3 setembro 2012 FULEIRAGEM

NANI – CHARGE ONLINE

Compartilhe Compartilhe

3 setembro 2012 DEU NO JORNAL

NÃO FOI UM VOTO, FOI UMA PEÇA DE DEFESA

Reynaldo BH

Li cuidadosamente, e por inteiro, o voto do ministro Ricardo Lewandowski que, diferentemente da esmagadora maioria de seus colegas do Supremo, inocentou o deputado João Paulo Cunha. E posso afirmar – sem ser arrogante ou um jurista – que foi absolutamente inconsistente. Valeu-se de “verdades processuais” contra a “verdade real”. E esqueceu que ambas estavam expostas nos autos.

Usou um trecho (pequeno) do laudo da Polícia Federal (para inocentar) e abusou de um parecer do TCU que, na verdade, não é um tribunal jurídico, mas antes um orgão auxiliar do Legislativo.

Fez diferença entre o USO do dinheiro recebido por João Paulo, quando pouco importava se seria usado para comprar panetones (como os do famigerado ex-governador do DF Arruda) ou para bancar um carro novo.

Não viu – porque não quis – que as notas fiscais da empresa de publicidade eram sequenciadas: mesmo havendo um lapso temporal de 5 meses (!!!) entre a segunda e terceira. Como lembrou o ministro Cezar Peluso (para vergonha de Dias Toffoli), trata-se de caso raro de empresa que ficou 5 meses sem faturar serviço algum!

A tentativa de levar ao extremo o in dubio pro réu – o princípio que vem desde o direito romano de que, em caso de dúvida, a decisão deve favorecer o réu – atropelou a lógica jurídica: não falou em momento algum O QUE havia nos fatos que consolidassem a tese de defesa. Aceitou que somente o “não fiz” de João Paulo fosse suficiente.

Sobre empresa de Marcos Valério: “Como lembrou o ministro Cezar Peluso (para vergonha de Dias Toffoli), trata-se de caso raro de empresa que ficou 5 meses sem faturar serviço algum!”

Não citou uma única corrente jurídica que embasasse a linha de argumentação. Não citou um único autor. Pinçava trechos de teses – as que interessava, tal qual um advogado de defesa, este sim com alguma razão – para reforçar a defesa do indefensável.

Não foi um voto. Foi uma peça de defesa e tentativa de desconstruir o trabalho do ministro relator Joaquim Brabosa, do procurador-geral da República, Roberto Gurgel, de juízes que fizeram oitivas em diversos pontos do país por encargo do Supremo, da Polícia Federal e de peritos criminais. Foi contra a evidência. Desprezou depoimentos e acolheu outros. Não fez o contraditório (como os outros fizeram) no balanço probatório. Julgou que o corrupto, ao enviar a própria esposa receber a propina, fez prova de inocência (??!!??).

Tecnicamente não apontou UM único argumento jurídico que fosse reconhecido pelos pares. Como não foi. À exceção de.. deixa prá lá! Juridicamente torceu os fatos, escolheu depoimentos, ocultou perícias, aproveitou trechos como fazem advogados que não tem mais nada a alegar.

Condenou Valério e Pizzolato com base nas mesmas provas (ou evidências) que usou para absolver João Paulo. Dentro da mesma lógica – nada cartesiana – condenou um e inocentou outro. Não aceitou a alegação de que o pacote de dinheiro entregue a Pizzolato foi – como o acusado dizia – destinado ao Partido. E defendeu a ideia que João Paulo encomendou pré-eleitorais pesquisas 2 anos antes das eleições, com perguntas como “José Dirceu é inocente no caso Waldomiro Diniz?” e “O que você acha de João Paulo?”, considerando que as mesmas seriam normais no ambiente político. Ou seja, distorceu os fatos no limite da vergonha.

Não creio que um voto assim seja técnica ou juridicamente sequer defensável. Levandowsky fez o contraponto que anunciou que faria. Não contra o relatório de Barbosa. Mas contra a verdade. Dos autos.

E juiz que agride os autos de um processo, nunca estará exercendo a função com dignidade técnica ou jurídica.

O ministro escolheu carimbar a própria biografia. Que viva com o selo com o qual se rotulou. A escolha foi dele.

Compartilhe Compartilhe

3 setembro 2012 FULEIRAGEM

AMORIM – CORREIO DO POVO

Compartilhe Compartilhe
MIGUEL GUSTAVO E O SESQUICENTENÁRIO DA INDEPENDÊNCIA

Miguel Werneck Gustavo de Sousa Martins, compositor, jornalista e poeta, nasceu a 24.03.1922, no Rio de Janeiro (RJ), onde veio a falecer a 22.01.1972, jovem ainda, aos 49 anos de idade.

Criado na Capital fluminense, morou nos subúrbios de Sampaio, Osvaldo Cruz, Caxambi e no sopé do Morro da Mangueira. Aos 19 anos, deixou os estudos para trabalhar como discotecário na Rádio Vera Cruz, onde, depois, passou a radialista e escrevia um programa de 30 minutos, em versos, denominado As Mais Belas Páginas.

No ano de 1950, começou a escrever jingles, alguns dos quais o fizeram ficar famoso e chegaram a causar polêmica, como o das Casas da Banha, que aproveitava a melodia de Jesus, Alegria dos Homens, de Johann Sebastian Bach. Nessa época, teve início sua carreira de compositor.

O primeiro sucesso veio em 1955, com o samba Café Soçaite (Doutor de anedota e de champanhota/Estou acontecendo no café soçaite…), na voz de Jorge Veiga. Sua discografia registra grandes títulos da MPB, como o samba E Daí (Proibiram que eu te amasse/Proibiram que eu te visse…) gravado em 1959 por Isaurinha Garcia; a marchinha Fanzoca do Rádio (Ela é fã da Emilinha/Não sai do César de Alencar…), gravada pelo palhaço Carequinha, em 1958; e a marcinha Brigitte Bardot (Brigitte Bardot, Bardot/Brigitte beijou, beijou…), gravada por Jorge Veiga, em 1961. Também de grande impacto na fonografia nacional foram os sambas de breque gravados pelo cantor Moreira da Silva, que lhe valeram a alcunha de Kid Moringueira.

Dentre seus jingles mais conhecidos, estão Vamos Jangar (Na hora de votar eu jangar, eu vou jangar/É Jango, é Jango, é o Jango Goulart…) com Jorge Veiga e outros artistas, que o Brasil inteiro cantou em 1960 e foi responsável pela eleição de João Goulart à Vice-Presidência da República, e Tatuzinho, propaganda de apreciada marca de cachaça (Ai tatu, tatuzinho/Abre a garrafa e me dá um pouquinho…), muito lembrado até hoje,

Todas as músicas acima citadas tornaram-se bem conhecidas pela melodia, pela letra, pelo ritmo, pelo intérprete, mas nunca se sabendo quem era seu autor, seu criador.

Em 1979, um jingle feito por Miguel Gustavo para cervejaria patrocinadora das transmissões dos jogos pela televisão da Copa do Mundo de Futebol de 1970 tirou-o do anonimato, fazendo seu nome conhecido por todos os brasileiros: Pra Frente, Brasil (Noventa milhões em ação/Pra Frente, Brasil, do meu coração…). A marchinha transformou-se, imediatamente, no Hino da Seleção Canarinho e, até hoje, não apareceu outra que a substituísse.

Durante muito anos, Miguel Gustavo foi casado com a jornalista e depois vereadora Sagramor de Escudero, com quem teve a filha Ana Maria. A foto a seguir é de 1954.

Miguel, Sagramor e Ana

No próximo dia 7, sexta-feira, o Brasil assinala o 190º Aniversário da Independência. Não sei se haverá comemorações. Em 1971, no Sesquicentenário, as festas foram com toda a pompa e circunstância.

Em 1971, pouco antes de sua morte, Miguel Gustavo deixou-nos, para o Carnaval de 1972, a marchinha Marcha do Sesquicentenário da Independência, gravação de Miltinho. Transformada posteriormente em dobrado, foi tocada pelas Bandas de Música, militares ou civis, que desfilaram na festa de 7 de Setembro de 1972. E é sobre ela que agora passo a lhes falar.

Como pesquisador e colecionador da MPB, sendo o Carnaval e o Dobrado duas de minhas especialidades, jamais eu poderia deixar de tê-la em minhas estantes. Como, de fato, eu a possuía, na interpretação do Coral Joab. Com a proximidade dos 190 anos da Independência, lancei-me à caça, usando de todos os meios para conseguir e a gravação original, a do Miltinho.

Miltinho

Consegui localizá-la num site de busca estrangeiro, não me recordo qual. Depois de cumprir todas as exigências burocráticas, recebi esta mensagem: “Bonjour raimundo76; Voici le montant total que nous avons débité sur votre carte: 15.06 EUR. Votre commande sur CDandLP.com a été expédiée par le vendeur recordsbymail le 09/03/2012.” A despesa ficou em torno de R$38,00.

No dia 24.04.2012, mais de um mês depois, chega-me as mãos, remetido pelo vendedor Craig Moerer, de Portland, Oregon, USA, o compacto que adiante lhes mostro:

É um compacto simples, uma faixa de cada dado. Ao gravar a Marcha do Sesquicentenário da Independência, Lado 2 do disco, Miltinho deixava de lado o estilo que o caracterizava: o samba balançado e sincopado. Mas só nessa faixa. De quebra, no Lado 1 – a principal para gravadora, supõe-se –, retomava seu estilo com um samba de Luiz Reis, Crioulo Branco, que nunca aconteceu nas paradas.

Foi, como se diz no jargão jornalístico, um esforço de reportagem, mas valeu! Valeu, porque agora tenho a oportunidade de compartilhar com toda a Comunidade Fubânica essa raridade musical e o talento de dois monstros sagrados da Música Popular Brasileira, o compositor Miguel Gustavo e o cantor Miltinho.

Miguel Gustavo não é um ilustre desconhecido aqui neste jornal. A 29 de março deste ano, Bruno Negromonte, nosso confrade e grande pesquisador da MPB, já nos brindara com duas de suas composições: Esse Norte é Minha Sorte, baião em parceria com Ruy Duarte, na voz de Dolores Duran, e Café Soçaite, cantado por Jorge Veiga. Trago-o à tona outra vez, não só para que ele seja relembrado, como também para festejar a grande data dos 190 anos da Independência do Brasil.

Com vocês, a Marcha do Sesquicentenário da Independência, em gravação original: 

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Compartilhe Compartilhe

2 setembro 2012 FULEIRAGEM

PELICANO – BOM DIA SP

Compartilhe Compartilhe
EDUARDO GERVÁSIO CAMPOS

Em 1817, a província viveu a Revolução Pernambucana. Em 1824, experimentou a revolta de Frei Caneca. Entre uma e outra, Pernambuco assumiu tempo de paz. Nas mãos de Gervásio Pires Ferreira.

Gervásio era comerciante. Chamado a dirigir a Junta Governativa no período de 1821/22. Produziu profícua obra política. Organizou a gestão, elevou a receita e abriu interlocução com Pedro I.

Essas iniciativas alcançaram dois efeitos: deram grande prestígio a Gervásio em Pernambuco. E despertaram ciúme na Corte. Quanto mais crescia o nome de Gervásio na província, mais intensa era a intriga contra ele no Paço Imperial.

Sua habilidade permitiu que Pernambuco vivesse dias de pacífica recuperação.  A situação política naquela época encontra paralelo na conjuntura brasileira atual vista de Pernambuco.

Eduardo Campos governa o Estado com visão política aglutinadora. Apresenta obra administrativa vestida com discurso consequente. Delimitando espaço político próprio no cenário nacional. Essa delimitação tomou forma no episódio da fratura interna do PT na eleição do Recife. O PT local desconstruiu sua personalidade. Admitindo a escolha de candidato em São Paulo. Eduardo Campos assumiu o comando do processo que lhe cabe, governador.

Como Gervásio Pires, em 1821, continua buscando o diálogo com os líderes do PT. Porque integra a base do governo. Porque interesses do Estado estão acima de assuntos partidários. Haverá sempre os que fazem a semeadura do encontro. E os que se situam no deserto da desunião.

Pragmático, o governador procura harmonizar o que o espírito quer e o que a vida impõe. Sua referência é a realidade. Como disse o professor Luis Delgado, “o pernambucano exerce um tipo de realismo, o governo da vida, obedecendo a sistema de valores, baseado em sua utilidade prática”.

Compartilhe Compartilhe

2 setembro 2012 FULEIRAGEM

JORGE BRAGA – O POPULAR

Compartilhe Compartilhe

2 setembro 2012 DEU NO JORNAL

RENÚNCIA VAZIA

Mary Zaidan

Poucas horas depois de ser condenado por corrupção passiva, peculato e lavagem de dinheiro, o deputado João Paulo Cunha renunciou à candidatura a prefeito de Osasco, Região Metropolitana de São Paulo. Mas não abriu o bico quanto ao seu mandato parlamentar. Continua deputado.

No mesmo dia, em São Caetano do Sul, outro petista, Edgar Nóbrega, também desistia da disputa após a veiculação na internet de um vídeo em que aparece negociando recursos para apoiar a administração local. Ele contesta as imagens e continua vereador.

Mensalão e mensalinho, um já julgado e condenado, outro ainda longe de se tornar réu, e 33 quilômetros entre as cidades em que disputavam eleições os separam. Mas, na prática, estão mais unidos do que nunca. Surrupiaram dinheiro público e deram corda à maligna engrenagem que corrói a democracia e alimenta o descrédito na política.

Não foi o PT que inventou esse troca-troca de grana para lá apoio para cá, de me paga isso que te dou aquilo. As denúncias sobre os mensalões do DEM do Distrito Federal e do PSDB de Minas Gerais, encarnadas nos ex-governadores José Roberto Arruda e Eduardo Azeredo, são prova disso.

Mas, como se viu durante as leituras dos votos dos ministros do STF – à exceção de Ricardo Lewandowski e Dias Toffoli -, nunca antes se roubou tão descaradamente e com tamanho desmazelo. Nem mesmo apagaram pistas.

O flagrante de Nóbrega mostra que o valor de face da compra do PT de São Caetano em 2009 era de R$ 600 mil. Outros R$ 100 mil engordariam o caixa para financiar a disputa à presidência do PT local. João Paulo Cunha foi condenado não só pelos rastros dos R$ 50 mil que sua mulher sacou em espécie. Mas por apostar na impunidade.

De tal maneira que não se constrangeu em se tornar candidato. E com apoio em peso do PT, a começar pelo líder maior, Luiz Inácio Lula da Silva.

Ex-presidente da Câmara e presidente da República por dois dias, em fevereiro de 2004, quando Lula viajou para Caracas e o vice José Alencar estava doente, João Paulo abandonou a postulação futura, mas nada disse quanto ao mandato em curso; quanto aos votos que recebeu e deveria honrar. Mesmo ciente do implacável inciso VI do artigo 55 da Constituição – “Perderá o mandato o deputado ou senador que sofrer condenação criminal em sentença transitada em julgado”.

É certo que ainda não há definição de sentença e, portanto, a cassação não é imediata. A renúncia, sim, essa poderia ser de pronto. Mas isso só seria esperado de quem respeita a representação que lhe foi conferida. Com seus crimes, João Paulo já provou que não se enquadra nesse caso.

Candidato do PT à prefeitura de São Caetano do Sul (SP), vereador Edgar Nóbrega, flagrado negociando a compra de votos para a eleição interna do PT com o ex-secretário de Governo da prefeitura, Tite Campanella (DEM). O escândalo fez Edgar renunciar à candidatura a prefeito e se afastar da presidência do PT local.

Compartilhe Compartilhe

2 setembro 2012 FULEIRAGEM

MIGUEL – JORNAL DO COMMÉRCIO

Compartilhe Compartilhe
CARDEAL MARCO DI AURÉLIO, DOM CAPETA – JOÃO PESSOA-PB

Pedido de Desculpas

O “Armorial Cordas de Caroá” pede desculpas aos que compareceram para assistir sua apresentação no Festival de Arte de Areia, na noite do dia 01 de setembro.
 
Estávamos preparados para abrir, no palco principal como estava programado, o grande espetáculo da noite.
 
A produção do grande Antônio Nóbrega não deixou. Alegou exclusividade de palco. Fomos deslocados para o auditório do Colégio Santa Rita, onde cumprimos nosso dever contratual.
 
Sem entrar no mérito das coisas difíceis de entender, nossas desculpas valem para aqueles que nos valorizam e nos acompanham.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

ARMORIAL CORDAS DE CAROÁ

armorial

Fernando, Robertinho, Cardeal Marco di Aurélio, Marcelinho, Roberto Araújo

Compartilhe Compartilhe

2 setembro 2012 FULEIRAGEM

PADRE SPONHOLZ – JBF

Compartilhe Compartilhe

2 setembro 2012 FULEIRAGEM

PAIXÃO – GAZETA DO POVO

Compartilhe Compartilhe

2 setembro 2012 A PALAVRA DO EDITOR

ABESTADOS NAS GRANDES CAPITAIS

Segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o IBGE, estas são as 10 cidades mais populosas do Brasil:

O Jornal da Besta Fubana tem leitores em todas elas.

Vejam a quantidade de leitores distintos em cada uma, segundo dados do último mês de agosto:

São Paulo – 7.672
Rio de Janeiro – 7.021
Salvador – 3.570
Brasília – 4.101
Belo Horizonte – 4.890
Manaus – 763
Curitiba – 2.041
Recife – 10.890

Daqui pro ano que vem, a idéia é que o número da habitantes de cada uma seja igual ao número de leitores desta gazeta da bixiga lixa. Uma esperança modesta e bem fundamentada.

Embora a cidade de São Paulo tenha menos leitores que a cidade do Recife, sede do blogue, o estado de São Paulo tem mais leitores que o estado de Pernambuo:

São Paulo – 19.549
Pernambuco – 12.597

Passeata na Avenida Paulista

Compartilhe Compartilhe

2 setembro 2012 FULEIRAGEM

MARIANO – CHARGE ONLINE

Compartilhe Compartilhe

2 setembro 2012 FULEIRAGEM

DUKE – O TEMPO

Compartilhe Compartilhe

2 setembro 2012 A PALAVRA DO EDITOR

GARGALHADA BANÂNICO-LEWANDOWSKIANA

Eita imprensazinha fela-de-puta que só a porra.

Registra tudo e num deixa passar nada.

Não há outro jeito: tem que haver o “controle social da mídia” e a criação imediata do “conselho de imprensa” pra dar um basta na ação deletéria dessa reaçaria.

Compartilhe Compartilhe

2 setembro 2012 FULEIRAGEM

JORGE BRAGA – O POPULAR

Compartilhe Compartilhe
NÚMEROS INCONTESTÁVEIS

Caso apareça alguém com fama de letrado, dom de oratória, diante de uma plateia diversificada, lotada de profissionais de diversas categorias profissionais, e queira convencer de que o trabalhador no Brasil não está com o salário defasado, poucos acreditam. Reduzido número de pessoas é seduzido pela capacidade de convencimento do talentoso orador.

Mas, contra a frieza dos números não existem argumentos contraditórios. Desde que a fonte informativa seja merecedora de crédito. Como é o caso do Dieese-Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos, órgão de profundo respeito, que está no noticiário, informando que em algumas categorias de trabalhadores haverá de fato aumento real de salário, este ano. 

Confirmando a projeção de crescimento de até 2% do Produto Interno Bruto, diversas classes de profissionais gozarão do direito de ser contempladas com reajuste acima do Índice Nacional de Preços. Acontecimento que marca um recorde imprevisível.

Para o Dieese, séria instituição de assessoria técnica relacionada ao trabalho, constituída em dezembro de 1955, caso se confirme a tendência que aconteceu no primeiro semestre, quando algumas categorias tiveram aumento real, existe a possibilidade de 96,5% das categorias ultrapassar o recorde obtido no ano de 2010, favorecendo 88,2% dos trabalhadores brasileiros. 

Alguns fatores levantados pelo órgão avaliador, têm contribuído para alcançar o estágio de aumento real, pelo menos simbolicamente, até o momento: crescimento do salário mínimo acima da inflação, queda do índice inflacionário, aferido pelo INPC- Índice Nacional de Preços ao Consumidor e a manutenção do nível de emprego.

Sobre o INPC a sigla representa um aferidor estabelecido pelo IBGE. Desde setembro de 1979, o INPC analisa a variação dos preços no mercado de varejo. Estabelece o aumento do custo de vida da população.

Então, com o apoio de dados levantados pelo IBGE, acrescido da confirmação de que a economia entrou em rota de aquecimento neste segundo semestre, as negociações salarias serão positivas. Colaborando para ampliar o universo da massa salarial dos bancários, comerciários, metalúrgicos, químicos, petroleiros e servidores dos Correios que tem o segundo semestre como data-base que deverão puxar as vendas no comércio que poderão ter a vantagem de auferir o reajuste pela inflação, mais 80% do PIB-Produto Interno Bruto.

Talvez muita gente não distinga a diferença entre o salário nominal e o real. O salário nominal é o ordenado do trabalhador, pago em moeda. Já o salário real marca o poder de compra do ordenado ganho mensalmente pelo empregado da empresa. Valor que é corroído pela inflação. O dragão que devora o poder aquisitivo do dinheiro ao elevar, de forma duradoura e generalizada, os preços de mercado.  Estragando o sonho de consumo.

Agora, tem um detalhe. Como o brasileiro não é muito chegado em negociação de reajuste salarial, às vezes toma na jaca. É o caso de 46% das categorias de profissionais que preferem garantir o emprego, deixando o salário do jeito que está, perdendo dinheiro, a lutar por aumento salarial.

Esse grupo de perdedores não imagina que das 370 negociações salariais ocorridas no primeiro semestre, cerca de 97% já conseguiram aumento, este ano. O pessoal está com o salário mais gordinho, pelo menos por enquanto. Gozarão de dias melhores, até a inflação não engolir o pequeno aumento.

Mas, tem uma categoria que é escravizada. Dependente da política monetária do país, os aposentados que ganham acima do salário mínimo, estão proibidos em pensar no termo aumento real. O tão almejado aumentozinho foi barrado, vetado sem explicações convincentes, pela Lei de Diretrizes Orçamentárias-LDO. Como não podem fazer greve, os velhinhos que recebem benefícios maiores, são obrigados a se contentar com o que ganham. Até segunda ordem. Aguardando bons tempos, novamente.

Compartilhe Compartilhe

2 setembro 2012 FULEIRAGEM

MONSENHOR NEWTON SILVA – CHARGE ONLINE

Compartilhe Compartilhe
CARDEAL BERNARDO – MACEIÓ-AL

Mestre Papa,

veja aí uma linda  noviça em momentos de alongamento e contemplação.
 
Com os respeitos do Cardeal

R. Um belo exemplo pra todas as fubânicas.

Domingo é dia de contemplação, de missa, de culto, de louvor à natureza e aos matos verdes…

Compartilhe Compartilhe

2 setembro 2012 FULEIRAGEM

LUSCAR – CHARGE ONLINE

Compartilhe Compartilhe

2 setembro 2012 FULEIRAGEM

NANI – CHARGE ONLINE

Compartilhe Compartilhe

2 setembro 2012 DEU NO JORNAL

TARIFAS BANÂNICAS

A anarquia gerencial e a falta de critérios lógicos na fixação de tarifas, na aviação comercial brasileira, chegou a ponto de a TAM, a maior do setor, neste final de semana, cobrar R$ 3.300 por passagem Brasília-Maceió, ida e volta, enquanto cobra menos da metade, R$ 1.440, pelo bilhete Brasília-Miami-Brasília.

Da capital para Nova York a passagem custa R$ 1.650. O trecho Rio-Frankfurt (Alemanha), apenas R$ 2.133.

* * *

Pra explicar o assalto, a TAM usa um argumento absolutamente natânico: diz que a culpa do roubo é da “demanda

Com a fiscalização exercida pela ANAC, o órgão do Socialismo Muderno encarregado de fomentar a exploração aos passageiros – e que justifica a extorsão com a expressão “liberdade tarifária” -, se eu fosse o dono da TAM aumentaria mais ainda os preços internos. Butava pra fuder!

Um vôo de Palmares pra Xexéu teria um preço três vezes maior que um vôo Água Preta-Tóquio.

O curral de antas adora levar bimba no furico, tanto dos crocodilos gunvernamentais quanto dos empresariais. (Em Banânia, até os crocodilos têm pajaraca…)

“Se tiver mais um pedacinho, bote; eu aguento tudinho”

Compartilhe Compartilhe

2 setembro 2012 FULEIRAGEM

FAUSTO – OLHO VIVO

Compartilhe Compartilhe

O MILAGROSO LEITE DE JANAÚBA

Uma pequena amostra do leite de Janaúba

 O leite da janaúba tem operado verdadeiros milagres. Em algumas cidades do interior maranhense, é consumido como possuidor de poderes para a cura definitiva de alguns tipos de câncer, embora, há muito, seu uso esteja ligado à cura dos problemas intestinais, como gastrites e úlceras.

Em algumas feiras-livres de bairros de São Luís, vendedores de confiança têm até extensa lista de encomendas. Um litro é vendido por até R$50,00 (cinquenta reais), mas o valor pode oscilar, dependendo do tamanho do vasilhame.

Janaúba florida e galhos ricos em látex

Guardado em local apropriado – geladeira – é praticamente impossível de estragar. Os resultados terapêuticos têm sido comprovadamente notáveis. Claro, a indústria farmacêutica de interesses capitalistas, está bem próxima para desmentir a eficácia do medicamento natural.

OBSERVAÇÃO – Esta matéria não pretende administrar medicação para pacientes. O aconselhável é procurar um médico especialista no problema. Entretanto, segundo alguns médicos locais, não há qualquer tipo de incompatibilidade com a medicação alopática.

Janaúba branca

JANAÚBA – (Himatanthus drasticus)

Descrição : Planta da família das Apocynaceae. Possuidor de folhas obovadas, oblongas e acuminadas, flores alvas em corimbos terminais e folículos corniculados com sementes aladas. Também conhecida como janaguba, janauba, dona-joana, raivosa, jasmim-manga, sabeú-una, tiborna, sucuúba, angélica da mata e banana de papagaio.

Parte utilizada: casca, látex.

Origem : Brasil, no estado da Bahia.

Princípios Ativos: açúcares, glicosídio iridóide plumieride, triterpenóides.

Propriedades medicinais: antifebrífico, antiinflamatório, cicatrizante, estimulante do sistema imunológico, vermicida.

Indicações: vermes intestinais, febre, regras irregulares, infertilidade feminina, úlcera gástrica, câncer de pulmão, câncer linfático, luxação de articulação, machucaduras, herpes.

Modo de usar:

- decocção da casca ou látex: luxação de qualquer articulação, machucaduras; herpes;

- látex + água (leite de janaúba): uma xícara das médias três vezes ao dia. Apesar das inúmeras notícias de curas, não há conhecimento público da realização de ensaios clínicos para comprovação ou negação da eficácia e segurança terapêutica desta preparação.

Janaúba florida de flores róseas

Notas:

- A obtenção do “leite de janaúba” é feita retirando-se 10×30 cm de casca do tronco, e aparando-se o látex com auxílio de uma colher com água. Vai-se colocando em uma garrafa de um litro até que a mistura látex+água, resulte em uma sedimentação esbranquiçada com cerca de 1/4 a 1/3 da garrafa, com um sobrenadante róseo. A mistura deve ser mantida em ambiente bem frio.

- Há falsificadores que vendem leite de mangabeira (Hancornia speciosa Gomes) como sendo “leite de janaúba”.

- Nativa desde as Guianas até a Bahia.

Compartilhe Compartilhe

2 setembro 2012 FULEIRAGEM

FLÁVIO – CHARGE ONLINE

Compartilhe Compartilhe
NEALDO ZAIDAN – ANCHIETA-ES

O que saiu no jornal daqui:

” Esse PTóffoli é uma vergonha.
Junta-se a Mensalovisk.”

(Daniel Henrkenhoff)

R. Lewandowski, o homem que chegou ao STF por indicação de Dona Marisa, tá um pouquinho mais sujo do que pau de galinheiro depois da vergonhosa e deprimente atuação no julgamento dos guabirus mensaleiros.

Vou só acrescentar à sua mensagem esta nota que li ontem:

“Alguns dos colegas do ministro Ricardo Lewandowski fazem um balanço de sua atuação no Supremo, nos últimos tempos, com referencia ao mensalão e acham que o resultado não faz brilhar mais seu currículo.

Ele segurou o processo por mais de 170 dias, o que foi considerado um recorde e tentou convencer o presidente do Supremo a adiar o julgamento. Tentou ainda fazer a função do revisor, quase técnica, mais importante que a de relator, produzindo um relatório de mil páginas, mesma quantidade usada pelo ministro Joaquim Barbosa.

E quando Márcio Thomaz Bastos, advogado de defesa de um dos réus, levantou uma questão de ordem, Lewandowski já tinha pronto e escrito seu voto a favor.”

Foi nocauteado pelos seus pares de tribunal, que atuaram como verdadeiros magistrados e à luz dos autos. Uma coisa que surpreendeu muita gente. Inclusive eu mesmo, reconheço com toda franqueza.

O outro que também sujou o currículo (já bastante sujo…) foi seu cumpanhero petista, Dias Toffoli, o único caso na história destepaiz de um cabra que chegou ao STF sem ter notório saber jurídico e sem ter reputação ilibada, dois dos três requisitos constitucionais pra ser ministro do Supremo. Ele só preenchia o terceiro: o da idade mínima.

Compartilhe Compartilhe

2 setembro 2012 FULEIRAGEM

CLÁUDIO – AGORA SP

Compartilhe Compartilhe
O REI, O GARNIZÉ E ADEMILDE

Comentário sobre a postagem GALO GARNIZÉ (203)

Walter Jorge:
 
“Graças ao Besta Fubana, fiquei sabendo que Gonzagão também gravou essa pérola.

Antes, imaginava ser exclusividade de Ademilde Fonseca que nos deixou há pouco.”

Ademilde Fonseca (Março/1921 — Mar/2012)

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Compartilhe Compartilhe

2 setembro 2012 FULEIRAGEM

NANI – CHARGE ONLINE

Compartilhe Compartilhe

2 setembro 2012 REPORTAGEM

TRATAMENTO MAIS RIGOROSO

Iniciado há um mês, o julgamento do mensalão no STF (Supremo Tribunal Federal) já estabeleceu teses jurídicas que deverão levar à condenação da maioria dos réus do processo e sugerem que casos de corrupção terão um tratamento mais rigoroso no Judiciário daqui para frente. A importância do caso faz com que as decisões passem a ser referência para toda a Justiça, já que essa é uma das raras vezes em que o Supremo, preponderantemente um tribunal constitucional, analisa fatos e provas penais.

Os ministros do Supremo julgaram até agora apenas o primeiro dos sete capítulos do mensalão. A conclusão é que o esquema de corrupção foi alimentado com dinheiro público, vindo da Câmara dos Deputados e principalmente do Banco do Brasil.

Mais do que isso, os ministros derrubaram boa parte das teses apresentadas pela defesa, fixando a base para futuras condenações.

Entre elas a de que é necessária a existência do chamado “ato de ofício” para que se configurasse a corrupção. A maioria dos ministros entendeu que basta o recebimento de propina para haver o crime, mesmo que o servidor não tenha praticado nenhum ato funcional em troca. “Basta que o agente público que recebe a vantagem indevida tenha o poder de praticar atos de ofício”, disse a ministra Rosa Weber.

Em outro dos pontos, só dois ministros aceitaram até agora um dos argumentos centrais dos réus, o de que o esquema se resumiu apenas a gasto eleitoral não declarado à Justiça – o caixa dois. Segundo a acusação, o dinheiro foi usado para compra de apoio legislativo ao governo Lula em 2003 e 2004.

Os entendimentos adotados pelo STF são desfavoráveis aos réus políticos – integrantes de partidos governistas que receberam dinheiro, como Valdemar Costa Neto (PR), Pedro Henry (PP) e Roberto Jefferson (PTB), que revelou o esquema em entrevista em 2005. Eles argumentaram que receberam dinheiro para gastos eleitorais ou partidários. Mas para o ministro Celso de Mello, quando existe a corrupção, é “irrelevante” a destinação do dinheiro – tanto faz se foi usado “para satisfazer necessidades pessoais”, “solver dívidas de campanhas” ou para “atos de benemerência”.

Outra tese da defesa que deve ser derrotada – quatro ministros já se manifestaram contra – é a de que só devem ser consideradas válidas provas colhidas no processo judicial, quando há amplo espaço para a defesa dos réus. A maior parte dos ministros indicou até agora que provas obtidas em CPIs, inquéritos policiais, reportagens de jornais e depoimentos só não valem quando constituírem o único fundamento da acusação. Dentro de um contexto, dão força ao processo criminal. “Os indícios não merecem apoteose maior, mas não merecem a excomunhão. Não podemos alijar os indícios. […] É uma visão conjunta”, argumentou Marco Aurélio Mello.

Por fim, a maioria dos ministros também indicou que há crime de lavagem de dinheiro (tentativa de ocultar a origem de um recurso ilícito) quando um beneficiário envia outra pessoa para sacar o dinheiro em seu lugar. O deputado João Paulo Cunha (PT) e o ex-diretor do Banco do Brasil Henrique Pizzolato foram condenados por isso. Há outros réus que receberam dinheiro da mesma forma.

Compartilhe Compartilhe

2 setembro 2012 FULEIRAGEM

JARBAS – DIÁRIO DE PERNAMBUCO

Compartilhe Compartilhe

1 setembro 2012 FULEIRAGEM

PELICANO – BOM DIA SP

Compartilhe Compartilhe

1 setembro 2012 A HORA DA POESIA

DEPOIS DA TEMPESTADE – Chico Jó

Nessas noites incertas e terríveis
Em que a farsa da vida me amedronta,
Dentro em meu ser um temporal aponta,
Rasgado por relâmpagos horríveis.
 
Chove; a água borbulha nos desníveis;
Não vê o sol que outra manhã desponta;
Monstro malsão de assombrações sem conta,
O vento inventa sons inexprimíveis.

Porém eu sei que essa aflição termina
E em minha alma lavada e cristalina,
Depois que a paz de espírito vier,

A brisa irá, como um clarim plangente,
Passando entre as folhagens, suavemente,
A murmurar um nome de mulher.

Compartilhe Compartilhe

1 setembro 2012 FULEIRAGEM

ERASMO – JORNAL DE PIRACICABA

Compartilhe Compartilhe

1 setembro 2012 FULEIRAGEM

CAZO – COMÉRCIO DO JAHU

Compartilhe Compartilhe

1 setembro 2012 DEU NO JORNAL

FALA, CARECA, FALA ! ! !

Com a perspectiva de uma condenação com pena longa, há ministros no Supremo Tribunal Federal que não duvidam nada que Marcos Valério dê com a língua nos dentes e revele os bastidores do mensalão que até hoje escondeu.

* * *

Já encomendei um trabalho a minha amiga Dona Zefa do Maxixe, a maior catimbozeira de Palmares, pra que ela consiga com as entidades das profundas que Marcos Valério pegue uns 200 anos de condenação.

Puta que pariu!

Chega tô sonhando com o momento em que o carequinha vai dar com a língua nos dentes e revelar tudo que viveu com seus parceiros de quadrilha petralha.

Já pensaram, ele contando detalhes das audiências que teve com Zé Dirceu no Palácio do Planalto, discutindo a lista de pedidos de Lula com os nomes dos deputados que seriam comprados???!!!

Dona Zefa do Maxixe em terras de Jurema Sagrada, no Engenho Ribiguda, Palmares, posando pra uma foto que fiz com ela, ao lado do Tôco do Tinhoso, por ocasião de um trabalho contra os invejosos e os que tentam, inutilmente, botar mau-olhado no JBF

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Compartilhe Compartilhe

1 setembro 2012 FULEIRAGEM

AROEIRA – JORNAL O SUL

Compartilhe Compartilhe
CARDEAL HUYTAMAR – NATAL-RN

Sinalizado Papa Berto I, o único cujo celular funciona:

Veja agora SS,a nova sacanagem que uma operadora de celular está fazendo aqui no RN (deve fazer em outros estados também), bem nas fuças dessa Agência enrabadora chamada ANATEL:

A)  Os alertas de chamadas recebidas, quando o fome está desligado, foram desativados;

B)   Para diminuir (sic) as reclamações por falta de sinal, estão desconectando muitos   aparelhos da rede, nos horários de pico, ou seja, de vez em quando tiram alguns usuários do ar por breves momentos, principalmente quando esse usuário tenta, repetidamente , ligar para um mesmo número.

Obviamente que isso seria muito fácil de detectar pela ANATEL, entonces …

Prova:

Ontem (31/08) eu estava ao lado de um amigo que, como eu, usa chip da OI e meu telefone caiu nessa esparrela e ficou sem sinal. Imediatamente ele fez duas chamadas para o meu número, que por estar sem o sinal, não teve a chamada completada e sabe o que ocorreu: o dele também foi desconectado. O sinal voltou primeiro ao meu, depois de uns 10 minutos e então eu fiz o mesmo: liguei para o dele que estava sem rede. Resultado: voltei a ficar sem o maldito sinal!

Mas, mesmo depois que os dois aparelhos voltaram a funcionar normalmente, nenhum de nós foi notificado das chamadas perdidas.

Mééé … mééé … mééé …

Compartilhe Compartilhe

1 setembro 2012 FULEIRAGEM

AMARILDO – A GAZETA

Compartilhe Compartilhe

© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa