessa “estrela de todos nós” (8/Ago).

Um xêro e mais sucesso ainda, lindona!!!

Compartilhe Compartilhe

31 julho 2012 FULEIRAGEM

PADRE SPONHOLZ – JBF

Compartilhe Compartilhe
MARCOS MAIRTON – QUIXADÁ-CE

Grande Papa,

tem muita coisa interessante por esse Brasil afora.

Olha esse trio que circula, em meios a carros de luxo, pelas ruas do bairro da Aldeota, em Fortaleza…

R. Por esse Brasil e por essa Nação Nordestina o que a gente mais vê é coisa interessante, meu caro.

Além do simpático trio, outra coisa me chamou a atenção na foto que você nos mandou. É aquele cartaz amarelo lá no fundo.

Que danado vem a ser “capa p/rolo“? E “saiote“?

Seria aquilo uma loja de roupas pra fêmeas?

Me mate esta dúvida cruel, por favor.

Compartilhe Compartilhe

31 julho 2012 FULEIRAGEM

AMORIM – CORREIO DO POVO

Compartilhe Compartilhe

31 julho 2012 FULEIRAGEM

DUKE – SUPER NOTÍCIA

Compartilhe Compartilhe

http://www.fernandogoncalves.pro.br
EXEMPLOS DE CIDADANIA

Na ante-sala das eleições municipais de 2012, quando pelos eleitores deverão ser ejetados das Câmaras Municipais Brasileiras os que não souberam honrar seus mandatos, no livro Corrupção Mostra a Sua Cara, do jornalista, historiador e professor Marco Morel, PhD em História pela Université de Paris I, alguns exemplos apontados como incorruptíveis ampliam esperanças e fortificam militâncias que aspiram para o país uma imagem de nação honrada para os qietro cantos do mundo.
 
Muito distanciados dos corruptos os mais diferenciados – segundo o autor, “há os corruptos chamados ‘meia-porção’, os de ocasião, os pontuais, os arrependidos, os tardiamente pervertidos, os que só pegam leve e os que só agem às escondidas” – dentre os mencionados, três exemplos me tocaram profundamente, um pela saudade até hoje deixada em milhões, outro pela pernambucanidade impoluta até o final da vida, outro pela profissionalidade exemplar manifesta nos tribunais em tempos autoritários.
 
Com o primeiro, Dom Hélder Câmara, que morava sem conforto algum nos fundos de uma modesta igreja, o caso aconteceu na década de 1970. Com ar aflito, uma mulher de aparência humilde pediu para entrar nos seus aposentos, portando uma mala estufada de dólares. Choramingando, a mulher dizia ter encontrado tal mala cheia de dólares na rua e não sabia o que fazer com ela, achando por bem entregá-la ao Dom, conhecido por suas atividades junto aos pobres. Com sua sabedoria e sacando de imediato o que estava por debaixo dos panos, o Dom despachou a mulher e a sua mala: “Leve o dinheiro  para o governador, minha filha, ele saberá muito bem o que fazer com isso”. E voltou para sua escrivaninha, para continuar a travar o bom combate em favor dos que não possuíam nem voz nem vez, sempre pautado numa das suas bandeiras existenciais: “Não me dou a penitências.Com todo respeito que me merecem os santos, não sou homem de autoflagelações… Não há penitência melhor do que aquelas que Deus coloca em nosso caminho.”
 
O segundo exemplo é de um pernambucano, Barbosa Lima Sobrinho, ex-governador de Pernambuco e ex-presidente do então portentoso Instituto do Açúcar e do Álcool. Depois de ser deputado federal por três legislaturas seguidas, voltou em 1951 para sua residência no Rio de Janeiro, reassumindo seu cargo de professor da rede pública, onde lecionava história econômica no colégio Amaro Cavalcanti. Faleceu com 103 anos na casa que sempre morou, sem ter havido qualquer incremento do seu patrimônio pessoal. Em vida foi patrono dos jornalistas na defesa das liberdades públicas e da liberdade de imprensa, tendo combatido enfaticamente as privatizações dos governos FHC, hoje conhecidas como “privataria tucana”.
 
O exemplo último, também sempre recordado no Poder Judiciário, é reservado à trajetória jurídica do advogado Heráclito Fontoura Sobral Pinto, um cumpridor intransigente da lei, não obediente defensor de governos. Quando foi decretado o Ato Institucional nº 5, ele, com 75 anos, enviou ao então ditador de plantão e moribundo Costa e Silva uma carta onde denunciava a instituição daquele ato de força, sendo preso por recusar-se a acatar aquela determinação ilegal. Defendeu gratuitamente Luíz Carlos Prestes na ditadura Vargas, também sendo defensor gratuito do escritor Graciliano Ramos e do dirigente comunista alemão Harry Berger. Sempre vivendo do seu trabalho, recusou convite de JK para integrar o Supremo Tribunal Federal, pois não queria que a defesa feita por ele para a posse do presidente fosse entendida como de interesse pessoal. Num dos últimos pronunciamentos, no gigantesco Comício das Diretas, no Rio de Janeiro, causou profunda emoção, ao proclamar com sua voz já bastante enrouquecida: “Todo poder emana do povo e é em seu nome exercido”.
 
O livro do Marco Morel merece ser lido inclusive por todos aqueles bundões que estão proclamando que votarão nulo ou branco nas eleições de outubro próximo. Arroteiros incultos que desconhecem História, desapercebidos sempre de uma inesquecível lição deixada por Bertolt Brecht, alemão de muita solidariedade universal: “Desconfiai do mais trivial, na aparência singelo. E examinai, sobretudo, o que parece habitual. Suplicamos expressamente: não aceiteis o que é de hábito como coisa natural, pois em tempo de desordem sangrenta, de confusão organizada, de arbitrariedade consciente, de humanidade desumanizada, nada deve parecer natural, nada deve parecer impossível de mudar”.
 
Combatemos com nossos títulos eleitorais os corruptos e os corruptores nas eleições de outubro próximo. Ensinando aos mais abiscoitados que o caminho se fez andando, como apregoa o poema libertário.

PS. O ministro dos Esportes, Aldo Rebello, deveria ter enfiado o “rebello” entre as pernas antes de manifestar uma descomunal inveja pela participação da Marina Silva no desfile inicial dos Jogos Olímpicos de Londres. Comportou-se como um me(r)díocre!!

(Publicada originalmente na Revista Algomais)

Compartilhe Compartilhe

31 julho 2012 FULEIRAGEM

ZOPE – CHARGE ONLINE

Compartilhe Compartilhe

LOUCA POR NÃO TER ‘ROSTOLIVRO’

Há alguns dias, numa rara noite em que fiquei acordada até mais tarde, assisti à um jornal de tv. Levantei-me do sofá rapidamente, percebendo a hora avançada, e fui em direção da televisão para desliga-la; acordo bem cedo e não me dou o luxo de acompanhar os programas noturnos.
 
Enfim, antes que eu apertasse o botão, parei para escutar uma notícia que realmente chocou o mundo (jargão de jornalista). O apresentador estava falando sobre aquele rapaz americano que, doidamente, entrou no cinema e saiu atirando para tudo quanto é lado sem motivo aparente ( se é que há algum aparente).

O âncora começou a notícia mais ou menos assim: ‘esse fato que aconteceu nos EUA nos mostra duas verdades sobre a sociedade americana: uma é que eles têm uma maneira de violência uma vez que o rapaz parecia ser um bom cidadão, estudou em boas escolas, era de família de classe média, não tinha passagens pela policia (diferente dos ‘ladrõezinhos brasileiros – parêntese meu) e a outra é que uma característica dos psicopatas de hoje é que eles são, geralmente, pessoas introvertidas, caladas, tímidas e não participam de redes sociais’.

Aqui vamos nós! Logo depois dele terminar essa descrição, pra mim, falha, desliguei a tv, rindo. Ok, ok, ele disse que isso é uma realidade americana mas, ainda assim não achei tão condizente com o que acontece mesmo.

Ora, sou uma pessoa conectada (como dizem por aí). Tenho e-mail – apesar preferir as cartas escritas à mão mesmo por achá-las mais íntimas, verdadeiras e românticas; leio as notícias pela Internet, tenho cadastro num programa de mensagens instantâneas – mesmo que eu goste de conversar pessoalmente, tenho uma página onde posto imagens que me agradam ; isso tudo significa que não sou isolada do mundo. Confesso que, depois do que escutei no jornal, fiquei com uma dúvida patética e irracional sobre isso.

Não faço parte de nenhuma rede social. Não tenho perfil no Facebook (podem acreditar), não tive Orkut, cancelei meu Badoo e não entro mais no Twitter. Já perdi encontros da minha turma de faculdade por isso, perdi alguns contatos ao longo dos anos que poderia encontrar, não sei da vida das pessoas – o que para mim é a vantagem disso tudo! Não suporto a utilização dessas redes! As pessoas as utilizam para fofocar, invejar, mostrar o que tem e o que não tem… Isso não faz parte de mim e eu não quero fazer parte disso. Absolutamente!

O fato de eu achar que há atividades mais interessantes que passar horas olhando fotos e feitos de outras pessoas não deveria me caracterizar como uma pessoa introvertida, tímida ou ainda psicopata. A distância que mantenho da futilidade desses contatos me deixa é orgulhosa de manter uma posição que poucos têm coragem de fazer. Já me chamaram atenção por isso, me julgaram, se distanciaram; mas isso é apenas questão de princípio.

Penso que, se a vida que levamos sem, muito espectadores, já pode ser difícil, cheia de desafios; imagina aquela exposta a qualquer tipo de comentário ou desejos ou energias – na maioria ruins. Não, prefiro ter por perto mesmo aqueles pessoas que queiram dividir minha vida comigo de maneira mais presencial.

Agora, pela declaração do jornal, já deixei avisado aqui em casa: se me virem por aí com uma arma na mão, cheia de bombas em casa e com o cabelo laranja, corram! Me descobri psicopata por não existir no Face!

Compartilhe Compartilhe

31 julho 2012 FULEIRAGEM

FAUSTO – OLHO VIVO

Compartilhe Compartilhe

31 julho 2012 DEU NO JORNAL

AS TRÊS GRANDES DESGRAÇAS DA IMPRENSA BRASILEIRA

O juiz federal Alderico Rocha Santos afirmou nesta segunda-feira (30) ter sido chantageado por Andressa Mendonça, mulher do contraventor Carlos Augusto de Almeida Ramos, o Carlinhos Cachoeira.

O juiz é responsável pelo processo da Operação Monte Carlo na Justiça Federal, que culminou na prisão do bicheiro em fevereiro.

Segundo o magistrado, Andressa o procurou na quinta-feira (26) afirmando que teria um dossiê contra ele e, em troca da não-publicação, teria pedido um alvará de soltura para Cachoeira.

* * *

Um fonte fubânica bem informada me garantiu que Andressa, ao tentar chantagear o juiz com a publicação de um dossiê, disse ao magistrado que procuraria os três pincipais órgãos da imprensa reacionária e golpista pra oferecer a papelada com denúncias.

Segunda ela, pela ordem de importância e penetração junto ao grande público, os órgãos  aos quais entregaria o dossiê seriam Jornal da Besta Fubana, Rede Globo e revista Veja. Os três órgãos mais escrotos da grande imprensa destepaiz.

Agente da Polícia Federal passa a mão no cobiçado e bilionário pé-de-rabo de Andressa Cachoeira ao revistá-la na entrada do prédio da entidade, em Goiânia, quando ela foi explicar porque queria publicar seu dossiê contra o juiz no Jornal da Besta Fubana

Compartilhe Compartilhe

31 julho 2012 FULEIRAGEM

CLÁUDIO – AGORA SP

Compartilhe Compartilhe

31 julho 2012 FULEIRAGEM

FANI – A TRIBUNA

Compartilhe Compartilhe

31 julho 2012 DEU NO JORNAL

O TRABALHO DO MINISTRO DO TRABALHO

Marco Antonio Villa

Carlos Daudt Brizola, para a surpresa de muitos, é o ministro do Trabalho. Sua passagem pelo ministério ─ hoje sem a mínima importância, ficou seis meses sem titular e ninguém notou ─ é a de um adepto radical de Paul Lafargue, o autor do clássico “O Direito à Preguiça”.

Tomou posse no dia 3 de maio, quinta-feira. No dia seguinte teve um compromisso, às 10h. Reapareceu após quatro dias. Mas, de acordo com sua agenda oficial, seu expediente foi restrito: duas atividades pela manhã, não mais que duas horas. No dia 9, compareceu ao ministério, outra vez só pela manhã, para uma palestra. Na quinta, não mudou a rotina: um compromisso. No dia posterior, mais ociosidade: uma atividade, no final da tarde. Em seguida, três dias de folga. Reapareceu no dia 15, uma terça, para um evento às 10h30. Mais nada.

O mais bizarro é que o ministro desapareceu um mês ─ um mês! Será que quis gozar das férias? Já? Só voltou no dia 14 de junho. Estava na Suíça, que ninguém é de ferro.

Aí, como um homem de hábitos arraigados, tirou mais quatro dias de descanso. Em 19 de junho, uma terça, Daudt Brizola resolveu compensar a ociosidade. Marcou três audiências: das 15 às 18 horas, trabalhando três horas. Na quarta foi assistir a Rio+20. Na quinta, folga. Na sexta participou de um evento, pela manhã, no Rio, onde mora.

Pesquisando sua agenda, achei que ele finalmente iria assumir o trabalho no ministério do Trabalho. Sou um ingênuo. Submergiu mais cinco dias. Ressurgiu no dia 27. E aí, workaholic, trabalhou três horas pela manhã, duas e meia à tarde. No dia posterior, repetiu a dose. Na sexta-feira, veio a São Paulo e em seis horas visitou quatro centrais sindicais. Em junho, trabalhou oito dias. Só em um deles a jornada se aproximou das oito horas diárias.

Em julho, Daudt Brizola só começou trabalhar na terça-feira: ele não gosta das segundas-feiras. Mas nada muito estafante: 90 minutos pela manhã, começando às 10h. À tarde, a mesma jornada, a partir das 16h. Na quarta, cinco horas. Na quinta, descansou pela manhã, almoçou tranquilo e só começou seu expediente às 14h30. Foi embora três horas depois. Na sexta, só compareceu ao ministério à tarde, por 60 minutos. Às 15h, estava liberado. Afinal, tem o happy hour.

Na segunda semana de julho, como um Stakhanov, resolveu ser um herói do trabalho. Registrou atividades de segunda a sexta. Claro que com o espírito macunaímico: em dois dias só teve um compromisso.

Parecia, apenas parecia, que finalmente o ministro do Trabalho iria trabalhar. Mais uma vez acabei me equivocando. Como de hábito, deixou a segunda de lado. Só apareceu na terça, à tarde, reservando 60 minutos para a labuta. Na quarta, mais três horas de expediente. No dia seguinte, o ministro sumiu. Só voltou seis dias depois, e somente à tarde. E voltou a se evadir do dia 25 ─ é devoto de São Cristovão?

Paro por aqui. Não vale a pena cansar o leitor com as ausências ao trabalho do ministro. Será que a presidente não tem conhecimento do absenteísmo do ministro? Com tanta greve, o que ele fez?

E o que diria Leonel Brizola ─ que trabalhou e estudou com enorme dificuldade, se formou engenheiro em um curso noturno, quando era deputado estadual ─ vendo um neto tão pouco afeito ao labor?

Em tempo: Brizola Neto é o irmão, não ele.

Compartilhe Compartilhe

30 julho 2012 FULEIRAGEM

DUKE – SUPER NOTÍCIA

Compartilhe Compartilhe

30 julho 2012 FULEIRAGEM

AMORIM – CORREIO DO POVO

Compartilhe Compartilhe
GUIA DO CEGUINHO DO ARARIPE – ARARIPE-CE

Seu Papa Berto,
 
Com a proximidade do julgamento do mensalão, o Ceguinho achou por bem ditar os versos que mando agora.

Vamos torcer para que a justiça prevaleça, sem passar a mão na cabeça de ninguém.
 
Um abraço cá da Chapada
 
Guia do Ceguinho do Araripe

Compartilhe Compartilhe

30 julho 2012 FULEIRAGEM

NÉO CORREIA – CHARGE ONLINE

Compartilhe Compartilhe

30 julho 2012 FULEIRAGEM

NANI – CHARGE ONLINE

Compartilhe Compartilhe
DOIS POEMAS MATUTOS DE POMPÍLIO DINIZ

CONSEIO

Era assim que eu lhe dizia
Menina você me insurta
Repare essa saia curta
Cuidado que o povo espia
Pois quando ocê vai passando
Os ôme ficam rezando
Prá que dê uma ventania…

Assuba mais o decote
Que assim tá muito descido
E prú favor tomem bote
Uma barra nesse vestido
Menina: ninguém é santo
Repare que em tudo canto
Tá assim de ôme inxirido…

Mas vosmecê repare só
Ela não tinha receio
Se eu falasse era pió
Porque depois do conseio
Prú capricho ela botava
Um vestido que amostrava
A “metade” du jueio…

Pois vosmecê logo imagina
O que isso tudo veio dá…
Coitadinha da menina,
Eu cansei de lhe avisá.
Pois sabe o que acunteceu??…
Ela casou-se cum eu
Tem dez filhos pra criar.

* * *

O RESADÔ

Seu dotô eu num lhe engano,
Eu tenho mais de trinta ano
Que moro neste lugá,
Dou-lhe a palavra de home,
Se num qué morrê de fome,
Vá vivê na capitá…

Aqui no nosso Sertão
Essa história de injeção
O pessoá tem receio…
E vosmicê cuma é novo
E num cunhece esse povo,
Eu vou lhe dá um conseio…

Clique aqui e leia este artigo completo »

30 julho 2012 FULEIRAGEM

PADRE SPONHOLZ – JORNAL DA MANHÃ

Compartilhe Compartilhe
O MENSALÃO E AS INSTITUIÇÕES

Uma Nação é feita de política e de sociedade. Política é o sistema de decisões que orienta o rumo do fazer social. Sociedade é o conjunto da população na expressão de suas expectativas e vontades.

Pois bem. O que o processo do mensalão revela, mesmo antes do julgamento no STF, é um superávit republicano. Inegável e qualificado. Por três razões.

Primeira, o sistema político não teve forças para impedir a realização do julgamento pelo Supremo. Nem mesmo de adiar sua realização.

Segunda, a sociedade civil não se sentiu motivada para uma mobilização em favor dos réus. Como ocorreu na disposição coletiva de apoiar o impedimento de Collor.

Terceira, as instituições democráticas, aí considerados os órgãos de investigação civil e criminal, a Procuradoria Geral da República, os agentes do Poder Judiciário, o Supremo Tribunal Federal, funcionaram regularmente. Resistindo a pressões.

Moral da história: as instituições republicanas, no Brasil, saem fortalecidas do episódio. A política buscou suas instâncias, a sociedade assumiu seu papel. E o Judiciário, por seu órgão máximo, vai cumprir sua função.

Viva a Democracia.

Compartilhe Compartilhe

30 julho 2012 FULEIRAGEM

HERINGER – CHARGE ONLINE

Compartilhe Compartilhe

30 julho 2012 DEU NO JORNAL

ARROCHE ATÉ TORAR OS PONTOS, EXCELENTÍSSIMA SENHORA MINISTRA!

Governo cortará ponto de servidores federais em greve, diz Ministra do Planejamento.

A Advocacia Geral da União (AGU) trabalhará para reverter a decisão judicial que suspendeu o corte de ponto dos servidores federais em greve, informou a ministra do Planejamento, Orçamento e Gestão, Miriam Belchior.

Assumam todas as consequências destes atos. Quem falta ao trabalho, tem o dia descontado. Nos parece depropositado não trabalhar e ganhar salário“, disse a ministra do Planejamento.

* * *

Siga os conselhos de Natan e bote no cu desse povo, Dona Ministra. Bote sem pena e sem cuspe. Até boneco mangando da Presidenta Dilma estes desalmados tiveram a petulância de fazer pra desfilar na Praça dos Três Poderes. Imagine só!!!

Segundo nosso bem informado colunista, todas as reividincações do funcionalismo público já foram atendidas desde o dia 1º de janeiro de 2003, quando Lula implantou o Socialismo Muderno. E segundo o também colunista Goiano, existem na internet pra mais de dois mil links provando que os salários dos funcionários do executivo brasileiro são os melhores das três américas. É só pequisar. Ganham verdadeiras fortunas.

A senhora sabe, Dona Ministra, que uma das maiores bases da militância petista é entre os servidores federais. Faça o seguinte: quanto mais vermêio for o grevista, mas a senhora arroche no furico dele. Eu quero ver arrochar até torar os pontos e afolosar as pregas.

Por favor, Dona Ministra, faça meu sádico coração dar gargalhadas de alegria cortando o ponto destes reaças da extrema direita. Isso é tudo viúva com saudades de FHC.

Bote a polícia na rua pra baixar o cacete no lombo desses desordeiros. Se possível, demita um monte. São uns incivilizados que não sabem conviver feito gente num regime progressista, popular e revolucionário.

Me faça feliz neste fim de mês, Dona Ministra!

Compartilhe Compartilhe

30 julho 2012 FULEIRAGEM

DUKE – O TEMPO

Compartilhe Compartilhe
CARDEAL HUYTAMAR – NATAL-RN

Fuderoso papa Berto I, o estadista da ICAS:

Nessa igreja escrota tem quase de tudo, mas falta uma “anja” e essa apareceu aqui na minha diocese.

Pergunto à vossa eminente santidade: será que os boiolas ambientalistas protetores dos animais irão se queixar ao bispo, por manter essa “avezinha” em cativeiro?

 

E já vou avisando que ela não fará treinamento no DS Hahahahahaááá

R. Num tem jeito mesmo…

Eu gasto uma lábia arretada pra dar um ar de seriedade e de respeito a esta minha igreja, mas não adianta porra alguma.

Os próprios prelados se encarregam de avacalhar o sacro ambiente da ICAS.

Agora, deixem-me olhar essa danada dessa anja, em pose tão diabólica…

Compartilhe Compartilhe

© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa