15 agosto 2015 EVENTOS

É HOJE! – PARA OS FUBÂNICOS DO RECIFE – LANÇAMENTO COLETIVO

cs

15 agosto 2015 FULEIRAGEM

MIGUEL – JORNAL DO COMMERCIO (PE)

migueljc

JANE RODRIGUES – RECIFE-PE

Luciano é zelador em um condomínio aqui no Recife.

Mas para Dilma Rousseff, ele é só mais um golpista da elite branca paulista!

15 agosto 2015 FULEIRAGEM

SINFRÔNIO – DIÁRIO DO NORDESTE

SF

15 agosto 2015 FULEIRAGEM

JORGE BRAGA – O POPULAR (GO)

AUTO_jb

14 agosto 2015 DEU NO JORNAL

MANCHETE DA SEXTA-FEIRA – AGOSTO, MÊS DO DESGOSTO

dt

A dois dias das manifestações programadas para todo o País contra Dilma Rousseff, o governo decidiu que não vai pagar em agosto o adiantamento do 13º salário de aposentados e pensionistas do INSS. Fonte do Ministério da Fazenda confirmou que a decisão foi tomada. As manifestações estão previstas para o próximo domingo, 16.

O pagamento no mês de agosto de 50% do abono aos beneficiários da Previdência Social não é obrigatório, mas o governo vinha adotando essa prática de fazer o adiantamento desde 2006.

No ano passado, um decreto assinado ainda no dia 4 de agosto pela presidente Dilma permitiu que os repasses fossem feitos entre 25 de agosto e 5 de setembro. O valor foi creditado junto com o pagamento do benefício mensal.

* * *

O caixa deve estar zerado. As propinas das pixulecadas esvaziaram o cofre.

Ou, então, deve ser vingança antecipada por conta das manifestações de domingo…

Eu acho que apenas os que votaram pela reeleição de Dilma é que não irão receber o adiantamento do 13º…

ctd

Aposentado do INSS contando os trocados e aguardando o adiantamento do 13º em agosto…

14 agosto 2015 FULEIRAGEM

ALECRIM – CHARGE ONLINE

AUTO_alecrim (1)

14 agosto 2015 DEU NO JORNAL

AQUI JAZ A CUT, “ENTRINCHEIRADA E COM ARMA NA MÃO”

Josias-de-Souza5

Aconselhada por Lula, Dilma reuniu todas as siglas que o petismo chama de “movimentos sociais”. Fez isso para provar que não está só. Às vésperas de mais um ‘asfaltaço’, a presidente quis dar voz à sua infantaria. Entre os oradores, Vagner Freitas, presidente da CUT. Encenado no Planalto, o ato foi uma metáfora para a decadência. E o discurso do companheiro Vagner foi o epitáfio de uma era.

“O que se vende hoje no Brasil é a intolerância, é o preconceito. Preconceito de classe contra nós”, disse o mandachuva da CUT. “Quero dizer em alto e bom tom que somos defensores da unidade nacional, da construção de um projeto nacional de desenvolvimento para todos e para todas. E que isso implica agora, nesse momento, ir para as ruas, entrincheirado, com arma na mão, se tentarem derrubar a presisdenta Dilma Rousseff.”

Dirigindo-se à inquilina do Planalto, o orador por muito pouco não bateu continência. Perdido em algum lugar do século 19, declarou: “Seremos, presidenta Dilma, [diante de] qualquer tentativa de atentado à democracia, à senhora ou ao presidente Lula, nós seremos o Exército que vai enfrentar essa burguesia na rua…” Seguiu-se um coro de “não vai ter golpe.”

Vagner Freitas valeu-se uma antiga regra da propaganda: personalize. Tudo pode ser vendido, seja óleo de peroba ou uma tese, se tiver uma cara e um enredo. Dê um nome ao seu inimigo, ornamente-o com um rabo e um par de chifres e pronto! Seus problemas acabaram. A identificação de um demônio para o qual se possa transferir todas as culpas livra o orador de qualquer tipo de exame. A começar pelo mais espinhoso: o auto-exame. A CUT descobriu o seu: “A burguesia”.

O chefe da falange da CUT estava muito ocupado ajudando a fazer a história do novo Brasil para compreendê-la. Presos na Lava Jato, os ex-guerreiros do povo brasileiro consolidaram a sua desilusão. Deve ser mesmo dura a experiência de ter que aceitar, depois de 13 anos de usufruto do poder, que a conquista se deu sem método, com muita calhordice e hipocrisia.

Por sorte, José Dirceu e João Vaccari Neto estão presos. Sabe Deus o que faria o companheiro Vagner se, armado das virtudes que carrega no coldre, encontrasse a dupla de novos burgueses na rua. No momento, Dirceu, Vaccari e o imenso etcétera que compõe o esquema de pilhagem da Petrobras são os motores que podem mover o impeachment.

Vagner Freitas é um crítico ardoroso do ministro Joaquim Levy e do senador Renan Calheiros. Natural. Não é fácil suportar a ideia de ter que substituir os ídolos da infância por novos herois da resistência – sobretudo quando esses novos herois são velhos burgueses e a comandante da tropa confraterniza com eles ao mesmo tempo em que afirma que nunca mudou de lado.

Em condições normais, um presidente de central sindical pregando o uso de armas em pleno Palácio do Planalto, ao lado da suposta chefe da nação, deveria ser tratado como caso de polícia. Mas é preciso dar um desconto. Para o companheiro Vagner Freitas, a revisão da história do seu universo imaginário beira a autoflagelação. Sua retórica amalucada deve ser vista como uma espécie de contrição de alguém que elabora o epitáfio de uma era: ‘Aqui jaz a República da CUT, entrincheirada e com arma na mão!’

14 agosto 2015 FULEIRAGEM

AROEIRA – O DIA (RJ)

aroeira

EGBERTO GISMONTI

14 agosto 2015 FULEIRAGEM

SPONHOLZ – JBF

us

14 agosto 2015 FULEIRAGEM

TACHO – JORNAL NH (RS)

tacho

14 agosto 2015 DEU NO JORNAL

TÁ CHEGANDO PERTO…

A Polícia Federal citou o nome do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nos autos da Operação Lava Jato sobre a empreiteira Odebrecht.

Em relatório final de interceptação telefônica da Operação Erga Omnes, 14ª fase da Lava Jato, a PF informa ao juiz federal Sérgio Moro que o ex-presidente conversou com o executivo Alexandrino de Salles Ramos Alencar, da empreiteira Odebrecht no dia 15 de junho de 2015.

Quatro dias depois do telefonema, Alexandrino Alencar foi preso com o presidente da maior empreiteira do País, Marcelo Bahia Odebrecht.

Segundo o relatório, Lula estaria preocupado com ‘assuntos do BNDES’.

A PF não grampeou o ex-presidente. Os investigadores monitoravam os contatos do executivo, por isso a conversa foi gravada.

* * *

Tá chegando lá. Tá bem pertinho…

Dr. Moro já deve estar preparando a Pajaraca Sextavada, sem pena e sem vaselina… E enrolada em arame farpado…

Agora só falta mesmo o camburão chegar ao portão do edifício onde está o triplex de luxo no Guarujá.

lula aperreado

“Outro contato considerado relevante ocorreu em 15 de junho de 2015 às 20:06, entre Alexandrino Alencar e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Nele ambos demonstram preocupação em relação aos assuntos do BNDES referindo-se também a um artigo assinado por Delfim Netto que seria publicado no dia seguinte sobre o tema. Alexandrino disse também que Emilio (Emilio Odebrecht) teria gostado da nota que o Instituto Lula teria lançado depois da divulgação do laudo pericial acerca da contabilidade da empresa Camargo Corrêa, que teria doado três milhões de reais ao Instituto entre 2011 e 2013 e efetuado pagamentos a Lils Palestras Eventos e Publicidade LTDA na ordem de R$ 1,5 milhão no mesmo período”, assinalou o delegado federal Eduardo Mauat da Silva, que integra a força-tarefa da Lava Jato.

“O investigado também recebeu ligações de Marta Pacheco Kramer na data da deflagração da operação as 06:06 da manhã do dia 19 de junho de 2015. Curiosamente, Marta foi identificada pelo próprio Alexandrino como vinculada ao ‘Instituto Lula’ o que restou consignado junto ao auto de arrecadação lavrado na residência do investigado acerca dos contatos telefônicos feitos pelo mesmo quando da chegada da equipe”, informou o delegado federal Eduardo Mauat da Silva.

relatório

14 agosto 2015 FULEIRAGEM

NEWTON SILVA – CHARGE ONLINE

AUTO_newtonsilva

ODAIR GOMES – SÃO PAULO-SP

Caríssimo Editor deste Jornal, (com letra maiúscula) todos os dias necessário!

Quero ponderar sobre o que se passa na nossa Justiça Eleitoral.

Quando temos o julgamento de um Prefeito que compra dois votos usa-se toda a força da lei e com muita justiça o retira da cena pública.

Agora quando um Presidente da República comete “algumas pedaladas” tais como:

BOLSA FAMÍLIA: Retenção dos repasses do Tesouro Nacional ao Ministério do Desenvolvimento Social para pagamento do programa Bolsa Família.

CAIXA ECONÔMICA: A Caixa assumiu a responsabilidade de pagar os benefícios sociais às famílias mesmo sem ter recebido recursos do governo para isso. O TCU tinha ordenado o pagamento à Caixa.

SEGURO-DESEMPREGO: Retenção dos repasses do Tesouro Nacional ao Ministério do Trabalho para saldar débitos de seguro-desemprego e abono salarial.OPI-002.eps

MINISTÉRIO DO TRABALHO: A Caixa assumiu o pagamento do seguro-desemprego e do abono salarial mesmo sem ter recebido do Ministério do Trabalho verbas para tal fim, o que caracterizou um financiamento proibido pela Lei de Responsabilidade Fiscal.

MINHA CASA, MINHA VIDA: Não ter registrado no orçamento do Ministério das Cidades o aumento do uso de recursos do FGTS no programa habitacional Minha Casa Minha Vida.

DÍVIDA PÚBLICA: Falta de registro dos débitos na dívida pública da União, o que deveria ter sido feito pelo Banco Central.

BNDES: Retenção dos repasses ao BNDES para compensar os subsídios nas taxas de juros em financiamentos do banco. A equalização estava a cargo do Ministério da Fazenda.

BANCO DO BRASIL: Retenção de pagamentos ao Banco do Brasil para compensação por subsídios concedidos em financiamentos.

O TSE fica enrolando se vai julgar ou não?

Será isso certo nessa terra maravilhosa de gente vil, perniciosa e traiçoeira?

Será a JUSTIÇA PPP? Só serve mesmo para Preto, Pobre e Puta?

14 agosto 2015 FULEIRAGEM

NICOLIELO – JORNAL DE BAURU

AUTO_nicolielo

14 agosto 2015 EVENTOS

É HOJE! – PARA OS LEITORES DO CRATO (CE) – RECITAL DE JESSIER QUIRINO

jessier

14 agosto 2015 FULEIRAGEM

SPONHOLZ – JHF

CRT

MARIA ITO – YOKOHAMA/KANAGAWA – JAPÃO

A elite branca de Fortaleza convocando para as manifestações do dia 16 de agosto, num belo vídeo.

14 agosto 2015 FULEIRAGEM

ALPINO – BLOG DO ALPINO

alpino

14 agosto 2015 DEU NO JORNAL

UMA PERIGOSA FARSA

sandro-vaia2

Há quem coloque a culpa na suposta juventude da nossa democracia, essa “plantinha tenra” como a chamam os que não fazem a menor cerimônia para pisá-la.

Mas ela já renasceu adulta, depois do vinteno da ditadura militar, tanto que o primeiro presidente escolhido em eleição direta foi obrigado a renunciar quando o Congresso aceitou abrir um processo de impeachment contra ele, atendendo a uma representação da sociedade civil, assinada pela OAB e a ABI.

Os tempos mudaram: a ABI hoje cede a sua casa para manifestações partidárias de quem está no poder, e o presidente da OAB se transformou em comensal do poder em jantares palacianos onde o establishment troca rapapés com a presidente da República, açoitada pela popularidade mais baixa da história e acossada pelo TCU e pelo TSE por contas mal explicadas.farsante

Os que protestam, que ontem representavam a consciência cívica da Nação, hoje são os golpistas fascistas que não se conformam com o resultado das urnas.

A democracia retrocedeu ou retrocederam os “democratas”?

A negação nunca esteve ausente de sua agenda: desde o Plano Real, passando pela Lei de Responsabilidade Fiscal ou por qualquer coisa que não tivesse saído do embornal ideológico próprio, sem contar a chuva de pedidos de impeachment contra tudo e contra todos, a oposição “a tudo que aí está” agora se transformou em sustentação a tudo que aí está – desde trampas fiscais até assalto aos cofres públicos.

Tanto que os neo-democratas sequer esboçam um sorriso de constrangimento quando escolhem, ao sabor de seus interesses imediatos, o amigo e o inimigo do momento. Renan Calheiros, tão citado na Lava Jato quando Eduardo Cunha, atirou em direção ao governo à deriva, uma boia salva-vidas chamada Agenda Brasil. Renan virou o amigo e Cunha o inimigo, e isso não tem nada a ver com moralidade.

E o ex-presidente Lula, flagelado em sua dúvida existencial entre renegar a criatura que inventou e tentar tangê-la de volta ao seu rebanho, para que não atrapalhe os seus planos para 2018, não se envergonha de infantilizar a política com outra de suas pedestres metáforas, em defesa (?) de Dilma:

É lógico que ela pode errar, como eu errei e como qualquer um erra enquanto mãe. Nem sempre a gente faz as coisas que são 100% aceitas pelos filhos. Mas quando ela errar, ela é nossa mãe e temos de ajudá-la a consertar”.

Nem nos momentos mais caricaturais do populismo explícito que assola o subcontinente desde sempre vai ser fácil achar uma frase tão estupidificante. A última “madre de los pobres” tratada de maneira tão mistificadora foi Eva Perón, com resultados de que a decadente Argentina padece até hoje.

Lula disse isso a uma plateia de “margaridas”, trabalhadoras rurais recrutadas com o patrocínio estatal da Caixa Econômica, do BNDES e da Itaipu Binacional, que investiram 855 mil reais no convescote “espontâneo” no estádio Mané Garrincha, elefante branco herdado da Copa de 2004.

As “margaridas”, que formam um movimento social devidamente instrumentalizado pelo PT, repetiram no estádio palavras de ordem contra o “golpe” e contra Eduardo Cunha, eleito inimigo público número um do governo pelo trabalho de trituramento da base aliada que vem promovendo dentro do Congresso Nacional.

Dilma também esteve lá, e o governo quis, com esse ato, marcar a sua presença na batalha política que se trava nos espaços públicos.

Não importa se os métodos usados, como a manipulação grotesca das palavras e a instrumentalização descarada de um “movimento social”, signifiquem, no fundo, uma regressão à primeira infância da demagogia populista.

Quando a democracia deixa de ser um fim e passa a ser um meio de agarrar-se ao poder para desfrutá-lo sem medidas e sem limites, estamos diante de uma farsa. Uma perigosa farsa.

14 agosto 2015 FULEIRAGEM

PAIXÃO – GAZETA DO POVO (PR)

paixao

JOSÉ ALBERTO BATALHONE – UBERABA-MG

Sr. Editor,

Veja a performance de um artista da Grande Nação Nordestina no programa do Boldrin.

Há semelhança com a campanha de 2014 da Dilmandioca.

Forte abraço.

P.S. Tenho também aqui em casa uma Anísio Santiago, para lapadas do final de semana.

R. Meu caro, quando eu voltar a essa acolhedora Uberaba, faço questão de tomarmos juntos umas lapadas dessa sua Anísio Santiago, a cachaça mais cara do Brasil.

Desde que ganhei de presente duas garrafas desta danada – um mimo muito gentil do colunista fubânico José Paulo Cavalcanti -, que fiquei apaixonado pela dita cuja. Me aguarde!

Quanto ao vídeo, você está coberto de razão, pois as mentiras do Diabo são tão amargas quanto as mentiras de Dilmandioca na última campanha.

Agora, veja só: este vídeo já foi publicado aqui no JBF. Foi publicado juntamente com mais três outros, na mesma postagem, todos do meu querido amigo Mavial Melo, quando participou do programa de Rolando Boldrin, colunista desta gazeta escrota.

Maviael é um fubânico veterano, um cabra que vem de uma família de artistas talentosos, irmão do grande Maciel Melo, outro fubânico da gôta serena.

De modo que vale a pena ir lá na postagem, que é de julho de 2010, e dar uma olhada. Clique aqui e veja.

Abraços e um excelente final de semana.

14 agosto 2015 FULEIRAGEM

AMARILDO – A GAZETA (ES)

AUTO_amarildo

14 agosto 2015 DEU NO JORNAL

MANCHETE DA SEXTA-FEIRA – ORGULHO BAIRRISTA

copa

* * *

Esta manchete é fresquinha. Saiu agora na manhã desta sexta-feira.

Meu bairrismo e meu orgulho pernambucano vão lá pras alturas quando leio uma notícia assim.

Este superfaturamento na construção da Arena Pernambuco é apenas mais uma dentre várias guabirutagens nas obras da copa do ano passado, o grande orgulho do guverno vermêio-istrelado, a Copa do Século

A Copa do 7×1 !!!

Na construção do estádio aqui da nossa terrinha, a investigação da PF apurou um superfaturamento de 43 milhões de pixulecos, a nova moeda de Banânia, instituída pelo tesoureiro enjaulado do PT.

Pra variar, a Odebrecht, da qual Brahma é funcionário-palestrante, está metida no meio do mais recente estouro de esgoto deztepaiz. Nesta manhã de sexta-feira a PF faz busca e apreensão em vários escritórios da empresa.

Além da Arena Pernambuco, a Odebrecht também construiu o Itaquerão, a Fonte Nova e o Maracanã.

arena_pernambuco

A linda, superfaturada e pixulecada Arena Pernambuco

14 agosto 2015 FULEIRAGEM

GENILDO – CHARGE ONLINE

AUTO_genildo

14 agosto 2015 FULEIRAGEM

CLAYTON – O POVO (CE)

clayton

14 agosto 2015 DEU NO JORNAL

PELA METADE DO PREÇO

Com patrocínio do BNDES (400 mil reais), da Itaipu-Binacional (55 mil reais) e da Caixa Econômica Federal (400 mil reais), a 5ª Marcha das Margaridas transformou-se nesta quarta-feira num protesto chapa-branca de apoio à presidente Dilma Rousseff.

* * *

Isto dá um total de 855 mil reais. De dinheiro público, tirado dos impostos que vocês pagam. Vocês que votaram pela reeleição de Dilma.

Uma minxaria. Uma ninharia. Um pingo d’água no meio do oceano que é o cofre do guverno vermêio-istrelado, capaz de abastecer até um Petrolão.

Pela metade disto, míseros 400 mil reais, eu promovo a Marcha das Bestaridas, composta exclusivamente por mulheres que pertencem à patota do Jornal da Besta.

E mais: é só mulé bunita! Cada uma mais aprumada do que a outra.

Num é aquelas catrevagens malamanhadas com cara de lobisomem que cercaram Dilma na quarta-feira não!

dilma_marcha

Será uma manifestação com muitas faixas, cartazes e discursos de apoio a Dilma e chamando o impeachment de “golpe“.

Assim que o pixuleco for depositado na minha conta, eu convoco 2.000 participantes, com cachê de 30 reais pra cada uma, mais um sanduíche de mortadela, e ainda sobra dinheiro que só a porra pro caixa do Complexo Midiático Besta Fubana.

Estou aguardando contato do Palácio do Planalto confirmando o depósito pra deflagrar a Marcha das Bestaridas.

14 agosto 2015 FULEIRAGEM

PATER – A TRIBUNA (ES)

AUTO_pater

VENDEDOR DE CARANGUEJO

Ary-Lobo

No dia de hoje, 14 de agosto, se vivo estivesse, o paraense de Belém Gabriel Eusébio dos Santos, que tinha o nome artístico de Ary Lobo, estaria completando 84 anos. 

Vamos ouvi-lo cantando uma composição de Gordurinha, intitulada Vendedor de Caranguejo:

14 agosto 2015 FULEIRAGEM

SINOVALDO – JORNAL NH (RS)

AUTO_sinovaldo

EMERSON MATTOS – FLORIANÓPOLIS-SC

Sr. Editor,

Boa noite e respeitosas saudações!

Veja esta manchete de um jornal aqui do meu estado, em agosto de 1992.

20-08-1992.TIF

Naquele tempo o impeachment era legal e constitucional.

Hoje eles dizem que é “golpe”.

Como as coisas mudam em tão pouco tempo, não?.

Abraços e parabéns deste leitor diário e fiel.

R. Lula, o PT e os bundinhas da  militância, naquele tempo, estavam mergulhados de corpo e alma na campanha do impeachment de Collor.

Hoje em dia, como diz o nosso estimado fubânico catarinense, eles relincham que impeachment é golpe…

É phoda!!!

Além desta manchete que você nos mandou, caro leitor, veja abaixo esta outra manchete da Folha, de setembro de 1992, que fala em “vitória da democracia“.

Hoje em dia, em tempos de socialismo muderno, não é democracia, é “golpismo da direita reacionária“…

Veja:

fsp

Naquele tempo, Lula, Brizola e o PT estavam do mesmo lado e na mesma trincheira que a Folha de S.Paulo, este jornal que hoje em dia é rotulado de “órgão da grande mídia golpista” pelos bundinhas descerebrados. 

Já o presidente da CUT, discursando ontem ao lado da prisidenta da república, conclamar a militância assalariada da istrêla vermêia pra “pegar em armas” e ir pra ruas combater os 92% que desaprovam Dilma (que o idiota chamou se “esta burguesia”), deve ser democracia pura.

Num país civilizado, decente e que respeitasse a lei e a constituição, um tabacudo ajumentado feito este cara (sem qualquer ofensa aos jumentos…), se falasse uma barbaridade deste porte em frente ao Supremo Mandatário da nação, já sairia de lá algemado. Mas, enfim, vivemos em Banânia…

Pra fechar a postagem, veja aqui um vídeo que retrata dois tempos, duas caras, duas palavras.

14 agosto 2015 FULEIRAGEM

SID – CHARGE ONLINE

AUTO_sid

AS MARIPOSAS TAMBÉM AMAM

Nos anos dourados, geração bossa nova, o jovem se envolvia em diversos relacionamentos amorosos. Primeiramente o romântico, quase platônico namoro de mãos dadas passeando na calçada, virgindade (da moça) preservada, só ultrapassava o permitido depois do noivado. Moças casadoiras, namoro até 10 da noite, apenas beijos e abraços excitantes.

Depois do amasso com a namoradinha, normalmente o jovem frequentava os cabarés para o descarrego, extravasar seus instintos com as raparigas. Cada qual tinha sua preferência, sua namorada, seu xodó na zona.

Bem diferente da juventude de hoje, quando a virgindade e a hipocrisia foram banidas, jovens namorados transam sem remorso, sem pecado.

Pelos motivos sociológicos e preconceituosos, a mocidade antiga visitava os cabarés constantemente, nem que fosse para beber uma cerveja ou dançar no bordel com as mariposas do amor.c1

No bairro boêmio de Jaraguá existiam três classes de profissionais, de acordo com o local de trabalho. Nos belos casarões da Rua Sá e Albuquerque ficavam hospedadas as mais procuradas, jovens prostitutas, muitas importadas da Bahia, Pernambuco, outras vindas do sertão alagoano, da zona da mata, aonde o êxodo rural enxotava a população por falta de uma política de fixação no campo.

As moças chegavam à capital cheias de ilusão. Se não conseguissem vaga de empregada doméstica nas casas de família, terminavam nos cabarés. Ao tornarem-se mais velhas, mais usadas, se transferiam para a ZBM, Zona do Baixo Meretrício, o Duque de Caxias e o Verde, nas imediações da Federação da Agricultura. Quando se tornavam cansadas de guerra e de cruzes, findavam no Sovaco do Urubu, última degradação da prostituição, perto do Centro de Convenções. Dali a maioria das mariposas do amor, como chamava o poeta, acabava no cemitério.

Muitas histórias se perderam nas noitadas dos cabarés de Jaraguá. Gente famosa, deputados, senadores, coronéis, capitães, boêmios, escritores, subiram as íngremes escadas daqueles casarões em busca de aventuras amorosas. Naquela época rapariga tinha namorado, muitas vezes se apaixonava, como também alguns homens tiveram grande paixão por prostitutas bonitas, como Fatinha Baiana, passou muito tempo faturando sua beleza, deixou homens empolgados, apaixonados.

Certa noite na Boate Tabaris apareceu Pedrão, um marinheiro, ficou encantado com Djanira, morena dos olhos verdes da região de Porto Calvo, produto da miscigenação da colonização holandesa. O marinheiro gaúcho se apaixonou pela meiguice, o carinho, a ternura e a beleza da alagoana. Prometeu tudo para ficar só com ele. Entretanto, Djanira era a mais disputada entre os clientes da pensão. Pedro se mordia de ciúme quando sua amada entrava no quarto com outro homem.

O navio estava esperando atracação para carregar açúcar. Pedro, o marinheiro, ficou oito dias em Maceió, curtindo sua paixão. Djanira se sentiu amada realmente pela primeira vez na vida, também se apaixonou. Na despedida Pedrão prometeu voltar, Djanira acompanhou o navio cargueiro se afastar do cais levando seu amor, sua vida. As amigas bem diziam que rapariga não pode, não deve se enrabichar. Toda manhã ela descia à praia, contemplando o mar que levou Pedro, na esperança que um dia ele devolvesse seu grande amor.

O tempo passou, a paixão de Djanira nunca. Certa noite ela dançava com um jovem tenente na Boate Tabaris, de repente não acreditou no que via. Pedro, alto, musculoso, vestido com camisa listrada, chapéu panamá na cabeça, em pé à sua frente, um sorriso enorme de felicidade. Djanira afastou o jovem tenente, correu feito uma louca, abraçou-se com Pedro. Os dois choraram, se beijaram, se acarinhavam, olhando nos olhos. A paixão foi maior, o amor venceu. No quarto, mais sossegado, Pedro contou sua decisão, abandonou a marinha mercante, retornou à Maceió para tirar seu grande amor do cabaré. Tinha uma meta na vida, casar, trabalhar, viver a paixão, viver Djanira, sua mulher inesquecível.

Hoje, casal maduro, três filhos e dois netos, vive no bairro do Vergel do Lago. Desde aquela época Pedrão trabalha dirigindo caminhão. Sustenta a família com o suor de suas viagens. A sina de Djanira é a ânsia da espera, das viagens, compensando o retorno com carinho e amor. Tiveram cuidado, discrição e até orgulho ao contar aos filhos a origem de sua história, uma bela história de amor.

14 agosto 2015 FULEIRAGEM

ALEX PONCIANO – EXPRESSO POPULAR (SP)

AUTO_ponciano

O CAÔLHO

Pedro era cego de um olho. Era empregado de um rico fazendeiro, sendo o preferido entre todos os serviçais da casa. Casado com uma jovem muito bonita, pouca assistência podia lhe dar, ficando, quase sempre, até tarde na casa dos patrões. O fazendeiro era político e recepcionava sempre os amigos em casa, com conversas que iam até de madrugada. Os patrões tinham por Pedro uma predileção especial e exigiam sempre sua presença, para ajudar nas recepções.

O distanciamento constante de Pedro com a esposa resultou em traição. A jovem mulher se apaixonou por um bonito rapaz e os dois tornaram-se amantes.

Os boatos se espalharam na cidade, até que chegaram aos ouvidos de Pedro. Indignado, pois confiava muito no amor da sua mulher, Pedro se propôs a pegar os amantes em flagrante, e somente Deus seria capaz de evitar uma tragédia.

O empregado simulou uma viagem, avisou à esposa, e se escondeu, aguardando a chegada do conquistador na sua residência.corno

Sempre usando o seu tapa-olho, Pedro viu de longe, do local onde estava escondido, a chegada do rival. Esperou alguns minutos e bateu na porta, chamando a esposa, que fingia não ouvir sua voz. Ao perceber o perigo que corria, o amante tremia de medo e a mulher o acalmava, garantindo que ele sairia dali incólume. Enquanto o “Ricardão” se vestia, Maura fingia que não estava reconhecendo a voz do marido. E Pedro gritava:

– Abre essa porta, Maura! Sou eu, Pedro, teu marido!

Quando o amante já havia se vestido e estava pronto para fugir dali, a mulher respondeu:

– É você, Pedro? Vou abrir a porta! Eu estava dormindo e sonhando que você havia voltado a enxergar com os dois olhos!!! Ficarei muito feliz se esse sonho for realidade!!!

Nisso, a mulher abriu a porta e abraçou fortemente o marido, cobrindo com a mão o seu olho sadio. Perguntou-lhe se ele tinha voltado a enxergar com o olho perdido, e o homem ficou impedido de ver o que se passava em sua volta.

Nesse ínterim, o “ pé- de- lã” fugiu dali sem ser visto pelo caolho. Mas o marido, que, do seu esconderijo, tinha visto a sua chegada em sua casa, entendeu que a mulher aproveitara aquela tática para dar fuga ao amante. Pedro não acreditou em nenhuma palavra do que a esposa disse sobre o sonho fantasioso. Afastou-se da mulher bruscamente, e saiu de casa para sempre, Maura entendeu que ele havia descoberto a sua traição.

14 agosto 2015 FULEIRAGEM

JOTA A – JORNAL O DIA (PI)

AUTO_jotaa

13 agosto 2015 A PALAVRA DO EDITOR

PRA CANTAR DE PEITO ABERTO

Um coxinha branco dos zoios zazuis, golpista das zelites milionárias, ensina um samba pra ser cantado nas manifestações de rua do próximo domingo, 16 de agosto:

13 agosto 2015 FULEIRAGEM

JORGE BRAGA – O POPULAR (GO)

AUTO_jb

13 agosto 2015 FULEIRAGEM

ELVIS – AMAZONAS EM TEMPO

AUTO_elvis


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa