28 outubro 2011OS NONATOS EM CANTORIA



Poetas repentistas Raimundo Nonato e Nonato Costa glosando o mote

Deputados por mês querem  cem mil
e dão trezentos e oitenta a quem trabalha”.

* * *

Poetas  repentistas Raimundo Nonato  e Nonato Costa  cantando 

“Os problemas dos famosos”.

* * *

Raimundo Nonato e Nonato  Costa cantando um Martelo Perguntado.

* * *

Nonato Costa e Raimundo Nonato cantando o mote:

A ciência do  homem está distante
dos poderes da mão da natureza.

Nonato Costa

Quanto mais quer saber mais se complica
que a ciência do homem não é nobre
a matéria do homem é muito pobre
mas a mãe natureza é muito rica
que a ciência do homem não explica
por que é que o sol tem luz acesa
voa a nuvem em constante ligeireza
parecendo um tapete revoante
A ciência do  homem está distante
dos poderes da mão da natureza.

Raimundo Nonato

A ciência merece todo encarte
para que o resultado se conclua
Armstrong botou os pés na Lua
estão agora querendo por em Marte
Avostok voou por toda parte
da camada estrelar tão indefesa
qualquer dia uma nave fica presa
para Deus condenar o visitante
A ciência do  homem está distante
dos poderes da mão da natureza.

* * *

Nonato Costa e Raimundo Nonato trabalhando o mote:

Severino Ferreira hoje é saudade
no cenário da nossa cantoria.

Nonato Costa

Papa taça de todo festival,
quinze anos morou ali em Patos,
entregou o programa pra os Nonatos,
quando estava mudando pra Natal,
quase morto seguiu para o hospital
mas não deu nada certo a cirurgia,
deixou Lúcia da sua companhia
e os três filhos chorando a orfandade.
Severino Ferreira hoje é saudade
no cenário da nossa cantoria.

Raimundo Nonato

Seu caminho outra draga não escava,
Severino era um negro muito fino,
e a história do vate Severino,
num estúdio no céu hoje Deus grava,
a viola não toca o que tocava,
sua boca não diz o que dizia,
e seu repente virou mercadoria,
no mercado da santa eternidade.
Severino Ferreira hoje é saudade
no cenário da nossa cantoria.

Nonato Costa

Estava havendo Congresso em Campina,
quando um carro se acidentou na pista,
no local morreu logo o motorista,
Deus pôs ponto final na sua sina,
foi perdido apelar à medicina,
o poeta morreu no mesmo dia,
a viola ficou só a fatia
e sua roupa com sangue em quantidade.
Severino Ferreira hoje é saudade
no cenário da nossa cantoria.

Raimundo Nonato

Severino não tinha nem noção,
que iria avistar a luz da morte,
iam 7 colegas no transporte,
pra mais um festival da profissão,
porém houve um problema na tração,
quando o carro virou na rodovia,
DEUS ganhou um presente de poesia,
embrulhado no terço da amizade.
Severino Ferreira hoje é saudade
no cenário da nossa cantoria.

Nonato Costa

Desprovido de ódio e prepotência,
corajoso, colega, humilde e franco,
era um preto que tinha alma de branco,
como branco foi sua consciência,
pra o seu trono precisa de suplência,
mas Deus não encontrou segunda via,
e se eu pudesse ganhar, eu gostaria
de ganhar pelo menos a humildade.
Severino Ferreira hoje é saudade
no cenário da nossa cantoria.

Raimundo Nonato

Severino Ferreira teve o trono,
mas depois que perdeu a luz da vida,
sua chácara de touros foi vendida,
por cinqüenta por cento do abono,
sua casa em Natal ficou sem dono,
dona Lúcia sem sua companhia,
a viola perdeu a parceria,
e sua cama faltando uma metade.
Severino Ferreira hoje é saudade
no cenário da nossa cantoria.

Nonato Costa

Meu amigo, ele foi antigamente,
mas depois por três anos se sumiu,
quando a arte em dois grupos se partiu,
e ele foi para um grupo contra a gente,
mas jamais eu neguei o seu repente,
seu valor e a sua simpatia,
e se Ferreira voltasse eu lhe diria,
por você ainda morro de amizade.
Severino Ferreira hoje é saudade
no cenário da nossa cantoria.

Raimundo Nonato

O seu nome outro vate não desbanca,
porque sua cantiga era tão boa,
foi um rei sem direito a ter coroa,
mas no cofre do verso tinha a tranca,
tinha a pele morena, a alma branca,
na visão, um problema de miopia,
e se no céu tiver reino, Deus confia
o direito de ser autoridade.
Severino Ferreira hoje é saudade
no cenário da nossa cantoria.

Nonato Costa

Rio Grande do Norte, o seu Estado,
o poeta cantou igual a mim,
os troféus, a ferrugem já deu fim,
o seu livro lançado no mercado,
seus trabalhos, por muitos decorado,
os seus discos, o povo inda copia,
cantador como ele, Deus não cria,
se criar, Deus limita a quantidade.
Severino Ferreira hoje é saudade
no cenário da nossa cantoria.

Compartilhe Compartilhe

4 Comentários

  1. Paulo Barbosa disse:

    Fui apresentado a este Site por um amigo e estou bastante satisfeito.
    De zero a dez? não cabe no limite……

  2. ivomar farias disse:

    fala caros poetas.

    sou ivomar farias de araujo,filho de sao bento terra das redes,
    ver estas estrofes falando de severino é de muita valía, fiquei muito contente,pois é sinal que a cultura nordestina tá de pé fincado e atolado nessa coisa chamada: FILOSOFIA DE VIDA.

  3. Francisco Canindé disse:

    Eu morei algum tempe em cajazeiras na epoca em que severino morava em patos, tive o prazer e ver severino cantado várias vezes, uma das maiores cantoria que assisti foi com severino e Ivanildo vila nova na AABB de Cajazeiras, depois vim morar em Natal, pensando que ia ter a oportunidade de continuar assistindo as belas cantorias com severino e outros bons cantadores que existe aqui na nossa região mas com pouco tempo tive desprazer de ver em um dos jornais da cidade a triste noticia do falecimento de um dos maiores poetas da época.

  4. JOSE DOROTEU FERREIRA disse:

    TINHA A VOZ MELANCOLICA COMO UM HINO
    UM REPENTE QUASE EXTRAORDINARIO
    CANTANDO TINHA UM VOCABUARIO
    PERFEITO, ARROJADO E MUITO FINO
    TODA VEZ QUE LEMBRO SEVERINO
    O MEU PEITO RESPIRA MUITO FORTE
    ELE FILHO DO RIO GRANDE DO NORTE
    INSTRUMENTO E GRANDE REVELAÇÃO
    UM VERVE ETERNA DO SERTÃO
    MOREU COMBATENDO ATÉ A MORTE.

    DOROTEU

Deixe o seu comentário!


© 2007 Besta Fubana | Uma gazeta da bixiga lixa